Com Amor, Simon

Com Amor, Simon Becky Albertalli


Compartilhe


Resenhas - Simon vs. a agenda Homo Sapiens


351 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Yowbi 18/09/2018

Segredos
Rodeado de amigos de longa data, Simon esconde alguns segredos (que eu também não contarei a você).
Uma leitura rápida, sutil, intrigante e que não vai te deixar dormir até saber de fato o final.

**Diferente do filme, o livro te leva a uma aventura muito mais densa.
comentários(0)comente



Luiz.Machado 16/09/2018

Eu vou lutar com qualquer pessoa que ouse dizer que esse livro é menos do que ele é
Vi o filme no cinema, chorei igual um desgraçado, ai li livro, chorei de novo e fui ver mais uma vez no cinema.
Toda vez que to na merda paro p reler os capítulos finais.
Eu amo o Simon e vou protegê-lo.
Alex Souza (@DUNLeitor) 16/09/2018minha estante
Li primeiro e depois assisti no cinema, também chorei. Muito boa a história, personagens coração!




Tiago.Coelho 10/09/2018

Simon é um adolescente capaz de entender sua sexualidade, sim. Ele busca uma forma de ter contato com outras pessoas em comum, mas também, de poder se abrir para sua família e ser compreendido. O que o leva a trocar mensagens por e-mail com Blue. O garoto desconhecido que partilhava dos mesmos sentimentos.
A história traz uma serie de abordagens como, por exemplo, o bullying, a mentira, a verdade, a família, os amigos, o amor. O livro é muito mais empolgante que o filme, visto que o livro deixa passar acontecimentos relevantes para a drama.
comentários(0)comente



Gustavo.Moraes 08/09/2018

Muuuuuuuuuito bom!
Com amor Simon é simplesmente uma história apaixonante.

Essa livro foi uma das minhas melhores leituras, essa história é tão real com referências da juventude, com humor e com um pouco de aperto no coração.
A cada capítulo eu me apaixonava mais pela história, é pra mim os e-mails são a melhor parte do livro, são tão fofos e românticos.

P.S. Já tinha viagem o filme então já sabia o final, mas foi uma nova experiência ler esse livro, sim o filme é muito bom também mas o livro é ótimo!
comentários(0)comente



Robert.Fontes 05/09/2018

Lindo
Vale a pena dar uma chance. É um pouco melhor que o filme.
comentários(0)comente



Cláudia - @diariodeduasleitoras 28/08/2018

Simon
Bom, eu li essa obra no início do mês de março, e assisti ao filme posteriormente. Gosto de ambos. O motivo de liberar o post cinco meses após a leitura? Primeiramente, porquê foi chuva de posts na época kkkkk, em segundo lugar, fazia questão de comprar o livro com essa capa (que não encontrava mais), pois a do filme acho feia kkkkk. E não encontrava em lugar algum. Somente na Bienal tive a sorte de encontrar.

A obra fala sobre amor, preconceito, autodescoberta, confiança, amizade e família. Tudo isso foi mesclado de uma forma incrível, trazendo ao Simon uma essência única. A autora conseguiu mostrar de forma sincera o que acontece dentro de um colégio. O bullying, as piadas, as fofocas, tudo está presente na história. Além da pegada adolescente, o livro tem diversas cenas um pouco mais adultas, o que torna a história mais real. O Simon é cativante. É incrível acompanhar suas aventuras, seus diálogos e seus dramas. Não posso deixar de mencionar o quão fantástico é a representação da homofobia e todo o drama que gira em torno de uma pessoa conseguir se sentir confortável com a sua orientação sexual. O trecho abaixo é uma ótima reflexão para os dias atuais.

"Você não acha que todo mundo deveria ter que sair do armário? Por que o comum é ser hétero? Todo mundo devia ter que declarar o que é; devia ser uma coisa bem constrangedora, não importa se você é hétero, gay, bi ou sei lá o que. Só uma ideia."

