Mil Pedaços de Você

Mil Pedaços de Você Claudia Gray




Resenhas - Mil Pedaços de Você


154 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Kari 15/01/2016

Posso dizer que essa foi minha primeira leitura do ano!
Ano passado, na época em que recebi esse livro, estava passando por problemas sérios de saúde e tive que passar por uma cirurgia, então eu comecei a ler.. Mas não estava com muita cabeça para isso.. Então dei continuidade esse ano. E só posso dizer que adorei cada página lida.

Esta é uma história futurística que envolve viagens no tempo, universos paralelos e uma paixão que está destinada a acontecer em qualquer dimensão que se vá!

Os pais de Marguerite são cientistas com um QI muito elevado e trabalham em um projeto que se tornou projeto de uma vida - o Firebird - dispositivo que seria capaz de transportar o usuário através de dimensões paralelas existentes no universo. Porém, quando a Tríade percebe que esse projeto pode render frutos além do proposto pelos cientistas um plano começa e com isso uma conspiração onde não se sabe ao certo os envolvidos. Diferente de seus pais e sua irmã, Marguerite não possui um lado científico, ela é uma artista nata, possui um dom completamente diferente de sua família. Mesmo assim quando seu pai morre e Theo aparece com dois protótipos do Firebirde e diz que vai atrás de Paul Marcov para vingar a morte do Dr. Caine, Marguerite não aceita ficar de fora disso e ruma junto com ele.. Confusa, magoada pela morte de seu pai.. Mas disposta a tudo para entender os motivos de Paul, que era como um filho para seus pais. Nisso ambos dão início a maior jornada de suas vidas.. Sem qualquer garantia de que os protótipos de fato irão funcionar, de que não irão se despedaçar no tempo.. São movidos pela determinação e vingança!


Mesmo com várias desconfianças de que Paul Markov assassinou seu pai, Marguerite não consegue apenas pensar nele com ódio, ela nutre um sentimento um tanto confuso, mas acostumada a ver a alma das pessoas, como talentosa artista que é; tem certeza que tudo que viu em Paul não pode ter sido apenas sua imaginação. Por isso ao pular para outra dimensão.. Quando realmente encontra Paul e o olha nos olhos ela toma suas próprias decisões que nem sempre batem com o intuito de seu amigo Theo.

Uma jornada perigosa, cheia de confusões, perigos e descobertas incríveis e ao mesmo tempo devastadoras. O que será que acontecerá com Marguerite, Theo e Paul?

Mil Pedaços de Você não é apenas uma história futurísticas cheia de aventuras. Fala de amor, amizade, lealdade, paixão, fé.. E principalmente que quando amamos alguém de verdade, amamos sua alma.. Cada pedaço daquela pessoa, mesmo que dividido em muitos e espalhados por inúmeras dimensões.. É incrível como quando as coisas estão destinadas a acontecer.. Elas simplesmente acontecem!


Amei Mil Pedaços de Você. Tem um misto de vários elementos que conquistam o leitor e não o deixam cair na mesmice!
Victória 15/01/2016minha estante
Preciso ler! Agora só estou com mais vontade ainda :D


Kari 15/01/2016minha estante
Vale muito a pena Victória.. É fofo e tem conspirações, traições e muito mais!


Victória 16/01/2016minha estante
Tá na lista :)




Dani 05/05/2016

Bobinho, mas divertido
Sempre gostei de histórias que envolvessem universo paralelos;o conceito do que mudaria se tivéssemos tomado uma decisão diferente ou seguido por outro caminho.
Uma das minhas partes favoritas em seriados de tv de ficção científica, como Fringe ou SG-1, eram justamente os episódios que brincavam com essa idéia.
E foi exatamente esse conceito que me atraiu para "Mil Pedaços de Você".
Mas este, apesar da premissa, não é um livro de sci-fi e foi isso que me decepcionou muito no inicio, pois não era o que eu esperava. Eu diria que esse é sim, um livro de romance, e à partir do momento que aceitei esse fato, consegui aproveitar mais o livro. É uma história, por vezes, bobinha e bem superficial, mas admito q me diverti bastante e não consegui largar o livro até acabar. Ainda planejo pegar o segundo livro quando lançar.
Vanessa.Melo 06/05/2016minha estante
vc é severa na hora de dar estrelinhas.. rsrsrs


Dani 06/05/2016minha estante
kkkkkk


Thais 18/05/2016minha estante
Também me chamou a atenção por causa do Fringe, mas quando eu li já no começo que a protagonista 'não sacava dessa parada de ciência', vi que não adiantava esperar grandes explicações a respeito.




