Holy Cow

Holy Cow David Duchovny




Resenhas - Holy Cow


59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


day 30/06/2019

maravilhoso!!
" A diferença mental entre o homem e os animais superiores,por maior que seja,certamente é de grau,e não de tipo."

Charles Darwin


Um dos livros mais divertidos e geniais que li.

Elsie uma vaca com sonhos e objetivos ,se une ao porco shalom e ao peru Tom,e juntos saem da fazenda ,o único mundo que conheciam para buscar uma vida mais segura e tranquila .

Pois quando se é um animal,você está sempre com medo de virar a refeição dos humanos.

Um livro engraçado,ousado e muito profundo.

Me fez pensar bastante na minha falida espécie humana que a tanto se perdeu e não é digna nem de ser chamada de animal.

Vale muito a pena ler esse livro.

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Leticia.Caroline 07/06/2019

Muuuito bom
"Quem diria que a visão de uma vaca poderia ser tão engraçada, honesta e verdadeira? Holy Cow é de morrer de rir, da primeira à última página" -The Denver Post
comentários(0)comente



Leti 02/04/2019

Gostei demais... Tenho vontade de relê-lo!!
A diferença mental entre o homem e os animais superiores, por maior que seja, certamente é de grau, e não de tipo.
_Charles Darwin_ Holy Cow.
comentários(0)comente



Fael Olimpio 15/01/2019

Super divertido
Holy Cow é extremamente divertido, e engraçado com várias piadas que você lê e tem vontade de se matar de tão ruim, mas que ao mesmo tempo te diverte, poderia facilmente virar um longa animado de sucesso, super recomendo para quem quer matar um pouco do tempo e se divertir! ?
comentários(0)comente



Kael ð 10/01/2019

A história é muuuuuuh ito envolvente. As críticas são tão boas.
comentários(0)comente



Kelly Lu 02/10/2018

DAVID, EU TE VENERO!!!!
comentários(0)comente



Bruna 10/05/2018

A vaquinha, as viagens e os amigos.
Uma fazenda: prisão. Elsie e sua amiga Mallory possuem uma amizade singular. Mallory, com propósitos indefinidos, Elsie, com sonhos. Sonhos que saíram da imaginação, tornaram-se realidade. Elsie, Tom e Shalom saem em busca de novos mundos, mundos estes que façam deles animais aceitáveis socialmente. Nesta busca frenética, novos desafios são impostos e as diversões são diversas. Divertimento, histórias, conhecimento e sabedoria. O livro é mais do que uma fábula infantil, é um caminho para pensar. Recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Bart 04/03/2018

Que livro tirador de onda, do início ao fim!! Cumpriu o propósito, ri muito! Tentei guardar a leitura mas infelizmente o livro é curtinho. "Fox Mulder" sempre escreveu muito bem e sarcástico é uma qualidade dele!! Kkkkkkkkk
Recomendo
Bruna 07/05/2018minha estante
Livro foda, personagem foda. Muito engraçado. "A Mallory é aquelas vaquinhas lindas, sabe, linda de morrer. Dava até para ser modelo, tipo aquelas vaquinhas das embalagens." Kkkkkkkkkkkkkkk


Bart 10/05/2018minha estante
Kkkkkkkkkk eu queria que esse livro fosse maior!! Muito massa!!




DAN LIMA 26/01/2018

A obra de Holy Cow nos provoca diversas reflexões. Há humor, com
muitas verdades e um convite a parar um pouco para pensar.
Realmente, David Duchovny, revelou-se um Escritor que promete. Tem futuro
promissor se resolver seguir a profissão de Escritor. Particularmente, adorei o
seu modo de escrita e seu pensamento provocador.
Uma temática que nos remete a fazer diversas reflexões a respeito dos
animais, do ser humano em si e a perpectiva de futuro entre animais
e a humanidade.
Pessoalmente, adoreiiiiiiiiiiiiiii... a literatura.
Recomendo. ;-)
comentários(0)comente



Kamila 23/06/2017

Holy Cow conta a história da vaca Elsie Bovary (há boatos de que não é parente da Madame), que deve ter algum problema de déficit de atenção, porque ela já começa o livro nos bombardeando com divagações. Mas até aí tudo bem, ela é uma vaca. Elsie mora numa fazenda e tem sua melhor amiga, a Mallory, que está caidinha por um dos touro magya do lugar.

Até que, um certo dia, o filho mais velho do fazendeiro, que consegue ordenhar uma vaca e enviar mensagens no celular, deixa o portão aberto e Elsie e Mallory acabam saindo de seu cercado. Por uma questão do momento, Elsie acaba brechando a janela da casa da família e vê todos quietos diante do Deus Caixa. O Deus Caixa está mostrando uma coisa cruel a respeito de diversos animais, entre eles, as vacas.

Desesperada, Elsie bola um plano para fugir de lá e ir para a Índia, porque, segundo o Deus Caixa, as vacas são sagradas na Índia. Mas, no meio do caminho, ela encontra Shalom, um porco convertido ao judaísmo (isso mesmo) e Tom, um pavão muito magro que tem um celular, que é tudo que Elsie precisava para continuar seu plano.

Assim como Elsie quer ir para a Índia, Shalom quer ir para Israel e Tom, para a Turquia. E eles viverão altas aventuras, cheias de diversão, para chegarem a seus destinos e fugirem de seus destinos óbvios.

Quando vi esse livro pela primeira vez, achei que era um livro engraçado e só. Mas não, não contente em ser engraçado, Holy Cow mostra que, até mesmo uma simples ação pode dar um ponto final em conflitos antigos. Conflitos do tipo Israel-Palestina, quero dizer. Elsie é uma vaca autêntica, divaga mesmo e fala na cara o que pensa, mesmo sua editora não gostando muito disso.

No livro, além dos personagens engraçados, tem umas ilustrações bem bacanas, feitas pela Natalya Balnova. David colocou diversas sacadas ao longo da histórias, mas eu não saquei muitas porque ou não gosto de rock ou simplesmente não nasci na época citada, mas tudo bem, nada que você não possa pesquisar rapidamente. Esse livro foi escrito para crianças, porém, com tanta referência à cultura pop (muitas vezes a pedido da editora de Elsie), não tem como os adultos não gostarem. Enfim, é um livro para todos.

site: http://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br/2017/06/resenha-holy-cow-uma-fabula-animal.html
comentários(0)comente



vinicius.fagundes.93 25/03/2017

Holy Cow, Uma Aventura Animal
Holy Cow é uma comédia escrita por David Duchovny, mais conhecido por sua carreira de ator nas séries Arquivo X e Californication, publicado pela Editora Record em 2015. O livro conta a história de Elsie Bovary, uma vaca que vive uma vida tranquila em uma fazenda no estado de Nova York.

Numa noite, Elsie e sua amiga Mallory decidem sair escondidas do pasto onde vivem. Enquanto Mallory via flertar com os touros, Elsie acaba indo em direção a casa onde vive o fazendeiro, e vê na televisão como as vacas são tratadas no mundo dos humanos, e como são mortas para virarem comida.

Elsie, acompanha de Jerry, um porco que se converteu ao judaísmo, e Tom, um peru que não sabe voar, mas sabe usar um IPhone, resolve então fugir da fazenda, e ir atrás do único lugar do mundo onde as vacas são tratadas com o respeito que merecem: a Índia.

Em primeiro lugar, vamos falar da narração. O livro é narrado em primeira pessoa por Elsie, quase como se fosse uma autobiografia dela. Esse estilo de narração pode ser muito legal, quando é bem utilizado, já que cria um diálogo direto entre o narrador e o leitor. Infelizmente, isso não acontece nesse livro.

A narração de Elsie é dispersa demais, e salvo alguns momentos mais divertidos, é cheio de piadinhas sem graças e referências aleatórias. No contexto da história, isso é explicado como sendo uma recomendação da “editora” da Elsie, mas isso não melhora muito a situação, principalmente porque as piadas são bastante repetitivas. A história em si não é ruim, é até bastante criativa. Mas as interrupções constantes irritam, e a piada da editora perde a graça logo no começo.

Elsie como protagonista não é ruim, mas deixa muito a desejar. Isso é um problema que eu tive com a maioria dos personagens desse livro: eles não são personagens, são piadas recorrentes. Eles existem apenas para repetir as mesmas piadas várias vezes seguidas. Isso cansa, poxa!

O maior problema que tive com o livro é que ele parece estar confuso sobre o seu objetivo. Fica difícil definir o livro como uma comédia porque ele é bastante focado em apresentar lições de moral, em assuntos sérios como o vegetarianismo e até racismo. Ao mesmo tempo que isso acontece, existem cenas totalmente sem noção, como quando o porco Jerry, que se rebatiza de Shalon, procura um médico para realizar sua circuncisão. Esse tipo de contraste poderia ser bastante engraçado, mas não funciona tão bem nesse livro e tudo fica muito desconexo.

Esse lance de tema sério + conceito irreverente já foi feito antes, e de forma muito melhor. Pra dar um exemplo do cinema, os filmes do diretor Mel Brooks, principalmente Banzé no Oeste que é excelente apesar do titulo, tratam de temas como racismo e até o nazismo, sempre com um humor muito inteligente. Holy Cow, por outro lado, parece mais desleixado e feito as pressas.

No geral, Holy Cow é um livro extremamente confuso. A história interessante e o conceito original acabam apagados em comparação com a narração cansativa e as piadas repetitiva. Apesar de alguns momentos divertidos, é uma comédia pouco satisfatória. Eu queria realmente ter curtido mais a leitura, principalmente por curtir bastante a carreira de autor do David Duchovny, mas realmente não deu pra mim.

Tenho a impressão que o autor teve a ideia pra esse livro quando estava bébado e fez uma aposta consigo mesmo pra ver se conseguia completa-lo antes de ficar sóbrio. Infelizmente, eu não curti, mas quem sabe você não acabe curtindo?

site: http://laoliphant.com.br/resenhas/holy-cow-por-david-duchovny
comentários(0)comente



@plataformalit 02/03/2017

Elsie mal pode esperar que o humano deixe a porta do celeiro aberta para que possa seguir os ruídos hipnotizantes dos touros e acaba descobrindo como sua família estava sumindo. Ela vê na TV que os humanos comem animais e resolve fugir para a Índia, onde vacas são sagradas. Junto com o porco Shalom, que quer fugir pra Israel, onde judeus não comem porcos e Tom, o Peru que está fazendo dieta para não ser comido no dia de ação de graças, que quer ir para a Turquia, onde também não será comido.
Cada pedaço de bacon, hambúrguer ou até mesmo molho encontrado no lixo causa revolta nos três refugiados, que se indignam pelos humanos que mataram seus ancestrais sem nem comê-los.
comentários(0)comente



Karina 21/01/2017

"Holy Cow - Uma fábula animal" - David Duchovny

... não! Não é um livro para crianças.

...sim! A personagem principal é uma vaca (Elsie).

A historia começa com Elsie narrando sobre sua pacata e regrada vida no celeiro de uma fazenda, sobre suas amizades com outros animais e sobre como a vida era boa (mesmo não gostando muito das galinhas, ela era feliz), até descobrir o que realmente acontecia com as vacas que desapareciam do celeiro, dentre elas, sua mãe, avó, bisavó...

Por esse motivo, decide que não quer ter o mesmo destino e juntamente com dois amigos (um peru e um porco) que compartilham da mesma ideia, saem em direção a outros países com culturas distintas com intuito de fugir do fim que os aguarda caso permaneçam por ali.

A história é cheia de aventuras e muito divertida! Elsie mantém uma conversa sincera com o leitor durante todo o livro, e faz inúmeras reflexões sobre o comportamento humano em vários aspectos (se você é vegetariano, tem um motivo a mais para ler esse livro), e no final é apresentado uma conclusão inesperada e muito racional para uma vaca!
comentários(0)comente



Hugo Dalmon 17/01/2017

Muito bom.
A vida é feita de sonhos, algumas pessoas acabam construindo sonhos megalomaníacos e vão atrás dele. Outras pessoas preferem sonhos mais comuns, como uma vida mais pacata, e também o conquistam. O que no fim é importante notar em tudo isso é que a vida aqui na Terra, no universo, na verdade, é uma unidade belíssima. Só nos falta perceber isso coletivamente.

David Duchovny – ele mesmo, o Fox Mulder do Arquivo X (Que eu nunca vi, mas sei da informação) – traz em seu livro “Holy Cow – Uma Fábula Animal” a discussão mais importante e menos fomentada no mundo: A unidade de todos os seres do planeta. Pois é, a discussão passa pela problematização do vegetarianismo, incluindo a crítica às fazendas industriais, mas ponderando sob a perspectiva da cadeia alimentar natural. Depois, a discussão passa pelo fanatismo religioso, intolerância religiosa e o narcisismo inerente nos seres que se encontram em posições superiores na sociedade.

Holy Cows 2

Viu só? Duchovny, cria uma heroína que é uma vaca, e que de maneira cômica e, positivamente, prepotente narra a sua própria história. Discute com sua editora e vive as situações mais inverossímeis que a gente pode imaginar. Porém, Elsie Bovary sai em um aventura para a Índia, onde será venerada, e com isso traz as discussões acima citadas e outras tantas reflexões da nossa consciência com muita maestria, já que ela precisou conquistar seu sonho para enxergar além do seu próprio umbigo. Se engana quem pensa que o livro é infantil. Se engana quem enxerga apenas o texto superficialmente. O sub-texto dessa história vem como uma avalanche de sabedoria que se sobreõe a um amontoado de ignorância.

Holy Cow deve ser lido por pessoas de todas as idades, todos se livrando de preconceitos tolos com a literatura contemporânea

Refletir e analisar as críticas presentes nessa obra, enquanto podemos nos matar de gargalhar com situações extremamente cômicas vividas por Elsie Bovary e seus amigos – Shalom/Jerry (o porco) e Tom Turquia (o peru) – é provar a máxima de que ‘comédia é magia’ – pois comédia transforma o nosso dia, nosso humor, nossa vida, o plano das ideias…

Holy Cow

Holy Cow deve ser lido por pessoas de todas as idades, todos se livrando de preconceitos tolos com a literatura contemporânea – até porque a literatura contemporâne, teoricamente, discute o seu tempo e por isso deveria ter mais a sua atenção e respeito. – Mas, sobretudo, essa leitura é importante pela atitude corajosa de David Duchovny em desvelar numa fábula hilária a utopia de um mundo perfeito, nos mostrando que com simplicidade de pensamento lógico chegaremos ao mundo ideal para humanos, animais, vegetais e espiritos. Enfim, nesse livro, a vaca é sagrada mesmo!

site: http://gaynerdbrasil.com/2016/08/indicacao-nerdholy-cow-uma-fabula-animal.html
comentários(0)comente



Gabe | @gabereader 07/01/2017

Sensacional
Aqui temos uma fábula narrada por Elsie, uma vaca que após descobrir qual futuro lhe aguarda decide tomar providências e encontrar um lugar onde possa viver em paz. Ela embarca numa jornada ao lado de dois "estranhos" que posteriormente passam a ser seus amigos.
O mais interessante nesta fábula são os pontos criticados ao longo da história, apesar de ser um infanto juvenil, são abordados temas como intolerância religiosa, determinadas formas de preconceito, tecnologia e o comportamento dos seres humanos.
De forma bem humorada Elsie, Shalom e Tom embarcam nessa jornada pela salvação própria e nos salvam com uma história maravilhosa, cheia de revira voltas e aventuras.
comentários(0)comente



59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4