Ps: no quesito título (sim, sou a louca/fissurada por títulos kkk) eu prefiro o do filme, faz jus a historia fofinha e romântica. Enquanto que o título original - esse da foto - não faz sentido nenhum fora do contexto, embora haja uma parte na história que encontramos a devida referência.
comentários(0)comente



Gabi 27/08/2018

Muitas pessoas vão me odiar por que não gostei tanto assim desse livro (risos)
Realmente o romance me cativou muito mas isso aconteceu nas 30 últimas páginas então boa parte eu empurrei pra chegar ao fim.
Posso nãoter gostado por não estar na vibe da história ou por ter lido ele logo apósuma ressaca. Mas por enquanto fica sendo isso, espero ver o filme logo.
comentários(0)comente



Patricia.Moretti 22/08/2018

Com amor Simon
Esse livro é muito lindo , é uma história de amor simples de adolescentes , como qualquer outro amor,mas só que é diferente .Tem um jovem chamado Simon , e ele é gay e era apaixonado por um menino chamado Blue, só que eles nunca se viram e nem sabem os nomes verdadeiros .Simon não contará para ninguém que era gay só para Blue.Um dia um jovem chamado Martim faz uma chantagem a Simon em troca do silencio .Qual será a sua chantagem ?Será que todos vão saber que é gay? irão descobrir lendo essa história linda de amor entre duas pessoas .
comentários(0)comente



Laiza 16/08/2018

Com Amor, Simon - Becky Albertalli

Com Amor, Simon nos apresta a história de Simon Spier, um adolescente de dezessete anos como qualquer outro. Porém, Simon esconde de sua família e de seus amigos que é gay. Não por medo de que eles não o aceitassem, pois sabe que não teria esse tipo de preconceito por parte deles. O problema é que Simon não sabe como ou quando deve fazer isso, e não sabe se esta preparado para um mundo que irá olhar para ele de forma diferente.

Há apenas uma pessoa que sabe a respeito de todo esse impasse e que também passa por isso: Blue, um correspondente anônimo que Simon conheceu no Tumblr de fofocas de sua escola e com quem vem trocando e-mails a um tempo. Blue e Simon não se conhecem e não sabem a identidade um do outro, mas isso acaba não sendo um problema, pois eles acabam compartilhando entre eles o que pensam, interesses, seus medos, problemas e sobre todo o grande dilema de sair do armário. Simon tem um crush em Blue e quando mais eles conversam ele imagina o momento em que eles finalmente irão se conhecer

Porém, um dia em que entra no computador da escola para checar seu e-mail, Simon acaba deixando seu login aberto. Assim, um menino desajeitado da escola, Marvin, tira prints de sua conversa com Blue e os utiliza como uma chantagem: em troca de permanecer em segredo a respeito de sua sexualidade e de Blue, Marvin que ajuda para se aproximar de uma das melhores amigas de Simon, pois está interessado nela.

Com Amor Simon acabou se tornando uma grande surpresa para mim. Depois de ver muitos comentários positivos da trama, inclusive de uma amiga bem próxima minha ( *aceno* Oii, Laura), eu estava animada e ansiosa com a leitura. Mas eu confesso que estava bastante receosa de não ser tudo aquilo que diziam para mim e que no final eu o achasse um romance bem bobo. Felizmente foi exatamente ao contrário.

A história é narrada em primeira pessoa por Simon, e é uma narrativa envolvente, pessoal e bem viva, porque ela reflete muito bem a personalidade do personagem, uma pessoa espontânea, despojada e jovial. Você realmente sente que conhece Simon e que está de fato acessando todos os seus pensamentos, reflexões e questionamentos. É através da narrativa que nos conectamos e nos envolvemos com o personagem e com sua história. Simon é um personagem muito cativante e muito divertido, assim sua narrativa não é pesada e nem maçante, mas sim gostosa e leve de se ler.

