A Estranha Mente de Seth

A Estranha Mente de Seth Alana Gabriela




Resenhas - A Estranha Mente de Seth


20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Sala Literária 12/11/2017

A Estranha Mente de Seth foi um desafio de leitura para mim. Quando li a sinopse imaginei que seria de fato uma leitura diferente, com uma história diferente. Porém, o livro foi mais além. Demorei um pouco para engajar na leitura, não pelo texto ser ruim, mas pela complexidade da mente do personagem.

Mesmo que ele não seja necessariamente verdadeiro, a construção do personagem foi feita com base em um homem que realmente existiu. A autora enfatiza em seu livro que para escrever sobre Seth precisou estudar muito o personagem.

Em alguns pontos era preciso me concentrar para realmente entender a mente de Seth. É, caro leitor, o nome do livro não é nem metade da complexidade do personagem. Mas em outros momentos, era como se o cenário se projetasse na minha frente e eu via a destruição do povo que Seth também enxergava.

Diversas vezes vi um personagem completamente psicopata e capaz de ferir até os seus entes queridos em nome de uma causa maior. Em outros, vi um personagem afetado pela guerra e pelas mortes de inocentes.
Confira o restante aqui:

site: http://www.salaliteraria.com.br/livros-nacionais/a-estranha-mente-de-seth-resenha/
comentários(0)comente



Viviane 08/11/2017

Desvende a mente de Seth, se for capaz...
Neste livro, vamos conhecer Seth, um jovem com uma mente um tanto conturbada, dividido entre família, amigos e ideais.

Seth é um rapaz de descendência Sérvia, que nasceu no noroeste da Bósnia. Seus pais, Petar e Marija, são camponeses que tiveram 9 filhos, mas 6 deles morreram ainda jovens ou crianças devido a doenças.

O protagonista já tinha ideias anarquistas contra o império, mas a decisão de ingressar em um grupo de revolucionários só veio à tona após ele próprio sofrer um atentado em um trem, episódio este que ele atribuiu aos Austríacos. Nessa época, ele começa a escrever em um caderno, uma espécie de diário, que segundo a autora, foi o que a ajudou a escrever este livro e estabelecer uma ordem cronológica dos acontecimentos.

Um dos inspiradores de Seth era Bodgan Zerajic, que morreu após orquestrar um atentado contra o governador da Bósnia e Herzegovina. Para ele, Bodgan era um homem corajoso que morreu perseguindo com fervor seu ideal.

"A única coisa que tenho certeza é que seu legado de bravura permanece imperecível e indiscutível para os jovens Bósnios."

Na escola, Seth tem apenas um amigo, Lazar, e nutre um amor platônico por Agata, uma colega que cursa uma série a menos que eles. Certo dia, na escola, a professora, Maja, começa um debate e separa a turma em dois grupos: os que defendem o império e os revolucionários. Seth já fazia parte do grupo extremista Face Negra e se descontrola com a opinião do outro grupo, desencadeando uma série de agressões, fazendo com que fosse expulso da escola. Para "baixar a poeira" ele vai passar um tempo com seus pais, e nessa época fica mais evidente que ele está muito doente.

Além dessa sua doença misteriosa, que só conhecemos no final do livro, Seth passa a ter umas espécies de apagões. Como a "causa" era seu objetivo, sua mente passa a bloquear tudo que não é importante, e por diversas vezes ele fica em estado catatônico.

"...o problema é que esse transe que criei está fora de controle, porque fiz demais e hoje não sei como parar, simplesmente entro no automático."

Após ser expulso da escola, Seth fica com bastante tempo livre para treinar, pois está chegando o dia em que os líderes do movimento da sociedade jovem Bósnia farão a escolha e passando as instruções de como cada um, com seu talento, deve proceder, talentos esses do tipo mira boa para jogar granadas ou pontaria certeira com armas de fogo, e após concluírem seu intento, a lição principal: o que fazer para não ser pego.

"...lutar pela causa da Grande Sérvia, morrermos por nosso povo..."

Alana é uma apaixonada por história e pesquisou a fundo para escrever este livro. "A estranha mente de Seth" é uma ficção baseada em fatos reais, como o atentado de Saravejo e a vida de Gavrilo Princip. Mas é uma estória também que aborda levemente processos psíquicos de uma mente perturbada e corações violentos que morrem por causas e ideais. Ela deixa claro no final que descreveu um terrorista e não um psicopata, mas eu concluo que: "todo terrorista é psicopata, mas nem todo psicopata é terrorista".

site: http://duaslivreiras.blogspot.com.br/2017/09/resenha-estranha-mente-de-seth-alana.html
comentários(0)comente



Fernanda @condutaliteraria 11/09/2017

A autora teve a inspiração para o livro ao estudar para a prova do ENEM e, como gosta muito de história, após minuciosa pesquisa sobre o assunto, nasceu A Estranha Mente de Seth.

O livro nos conta a história de Seth Rujanin, que aos 19 anos decide se mudar para Sarajevo para estudar e ter uma vida melhor que a dos pais.

Seth, embora aparente ser um garoto comum, possui uma visão bastante diferente de outros jovens de sua idade. Ele é um anarquista.

