A Sereia

A Sereia Kiera Cass




Resenhas - A Sereia


270 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Kate 30/07/2017

Uma gracinha !!
Leitura facil e eu adoreei esse livro, tem uma vibe bem estilo praia e cada detalhe torna o livro cada vez mais apaixonante. É uma leitura muito gostosa e delicada
comentários(0)comente



Dayane.Nascimento 20/07/2017

Que livro incrível
Nao sou boa de fazer resenhas, mas esse livro é tao incrível. Kahlen é uma menina tão maravilhosa, com tanto sentimento de cjlpa, da vontade de pegar ela e guarda em um potinho e tirar toda dor de cima dela. Ja o Akinli é um menino cheio de luz, que faz qualquer leitor se apaixonar por ele. Achei o livro maravilhoso, entro pra minha lista de favoritos porq ele fala de um amor tao verdadeiro que faz vc ter vontade de amar alguém da mesma forma. É perfeito pra mim, alem disso as irmãs sereias sao tao maravilhosas que eu queria fazer parte dessa irmandade. E com certeza nunca mais olharei o mar da mesma forma kkkkkkk
Driih (@dinbookerland) 20/07/2017minha estante
Tô doida pro meu chegar! Li os dois primeiros capítulos em ebook e comprei pela Amazon... Prende demais a história e já adorei a Kahlen e o Akinli!


Dayane.Nascimento 20/07/2017minha estante
Vc vai adora, eu adorei, chorei muito tbm kkkkkk, mas é maravilhoso, e eu tbm amei as outras sereias, queria elas pra vida




Djulyan 18/07/2017

Trovatina Literária: A Sereia
Kiera Cass se tornou conhecida após a trilogia A Seleção, que conta a história da jovem América e do príncipe Maxon e que conquistou uma legião de fãs. Mas antes disso, Kiera escreveu seu primeiro livro: A Sereia, que só em 2016 foi lançado com uma linda capa que segue o padrão dos livros da autora.

Neste livro, ela recriou o mito das sereias por uma perspectiva completamente nova. Tudo começa com a Água, uma entidade suprema, quase como um Deus – ou como o próprio demônio – que é a provedora de toda a vida e que tem uma fome devastadora, também, pela vida. Mas para que isso funcione a Água precisa de servas leais: e é ai que entram as magnificas sereias.

Elas são moças normais (que viveram em diferentes épocas) e que em algum momento, por razões diferentes, caíram no mar e estavam prestes a se afogar, mas rogaram por suas vidas. Então, a Água lhes oferece uma troca: ela devolve a vida, lhes dá uma nova chance, só que antes disso as moças precisam ser suas servas pelo período de cem anos. Quando a oferta é aceita as jovens tornam-se imortais, todas as suas doenças e machucados são curados, elas transformam-se em seres belos e inatingíveis que nunca envelhecem. E não ficam limitadas ao mar, podem sair dele, morar em casas comuns, caminhar entre as pessoas e ter uma vida aparentemente normal.

Porém, sua voz é fatal. Kiera explorou muito bem essa parte do mito, que diz que as canções das sereias eram ouvidas de longe e atraiam pessoas para se afogarem no mar. Isso acontece, é assim que saciam a fome da Água, elas cantam e pessoas são atraídas para a morte, navios enormes afundam, tudo vira ruinas. E além disso, não podem conversar fora do mar, pois até o som de sua voz poderia fazer com que alguém morresse.

Essa condição nunca foi bem aceita por Kahlen, uma das sereias mais antigas e também a mais sensível, pois ela é atormentada constantemente pelas mortes que causa. Fica revivendo e sofrendo com isso. Se considera um monstro, tanto que é a única que não vê motivo para ansiar por uma vida humana após o período de cem anos. Enquanto as outras sereias sonham em viver normalmente, ter uma profissão, se apaixonar e viver um grande amor... Kahlen se acha incapaz de sentir tais emoções, acha que nem sequer merece.

