Diário De Um Zumbi Do Minecraft

Diário De Um Zumbi Do Minecraft Herobrine Books




Resenhas - Diário De Um Zumbi Do Minecraft - Trocando De Corpo


11 encontrados | exibindo 1 a 11


spoiler visualizar
comentários(0)comente



@montowskihelena 09/05/2020

Quase dei quatro estrelas mas fiquei tão impressionada com o final que eu decidi dar quatro estrelas e meia.
No começo eu achei divertidinho apesar de ter me irritado um pouco pelo zumbi ser tão burro e desajeitado.Mas fiquei impressionada e até um pouco orgulhosa pela lição que o livro deixa no final.Achei que ia ser apenas mais um volume com uma histórinha legalzinha,em que o zumbi è muito idiota como sempre.
Preciso urgentemente fazer a minha irmã ler esta história.
comentários(0)comente



Natasha 21/05/2020

Leitura fácil para crianças
Costumo ler os livros antes de dar para meu sobrinho ler, achei a história legal, deve ser engraçada para crianças e tem leitura tranquila. Não achei nada que impeça a leitura por crianças.
comentários(0)comente



Tectonic 05/07/2020

Eu acabei perdendo meu tempo mesmo que eu tenha lido em uma hora,o livro não te prende porque ele e muito desinteresante,os personagens não são carismaticos e a historia e curta demais,no geral o livro não e bom
comentários(0)comente



rafazaakar 21/01/2016

ZaaKar.com Resenha - Diário de um zumbi de Minecraft #4
Cuidado, pode ter alguns Spoilers!!! Mas leia mesmo assim!

Sinopse: "A vida de um HUMANO no ensino fundamental não é nada fácil.
Humano?!? Não, você não leu errado. O zumbi de Minecraft está de volta... só não é mais um zumbi! Depois da confusão com a esmeralda do desejo, Steve e ele trocaram de corpos! E até conseguirem a cura do problema, um vai ter que se passar pelo outro durante algumas semanas.
Como nosso (ex-)zumbi lidará com o dia a dia de uma escola de humanos? E como vai sobreviver à experiência do seu primeiro... argh... banho?
Sem Esquely, Slimey, Creepy ou Sally Cadáver ao seu lado, nosso herói precisará da ajuda de Alex, uma nova amiga que vai ensiná-lo a ser um humano popular e a sair ileso de uma competição escolar perigosíssima!
UM NOVO CORPO E UM NOVO NARIZ, MAS OS MESMOS SUSTOS E A MESMA DIVERSÃO!".

***

Para quem não conhece, Minecraft é um jogo eletrônico do tipo sandbox e independente de mundo aberto, que permite a construção usando blocos (cubos) dos quais o mundo é feito. Foi criado por Markus "Notch" Persson e o seu desenvolvimento começou por volta do ano de 2009. O jogo foi vencedor do prêmio VGA 2011 de jogos independente. O jogo é basicamente feito de blocos, tendo as paisagens e a maioria de seus objetos compostos por eles, e permitindo que estes sejam removidos e recolocados em outros lugares para criar construções, empilhando-os. Além da mecânica de mineração e coleta de recursos para construção, há no jogo mistura de sobrevivência e exploração.
Ele nada mais é que uma ferramenta criativa. Não há forma de vencer em Minecraft, uma vez que não há objetivos nem enredo dramático que necessite ser seguido. Os jogadores passam a maior parte de seu tempo simplesmente minerando e construindo blocos de material virtual, daí o nome do jogo. Uma vez que os jogadores tenham coletado e construído um inventário suficiente de recursos, eles usam estas aquisições virtuais para conceber casas e paisagens, muitas vezes construindo todos os tipos de estruturas de blocos.

“- Zumbi, o importante não é quem você é do lado de fora, mas quem você é do lado de dentro”.

Dessa vez o nosso amigo Zumbi adolescente realmente se meteu em uma enrascada. Depois de trocar de corpo com seu amigo humano, Steve, no bioma do Pântano, nosso amigo vai ter que se adaptar a vida de Steve. Ele acho que seria só minerar diamantes e socar árvores, talvez até derrubar uma vaca e tal, mas não é só isso não.
Em sua vida de humano, Steve também vai para a escola, e diferentemente do que ele pensava, os humanos não são nem um pouco normais. Tomam banho todo dia, escovam os dentes, comem comidas nojentas, tipo mingau e na escola nem se fala. São todos diferentes e andam em grupos separados. Não se falam entre si, conversam apenas com que se parece com eles. Vai entender.
Ele precisa aguentar apenas mais duas semanas, até a lua cheia, quando a Bruxa voltara para o pântano e poderá desfazer o feitiço que a esmeralda do desejo. Será que ele aguenta tudo isso? Sua missão nesse tempo é: se comportar como um humano normal.

“Tentei fazer uma coleção de meleca aqui, igual a que tenho em casa, mas os aldeões acharam nojento e jogaram fora. Fiquei superchateado. É bem prático ter uma coleção dessas quando dá fome à noite”.

O zumbi agora está por conta própria em um mundo em que ele nunca viu de perto. Como se usa o shampoo? A pasta de dente? A escova de Banho? Na verdade, pra que que serve o banho? Ele sofre bastante para entender um monte de coisa. Para ajuda-lo, Steve pede que Alex o ponha a par de tudo no mundo humano, mas ainda assim não era a mesma coisa que ter amigos. Ele não podia conversar com ninguém já que parecia que a escola toda, assim como a aldeia também, olhava para ele com uma cara estranha.
Em contraponto Steve havia conseguido, em incríveis uma semana, se tornar o Zumbi mais popular da escola. Até um Baile ele organizou e colocou a montraiada para dançar. Isso era incrível. Até parecia que ninguém sentia a falta do antigo Zumbi. Nem mesmo sua família.
Esse volume, dos outros três, é o mais interessante. Mostra esse choque de “culturas” e toca em pontos bem crucias e simples, como a diversidade. Mostra que a diferença entre as pessoas é normal e é isso que as torna especiais. Isso além de explicitar que o que importa é o que você tem por dentro, quem você realmente é, e não aquilo que aparentava por dentro.
Além disso nos deparamos com uma realidade dos jogos: quando você morre, imediatamente você acorda na sua cama e volta a viver de novo. Lógico, você perde tudo o que você conquistou até o momento, mas ainda assim, você volta. Eles conseguem colocar um enredo, uma trama, por mais simples que seja, entranhada com a realidade do jogo, e isso é muito divertido.
Isso por que não falei da referência feita aos Jogos Vorazes. Eu realmente ri muito. Tem tudo, a árvore em que a Katniss sobe, o arco, o nome, as mortes... É bem engraçado. Uma leitura bem descontraída. Vale a pena investir!
06/55

site: http://zaakarcom.blogspot.com/2016/02/resenha-diario-de-um-zumbi-de-minecraft.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



MiCandeloro 09/03/2016

Bem humorado e cheio de lições!
ATENÇÃO, esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores. Leiam por sua conta e risco!

Depois de Steve utilizar a poderosa esmeralda do desejo, ele e Zumbi trocaram de corpo, causando um alvoroço entre os seus amigos. Por mais que Zumbi sempre tenha imaginado como seria bom viver entre os humanos, agora ele estava realmente apavorado com a ideia que teria que se cumprir ao menos nas próximas duas semanas, até a bruxa do pântano voltar à sua casa e reverter a magia feita.

Diferentemente de Steve, que estava tirando a maior onda como zumbi, Zumbi não estava se saindo bem como humano. Com dificuldades para se enturmar e se ambientar numa vida completamente diferente da dele, não entendia como podia ser divertido ter pele pelo corpo todo, sem nenhum buraco ou órgãos saindo por tudo o que é lado; tomar banho e, principalmente ir à escola, que parecia ser um ambiente hostil de verdade.

Mas se Zumbi já não estava gostando de ser Steve, as coisas ainda podiam piorar. Em breve, iria ocorrer o Torneio PVP de Disputa Mortal de Jogos Vorazes, um evento anual muito esperado pelos alunos, em que todos se matavam e o que sobrevivesse era declarado o grande vencedor. Como Zumbi ia dar jeito de se defender contra tantos humanos cortadores de cabeças?

Sua única chance seria fazer novos amigos e encarar mais esse desafio com muita coragem. Será que ele conseguirá não ser morto nos primeiros minutos da competição?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Trocando de corpo inicia praticamente após o final do volume anterior: Férias do Terror. Seguindo o mesmo padrão das outras edições, como a escrita em primeira pessoa em formato de diário, a capa dura e as ilustrações contidas no texto, nessa história, acompanhamos Zumbi em sua vida de "humano".

Nunca ri tanto com as diversas trivialidades enfrentadas por ele. Quem poderia imaginar que tomar banho fosse uma tarefa assim tão difícil? Pior ainda foi ter que se enturmar com tantos alunos diferentes e meio esnobes, como os que ele conheceu no colégio de Steve. Zumbi não entendia como Steve conseguiu, tão rapidamente, o que ele tentou por 12 anos e falhou: se tornar popular na Escola Monstro, e ele se ressentia com o amigo por conta disso.

Para mostrar que também era capaz do mesmo feito, Zumbi fez de tudo para se encaixar na vida de humano e impressionar os outros estudantes, mas só conseguiu se dar mal, como sempre, abalando a reputação que Steve ostentava.

Como de costume, Herobrine Books se utilizou desse panorama para trabalhar com outras lições, como faz em todos os seus livros. Em Trocando de corpo, ele nos mostrou que não adianta vivermos uma vida que não nos pertence, que não vale a pena fingirmos, seja para nós mesmos ou para os outros, apenas para agradar ou para que alguém goste de nós, atitudes constantemente tomadas por Zumbi, seja como zumbi ou como humano.

Por meio de Steve, o autor frisou que o mais importante não é se enturmar, mas se importar com os nossos amigos, e Herobrine ilustrou muito bem essa mensagem em algumas cenas emocionantes ao final da obra.

Ademais, Zumbi entendeu que nem sempre a grama do vizinho é mais verde que a nossa, como ele a todo momento imaginava, e se deu conta de que a sua vida não era nem tão chata e nem tão difícil como ele dizia ser.

E é claro que o escritor tinha que dar aquela alfinetada na trama, a respeito das incompreensões acerca da nossa sociedade mesquinha e egoísta, ao inserir uma situação em que Zumbi foi minerar diamantes com a classe e notou a ansiedade de todos para pegarem o maior número de diamantes para si e perguntou: "Por que os diamantes não são divididos com todo mundo? Tem diamantes suficientes nas cavernas para distribuir." Também queria saber essa resposta, meu querido!

Divertido, inteligente e cheio de críticas magistralmente inseridas no enredo, Diário de um zumbi do Minecraft: Trocando de corpo arrasou, novamente! Super recomendo para todos os pequenos e para aqueles que são fãs do jogo mais viciante de todos os tempos.

site: http://www.recantodami.com
comentários(0)comente



Danilo.Estrela 21/01/2017

Livro bem legal
O livro é bom por envolver uma história de dois seres do Minecraft trocando de vida. Minha nota foi 4,5 por ter achado que faltou um pouco mais de histórias baseadas na vida real. Ele conta mais histórias Semi-Baseadas na vida real. Mas não deixa de ser um ótimo livro.
comentários(0)comente



Paulascrap 21/05/2017

Interessante
Embora seja nojento aquele monte de larvas e melecas descritos no livro a trama prende a atenção das crianças, a vida do zumbis e suas peculiaridades diverte e surpreende o leitor em uma leitura rápida que ensina os pequenos o valor da amizade e como devemos respeitar as diferenças e valorizar o interior de cada um ao invés das aparências.
comentários(0)comente



Isadora 06/06/2018

Zumbi e Stive, trocam de corpo porque... Sem spoiler! ;D Mais pra desfazer a troca de corpo que fizeram, vão ter de ir até a casa da bruxa a meia noite e... Puf! Magia acontece. A história desse volume é essa, será que conciguirão desfazer a troca? Vamos ver... Ou... Vamos ler! Boa leitura, até! :D
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11