Pérolas da minha surdez

Pérolas da minha surdez Nuccia De Cicco




Resenhas - Pérolas da minha surdez


16 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Tati Iegoroff (Blog das Tatianices) 14/07/2021

Necessário
Logo nas primeiras páginas, esta obra mostra a que veio ao mundo. Nas linhas inicias já nos deparamos com a oportunidade de conhecer mais da vida da autora, de ver uma sucessão de tombos, mas também uma sucessão de cabeças erguidas para tudo isso. E, com certeza, foi isso que fez eu me agarrar com ainda mais força à obra.

Aos poucos, claro, também vão entrando muitas explicações. Ao longo das páginas, Nuccia nos fala sobre os tipos de surdez (sim, existem muitos!), sobre a história da surdez, sobre Libras, sobre acessibilidade.

Com pitadas de humor — ácido, por vezes — a autora tenta desmistificar “o universo surdo”, além de tentar fazer entrar em nossa cabeça como enxergamos e encaramos as coisas de maneira errada e até absurda.

Mas se engana, como eu já comentei um pouco no início, quem acha que são páginas e mais páginas técnicas e apenas voltadas para a surdez. Em Pérolas da minha surdez estamos em contato com uma história real, de um ser humano real e, portanto, cheio de sonhos, de aventuras, de desejos. E é por isso que, além de aprender sobre a surdez, podemos aprender muita coisa, inclusive sobre, por exemplo, dança do ventre.

Ah, e a Nuccia também ressalta, em mais de um momento, que ela é surda, mas que isso não a torna alheia ao mundo. Muito pelo contrário. Quando não podemos mais contar com um de nossos sentidos, os outros tornam-se ainda mais sensíveis…

Para além de tudo o que já mencionei, outros dois elementos que me conquistaram demais nessa obra, foram o fato de, apesar de explicar e apresentar muita coisa, a autora usar uma linguagem muito fácil e acessível, o que torna a leitura bem fluída e interessante.

E o fato de que, como esta é a segunda edição, publicada em 2020, li uma versão atualizada da obra, mencionando o contexto pandêmico também, que trouxe sim mais algumas barreiras para os surdos.

Considero que Pérolas da minha surdez é um daqueles livros que precisam ser lidos ao menos uma vez na vida. Ao final da obra, ainda há uma série de referências de livros e filmes/séries com personagens surdos ou sobre a surdez. Ou seja, uma obra para termos sempre à mão também.

site: https://blogdastatianices.com/2021/07/14/perolas-da-minha-surdez-nuccia-de-cicco/
comentários(0)comente



Aline Cristina Moreira 23/11/2019

Perfeito!
Alguém imagina o que é ficar surdo aos 27 anos? Confesso, que isso nunca havia me passado pela cabeça até conhecer a história da @nucciadecicco . Acho que a maioria de nós vive de maneira tão alheia às situações fora de nossa realidade que nem sequer pensamos que um cem números de coisas podem nos acontecer durante o dia para mudar a maneira com que vivemos; e a história da Nuccia foi assim.
Ela teve que aprender a lidar com a surdez, que surgiu em sua vida repentinamente, e teve que adaptar sua vida para que se adequasse a esta nova realidade; e neste livro podemos saber um pouco a respeito dessa transição.
Eu já conhecia a autora e uma parte de sua história, mas jamais poderia imaginar alguns dos detalhes contidos nesse livro. É um história de força e luta e, embora eu não me considere uma completa ignorante aos assuntos que envolvem a surdez, descobri que tinha muita coisa que eu não sabia; e adorei descobrir lendo a história da Nuccia.
Esse livro é, simplesmente, maravilhoso; assim como tudo que ela escreve! E todos deveriam lê-lo!
comentários(0)comente



Tião 07/08/2018

NÃO EMPRESTE (ELE NÃO VOLTARÁ MAIS)
O livro é tão bom, que após ler, comentei tanto a respeito que tive de emprestá-lo. Até hoje não vi mas nem a cor dele. Espero que infinitas mãos se apoderem dele, e levem a mensagem de Nuccia De Cicco ao maior número de pessoas possível. A autora tem o incrível talento de nos transmitir informações importantes, baseada nas experiências que a vida lhe impôs, de uma forma muito bem humorada, mesmo diante de acontecimentos tristes. Ela faz jus do adjetivo de mulher guerreira. Nuccia é simplesmente "D+".
Nu e As 1001 Nuccias 20/12/2018minha estante
Minha nossa! Vamos abrir uma campanha "Devolvam o Pérolas do Tião"! Obrigada por tudo sempre!




Vivi 09/07/2018

Narrativa fluída e divertida.
Aqui você não vai encontrar aqueles textos longos e didáticos, mas vai receber da autora muito informação de forma fluída e divertida. Nuccia é um exemplo, não de superação, mas de como viver a vida em sua plenitude.
Nu e As 1001 Nuccias 09/07/2018minha estante
Muito obrigada, Vivi!!!




CuraLeitura 26/10/2017

Resenha: Pérolas da minha surdez
Acredito que ninguém que nasceu e tenha todos os sentidos faça ideia do que é, de repente, perder um deles. As mudanças na vida são drásticas, há perdas, há dificuldades, há readaptações, mas há também recomeços e a oportunidade de se rodear de pessoas que realmente se importam com você. Porque amigos de verdade são aqueles que ficam ao seu lado em qualquer situação.

O livro Pérolas da Minha Surdez foi para mim, além de uma forma [um tanto quanto divertida] de conhecer a vida da Nuccia, um guia sobre a surdez, onde pude tirar dúvidas e adquirir milhões de novos questionamentos.

Eu confesso que eu não sabia praticamente nada sobre a surdez, e creio que a maioria das pessoas também não. Mas, diferentemente da maioria, eu tenho curiosidade e interesse em saber mais sobre tudo, não só sobre a surdez.

Conhecer a Nuccia me fez ter uma nova perspectiva sobre diversos problemas que pessoas com ausência de sentidos e de membros têm e passam todos os dias. E quando você aprende, pelo ponto de vista de alguém que passa por isso todos os dias, você vê o quanto as pessoas, as autoridades não estão nem aí para tudo isso.

Imagine que você adora filmes, animações, nacionais, e de repente não pode mais assisti-los porque o cinema não oferece legendas. Imagine que você é apaixonada por dança (eu sou) e não poder realizar o sonho de ter seu registro de dançarina porque o Conselho não abre exceções para pessoas surdas, mas que pode sentir as vibrações das músicas.

Imaginou? Não é nada comparado ao que quem perdeu a audição realmente passa.

Em Pérolas da Minha Surdez, aprendemos os tipos de surdos e as comunidades, além de lermos sobre diversos preconceitos e, claro, muitas pérolas.

Mas não pense que é um livro de todo triste. Você vai gargalhar com muitas coisas, seja por a autora ter escrito de forma a te fazer rir, seja por incredulidade de que algumas coisas realmente aconteceram.

É um livro que vai mudar sua visão sobre as pessoas e te fazer querer se aproximar de todos, ter uma forma de se comunicar com todos, abraçar todos e transformar o mundo em um lugar melhor para eles, com mais integração, menos desrespeito, menos preconceito, mais aceitação, acessibilidade, menos olhares tortos, e muito mais amor.

O livro ganhou o Prêmio Brasil Entre Palavras 2016 na categoria melhor não-ficção/biografia.

site: www.curaleitura.com.br
Nu e As 1001 Nuccias 27/11/2017minha estante
Obrigada, sua linda!!!




Vanda 21/07/2017

Autobiografia que narra com sutileza, humor, sensibilidade e objetividade a história da vida de uma fênix
Esse texto não é resenha, primeiras impressões, apresentação de autora, divulgação... Não! Não é nada disso. Eu estava devendo algum comentário sobre o livro “Pérolas da Minha Surdez”, da autora Nuccia de Cicco, mas o blog já tem resenha do livro e a Giu (nossa administradora-mor) também já escreveu as primeiras impressões sobre ele. Entretanto, no ano passado, senti vontade, necessidade de falar alguma coisa sobre o livro.
Hoje, curtindo as minhas tão sonhadas e merecidas férias, num dado momento, quando estava ouvindo músicas (uma das minhas paixões) no MP3, literalmente, dei de cara com o livro da Nuccia. Na hora, peguei o livro e pensei: será que a Nuccia gostava muito de ouvir músicas? Se sim, como será que ela está sobrevivendo sem poder mais ouvi-las? Decidi, então, que esta era a hora de comentar sobre seu livro e foi assim que esse texto surgiu.
Fiquei (e ainda estou) com muitas dúvidas sobre o conteúdo do que vou escrever e se vai ser bem entendido por ela e por vocês. Cheguei a conclusão de que não consigo falar sobre “Pérolas da Minha Surdez” sem falar da Nuccia e que também não consigo falar sobre a Nuccia sem falar sobre “Pérolas da Minha Surdez”, pois Nuccia e “Pérolas da Minha Surdez” se explicam, se completam. Então, vou falar um pouco sobre a Nuccia entremeando com o livro (ou será o contrário)? Sei lá...
Bem, pessoal, tenho o privilégio de conhecer a autora pessoalmente, de tê-la visto se apresentar com seu grupo de dança do ventre, de termos conversado descontraidamente e zoado em um encontro no shopping, assim como tenho o prazer de interagirmos na internet através de nossos blogs, postagens e conversas ocasionais.
Quem leu seu livro ou tiver a curiosidade de ler terá uma autodescrição perfeita dela. O que posso falar sobre “Pérolas da Minha Surdez” é que ele é como a Nuccia: verdadeira, consciente, profissional, direta, franca, objetiva, transparente, sem “mimimis” e delongas.
O que isto significa? Significa que a Nuccia conseguiu colocar em seu livro um roteiro precioso de sua vida, fornecendo informações desde o dia de seu nascimento até os dias atuais sem ser prolixa desnecessariamente. Todas as informações que ela fornece são extremamente úteis para que o leitor mergulhe em sua história e sinta-se integrado na época e ambientes nos quais os fatos marcantes e determinantes de sua vida aconteceram.
A autora comenta que não se considera expert no assunto, mas que vive sempre numa incessante busca por informações científicas e tecnologias que a auxiliem na interação com o mundo e com as pessoas que a cercam. Duvido que você, pós-leitura de “Pérolas da Minha Surdez”, não se sinta, de alguma forma, uma pessoa diferente, seja pela emoção da história, seja por conhecimentos e/ou informações adquiridas ou por ser apresentada a uma mulher tão atuante e determinada que, como a Fênix, tem a capacidade de, a cada dia, renascer das cinzas.
Vou deixar claro que “Pérolas da Minha Surdez” não é um livro de autoajuda, não é um manual de como lidar com os surdos ou com a surdez, não é um livro triste e/ou deprimente, não eleva a autora ao posto de heroína, “Mulher Maravilha” ou afins, mas posso garantir que é um livro que traz um enredo tocante e instigante, no qual a Nuccia desempenha a personagem central da história, enfrentando inúmeras batalhas (batalhas, sim, porque a guerra contra a Neurofibromatose ou NF continua, não é, Nu, sua linda?) com muita garra, persistência e determinação, além de dar a oportunidade ao leitor de conhecer uma mulher multifuncional: bióloga, cientista, bailarina, blogueira, escritora, bruxa, pesquisadora,...Ufa! Ser surda ou ter se tornado surda aos vinte e tantos anos é mais um detalhe de sua dinâmica e intensa vida.
Bem, gente, a Nuccia se apresentou e se autodefeniu brilhantemente no livro e eu, além de sua apresentação também tenho outras impressões e sentimentos sobre ela. Sinceramente falando, esse texto não é para endeusar a autora, até porque destoo de alguns pontos de vista e, digamos, preferências que ela nos descreveu no livro, como amar cobras e sapos, ser bruxa de coração e ser praticante de uma religião politeísta, no seu caso, o paganismo.
Quando a conheci pessoalmente, minha empatia e admiração por ela se manifestaram instantaneamente. A Nuccia, sob meu ponto de vista, é claro, não é detentora de uma beleza estonteante, de um corpo escultural, de modos e trejeitos sofisticados. Ela é uma mulher bonita, com um biotipo diferente, mas o que me chamou atenção naquele exato momento, foi a firmeza e o brilho do seu olhar, seu sorriso e alegria contagiantes, sua simpatia e espontaneidade. Em poucos minutos de aproximação, senti que o ser humano Nuccia de Cicco, independente de seus erros e acertos, de suas batalhas ganhas e perdidas, de suas frustrações e expectativas, de suas crenças e gostos extravagantes (sapos e cobras, Nu? Aff!!!), de suas escolhas e rejeições emana e irradia força, garra, coragem e determinação.
Quanto a “Pérolas da Minha Surdez”, é uma autobiografia que narra com sutileza, humor, sensibilidade e objetividade a história da vida da autora que utiliza-se, na medida certa, de flashbacks que remetem a memórias de sua infância e adolescência, permitindo que o leitor tome conhecimento de seus planos e expectativas, das pessoas que tiveram importância relevante em sua vida, de seus mais importantes relacionamentos amorosos e de outros problemas de saúde que ela enfrentou antes de ser diagnosticada como portadora de Neurofibromatose.
Nuccia foi muito generosa com o conteúdo de seu livro, porque por mais que eu a classifique como exemplo de superação e aceitação sei que ela deve e tem que se superar constantemente e que o que chamamos de aceitação é, na verdade, uma intensa e incansável luta em busca de soluções e/ou adaptações que permitam-lhe conviver da forma mais próxima possível do mundo projetado para os “normais”. É certo que nada foi, é ou será fácil, que ela deve ter passado (ou passe, ainda) por momentos terríveis de questionamentos, inconformidade e desânimo, o que é perfeitamente normal e compreensível, mas, em momento algum de sua narração, ela conduz o leitor por estes caminhos dolorosos e tortuosos, deixando-o desalentado, esmorecido ou deprimido. Em determinadas cenas, ela até faz algumas alusões aos seus momentos “down”, mas o que prevalece mesmo em sua narrativa é a opção que ela fez para sua vida:
“... escolhi continuar vivendo bem com o que me restou ao invés de parar a vida por causa daquilo que perdi.”.

Escolha inteligente, mas difícil e fatigante, porém, se fosse uma escolha fácil e cômoda não seria a escolha da Nuccia, certo?
Logo no começo do livro, mais precisamente no capítulo de agradecimentos, me vi lendo, relendo e refletindo sobre o agradecimento que a autora faz, justamente, aos seus leitores. Confiram:
“A você, tão importante quanto todos. Sem você, leitor, seriam muitas palavras jogadas ao vento, a história de uma vida em vão.”
Realmente, Nuccia, não é justo palavras tão expressivas e impregnadas de todo tipo de sentimentos serem jogadas ao vento. Não é digno deixar que a história de uma vida tão marcada por lutas por espaço, adequação, superação e aperfeiçoamento tenha sido escrita em vão. Então, Nu querida, desejo, de coração, que cada um que leia essa postagem, adquira o livro e/ou ajude na divulgação, pois, além do fato de o autor precisar ter retorno financeiro pelo investimento na obra, uma história forte, marcante, peculiar e tão significativa não pode ter sido escrita em vão, mas, sim, para ser conhecida e guardada na mente e no coração de muitas, muitas, muitas pessoas.
Nuccia (Fênix) de Cicco, sinto-me imensamente honrada e gratificada por tê-la conhecido!

site: https://clubedolivro15.blogspot.com.br/2017/01/homenagem-eu-conheco-uma-fenix.html
Nu e As 1001 Nuccias 27/11/2017minha estante
Vandinha, sou tua fã!!!!
Normal é manter o controle das emoções, mas você sempre me derruba! Espero que goste do livro novo!!




Nilda Lins 15/02/2017

Amei o livro! Eu não costumo ler autobiografia, mas a história de vida da Nuccia conseguiu me cativar, não larguei o livro enquanto não terminei a leitura, e isto não é algo que ocorre com muita frequência. Mas realmente fiquei encantada com sua força e determinação em não se deixar abater com sua situação, e isso me fez pensar e refletir, sobre muitas coisas que acontecem em nossas vidas, que vem para nos fortalecer e não para nos enfraquecer. Acho que todos deveriam ler este livro, uma verdadeira lição de vida!😍😍
Nu e As 1001 Nuccias 04/03/2017minha estante
Ain, que linda!!! Muito obrigada por registrar sua opinião!




Morgana Brunner 19/10/2016

Resenha l Pérolas da minha surdez - Nuccia de Cicco
Oiii gente,tudo bem?
Hoje venho aqui trazer a resenha desse livro incrível que recebi em e-book pela querida da Nuccia de Cicco, quem me acompanha sabe o quanto admiro sua escrita e o que recebi dela! Coisas fofas e lindas que irei guardar com todo carinho.
Diante disso, não aguentei e pulei a fila de leitura, colocando Pérolas da Minha Surdez em primeiro lugar, no qual não me arrependo e já estou sentindo falta de ler.

Pérolas da minha surdez é um livro emocionante onde a autora retrata os momentos que vivenciou e vivencia em sua vida. Diante do que aconteceu, um mistério a parte. Quem sabe muito de vocês conheçam a história ou não, mas adoraria que todos lessem.

Nuccia de Cicco sempre foi uma mulher com vontades e sonhos que gostaria de realizar. Tinha um relacionamento estável e estudava o seu sonho no qual conseguira com dedicação.
Mas, com o tempo algumas situações diferentes começaram a acontecer, um sentimento estranho de não conseguir estar escutando direito de apenas um lado de seu ouvido. Porém, Nuccia acho que não seria nada grave, afinal sempre temos aqueles dias que tudo parece estar diferente, até nós mesmo.

"Não foi possível determinar se perdi a audição por conta de uma doença ou não." Pág. 21

A vida foi seguindo em frente e uma surpresa aconteceu, não escutava nada! O que será que havia acontecido? Ninguém sabia, só que sentia falta de escutar os barulhos da rua, o latido dos cachorros, era algo simples, mas de certa forma fazia uma falta danada para sua vida.

Resolveu procurar ajuda, porém não tinha mais o que fazer e desde então continuou a seguir a sua vida, enfrentou situações e pessoas que tiveram um certo tipo de preconceito por ser surda e poder falar, não entendiam como ia acontecia e quando Nuccia contava ficavam com pena.
Sempre fora uma mulher guerreira que desde o acontecido queria conseguir viver sua vida normalmente, concluir sua faculdade, continuar com a dança do ventre e dentre outras coisas que era apaixonada.

"Aprendi que posso ser muito romântica sem parecer delicada, frágil ou poética." Pág. 33

Novas situações aconteceram, fim do relacionamento e uma nova vida começou a surgir, encontrou forças para confiar em outras pessoas que não sabia de onde conseguira isso, mas viu como era capaz e seguiu em frente. Sempre com vontade de viver e querendo ser vista e ser aceita, sem a sociedade ter piedade ou preconceito.

Nuccia procurou esclarecer na obra algumas dúvidas que realmente são frequentes em relação a isso, se a pessoa pode ter um relacionamento normal, como dançar, transar, passear e fazer amigos. Além disso, poder participar de disputas, envolvimento com outras pessoas que trazem muita dedicação e força de vontade.

"A vida é muito mais do que ser melhor que alguém." Pág. 85

A cada momento tem uma explicação dos quais motivos realmente levaram a isso e quais eram os tipos de surdez que as pessoas poderiam ter, deixando claro que foram especialistas que falaram sobre isso e sua opinião, Nuccia, que realmente é marcante e perceptível. Não deixando escapar nenhum pouquinho do assunto, levando considerações importantíssimas.

No final da obra tem uma indicação de livros que retratam sobre esse assunto, com histórias e casos fascinantes que iriamos adorar conhecer.

Mesmo a edição sendo em e-book parece realmente ser bem bonita e com uma delicadeza fofa, só imagino como deve ser linda a edição em físico.
A escrita da Nuccia é maravilhosa, li a obra em apenas um dia, pois ela usa um tom irônico e algumas vezes é engraçada nos fazendo rir e explicando cada parte que poderíamos ficar em dúvida.

site: http://segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br/2016/07/resenha-l-perolas-da-minha-surdez.html
Nu e As 1001 Nuccias 04/03/2017minha estante
\o/ Obrigada, Morgs!!!




LT 24/08/2016

Preciso começar confessando que, raramente, muito raramente mesmo, leio Biografias e ou autobiografias, como é o caso de Pérolas da minha surdez. Mas preciso dizer também que, esse livro me foi uma grata surpresa, mais do que esperava.

Uma história real, contada por uma pessoa real e que passa mensagens muito importante para nós, ouvintes, para pessoas que convivem com a surdez, e ou para aquelas que tem de passar por qualquer doença que venha a lhes acometer na vida (note que não estou chamando a surdez de doença, estou dizendo que o livro passa uma mensagem que vai servir de alerta para qualquer um em relação a doenças, pois o que levou nossa autora a tornar-se surda, foi uma doença, mas esse não é o caso da maioria dos surdos).

Bem, vamos prosseguindo. Nuccia nos faz passear pelas páginas rapidamente com sua história de vida. A autora soube conduzir a escrita de diversas formas, contando rapidamente os acontecimentos mas com as emoções implícitas em cada palavra. Uma vida cheia de reviravoltas de verdade e que nem sempre são boas. Muitas perdas, de todos os tipos, amorosa, fraternal, emocional e física – com a mudança por conta de sua nova condição depois de adulta.

Você consegue imaginar como pode ser difícil se readaptar e fazer o seu corpo entender que, um sentido do qual você usou e abusou por mais de 20 anos, simplesmente desapareceu e que a probabilidade de voltar é... pois é, é isso o que acontece com a Nuccia. Ela que é bióloga, cientista, bailarina, que ama músicas, livros, é blogueira e autora tem que enfrentar da noite para o dia.

Quais as maiores dificuldades que ela enfrentou e continua enfrentando desde que encontrou-se em sua condição de surdez? Como leitora, depois de ter devorado as páginas das pérolas, chego a conclusão de que, não só ela, mas todos os surdos, sejam eles de que categoria for (Sim, eles se dividem. É, eu sei, você também não sabia, mas está tudo explicado no Pérolas, é só ler e apender!), somos nós, os ouvintes que nem sempre sabemos ouvir. Nós esquecemos de que as pessoas que tem uma condição diferente da nossa também precisam de inclusão e só quando passamos a conviver com alguém que tem essa condição diferenciada e ou ao menos conhecemos uma é que vamos nos dar conta da importância da inclusão. Pode confessar, eu deixo: A gente não pensa nessas coisas antes do assunto bater na nossa porta de algum modo. Não lembramos de colocar legendas em vídeos, entre outras coisas que podem facilitar a vida das pessoas que precisam e isso de proporcionar-lhes deveria ser algo bem natural e não algo para nos preocuparmos...

É importante aprendermos obre diversos assuntos que nos cercam. É importante aprendermos a conviver com as diferenças e a melhorarmos as condições para todos, afinal, o que seria do mundo se não fossemos, de algum modo, todos diferentes? É isso que de um modo completamente irreverente e que faz com que a leitura flua facilmente que Nuccia nos faz ver o mundo com um olhar diferente, mais humanos, mais compreensivo, mais o que precisamos do que o que fazemos. É de um modo divertido e comovente que ela apresenta de maneira rápida o universo no qual passou a viver também e a necessidade de que não sejam dois universos diferentes, o dos ouvintes e o dos surdos, mas que tenhamos uma unificação que beneficiará a todos.
Força de vontade: ainda que tudo esteja contra ela, inclusive o medo.
Superação: ainda que os obstáculos pareçam intransponíveis, eles não são, somos nós que os fazemos ser para nós mesmos ou para os outros. Portanto, pense antes de infligir aos demais dificuldades, um dia, pode ser com você.
Garra: mesmo que tudo e todos olhem para você com a expressão: Você não vai conseguir! Acredite, para você não conseguir algo, isso depende apenas de você.
Medo: e que vai com medo mesmo, o importante é viver e seguir, porque se você parar, ah, meu amigo, aí sim você estará ferrado!
Aceitação: ainda que pareça que você não aceitou, a verdade é que se você consegue seguir em frente, realizar sonhos e tornar sua vida, uma vida que lhe faz bem, você está se aceitando, ainda que não perceba e isso faz toda a diferença!
Vida: a dar valor aos pequenos momentos, as coisas simples, ao amor, aos sentidos, a vida! Viva a vida, não passe por ela sem viver, essa é a mensagem mais importante!
Coragem: tenha coragem para enfrentar tudo, segure na mão das pessoas que te amam e principalmente na sua própria e encare.

Acredito que já ficou claro, Nuccia conseguiu me tocar com sua história de vida. Ela é, sem sombras de dúvidas, uma guerreira! E obrigada por me mostrar que, apesar de perder um sentido, apesar das dificuldades, ainda é possível viver e sentir muito, sentir-se viva mais do que quem tem a audição ou qualquer outro sentido funcionando perfeitamente, basta querer. Por me mostrar esse outro lado da moeda, ensinando sobre surdez e de certo modo do quanto podemos ser mais humanizados, mais “gente boa”, digamos assim.

Quanto a edição, ela realmente importa quando o livro lhe conquista, como dizem, te pega pelo laço e você o lê em pouquíssimas horas? Mas ainda assim, vamos lá! Folhas brancas (não tão adas) mas que não atrapalham a leitura porque as fontes tem um tamanho ótimo para leitura. Uma edição simples, com uma capa que condiz perfeitamente com o enredo real que ele nos apresenta. A revisão está boa, com alguns errinhos de digitação, bem poucos mesmo, mas nada que atrapalhe a leitura.

[Quotes]
"Jogue seu coração à frente e saia correndo para pegá-lo." - Provérbio Árabe.
Desapegar não é esquecer...
Saudade é um sentimento lindo, mas também é uma amarra ao passado, fazendo com que você não olhe adiante.
Acessibilidade não é só permitir meios para que alguém consiga entrar, É, além disso, conceder oportunidades para que estas mesmas pessoas possam permanecer e entender o que ali existe.

Ah, uma das grandes lições, que aprendi nesse livro, é que as vezes, tudo que podemos fazer na vida, é dar forças para que alguém possa seguir e ao meu ver, desse modo, estaremos sempre vivos, seremos parte do coração dessa pessoa para sempre, afinal.
Enfim, recomendo a leitura para quem tá precisando ser um pouco mais humano, para quem precisa aprender a olhar o lado do outro e para quem precisa se aceitar com seus limites (que você é quem impõe) e suas dificuldades. Você é capaz de muito mais, basta querer!

Resenhista: Ana Luz.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
Nu e As 1001 Nuccias 04/03/2017minha estante
Muito obrigada, meninas! Vi os erros da edição e já anotei para quando for sair a segundona! Beijo!




Tamara 17/06/2016

Conheci A nuccia há uns meses, em um grupo de blogs e lá eu falava justamente sobre a falta de ajuda de alguns blogueiros que postavam apenas imagens, sem escrever os nomes dos livros, e algumas coisas do estilo, que dificultam muito minha vida como leitora, uma vez que sou cega total, e então alguém mencionou que ali naquele grupo mesmo tínhamos uma surda, que também sofria vários problemas em relação a vídeos sem legenda, entre outros, e eu fiquei sabendo sobre alguns deles de forma bem básica. Nessa ocasião adicionei-a no perfil do facebook e fiquei acompanhando as novidades sobre seu livro. Logo, o meu interesse em ler Pérolas da minha surdez surgiu com muita intensidade, e agora quando surgiu a oportunidade dessa parceria fiquei imensamente feliz por poder conhecer um pouco mais sobre esse mundo silencioso. E o livro foi tudo o que eu esperava e mais um pouco. Em vários momentos me identifiquei com Nuccia, por ter também uma "deficiência", palavra que a autora nos conta que não gosta que usem para se referir a si, e por também enfrentar muitos desses preconceitos. Enquanto lia as páginas, me via ali, descrita também, e entendia as partes difíceis e as novas que ela teve de enfrentar. Também é possível perceber que a pesquisa feita para a escrita desse livro foi muito intensa e que além de podermos saber um pouco sobre Nuccia, também podemos aprender muito sobre a surdez em geral.
A autora tem uma escrita muito leve, mesmo naqueles momentos em que fala sobre termos técnicos da sua doença ou quando nos explica sobre as línguas de sinais utilizadas por surdos, ou algumas das tecnologia que os ajudam e faz com que cada leitor se identifique em algumas partes, e mostra que sempre é possível lidar com aquilo de inesperado que surge em nosso caminho. Cada leitor conseguirá por alguns momentos imaginar com clareza tudo aquilo sobre o qual Nuccia fala, e ao final do livro com certeza irá sentir que aprendeu algo e desejará a partir de então prestar atenção às pessoas que estão ao seu redor e quererá saber como poderá ajudá-las. Essa leitura é feita de uma forma muito rápida, pois assim que começamos a conhecer sobre nuccia não conseguimos mais largar até chegarmos a última página dessa obra fantástica. Outra curiosidade que achei muito interessante ao decorrer do livro, é que a autora inseriu os links de várias matérias em sites sobre o que ela discorria na obra naquele momento, por exemplo, matérias falando sobre surdez ou matérias que falam sobre ela própria.
O livro é dividido em nove capítulos curtos, tratando sobre como a autora ficou surda e como nasceu o livro, um pouco da história de sua vida, como ela é enquanto surda, contando-nos que apenas não ouve, mas que fala normalmente, fala um pouco sobre os tipos de surdos que existem, sobre modos de comunicação, sobre seus anos como dançarina do ventre e como foi essa relação com a dança, apresenta-nos curiosidades sobre perguntas que as pessoas sempre tem vontade de fazer mas não fazem, um capítulo intitulado: e se? e um capítulo para outras biografias que ela recomenda. e o livro é todo narrado em primeira pessoa. A revisão da editora está perfeita.
Recomendo para todos os leitores que gostam de boas autobiografias, e também para aqueles que não gostam mas tem vontade de se aventurar no gênero, e também para conhecerem uma pessoa bem-humorada e animada com uma escrita cativante como Nuccia.


site: Resenha original em: http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/06/resenha-perolas-da-minha-surdez.html
Nu e As 1001 Nuccias 04/03/2017minha estante
Tamara, foi um prazer imenso conhecer você! Muito obrigada pelo carinho!




spoiler visualizar
Nu e As 1001 Nuccias 20/12/2018minha estante
Obrigada, Quel!!! Agora quero ver se você gostará do livro novo!




Lu 03/05/2016

Todos devem ler!!
O que falar deste livro? Simples: TODO MUNDO PRECISA LÊ-LO!!!!! Não digo isso para puxar o saco da autora ou para chamar atenção. Digo que todos devem tê-lo porque este livro foi esclarecedor e por que não dizer "um tapa na minha cara" por diversos motivos? Sou grata por ter tido a oportunidade de lê-lo e de poder dizer que sou amiga da autora. Seu livro me fez rir, chorar e aprender tanto sobre o mundo daqueles que vivem privados de som que não tenho como agradecê-la o suficiente por este presente.
Mas do que se trata Pérolas da Minha Surdez? É uma curta biografia da carioca Nuccia de Cicco, escritora, dançarina do ventre e... surda (além de muitas outras características, claro). A Nuccia nos conta, através de uma narrativa incrivelmente divertida e emocionante, seu relato de vida relacionado ao diagnóstico de surdez total irreversível. O livro amplia nossa mente e mostra, com histórias reais, tocantes e descontraídas, como foi o processo de adaptação, os preconceitos e os desafios que ela ainda tem pela frente. Não fala apenas da Nuccia após o diagnóstico; dá um panorama geral sobre sua vida e relações antes de tudo mudar. Vivemos os sentimentos intensamente ao seu lado: seus amores, decepções, família, medos e conquistas.
Aprendi muito com este livro e admiro ainda mais a autora depois de conhecer a sua história de vida. Ansiosa para conhecer outras obras da Nuccia, pois sei que não me decepcionará. Ótima obra e escritora fantástica Recomento fortemente!
Nu e As 1001 Nuccias 04/03/2017minha estante
Oi, Lu! Muito obrigada!!! Continue recomendando a seus amigos! ;)




Conchego das Letras 28/04/2016

Resenha Completa
Quem navega pelos blogs literários, com certeza já deve ter visto a Nuccia por aí! rsrs

Ela é uma querida, que sempre interage com muito carinho com todos... Seu livro é uma autobiografia (mas não daquelas chatas de ler!), super bem escrita e com um "Q" de humor. É curtinho, apenas 122 páginas, e a leitura simplesmente flui! Já posso adiantar que é o tipo de livro que toda pessoa deveria ler, principalmente aquelas que vivem reclamando da vida...

Como acabei de citar, em Pérolas da minha surdez vamos conhecer a história de Nuccia, uma mulher tagarela, cientista (Bióloga com Mestrado e Doutorado em Bioquímica), dançarina de dança do ventre, poetiza, escritora, blogueira, e que de repente se viu surda... Como ela mesma diz no livro: "uma surda que ouve com olhos e fala com as mãos, mas que também ouve com mãos e fala pelos cotovelos.

"Recentemente, li em Ouvindo o Silêncio, de Armando Nembri, que as palavras surdo e ouvinte não se encaixam muito bem nas pessoas, pois existem surdos que ouvem muito bem com os olhos, e ouvintes que não sabem ouvir, mesmo tendo uma boa audição. Até agora, não tive como ou porque discordar. Pelo contrário, até complemento: existem ouvintes que percebem a surdez melhor do que muitos surdos e alguns Surdos que se recusam a ouvir outra pessoa."

Em 2004, Nuccia perdeu sua audição do lado direito e algum tempo depois, em 2007, perdeu a audição do lado esquerdo também. Depois de alguns exames, foi diagnosticada com Neurofibromatose ou NF tipo 2 (não irei entrar em detalhes pois no livro ela explica bem certinho), em que um dos sintomas é a perda de audição.

"Tumor é um treco silencioso. Não é como a gripe que já chega te ferrando, dando sinais febris ou entupindo seu nariz."


Você consegue se imaginar nessa situação? Você que é apaixonado por música e ama dançar, que ama uma boa roda de conversa entre amigos, que escuta um batido na porta, o barulha da chaleira fervendo, barulho das ondas do mar, o choro do seu filho, que ama ouvir a voz daquela pessoa que você ama... Imagine você, na sua idade atua,l perdendo completamente a audição; no lugar de todos estes sons, ouvir somente um infinito silencio...

"As pessoas dizem Posso imaginar bem o que você está passando. Desculpem, mas a imaginação não chega aos pés da realidade. Por mais empatia que o ser humano tenha, é praticamente impossível perceber quanta falta faz um sentido que você tem."


Nú conta sua história de uma maneira descontraída, mostrando com seriedade as dificuldades e o preconceito que passa. Ela nos relata seus sentimentos, como fez para se adaptar, fatos que aconteceram e acontecem no dia-a-dia dela; responde-nos muitas perguntas que (por ignorância ou falta de conhecimento) temos sobre o assunto ; mostra-nos um pouco sobre a história da surdez no mundo e no Brasil; conta-nos como aprendeu a viver sem ouvir, desenvolvendo outros sentidos, como aprendeu libras e leitura labial.

"Quando dizem que você aprende a desenvolver mais um sentido porque perdeu outro, não é sem fundamento. Ao perder a audição, aprendi a usar melhor minha visão periférica a um nível bem sensível."

"O tato é praticamente um sentido à parte. Só pelo jeito como as pessoas me tocam, sei se querem fazer perguntas, dar notícias, chamar minha atenção ou algo completamente diferente. Também sei diferenciar ritmos pela forma como as vibrações são espaçadas no tempo musical."

Com certeza, o livro foi uma grande lição de vida pra mim, fez com que eu pensasse no quanto não damos valor para as pequenas coisas, como uma coisa tão importante pra nós passa despercebida todos os dias.

"Todo mundo diz que sou um exemplo de superação. Porém ninguém sabe, realmente, que eu não superei nada. De algum modo, meu organismo se recusa a aceitar passivamente, a superar e deixar pra lá."

Ao final do livro, Nú nos indica outras obras sobre o tema e nos faz um alerta de que se algum momento você desconfiar que está perdendo a audição, um pouquinho que seja, procure um médico, corra atrás, faça os exames.
"Ah... Mas eu não tenho tempo!" Tire um tempo e vá, não invente desculpas, sua saúde é muito mais importante do que a faculdade, o trabalho, o lazer!

Amei ter lido esse livro e super-recomendo a todos, independente do gênero literário que você goste, você deve ler esse livro! :)

Bom é isso, espero que tenham gostado.
Grande beijo!


site: http://conchegodasletras.blogspot.com.br/2016/04/resenha-perolas-da-minha-surdez.html#more
Nu e As 1001 Nuccias 04/03/2017minha estante
Oi, meninas! Muito obrigada pelo apoio! Adorei as palavras de vocês. Os erros de edição já estão anotadinhos!




Clube do Livro 17/03/2016

resenha do blog clube do livro e Amigos
RESENHA

O livro "Pérolas de Minha Surdez" pode, a primeira vista, parecer apenas mais um livro autobiográfico, ou até mesmo de crônicas bem humoradas, escrita sobre o complexo mundo silencioso, sem som.
Mas, não se deixe enganar um só minuto pelo título, que poderia muito bem se chamar "O Som do Coração", ou "Cale a Boca e Veja o Mundo ao Seu Redor", porque se pararmos para analisar, quantos de vocês que estão lendo essa resenha tentaram imaginar uma vida sem o som? Só por 5 minutos te convido a tapar bem os seus ouvidos e a imaginar que você de uma hora pra outra perdeu a audição. Música? já era. Esquece...! Ouvir a voz de quem você ama? Esquece...!
Coisas triviais da vida como  campainha, interfone , telefone, pessoas conversando em casa, televisão , escola, trabalho e, em fim,  até mesmo atravessar a rua sem poder ouvir a buzina, virou um desafio. Tudo na sua vida totalmente virado de cabeça para baixo porque, de repente, a sua vida mudou por causa da ausência do som. Como conseguir dar a volta por cima de tantas dificuldades inimagináveis para aqueles que não passaram por isso?

Nascer sem nunca ter podido ouvir algum som deve ser bem ruim, mas a falta que deve fazer perder um sentido tão natural, deve ser terrível.

Aí eu te pergunto o que fazer quando isso acontece?

(A) senta e chora
(B) se faz de vítima e se entrega à mercê da sorte
(C) luta contra o mundo e enfrenta-o para vencer cada obstáculo



Se você escolheu a alternativa ( C ), parabéns!! 


?

Você seria exatamente como a autora desse livro: uma pessoa linda, bem humorada, bióloga doutorada, belly dance, divertida, escritora, blogueira.... e surda! 


Mas peraí!  Você deve tá achando que eu estou de sacanagem ou que tudo isso ela conquistou antes da surdez.
Tisc, tisc, tisc, não sabe de nada, inocente! 
A Nuccia perdeu a audição aos 27 anos enquanto ainda cursava a faculdade. Ela que sempre amou a dança, o som e a vida viu sua vida dando uma virada da água para o vinagre.  E o que que a gente faz quando a vida te dá vinagre? Ela aproveitou e fez uma boa salada...
Lutou e luta até hoje, não desistiu e vemos cada passo dessa luta neste livro. 
Eu posso dizer que aprendi muito do mundo sem som, no qual a vida fica muito mais complicada e cheia de preconceitos . 

A Nuccia é a segunda pessoa que conheço e que é surda. A outra que conheci também é uma guerreira e criou a filha sozinha, trabalhando duro e sempre com sorriso no rosto. Eu falava com ela através de sua filha que escutava e falava normalmente. Infelizmente eu nunca soube a linguagem de sinais. Descobri através deste livro que nem todos os surdos conhecem essa linguagem e, também, que ela não é universal (cada país possui a sua).

O que posso dizer desse livro que tive a honra de betar e agora estou resenhando? Bem, eu ri, me emocionei e passei a ter vergonha de reclamar muito da minha vida. Pensei que era um livro de superação, mas na verdade, como ela mesmo disse no livro, ela não superou, e sim, teve que aprender a lidar com a nova situação.

Eu o classificaria com uma leitura de lição para enxergarmos mais além dos nossos problemas. Conhecer algo que pode acontecer com você ou com quem você ama a qualquer momento, para entender que a limitação está no entendimento humano e não na capacidade da pessoa. Você pode tudo, se você lutar. A vida não precisa ser congelada e nem seus planos extintos. Você terá caminhos mais difíceis? sim, mas a chegada será vitoriosa.

Outra lição que aprendi é que mesmo que você ache que conheça as pessoas que estão a sua volta, sempre haverá mais e mais a para se aprender. O que somos na vida senão meros aprendizes engatinhando por uma eterno conhecimento, até que um dia tudo se acaba mas o mundo continua em um ciclo eterno de reviravoltas?

Leia e aprenda que a vida é muito mais do que os  nossos conhecidos conceitos, que devemos ter sempre o coração livre de preconceitos, preenchido apenas por amor e motivação.
Nu e As 1001 Nuccias 04/03/2017minha estante
Te amo!!!!!!!
Esse blog é dez, elas mandam muito bem!!!
Obrigada, Giu!




16 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2