Mas tudo muda quando conhece Akinli, um jovem inteligente, engraçado, carinhoso e gentil; que se encanta por ela, acha uma forma de se comunicarem (apesar dela não poder falar) e, em pouco tempo, consegue estabelecer um vinculo que ela nunca imaginou ter com ninguém.

Porém Kahlen sabe que independente de qualquer tentativa a relação de ambos é impossível e perigosa. Ainda faltam vinte anos para que ela seja liberta e vire humana outra vez, até lá é um ser que não envelhece e que jamais poderá ter uma vida normal ao lado de Akinli. Além disso, se por acaso falar algo sem querer pode colocar a vida dele em perigo. E se a Água descobrir estará tudo perdido... para os dois.

Kiera Cass não é conhecida por se aprofundar em mitos ou por dar profundas explicações, então descarte a ideia de achar isso aqui. Por outro lado, ela sabe expressar sentimentos como ninguém e é ótima com interações sociais. O vínculo de amor e amizade entre as sereias (que se consideram irmãs) é algo extremamente tocante. E a forma como vamos entendendo a Água através de Kahlen é algo inesperado e lindo ao mesmo tempo.

Akinli é um personagem que encanta toda vez em que aparece, com poucas linhas nós nos apegamos a ele e o adoramos. Mas infelizmente, ele aparece bem pouco (considerando que é um livro de romance). O amor-de-casal não é algo constante no livro, vemos muito mais as reflexões de Kahlen (isoladamente) do que a interação dos dois. Pra mim, esse foi o ponto fraco do livro. Mas não deixa de ser uma boa narrativa, original, que flui fácil e nos diverte em vários momentos.

site: https://www.youtube.com/channel/UCpjY9JlNpttmlJahtPbetrQ/videos
comentários(0)comente



Mary.Reis 12/07/2017

Não é uma resenha...
Queria muito ler pelo ponto de vista do Akinli saber o que ele sentiu, pensou, passou senti falta disso... :(.
O livro é bom nunca li nada da autora acho que isso foi uma vantagem não esperava nada e acabei me surpreendendo.

comentários(0)comente



Dara'h Ausperg 12/07/2017

A seria- kiera Cass
Uma garota chamada kahlen,que tem 19 anos linda e cheia de vida até um pouco solitária,mesmo tendo 3 irmas sendo que uma mora um pouco distante... depois que sua família sofre um naufrágio por causa da ÁGUA (e meio estranho mais é isso que acontece) quando ela está preste a se afoga pro causa do canto das sérias, ela pensa em tudo que ainda não vive e deseja no fundo que gostaria de vive, com isso a água lhe dá 100 anos de vida imutável, servindo a água até os 100 anos completando ela seria livre,e voltaria a ser humana de novo, só que sem memória, faltando somente 80 anos para ser livre,ela conhece akinli, um lindoooo garoto de universidade,loiro e cheio de vida, que se apaixona perdidamente, só que tem um problema, ela não pode fala, pois sua voz e morta, e também pelo fato dela não envelhece e não se ferir, ela tem que esconder a sua indentidade, se não a água lhe cardigarar.
Um livro bom, só que não foi bem desenvolvedo, no final achei um pouco corrido, tinha tanta coisa pra acontece, espera mais do livro.
comentários(0)comente



Lele 11/07/2017

Esperava mais
O livro é bom, mas não conseguiu me prender tanto quanto A seleção, é gostoso de ler, e a irmandade das sereias é algo muito lindo.
Não consegui acreditar no romance, apesar da autora tentar em vários momentos transmitir uma emoção sobre humana, essa emoção não chega ao leitor como deveria.
Mas a obra não deixa de ser muito criativa e ótima para passar o tempo.
comentários(0)comente



Camila 05/07/2017

Resenha
A Sereia é livro independente, ele foi escrito pela Kiera Cass, autora da famosa série "A Seleção".

Em A Sereia vamos conhecer Kahlen, uma adolescente de dezenove anos que é uma sereia há oitenta anos. Em uma viajem com sua família o navio onde eles estavam naufraga, mas Kahlen recebe a proposta de sereias para se salvar, a condição é que ela terá que servir a Água por cem anos e depois desse período ela voltará a sua vida normal, porém não vai lembrar dos seus cem anos como sereia...

Continuação no blog

site: http://livroseimaginacoes.blogspot.com.br/2017/07/resenha-sereia-kiera-cass.html
comentários(0)comente



Beatriz.Oliveira 22/06/2017

Resenha A Sereia
"Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, precisa usar sua voz para atrair as pessoas para se afogarem no mar. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo o que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar — pois a voz da sereia é fatal —, logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, Kahlen será obrigada a abandonar Akinli para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, ela está determinada a seguir seu coração."
É um livro legal , porém , o romance que é o maior foco do livro , não foi tão bem desenvolvido , foi algo muito corrido , não deu tempo dos leitores se apaixonarem e torcerem pelo casal. Apesar disso , a história das sereias e a convivência com a Água foi bem explicada e tive um bom entendimento dos sentimentos da protagonista em relação a ser sereia. Porém , a leitura é simples , não prende tanto , mas mesmo assim não deixa de ser bom.
comentários(0)comente



Karol 20/06/2017

A Sereia - Minhas impressões
Realmente este é um tema para mim, muito fascinante! Eu adorei a forma contemporânea que Kiera nos mostra as sereias, uma visão jamais lida ou imaginada por mim porém, a história é pouco desenvolvida desperdiçando uma infinidade oportunidades de nos fazer realmente nos importar com tema proposto.

No inicio da minha leitura estava muito empolgada com as primeiras impressões e sensações da protagonista, com o despretensioso rapaz que chega na história de maneira sutil mas, a história foi seguindo e não houve uma construção do relacionamento entre eles, não houve nenhuma situação que me fizesse parar de respirar devido alguma proximidade, aliais nem a protagonista apresenta tamanhas sensações na presença do Akinli, Nada justifica aquele amor desesperado ( Nem mesmo a explicação dada pela autora ) e é neste ponto que a história vai ficando morna, ficamos sempre esperando o ápice da história e nunca chega...

Me senti muito mais comovida com a relação da Kahlen com água do que com o casal proposto, chegando a torcer para a protagonista se entregar de vez a Água podendo nos proporcionar mais histórias dentro deste universo das quatro sereias e suas personalidades afinal, que diferença faz aquele cara na história?

Terminei agora de ler e o maior sentimento que me toma é querer reescrever tudo, preencher as lacunas e desenhar com maior riqueza de detalhes a história. Também permanece a sensação de que foi um livro escrito as pressas, ele começa muito bem e vai ficando truncado e com escrita preguiçosa em seu decorrer, perde ritmo, perde o mistério e toda sedução.

Leia a sinopse e os últimos dois capítulos, poupará seu tempo e não perderá nada de importante da história.
comentários(0)comente



AmadosLivros 20/06/2017

"Também sabia que não seria capaz de esquecê-lo. Mas era uma cruz que teria de carregar em silêncio. Silêncio. Eu já deveria estar acostumada com isso àquela altura."

Quando me deparei com o anúncio desse livro e com sua sinopse, me apaixonei e desejei muito possuí-lo e lê-lo. Não demorei muito e consegui concretizar as duas coisas. Essa capa impecável e o enredo sobre sereias me conquistaram. E ainda tinha a cereja do bolo: a autora era Kiera Cass, famosa pela série A Seleção (da qual só li o primeiro livro, devo confessar, mas gostei muito da distopia e pretendo ler os outros). Imaginei como seria toda a história de amor entre um humano e uma sereia que não podiam ficar juntos, conforme descrevia a sinopse. Apesar de clichê, eu adoro mitologia e histórias de sereias são sempre cativantes. Mas - você já devia estar esperando por esse mas rs - preciso dizer que A Sereia não é melhor que A Seleção. Aliás, não chega perto. É um livro bom.

Você precisa saber que não vai encontrar sereias iguais as que já conhecemos nas lendas por ai. São mulheres belíssimas, sim; que cantam para atrair homens (e neste caso, mulheres também) e matá-los afogados, sim; não envelhecem, sim; mas as sereias de Kiera Cass têm algumas peculiaridades. Se tornar uma sereia significa receber uma segunda chance, uma oportunidade de continuar vivendo em vez de morrer afogada no mar. Mas tudo tem um preço. Anos atrás, Kahlen, uma jovem da década de 1930, foi salva de um naufrágio pela própria Água. Porque o A é maiúsculo? Porque aqui a Água é uma entidade, que fala com as sereias e tem sentimentos. Quase uma mãe para elas. Pois bem, para pagar sua dívida com a Água, Kahlen se torna uma sereia e, durante 100 anos, precisará usar sua voz para atrair pessoas até o mar e afogá-las.


"Marilyn passou o braço pelos meus ombros, olhando na direção do naufrágio. Então, sussurrou no meu ouvido: - Você tem duas escolhas. Pode ficar conosco ou se juntar à sua mãe. Se juntar a ela. Não salvá-la."

É isso mesmo: a Água se alimenta dos seres humanos. Um naufrágio é um verdadeiro banquete. Não que Ela goste disso, e muito menos as sereias gostam de causar todo esse sofrimento, mas é um mal necessário. Além dos 100 anos como escrava/filha da Água, todas as sereias não envelhecem, não precisam comer, nem se machucam ou ficam doentes, e ainda são donas de uma beleza estonteante. Podem viver no mundo dos humanos, mas não devem falar em hipótese alguma, a não ser na hora do seu canto mortal. Ninguém deve sequer cogitar que elas são sereias. Passado os 100 anos, voltam a ser humanas sem se lembrar de nada.

Oitenta anos depois, Kahlen parece ser a sereia mais dedicada. Cumpre seu dever sem reclamar. Suas irmãs Miaka, Elizabeth e a mais recente Padma, a consideram um exemplo de disciplina a ser seguido. Mas Kahlen guarda uma culpa enorme por todas as vidas que tirou, anotando em cadernos todas as informações que consegue descobrir das pessoas que matou ao longo desses 80 anos. Não precisa dormir, mas o faz mesmo sabendo que terá pesadelos com os mortos.

"- (...) Às vezes, não sei mais pelo que vale a pena viver. Tento decorar as vidas que ajudei a tirar, mas não sei se isso me faz bem. E tento cuidar das minhas irmãs, mas acho que só isso não é o suficiente. Acho que ninguém seria capaz de existir por outra pessoa durante uma vida inteira."

Kahlen estava decidida a cumprir sua sentença a risca até conhecer Akinli, um rapaz lindo, carinhoso e gentil, que parece enxergar além de sua beleza de sereia. Apesar de se fingir de muda para ele, Akinli simplesmente ignora esse fato e faz de tudo para conseguir se comunicar com Kahlen, o que faz surgir uma conexão intensa entre os dois. Mas se apaixonar por um humano é uma infração grave às regras da Água, que se descobrir, vai obrigar a sereia a abandoná-lo. O problema é que Akinli começa a ganhar o coração de Kahlen e abandoná-lo vai ser difícil. Será que ela vai enfim desobedecer a Àgua?

"Ele era tão terno, tão aberto, tão cheio de uma alegria simples... O que eu tinha feito para chamar a atenção dele, para que ele se interessasse não só pela minha aparência, mas também pelo que eu pensava?"

Devo confessar que dei quatro corações a este livro por causa do final e dessa capa linda de morrer. Mas acho que ele merecia no máximo três. Veja bem, o livro não é ruim, pelo contrário, mas faltou algum tempero que o fizesse ser mais viciante. A leitura é fácil e fluida, o que te leva a terminar, apesar disso. Porém faltou alguma coisa. Talvez seja porque A Sereia foi o primeiro livro de Kiera Cass, anos antes de escrever A Seleção, e recentemente, depois do sucesso da série, ela resolveu republicar (tudo é explicado na carta da autora que a Editora Seguinte incluiu exclusivamente para os leitores brasileiros ♥).

Não curti muito a síndrome de Estocolmo que leva Kahlen e as outras a tratarem sua "carcereira" como uma mãe, mas era de se esperar que isso acontecesse, afinal apesar de prendê-las naquela vida de assassinatos durante 100 anos em troca da sobrevivência, a Água é super protetora e bem amorosa com as filhas (poucos momentos ela se enraivece com as garotas). Essa história de se martirizar, dormindo sem precisar sabendo que vai ter pesadelos e anotar as informações das pessoas que afogou, também são detalhes que transformam Kahlen numa protagonista muito depressiva e um pouco estúpida, daquelas que se angustiam demais e querem ajudar deus e o mundo quando na verdade quem mais precisa de ajuda são elas. Outro detalhe que não curtir muito: a forma de sereia das garotas. Não vou falar como é pra não soltar spoiler, mas pode esquecer o padrão a que estamos acostumados.

Apesar dos pesares, gostei muito da relação entre Kahlen e suas irmãs sereias, muito lindinha a forma como uma cuida das outras, praticamente "uma por todas, todas por uma". Enfim, sem mais delongas, se você nunca leu Kiera, não comece por A Sereia, vá primeiro para A Seleção. Se já conhece o trabalho da autora, não vá com muita sede ao pote pois poderá acabar engasgando com a Àgua rs. Boa leitura!


site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2016/03/livro-sereia.html
comentários(0)comente



Maris 16/06/2017

Ótimo
A história fala sobre o companheirismo enquanto adiciona fantasia com o tema das sereias e ainda conta uma história de amor, só o final que foi, em minha humilde opinião, decepcionante!
comentários(0)comente



Cecilia.Lechkiv 10/06/2017

Adoro os livros da Kiera, a escrita é simples, romântica e os personagens sempre trazem inseguranças muito reais . Nossa personagem central kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Agua ,e para pagar sua divida, a garota deve servir por 100 anos , como uma sereia, usando sua voz para atrair pessoas a se afogarem no mar.No entanto tudo muda quando kahlen conhece Akinli e passa questionar sua servidão a Agua e seguir seu coração. É uma leitura muito leve e gostosa .Em comparação com a série A Seleção achei bem menos interessante e até meio clichê, mais é uma boa leitura para esvaziar a mente sabe . È uma história muito legal para quem não está acostumado com livros muito densos.

“Comecei a fungar quando umas poucas lágrimas escaparam. Levantei a mão para afastá-las e foi então que percebi as únicas pistas deixadas por quem quer que tivesse me levado até aquela casa.”


site: https://sonholiterariosite.wordpress.com
comentários(0)comente



Beatriz (trisliteraria) 01/06/2017

RESENHA TRIS LITERÁRIA: A SEREIA
Apesar de ter sido lançado após a série A Seleção, A Sereia foi o primeiro livro da autora e ela até chegou a publicar de forma independente, entretanto, ela não era conhecida e o livro não vendeu muito. Mas após a febre de A Seleção, Kiera Cass lançou novamente o seu livro, agora por editora, e não deu outra: foi um sucesso.

Se você ainda não leu, eu vou te explicar sobre o que a história fala.

Kahlen, com dezenove anos, está numa viagem com a família, num cruzeiro, quando assite a um naufrágio. Ela percebe que mulheres muito bonitas estão cantando e encantando os homens do navio para dentro do mar, para morrerem!
"Éramos as estrelas. A música. O tempo."
No livro, a Água é uma entidade e ela dá duas opções para Kahlen: a primeira, morrer como todos os outros; a segunda, servir a Água por cem anos e depois estar liberta.

Apesar de se sentir muito confusa com a proposta, ela pensa e chega a conclusão de que não gostaria de morrer afogada e então decide, então, servir a Água.
"Ela me disse para viver. Não sabia como dizer a Ela que estar viva não é o mesmo que viver."
Se passam oitenta anos, e a Água ama Kahlen, incondicionalmente como uma filha, apesar de saber que ela está em pedaços. Kahlen é muito cuidadosa e responsável. Ela toma conta das irmãs que estão com ela nessa "jornada" e não desrespeita nenhuma regra, entretanto, ela não aguenta o fardo de que está matando pessoas inocentes para alimentar a Água.
"Eu as observava, maravilhada ao perceber que três pessoas tão diferentes fossem capazes de combinar tão bem."
Apesar de serem sereias, elas não tem caudas, e isso permite que elas possam se misturar com os humanos, apesar de não poderem abrir a boca para falar, afinal a voz delas levam os homens ao mar.

Enquanto suas irmãs - Elizabeth, Miaka e Aisling - amam uma balada agitada e muita curtição, Kahlen prefere viver em seu mundo, quieta. Então, numa visita a uma biblioteca, ela conhece Akinli, um rapaz atencioso e gentil, que a faz se sentir humana novamente. Então, eles começam uma amizade por meio de mensagens de texto, já que Kahlen não pode falar.
Tive certeza de que ignorar aquele rapaz magoaria mais a mim do que a ele.
Kahlen tenta não nutrir sentimentos por Akinli e tenta fazer com que ele também não se apaixone por ela, já que como sereia, uma das regras da Água é elas não poderem ser mães ou estarem em um relacionamento. Sim, gente, é bem assim e a Água é bem ciumenta, hein.
"Sempre há espaço para o amor, mesmo que seja tão pequeno quanto uma fresta na porta."
Por causa dos ciúmes da Água, Kahlen não pode pensar em Akinli quando está em casa e isso se torna uma difícil tarefa com o passar dos dias.
"Vi a esperança nos olhos dela. Ela não queria que eu fosse."
Não preciso nem dizer que vira amor, né? Ai, gente, a história complica bem! Mas pra conhecer o final da história, só lendo o livro mesmo.

A escrita da autora é bem linda e te prende a cada capítulo (eu li esse livro em sete horas)! O narrador é em primeira pessoa e a autora trata da mitologia das sereias de uma forma diferente da que estamos sempre acostumadas(os). E não tem como não gostar das irmãs. É justo dizer que, às vezes, sentimos um pouco de raivinha de algumas delas, mas tudo passa e fica bem.

A Sereia é um livro único e espero que leiam por que é, sim, um livro bem feito e bem lindo.
Espero que tenham gostado!
Beijocas!


site: https://trisliteraria.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Rilaine Reis 14/05/2017

Uma história agradável
Não achei uma história ruim mas também não achei surpreendente, é uma narrativa agradável, de leitura rápida.
De todo modo eu gostei, é um bom livro para passar o tempo lendo
comentários(0)comente



lalaa 11/05/2017

A SEREIA - KIERA CASS
Eu ameeei esse livro, achei a história bem interessante, e o jeito que a autora escreve.. aaa, é gostoso, é o tipo de escritor que eu gosto. A história de Kahlen é tão cativante, uma menina de coração muito bom, que ama muito a Água, mas que quer muito ser feliz, ter sua família, casar.. Mas por causa da água, ela não pode! Como a Água diz (sim, a Água fala), mulheres casadas e mães não podem ser escolhidas, pois não serviriam para servi-la, pois seriam desobedientes por conta do amor. Akinli então.. o que falar dele? Um menino tão doce.. de coração tão puro.. Sério, quero ele pra mim! (desculpa, Kahlen) foi a 1° leitura de maio, e eu fiquei muito satisfeita, primeira vez que eu leio um livro da Kiera, e já quero mais! Seleção, me aguarde.. Voltando ao assunto, eu recomendo muito esse livro, vi que muitas pessoas não gostaram, mas me recomendaram ler primeiro A Sereia, depois A Seleção, porque as pessoas que leram A Seleção antes, estavam esperando muito mais da autora, e não alcançou as espectativas, eu mesma não sei dizer se é isso..
comentários(0)comente



270 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |