Duff

Duff Kody Keplinger




Resenhas - Duff


101 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Loren 14/11/2019

Já que escapar é impossível, porque não abraçar o caos?
Se tem alguma semelhança entre o livro e o filme, são os nomes dos personagens, o restante da história toma um rumo completamente diferente.
Uma leitura fácil, não é nenhum romance avassalador, até por que a proposta do livro nem é essa. Um livro teen mas bem legal. Adorei os personagem e o senso de humor de Bianca realmente me cativou! Irônica que só ela! Me diverti bastante lendo.
comentários(0)comente



So 27/10/2019

Adorei!
Conheci o filme antes do livro e isso ao meu ver dificulta a leitura por já vir com uma visão feita. Mas eu adorei! Bem escrito, divertido, com pontos bem diferentes do filme mas não è decepcionante, é diferente de um jeito bom, recomendo!
comentários(0)comente



Aris.Grey 26/10/2019

Eu sou uma DUFF
Eu nunca pensei em alguém com tão baixa auto estima, sendo ao mesmo tempo tão corajosa. Quase morri de tanto rir... eu amei a Bianca, as amigas dela, gostei do Toby e me apaixonei pelo Wesley, ele é um cafajeste com pegada, então eu amei ele de mais... pq o coração dele era enorme e a Duff colocou ele bonitinho em seu lugar!! Me emocionei com os problemas narrados, mas gostei da forma como a autora usou o humor para quebrar toda a sombridade e tristeza do livro, o deixando uma leitura reflexiva, passando sua mensagem, mas, sem chatice e lições de moral e muito divertida, como uma comédia romântica deve ser!! Simplesmente amei!!!!
comentários(0)comente



Tracy.Helen 24/09/2019

Prefiro o filme :O
De modo geral, leio primeiro o livro para depois assistir o filme. Mas com DUFF eu só descobri que existia o livro depois que assisti. Não sei se por esse motivo, mas gostei mais da versão em filme. Não que o livro seja ruim, mas criei muito mais expectativa pra ele.
comentários(0)comente



Tati Vidal 30/08/2019

Livro pra ler de uma vez
Peguei esse livro 7 da manhã, não esperava muita coisa, mas em uma sentada terminei de ler.

Gostosinho. Interessante.

Nada muito diferente de amor de adolescente. Gostei. Recomendo
comentários(0)comente



Jessicanacto 12/08/2019

Romance adolescente fofinho
Bianca Piper e Wesley Rush são dois jovens prestes a terminar o ensino médio. No auge dos conflitos adolescentes, com gênios complicados, tomando decisões equivocadas, isso somado aos dilemas familiares, tornam suas vidas um tanto conturbadas. Ao contrário da maioria das mocinhas, Bianca é uma garota de opinião que não permite que pisem nela. O livro como um todo é bem fofinho, trata de temas importantes, mas senti falta de um pouco mais de Bianca e Wesley no final, tudo aconteceu muito rápido. De tudo o que esse livro retrata, acho que o principal ponto é o amor próprio. Vale a leitura!
comentários(0)comente



Amante do saber 07/08/2019

Se enganou pinguço se achou que era um livro sobre bebida!
Brincadeiras a parte

O livro nao é sobre bebida é muito mais profundo que isso,aborda temas sobre Bullying,como lidar com criticas e burocráticas e a importância da amizade na vida de cada um.

Duff,no sentido menos literal da palavra é designat ungly fat friend,em portugues a amiga gorda e feia.

Qualquer adolescente que espera ser aceito peloas pessoas ficaria totalmente arrasado da mesma forma que Bianca Pipet se fosse rotulado como Duff e com toda razao ainda mais quando vem de uma pessoa que te tira do sério,como o Wesley Rush.

Normalmente,Bianca ignorava Wesley,o garoto gato que todas desejavam beijar,que não era nada gentil e o galinha da escola.Ele sempre a importunava,mas Bianca era indiferente a seus encantos,ou pensava que era.

Na perspectiva de Bianca as poucas divergencias percebidas entre ela e as melhores amigas maravilhosas,Jessica e Casey era pelo fato dela preferir ficar em casa ao invés de acompanha las ao Nest,clube noturno de festa,onde passava a maior parte do tempo,se nao o tempo todo,sentada bebendo cocas light e conversando com seu amigo Joe,o bartender.Além das suas peculiaridades como TOC,um pai amoroso ex alcoólatra e uma mãe que está meses longe de casa fazendo turnes no exterior.

Até que chegou Wesley com sua insensibilidade agucada e mostrou a Bianca que ela tem muito mais incomum com as amigas que imaginava,comecar pelo esteriotipo e pelo fato de ser a amiga feia usada para favorecer ainda mais a beleza das outras.
Frustrada e com raiva,é claro,Bianca um ser sensato como é (jamais) meteu logo um beijo no cara que atribuiu o rotulo de Duff para ela,Wesley,obviamente,que adora uma paquera nao pode resistir e retribui o beijo.

Surge então um casal nada tradicional que se amam e odeiam ao mesmo tempo,que descobrem no prazer,nos beijos e sexo casual a forma de descarregar suas frustacoes reprimidas.Acaba fugindo do controle e se transformando em um ciclo vicioso de culpa e prazer.

O mais impressionante do livro é que cada drama é tratado em uma esfera diferente,dinamica e muitas vezes com humor,deboche e sarcasmo.

Aa liçoes que a historia expõe é um grito para a maioria de nós que se sente uma Duff e preocupa demasiadamente com opnioes alheias.A melhor forma de lidar com isso é ligar o fod@-se* e sentir se confortavel,se amando porque no final nao vale a pena ser objeto de uso para quem quer apenas magoar ou descarrega suas frustações.
Amante do saber 07/08/2019minha estante
Autocríticas,nao burocraticas rsrs




Minha Velha Estante 01/07/2019

Resenha de Mylena Suarez
" Às vezes, a ignorância é uma bênção."

Bianca irá descobrir duramente que esta é uma grande verdade... Ou não!

Duff é aquela garota que não chama atenção num grupo de amigas por ser a menos atraente e a que os rapazes se aproximam para usar como trampolim para chegar perto das mais bonitas. Em inglês é a sigla para a amiga gorda e feia. Designated ugly fat friend.

Bianca estava muito bem, obrigada, até ouvir dos lábios do irritante pegador riquinho da escola que ela era a DUFF do seu grupo de amigas e que ele estava se fazendo amigável só para atrair a atenção de Casey e Jessica, amigas inseparáveis de Bianca.

" A palavra piscava em minha mente quando acelerei pela rua 5. Não consegui contar às minhas amigas sobre o novo e maravilhoso xingamento que acabara de ser incorporado ao meu vocabulário, mas, quando vi meu reflexo no espelho retrovisor, a fala de Wesley de que eu era a acompanhante (ou melhor, a seguidora) pouco atraente e indesejável parecia correta. O corpo perfeito em ampulheta, e olhos castanhos e doces de Jessica. A pele perfeita e as longas pernas de Casey. Eu não poderia me comparar a nenhum delas."

De início, ela não entende o significado da palavra e, ao descobrir, faz de tudo para menosprezar o convencido rapaz até que, sem ter nem pra quê, ela troca com ele AQUELE beijo capaz de derrubar quarteirões e esquece completamente sobre suas preocupações em ser DUFF e sobre só ter amigas por ser feia.

Pronto! Temos ai a mola que vai impulsionar a vida de Bianca: a fuga... para os braços do gostoso Wesley.

Wesley é um rapaz solitário e lindo que não nega fogo a quem pede e se achega em seus braços e também possui uma válvula de escape para seus problemas pessoais: o sexo casual. Ao se aproximar de Bianca, nunca iria imaginar que sua vida iria virar de ponta a cabeça e que a garota irritadiça e amargurada seria capaz de compreendê-lo mais que qualquer outra pessoa.
Essa dupla improvável tem uma química explosiva e arrebatadora que os mantém entre tapas e beijos, entre momentos fofos e fogosos, brigando como Gato e Rata e que, aos poucos, os faz perceber a força que têm dentro de si.

Narrado em primeira pessoa apenas por Bianca, com uma escrita envolvente e divertida, repleta de humor ácido e deboche além de uns draminhas particulares para aquecer o fogo desse casal, o livro traz clara a inspiração no Morro dos Ventos Uivantes.

Gostei demais das amigas de Bianca que mostram a ela o que é a verdadeira amizade e fogem do estereótipo de que ser popular e linda é sinônimo de idiota e da forma como a escritora apresentou uma anti-heroína libertária totalmente imperfeita que conseguiu encontrar a forma certa de patinar sobre os problemas da vida.

Apesar de ser minimalista demais, gostei bastante da capa escolhida e das cores, a edição esta ótima para a leitura com páginas amareladas fácil de manipular, só pecou em deixar a fonte pequena demais.

Ops! Claro que não posso terminar minha resenha sem falar do filme que assisti logo que o livro foi publicado em 2016 e que não tem muito haver com a trama do livro mas que gostei bastante mesmo sendo tão diferente do que li agora.

Beijos, Myl

site: https://www.minhavelhaestante.com.br/2019/04/duff-kody-keplinger.html
comentários(0)comente



jubs 25/06/2019

Maravilhoso!
Comecei a ler esse livro por conta do filme e imaginem a minha surpresa quando vi que as histórias era completamente diferentes! Foi uma leitura gostosa demais! Amei as personagens e a maneira como o livro foi escrito. Não estava esperando pelos acontecimentos do livro, então a cada página era uma nova surpresa! Recomendo muito, uma leitura prazerosa, rápida, diverta e que de quebra te ensina várias coisinhas! Tanto o livro como o filme são incríveis e, apesar da história ser a mesma na teoria, são obras diferentes e que agradam bastante!!!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Day 22/05/2019

Somos todos Duffs
De forma cativante e rápida, a história ganha forma. Dois adolescentes que não possuem nada em comum se transformam em uma dupla perfeita cheia de imperfeições.
Seguindo um ritmo natural, a história tem seus dramas, momentos tristes e muita diversão.
Em um momento você está quase chorando, no outro rindo. Tem até um momento em que você ficará com raiva e outro para ficar ansioso.
Bianca Pipet é, sem dúvidas a pessoa perfeita para colocar Wesley Rush nos eixos. Enquanto Wesley, de fato, foi feito para Bianca.
comentários(0)comente



Mylena @gataleitora 03/04/2019

" Às vezes, a ignorância é uma bênção."
Bianca irá descobrir duramente que esta é uma grande verdade....Ou não!


Duff é aquela garota que não chama atenção num grupo de amigas por ser a menos atraente e a que os rapazes se aproximam para usar como trampolim para chegar perto das mais bonitas. Em inglês é a sigla para a amiga gorda e feia. Designated ugly fat friend.



Bianca estava muito bem -obrigada até ouvir dos lábios do irritante pegador- riquinho da escola que ela era a DUFF do seu grupo de amigas e que ele estava se fazendo amigável só para atrair a atenção de Casey e Jessica, amigas inseparáveis de Bianca.



" A palavra piscava em minha mente quando acalerei pela rua 5. Não consegui contar às minhas amigas sobre o novo e maravilhoso xingamento que acabara de ser incoporado ao meu vocabulário, mas, quando vi meu reflexo no espelho retrovisor, a fala de wesley de que eu era a acompanhante ( ou melhor, a seguidora) pouco atraente e indesejável parecia correta. o corpo perfieto em ampulheta, e olhos castanhos e doces de Jessica. A pele perfeita e as longas pernas de Casey. Eu não poderia me comparar a nenhum delas."



De início, ela não entende o significado da palavra e ao descobrir faz de tudo para menosprezar o convencido rapaz até que sem ter nem pra quê ela troca com ele AQUELE beijo capaz de derrubar quarteirões e esquece completamente sobre suas preocupações em ser DUFF e sobre só ter amigas por ser feia.



Pronto ! Temos ai a mola que vai impulsionar a vida de Bianca: a fuga...para os braços do gostoso Wesley.



Wesley é um rapaz solitário e lindo que não nega fogo a quem pede e se achega em seus braços e tambem possue uma válvula de escape para seus problemas pessoais : o sexo casual. Ao se aproximar de Bianca, nunca iria imaginar que sua vida iria virar de ponta a cabeça e que a garota irritadiça e amargurada seria capaz de compreendê-lo mais que qualquer outra pessoa.



Essa dupla improvável tem uma química explosiva e arrebatadora que os mantem entre tapas e beijos, entre momentos fofos e fogosos, brigando como Gato e Rata e que aos poucos os faz perceber a força que tem dentro de si.



Narrado em primeira pessoa apenas por Bianca com uma escrita envolvente e divertida repleta de humor ácido e deboche além de uns draminhas particulares para aquecer o fogo desse casal,o livro traz clara inspiração no Morro dos Ventos Uivantes.



Gostei demais das amigas de Bianca que mostram a ela o que é a verdadeira amizade e fogem do estereotipo de que ser popular e linda é sinônimo de idiota e da forma como a escritora apresentou uma anti heroina libertária totalmente imperfeita que conseguiu encontrar a forma certa de patinar sobre os problemas da vida.



Apesar de ser minimalista demais, gostei bastante da capa escolhida e das cores, a edição esta ótima para a leitura com páginas amareladas fácil de manipular só pecou em deixar a fonte pequena demais.



Ops! Claro que não posso terminar minha resenha sem falar do filme que assisti logo que o livro foi publicado em 2016 e que não tem muito haver com a trama do livro mas que gostei bastante mesmo sendo tão diferente do que li agora.



4/5 estrelas

beijos,Myl





site: http://www.minhavelhaestante.com.br/
comentários(0)comente



Lethy 12/02/2019

OS CLICHÊS NÃO-CLICHÊS
"Nunca foi o meu papel julgar"

Considerando o quanto eu amei DUFF, é estranha a dificuldade que sinto ao tentar expor em palavras tudo o que eu senti durante a leitura agora que ela está terminada. Isso talvez tenha muito a ver com a intensidade com a qual a história me toca toda vez que a leio (e essa já é, atenção, a terceira vez). Existem livros que despem a alma a tal ponto que nos sentimos nus depois de fechar as suas páginas. Após isso, recolocar as roupas é difícil – e a escrita, para mim, é justamente esse processo de se revestir.

Bianca Piper é uma adolescente como qualquer outra, ela tem duas melhores amigas maravilhosas, um pai incrível e um futuro inteiro pela frente. É claro que nem tudo são flores. Jess e Casey, as amigas em questão, adoram festas, o que ela odeia, e a obrigam a passar um tempo maior do que o desejado no Nest, um clube noturno para adolescentes, cujos maiores atrativos para Bianca são as cocas light e a amizade de Joe, o bartender. Sua mãe não volta para casa há meses, usando a desculpa de estar em turnês para divulgar o seu livro, embora seja óbvio que esse não é o verdadeiro motivo. O divórcio de seus pais é iminente, eles só não o botaram em palavras – ou papéis – ainda.

Não bastando tudo isso, agora Wesley tinha feito o favor de abrir sua boca grande, que, infelizmente, fazia mais do que beijar bem – não que ela pensasse nele nesses termos. Ainda. Acontece que, numa noite no Nest, ele a chama de Duff. Designated Ugly Fat Friend (em tradução livre: amigo – ou amiga – feio e gordo da vez) é uma sigla usada para designar a pessoa menos atraente em um grupo de amigos. Ou seja, resumindo, Wesley diz que, comparada a Jess e Casey, Bianca certamente não é a primeira opção de nenhum cara. Agora, ela não sabe o que odeia mais: ele, por ter dito tamanha idiotice; ou ela mesma, por se importar.

Wesley Rush representa tudo que Bianca odeia e, ao mesmo tempo, tudo de que ela precisa no momento. Ele é um rico pegador mimado? Certamente. Foi ele que a chamou de Duff pela primeira vez? Correto. Ela o detesta por tudo isso? Sem sombra de dúvidas. Mas, depois de uma noite conturbada que a levou a tomar uma decisão estúpida, Wesley também mostra ser o único capaz de calar seus pensamentos incessantes e suas preocupações com um beijo.

É justamente por isso que ela embarca em um relacionamento secreto e aparentemente sem futuro, apenas para ter alguns momentos de paz em meio ao inferno para o qual está caminhando sua vida: Wesley se torna sua fuga.

Mas até onde consegue ir uma pessoa que foge de seus próprios sentimentos?

DUFF é o tipo de livro que parte de uma premissa, à primeira vista, simples, porém acaba enveredando por assuntos bastante complicados. A mocinha certinha e o galinha é, com certeza, um dos maiores clichês românticos. Contudo, Bianca e Wesley não são clichês porque eles vão para além do que pressupõem seus estereótipos. A forma com que eles lidam com sexo, beleza, rótulos, expectativas sociais e, principalmente, um com o outro é simplesmente cativante. Eles evoluem juntos e é apaixonante acompanhar esse processo. Faz com que nos sintamos parte de algo importante demais.

[...]

CONTINUA NO SITE

site: https://grupocanetatinteiro.com.br/resenha-47-os-cliches-nao-cliches/
comentários(0)comente



Manny Chuva 25/01/2019

Um 5 estrelas inesperado!
Confesso que comecei a ler esse livro já esperando me decepcionar. Mas eu adorei estar enganada!

Primeiro, eu amo o trio de amigas que é Bianca, Casey e Jessica! Elas são maravilhosas, autênticas e leais. É o tipo de amizade que todos deveriam ter e que dificilmente parece muito natural em um livro.

Segundo, eu tinha certeza de que a parte do romance ia ser um horrível clichê e que o garoto ia ser um babaca insuportável. E na verdade é isso mesmo; um super clichê daqueles que a gente já está saturado, mas acaba se transformando em algo super divertido, familiar e contagiante. E Wesley é sim um babaca insuportável, e divertido, charmoso, sarcástico, honesto, super amorzinho! Apaixonada nesse casal!

O final foi incrível; principalmente as reflexões da Bianca sobre as pessoas, sobre ela mesma e a vida e o amor. Ela é uma protagonista forte e determinada, verdadeira e real, e tem muito a agregar.

5 estrelas com certeza!
comentários(0)comente



Mel Trabach 26/12/2018

Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela.
Ou é o que ela procura acreditar.

Quando Wesley Rush, um dos caras mais populares da escola a apelidado de DUFF - sigla em inglês para: designated Ugly Fat Friend, a menina menos atraente de seu grupo de amigas - ela passa a se enxergar de outra maneira.

A princípio Pode parecer só mais um livro sobre bullying na escola, mas a narrativa também toca em outros assuntos muito sensíveis como: divórcio, alcoolismo e violência doméstica.

A autora aborda assuntos bem complexos mas de forma bem leve e descontraída, e tudo surge de maneira bem natural ao longo da narrativa.

Você vai se reconhecer em vários aspectos de Bianca e de cada um dos personagens, vai perceber que todos nós temos nossa bagagem interior, e que nossas ações sejam elas boas ou ruins influenciam todos aqueles a nossa volta.

Bianca é inteligente, esperta, divertida, e Wesley também é tudo isso, porém se esconde atrás da fachada de Bad Boy da escola, e o que parecia uma combinação improvável, vai gerar ótimos diálogos e te arrancar bons questionamentos.

O livro tem sim uma pegada de romance, mas isso nem de longe é o tema principal da história, além de todos os temas mencionados acima como: bullying, família... o livro também vai falar sobre aceitação, sobre autoestima, enfim problemas que todos nós enfrentamos uma vez ou outra na vida.

A leitura me emocionou bastante, e com certeza eu recomendo esse livro, mas principalmente recomendo ele para jovens pois acredito que esse livro tem muito a ensinar.
comentários(0)comente



101 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7