De volta à cidade de seus pais, que vive em constantes conflitos por conta do Império Austro-húngaro, Seth se sente perturbado e entra para um grupo radical contra o império – o Face Negra. Tal grupo segue os preceitos de um dos primeiros terroristas do século.

“Enxergo que a vida é um caminho que leva a uma angustiante bifurcação: uma trilha leva você a um passeio gélido, silencioso e inútil; a outra te leva à glória do levante e do nacionalismo.”

Assim, acompanhamos durante a leitura toda a trajetória de Seth, que, sem medo de qualquer conseqüência, expõe suas ideias e ideais a quem quer ouvir, até culminar no momento de um ataque ao governo.

Confesso que foi um pouco difícil acompanhar a história e entrar na mente de um terrorista, por mais que eu entendesse sua revolta diante das situações, é um pouco difícil aceitar as atitudes extremas. E o que deixa a trama mais forte ainda é que é baseada em fatos reais. Jovens que acreditam piamente que a violência pode levar aos seus ideais de liberdade e, até mesmo, morrer por esse ideal.

“Eu sou um camaleão e me encaixo perfeitamente em tudo. A necessidade da situação me deforma e me forma no que devo ser ou como devo estar.”

Esse é o terceiro livro que leio da Alana, e foi totalmente diferente dos outros, eu fiquei impressionada com sua maestria no desenvolvimento da história de Seth.

Como havia mencionado, a obra foi baseada em um fato real, mais precisamente na vida de Gabrilo Princip, um terrorista psicopata que assassinou o arquiduque da Áustria Francisco Ferdinando e sua mulher. Fato este que foi o estopim para o início da Primeira Grande Guerra.

É bastante claro todo trabalho de pesquisa da autora em cima da história, o que culminou em um livro extremamente intenso e inteligente. Altamente recomendável para todos curiosos pela história.

“A benevolência é apenas encontrada na força do gesto. Nas trocas sensatas e no desvelo velado.”

Cada capítulo se inicia por uma canção escrita pelo próprio Seth, o que achei interessante, pois já correspondia aos acontecimentos que seriam narrados a seguir.

Eu li em formato digital e no quesito revisão não encontrei nenhum erro. Perfeito!
comentários(0)comente



Teaandbooks_s2 17/07/2017

Perturbador.
"Eu sou um camaleão e me encaixo perfeitamente em tudo. A necessidade da situação me deforma e me forma no que devo ser. Como devo estar. Sou um camaleão, mas nada em mim é mentira!"

site: https://www.instagram.com/teaandbooks_s2/ = http://teaandbookss2.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Bela 12/11/2016

A mente de um terrorista
A Estranha Mente de Seth. Autora: Alana Gabriela. Páginas: 146. Editora: Autografia

Esse é o segundo livro que eu leio da Alana e traz uma temática muito diferente do outro. Enquanto Flor de Cerejeira foi um romance que tratou questões como violência contra mulher e bullying, nesse vemos um jovem pertencente a um grupo terrorista antes da primeira Guerra Mundial. Pude perceber que a Alana gosta de trazer pontos de vistas inusitados para as suas obras. E, assim conhecemos Seth Richards.

"Uma vez disseram-me que meus pensamentos são a isca para me levar para dentro da jaula. E a advertência é que aparentemente não devo entrar lá porque se o fizer não poderei sair. É estranho esse tipo de pensamento, mas, ainda assim, é plausível e interessante. Sou um camaleão na sociedade. Só mostro a minha realidade fantasiosa."

Seth é um jovem bastante reservado, tem 19 anos e veio de uma família muito humilde. Quando mais novo ele insistiu com o irmão mais velho de que deveriam ir para a cidade estudar, pois só assim teriam um vida diferente dos pais. Coisa que ambos fizeram e graças a isso, Carlisle está bem distante de casa e Seth está na universidade. Mas, muita coisa mudou desde então, Seth estava cansado de ver tanta repressão contra o seu povo e ingressou num grupo de radicais chamado Face Negra. Acontece que o povo Kenaut é oprimido pelos Birrons, nos últimos tempos os Birrons tem agido com menos violência, mas seus atos ainda estão vivos na memória dos cidadãos e não será fácil esquecê-los. Sem falar nos altos impostos que ainda afligem a população. Tudo isso cresceu como uma bola de neve dentro de Seth que se convenceu de que precisar fazer algo para libertar a nação Kenaut.

"Não posso aceitar que um dia morrerei e de nada minha vida valerá ou terá valido. Tem que haver um marco. Tenho que deixar algo para que as pessoas se lembrem de mim. Não quero ser comum. Quero mais que isso."

Seth não é um personagem fácil de se afeiçoar, eu até consigo entender a sua revolta, mas não as suas atitudes. Ele realmente acreditava na causa e está mais do que disposto a morrer por ela, na verdade esse é seu maior desejo. Foi uma pouco esquisito entrar na mente de um terrorista, até por ser ele uma pessoa tão jovem. E, pensar que realmente existem jovens que pensam assim. Pensam que a violência é a forma como conquistarão a liberdade e que sentem prazer em ser aquele que domina os outros. Curioso como muitos se tornam exatamente aquilo que causou a sua revolta e já não existe mais uma diferença entre vingança e justiça. Seth é um jovem egocêntrico, ele se acha superior aos outros tanto intelectualmente quanto fisicamente. Ele acredita na força de seus ideais e sua falta de medo o faz parecer indestrutível perante os seus olhos. Sem falar na sua obsessão por Laurel, uma colega da universidade que ele acredita ser sua propriedade, mesmo que eles nunca tenham tido sequer um relacionamento.

"— Como pode conhecer se alguém é um bom ou não mentiroso se o que ele faz de melhor na vida é mentir? Como pode saber se isso também não é uma mentira? E como um dia pode dizer que conheceu a verdade de uma pessoa assim?"

A história foi baseada no episodio que culminou o inicio da primeira Grande guerra, o assassinato de Francisco Ferdinando, príncipe do império austro-húngaro, durante sua visita a Saravejo (Bósnia-Herzegovina). As investigações levaram ao criminoso, um jovem integrante de um grupo Sérvio chamado mão-negra, contrário a influência da Áustria-Hungria na região dos Balcãs. Tudo é muito bem construído, a história realmente parece ter sido muito bem pesquisada e embasada. Além disso, Alana fez uso de um vocabulário bastante rico e rebuscado, não cheguei a precisar recorrer ao dicionário ou algo assim, mas não pude deixar de notar a diferença de escrita quando comparado a outros livros juvenis. Além disso ela usa construções de frases que remetem ao um período no passado e caracterizam o cenário da história.

“A perfeição não é alcançada quando não há mais nada a ser incluído, mas sim quando não há mais nada a ser retirado.”

O livro é curto e fiz a leitura rapidamente, mesmo não tendo me afeiçoado ao Seth. Fiquei apenas curiosa a respeito do desfecho de Laurel. Seth realmente tem uma mente estranha e diria até incompreensível para alguns.

site: sigolendo.com.br
comentários(0)comente



Nana 13/09/2016

Eu nunca fui amiga das aulas de História, vamos dizer que depois de velha que me interessei mais pelo assunto. Sério, na época do Ensino Fundamental eu cheguei a tirar a pior nota da sala, numa das provas. Na verdade, creio que meus professores dessa época ficariam bem espantados com a existência desse blog...

Agora na fase depois de velha, fiquei bem curiosa ao iniciar a leitura de A Estranha Mente de Seth. A base é toda histórica e ainda por conhecer a escrita de uma colega blogueira. E nossa, como esse Seth é LOUCO.

No início, eu suspeitava que o jovem de dezenove anos, só ladrava. Mero engano. Ele estava ali, na casa dos pais reclamando como qualquer jovem. Passar horas no quarto? Eu faço isso e sei como levanta enxerimento das pessoas.Tratar os pais com respeito é fácil, porém seus pensamentos comandam. Envolvem política, coisa que não discutiria na mesa de jantar. Ele não tem muitos amigos, mas prefere assim Apenas duas coisas fazem Seth ter vontade de ser um pouco sociável: O amor platônico que sente por sua colega de faculdade Lauren e os encontros com o grupo terrorista Face Negra. É, e eles estão planejando matar alguém...

"E a verdade é que o estranho é a única coisa verdadeira na bagunça toda que se chama vida. Porque é real!" - pág 19.

Suas ideias e ações são perturbadoras. Apesar das poucas páginas, o leitor acompanha passo a passo as explosões do protagonista. Daí ficamos aguardando a hora que ele explodirá de vez e talvez temer. Seth nutre um sentimento pavoroso por Lauren, que ele acha que é amor platônico. Começa pelo fato de stalkear a menina para ter certeza que ela fique pura PARA SEMPRE. Nem que precise se livrar de alguém pelo caminho. Já seu amor pela Face Negra, claro, é de extremo fanatismo e que se precisar dar a vida por eles, Seth dará.

Ninguém sabe que Seth pertence à esse grupo extremista. Ele decide se abrir, aos poucos, para sua professora da faculdade, Mary. Ao meu ver, é a única que realmente se importa com ele, em boa parte da narrativa. Ele chama os pais pelo nome, nos pensamentos, e me despertou a sensação de certo rancor. Não sei se Mary, só estava curiosa pelo lado bad boy dele, mas certamente foi a única adulta com quem teve coragem de se abrir. Pena que eu não posso elogiar a maneira que ele a trata....

"Eu sou um camaleão e me encaixo perfeitamente em tudo. A necessidade da situação me deforma e me forma no que devo ser. Como devo estar. Sou um camaleão, mas nada em mim é mentira!" - pág: 60.

Quando vi que a história de Alana era baseada em fatos reais, não pude deixar de pesquisar sobre os personagens e realmente, acho que a maioria de nós, por exemplo, ao ver esses ataques que rondam a Síria, nos perguntamos o que passa na cabeça dessas pessoas que os provocam. E foi o que a autora fez, com uma escolha bem peculiar, mas bem pesquisada.

A escrita é ótima, com bons argumentos, flui e deixa claro que toda narrativa é sobre Seth e seu propósito. Não há chances de se apegar a outros personagens, apesar da preocupação que por Lauren no final do livro. Porém, senti falta de maior interação com os pais e assim notar mais da personalidade do Seth.

A Estranha Mente de Seth, é uma ótima pedida para leitores que querem descansar dos altos clichês que rondam por aí e apreciam o lado negativo dos personagens. Um protagonista imperfeito que, certamente, questionará seus sentimentos de leitor.

site: http://cantocultzineo.blogspot.com/2016/09/livro-estranha-mente-de-seth-alana.html
comentários(0)comente



Carol 13/06/2016

Incrível
Seth R. é um garoto diferente. Ele vive em uma família pobre com algumas tradições como jantar todos juntos e, logo após, seu pai conta como foi o seu dia. Ele é universitário e participa de uma sociedade clandestina e assassina em sua cidade, Vojerasa. Além disso, Seth possui um amor platônico por Lauren, porém ele não quer toca-la, apenas mantê-la pura. Sua segunda obsessão, depois de Lauren, é matar o conde Luendres Marquez. E tudo já está planejado...
Quando a Alana entrou em contato comigo, eu fiquei bastante feliz. Ao ler a sinopse do livro, já imaginei que seria uma leitura de tirar o fôlego. E A Estranha Mente de Seth surpreendeu as minhas expectativas.
Ao acompanhar Seth em sua jornada, percebemos que ele é diferente das demais pessoas. Logo mais adiante vou lhe explicar o porquê. Primeiro, vemos que ele odeia o fato dos povos Birronenses ter poder sobre eles e ao entrar na Face Negra, seu principal objetivo era acabar com esse poder.
Uma coisa que eu achei curiosa é seu amor platônico por Lauren. Fiquei até um pouco assustada por causa de algumas atitudes que Seth faz para manter a garota pura. Gostei de como a Alana conseguiu descrever isso em um tom de normalidade.
Vemos, com o decorrer da leitura, que Seth, em alguns momentos, sente falta de ar e fica inconsciente. A autora descreveu cada momento desse muito bem. Eu logo de cara já imaginei o que seria, mas não imaginei como seria o final do personagem. E a Alana conseguiu me surpreender mais uma vez.
Adorei o final do livro. Sério. Acho que não poderia ser de outra forma. Fiquei encantada pela personalidade do personagem, pela escrita da Alana e de como ela soube desenvolver essa história tão bem. Em cada começo de capítulo, vemos uma letra de música e no final tem dizendo que foi retirado do caderno de Seth R. E cada pedaço de música, tem alguma relação com o capítulo. Achei isso fantástico.
Um dos pontos que mais me surpreenderam foram os esclarecimentos da autora com relação ao livro. Tinha visto, logo nas primeiras páginas, escrito "Baseados em fatos reais", mas sou péssima em história e não entendi a ligação de Seth com ninguém. Achei incrível como a escritora criou um livro baseado em uma história real. A forma como ela escreveu os pensamentos do personagem, fazendo a ligação da personalidade dele na vida real e do que ela achava que ele pensaria. Sem contar que ela pesquisou a fundo e conseguiu escrever um livro genial.
Adorei o livro como um todo. A leitura é rápida e viciante. Foi o primeiro livro da Alana que eu li e com toda certeza quero ler outros.
comentários(0)comente



Amanda Molina 20/04/2016

A Estranha Mente de Seth
Seth R., um jovem universitário, indignado com a política e com a circunstância social de onde vive, ele se sente na obrigação de fazer algo para mudar essa situação.

"Tudo é confiscado. Não há liberdade, só há regras."

Seth é um personagem com características fortes, uma delas é seu fascínio por Lauren, ele persegue ela e tenta manter os outros garotos longe dela, segundo ele, ela precisa manter-se pura, nem ele mesmo pode tocá-la.

Seth tem uma mente perturbada e avançada, as vezes desliga-se do mundo ignorando tudo a sua volta. Um personagem muito bem criado, enigmático e que vamos desvendando-o no decorrer da leitura.

O livro é intenso e complexo, e mostra, de forma muito inteligente, uma mente perturbada e o que ela pode fazer com o ser humano.

"Há uma infinidade de nada nessa casa antiga. É assim que gosto de chamar a existência de ausência."

A narração é fluída e forte, você consegue sentir a força das palavras enquanto lê. Com poucas páginas, a leitura se torna leve e satisfatória.

"A perfeição não é alcançada quando não há mais nada a ser incluído, mas sim quando não há mais nada a ser retirado."

O livro é inspirado em um personagem real que tinha a sua mente com ascendência para o mal, e no final da história, Alana nos explica como surgiu a ideia de criar Seth. A autora merece todos os parabéns por criar uma história tão rica e inteligente.

Com certeza. eu indico esse livro para todas as pessoas, por ser diferente de tudo que estamos acostumados a ler. Espero ter conseguido passar o que senti ao ler esse livro incrível.

site: http://blogdameninaquele.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Verônica 29/02/2016

A Estranha Mente de Seth
Sabe quando se procura as palavras, porém elas não vêem. É uma busca incessante onde as mesmas o consideram inimigo e se escondem como loucas! Pois esse é o momento que estou vivenciando, explorando a mente atrás das benditas e elas escapulindo.
Alana nos presenteia com uma psique complexa e desumana, tentando compreender as manivelas por trás desse contingente raciocínio, sendo a sagacidade ao mesmo tempo genial e estúpida. O que se faz compreender é que por trás da História existe um motivo, um desgosto, sendo combustível a sede da justiça. Talvez a legalidade seja imparcial e não faça jus ao que realmente seria a razão e contemplasse a todos.

A memória que a autora reaviva mostra como as engrenagens operam, deixe-me explicar. Essa obra foi baseada em um personagem real, que realmente vivenciou episódios registrados no contexto que despertaram o pior que existe dentro do homem: seus medos, instintos, selvageria, regredindo para os primórdios onde a busca pela sobrevivência era a lei do mais forte. Prosseguindo com a narrativa ela tentou desvendar tudo o que tinha na mente desse ser humano, como ele deveria pensar, agir... Como sua emoção poderia ser frágil e ao mesmo tempo cruel. Alguns pensamentos ligados a política parecem ser bem fieis e não muito anormais, entretanto outras idéias chegam ao limite doentio de se obter êxito para provar seu ponto de vista.

O mais incrível é que embora o diário não seja real, os acontecimentos sim! É perceptível o quanto Alana se aprofundou na história para retratar como os fatos poderiam ter ocorridos com os personagens que marcaram uma época. Quando disse que as palavras fugiam no começo dessa resenha era por essa questão: como escrever sobre algo que você amou sem dá spoilers? A graça consiste em você não saber quem é esse personagem e o mesmo ser revelado nas últimas linhas, é procurar qual parte da história ocorre tudo isso e fuçar lembranças que já foram enterradas para entender toda a circunstância do ambiente retratado.

Em poucas páginas as emoções fluem e a curiosidade também, para quem é um amante da história vai amar esse livro, agora se você não se identifica com esse universo tão vasto com certeza não irá delirar nas páginas dessa obra tão marcante e profunda. Espero ter feito valer a grandeza dessa obra nessas poucas palavras, e que as letra e rimas façam as pazes comigo.


PS: Gostaria muito de agradecer a parceria com a autora que tão gentilmente me enviou o e-book.

site: http://pensaliterario.blogspot.com.br/2016/02/resenha-da-parceria-com-autora-alana.html
Alana Gabriela 29/02/2016minha estante
OMG!! Estou sem palavras com essa resenha.. Maravilhosa. Sinto-me tão revigorada e feliz a continuar escrevendo, são opiniões como a sua que me animam. A sua percepção pelo livro foi tão apurada. E eu realmente queria que as pessoas só descobrissem no final, como você bem ressaltou, qualquer coisa, para alguém que gosta de História, pode ser um spoiler. Muito obrigada por ter feito a leitura. Fico realmente feliz por você ter gostado!!! Estou nas nuvens ahahah... *-*




Nine 11/02/2016

Resenha - A estranha mente de Seth

Eu terminei de ler o livro poucas horas depois de escrever as primeiras impressões e estou apaixonada pela estoria. Além de ser baseado em fatos reais, no incio do livro temos uma nota da autora que já nos adentra a ficção e nós apresenta a personagem que é parte importante da trama, o que eu achei bem legal por que eu só percebi que ela era uma personagem na nota inicial, quando li a nota final.

"Eu não tinha paciência para tolerar conversas frívolas e sem sentido, então hipnotizava a mim mesmo. Meu corpo poderia estar presente, mas meu cérebro estava bem longe."

A Estranha mente de Seth nós trás aos tempos do Império, pouco antes da Primeira Grande Guerra. Seth R. é um jovem extremista, um dos dois filhos que restou de uma família de oito irmãos, ele tem uma personalidade muito analítica e particularmente conturbada para um jovem de 19 anos, por diversas vezes ele se perde num mundo de pensamentos obsessivos e terroristas, ignorando por completo a rotineira vida com os pais e as conversas com Oliver - seu único "amigo"- enquanto vive entre aulas matinais na faculdade e noites de treino numa sociedade clandestina e assassina em Vojerasa.

“Ele foi meu primeiro modelo. Quando tinha 17 anos, passei noites inteiras em seu túmulo, refletindo sobre a nossa condição miserável e pensando nele. Foi lá que decidi, mais cedo ou mais tarde, cometer um ultraje.”

Seth respirava a causa terrorista, estava determinado a ser um herói por aquilo que idealizava, assim como o "herói" que lhe inspirou a fazer parte dessa causa, Seth queria impulsionar as pessoas, ser um paradigma.

"Não os segui só por ciúme, é claro, eu queria proteger Lauren de ser maculada, de ter desilusões, sofrer no fim e além do óbvio de que ela é minha. Sempre pertenceu
ao meu coração e não há por que querer estar com outro."

Mas ele também tinha outra obsessão além da queda do Império de Birron, ela se chama Lauren, ele a persegue, sério gente, tem até um apartamento em frente a casa dela para vê-la dormir. Quer faze-lá sua protegida, maculada, intocada, pura. Acho que os pensamentos dele sobre ela foram os que mais me assustaram.

Narrado em primeira pessoa, a autora usou uma linguagem mais atual. O que me confundia as vezes, deixe-me explicar melhor, por exemplo, em um ponto do texto em que ele está seguindo Mary tem: "Agora ela está do outro lado da avenida, descendo para uma rua estreita que corta o leste do bairro. Ela não parece preocupada, nem estressada, está bem calma falando ao telefone(...)" eu sou o tipo de pessoa chata que lê essa frase e imagina a outra falando em um celular e não em um telefone publico, mas isso é um problema meu, e não ocorreu muito e nem afetou nada durante essa leitura.

Uma leitura ótima, com uma escrita impecável e envolvente que nós faz realmente entender um pouco da mente de uma pessoa tão afetada, que fez realmente parte da historia, eu simplesmente amei odiar e amar (sim eu amei e amo personagens assim!) Seth Richards e não tem como não indicar esse livros a todos que amem historia.

site: http://nineue.blogspot.com/2015/12/resenha-estranha-mente-de-seth.html
comentários(0)comente



Thalita Branco 11/02/2016

Resenha ~ A Estranha Mente de Seth - Alana Gabriela
Fiquei bastante surpresa, e animada!, quando recebi o convite da Alana Gabriela para ler A Estranha Mente de Seth. Já havia lido algumas resenhas positivas sobre o livro e ficado curiosa, mas por ter muita coisa para ler não fui atrás. Pois enfim, a chance chegou e li A Estranha Mente de Seth!

E põe estranha nessa mente! O livro começa com Seth visitando o tumulo de Antonie Latos, um extremista que deu a vida pelo seu país. Fez tudo pela causa e pelo povo. O rapaz sonha em fazer algo tão grandioso. Passa a maior parte do seu tempo trancado em seu quarto entrando em transes, escrevendo pensamentos e matutando sobre o que poderia ser feito contra o Império de Birron.

Praticamente ignora seus pais. Não consegue prestar atenção no que eles falam por considerar assuntos insignificantes. O mesmo com seu amigo de faculdade Oliver. Não suporta conversinhas e bate papos em vão. Possui uma fixação doentia por Lauren, moça que considera pura e que assim deve permanecer, mesmo que ela não saiba disso.

O livro é uma viagem bastante bacana por dentro da mente de um jovem extremista. Com exceção de Lauren, Seth não pensa nos demais. Faz tudo por si mesmo e pela causa. Aliais, sua fixação pela moça só mostra o quão doentia é a sua mente. Seth persegue e observa Lauren o tempo todo para que ela não saia da linha e sempre se mantenha pura. Chega a alugar uma casa em frete a residencia da moça apenas para observa-la por horas e horas. #MEDO

Como o título sugere, entramos dentro da mente de Seth, portanto não espere muitos detalhes sobre os personagens secundários, o que também não faz muita falta. Só achei o Oliver muito passivo com Seth. Por mais que esse o trate grosseiramente e tenha atitudes imperdoáveis Oliver está lá ao seu lado. Gostaria mesmo de ter lido um pouco mais sobre a Face Negra, grupo de pessoas com a qual Seth se reúne para tramar contra o império.

Alana escreve bastante bem. Fiquei o livro todo curiosa para saber o que aconteceria com Seth e o que raios ele faria com Lauren. Narrado em primeira pessoa e baseado nos eventos que desencadearam a Primeira Guerra Mundial, principalmente sobre o que se passava na mente de Gavrilo Princip, o assassino do arquiduque Franz Ferdinand, comecei o livro crente que ele se passava mais ou menos na época da guerra real. Até que no meio do livro Mary, uma das professoras de Seth saca do bolso um telefone celular. Confesso que me irritei um pouco, mas não tardou para a irritação se esvair e notar que o livro é atemporal e que a autora foi brilhante. Alana não se limitou a entrar apenas na mente de Seth e de Gavrilo. O livro serve para tentarmos entrar um pouquinho na mente de qualquer extremista ou terrorista, incluindo os atuais.

site: www.entrelinhasfantasticas.com.br
comentários(0)comente



Mari 10/02/2016

Quando li a sinopse pela primeira vez, não prestei muita atenção no que dizia. Só queria ler um livro que fosse dela pra saber como ia ser haha essa é a verdade! Mas me surpreendi ao perceber a história pesquisada e a forma como tudo foi escrito. Bom, deixa eu explicar um pouco do livro antes...

Seth R. é um rapaz que vive em seu próprio mundo. Prefere ficar sozinho e isolado com seus próprios pensamentos. Aprendeu a mergulhar em sua mente de uma forma tão eficaz, que já começou a fazer isso sem nem perceber, só percebe quando a pessoa que está falando com ele, o cutuca e pergunta em que tanto ele pensa...

"Eu sou um camaleão e me encaixo perfeitamente em tudo. A necessidade da situação me deforma e me forma no que devo ser. Como devo estar. Sou um camaleão, mas nada em mim é mentira!"

Além disso, ele não concorda com a forma que seu país é governada e é absolutamente contra o Império e tudo o que pode sair dele. Gosta menos ainda do fato de que não pode nem falar livremente sobre o que pensa ou deixa de pensar sobre política e ética. Enquanto todos vivem conformados com a vida que levam, ele quer sair dessa caixinha, quer se tornar alguém para ser lembrado, quer mudar o lugar em que vive!

Pensando nisso, vê a oportunidade de fazer a mudança se juntando a Face Negra, um grupo terrorista que é contra o Império. Sem que mais ninguém saiba, ele participa das reuniões e faz planos para que seus ideias sejam concretizados. Até que a oportunidade chega! O conde Luendres Marquez virá para Kentauk para restabelecer um tratado de paz e a chance de fazer a história está ai. Assassinar o conde e ter seu nome lembrado para sempre...

Eu fiquei um pouco preocupada em não gostar muito do livro. No começo eu não sabia o que pensar e juro que eu quis odiar Seth. Queria achar ele um imbecil idiota, mas não consegui. E me surpreendi ainda mais pelo fato de que mesmo não tendo muitos diálogos, a leitura flui muito fácil. Fiquei com medo de não conseguir ler por esse fato, mas confesso que não me atrapalhou em nada. Tanto que devo ter lido o livro em uma hora, de tanto que me prendeu.

Sobre o Seth e sua loucura, eu adoro esse tipo de livro. Gosto muito de pessoas psicologicamente perturbadas. Tanto que eu gostou muito de ler livros que tentam explicar as histórias, vidas e pensamentos de serial killers. E foi mais ou menos dessa forma que eu me senti lendo sobre Seth. Ele me conquistou, sério haha mesmo sendo louco, tendo atitudes malucas e uns gostos estranhos, eu entendo alguns atos e os que eu não entendo, me fascinam hahaha ou eu posso ser louca igual ele hm



Valeu muito a pena a leitura e gostei muito do fato de que o vocabulário é um pouco mais rebuscado. Nada que seja difícil de entender, mas eu acho gostoso ler livros que pedem um pouco mais da sua atenção, te mostra que todas as leituras que você já fez, estão servindo muito para aumentar seu conhecimento.

Fora que por ter sido pesquisa e por ter sido uma busca pela professora Mary e seus conhecimentos, deixou tudo mais interessante. Mais legal de ler e me deixou esperando o desfecho. A única coisa que eu queria saber, é o que acontece com Lauren, mas dá pra entender o motivo de não ter essa explicação, afinal a história dele é contada por páginas de seu diário que foram encontradas, então não teria como ter essa explicação. Mas nada que tenha tirado o mérito do livro.

E ah, Alana, sei que você está lendo isso! Então deixa eu te falar uma coisa: você me enganou quanto ao que ia acontecer com Lauren! Na minha cabeça era um outro plano hahaha

Bom, espero que tenham gostado da resenha e que tenham se interessado pelo livro! Entrem em contato com a Alana e conheçam, porque é bem legal! E não pensem que estou puxando o saco, porque se você acompanha o blog, sabe que eu sou muuuuito sincera nas minhas resenhas e não importa se é parceria ou não...

site: http://galaxiadosdesejos.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Tracinhas 02/02/2016

por Lídia Rayanne
Em primeiro lugar, preciso dizer que me senti meio trolada quando comecei a ler esse livro. HAUAUAUAH Não sei por que, mas quando li a sinopse, algo me fez acreditar que a história se passava no início do século XX, e qual não foi a minha surpresa quando descobri que, na verdade, não é! A autora apenas se inspirou em Gavrilo Princip, aquele carinha que assassinou o Arquiduque, provocando o estopim da Primeira Guerra Mundial.

Então A Estranha Mente de Seth parte da seguinte premissa: como seria a mente desse indivíduo que provocou tudo isso? A autora então fez uma bela pesquisa, usando fatos históricos e sua própria imaginação para modelar a mente de um psicopata capaz de provocar a Primeira Grande Guerra.

E sim, o Seth é um psicopata. P-I-R-A-D-O. Doido, varrido, do tipo de tranquem no hospício e joguem as chaves foras. E talvez seja por ele ser assim que demorei um pouco pra prosseguir a leitura, porque tinha horas que ele era tão asqueroso que me dava um “Argh!”.

Mas vamos ao que interessa.

A história se passa em Vojerasa, atualmente sobre o domínio do fictício Império de Birron. E Seth odeia Birron, com todas as forças de seu ser, e não ousa espancar qualquer um que o defenda. Por esse motivo ele entra no grupo terrorista Face Negra, e a narrativa acompanha algo que deveria ser o diário de Seth durante o período que antecede ao atentado, e conhecemos a cada página um pouco mais dessa mente deturpada.

Ao contrário do que pensei à princípio, a história não se passa em nenhuma época definida. É quase um período anacrônico, com um toque meio sépia da virada do século XX com a tecnologia atual. Ou pelo menos, foi a impressão que tive. O mundo de Seth é cinzento, opaco, sem graça e destituído de beleza, com exceção de uma figura que ocupa seu imaginário entre uma hipnose auto imposta e outra: Lauren.

Lauren é o alvo da afeição de Seth, e sim, ele tem um amor platônico doentio por ela, do tipo que não quer que ninguém macule sua pureza, nem ele mesmo. Para aliviar seus anseios carnais, Seth usa de seu relacionamento com sua professora da faculdade, Mary.

Esses personagens, no entanto, não são mais explorados que isso. Cada um parece exercer uma função bem definida na narrativa, que é girar em torno de Seth ou ser ignorado por ele. (Como o coitado do Oliver, colega de faculdade de Seth, que parece que só sabe dizer “que é isso, cara?” ou perguntar se Seth está bem, mesmo que Seth tenha acabado de espancar outro colega).

Mas é o que se espera de uma história narrada por um protagonista arrogante e egocêntrico. Seth, com todos os seus defeitos e complexidade, é o elemento mais bem construído do livro, pois quando se trata do mundo “externo” à mente de Seth, as explicações são um tanto vagas e pouco exploras (como a relação entre os membros do grupo terrorista no qual Seth faz parte, ou a história e situação política de Birron).

No quesito introspecção, porém, A Estranha Mente de Seth é um livro muito bem narrado, não indicado para leitores facilmente perturbáveis. Então, se você gosta de livros que destrincham mentes psicopatas, esse livro é para você. Agora se, assim como eu, tem dificuldade em prosseguir com leituras cujo protagonista não consegue se identificar, amar, torcer pra que dê tudo certo, bem, deixo o benefício da dúvida.

site: http://jatracei.com/post/138548236182/resenha-128-a-estranha-mente-de-seth
Alana Gabriela 03/02/2016minha estante
Bem, o título do livro já sugere do que se trata a obra: a estranha mente de Seth, e não a política, ou a guerra, tudo foi criado para um background da época que ele vivia com o fim de explicar seu comportamento. Está explícito na sinopse. Mas tudo bem.
Mesmo você não tendo gostado, obrigada ainda assim por gastar tempo com a leitura!!


Lídia 08/02/2016minha estante
De nada, Gabriela! E apesar de não ter me identificado com o público alvo do livro, abordei na resenha os pontos que achei interessantes e os que senti falta durante a leitura. Quando digo que fiquei um pouco confusa, foi pq na sinopse vc explicou tão bem o background da sua inspiração que senti que faltou um pouco disso na história em si. Mas enfim, é apenas a minha opinião/impressão como leitora! Sucesso com seus livros!




Luiza Helena (@balaiodebabados) 16/01/2016

Originalmente postada em http://balaiodebabados.blogspot.com.br/
Primeiramente, queria pedir 87643146976843 desculpas para Alana. Ocorrem alguns babados que me impediram de trazer a resenha antes.

Como comentei nas primeiras impressões, Seth é um rapaz de 19 anos, oriundo de uma família pobre cujos seis dos oitos filhos morreram. Com muito esforço, ele conseguiu entrar na universidade, mas seu desempenho vem caindo desde que entrou num grupo rebelde chamado Face Negra, que tem como objetivo destruir o Império. Fora a Face Negra, Seth só tem outra coisa mais importante: sua idolatrada e imaculada crush Laura.

Os caminhos que percorre com a Face Negra e querendo honrar a alma do seu ídolo, Latos, Seth será o responsável pelo estopim da Primeira Grande Guerra.

Se nas primeiras impressões, eu achava Seth um tanto psycho crazy, depois que li todo o livro, eu tive certeza. Algumas ações dele eram baseadas em conclusões completamente absurdas que eu ficava WHAAAAT...". Fora que ele é mó stalker e aspirante a Christian Grey. A obsessão dele por Laura chega a ser algo doentio.

Durante toda a leitura, vemos Seth divagar na sua mente. Tipo, um minuto, ele está de boas, no outro, ele está perdido em pensamentos e chega a esquecer do mundo que vive. São essas divagações que o levam a certas ações.

Apesar dos personagens secundários não terem sido muito trabalhados, deu pra entender como eles influenciavam a vida de Seth. Ou não influenciavam, já que Seth praticamente ignorava tudo ao seu redor.

Quando li que o livro era baseado em fatos reais, eu fiquei super encucada pra saber. No fim do livro, Alana explica que a história foi baseada no estopim da Primeira Guerra Mundial, quando assassinaram Franz Ferdinand, herdeiro do trono austro-húngaro.

Apesar do tema e da linguagem usada pela Alana, essa foi uma leitura rápida. Recomendo a todos aqueles que gostam de entrar na mente de um personagem

Confira essa e outras resenhas em http://balaiodebabados.blogspot.com.br/

site: http://balaiodebabados.blogspot.com.br/2016/01/resenha-20-estranha-mente-de-seth.html
comentários(0)comente



Larissa 06/01/2016

Blog Por Livros Incríveis
Seth R. é um jovem extremista que divide seu tempo entre a faculdade e as reuniões da sociedade clandestina da qual faz parte. Ele possui duas obsessões controladas fria e pacientemente: manter Lauren, seu amor platônico, eternamente pura e casta e matar o conde Luendres Marques.
Tudo foi perfeita e cuidadosamente planejado. Apoiando-se nas lições deixadas pelo seu herói, seu mártir, Seth causará a Primeira Grande Guerra.

"Não posso aceitar que um dia morrerei e de nada minha vida valerá ou terá valido.Tem que haver um marco.Tenho que deixar algo para que as pessoas se lembrem de mim."

Seth é um jovem estudante que não concorda com o governo que tem e a cada dia se revolta mais com as condições sociais e políticas do local onde vive, mas, diferente dos outros que nada fazem, ele tem o grande desejo de agir. Além do desejo, ele tem a coragem necessária e a mente doentia.
É difícil resenhar A Estranha Mente de Seth quando tudo o que tenho a dizer é que estou sem palavras para o...

Leia mais em:

site: http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/2016/01/resenha-estranha-mente-de-seth-alana.html
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2