A Dama da Meia-Noite

A Dama da Meia-Noite Tessa Dare




Resenhas - A dama da meia-noite


58 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Paloma Casali 09/11/2015

ILUSÕES NOTURNAS
Tenho o prazer de dizer que li A dama da meia-noite em primeira mão!!! A Editora me presenteou com o material de divulgação do livro, e eu, simplesmente, estou in love com a escrita da Tessa Dare (sim, este foi o primeiro livro dela que eu li – infelizmente, ainda não deu para comprar os outros, mas eles já furaram a lista e estão ocupando as primeiras posições agora).

A dama da meia-noite é o terceiro livro da série Spindle Cove. É uma história envolvente, um desenvolvimento imprevisível, personagens únicos, sentimentos infinitos! Foram com essas ideias que terminei a minha leitura. Apesar de ser o terceiro, a série pode ser lida fora de ordem - lógico que se você puder ler na ordem fica melhor, pois tem a presença dos personagens dos livros anteriores neste.
Kate é linda e positiva. Ela sempre se dispõe a enxergar o melhor de uma situação ou de uma pessoa, além de conseguir extrair as coisas boas das pessoas, mesmo que estas se esforcem para escondê-las.

Thorne é fechado, sério, correto, respeitável, rígido, responsável, protetor, mas insiste em manter as pessoas distantes dele; a solidão é um fardo pesado que ele carrega e acha que tem que carrega-lo.

As vidas deles se cruzam um dia na taverna Touro e Flor, em Spindle Cove. Houveram faíscas imediatamente, mas o momento foi deixado de lado - por ele: por medo de o passado vir à tona; por ela: por achar que ele era rude e frio, apesar de mexer com ela de alguma forma.


“Embora o Cabo Thorne fosse excelente na arte de ignorá-la, Kate não podia negar o efeito que ele tinha em seu estado de espírito. Ela sentia a pele arrepiar sempre que ele estava por porte, e nas raras ocasiões em que ele virava o rosto na direção dela, seu olhar a cortava.” – P. 8


Mas nada como um bom destino para colocar tudo na direção correta. Depois que o Cabo Thorne salvou Kate de um acidente com uma diligência na cidade vizinha, eles tiveram que dividir um cavalo, o tempo, a volta para casa, um cachorro e o que eu chamo de aventura amorosa emoções. Foi então que a verdadeira aventura começou. Uma ligação entre eles foi estabelecida (ou reestabelecida) por causa do instinto protetor de Thorne, porém foi mantida devido a crença genuína de Kate nas pessoas - principalmente em Thorne. Ela conseguiu enxergar além das barreiras dele e se predispôs a derrubar o muro que ele construiu ao seu redor para afastar as pessoas – ela em especial.

Leia a resenha na ÍNTEGRA no Blog: http://ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/2015/11/resenha-dama-da-meia-noite-tessa-dare.html

site: http://ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/2015/11/resenha-dama-da-meia-noite-tessa-dare.html
Renata 24/06/2016minha estante
E esse eu achei o mais fraquinho mas se você gostou tanto assim te recomendo o 2, Uma semana para se perder, ele se tornou o meu favorito junto com Orgulho e Preconceito... O 1 também é muito bom.




Cris Paiva 28/01/2016

Kate é a professora de música de Spindle Cove, ela é orfã, tem uma mancha de nascença no rosto e foi acolhida pela cidade, que considera seu verdadeiro lar.
Desde a chegada das tropas na cidade, que ela tem um desentendimento com o Cabo Thorne. O homem não vai com a sua cara, e nem ela com a dele, mas o cabo insiste em ficar comparecendo às suas aulas e fica encarando a ela e as suas alunas com aquela cara séria dele. Muito irritante, isso.

Em uma ida à cidade mais próxima, para comprar partituras, ela acaba perdendo a diligência de volta e é socorrida justamente pelo sorumbático Cabo Thorne, que dá uma carona na garupa de seu cavalo à pobre mocinha indefesa.
Na volta à cidade, ela é surpreendida por uns parentes malucos que ela não fazia a mínima idéia que existiam, e que insistem que ela é um membro perdido e filha ilegítima de um nobre, e o Cabo Thorne para protegê-la, diz que Kate é a sua noiva. Ninguém acredita muito nisso, afinal os dois não combinam nenhum pouco, mas vá lá...
O casal é o mais improvável possível. Ele não é de falar muito, e ela fica querendo tirar uma casquinha do seu “noivo”. Samuel, o cabo Thorne, quer é se livrar logo da situação antes que Kate descubra que ele sabe fatos do passado dela, que deveriam ficar bem escondidos no fundo do baú, pois se vierem à tona vão acabar destruindo a reputação da pobre coitada.
A serie continua bem engraçada, graças aos parentes malucos da mocinha, mas achei esse mais romântico, por conta do casal relutante. Samuel, obviamente, é apaixonado pela Kate, mas foge dela como o diabo da cruz, e a Kate vai se descobrindo apaixonada pelo mocinho caladão.
Os dois tem uma história de vida bem sofrida, e enquanto ele ficou amargo, Kate procurou de todas as formar sobreviver e construir algo de bom da vida. Adorei a mocinha batalhadora, que faz de tudo para transformar um sapo teimoso em um príncipe encantado.
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 29/08/2019

Resenha: A Dama da Meia-Noite
A Dama da Meia-Noite é o terceiro livro da série Spindle Cove. Esse romance de época, escrito pela Tessa Dare, arrebatou meu coração nos dois primeiros volumes e chegou com força total pra aumentar meu amor nessa terceira história.

Kate sempre foi muito segura de si para alguém que nunca se encontrou no mundo. Órfã desde pequena - ao menos, é o que imagina - ela não se lembra do seu passado e muito menos de quem foi sua família. Fragmentos sem sentido são tudo que existe a respeito de quem foram seus pais; quem foi ela antes de ser esquecida no mundo.

Sua vida em Spindle Cove é confortável, no entanto, e é nesse conforto que ela encontra seu lar. Pelo menos até uma família maluca surgir dizendo que Kate é a herdeira perdida - e, se for mesmo, isso significa que é também uma lady. O problema está em descobrir a verdade; e garantir que essa suspeita não se espalhe por aí até lá.

Para isso, Kate vai contar com um aliado inesperado: o cabo Thorne, todo sisudo e solitário, com quem dividiu farpas e provocações durante todo um ano desde a ocupação da milícia, parece querer ajudá-la. Sem entender os motivos por trás dos olhares intensos do homem, Kate aceita a aliança, sem imaginar que seu coração vai ser o mais afetado com toda essa história.

A Dama da Meia-Noite se desenvolve na mesma fórmula dos livros anteriores. Por isso, ganhou minha simpatia e amor logo de início. Kate e Thorne eram figuras conhecidas da trama, mas coadjuvantes misteriosos dentro de suas próprias histórias paralelas; Kate, toda sorridente e artística e Thorne, todo rabugento e recluso, eram personagens que me despertavam o interesse sempre que apareciam - e vê-los ganhando o devido destaque e evolução foi maravilhoso.

Kate, por si só, é um show de personagem feminina. Extremamente decidida, ciente de sua força e independência, ela não leva desaforo pra casa - bate de frente com o que aparecer e mantém a classe e a educação mesmo nas situações mais absurdas. Ela é uma balança que equilibra razão e emoção muito bem. Seu coração é cheio de esperança e melancolia, mas ela sabe como esconder com seus sorrisos.

"Thorne olhava para ela do mesmo modo que fazia tudo. Intensamente, com uma força silenciosa."

Todos os anos de abandono fizeram muito para moldar seu caráter. Então, ao mesmo tempo em que é essa figura poderosa e destemida, tem em seu âmago o medo da solidão, de ver famílias se formando e nunca encontrar a sua. Kate é uma protagonista cheia de energia e vida e, como suas amigas que anteriormente ocuparam o palco como personagens principais, torna gratificante acompanhar sua história, suas conquistas, suas pequenas revoluções.

Thorne, para minha surpresa, foi mais fácil do que o esperado. Tive medo de confrontar o típico macho escroto que desconta suas frustrações na mocinha, mas, mesmo com sua pose brava e perturbadora, Thorne se derretia frente à Kate. Aquele tipo de personagem masculino estoico que não pode ver o amor da sua vida que se torna um filhotinho precisando de carinho.

"Se amor fosse música, ele seria surdo."

Claro que tem mais complexidade por trás disso e o romance demora a se desenvolver; onde Kate é entrega total, Thorne é recluso - e os motivos para os afastamentos e medo de comprometimento dele, quando explicados, mostram muito sobre sua vida e como seu coração cresceu envolto em sombras - e como Kate talvez seja o único raio de luz para tirá-lo da total escuridão.

De todos os casais, esse foi o mais carregado em tensão e incerteza - e entregou um dos finais MAIS MARAVILHOSOS de todos. Eu mordi a mão de nervosismo e então gritei de alegria porque foi tão inesperado, mas tão Kate, que não poderia ter sido mais perfeito.

"Aqui é Spindle Cove. Temos seis mulheres inteligentes, determinadas e engenhosas nesta sala. Não vamos ser frustradas por alguns homens insensatos e suas brincadeiras de soldadinhos de chumbo."

Além deles, figuras familiares como Susanna, Bram, Minerva, Colin, moças que fazem parte de Spindle Cove e rostos novos - como os misteriosos nobres que clamam ser parentes da Kate - enriquecem a trama principal. Tessa consegue levantar questões sociais bastante interessantes em meio a sua narrativa enérgica e divertida, e até dá espaço para conflitos que eu não esperava encontrar em um romance de época; aceitação e representação lésbica, por exemplo, que foram tão bem introduzidas e desenvolvidas.

A Dama da Meia-Noite veio para manter a qualidade da série e roubar mais um pedacinho do meu coração, que pertence tanto a Spindle Cove quanto é possível.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2019/08/resenha-dama-da-meia-noite.html
comentários(0)comente



Mi 05/04/2017

"Katie, você precisa saber... É apenas por você que consigo me imaginar sendo feliz."
"Thorne olhava para ela do mesmo modo que fazia tudo. Intensamente, com uma força silenciosa. "

Kate Taylor é uma professora de música, que sempre quis saber suas origens.
Sozinha no mundo, Spindle Cove é o lugar onde ela encontrou o seu lar.
Pelo menos, o mais perto disso.
Ela tinha esperanças que sua antiga professora , soubesse e revelasse algo pra ela, sobre seus pais, parentes, qualquer coisa. Todavia, foi contemplada com mais frustração.
Nenhuma resposta, para as suas perguntas.
Uma foto, um nome , qualquer coisa seria útil, pois ela não possui nada sobre o seu passado, sequer um documento, lembranças. Tudo que possui é uma marca de nascença em seu rosto ( uma mancha cor-de-vinho).

Porém, sua vida dá uma grande reviravolta.
Algo inesperado acontece.
Durante sua volta à pensão, da viagem que fez ao encontro de sua ex -professora, ela dá de cara com uns aristocratas que afirmam ser sua família.
Dúvidas se instalam do lar, boa parte delas vindas do Cabo Throne, que estava fazendo a escolta de Kate.
O famoso Cabo Throne.

" Kate não podia negar o efeito que ele tinha em seu estado de espírito. Ela sentia a pele arrepiar sempre que ele estava por perto, e nas raras ocasiões em que ele virava o rosto na direção dela, seu olhar a penetrava profundamente. "

Bem, o cabo Throne é um dos melhores representantes, da linha homem brusco. Ele não dá a mínima pra gentileza. Não se importa em agradar ou ser gentil com alguém. Toda a vez que há um encontro entre ele e Kate, o desconforto se faz presente. Resumindo, ele é um homem distante, de postura fria.

A surpresa toma Kate, quando ouve a proposta dele de um falso noivado, onde ele não iria ganhar nada, onde só ela seria a beneficiária. Pois teria tempo de verificar a palavra dos aristocratas, alguém investigando essa família.
Além disso, teria a proteção de Throne.

Porém mal sabe Kate, que da "dupla " ,ela não é a única a possuir sentimentos, atração.
A postura indiferente de Throne, é só pra disfarçar o sentimento de desejo, que possui por Kate, ja há algum tempo.
Ao mesmo tempo que poder observa-la caminhar pela a cidade, seja uma das melhores coisas, te-la por perto também é algo estritamente perigoso. Por isso que ele procura evitar lugares onde ela esteja. Ele poderia acabar passando dos limites.

É aí que vem a grande questão : Se ele a quer tanto possui-la, te-la em seus braços, torna-la sua, porque à afasta ?
A resposta, é um segredo que ele guarda sobre Kate.
Ele fará de tudo para que ela não o descubra, mesmo que isso venha custar a felicidade dele.

Agora quem disse que isso seria uma tarefa fácil ?
Quanto mais tempo eles passam juntos, mais perdido Throne fica.
Razão ou emoção?
Uma das piores guerras se passa em seu coração.
Pela primeira vez, numa batalha, parece não haver nenhuma saída.

Aiii gente..... kkk
Throne é tão apaixonante.
Os motivos dele esconder um segredo sobre o passado de Kate, foi uma das melhores formas de mostrar que ele se importa com ela.
Vê-lo se esforçando por Kate, tanto pra mante-la perto e longe é angustiante.
Mesmo que ele tenha dificuldade em expressar seus sentimentos em palavras, suas ações falam por si mesmo.
Ele é um homem, que sofreu muito no passado, não teve uma infância / adolescência, sua vida é marcada pela dor.
Como falar de amor, se você está acostumado a só sentir dor e rejeição ?

E é aí que mora o grande ponto.
Por mais que o "Eu te amo " , seja maravilhoso de se ouvir da pessoa amada, o que nós sempre desejamos escutar, as ações é o que realmente importa.
São os atos, os sacrifícios, o que a pessoa amada faz para faze-la feliz, que fica gravado na mente.
O que adianta eu dizer um "Eu te amo", se eu não valoriso a pessoa, que acorda cada amanhã ao meu lado?
Num dia eu declaro amor eterno, e no outro estou à traindo, não digo apenas fisicamente.

Hoje em dia, o Eu te amo, é usado muita das vezes, da mesma forma que um "Bom dia" , "Boa noite ".
É muito melhor esperar , pra dizer a famosa frase, quando essas palavras estiverem vindo do coração, e não com o objetivo de apenas agradar o ouvinte.
E quando o momento que a pessoa estiver preparada para falar as três palavras, o significado de tal gesto, a emoção do momento, vai fazer toda a espera ter válido a pena.

"Eu nunca achei que filosofia grega pudesse fazer sentido para mim. E a
maior parte não faz, mas essas palavras pareceram corretas. "O amor é composto por uma alma que habita dois corpos." (...) Isso pareceu verdade para mim, de um modo que
nenhuma outra coisa pareceu. Se algum dia eu tive uma alma, Katie, acho que a deixei com você (...). E agora, é como se... toda vez que nos
beijamos, você me devolve um pedaço dela."

Enfim, Amar vai além do "Eu te amo ".
Caroline Fortunato 05/04/2017minha estante
De todos esses livros tolos sobre romances de época, esse foi o segundo que mais amei (só perdeu para Ligeiramente Perigosos, da Mary Balogh). Sim, nós sabemos como o final termina e sempre há um "felizes para sempre", mas a história da Kate e do Thorne realmente me surpreendeu em muitos momentos e eu adorei o desfecho todo.


Fabi 05/04/2017minha estante
Aiiii q linda resenha Mi
Me passou a emoção que vc sentiu lendo ele, e tb me deixando mais na expectativa de lê-lo
Thorne todo casca dura e depois apaixonante? Tenho q ler S2
E este segredo q ele guarda tb hein? Será uma das coisas que me deixará ansiosa para saber durante a leitura
Leia ''Uma noite para se entregar'' tb, tenho certeza que vc irá se apaixonar por Bram tb =)


Mi 05/04/2017minha estante
Aii Obrigada :) :) :)
Thorne foi aquele personagem que expressava seu amor por meio das ações do dia -a dia, e não por palavras.
Ah foi linda, sua dedicação e esforços, para fazer o que achava que seria melhor para Kate.
O que só lhe importava era a proteção dela, independente do que ele tivesse que sacrificar.
E o segredo, bem....kkk super compreendo o pq dele esconder.
O 1 livro vou ler sim, o quanto antes, pra "fechar " ( com o 1 livro kk ) com chave de ouro


Fabi 05/04/2017minha estante
e eu vou começar este sem falta amanha
nunca pensei q pudesse gostar d livros d época kkkkkkk


Mi 06/04/2017minha estante
Eu falava pra você dar uma chancezinha ( pros de epoca contemporâneos, claro ) kkkk
Mais uma pro time kkk
Porém eu entendia seu receio




Leilane 12/12/2015

Tessa Dare nos traz um amor destinado a acontecer com muitos mistérios a serem revelados no terceiro livro da série “Spindle Cove”
A Srta. Kate Taylor, uma professora de música órfã que reside e dá aulas em Spindle Cove, passou anos tentando saber mais detalhes de suas origens. Apenas algumas memórias indistintas lhe trazem a segurança de que um dia foi amada por alguém, por isso sempre continuou tentando, porém, em sua última tentativa por meio de uma antiga tutora, ela só recebeu descaso e ofensas. Ao sair de lá desnorteada e sem meios de voltar para Spindle Cove, ela encontra a última pessoa que gostaria de ver: o misterioso e inexplicavelmente lindo, Cabo Thorne – um homem que a evita de todas as maneiras desde que chegou em Spindle Cove –,que oferece um carona para levá-la de volta em seu cavalo. A viagem é cheia de tensão de todos os tipos, mas é no final dela que está a grande surpresa, há uma família de aristocratas em Spindle Cove que está esperando por Kate, e eles têm quase certeza que ela é uma prima há muito tempo perdida. Desconfiado, Thorne inventa um noivado fictício com Kate para poder ficar próximo a ela e protegê-la caso as intenções desta família não sejam boas. Mas esse noivado revela sentimentos há muito escondidos, então não será fácil lidar com essa proximidade e com o que Kate representa para Thorne, nem será fácil para Kate descobrir que há muito mais de Thorne do que ela jamais havia imaginado.

No terceiro livro da série “Spindle Cove”, Tessa Dare nos traz um amor destinado a acontecer no qual cada lado passou por dificuldades das mais adversas e seus futuros que sempre lhes pareceram solitários e sem amor, agora têm a chance de ser apenas um futuro e um com muita felicidade.

Considero que este é o primeiro livro no qual a autora trabalha bem o passado dos personagens de forma a moldar o futuro. Confesso que a sinopse criou uma grande tensão em relação ao que essa misteriosa família queria da Kate e gostei muito das pistas que a autora foi dando para revelar este mistério.

Adorei esse casal e mais ainda saber a base da história deles e por tudo que eles passaram, mas tenho uma leve crítica a fazer: Thorne endeusa demais Kate. Lógico que toda mulher merece ser devidamente reverenciada, não é? Mas há um limite de cuidado que se possa ter com uma pessoa, Thorne reluta demais para tomar uma decisão e quando acha que a fez, na primeira adversidade já fica todo acuado e acha que já não é digno da mulher que ama. Ainda bem que tem a Kate para dar um safanão na cabeça dele e colocá-lo no devido lugar, mas acho que se ele tivesse dado mais um passo para trás e a Kate tivesse de mais uma vez espancar a verdade na cara dele, eu não teria gostado tanto do livro, o que me leva a declarar que amei mais o segundo livro da série, ou seja, da série “Spindle Cove”, “Uma Semana para Se Perder” ainda é o meu favorito.

Mas vem mais por aí, além do quarto que já está lançado, a autora vai lançar o quinto da série em 2016 lá fora e não vejo a hora de ler mais sobre esses personagens incomuns e apaixonantes de Spindle Cove. E já deixo meu apelo aqui para que a Gutenberg: além do quatro e cinco, lancem um compilado físico das histórias intermediárias, vocês já sabem o quanto amamos essas histórias que estão sempre conseguindo novos adeptos, tanto que os livros estão com mais de uma reimpressão já, então acho digno termos um livro físico com os 1.5, 3.5 e 4.5, mas se não der para ser físico, pelo menos lancem em formato digital para nós, por favor?!

site: http://lerimaginar.com.br/blog/2015/12/11/tessa-dare-nos-traz-um-amor-destinado-a-acontecer-com-muitos-misterios-a-serem-revelados-no-terceiro-livro-da-serie-spindle-cove/
comentários(0)comente



Rafaela Regis 29/12/2015

A Dama da meia-noite - Tessa Dare
A Dama da meia-noite da autora Tessa Dare, é um livro que eu estava morrendo para ler! Não por ser o terceiro volume da série Spindle Cove, mas por trazer os protagonistas que mais me intrigaram nos volumes anteriores: Kate Taylor e Cabo Thorne.

Kate Taylor é uma jovem que não se lembra muito de seu passado, o que ela gostaria muito, e sendo assim não se lembra também de seus pais (se estão vivos, ou não), a única coisa que ela se lembra é de estudar em um colégio interno para meninas e que as pessoas sempre a encaram por causa de sua marca de nascença.

Thorne, o qual eu finalmente descobri o primeiro nome, não teve uma vida fácil. Desde pequeno ele passou por dificuldades e sua maior sorte foi quando ele conheceu o tenente coronel Bramwell, Bram para os íntimos, que mesmo sem saber mudou a vida do Cabo para melhor! Mas ao chegar em Spindle Cove ele nunca esperaria que um pedaço de seu passado reapareceria e estaria deslumbrante e sem nenhuma memoria dele.

Um dia que está indo de mal a pior para Kate, mas assim que ela encontra Thorne as coisas mudam de figura e o final do dia é ainda mais surpreendente quando ela chega a pousada e descobre que alguns nobres procuram por ela e alegam ser sua família perdida, o que deixa Thorne desconfiado e mais uma vez o taciturno homem vai em defesa da mocinha.

A Dama da meia- noite mais uma vez nos leva a Spindle Cove e nos encanta mais uma vez com o companheirismo e a fraternidade dos moradores e é claro com as confusões que aparecem a cada dia que passa.

Eu amei o livro e amei o desenvolvimento dos personagens e é claro que o Cabo Thorne me surpreendeu bastante, quem diria que ele seria realmente como uma bala de pimenta (dura e desagradável por fora, mas doce e refrescante por dentro), e a Kate então que é o tipo de mocinha equilibrada que não é durona demais e nem doce demais me deixou encantada.

Reencontrar os outros personagens também foi maravilhoso e quem diria que a Sra. Highwood ainda tentando casar suas filhas em Spindle Cove, rsrs. E não posso deixar de falar do senhor Lewis que ainda tenta projetar a "nova" arma da Inglaterra, o que devo dizer que mais acidentes acontecem. Muitos segredos apareceram e alguns mistérios são resolvidos, e é claro muito romance fofo no meio de tudo isso.

Tessa Dare arrasou no seu terceiro volume soube dosar bem seus ingredientes e o resultado são leitores sedentos pelo próximo volume da série, tipo eu! Um romance lindo, divertido e fofo e com muitos diálogos interessantes. Personagens cativantes e muito bem construídos. Para os que amam um bom romance histórico esse vale muito a pena! Recomendo!

Outros Livros da Série:
Uma Noite Para Se Entregar - Tessa Dare
Uma semana para se Perder - Tessa Dare

site: http://dlivros.blogspot.com.br/2015/12/a-dama-da-meia-noite-tessa-dare.html
comentários(0)comente



Fabi 08/04/2017

DUAS PESSOAS E UM PASSADO INTERLIGADO
''-Eu nunca achei que filosofia grega pudesse fazer sentido para mim. E a maior parte não faz, mas essas palavras pareceram corretas. O amor é composto por uma alma que habita dois corpos. Ele a pegou pelos ombros e puxou para perto de si. -Isso pareceu verdade para mim, de um modo que nenhuma outra coisa pareceu. Se algum dia eu tive uma alma, Katie, acho que a deixei com você há vinte anos. E agora, é como se... toda vez que nos beijamos, você me devolve um pedaço dela.''

E Enfim cheguei no terceiro livro da série Spindle Cove. No qual envolverá o romance entre Thorne e Kate.
Kate sempre quis saber sua origem, quem são seus pais. Mas nunca obteve uma resposta. Decidida a tentar mais uma vez descobrir algo do seu passado ela visita sua ex - professora. Porém, ela só encontra decepção e tristeza.
Com a perda da chance de retornar onde ela mora, Kate se vê sozinha. Mas eis que ela se depara com o Cabo Thorne, a única pessoa que não simpatiza com ela.
Não vendo alternativa, ela volta com Thorne juntos no mesmo cavalo =) E assim já começa aquela troca de olhares entre os dois.
Chegando a vila, ela recebe a notícia que tem visitas. E essas visitas, são um grupo de aristocratas que dizem ser sua família.
Thorne desconfiado propõe dos dois assumirem um noivado falso até que ele saiba se essas pessoas, não querem enganar Kate.
Esse noivado irá trazer sentimentos ocultos entre os dois.
Thorne ou Samuel como revelará sendo seu primeiro nome tem uma ligação com Kate no passado.
Kate desde o começo do livro irá demonstrar seus sentimentos por Thorne, o homem misterioso, extremamente bonito e de frios olhos azuis.
Ele por outro lado, não se acha digno dela. Samuel diz que ela merece alguém muito melhor que ele. Mas gente, ele demonstra tão abertamente com seus gestos o quanto a ama, privando até a sua própria felicidade em razão que ela tenha uma vida melhor. Isso que é amor!
Thorne aos poucos se renderá ao que sente por ela. E é tão lindo o que ele fez por ela há duas décadas.
Gostei até mais do Epílogo deste livro do que dos anteriores, ele tem um final mais concreto do que acontece com o casal no futuro.
Continuo ainda gostando mais do primeiro livro com o casal Bram e Suzanna ( Uma noite para se entregar). Entretanto, gostei de conhecer a história de Samuel & Katie.
Recomendo ele assim com todos livros desta série.
comentários(0)comente



Leitoras Democráticas 30/07/2016

[Resenha] A Dama da Meia-Noite (Série Spindle Cove 3/5) - Tessa Dare | Editora Gutenberg |
A Dama da Meia-Noite é o terceiro livro da Serie Spindle Cove, da Autora Tessa Dare. O livro apresenta como personagens principais Kate Taylor, orfã desde que conseguia se lembrar, que foi para Spindle Cove depois de passar sua vida em Margate, um lar para meninas, onde aprendeu tudo que sabe sobre música, sua maior paixão e de onde tirava seu sustento. E, o Cabo Thorne, um homem sombrio que guarda muitas cicatrizes do passado, mágoas, memórias e traumas de guerra, que o transformou em um homem duro, frio e sem sentimentos, e apesar de sua expressão carrancuda, possuía um charme exuberante e contagiante.
Kate ou Srta. Taylor é uma talentosa professora de música das jovens da Vila. Mesmo depois de viver sua vida sem afeto genuíno, ou amor de uma família, ela era detentora de bondade e espírito único. Kate era capaz de ver o lado bom em tudo e em todos; seu senso de coragem e responsabilidade fez com que ela tentasse enxergar através do muro que ele construiu ao seu redor, e o que ela descobre do outro lado é muito mais do que Kate poderia ter imaginado.
O Cabo Thorne guarda muitos tormentos do passado, ele não tinha família, amigos ou esperança em ser algo melhor do que era. Ele nem sequer sabe sua data de aniversário. Porém, ele tinha um segredo e o que ele guardava envolvia o passado da Srta. Taylor e colocava em risco o seu futuro.
No entanto, Kate, Sua “Katie”, não poderia saber ou lembrar-se dele, por isso, ele fez de tudo para afasta-la; ignorando-a, rejeitando-a, não demonstrando qualquer emoção em relação a nada, em relação a ela. Isso a deixava “fervilhando”, mas também só a fazia querer se aproximar mais e despir o homem por trás da armadura que ele usava. Saber se ele tinha um coração e entregar o seu a ele tornou-se a sua principal meta.
A chegada da Família Gramercy à vila pode mudar tudo que Kate sabe sobre seu passado. Agora, ela podia ter a chance se sentir-se parte de uma família. Mas até onde o segredo que Thorne guarda sobre seu passado pode interferir em seu futuro ? Isso vocês terão que descobrir, meus amigos.
O romance entre os dois promete trazer toda força e intensidade que duas pessoas poderiam ter: uma para amar e outra para odiar esse sentimento.
Uma simples troca de palavras ou o mínimo elogio que fosse entre os dois era o estopim para uma explosão de sensualidade e desejo muitas vezes primitivo.
Tudo que posso dizer, querido leitor, é que esse livro é empolgante, alucinante e apaixonante.
Leia-o ! Tenho certeza que você não irá se arrepender.

site: http://leitorasdemocraticas.blogspot.com.br/2016/06/resenha-dama-da-meia-noite.html
comentários(0)comente



Andra 01/02/2016

A dama da meia noite
Melhor livro da serie ate o momento.
Estoria completa com gostinho de quero mais.
comentários(0)comente



Thai Zavadzki (@meowbooksblog) 12/09/2019

Esse volume nos mostra a estória de amor de Thorne, o soldado amigo de Bramwell que foi viver na cidade para fazer parte da milícia do local e Kate, a musicista da cidade que é renegada na sociedade devido a uma grande marca de nascença que tem no rosto.

A moça é órfã e decide ir atrás de suas raízes e com isso descobre uma família rica que diz ter, de fato, contato sanguíneo com ela. No entanto, Thorne, que sempre teve um interesse velado pela dama, fica desconfiado e propõe um noivado de fachada para conseguir protegê-la de um possível golpe. Aí já viu, né? O fogo não deixa as ceroulas no lugar, hahaha.

É um livro muito fofo e cumpre o que promete. Não é um dos meus preferidos, nem muito marcante na minha memória, para falar a verdade, mas eu gosto muito dele e guardo Kate e Thorne com carinho no core.

Assim, não são um exemplo de química nem nada assim, mas eu acho eles super fofos [...]

CONTINUA NO LINK

site: https://meowbookblog.wordpress.com/2019/08/28/resenha-serie-spindle-cove/
comentários(0)comente



Ellem - @colecionandoprimaveras 28/11/2017

Kate Taylor é orfã e professora de música de Spindle Cove. Fora uma marca de nascimento no rosto e umas parcas memórias, ela não possui mais nada que a ligue ao seu passado.

Thorne é o cabo responsável pela milícia dr Spindle Cove e desde que chegou na cidade, há um ano, reconheceu Kate e, por isso vem mantendo distância dela.

Mas quando uma família aristocrática bem excêntrica chega à cidade afirmando que Kate é parente deles, Thorne só pensa em protegê-la, então lhe propõe um noivado fictício até que consigam descobrir a verdadeira intenção deles.

OPINIÃO

Gente, pra mim esse foi o melhor livro da série!

A história é muito linda e emocionante. O enredo tem um toque de mistério que não nos deixa desgrudar da leitura.

O relacionamento dos protagonistas, além de ser fofo e romântico, é muito bonito (não encontro outra palavra pra descrever, mas fiquei encantado demais).
O Thorne, que tem aquela fachada durona desde o primeiro livro, acabou se revelando um dos melhores protagonistas de Romance de Época que eu já li.

Recomendo demais essa leitura

site: https://www.instagram.com/p/Bah7NW1A_JZ/?taken-by=colecionandoprimaveras
comentários(0)comente



Clã 28/05/2016

Clã dos Livros - A Dama da Meia-Noite
Kate nunca soube qual era o seu lugar no mundo. Criada em um orfanato, cresceu e se dedicou ao seu amor pela música. Como professora da arte que tanto ama, vive em Spindle Cove, onde foi recebida com carinho por Susanna, protetora das moças que precisam cuidar da saúde, ou de um tempo só seu.

Por ter uma mancha na têmpora, ela vive uma vida um pouco tímida, já que a marca causa repulsa em muitos que a olham exageradamente.
"Sempre que ela conhecia alguém, ficava triste, de que as pessoas só reparavam na mancha cor de vinho em sua têmpora. Durante anos ela tentou esconder sua marca de nascença (...)"

O que Kate mais desejava era descobrir algo sobre sua família, suas origens. Ela sente que já foi amada e querida e essa lembrança de uma voz lhe dizendo:

"Seja corajosa, minha Kate.

... a conforta em dias difíceis."

Cabo Thorme é um homem forte e resistente. Ele também é sisudo e muitas vezes estranho. Desde que chegou em Spindle Cove, observa Kate sem se aproximar. Ele a conhece e tem uma história sobre o passado deles que não deseja contar.

Os dois se esbarram quando ela, em apuros, precisa voltar à Spindle Cove e não tem nada além dele, seu cavalo e um filhote de cachorro.

"O cachorro latiu. Kate riu e o trouxe para o peito, inclinando-se sobre o pescoço peludo.
"Você é perfeito", Thorne a ouviu sussurrar. "Você é exatamente o que eu precisava encontrar hoje." (...)
Thorne sentiu uma torção aguda no peito. Como se alguma coisa amassada e enferrujada estivesse se soltando. Aquela garota tinha o dom de fazer isso - fazer com que ele sentisse."

A proximidade durante a viagem acende em Kate um desejo e interesse por Thorme que ela não sabia que existia, até aquele momento.

Três horas a cavalo com a Srta. Kate Taylor aninhada entre suas coxas? Tortura da mais cruel.

Ao retornar a Spindle Cove Kate tem uma enorme surpresa. Além da paixão despertada por Thorme, ela descobre que uma família de nobres quer assumi-la como parente e carregam algumas evidências desse parentesco.

Assombrada e maravilhada com a possibilidade de ter uma família, Kate precisa decidir o que fazer.

Os Gramercy resolvem se estabelecer no vilarejo a fim de levantar mais provas do parentesco e Thorme desconfiado, diz estar noivo de Kate, a fim de protegê-la do que quer que essas pessoas possam estar prometendo. Ele conhece o passado de Kate, pois se conheceram quando crianças, e acredita que tudo o que dizem seja mentira, movida por algum propósito.

"Havia algo de errado neles e naquela história.
"É uma situação de risco; você não tem guardião ou parentes para proteger seus interesses. (...) mas não tenho direito de zelar sobre seu bem-estar sem ter algum direito sobre você.""

Kate se surpreende mais uma vez com o compromisso falso, e os dois acabam passando mais tempo juntos, o que faz com que ela se apaixone pelo homem sério e calado de lindos olhos azuis, sem saber o que fazer, já que ele é arredio.

"O que é então? Pelo amor de Deus, o que a meu respeito você acha tão intolerável?" (...)
"Para de me provocar. Você não vai gostar da resposta."
"Eu quero ouvi-la mesmo assim."
Ele enfiou a mão no cabelo dela, pegando-a de surpresa. Dedos fortes se fecharam ao redor da nuca de Kate.
(...)
"É isto."
Pelo braço, ele a puxou para um beijo E ele a beijou do mesmo modo que fazia tudo. Intensamente, com uma força silenciosa.

Com um filhote de cachorrinho no meio deles e algumas aventuras, ela vai descobrir mais sobre seu passado e ver demonstrações de amor (salvá-la de ataques de cobra, colocando-se em perigo, enfrentar lutas e canhões de abóboras para protegê-la) por parte de Thorme que insiste não sentir nada por ela.

O enredo de A Dama da meia-noite é maravilhoso.

Nos envolvemos pela tristeza e busca de Kate até descobrir quem foi seu herói. A moça precisa lutar para conseguir o amor do homem por quem se apaixonou, e que resiste a ela por não se achar merecedor de seu amor.

O final é uma delícia.

Apesar de fazer parte de uma série, qualquer dos livros pode ser lido de forma independente, pois contam histórias de protagonitas diferentes, porém é muito gostoso ler todos na ordem certa.

Amei e recomendo!


site: http://cladoslivros.blogspot.com.br/2016/02/resenha-dama-da-meia-noite-livro-3-da_22.html
comentários(0)comente



@isaalouca 22/09/2016

fechando a série com uma história fantástica
Kate não sabe dizer qual pecado terrível cometeu para que todo o cosmos estivesse agindo contra ela. Seus esforços em encontrar mais sobre suas origens eram repetidamente frustrados, e ela no momento se perguntava como poderia ter se tornado tão azarada. Apesar de tantas incertezas, Kate se considerava sortuda por ter encontrado em Spindle Cove um lar, com pessoas importantes que a amavam por quem ela era, com sua marca de nascença e tudo, independente de sua origem.

Spindle foi o lugar onde Kate encontrou boas amigas, como Susanna e Minerva, e onde encontrou segurança para desenvolver seu talento com piano e canto. Lá ela se sente livre, protegida e querida. Mas a curiosidade não a deixava se contentar com isso, e ela decide procurar aonde pudesse mais informações sobre sua infância. E é em uma dessas buscas que não lhe entregavam nenhuma resposta que ela, perdida e triste, é resgatada pelo cabo Thorne.

Samuel era grato por Katie não se lembrar da infância dos dois. Eles cresceram juntos em um bordel, e quando a mãe da Kate morreu, ela ficou completamente desamparada. Thorne então se esforça ao máximo para tirá-la daquele lugar infernal, onde planejavam a tornar uma cortesã, e a leva para um abrigo de órfãos. Após deixá-la em segurança, Thorne decide viver sua vida, sabendo que Kate seria bem cuidada. Seu susto ao chegar em Spindle Cove com Bram e Colin e encontrar com Kate foi superado ao perceber que ela não se lembrava de nada. Sempre tentando protegê-la, Samuel decide não contar a verdade para ela, sabendo que assim ela estaria resguardada de um escândalo.

Apesar de sentir forte atração por Katie, Thorne acredita que não importando a ascendência dela nem onde ela morou quando criança, ela era uma dama. Ciente de não ser bom o suficiente para ela devido aos vários traumas em sua alma, Samuel faz de tudo para afasta-lá de si. Mas com a chegada da família Gramercy na vila, alegando que Katie é parente deles e que desejam publicamente nomeá-la como tal, Thorne decide que deve fazer de tudo para assegurar que ela não seja enganada. Ele fica desconfiado com a intenção da família para com Katie e os dois alegam que estão noivos, para que assim ele possa cuidar dela sem arruinar sua reputação. Claro que toda essa proximidade vai mexer com os sentimentos dos dois e a surpresa vêm para eles quando percebem como gostariam que a mentira se tornasse verdade.
"Ela se aproximou, pressionando sua têmpora manchada contra a palma fria da mão dele.
-Este é o motivo, não é? - perguntou ela.- O motivo pelo qual você não se interessa. O motivo pelo qual nenhum homem se interessa.
-Srta. Taylor, eu...- Ele cerrou os dentes. - Não. Não é nada disso.
-Então o que é?
Sem resposta... O rosto dela queimava. Ela queria bater no peito dele e abri-lo de algum modo.
-O que é, então? Pelo amor de Deus, o que a meu respeito você acha tão intolerável? Tão malditamente insuportável que não consegue nem mesmo ficar no mesmo ambiente que eu?
Ele murmurou uma imprecação.
-Pare de me provocar. Você não vai gostar da resposta.
-Eu quero ouvi-la mesmo assim.
Ele enfiou a mão no cabelo dela, pegando-a de surpresa. Dedos fortes se fecharam ao redor da nuca de Kate. Os olhos dele vasculharam o rosto dela, e cada nervo ficou tenso no corpo de Kate. O pôr do sol jogou um último lampejo de luz alaranjada entre eles, incendiando o momento.
-É isto.
Pelo braço, ele a puxou para um beijo. E ele a beijou do mesmo modo que fazia tudo. Intensamente, com uma força silenciosa. Seus lábios pressionaram firmemente os dela, exigindo uma resposta.”
Katie entra em conflito interno com a chegada dos Gramercy e com a possibilidade de finalmente ter as respostas que ansiou toda sua vida. Apesar de ser seu maior sonho pertencer a uma família, ela não quer ir embora e se afastar de Thorne, nem do sentimento que estava se manifestando entre os dois. Já Samuel, apesar de desejar Katie quer que ela viva o melhor, e se esse melhor a família Gramercy pode lhe dar, que assim seja. Com a confirmação de que Katie é uma legítima Gramercy, resta a dúvida: o que fazer? Ir para Londres com a família ou continuar em Spindle com Thorne? A situação só fica mais confusa quando Lorde Drewe, o jovem responsável por toda família Gramercy, decide pedir Katie em casamento. Como Katie e Samuel resolverão tudo isso, e será possível a chance de um final feliz para todos?
“ -Você está duvidando da minha sinceridade? Ou está me proibindo de amá-lo?
-As duas coisas.
Ele a encarou com um olhar que era severo, feroz, azul e gelado como o oceano. Tão azul que fez o coração dele cantar. Ela, afinal, descobriu por que carregava aquela lembrança de azul em seu coração. Era ele. Sempre foi ele.
Thorne cerrou os dentes.
-Eu não tenho nada para lhe oferecer. Nada.
-Se isso for verdade, só pode ser porque você já me deu tudo que um homem pode dar. Você me salvou, Samuel. Não apenas dessa vez, mas muitas vezes. Você se pôs na frente de um chicote. Você levou um tiro de melão na cabeça. Você pegou uma víbora com as mãos, seu homem tolo, querido.
-Eu fiz isso pelo cachorro.
-Meu cachorro. Que você deixou ficar comigo, embora desse muito valor a ele.- Ela tocou o rosto dele, tentando suavizar sua expressão. - Eu sei que você tem sentimentos. E eu sei que me quer."
Isa diz:

Só posso dizer que a autora conquistou minha admiração, e encerrou a série com chave de ouro. Katie e Thorne são um casal que eu quis conhecer desde o primeiro livro, e a história não decepcionou. A editora também está de parabéns, obra perfeita em todos os aspectos, tanto técnicos quanto literários. Seguindo o mesmo modelo de narrativa dos primeiros livros e com o mesmo equilíbrio de estilos, a autora nos fez refletir sobre como a frase "o amor é guerra" é completamente verídica. Não que o amor tenha que se manifestar através da guerra, mas que amar é uma luta diária, que exige de nós força de vontade e certeza de vitória. Digo isso porque Kate precisou acreditar muito no que sentia, na ligação que ela e Samuel desenvolveram, e precisou de uma resiliência sem igual.

Imagine só, amar alguém que acredita que não mereça ser amado. Eu já pensei muito assim, e percebi que, ao afastar as pessoas por pensar que não as mereço só me trouxe tristeza e solidão. Descobri que a vida é feita de relacionamentos, conexões. Eles podem ser breves mas transformadores, ou duradouros e inférteis. Mas cada um deles nos faz ser quem somos hoje. Não podemos viver sozinhos, é impossível. Samuel compreendeu toda essa complexidade simplória que o amor tem e decidiu se arriscar. Então quero te incentivar a se arriscar também. Todos temos um histórico, coisas que nos feriram, que nos quebraram por dentro. Mas são essas coisas que nos fizeram chegar até aqui, e se você não gosta de onde está, já sabe que é só continuar prosseguindo que alcançará o seu melhor. Não afaste alguém por causa do seu passado. Pegue este alguém, segure na mão dele e diga: me dê o seu fardo do passado, eu te dou o meu, nós jogamos fora o que não necessita ser levado.O que aprendemos guardamos, e vamos assim, com uma folha em branco, juntos seguir para viver o novo.

Eu estou em busca do meu novo. Tirando fora tudo que me faz sofrer, mas guardando com cuidado cada lição que aprendi. Não vou mentir, você precisa estar pronto para assumir riscos. As coisas ainda não deram certo para mim, mas acredito de todo meu coração que tudo de bom está chegando. E é viver como o poeta diz: "se amanhã não for nada disso, caberá só a mim esquecer. O que eu ganho e o que eu perco, ninguém precisa saber. " Só uma certeza: vou morrer de saudade dessa série!

comentários(0)comente



Isa_Oli 24/06/2016

Muito bom
desde o primeiro livro eu esperava pela história dos dois e essa história foi muito comovente e bonita... e permitiu mostrar personagens secundários muito divertidos e interessantes, os quais eu espero que a escritora explore em outras histórias.
comentários(0)comente



Caro 17/05/2018

Só maravilhoso!
Tessa Dare rainha!
comentários(0)comente



58 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4