Isa 02/07/2017

"É conforto suficiente saber que existem mundos infinitos. Possibilidades infinitas. "

Esta estória foi divertida e rápida, mas não tão boa quanto eu esperava. Alguns comentários:

O que eu gostei:
- O mundo. A ideia de existir dimensões infinitas e de poder viajar poe elas é uma premissa muito legal;
- As diferentes dimensões. Ler sobre as diferenças entre cada dimensão que Meg viajou foi super divertido e minhas partes favoritas!
- A discussão ética que foi levantada em relação a "tomar" o corpo de outra pessoa em outra dimensão (mesmo que essa pessoa seja "você mesmo") foi super interessante e realmente me fez pensar. Espero que os próximos livros continuem a abordar isso;

O que eu não gostei:
- Gostaria que a estória tivesse começado alguns dias antes de o pai da protagonista morrer. A maneira como começou me fez sentir completamente desconectada da história e dos personagens;
- O romance. Eu meio que compreendo os sentimentos confusos de Meg após o que aconteceu na Rússia, mas ao mesmo tempo sua indecisão era irritante.

Minha parte favorita deste livro foi quando Meg estava na Rússia. Foi tão divertido ler sobre ela se adaptar a este novo mundo e conhecer as pessoas nele. Espero que haja capítulos deste estilo nos próximos livros! :)

site: https://www.goodreads.com/review/show/1093827400
Ana Carol 09/07/2017minha estante
Nossa tive as mesmas impressões. Com toda certeza a viagem à Rússia foi a melhor coisa do livro! Teve romance, aventura, pequenas reviravoltas. Kkkkk Espero que tenha mais disso nos próximos volumes. Adorei sua resenha. ^^




julia 18/06/2020

Resenha: Mil Pedaços de Você
Confissão: comprei Mil Pedaços de Você só por causa da capa.

Mas além de uma capa linda, Mil Pedaços de Você também tem uma história bem interessante e boa de ler. O conceito principal no qual o livro se apoia é o de universos paralelos. A parte de ficção científica é bem escrita e a Gray cria universos intrigantes que são apresentados para os leitores aos poucos.

Infelizmente, o romance tira a atenção da parte de descoberta dos universos paralelos e as consequências de afetar eles. É muito instalove junto com um triângulo amoroso e a Marguerite passa bastante tempo angustiada por causa dos sentimentos e relacionamentos dela.
Kerlange 11/08/2020minha estante
Eu também comprei por causa da capa, mas me arrependi amargamente




Fabi 05/02/2018

CONFUSO, MAS INTERESSANTE
''O momento em que você descobre a verdade sobre alguém e vislumbram a verdade dentro de você. Nesse momento, você não pertence mais a si mesma, não completamente. Parte de você pertence a ele, e parte dele pertence a você. Depois disso não há como voltar atrás, não importa o quanto você queira nem o quanto tente.''

Faz um bom tempo que eu queria ler esta trilogia. Confesso que me interessei devido este quote:

''— Eu amaria você em qualquer corpo, em qualquer mundo, com qualquer passado. Nunca duvide disso.''

Eu amo esses tipos de trechos e, além disso, as capas dessa trilogia são maravilhosas. O problema de eu ter adiado conhecer esta história, foi devido ser sobre ficção científica. Nunca tinha me dado bem com livros neste estilo, daí meu medo de ler a trilogia Firebird.
Mas Ufaaaaaa, que sensação de alívio por eu ter gostado da história. \o/
O livro irá narrar a história de Marguerite Caine, filha de dois físicos brilhantes. Sua mãe criou um fantástico aparelho chamado Firebird. Este aparelho permite que você consiga ir para outra dimensão.
Tipo, você vai para um universo remoto, que naquela dimensão você é você mesma, mas também não é você mesma. Nesta outra dimensão você pode ser qualquer coisa diferente. E todas as pessoas que você conhece estão presentes ali.
O Firebird proporciona que Marguerite entre no corpo da outra Marguerite daquela dimensão. Ela pode ser apenas mais uma jovem adolescente ou até a Alteza Imperial. Depende da dimensão que ela está.
Isso é muito legal no livro. Você mesmo fica imaginando que em outra dimensão você pode ser uma pessoa totalmente diferente, que conseguiu obter algo que sempre sonhou. Incrível né?
Só que nem tudo são flores. O pai de Marguerite foi assassinado e quem está sendo acusado pelo crime é Paul. Os pais dela eram como uns pais para Paul. Antes do que aconteceu, os dois estavam entrando em um clima.
E agora ela viajou para outra dimensão para matar ele. Em cada dimensão que ela o persegue, as dúvidas surgem. Paul sempre foi o cara calmo e que nunca faria mal para o pai dela. Como pode ser ele o assassino?
O livro tem uma mistura de tudo: romance, triângulo amoroso, traição, surpresas.
O que achei ruim foi que em alguns momentos me vi confusa com isso de várias dimensões, você ocupar o seu outro eu do universo e tal. Marguerite achar que esta traindo a pessoa lá, pois ficou com o outro eu dele. Poxa, os dois não são os mesmos no final? Estranho, estranho...
Tenho certeza que nos próximos livros irei entender mais sobre as dimensões.
No final recomendo o livro. É o tipo de leitura que você pode ficar meio que sem entender algo, mas mesmo assim não quer deixar ela de lado. ;)

''— Não preciso de um mundo sem você nele.''

''Matemática ou destino? Qualquer que seja a força que continua nos colocando juntos em um mundo atrás do outro, é poderosa. Inegável. Mas ainda não sei se essa força será minha salvação ou minha destruição.''
Gustavo Igor 05/02/2018minha estante
Já na lista para ler \o/




Paloma | @ourbookself 03/04/2017

Esse foi um daqueles livros que você não sabe como classificar. Duas estrelas? Três? Quatro? Duas de novo? Pois é
Pela sinopse da pra perceber que a autora aborda um assunto MUITO incrível, a viagem entre dimensões! Os mundos vistos nesse livro são muito bem construídos, a ideia geral que ela teve é um máximo....se não fossem ofuscados por questões que me incomodaram demais.
A primeira é o fato das personagens serem superficiais, principalmente a protagonista (Tudo bem que estamos falando de uma menina de 17 anos, mas em todos os momentos ela se comporta como uma adolescente de 14)
A segunda é o excesso de romance. Meu. Deus. Do. Céu. É romance 24h por dia nesse livro! Além do triângulo amoroso completamente desnecessário que a autora insiste em criar. E o pior é que ela fica 'forçando' a protagonista a ter sentimentos conflituosos do começo ao fim da história. Literalmente.
Senti MUITA falta do conflito real, da conspiração, do aprofundamento no assunto da ciência.
.
Talvez uma história um pouco mais adulta tivesse sido mais bem-sucedida.

site: https://www.instagram.com/p/BSOuHK_lJB_/?taken-by=ourbookself&hl=pt-br
Lauraa Machado 26/06/2018minha estante
Super concordo com tudo que você falou! Eu mesma amo romance, mas a autora estava bem incerta sobre o romance nesse livro! Mesmo assim, aconselho a ler os próximos, que são muito melhores! O terceiro principalmente é meu favorito!




Ellen.Santos 07/11/2020

Muito bom!!
Foi o meu primeiro livro de ficção científica e eu adorei!!! A narrativa é muito tranquila, super fácil de ler, os personagens são bem desenvolvidos... Ameii!!!
Thalita | @desabafoliterarioo 21/01/2021minha estante
Ele também foi o meu ?




Sabrina Amorim 01/04/2018

Marguerite é a filha mais nova de dois cientistas brilhantes: Henry Caine e Sophie Kovarovisk. Durante os últimos dois anos eles trabalharam com Paul e Theo, alunos prodígios que acabaram fazendo parte da família, já que praticamente viviam na casa deles em qualquer que fosse a ocasião. O projeto mais recente e bem sucedido desse quarteto foi o Firebird.

O Firebird é a teoria de Sophie de que existem muitas outras dimensões e que é possível que um indivíduo viaje entre elas. Paul ainda arrisca a dizer que existem certos padrões e que eles se repetem em cada uma delas, ou seja, ele tenta provar cientificamente a existência do destino.

Após muito tempo de trabalho e pesquisa, eles conseguem desenvolver um único protótipo do dispositivo, que é roubado no mesmo dia em que os arquivos do projeto são apagados e, ainda, que o pai de Marguerite é assassinado. A caminho da faculdade para descobrir o que poderia ter acontecido com os arquivos, Henry perde o controle do carro e cai no rio. A polícia precisa fazer mais buscas para encontrar o corpo, mas tudo indica que o carro foi sabotado por Paul Markov, que foge com o Firebird para outra dimensão.
Entretanto, o que ninguém esperava era que Theo possuísse mais dois Firebirds guardados, protótipos antigos que ele tentou aprimorar conforme a pesquisa avançava. Marguerite se junta a Theo para que os dois possam ir atrás de Paul e vingar a morte do pai. Então eles pulam para a primeira dimensão, que é uma Londres muito mais avançada tecnologicamente.

A questão sobre as viagens entre os mundos paralelos é muito bem explicada pela autora logo no começo do livro, o que possibilita ao leitor uma excelente compreensão sobre toda a teoria da Sophia e a profundidade dela. O dispositivo funciona apenas como um "passaporte" de viagens dimensionais, e não podendo viajar no tempo, portanto, as dimensões são sempre no presente mesmo que algumas sejam muito mais avançadas do que outras; a autora sabe trabalhar muito bem essa ideia, e ela ainda faz algo que soou como um pequeno alerta para nós, quanto à tecnologia que pode nos cegar (alô Black Mirror, rs) e também aos riscos do aquecimento global.
Toda a história é muito bem desenvolvida, e me surpreendeu bastante porque eu pensei que seria repetitiva essa situação de "entra em dimensão, sai de dimensão, entra em dimensão...". Além da forma como a autora soube desenvolver toda a ideia dos universos paralelos, que foi muito criativa e interessante.

O que não me agradou desde o início foi a indecisão da Marguerite quanto aos sentimentos dela. Sim, entendo que ela é uma adolescente e se sentir dessa forma é natural, mas foi um clichê que me desagradou demais. Quando parece que ela finalmente se entendeu, começa de novo todo aquele questionamento, mas é um romance, então... Talvez não tivesse me desagradado tanto se a dúvida fosse apenas "eu gosto mesmo desse cara?", mas foi "de quem eu gosto?", e não sei vocês, mas eu não aguento mais ler romances com triângulos amorosos.

"Mil pedaços de você" é o primeiro livro de uma trilogia. Mesmo tendo gostado eu não pretendo continuar agora essa história, é mais por uma questão particular mesmo de estar em uma vibe de livros únicos, mas quem sabe daqui um tempinho, rs.



site: https://www.instagram.com/saamorimsilva/
Natalie 26/08/2018minha estante
Finalmente uma resenha que alguém falou sobre o romance!! Mtt obgd por avisar sobre o triângulo amoroso, não tenho paciência pra livro que tem isso...




Gio @wondergio.reading 29/07/2016

Corações em pedaços
"Preciso de você. Preciso de todas as versões de você"

Já sei de onde eles tiraram a ideia para o título desse livro: foi do estado dos leitores depois de terminar a leitura! Eita livrinho que acaba com a gente, deixando nosso coração em mil pedacinhos.

É muito suspense, muita tensão, muitas reviravoltas.

Ah! E vai rolar triângulo amoroso para deixar tudo ainda mais complicado!

Marguerite Caine cresceu cercada por teorias científicas revolucionárias graças aos pais, dois físicos brilhantes.

Ok, mas eu não. Então as primeiras páginas de Mil Pedaços de Você foi meio confuso para mim.

Mas ainda bem que continuei a leitura! Porque a história só fica melhor, melhor e melhor.

Você está lá de boa achando que o melhor do livro já foi e PÁ algo UAU acontece.

Os pais de Marguerite inventaram um aparelho chamado Firebird, que permite que as pessoas alcancem dimensões paralelas.
essa super invenção vale milhões de dólares e por causa disso, o pai de Marguerite é assassinado. E todas as evidências apontam para a mesma pessoa: Paul.

Lembram do MATE PAUL MARKOV? Então, esse Paul.

Paul usa o Firebird e escapa para outra realidade, fechando o ciclo do que parece ser o crime perfeito.
Mas, a nossa super Marguerite resolve ir atrás dele, seguindo-o por várias dimensões até poder realiar a sua vingança.

O que é mais legal no livro? Em cada novo mundo, Marguerite encontra outra versão de Paul e de si mesma. Versões que são ao mesmo tempo parecidas e diferentes deles.

O que nos faz pensar: o que nos faz ser nós mesmos? O que faz de mim ser a Gi e de você, ser você? O que é único e imutável em nós, independentemete das vidas que levamos?

E o que o destino (se ele existe) tem a ver com isso? Será que podemos escolher a pessoa que nos tornaremos?

Entre todas as infinitas possibilidades do universo, o amor pode ser aquilo que perdura?

site: https://www.instagram.com/monlivre/?hl=en
Patty 23/12/2016minha estante
Tah aí.... exatamente isso!!!!




Jhully 21/01/2021

Q surpresa! Esse livro merece mais hype.
Estou vindo de um momento ruim da minha vida onde não conseguia tempo nem cabeça pra ler, misturado a uma desgraça literária (não consigo achar ânimo p terminar Tempestade de guerra). Assim, fui para esse livro com pouquíssimas expectativas e ainda com medo de ter perdido dinheiro na compra. E meu Deus.... Como foi perfeito quebrar a cara. Esse livro foi tudo q eu precisava e mais um pouco.
Sério, como ninguém faz hype desse livro? Ninguém faz postagem no instagram, ninguém faz campanha... Gente esse livro é bom demais.
Surpreendente, com uma escrita que te traga para dentro da história, Mil Pedaços de Você é fluído, sem enrolação, personagens cativantes, misterioso, com um romance pra lá de fofo e com muita, muita, tipo muita química. Tem uma pegada de triângulo amoroso, q não pega nada, você torce pelo digníssimo certo o tempo todo. Para o pessoal como eu q não curte triangulo amoroso, pde ler sem problemas.
A autora foi de uma maestria gigantesca ao trazer tantos conceitos científicos de forma simples, casual, sem parecer q estávamos em uma aula. Detalhe: a protagonista é uma leiga nos assuntos difíceis de física, que permeiam todo o livro, mas que em momento algum dificulta a leitura, na verdade, só empolga mais o leitor.
A escrita da autora conseguia traduzir de forma perfeita momentos agridoces das nossas vidas que não prestamos atenção e não percebemos nosso luxo e privilégio. Suas descrições eram curtas e encantadoras, reais. É isso, a descrição dos momentos, das relações, dos pensamentos são bem reais. Além de conseguir também de fato transportar o leitor pra dentro do livro, ao ponto de em quanto estava lendo, me esquecer da realidade, e quando não podia ler só pensava sobre o livro e a estória.
O livro se passa em primeira pessoa, então infelizmente ficamos presos somente a visão da protagonista, mas ela não nos decepciona, não é aquela protagonista burrinha, sonsa, sem graça que fica parada. No começo talvez por conta das circunstâncias está um pouquinho perdida e acaba se enganando ao que se agarrar e acreditar, mas aos poucos com sua inteligência vai preenchendo os espaços em branco. Algumas das reviravoltas no livro são um pouco previsíveis de acordo a leitura vai sendo feita, mas outras te pegam totalmente de surpresa que você fica.... Como não pensei nisso?!
Os momentos de ação são eletrizantes, empolgantes, que você se pega balançando os joelhos e apertando as mãos e... Ai meu Deus.
Minha experiência foi ainda melhor pq enquanto lia ouvi uma playlist de 4 vídeos do youtube que super me ambientou na história, tornando a experiência mais perfeita ainda. Aqui está o link: https://www.youtube.com/watch?v=41Y6xov0ppw
Enfim, super recomendo a leitura. Um super sci-fi, com humor, romance e mistério, e óbvio, uma ficção científica de primeira. Me senti encantada ao ler e deslumbrada ao terminar.
Thalita | @desabafoliterarioo 21/01/2021minha estante
Também fico triste por ele não ser muito comentado. Amooo demais essa trilogia




Camila Lobo 13/05/2016

Resenha: Mil Pedaços de Você (Por Livros Incríveis)
Marguerite Caine é a filha de dois renomados cientistas que criaram um dispositivo, o Firebird, capaz de fazer o usuário viajar por universos paralelos. Quando o pai dela é assassinado e todas as evidências apontam para Paul Markov, pupiloo da família, ela passa a persegui-lo por inúmeras dimensões, determinada a matá-lo. A cada universo paralelo, ela entra no corpo de inúmeras outras Marguerites, entre elas uma orfã em uma Londres futurística, uma Grã Duquesa e uma que vive no fundo do mar.

“Agora sei que luto é uma pedra de amolar que afia todo amor, todas as suas memórias mais felizes e os transforma em lâminas que nos cortam de dentro para fora.”

O que primeiro me chamou a atenção, não foi a capa. Apesar de ser uma obra de arte (e uma das minhas favoritas spoiler de futuro post), o que mais me chamou a atenção foi a sinopse. Mil Pedaços de Você prometia uma ficção científica inteligente e diferente, mesclada com um possível romance. Em minha opinião, a história foi sim muito inteligente, apesar de algumas dúvidas minha, e supriu tudo o que eu imaginava que a obra poderia ser.

Claudia Gray conseguiu criar um universo, ainda que talvez impossível, plausível e extremamente criativo. A leitura possui uma escrita fácil e bem desenvolvida, com inúmeros cenários e ambientes diferenciados, tornando a leitura quase 100% fluída. Além disso, a autora ainda insere mudanças sutis e históricas em cada um dos universos, o que faz com que o leitor se sinta melhor familiarizado com algo tão diferente. Como por exemplo, alguns universos em que os Beatles nunca existiram.
Para completar, Gray é uma autora que parece escrever muito bem livros do gênero de ficção científica. Particularmente, gosto muito do tema de multiuniversos. Portanto, o livro também cumpre muito bem seu papel na maior tempo, já que a autora soube conduzir a história nesses pontos, como explicar como a sociedade avançou mais em um universo e menos em outro.
Nesse caso, o que realmente confunde na leitura é que não há maiores explicações sobre o Firebird – do que ele realmente é feito, como ele realmente transporta a consciência, por exemplo, são coisas que sei que a autora possui criatividade para responder- ou uma explicação mais aprofundada sobre como a viagem entre espaços funciona. Temos a explicação básica, que pode ser considerado o suficiente, já que é mencionado que não há como viajar pelo tempo, e que pessoas não podem ser transportadas, mas fica a curiosidade de saber mais sobre como se dá o processo.

No decorrer da trama, há dois universos paralelos que são mais desenvolvidos: o original, em que Marguerite vive com seus pais, e seu pai foi assassinado; e o tem a Rússia como pano de fundo. Nesse caso, ela é uma grã duquesa, porque o tempo não regrediu, mas os Romanov nunca foram atacados e por isso, a Rússia se tornou uma das grandes potências mundiais. A segunda parte ocupa grande parte do primeiro livro, porque conta sobre o romance entre Margarita e o Tenente Markov, assunto que perdurará até o fim do livro. Essa parte em específico foi uma das melhores partes, porque apesar de ser um pouco “aleatória” de certa forma, sou grande admiradora da Rússia e de romances (como vocês sabem hehe). Ambos esses aspectos foram bem trabalhados, sendo descritos de forma coesa e o romance, apesar de rápido, foi singelo. O mesmo pode ser dito para os outros 3 universos além desses 2 principais.

Todos os personagens têm seu destaque, alguns sendo mais importantes em determinados universos do que outros. Claudia Gray os descreveu bem, ajudando o leitor a imaginar melhor cada aparência e personalidade Outro ponto positivo foi que há personagens que o leitor têm certeza absoluta que não matou o pai de Marguerite. Os outros três suspeitos, é extremamente difícil sequer imaginar quem matou, porque a Gray soube fazê-los com inúmeras qualidades e defeitos.

Novamente, o ponto falho da leitura deve-se a confusão causada em algumas partes. Além sobre a falta de explicação de alguns detalhes, mencionados anteriormente, há muitos plot twits que apesar de bem feitos e em sua maior parte, difíceis de se imaginar, causam muita confusão, sendo provavelmente necessario reler algumas páginas para total compreendimento. Principalmente em relação à uma das grandes reviravoltas do livro. Ainda assim, apenas esses pequenos detalhes podem incomodar na leitura, que vicia pelo tema interessante e a ótima escrita da autora.
Mil Pedaços de Você mostrou-se uma leitura tão agradável quanto eu previra, com história e personagens carismáticos, e com um gancho para o segundo livro, que não foi forçado e me deixou bem ansiosa para Ten Thousand Skies Above You.

Sobre a duologia:
Mil Pedaços de Você é o primeiro livro da duologia com a história de Marguerite Caine. O segundo livro, Ten Thousand Skies Above You ainda não tem previsão aqui no Brasil, mas o lançamento deverá ocorrer ainda esse ano.

Leia mais resenhas em:

site: http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/2016/05/resenha-mil-pedacos-de-voce-claudia-gray.html?m=1
Thais 18/05/2016minha estante
Tenho quase 80 por cento de certeza que o firebird funciona como o "gira-tempo" da Hermione uahuahua




Livros e Citações 12/02/2016

Apenas um passatempo
Autora: Claudia Gray
Editora: Agir Now
Páginas: 288
Classificação: 2.5/5 estrelas

http://www.livrosecitacoes.com/?p=149693

Mil Pedaços de Você conta a história de Marguerite Caine, uma adolescente que sempre foi cercada por teorias cientificas. Família? Os pais são físicos brilhantes. Sua mãe então consegue inventar uma peça chamada Firebird. O que ela faz? Simplesmente te leva a outras dimensões paralelas. No mundo desse livro, existe diversas dimensões –- uma para cada escolha diferente que alguém pode fazer.

Quando o seu pai é assassinado, todas as evidências apontam que seu doce Paul – o primeiro cara por quem ela talvez estivesse se apaixonando – foi quem cometeu tal crime. Para desvendar tal mistério e fazer vingança ao nome do seu pai, ela e Theo programam os seus Firebirds para seguir Paul em cada dimensão que ele pular. Em cada dimensão, Marguerite tem uma vida diferente e ela vai aprendendo cada vez um pouquinho sobre si mesma. Mas será que ela está pronta para os segredos que essa viagem a revelará?

Eu amo Claudia Gray desde que li seus livros da série Noite Eterna –- um dos meus primeiros vícios no mundo literário –, e eu não podia esperar para ler sua nova obra. Porém, Mil Pedaços de Você se mostrou um livro diferente daqueles que eu li na adolescência.

"Estou aqui agora. Não vou deixar você."

Para começar, Claudia escolheu ambientar sua nova série em um mundo onde por meio da ciência é possível encontrar outras dimensões com realidades diferentes do que os personagens estão habituados – o que eu achei fascinante, apenas ficou faltando uma explicação mais reforçada.

A narração é feita em primeira pessoa por Marguerite. E vamos combinar, que mocinha mais induzível. Ao descobrir que seu pai foi assassinado e evidências que apontam para Paul – o cara que ela tanto ama –, o que ela faz? Logo de cara acredita. Capítulos a frente, ela continua se entregando a quem a convencer de que é o certo. Isso sinceramente é bem chato.

Além disso, o que eu achei estranho foi ela praticamente não ter diálogos com a irmã dela. Às vezes nem me lembrava que ela tinha uma. Marguerite simplesmente abandonou sua mãe e sua irmã em um momento difícil para ir atrás de algo que nem sequer tinha tanta certeza. E o que foi difícil de engolir, justamente a Marguerite, que estamos falando, tinha que ser “a especial” do livro. O motivo? Nem eu entendi. A autora poderia procurar diversificar um pouco na questão de ser especial e diferente. Na maioria das vezes é a personagem principal e ninguém entende o porquê.

"Você estava em perigo… Eu tinha que fazer o possível para protegê-la. – Ele procura meu olhar. – Os riscos não importam. Você importa."

Eu fiquei esperando pela grande surpresa que teríamos, como Claudia tanto fez na série que eu amava, mas isso não aconteceu. Tudo foi seguindo um rumo que foi difícil se interessar. O que acaba me trazendo à mente: qual seria o assunto do próximo volume? Quem sabe Claudia consiga dar a volta por cima e fazer um livro melhor, não é mesmo? Só nos resta esperar. Mas ainda assim Mil Pedaços de Você é uma leitura válida para um passatempo, mas no fim foi só mais um livro que poderia ser, mas não foi tão bom.

"As pessoas dizem que o tempo cura (…). O que as pessoas querem dizer é que, eventualmente, você vai se acostumar com a dor. Vai se esquecer de quem era antes dela, da sua aparência antes das cicatrizes."

Resenha por: Gabriela

site: http://www.livrosecitacoes.com/
comentários(0)comente



Meu Vício em Livros 27/02/2016

um grande livro de romance, com apenas alguns toques de ficção cientifica e aventura.
Quem já leu o livro Todos os Nossos Ontens (resenha aqui), com certeza vai adorar este. A sinopse já me deixou animada e achei a capa magnífica. Diferente do enredo de Cristin Terrill, este não é sobre viagens no tempo e sim através de dimensões. Para mim o conceito foi o mesmo, no entanto, é explicado o diferencial em detalhes na história. Depois de décadas de pesquisa, o pai de Marguerite; um matemático e físico e sua mãe; uma cientista, criam um protótipo capaz de viajar entre dimensões paralelas chamado de Firebird. Paul e Theo eram assistentes do pai dela e passavam tanto tempo na sua casa quanto ela. Eles eram muito próximos e por isso para Marguerite é um choque quando seu pai morre em um acidente de carro e todos as provas indicam que foi Paul quem o matou, além de ter roubado o Firebird para usar na fuga.

Com a ajuda de Theo, que tem em mãos protótipos antigos do Firebird, ela viaja para encontrar e matar Paul Markov. O grande problema é que cada vez que se aproxima de Paul, ela se lembra daquele que sempre julgou conhecer, a cada novo acontecimento, fica mais difícil para ela acreditar que ele pudesse ter sido capaz de fazer algo tão vil e se descobre apaixonada por ele. Alguns flashbacks ajudam a entender como era o relacionamento dela com Theo e Paul. Fica claro para o leitor que Marguerite e Paul tinham uma ligação especial e que mesmo com pais tão excêntricos e uma rotina incomum, ela era muito feliz e amada por todos eles.

Acompanhamos as viagens dela para uma Londres futurista, para Rússia e para diversos outros lugares que na teoria são os mesmos, só que em dimensões diferentes. Em uma delas, John Lennon e Paul McCartney nunca se conheceram, assim, os Beatles nunca existiram, ao invés disso, Paul e George Harrison formaram uma banda chamada “The Gears”. Em outra, Marguerite era uma grã duquesa e Paul seu guarda real. Foram estes e outros detalhes que tornaram o enredo incrível.

Marguerite é uma artista e em cada dimensão, ela executava um tipo diferente de arte. Paul era o gênio misterioso, enquanto que Theo estava mais para o bad boy com um bom coração. O tempo todo torci pelo Paul. Digo isto tanto pelo fato de que eu desejava que ele fosse inocente de algum modo, como pelo fato de que queria que a Marguerite ficasse com ele e não com Theo. Nada contra o Theo na verdade, só era a minha preferência. Agora que mencionei isto você pode querer saber: há um triângulo amoroso no livro? Não exatamente. Se você não curte triângulos pode ler sem medo.

Emocionante principalmente quando Marguerite vai parar no século 19 na Rússia e além de viver um amor proibido, também reencontra o pai. Me senti naquele momento lendo um romance de época. Lindo! Não sabia que se tratava de uma trilogia quando comecei a leitura, mesmo assim, o livro tem um final satisfatório e surpreendente. Não frustra a ponto de não podermos esperar pelas sequências. Não vou falar muito sobre elas para não estragar nada para vocês. Narrada em primeira pessoa por Marguerite, a trama é excelente e eu adorei os personagens. A relação de Marguerite com os pais em qualquer das dimensões é comovente. Amei por se tratar, acima de tudo, de um grande livro de romance, com apenas alguns toques de ficção cientifica e aventura.

LEIA MAIS:http://www.meuvicioemlivros.com/2016/02/resenha-mil-pedacos-de-voce-trilogia.html

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2016/02/resenha-mil-pedacos-de-voce-trilogia.html
comentários(0)comente



Ari 11/04/2021

...eu li "Mil Pedaços de Você".
Essa é uma atualização desse post, pois depois de quatro anos, decidi dar uma segunda chance para o livro.
Ainda lembrava de algumas coisas e pensei por um momento que eu abandonaria de novo esse livro, mas quando me dei conta, estava terminando de ler a ultima página dele.
A sensação que eu tive, é que o livro é muito mais um romance do que um Sci-Fi como eu imaginava. As informações que ele traz sobre diversos temas são muito interessantes e variadas, uma vez que os personagens passam o livro todo viajando interdimensionalmente para várias épocas e vários lugares.
Quando você vai chegando mais para a metade, a história te prende de uma maneira muito gostosa, de forma que você nem percebe que está voando pelas páginas. A relação entre Marguerite, Paul e Theo é cheia de reviravoltas e surpresas (em todas as dimensões kkkkkkk).
O livro é muito interessante e mesmo que você não curta Sci-Fi e afins. A autora consegue te levar por uma narrativa envolvente e um tanto culta. Provavelmente eu tenha abandonado ele tempos atrás por não estar no momento certo para lê-lo.

site: https://themybytheway.blogspot.com/2021/01/eu-dei-outra-chance-para-mil-pedacos-de.html
comentários(0)comente



steph (@devaneiosdepapel) 22/03/2016

Mil Pedaços de Você - Claudia Gray
[Resenha originalmente postada no blog Devaneios de Papel]

Sou muito fã da série Fringe, e por conta dela me encantei por universos paralelos e as teorias em volta deles. E isso foi crucial na minha escolha por este livro, que tem como trama principal a viagem da protagonista Marguerite entre inúmeros universos em busca do assassino de seu pai. Fui ler esperando muita ação, ritmo acelerado e imersão nos diversos mundos apresentados. O que encontrei foi um triângulo amoroso mal feito em meio a um enredo que tem como maior ponto positivo sua ambientação.

Eu já sabia que não encontraria uma obra-prima em MPV, já que inúmeras resenhas que li diziam que o livro deixava a desejar. E o que ocorre é que Claudia Gray cai em uma armadilha muito comum: a boa ideia que se perde em meio a um desenvolvimento pobre e motivação sempre justificada pelo amor adolescente. Eu não sou contra romance, acho válido existir, mas quando ele se sobrepõe à ideia principal do enredo, nunca sai boa coisa e sempre acabo decepcionada no fim.

Como o triângulo amoroso foi o que mais me incomodou na história, preciso apontar alguns problemas em relação às "partes" desse romance. Marguerite, a protagonista, é um clichê ambulante: a filha de cientistas que não leva jeito para Exatas mas é um prodígio nas Artes (conveniente, não?!). Paul, o suposto assassino de Henry, é um nerd de baixa renda que chegou onde chegou devido a seu esforço, e que mesmo vivendo e respirando Física tem tempo para cuidar de seus músculos e ter a aparência de um deus grego (pode revirar seu olhos, eu deixo). Theo (não tão musculoso quanto Paul, mas quase lá), tinha tudo para ser um personagem cativante e tridimensional, mas soa inverossímil, apesar de ter sim sua graça.

Nem me deixem começar a falar da dinâmica entre os seis personagens que compõem o círculo familiar de Marguerite. Pais perfeitos, irmã aventureira (muito mais interessante que a própria protagonista) e dois jovens que foram praticamente adotados por sua família, vivendo e crescendo juntos sob o mesmo teto. Posso estar errada, mas pela minha (pouca) experiência, jovens de 20-21 anos dificilmente se interessariam por uma pintora de cabelo rebelde que viram crescer. Por mais nerds que sejam, o natural seria que Theo e/ou Paul se sentissem atraídos pela irmã de Marguerite, Josie, que é uma menina engraçada, espirituosa e bem resolvida, totalmente oposta ao que os meninos são. E é exatamente por isso que bato na tecla de que ela deveria ser a personagem principal, e não a songa-monga da irmã mais nova...

Tirando esse ponto, eu gostei sim do livro. Como falei lá em cima, a ambientação tem grande destaque, foi fácil imaginar desde uma Londres futurista até uma Rússia czarista, com todos seus detalhes e atmosferas. O ritmo de leitura não é lento, mas muitas cenas são longas (principalmente as românticas, argh!), então pode se preparar para parágrafos e parágrafos de corações indecisos e declarações melosas.

Uma coisa boa é que o final é fechado, com poucas pontas soltas e sem cliffhangers. Isso é bom porque dá pra esperar com tranquilidade a sequência, Ten Thousand Skies Above You, que ainda não tem previsão de lançamento no Brasil.

Portanto, se você também ficou encantado pela capa e premissa da história, saiba que o enredo não se aprofunda muito no quesito "universos paralelos", focando mais no romance vivido pela protagonista e deixando de lado diversas possíveis tramas interessantes. Vou continuar a trilogia pois o assunto me interessa, mas já estou preparada para novamente não achar a sequência tão maravilhosa assim.

site: http://www.devaneiosdepapel.com.br/2016/03/resenha-mil-pedacos-de-voce.html
comentários(0)comente



154 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |