Estrela da Manhã

Estrela da Manhã André Vianco




Resenhas - Estrela da Manhã


27 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Tamirez | @resenhandosonhos 10/03/2016

Estrela da Manhã - André Vianco
Rafael é um menino de 11 anos que perdeu o pai muito pequeno e tem pouca atenção da família em casa. Acima disso, o que mais o perturba é o bullying constante que ele sofre no colégio do valentão Maguila e de seus amigos. Sempre que menciona isso para a mãe, irmão ou professores todos recuam, pois a família do garoto é praticamente dona de toda a cidade, e eles não vão levantar um dedo contra eles para o ajudar.

Rafael está tentando contatar o pai através do ocultismo, pois pensa que se ele estivesse vivo não deixaria que isso acontecesse com ele. Numa dessas tentativas, através de uma tábua Ouija, ele consegue contanto com “alguma coisa” que o dá coordenadas em números e letras, que após certa pesquisa, ele descobre ser um site. Sem saber se foi o pai ou não que estava falando com ele, Rafael segue o rastro e acaba chegando até o Pé na Tumba, um site/aplicativo de aluguel de fantasmas.

Segundo a plataforma, por um valor justo você consegue alugar um ser sobrenatural por um determinado tempo para protegê-lo, ou fazer o que você precisar. E é quando ele visualiza o perfil de Estrela da Manhã que o garoto enxerga uma forma de se livrar dos seus problemas. A entidade promete 7 dias de proteção contra uma lista de 7 nomes que o menino deve dar, porém, o que Rafael não sabe é o que está implícito nessa “proteção”.

Minha Opinião
Eu estava com bastante expectativa para esse livro, porém não supri nem perto do que gostaria. Esse foi meu primeiro contato com o André Vianco, que já tem 15 livros publicados e é agraciado pelos leitores por seus livros sobre vampiros. Porém, como não tenho tido bom resultado com esses seres sobrenaturais, resolvi fazer minha aposta em Estrela da Manhã, que trazia um outro tido de criatura, num contexto bem diferente.

Primeiro, achei a capa do livro super bonita e condizente com a história e isso também foi uma das coisas que me direcionou para esse título. A outra coisa é que achei super interessante o conceito de “modernizar” os contatos espirituais. Hoje somos capaz de fazer tudo pela internet, porque não contatar um fantasma ou qualquer ser do tipo? Por isso achei a premissa muito bacana. Entretanto, acho que na execução da história a trama deixa bastante a desejar.

Acho que a coisa mais importante está na idade do garoto, que tem apenas 11 anos. Em muitas partes do livro ele faz/diz coisas que não condizem com a idade dele, e eu falo isso porque tenho um sobrinho da mesma idade que também é super antenado na internet, mas que não faria metade do que vemos Rafael executar no livro. Pra mim o protagonista com essa idade não é crível e isso é um enorme problema.

Depois temos a questão dos clichês do terror: banhos de sangue, mortes “engraçadas”, overkill, as tradicionais cenas onde a pessoa deveria fugir e ela vai em frente e, claro, os rituais. Acho que aqui também foi bem triste ver o básico do básico DO BÁSICO sendo trabalhado.

Às vezes pegamos livros simples e eles tem uma super pesquisa por trás que nos levam a teorias loucas e a ir pesquisar também sobre o assunto. Eles contam com a perspicácia do autor em conduzir o leitor através de uma história que pode ser simples, mas que o background ou o desenrolar é complexo e com elementos ocultos que cabem de uma explicação para compreensão, e isso não acontece aqui. Qualquer pessoa que tenha visto um episódio de Supernatural (ou qualquer filme/série que se aplique) manja tudo do ocultismo que é trabalhado aqui. Pentagramas, pactos de sangue, círculos de sal, isso ai.

Fora isso, tenho 3 momentos da trama pra destacar e, caso você não queira algum possível spoiler, não leia. 1) Depois de apenas uma pequena argumentação a polícia da cidade acredita em um menino de 11 anos e monta um cerco para pegar a entidade (what ?). 2) uma adulta, que sabe o que realmente está acontecendo e inclusive já foi parte vítima do Estrela da Manhã, deixa conscientemente duas crianças de 11 anos em um cemitério para que eles façam um ritual para banir o ser sobrenatural (?). 3) O menino teve que contatar uma tábua ouija, receber um código, jogar na web, pesquisar, entrar num site que levava ao Pé na Tumba, depois baixar um aplicativo, tudo muito misterioso e difícil. Mas assim que a notícia vaza da polícia (?) TODO mundo consegue baixar o negócio, aparentemente somente digitando Pé na Tumba na sua Play Store ou Apple Store. Cadê a coerência, produção? Se era pra ser simples, porque o espírito já não causou uma interferência e mostrou direto o app pro garoto, ao invés de ele ter de fazer todo um paranauê pra isso? E, ele tem uma namorada, de 12 anos, que é sua maior defensora e eles trocam beijinhos e declarações de amor durante a história. Sobre o fim? Não quero nem comentar, pois assim como todo o livro, não convenceu.

“- Eu te amo – disse a menina do alto da maturidade dos seus doze anos.”

Não vou nem entrar no mérito sobre a escolha do nome da entidade ser bastante sugestiva e remeter a coisas que não tem nada a ver com o livro, porque bem, se você é ligado nessas questões você sabe quem é originalmente chamado de Estrela da Manhã e não, não é ele que aparece nesse livro. Sobre o bullying que é descrito na trama, também não achei que foi trabalhado da forma correta. Normalmente histórias que trazem esse tema vem com um final que dá um nó pra combatermos essa realidade, mas aqui parece que foi tudo uma grande piada. A forma como todos praticam o bullying tanto com o Rafael, como pelas costas para o Maguila, colocou na natureza de todo mundo isso como algo cruel. Ninguém parece compreender a realidade do que está acontecendo, é só ofensa, desejo de morte, crueldade. Parece que a personagem mais coerente seria a namorada do protagonista, sendo a única “sã” durante o livro, mas com seus altos e baixos também.

Acredito que o André Vianco seja um bom autor e pretendo tentar novamente com outro livro, mas nesse parece que ele errou a mão. Não sei como é a escrita dele em Os Sete, seu livro mais comentado, mas achei bem simplista e bastante abrasileirada nessa história, intercalando entre páginas de longos diálogos com várias gírias, a enormes parágrafos descritivos ou dos pensamentos de Rafael.

Se você pretende ler Estrela da Manhã, aconselho em ir sem grandes expectativas de complexidade e realmente baixar a perspectiva para 11 anos, para que possa aproveitar melhor a leitura, além de claro, ser fã dos clichês de terror e ocultismo. Confesso que fiquei bastante triste, pois queria verdadeiramente ter gostado da história e encontrar aqui o Vianco que é tão bem comentado e apreciado, mas não foi dessa vez.

site: http://resenhandosonhos.com/estrela-da-manha-andre-vianco/
Jack Ventrue 28/07/2016minha estante
Perfeito. Eu fiz o caminho inverso, 'Estrela' foi o último livro do André que eu li - tenho todos os outros. Se ele tivesse encerrado sua carreira com 'A Noite Maldita', teria feito muito bem. Estrela é horrível. Uma decepção monstruosa (sem trocadilhos). A forma como o demônio é "derrotado" chega a ser um atentado à inteligência do leitor. Concordo com tudo o que disse. Eu conheci o André através do 'Os Sete', quando vi a capa numa livraria e comprei, no escuro mesmo. Virei fã e comprei todos os outros. O que me cativou foi a forma como ele descreve as cenas, os ambientes, consigo visualizar tudo na cabeça. Em outros livros as cenas de batalha são bem narradas. Alguns personagens são muito interessantes, tais como Inverno, Cantarzo e os Bentos. Eu honestamente não faço ideia de quem seja "Estrela da Manhã" fora do livro dele, só conseguia pensar como um demônio com esse nome só aparece à meia-noite... Enfim, acho que o seu post foi completo. Da minha parte posso dizer que talvez deva dar uma nova chance às obras dele. Garanto que, de longe, essa é a pior.


Liana 12/08/2016minha estante
Tamirez, obrigada pela resenha, foi o que faltava para que eu desistisse de querer ler esse livro. Eu também ouço muitos comentários positivos sobre André Vianco, mas curiosamente o único livro que abandonei na vida foi dele "O Senhor da Chuva". Vou tentar mudar essa impressão com "Os Sete", mas não vou criar muita expectativa...


Emerson 10/10/2016minha estante
Liana, já li vários outros do André e de fato, esse é que está sendo um martírio para terminar, é como foi dito aqui, é um atentado a inteligência do leitor, ele é basicamente um conto, um conto muito longo...

Mas tente ler Os Sete, este sim, O André está no seu auge, O Sétimo não é ruim, só fica abaixo de Os Sete, vale a pena ler.


Gustavo.Campello 07/03/2017minha estante
Não li e depois desta resenha não pretendo ler....

Só respondendo o Jack Ventrue, Estrela da Manhã é o próprio Lúcifer, mas como dito no comentário, parece ser no livro um demônio qualquer.


Camila Barros 27/05/2017minha estante
Resumiu tudo!




spoiler visualizar
comentários(0)comente



ClauClau 05/01/2016

Você pode se arrepender!
Estrela da Manhã: 7 nomes. 7 dias. 7 mortes.
Autor: André Vianco
Giz Editorial – Selo Calíope
Pag.279
Ano: 2015
ISBN: 978-85-7855-262-6
Capa: Christian Pinkovai
Gênero: Literatura Brasileira / Ficção / Suspense / Terror
Fonte: Boa, com espaçamentos adequados.
Papel do miolo: Luxcream 70 g/m (gostoso de ler e desfolhar)
Papel da capa: Cartão Supremo 250 g/m


Olá turminha boa de leitura, você conhece um dos grandes escritores nacionais de terror e fantasia? Não? Então comece agora, pois Estrela da Manhã é o seu 15° romance e o 1° livro do seu Selo Calíope, um antigo sonho que tornou-se realidade através de muito trabalho e dedicação. Parabéns André!

A capa é intensa, já mostrando que mais uma vez iria ler um enredo do André Vianco e não iria me arrepender, pois o trabalho do Christian Pinkovai foi muito bem elaborado apresentando o que iria encontrar dentro do livro. Na parte da frente da capa um jovem em frente ao computador em uma busca alucinante, e logo atrás, um demônio. Horripilante! Na parte de trás do livro um garoto amedrontado sentado no chão em um corredor parcialmente escuro.

Todos prontos?

Não fale com estranhos e se falar não conte os seus desejos, pois, você poderá se arrepender e aí provavelmente será tarde demais!

Rafael, aos cinco anos de idade viu o seu maior companheiro e defensor, seu pai, morrer. A partir de então tudo perdeu a cor e seus dias tornaram-se penoso, pois ele sentia-se sozinho e desprotegido.
Agora com onze anos, passava por uma fase muito difícil da sua vida, pois sua mãe Vera se via sozinha com sua luta diária para cuidar dos seus dois filhos, e não tinha tempo e nem paciência para ouvir os lamentos de Rafael. Beto seu irmão mais velho era egoísta e só olhava para o seu próprio umbigo e também não tinha tempo para as lamurias daquele garoto magrelo e chorão. Rafael se via desesperado e desamparado, pois ele era perseguido por um grupo de garotos da escola e seu líder Maguila (Fábio Eduardo) era o mais cruel e ele era a causa de tanto sofrimento. O que Maguila mais gostava era espanca-lo e subjugá-lo, tinha um prazer louco em humilha-lo, e isso era uma constante. Para Rafael o pior dos seus martírios era estar onde esses garotos estivessem e a tortura física e psicológica era terrível e entre socos e pontapés existia Renata, o ombro amigo de todas as horas, pois sempre que via qualquer atitude do grupo saia em defesa do amigo. Apesar de toda truculência que Rafael era acometido ele acreditava na boa conversa, pois ele era totalmente contra a violência e sabia que violência gera violência e que poderia ter outra maneira de acabar com as agressões diárias. Mas os dias passavam e nenhuma providência era tomada contra as investidas de Maguila, porque sua mãe Dona Beatriz era uma pessoa importante na cidade, ela era propriedade de uma clínica estética, portanto presenteava a Diretora e as professoras da escola com cupons de cortesia, então ninguém fazia nada contra o Maguila. O suborno corria solto e por mal dos pecados a mãe de Rafael era funcionária de Dona Beatriz, logo não batia de frente com a patroa por medo de perder o emprego. Cansado e sozinho Rafael buscava ajuda no ocultismo para encontrar uma forma de se comunicar com o pai morto para poder ajuda-lo e protege-lo!
Tudo tem um limite e Rafael já estava à beira de um ataque histérico de tanto abuso desmedido, o sofrimento era tanto que ele começou a imaginar alguém dando uma surra no Maguila, pois o que ele queria agora era “Vingança” e tudo que ele mais precisava era segurança, alguém que fizesse algo por ele, que desse um basta naquela situação e foi através de buscas na internet, em um aplicativo, que aquele garoto acreditou ter encontrado o fim de suas humilhações, ele viu nesse recurso a sua salvação.
Rafael poderia ter um guardião e o que ele precisaria era dar um click naquele botão e tudo estaria resolvido, alguém o ajudaria, o protegeria. Só que o seu guardião não era um segurança convencional, nem um gênio da lâmpada ele era um demônio!
Mas tudo na vida tem um preço e será que esse jovem desprotegido pagaria o preço? O que dizer de você ter um demônio a seu bel prazer para fazer tudo que você não tem coragem de fazer por 7 dias, isso é maravilhoso! Ou não?
Agora os dias seriam diferentes, pois ninguém mais iria trata-lo com tanta crueldade, pois agora ele seria protegido, ele seria o dono de um demônio do “Estrela da Manhã”. Mas ele teria que tomar cuidado, pois o ódio e a vingança poderiam ir longe demais, pois quando um garoto se vê perdido, sem ninguém para ouvi-lo para ajuda-lo ele pode procurar ajuda onde não deveria procurar, em um lugar ou com alguém.
O que Rafael não sabia era que ele poderia se arrepender, pois as coisas poderiam sair do controle e não acontecerem exatamente como ele desejou.
Um simples smartphone pode fazer mais do que simplesmente telefonar, fotografar, enviar mensagens ele pode também trazer demônios!

O medo não é real, somos nós que escolhemos se vamos senti-los ou não, portanto deve-se lutar contra.

Fique de olho!

O desespero
Um click
Um portal
Um demônio
Uma luta
Um vencedor

Um enredo envolvente, onde os personagens me prenderam não conseguia parar de ler. A cada página um calafrio, a cada calafrio um suspiro e a cada suspiro eu prendia a respiração. Um enredo com um tema atualíssimo o “Bullying” que foi mostrado de uma forma bem real misturada com o sobrenatural. Um final surpreendente magnífico.
Valeu muito ter esperado Estrela da Manhã, obrigada André por ter-nos presenteado mais uma vez com um enredo cheio de surpresas e com um Gran Finale.
Sou fã de seus trabalhos.

É isso, beijos e tchau!



site: fan page Eu Leio Sim, e Dai?
comentários(0)comente



Rafaela.Seabra 03/05/2018

Estrela da manhã
Ganhei esse livro ano passado, em meu aniversário e por estar muito ocupada acabei não o lendo. Peguei para lê-lo em abril quando estava de férias, e acabei tendo uma agradável surpresa! Li metade em apenas um dia e confesso que em boa parte do começo da história achei o livro bastante "infanto juvenil" e me pareceu história de sessão da tarde, mesmo assim me prendeu, pois queria chegar logo às mortes. Foi aí que o livro ficou ainda mais interessante! E nos momentos que, por um motivo ou outro eu não conseguia ler o livro, ficava pensando o que viria depois, o que aconteceria no capítulo seguinte. Ao ler as últimas páginas do livro de madrugada acabei deixando a leitura por causa da tensão, essa parte realmente me deu medo (rsrsrs) e precisei deixar o para terminar o livro pela manhã, com a luz do sol afastando o temível "Estrela da Manhã" das sombras da minha casa. Enfim, não deixem de ler o livro por acharem infantil ou algo do tipo, realmente vale a pena e eu indico muito. Um dos melhores presentes de aniversário que já ganhei!
comentários(0)comente



Kelen 27/09/2016

Menino solitário, sofre violência de colega na escola e como não recebe apoio em casa, procura ajuda nas forças ocultas, mas as coisas não saem exatamente como ele desejava.
Bom livro, de fácil leitura. Recomendo.
Leitor Nato 27/09/2016minha estante
E assim nasceu death note... Kkk




Thiago.Alves 07/07/2018

Péssima história.
Mal escrito, gírias forçadas, enredo fraco, infelizmente André Vianco errou nessa história.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gramatura Alta 17/04/2017

Terror juvenil
Embora a sinopse de ESTRELA DA MANHÃ descreva uma história de terror, o que você encontra na leitura é algo um pouco diferente. Realmente existem rituais, demônios e mortes, mas com uma roupagem totalmente infantil (não pejorativamente), que assemelha a história com um episódio de SUPERNATURAL, ou algum daqueles filmes antigos de adolescentes que passam na televisão de tarde.

Na verdade, é complicado definir a faixa etária do público alvo de ESTRELA DA MANHÃ. Ele pode afastar as crianças, por causa das mortes pesadas de alguns personagens, e pode afastar os adolescentes, pela necessidade de uma enorme crença na forma como o autor aborda o contato de Rafael, nosso protagonista de onze anos de idade, com o mundo do além. Ou o inverso, e agradar.

Rafael, para conseguir se livrar de um garoto de quem sofre bullyng diário, descobre um aplicativo para celular chamado Pé na Tumba, que oferece vários demônios de aluguel para resolverem os problemas do cliente. Para contratar o serviço, basta a pessoa realizar o pagamento com um cartão de crédito, aceitar o contrato, e a criatura é enviada pelo celular. Um desses demônios, o Estrela da Manhã, tem a função de proteger uma pessoa de sete pessoas durante sete dias.

Assim, Rafael usa o cartão do irmão mais velho, aluga Estrela da Morte, e entrega para o demônio o nome de seis pessoas que o tratavam mal, como o garoto do bullyng e a sua professora, ou que não lhe davam atenção, como a sua mãe e o seu irmão. Só que no primeiro dia, a primeira pessoa morre. E depois, a segunda. Logo, Rafael percebe o tipo de proteção que Estrela da Manhã oferece, é uma proteção bem definitiva. O garoto começa, então, a correr contra o tempo para tentar anular o contrato e salvar as pessoas que ainda restam da lista que passou para o demônio.

Rafael e Renata, a menina que gosta dele, e de quem ele gosta, são opostos em termos de coragem e esperteza. Ela apresenta para ele as respostas corretas para a situação do bullyng, mas o garoto, por covardia, não aceita e passa a buscar a solução menos óbvia. Algumas atitudes dos dois vão além do que uma criança de onze anos faria, ou pensaria, mas isso não chega a atrapalhar a leitura, ou a veracidade dos personagens.

A mesma coisa em relação ao irmão mais velho, Beto, e a namorada, Darla. Eles são o casal mais velho que, aos poucos, descobrem o que está acontecendo, reconhecem as próprias falhas pela falta que fazem ao Rafael, e acabam entrando na aventura para ajudarem o casal mais jovem a destruir Estrela da Manhã. Por essa união, entre crianças e adolescentes, contra forças sobrenaturais, que acontece a similaridade com os filmes de aventura dos anos oitenta. E isso é ótimo!

Toda o contato e controle do demônio é feito pelo celular, de forma bem semelhante aos aplicativos que nós usamos diariamente. Isso não é um defeito. Eu mesmo achei divertido o autor usar algo tão presente nas nossas vidas como uma forma de controle das criaturas vindas do inferno. O leitor pode até considerar isso uma crítica à quantidade de serviços oferecidos pelos aplicativos, pela Internet e redes sociais.

Existem outras críticas leves no enredo, com o próprio bullyng, a falta de atenção familiar e a solidão, além das mensagens morais, como a força interior que surge nos piores momentos, o aprendizado através dos erros, o arrependimento quando as faltas são compreendidas. Mas tudo isso é feito de forma muito sútil, sem muito aprofundamento. E isso, novamente, não é um defeito, uma vez que essa não é a proposta do livro.

A proposta de ESTRELA DA MANHÃ é, principalmente, divertir, sem compromisso, com algumas mensagens como brinde. E isso, a obra consegue, mas para um público que consiga aceitar a ideia do celular como forma de contato com o além, e não se incomodar com as mortes sangrentas da maioria dos personagens. Para quem aprecia uma boa aventura, com pequenas doses de terror, e tenha liberdade criativa, é uma ótima pedida. Para quem não tem assim tanta criatividade, bem, sugiro que exercite esse lado do cérebro, porque sonhar, mesmo com o absurdo, é sempre gostoso.

site: http://www.gettub.com.br/2017/04/estrela-da-manha.html
comentários(0)comente



Elis 29/12/2015

Muitos sabem que sou fã do André Vianco, depois de ter lido "Os Sete" (vou reler em 2016 e trazer análise para vocês), acabei adquirindo tudo que o autor escreve. Minha amiga Rose do blog Fábrica dos Convites, me presenteou neste natal com "Estrela da Manhã", estava quase comprando quando recebi o exemplar. Fiquei super, mega, hiper feliz. Já agradeci várias vezes, mas não custa mais uma né? Obrigada!

Eu ia colocá-lo na estante, pois meu irmão mais velho acaba lendo todos livros do autor que eu compro, antes de mim, porque a blogueira aqui tem centenas para ler. Mas por acaso dessa vez, resolvi que ia dar uma espiadinha antes de entregá-lo ao meu irmão. Então, notaram o que aconteceu, certo? Li a obra toda.

Aqui temos Rafael um adolescente com sérios problemas, que são deixados de lado, por causa de interesses e medo. E quando deixamos o medo nos dominar, ele sabe fazer isso perfeitamente. Fiquei irada com as pessoas que viam as injustiças e pouco faziam e quem mais devia cuidar de Rafael, fazia pouco caso. Feliz de lembrar que minha mãe fazia o maior barraco para nos proteger, se estivéssemos certos. E dava uma surra se estivéssemos errados. Obrigada mãe, por tudo.

Como a capa e a sinopse entregam, nosso personagem principal vai listar nomes de pessoas que o atormentam e incomodam para que seu "espírito protetor" os assuste, assim aprendendo a deixá-lo em paz quando ele pedir. Porém brincar com o oculto pode ter sérias consequências, as pessoas de sua lista irão sendo eliminadas, pois um espírito se alimenta de almas.

A maneira como Rafael pede ajuda e apronta para conseguir é realmente juvenil, no entanto quem não teve problemas de perseguição algum dia da vida para julgá-lo. Quem na fase aborrecente, não daria alguns nomes para ficar em paz. Eu percebi que haveria arrependimentos, que a leitura era juvenil, mas o modo de escrita do André Vianco, vai te prendendo, que mesmo se ficar um pouco enrolado, para saber o que vai acontecer, não conseguimos largar. Infelizmente encontrei alguns erros gramaticais e ortográficos, mas nada que atrapalhe o entendimento da leitura, porém editora...mais atenção.

Se você está na adolescência irá curtir a leitura, agora para os adultos, se ainda não leram nada dele, recomendo começar por outro livro do autor como "A Casa" ou mesmo, "Os Sete", pois se gostar desses com certeza verá com outros olhos qualquer leitura do escritor. Agora para os fãs, não percam essas páginas.

site: http://amagiareal.blogspot.com.br/2015/12/estrela-da-manha-andre-vianco.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ingrid.Oliveira 04/09/2018

Eu tenho um caso de amor com o Vianco. Foi o primeiro autor brasileiro que me marcou. Li os livros dele na adolescência e comprei todos para reler. É, eu tenho esperança que um dia vai rolar.

A primeira coisa que vc precisa saber sobre esse livro: ele é infantil.
Não deveria, talvez, mas é.
Aborda assuntos como bullying, displicência dos pais na criação dos filhos (não estou falando em motivos), vistas grossas por parte da escola, enfim, assuntos que a gente sabe que alguns adolescentes precisam lidar.

Então não é um livro convencional do Vianco, mas cumpre bem seu papel. Achei a leitura legal e li o livro em um dia.

O lance é não esperar um livro convencional do Vianco, senão vc vai se frustrar.

Aos que não tem paciência com literatura jovem, deixo a dica: pula esse e vai para o próximo.
comentários(0)comente



Marcos 30/04/2016

Por gostar de fantasia, terror e literatura nacional contemporânea, tinha vontade de conhecer a escrita do André Vianco. Então, quando surgiu a chance de ler Estrela da Manhã, não deixei passar. Era a chance de desbravar mais um autor nacional tão conhecido. Após a leitura, certamente vou querer outros livros do autor, apesar dessa obra não ter sido bem o que eu esperava.

A trama tem como foco Rafael. Ele é um garoto que perdeu o pai muito cedo e que sente demasiadamente a sua falta. Para piorar, o menino está tendo problemas na escola. Ele vem sofrendo bullying de um valentão, o Maguila. Rafael, diante desse problema, não consegue apoio em casa e nem na escola; o motivo é simples: a família de Maguila é rica e ninguém quer ter problemas com ela.

Rafael acredita que, se seu pai estivesse vivo, nada disso aconteceria. Então, ele começa a procurar uma forma de entrar em contato com seu progenitor. A forma encontrada é o ocultismo. Porém, ao tentar achar o pai, acaba entrando em contato com outro algo que lhe oferece proteção. Inocentemente, o garoto aceita a ajuda; então, seus problemas começam. Quando a primeira pessoa da lista que Rafael ofereceu ao ser falece, ele percebe que estava mexendo com algo além da sua compreensão.

O frio penetrante foi se desvanecendo, levado pela assombração para onde quer que ele tivesse ido. Rafael sentou-se no sofá da sala e abaixou a cabeça, amparando a testa com as mãos. Queria abrir os olhos e acordar daquele pesadelo (p. 84).

Partindo dessa premissa, Vianco cria um livro envolvente, mas não muito original. A ideia de espíritos e demônios enganando humanos é mais do que comum. Porém, isso não estraga o envolvimento com a obra, principalmente se o leitor for jovem. Mesmo sabendo o que vai acontecer, como a escrita do autor é ágil e os personagens são cativantes, acabamos nos deixando levar por uma leitura prazerosa.

Outro aspecto que pode ser interessante para leitores mais jovens é a apresentação de problemas cotidianos enfrentados nessa idade. Aqui temos o bullying, agressão, problemas de relacionamento familiar e dificuldades escolares. Ter a possibilidade de reconhecer parte dos seus problemas em um protagonista é essencial para que os mais jovens se deixem levar pelo universo literário. Nesse quesito, tenho que parabenizar o autor pelo excelente trabalho.

Por outro lado, tenho que fazer uma enorme ressalva: diferente de muitos livros juvenis que também encantam os adultos, Estrela da Manhã frustrará os leitores mais maduros. Os motivos são: prender-se apenas ao básico do básico do ocultismo; repetir clichês bobos e nada convincentes do gênero; falta de coerência em algumas atitudes, o que só um leitor mais maduro vai perceber e, por fim, trapacear no nome da obra. Afinal, se você for um leitor mais experiente no terror e estiver esperando um aparecimento fenomenal da Estrela da Manhã, certamente sairá decepcionado.

Meia-noite. Seu fantasma está ativo para mais um dia de proteção (p. 110).

Quanto à parte física, não há o que reclamar. A capa está bela, sombria e reflete bem o espírito da obra. A diagramação, por sua vez, está bem simples, mas confortável, propiciando uma boa leitura. Quanto à revisão, encontrei um problema ou outro, mas nada que atrapalhe a compreensão do texto.

Em suma, Estrela da Manhã é um livro leve, envolvente e excelente para crianças e adolescentes que gostam de um bom terror. Adultos, por sua vez, provavelmente sairão frustrados, mas deve-se levar em consideração que eles não são o público alvo. Se você não se importa com um clichê ou outro e gosta de livros leves, tem tudo para gostar dessa obra.

site: http://www.desbravadordemundos.com.br/2016/04/resenha-estrela-da-manha.html
Naty 01/05/2016minha estante
Um dos livros que queria ter lido esse ano e ainda não tive tempo n_n'''


Marcos 02/05/2016minha estante
É um livro legal se você estiver esperando um juvenil, Naty. Se você quiser um livro adulto, não é tão legal assim.
Se você o ler, me diga o que achou.


Naty 05/05/2016minha estante
Pode deixar.


Jon 10/05/2016minha estante
leiam Bento !




Bruno 13/01/2016

Li, curti, não empresto e recomendo
Rafael é um garoto de 11 anos que sofre bullying na escola por Fábio Eduardo, apelido Maguila, tem uma mãe ausente e que finge não perceber o sofrimento do filho pelo fato de ela ser funcionária da mãe do Maguila e ter medo perder o emprego, e um irmão mais velho escroto que além de não dar atenção ao garoto, é um ignorante babaca.

A professora e diretora também são “cúmplices” nas desventuras do pobre Rafael.

A mãe de Maguila adora presentear as funcionárias da escola com vales da clínica de estética que é dona, assim dando abertura pra Maguila fazer o que quiser, deixando a vida de Rafael um verdadeiro inferno.

O garoto, que ficara órfão de seu pai quando mais novo tenta desesperadamente falar com seu ente querido, buscando informações sobre o obscuro na Deep Web, que por sinal consegue!

Aí a porra fica séria.

Após as tentativas do garoto, quem responde ele não é o pai, mas sim uma criatura chamada Estrela da Manhã, que pede para ele dar 7 nomes das pessoas que azucrinam sua vida e promete protege-lo por 7 dias.
Rafael da o nome da professora e outros, incluindo é claro, o Maguila...

No outro dia a notícia que corre na escola é a estranha morte da diretora. Alguns alunos comentam que ela se matou, que se jogou do terraço da escola. Aí Rafael percebe o que ele fez, que a tal “ajuda” do fantasma vai muito mais além do que uma simples proteção...

O garoto tem que correr contra o tempo pra salvar as pessoas que ele mesmo condenou ao inferno... #AiMinhaNossa

Numa linguagem moderna e narrativa fluída, Estrela da Manhã de André Vianco nos prende do início ao fim, mostrando que artefatos simples podem se tornar armas letais contra quaisquer inimigos, sejam eles desse ou de outros mundos e que mesmo quando nos deparamos num verdadeiro mar de sofrimento, teremos sempre alguém ao nosso lado nos apoiando...

Plus: Narrativa fluída e linguagem moderna, com direito ao internetês nosso de cada dia, nos fazendo identificar com vários momentos da trama \o/

Plus 2: Os momentos de tensão e algumas surpresas em certas cenas nos fazem prender a respiração querendo saber logo o que acontece no próximo e no outro capítulo...

Plus 3: Christian Pinkovai a capa ta top! Parabéns

Li, curti, não empresto e recomendo :)
comentários(0)comente



@injoyce_ 10/06/2018

Estrela da Manhã
Rafael um garoto de 11 anos, faz de tudo para se comunicar com seu pai morto, por não aguentar mais ser injustiçado, através de um contato com seu tabuleiro Ouija, ele consegue descobrir um aplicativo que pode terminar de vez com sua angustia da vida, ou faze-la piorar.

Através da era digital, Rafael consegue invocar um guardião, não sabe ele, que seu guardião “Estrela da manhã” quer mais que assustar as pessoas que o perturbam.

O único erro do Vianco, foi ele colocar uma criança de 11 anos como protagonista. A idade é muito absurda para se fazer tudo que Rafael faz, poderia ter colocado uma idade mais madura.

O que mais me chamou atenção na leitura é que, mesmo o “Tinhoso” ter sido invocado ao tradicional, também envolver o digital, então o bicho só pode ser forte se tiver no local com rede suficiente.

Analisei muitas resenhas negativas do livro, porém, achei muito bacana. Uma dica para você leitor: “Mesmo que todo mundo ache um livro ruim, se está com vontade de ler, leia, pois cabe apenas você decidir o que é legal ou não, cabe a sua imaginação e a maneira que ver as coisas.
comentários(0)comente



27 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2