Um ponto legal é que o livro traz personagens bastante humanos, com personalidades marcantes, defeitos e qualidades. Ao longo da história, os personagens erram e acertam, o que traz a história para a realidade mesmo. É claro que nem todas as atitudes merecem perdão, até porque muitos erros tendem a deixar marcas e dores em outras pessoas e você não pode apagá-los ou mudar o que as pessoas sentem a respeito disso, isso é algo próprio da vivência de cada um, Porém, você sempre deve reconhecê-los, refletir sobre suas atitudes e procurar ser alguém melhor.

Eu adoro livros que abordam temáticas como envio de cartas, trocas de e-mail, etc, porque isso dá uma toque bem mais pessoal e íntimo na trama. Dentro de Com Amor, Simon, a troca de e-mails é bastante presente na narrativa, até porque Simon se comunica diariamente com Blue e sempre se perde em seus pensamentos pensando nele e em quem ele pode ser. É claro que o leitor também entra nesse esquema; durante a leitura, vamos analisando as conversas entre os dois e as pessoas em volta de Simon para ver se conseguimos descobrir quem pode ser o correspondente anônimo. Eu tentei aviadamente descobrir, mas eu realmente não fazia ideia de quem era até ser revelado no final. Eu gosto muito quando tem esse tipo de mistério presente na trama, porque eu fico cada vez mais animada com o desenrolar da história quando eu posso tentar descobrir quem é. Apesar do grande mistério em torno de quem é Blue, o romance é desenvolvido com calma e não é forçado; o livro tem um grande destaque para a forma natural em que apresenta e aborda as relações e as personalidades humanas.

"Ele falou sobre o oceano entre as pessoas. E que o objetivo de tudo é encontrar uma margem até a qual vale a pena nadar." pág. 22

Ultimamente, muitos YA que tratam sobre relacionamentos LGBT+, abordam principalmente a descoberta e a aceitação da sexualidade pelo próprio personagem principal, bem como os dilemas que englobam a o ato de conversar com a família, o medo da rejeição e do preconceito, e etc. Com Amor, Simon se diferencia por ter um personagem que já se identifica e se aceita como homossexual deste o inicio da história, não tratando da autodescoberta da sexualidade de Simon, mas sim de seus anseios e dúvidas em relação a como o resto do mundo irá reagir.

“Mas estou cansado de sair do armário. Tudo o que eu faço é sair do armário. Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo uma cerveja. E, todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo.” pág. 54

Simon é um adolescente branco de classe média e sabe que seus amigos e família não teriam problemas em aceitar sua sexualidade, apesar de parecer ser mais fácil para ele "sair do armário", não é tão simples assim. Simon reflete bastante sobre o que é de fato o "sair do armário" para o resto do mundo, ele sabe que nem todos terão a mesma reposta e que ele será tratado e olhado de forma diferente a partir do momento que conversar com as pessoas a respeito disso.

O livro também faz reflexões muito bacanas sobre a naturalidade em que a heterossexualidade é tratada na sociedade. Geralmente assumimos que todos são heterossexuais desde berço, então quando alguém não é, esperamos um grande anuncio a respeito. Porque apenas as pessoas LGBT+ tem que sair do armário? Porque a heterossexualidade é vista como algo natural ao ser humano que você não precisa se expor a respeito dela porque todos teriam a certeza de que você é hétero?

" [...] você não acha que todo mundo deveria sair do armário? Por que o comum é ser hétero? Todo mundo devia ter que declarar o que é; devia ser uma coisa bem constrangedora, não importa se você é hétero, gay, bi ou sei lá o quê. Só uma ideia." pág. 130

“É mesmo muito irritante que hétero (e branco diga-se de passagem) seja o normal e que as pessoas que precisam pensar sobre sua identidade sejam só aquelas que não se encaixam nesse molde" pág. 131.

Com amor, Simon é um romance bem leve e super fofo. Imagino que muitas pessoas possam se identificar com o personagem e seus dilemas, além do fato de se sentirem representados na história. A autora se preocupa bastante com a inclusão social e traz personagens de diferentes etnias, sexualidade e culturas diferentes. Quem gosta de romance YA com certeza vai amar Com amor, Simon, é uma leitura muito agradável e encantadora, de aquecer o coração mesmo.

site: http://laizafsiqueira.blogspot.com/2018/08/livro-x-filme-com-amor-simon.html
comentários(0)comente



ana 15/08/2018

Me deixou com o coração aquecido.
Se fosse pra escolher um livro pra poder apagar da memória e ler repetidamente, seria esse livro. Eu amei cada parte dele e não consegui dormir direito ate concluir a leitura. Um dos melhores livros da minha vida.
comentários(0)comente



Koala Leitora 14/08/2018

Sem palavras
Eu não sei o que dizer com relação a esse livro, mas vou tentar.
Primeiro queria dizer que eu sou muita grata pela existência dessa história e por finalmente conseguir ler ela.
Segundamente ????, queria dizer que Simon me conquistou profundamente.
A escrita da Beck é maravilhosa e esse é o primeiro livro da autora que leio e já me apaixonei de forma profunda, sério mesmo, surreal.
Nesse livro ela trata da homossexualidade de uma forma tão forte que me atingiu intensamente, claro que tem toda a fofura de um romance, mas é um livro para se refletir, de fato, como diz no livro, todos nós deveríamos sair do armário.
Fora a escrita fácil e o assunto forte, conhecer os medos e devaneios do Simon é sensacional, eu que me coloco na pele dos personagens consegui sentir cada sensação do garoto em cada etapa.
Esse livro entrou para a minha lista e mais uma vez me ensinou o quanto devemos aprender a ser tolerantes com tudo.
Só queria dizer que: Hey, você que está aí com medo de se revela, eu sei que é ruim, mas seja você quem for, vai com fé, vai com garra, vai com amor que eu estou aqui pra te ouvir quando preciso for! ??
comentários(0)comente



Marina 14/08/2018

Leitura leve e fofa. Muito fofa!
Sinceramente, eu não esperava tanto desse livro. Fui surpreendida, mas da melhor maneira possível. Simon é um personagem bem construído e é fácil sentir empatia por ele. Adorei o jeito como a autora descreve os personagens, mostrando que nenhum deles é perfeito, pois são só seres humanos comuns.

Eu amei o romance. Nada daquela coisa de personagens que se encontram num dia e no outro já estão perdidamente apaixonados. A história vai se desenvolvendo e você consegue perceber o Simon se apaixonando pouco a pouco.

Achei uma história muito bem construída. A autora coloca um pouco de comédia em meio a assuntos mais sérios, o que torna a leitura prazerosa e não deixa o livro pesado.

O único motivo pra eu não dar cinco estrelas é que senti que uma das personagens foi um pouco deixada de lado e acho que ela merecia ter participado um pouco mais da história.

E uma coisa que preciso comentar: fiquei muito feliz pela autora ter envolvido o cachorro das personagens nas cenas. Detesto quando as personagens têm cachorros, mas parece que só lembram deles na hora em que precisam de uma desculpa para passear.

Foi uma ótima leitura.
comentários(0)comente



Bruna 03/08/2018

Escrita realista, leve, mas sem ser superficial. A autora consegue tratar de temas conhecidos ao público jovem, qual seja a descoberta de si mesmo e das problemáticas que dela derivam, de forma brilhante, com enfoque na representatividade LGBTQI. Ela tem o dom de sintetizar sentimentos profundos em poucas palavras e descrevê-los de forma tangível, simples, mas precisa. Além do mais, achei muito interessante como a autora coloca o personagem principal em relevo, tal como deve ser, mas consegue manter os personagens coadjuvantes interessantes e tão realistas quanto àquele, acrescentando à trama novas problemáticas a serem exploradas, cada qual com um desfecho satisfatório e crível. Este livro é o verdadeiro pote de ouro que se encontra ao fim do arco-íris: fascinante, mágico e muuuuuuuuito fofinho. Pra quem gosta de leituras rápidas que estimulam o pensamento, está mais do que recomendado =)
comentários(0)comente



