A Depressão de Spurgeon

A Depressão de Spurgeon Zack Eswine




Resenhas - A Depressão de Spurgeon


9 encontrados | exibindo 1 a 9


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Laurinete 12/12/2018

Surpreendente
Somente entendi a depressão quando li este livro, que mostra a fragilidade do ser humano, por meio da vida e sofrimento de um grande homem de Deus, o Príncipe dos pregadores, Charles spurgeon .
comentários(0)comente



Andrias 14/04/2018

Abordagem afetada pelas ideias da psicologia secular moderna e humanista
Uma fala curiosa deste livro me chamou a atenção já nas primeiras linhas:

"Sua depressão veio não apenas em função das circunstancias ou questões sobre se era ou não consagrado a Deus, mas também em função da química de seu corpo." (p.32)

Fiquei curiosíssimo em saber sobre o laudo médico (datado do século XIX) que serviu ao autor como base para este diagnóstico.
comentários(0)comente



Gabriel Dayan 16/06/2017

Esse é um livro para pessoas que viram que fórmulas e declarações espirituais dificilmente atingem o centro da questão e que tentativas simplistas e instantâneas não solucionam os efeitos que o pecado tem causado na própria constituição de si mesmo. Independentemente de quanto tempo esta pessoa tem sido trabalhada e moldada por Deus existe uma luta que permeia a vida, que pela graça de Deus pode ser atenuada, mas que somente no céu a tristeza e a morte serão vencidas para sempre.
O livro conta um pouco da história e dos sermões de Charles Spurgeon como também e a sua relação com a depressão. Desde o inicio de seu ministério pastoral que foi assolado por uma catástrofe em sua Igreja com em várias outras no decorrer de sua vida. Diferente do Calvinismo Nutella que aprova o pecado pela segurança da Salvação, Spurgeon como bom Batista Reformado Raiz (fiel signatário da confissão de fé Batista de 1689) não negocia o pecado nem nega os dons ordinários do Espírito. Fraquezas morais podem ser fardos mais pesados para o depressivo, mas não justificam a sua prática. A doença, no entanto não deve ser menosprezada e seus múltiplos aspectos devem ser levados em consideração.
Zack Eswine, Pastor estudioso da vida de Spurgeon revela no seu livro como o "principe dos pregadores", "o último dos puritanos", era alguém profundamente depressivo e que lutou com todas as armas possíveis para superá-la. Zack fala da depressão em 1a pessoa, pois também sofreu com a doença. Seu realismo mostra que existe um nível mais profundo de arrependimento Cristão do que apenas reconhecer pecados. Reconhecer e aceitar que existem problemas na estrutura do ser humano é ver sua miséria e que em Cristo, há esperança.
Spurgeon é visceralmente honesto em relação a depressão. É como uma franca conversa com um amigo, com uma boa base teológica mas sabendo que há limites para a Teologia: A Psicologia e Ciências afins. São esferas distintas criadas por Deus que podem caminhar de forma harmônica e paralela, mas há um sério risco de simplificação, reducionismo ou avaliação parcial quando estas esferas se confundem. Spurgeon aborda a depressão em 3 níveis: Circunstanciais (pesar, tristeza), Biológico (que ultrapassa a teologia) e a Espiritual (soa quase auto-ajuda ou confissão positiva, mas o próprio Spurgeon corrige esse equívoco).
O livro relembra questões simples e práticas para lidar com o problema em suas facetais mais escuras. Não só um momento para autoanálise, mas dicas para lidar com pastoralmente com os outros. Tratar o problema envolve tempo, recursos e dedicação. Sem desprezar a oração e a fé, a intervenção divina, com uma boa dose de companheirismo, amor terno e compassivo, contato com a natureza, profundidade teológica e respeito ao desenvolvimento científico, Spurgeon demonstra que a fé em Jesus é a única que realmente tem "tudo o que é necessário para a vida e piedade" 2aPe1:3, inclusive para o deprimido.
comentários(0)comente



Gilmar.Melo 02/03/2017

Suportando a depressão com a experiência de Spurgeon
Neste livro autor conta-nos a história de como um dos maiores pregadores da história da Igreja, Charles Spurgeon, enfrentou um dos maiores problemas de sua vida, a depressão. Durante quase todo o seu ministério, o grande pregador lidou e enfrentou a depressão. O autor cita o exemplo de Spurgeon com diversos trechos de suas mensagens onde ele fala sobre o assunto e nos ajuda a lidar com este que é um dos principais problemas emocionais e espirituais existente.

Ele divide o livro em três partes. Na primeira busca passar um entendimento do que seria a depressão, na segunda parte nos ensina a ajudar quem sofre deste problema e na terceira parte nos mostra formas de ajudar para enfrentar a depressão.

Um bom livro e uma boa ferramenta que nos ensina um pouco mais, numa visão mais espiritual e emocional, sobre a depressão e oferece uma boa ajuda para quem enfrenta o problema e para quem está ajudando alguém que esteja passando por isso.
comentários(0)comente



Bela 10/10/2016

Esclarecedor
A Depressão de Spurgeon. Autor: Zack Eswine. Editora: Fiel. Páginas: 185.
O tema do livro é depressão, um assunto que tem estado a cada dia mais próximo do nosso dia a dia, porque todo mundo conhece alguém, que conhece alguém que passa por essa dificuldade. Eu mesma tenho uma pessoa na minha família que sofre desse mal. É uma questão muito delicada tanto para aqueles que sofrem quanto para aqueles que convivem com pessoas sofredoras. Porque, em muitas das vezes, nós não sabemos como ajudar aquele amigo ou ente querido e isso, por si só, já é uma grande angústia.

"A mente pode desabar muito mais profundamente do que o corpo, pois nela há poços sem fundo. A carne pode suportar apenas um certo número de feridas e não mais, mas a alma pode sangrar de dez mil maneiras, e morrer repetidas vezes a cada hora."

Charles Spurgeon foi um grande pregador do século XIX e muitos se surpreendem ao saber que ele sofreu de depressão. Tudo começou quando ele estava pregando um sermão para um grande público e um brincalhão gritou "Fogo". O pânico deixou sete mortos, vinte e oito feridos, e assombrou Charles por longos anos. Pode acontecer da depressão ser desencadeada por uma situação traumática, como essa, mas as vezes ela não tem uma razão específica e mesmo assim pode nos tornar pessoas extremamente infelizes.

"A memória é, afinal, uma coisa muito poderosa. Ela pode tanto nos abençoar quanto assombrar."

O livro é muito esclarecedor e é divido em três partes: buscando entender a depressão, aprendendo a ajudar aqueles que sofrem com a depressão e conhecendo formas de ajuda para lidar diariamente com a depressão. Infelizmente existem muitas igrejas que ainda insistem em sustentar a imagem do "super crente". Eles dizem que o cristão não adoece, não tem problemas financeiros, não tem problemas de relacionamento e se algo desse tipo acontecer é porque lhe falta fé. Mas, a verdade é que esses ensinamentos não tem fundamento bíblico. O que mais existem na bíblia são personagens cheios do espírito santo que passaram pelos mais diversos tipos de dificuldades, inclusive a depressão. O próprio Jesus passou por um momento de grande angústia na sua alma, pouco antes da sua morte, quando estava no Getsêmani e não dá pra dizer que Jesus não tinha fé! A bíblia não nos promete uma vida cheia de riquezas, saúde, nem nada disso. O que Deus nos garante é que estará conosco em cada uma das nossas dificuldades.

"Pensamos na bíblia como um livro violento, em um Deus irado em teólogos de plantão com sua torrentes de frases de efeito. Entretanto, Charles viu na Bíblia uma linguagem para os aflitos, uma advocacia ou defesa para barrar os ajudadores prejudiciais, e uma varão de dores enviado por Deus a um mundo sem amor e pleno de lamentações, a fim de que aqueles que sentados nas trevas pudessem finalmente sentir o lar para o qual foram criados e se regozijar com o sol novamente."

Eu confesso que fiquei um pouco relutante com a leitura, eu queria e não queria ler. Parecia fácil demais ler um livro e encontrar todas as respostas, eu não estava acreditando no que ele prometia, entende? Talvez ele não seja melhor livro do mundo sobre o assunto, mas abre nossos olhos, de forma que sejamos mais sensíveis e compreensíveis com aqueles que sofrem. O livro não é exatamente uma biografia sobre Spurgeon, ele mostra como o pregador lidava com a depressão e como ele tratava do assunto em suas mensagens. Além disso, o autor, Zack Eswine, também conviveu com a depressão.

"[...] a tristeza é um dom de Deus para nós. É como sobrevivemos. É um ato de fé e sabedoria ficar triste com coisas tristes. [...] Às vezes a tristeza em resposta a uma circunstancia pode tomar um rumo sombrio. Ela se transforma em algo diferente de si mesma. O luto não termina e a criatura sombria que chamamos de depressão desperta de sua toca."

Essa resistência acabou fazendo com que a minha leitura não fluísse tão facilmente e fiquei incomodada até com o tom um pouco poético do autor. Por fim, decidi ler um capítulo por dia e acredito que foi uma escolha acertada, pois li, refleti no conteúdo com calma e fui muito abençoada por ele. Recomendo o livro para todos aqueles que gostariam entender um pouco mais sobre o assunto, para aqueles que estão passando por depressão ou possuem algum conhecido que enfrente a enfermidade.

"A depressão nos lembra que há um limite para o poder humano (...) somente Deus pode remover o ferro quando ele penetre a nossa alma."


site: http://www.sigolendo.com.br/


Bruno 30/08/2016

Muito bom!
Um passeio pela obra de Spurgeon em suas abordagens sobre o tema. Um conforto bíblico para o mal de nossa geração.
comentários(0)comente



evelise 19/07/2016

O autor utiliza de uma linguagem mais simples de forma com que pareça que está realmente falando com o leitor em uma conversa. Nessa conversa ele discute vários aspectos da depressão, tanto como sofredor quando como cuidador. O autor mostra vários textos, passagens bíblicas, poemas e sermões para ilustrar cada capítulo, além de mostrar como Spurgeon foi afetado, as circunstâncias, como lidava e como ajudava outros que poderiam estar na mesma situação.
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9