A descoberta da currywurst

A descoberta da currywurst Uwe Timm




Resenhas - A Descoberta da Currywurst


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Hannah 09/12/2019

A Segunda Guerra Mundial na Vida de Cidadãos Alemães
A Descoberta da Currywurst foi o livro de outubro do clube de assinaturas Pacote de Textos, o autor é alemão e já escreveu outros livros ambientados na Segunda Guerra Mundial. Confesso que foi uma leitura completamente fora da minha zona de conforto e que não teria o lido não fosse o clube. Após engatar no ritmo da leitura, devorei a história em poucos dias.

Você sabe o que é currywurst? É um típico prato alemão, feito com salsicha de vitela, curry, ketchup, baunilha, noz moscada, erva-doce, pimenta preta e sementes frescas de mostarda. O narrador do livro, do qual não sabemos o nome, sempre que ia na casa de sua tia durante a infância, já na pós guerra, costumava comer este que se tornou seu prato favorito na barraquinha da dona Lena Brücker. Quando adulto, após muitos anos, ele volta à Hamburgo, sua cidade de origem, para provar aos seus colegas de trabalho de Munique que foi a senhora Brücker quem descobriu a currywurst. Ao encontrá-la numa casa de repouso, já com perda total de visão, ela começa a contar a longa história, desde quando escondeu um soldado alemão em sua casa durante a guerra até finalmente a descoberta.

"Aventurava-se com receitas que, antigamente, quando ainda havia todos os ingredientes, nunca teria cozinhado. Fazer muito com pouco, ela dizia, cozinhar com as lembranças. Conhecia-se o sabor, mas não se tinha mais os ingredientes, era isso!, a lembrança daquilo que não se podia mais ter, ela buscava uma palavra que pudesse descrever esse sabor: um sabor de lembrança." (Página 35)

Este é um livro que no começo exige um pouco mais de atenção do leitor, pois sua narração é um discurso indireto livre, aquele em que mistura a fala do personagem com a narração em terceira pessoa na mesma frase. Portanto, no primeiro capítulo fui me ambientando à história, degustando aos poucos, e a partir do segundo minha leitura passou a ser mais rápida. O livro é dividido em sete capítulos, todos um pouco longos, mas que te prendem à história.

Eu não esperava que o livro focasse tanto na Segunda Guerra Mundial. Na verdade, eu não sabia o que esperar dele além de entender o que é o currywurst e sua origem e o que o romance de Lena com o soldado teria a ver com isso. Este fato, porém, foi uma das melhores surpresas para mim, que leio pouco de História, e não sou muito boa nesse tema. E melhor ainda: nunca havia lido um livro que mostrasse o lado dos alemães, aqueles que tiveram que participar da guerra ou que a assistiram sem concordar com o que estava acontecendo ou até mesmo sem entender. Ver, mesmo que ficcionalmente, o que os cidadãos passaram durante aquele período mexeu muito comigo. Acredito que o autor, que nasceu no ano 1940, deva ter visto e ouvido de conhecidos o que viveram naqueles dias e usou como inspiração para escrever.

A personagem de Lena Brücker é maravilhosa. Uma senhora que viu o marido partir no começo da guerra e viveu sozinha durante seis anos, cuidando de seus filhos, e que após conhecer Bremer, o soldado alemão, se apega aos afagos dele. É aí que ela conta ao narrador sobre o emprego que tinha, o que ouvia falar, as pessoas que convivia que estavam envolvidas na guerra, as notícias que lia, entre outras coisas, até chegar ao ponto de sua descoberta.

"Foi um dia em que trocamos apenas algumas frases. Mas quando caminhávamos na chuva, ficou evidente para mim, através da pressão suave em meu braço, a força que custou a essa mulher viver sua vida e ainda preservar sua dignidade." (Página 115)

Essa foi uma leitura deliciosa, cheia de aprendizado, que despertou em mim mais interesse pela Segunda Guerra Mundial. É um livro que deve ser devorado com calma, e que eu super indico a quem quer aprender mais sobre História lendo ficção e deseja sair de sua zona de conforto.

site: http://resenhandopormarina.com/a-descoberta-da-currywurst/
comentários(0)comente



CisoS 26/12/2015

Picante-adocicado
Descrevendo um outro lado da guerra, com uma abordagem bem emotiva.
O livro conta a historia de um jornalista tentando descobrir condo foi a criação da linguiça-com-curry, logo após a segunda guerra. Ou como pode ter sido.
comentários(0)comente



Dinha ... 01/12/2019

É o segundo livro de autor alemão que leio e gosto. Uma escrita bem diferente do que estamos acostumados. Ela emociona mas não é sentimentaloide. A história tem a 2GM afetando a vida da protagonista; uma senhora que narra seu passado. Recomendo fortemente. É uma leitura bem diferente. Bem cativante.
comentários(0)comente



Julia G 07/07/2017

A Descoberta da Currywurst
Antes de começar a falar sobre o livro propriamente, vale esclarecer o que vem a ser a currywurst: trata-se de um prato de fast-food tipicamente alemão que surgiu no fim da Segunda Guerra Mundial, e consiste em salsicha de porco cortada e temperada com katchup ao curry. Existem várias versões sobre como e onde teria surgido esse prato e o livro de Uwe Timm traz a sua própria.

Em A descoberta da Currywurst, o narrador do livro volta à sua cidade da infância, Hamburgo, tentando resgatar uma história ouvida há muitos anos, quando uma velha conhecida teria afirmado ter inventando a currywurst. Ao reencontrar Lena Brüker, conhece não somente a forma inusitada com que o prato surgiu, mas todos os acontecimentos da vida daquela mulher que levaram a isso.

"Sem vontade, ela havia cozinhado para si e para o marido e, para ser sincera, também havia cozinhado sem vontade para as crianças quando o marido não estava em casa. Mas então, estranhamente, quando tudo estava faltando, quando outras pessoas perdiam a vontade de cozinhar porque mal havia ingredientes, foi aí que começou a ter vontade de cozinhar. Divertia-se em se virar com tão pouco. Procurava traduzir sabores. Aventurava-se com receitas que, antigamente, quando ainda havia todos os ingredientes, nunca teria cozinhado."

Uwe Timm utilizou-se de um formato bastante peculiar para narrar esse livro. Toda a trama é escrita em texto corrido, sem aspas ou travessões que demarquem os diálogos. É interessante perceber que essa construção não atrapalha em nada a leitura, mas, ao contrário, torna-a mais interessante. O autor usa as próprias palavras para delimitar diálogos, e usa isso com tanta propriedade que não há dúvida quando se trata ou não de uma fala. Essa formatação de texto dá a impressão de que se trata, na verdade, da transcrição de um áudio - sem pausas, sem interrupções, uma única voz que narra os acontecimentos.

Acompanhar a história de Lena traz ao leitor a quebra de alguns paradigmas morais. Conhecer a vida de uma mulher, já nos seus quarenta anos, com dois filhos crescidos e um marido que partiu, e saber que precisa enfrentar sozinha as dificuldades da época da Guerra e lidar, principalmente, com a solidão, torna difícil julgá-la quando deixa de fazer o que é certo para manter a ilusão de alguns dias perfeitos. Por mais egoísta que sejam suas atitudes, é fácil compreendê-la e desejar que encontre, de algum modo, alguma felicidade.

É curioso, nesse livro, que, embora Lena não seja a narradora, é ela a protagonista da obra. É por ela que surge empatia e é ela que se quer conhecer. O narrador é, na verdade, um mero coadjuvante, sobre quem se sabe quase nada, nem ao menos seu nome, e que está ali apenas para ouvir o que Lena tem para contar - assim como nós, leitores.

No mais, vale destaque para a bela Edição da Editora Dublinense, que além de trazer uma bela capa e diagramação confortável para a leitura, enriqueceu a obra com imagens da época no interior da capa.

A descoberta da Currywurst é uma leitura rápida e agradável, que tem como proposta aum tema aparentemente irrelevante - comida -, mas que traz consigo reflexões mais profundas sobre assuntos difíceis, como a Guerra, a solidão, a velhice, entre outros.

site: https://conjuntodaobra.blogspot.com.br/2017/06/a-descoberta-da-currywurst-uwe-timm.html
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4