Marcella.Martha 02/08/2018

4.5 estrelas
Simon vs. the Homo Sapiens Agenda me pegou muito de surpresa. Até por volta da página 100 eu estava achando tudo muito bobo. Não ruim, nem necessariamente chato, só bobo. Eu nem percebi o momento em que eu fiquei completamente presa na história. Mas aconteceu, e, quando dei por mim, eu já tinha terminado a leitura em menos de dois dias. Talvez esse seja mesmo o propósito da autora aqui: fazer o leitor subestimar a história só para ter o prazer de vê-lo dando o braço a torcer no final. E ô, que torcida.

A vida cotidiana de um adolescente classe média, descobrindo a sua sexualidade num ambiente semi-hostil de high school, parece uma trope super batida, mas de alguma forma a Becky Albertalli consegue deixar você totalmente imerso nessas vidinhas de cidade do interior. Você se pega super preocupado com coisas como E A APRESENTAÇÃO DE TEATRO??? E O HOMECOMING??? É um fenômeno. O Simon cresce em você depois de um tempo. Você se apega aos amigos dele, aos malinhas da escola, à família dele, até ao cachorro. E é uma coisa super estranha, porque não é uma história triste ou de superação, não exatamente - nada do tipo como o bullying afeta as pessoas, ou sobre a dificuldade de aceitação dentro da família, ou qualquer um desses tópicos go-to quando se junta adolescentes e homossexualidade em livros. Não! A questão toda aqui é o Simon meio que entendendo a si mesmo ao mesmo tempo em que lida com a CHANTAGEM de um colega que, no fim das contas, é o que força ele a refletir sobre o lugar cômodo onde ele havia decidido se esconder só porque era mais fácil.

O plot central é bem simples: Simon, nosso protagonista, é gay mas não assumido. Mora em uma cidade pequena da Georgia e acha que é muito complicado lidar com as possíveis consequências de sair do armário no colégio. Compreensível. Até que ele descobre, através de um tumblr de segredos anônimos do colégio dele, que existe algum outro aluno gay na escola passando pela mesma coisa. Então ele entra em contato com essa pessoa - usando um codinome - e os dois começam a conversar e se tornam grandes amigos e... mais - mas só pela internet. Um belo dia, ele esquece o e-mail fake logado no computador do colégio e um outro aluno lê os e-mails, tira print e usa isso para chantageá-lo. Em troca de não revelar para a escola inteira que ele é gay, o garoto pede que o Simon o ajude a ficar com uma das suas amigas, Abby. E aí vai.

Se eu tiver que apontar um porém (e um dos motivos de eu ter tirado uma estrela da review) é que é bem fácil descobrir quem é o Blue. Eu saquei tipo na segunda vez que o personagem é mencionado na história. Eu imagino que, se a pessoa não descobre, deve engolir as últimas páginas na velocidade da luz de ansiedade. Não foi o caso comigo. Mas isso afetou muito pouco a minha experiência, porque a verdade é que a minha impressão era que o Blue era chato pra cacete pelos e-emails (bem entediantes, diga-se de passagem) dele, e quando ele finalmente se revela na verdade ele é um fofo.
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 01/08/2018

Com Amor, Simon
Quando o livro foi lançado em 2016 todo mundo comentou muito sobre a história e, por não ser meu gênero de maior afinidade e ter ficado sabendo muito sobre o plot, deixei a leitura passar. Em 2017 a autora lançou um novo livro chamado Os 27 Crushes de Molly e reacendeu a vontade de conhecer as histórias.

Num primeiro momento investi em Molly já que tinha ouvido falar em esse superar a primeira publicação, entretanto, mesmo gostando da história e encontrando ali um assunto super relevante, não foi o suficiente para me fisgar. Ai, como o buzz em volta do lançamento do filme, acelerei a leitura de Simon vs a Agenda Homo Sapiens e eis que fui bastante surpreendida.

Em 2016 eu li Três Coisas Sobre Você, um dos meus títulos favoritos do gênero e que tem uma fórmula parecida: duas pessoas trocando e-mails, onde só conhecemos a identidade daquele que narra a história. A diferença fica no fato de Simon ser uma história LGBT e que trabalha bastante a questão de “sair do armário” e da aceitação entre amigos, família e sociedade.

Então, logo que adentrei às páginas escritas por Albertally me vi super conectada com a trama e torcendo imensamente por Simon. Vale a pena dizer que essa, apesar da temática, é uma história leve e com vários picos de humor. A história contada aqui tem uma mensagem a passar, mas escolhe trazer ela entre momentos de descontração, em uma configuração bem amena. Simon é branco, tem uma família estruturada que o ama, é de classe média alta, tem seu grupo de amigos e vive uma vida muito boa. Mas nada disso diminui o fato de que ele ainda não se sente “seguro” para expor sua sexualidade ao mundo.

“Mas estou cansado de sair do armário. Tudo o que eu faço é sair do armário. Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo uma cerveja. E, todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo.”

E é nesse ponto da exposição que a autora apresenta uma lógica bacana. Porque somente quem é homossexual precisa fazer todo o “ritual” de expor isso às pessoas? Porque há tanta “naturalidade” em você ser hétero, que é a suposição principal que não precisa ser anunciada? Mesmo com o tom sério do questionamento ainda há uma conversão para tornar tudo leve e bem humorado.

Além de sua relação com Blue que aos poucos vai ir evoluindo e a dúvida que paira sobre nós leitores sobre sua identidade, outro fatos também são abordados. O ambiente familiar, as piadas com relação a sexualidade, a relação de amizade entre os personagens, o amor na adolescência e o bullying escolar que sempre marca presença. Prém, como eu falei, Simon tem uma vida estruturada e consegue carregar a situação com certa serenidade, mesmo tendo pontos onde tudo está desabando.

“Ele falou como você pode decorar os gestos de uma pessoa, mas nunca saber o que se passa na cabeça dela. E ter a sensação de que todos somos como casas com aposentos enormes e janelas pequenininhas. Sobre como você pode se sentir muito exposto, de uma forma ou de outra. Sobre como ele se sente tão escondido e tão exposto, em relação a ser gay.”

Podemos nos questionar sobre o peso ou relevância da história por não ir além do conflito mais simples, entretanto, é exatamente isso que pra mim torna ela válida. Nem tudo na vida precisa ser rodeado o tempo inteiro de problemas. Existem pessoas como Simon, felizmente, que tem famílias legais, amigos e uma estrutura ao seu redor. Aliás, isso deveria ser o mais normal, né? São essas histórias mais “amplas” que abrem as portas para que pessoas com mais peso do que isso criem coragem para contar suas próprias histórias, acrescentar os seus fatos, expor o seu ponto de vista.

A escrita da autora fluiu muito bem pra mim e de forma ainda mais leve quando via os personagens trocando seus e-mails. Gosto de ambas as capas, mas não sei bem como me sinto com a mudança de nome, já que há toda uma explicação dentro da história para a “agenda homo sapiens”.

Com amor, Simon é uma história de amor adolescente que aqueceu meu coração pouco a pouco e me fez torcer para que esses dois jovens pudessem ter uma chance às claras, numa situação que começou nas sombras da solidão, onde muitos outros jovens homossexuais se escondem por medo do julgamento e das consequências sociais. É um livro sobre como é normal você ser quem você é e amar da forma como quiser amar. É um livro de pertencimento aos jovens e talvez até de encorajamento aos mais velhos, na escolha ou não de se “revelar” ao mundo.

site: http://resenhandosonhos.com/com-amor-simon-becky-albertally/
comentários(0)comente



351 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |