Sempre - A Redenção

Sempre - A Redenção J.M. Darhower




Resenhas - Sempre: A Redenção


11 encontrados | exibindo 1 a 11


Jéssica 04/09/2019

Já tinha um bom tempo que não lia um romance "romântico" tão bom. É um livro muito intenso, que me deixou sem ar em vários momentos, com personagens complexos que conseguiram um lugar cativo em meu coração.
Além de ser uma excelente estória de amor, o livro nos desperta para várias outras temáticas de grande importância como tráfico humano.
E um livro sensacional e que vale muito a pena a leitura.
comentários(0)comente



Lidiane- @amorporlivros_1991 23/08/2019

Maravilhoso
Termino essa duologia querendo um pouco mais e olha que não faltou história. Antes de iniciar esse livro eu fiquei com muito receio, o primeiro tinha sido perfeito, fiquei com medo de ter expectativas e me decepcionar, mas isso não aconteceu. Dei umas olhadas no meio do livro, fiquei pasma com algumas coisas, mas iniciei a leitura, passei quase uma noite em claro imaginando o que poderia acontecer na história.
Um livro envolvente, uma história emocionante, cheia de amor, de lealdade, amizade e perdão.
O foco do livro não é só o casal, mas sim a máfia, as mortes, revelações.
Haven e Carmine, continuam encantador, lutando dia após dia, em boa parte da história eles passam só sobrevivendo, mas com o tempo tudo se ajeita, a maturidade de Haven é impressionante para a idade dela, ainda mais por tudo que ela já passou na vida.
?"Às vezes eu perco a perspectiva, mas parar e olhar para os lados ajuda. Talvez eu não tenha tudo, mas tenho mais que o suficiente. E suficiente, aos meus olhos, é bem mais do que muitos possuem."
Não posso deixar de indicar a duologia para todos, afinal ela é perfeita.
comentários(0)comente



dayukie 20/05/2019

Resenha completa no blog
"[...]
Assumo que esse livro, igual o primeiro, é meio pesado. Porém, apesar de eu ter achado meio enrolado em alguns momentos, foi bem escrito. Os detalhes importantes estavam ali para compreender o que levou a tudo aquilo e como lidarão com o destino deles. A autora soube nos prender neste livro.
Como o livro é contado em terceira pessoa, muitos detalhes que provavelmente passariam abatido, acabou sendo bem evidenciado o que foi bem positivo para uma história relativamente complicada.
A forma como a autora escreveu, acabou por nos mostrar de forma evidente os medos e receios dos personagens. Ela conseguiu colocar no papel a forma como os personagens lidaram com a dor, como superaram os problemas e trabalharam os pontos negativos de toda a situação.
Apesar de eu amar um bom romance, creio que este livro não é de todo meloso. Há muito medo, incerteza, terror e até mesmo um lado “educativo” por assim dizer.
E para ajudar a leitura, temos uma boa revisão e diagramação. Apesar de o livro aparentar ser enorme, você lê ele rapidamente, de tão envolvente é a escrita da autora. E apesar de eu não ter gostado tanto da capa do livro, a editora manteve a mesma identidade visual do livro anterior, o que tecnicamente é um ponto positivo.
A história de Carmine e Haven com certeza não é algo lindo e maravilhoso. É cheio de dor e desesperança, mas de muito aprendizado, superação e redenção. Com certeza eu adorei o final desta duologia."

Resenha completa no blog

site: http://bit.ly/SempreARedencao
comentários(0)comente



Book.Obsession 17/06/2017

Resenha feita pela Camila de Moraes para o blog Book Obsession
Há um tempinho trouxe minhas impressões sobre o primeiro livro dessa duologia (RESENHA DE SEMPRE AQUI).

Agora em A redenção, vemos como Haven e Carmine vão lidar com as escolhas perigosas que envolve a paixão deles e balancear com as pressões ligadas a máfia.

"Este garoto - teimoso, altruísta e estúpido - entregara a própria vida à máfia. Em troca da vida dela, ele cedera o controle de seu futuro aos homens que ele mais odiava. Pela segurança dela.”


Carmine acabou fazendo um juramento a máfia, em troca da proteção a Haven. Com isso, passa a pagar um alto preço, precisando se ligar e ser leal a Cosa Nostra, que é comandada por Sal, seu padrinho.

"Ele estava cercado por violência e morte; todo aquele horror o desintegrava internamente, mas então, do outro lado havia Haven."


Mesmo não querendo fazer parte desse mundo, ele precisa aceitar esse propósito e opta por abrir mão de muitas coisas, inclusive Haven por acreditar que ela precisa seguir seu caminho sem passar pelo que sua mãe viveu em vida relacionado à máfia. Porque uma vez dentro fica impossível conseguir separar as coisas, torna-se um todo.
Haven acaba chafurdando em sua tristeza e tenta encontrar alento ao ingressar na escola de artes, onde conhece algumas pessoas e fica amiga de Kelsey, sua companheira de quarto. Enquanto a jovem tenta viver uma vida de normalidades e descobertas em Nova York, Carmine segue rebelde em Chicago, não aceitando as condições que sua nova condição de vida dentro da máfia e acaba se entregando mais ao uso compulsivo de drogas, transformando seus dias uma verdadeira bagunça.

“- Acho que a amarei para sempre. Apesar de toda essa merda, ela sempre será meu beija-flor.”


Esse livro me ganhou, não pelo fato de só retratar a máfia, que eu gosto bastante, mas a autora trouxe elementos, além de muita ação, suspense, adrenalina e disputas pelo poder. Sua narrativa na medida com o drama, as emoções do relacionamento de Carmine e Haven, que ficou bem longe daquela perfeição que é criado por muitos autores em seus casais literários, mantendo-se fiel ao primeiro livro. J.M. Darhower nos encanta com personagens tão novos, mas que são tão marcados pelas consequências das escolhas de seus pais.

Uma obra com um desfecho impressionante, ficando evidente não apenas a redenção de Carmine, mas de outros personagens que compõe a trama. E um final bem emocionante, capaz de amolecer os corações leitores.

site: http://bookobsessionresenhas.blogspot.com.br/2017/06/resenha-sempre-redencao-jm-darhower.html
comentários(0)comente



Kari 20/04/2017

Talvez possa conter spoilers do primeiro volume nesta resenha, por isso tomem cuidado! Alerto!

Farei um pequeno resumo do primeiro volume e falarei do segundo em seguida para que todos que lerem possam estar ambientados ao enredo.





Bom.. Vamos a resenha - Sempre - A Redenção traz uma história com muitos dramas começando com o amor entre uma escrava e um privilegiado vindo de família rica e mafiosa. Haven é uma jovem que como eu disse escravizada através do tráfico humano junto com sua mãe. Enquanto Carmine o menino rico sempre viveu com tudo do bom e do melhor e com muitos excessos e mordomias inimagináveis.. "o príncipe da mafia", "a grande promessa" para ser substituto nesse jogo de poder e luxúria.



Porém com mundos tão opostos, por assim dizer, estes dois conseguiram encontrar enormes semelhanças e se apaixonar perdidamente. Claro que é um amor proibido e complicado, afinal como poderia uma escrava e o filho de um magnata do crime se relacionarem sem destruir muitos ao redor ou mesmo um império ou a si próprios?



A única opção de Carmine para salvar seu amor foi jurar lealdade e seguir os passos da máfia. Assim Carmine vai trabalhar para a família em Chicago e toma uma decisão difícil que é separar-se de Haven, pois dessa forma ela não estaria em perigo constante e poderia ter o que nunca teve, liberdade e poder de escolha. Mas Haven não entende assim, ela ama Carmine, mesmo que amá-lo signifique perigo, também significa conforto, familiaridade e de certo modo segurança, já que sente que seu amor a protegeria de tudo sempre. Então a separação vem como um baque atingindo-a em cheio e trazendo muito sofrimento.



"..O que você faz quando a coisa que você mais quer, de repente, parece estar fora do seu alcance?"



Haven vai para Nova York, tenta estudar artes e conhece uma amiga e mesmo com dificuldade tenta se enquadrar na sua nova vida, aos poucos ela vai se envolvendo mais com sua nova vida, mas o passado insiste em retornar.



Carmine está imensamente infeliz, percebemos que ele não nasceu para essa vida de mafioso uma vez que não consegue estar de acordo com tudo que ocorre nesse mundo; além de se sentir cada vez mais arrependido por ter deixado Haven, ele vai se perdendo aos poucos encontrando consolo em drogas.



O mundo gira e claro que o amor entre esse casal é tão forte que o destino os reúne novamente o que virá disso? Depende deles mais que qualquer coisa ao redor.



"Quando nos deparamos com nossa própria mortalidade, em geral, passamos a ver a vida de um jeito diferente. O que mais importava no passado talvez já não seja uma prioridade. E nem sempre é fácil as outras pessoas aceitarem isso. Ficamos felizes quando alguém se salva, quando uma vida é poupada, mas, às vezes, é preciso parar e pensar: A que custo? Será que não estamos apenas adiando o inevitável? Será que estamos intervindo quando não teríamos o direito de fazê-lo? Estaríamos interferindo no destino? Queremos que as pessoas vivam, mas é preciso considerar que talvez o melhor para elas seja o oposto."


Essa duologia é uma história marcada por dor, violência.. Mas sobretudo por amor e esperança. Ler sobre Haven e Carmine traz um misto de sentimentos que o leitor irá experimentar e com certeza se apaixonar com eles. A história não traz apenas o amor e coisas fofas, mas muitas coisas assustadoras, mas acima de tudo personagens que irão te ganhar com seus defeitos e imperfeições!
comentários(0)comente



Amiga Leitora 02/02/2017

Uma escrava e um filho da máfia, duas pessoas não poderiam ser mais opostas uma a outra do que Haven e Carmine. Mas a convivência diária provou não só que eles eram mais parecidos um com outro do que imaginavam, como também fez com que eles se apaixonassem. Uma paixão perigosa para eles e para as pessoas que os cercam.

Carmine teve que jurar lealdade a Máfia para salvar Haven, quando Salvatore seu padrinho e também o chefão de tudo diz então, que é o momento dele assumir seu lugar junto ao Cosa Nostra - a organização criminosa que Sal comanda em Chicago-, Carmine se vê em um beco sem saída, ele não quer se juntar a organização, mas sabe que não existe a possibilidade de não atender ao chamado de Sal.

Determinado a não repetir o que ele acredita ser o mesmo erro que os pais dele cometeram no passado, ele decide que Haven não pode ser privada de sua liberdade, por isso ele não pode prender ela a sua vida. Logo após as festas de fim de ano Carmine parte para Chicago deixando Haven sozinha.

Inconsolável, Haven não pode acreditar que Carmine a deixou, nos primeiros dias que seguem após a partida de Carmine, ela se isola de tudo e de todos. Com a ajuda de Dia, uma das poucas amigas que tem, ela tenta seguir em frente, mas não obtém sucesso. É quando Conrado, tio de Carmine intervem na situação que Haven começa a dar os primeiros passos da sua caminhada rumo a sua real liberdade.

Haven se muda para Nova York, se matricula na escola de artes, faz uma nova amiga, e aos poucos vai se adaptando a sua nova realidade. Em pouco tempo e de forma surpreendente, Haven se torna uma garota como qualquer outra garota de sua idade, exceto pelo passado conturbado que insiste em visita-lá vez ou outra.

Em Chicago Carmine não consegue aceitar sua nova vida, não concorda com as tarefas que a ele são atribuídas pela máfia, e muito menos consegue se conformar com fato de ter deixado Haven. Como consequência disso ela acaba cada dia mais se afundando em vícios, como bebidas e substancias não licitas.

As circunstancias podem ter separado Carmine e Haven, mas a vida e o passado de ambos os reunirá novamente. Sobreviventes de uma vida marcada pela violência e o medo, Carmine e Haven vão precisar trabalhar juntos para cicatrizar as feridas causadas pela separação e outros acontecimentos que os levaram até onde estão.

Lembra que eu disse que resenhar o primeiro livro dessa duologia foi incrivelmente difícil? Pois é, esse segundo volume não ficou para trás, eu demorei quase uma semana para finalmente conseguir finalizar essa resenha, e confesso que já li ela várias vezes, e ainda não me sinto 100% satisfeita. Esse livro é tão incrível que nada parece ser suficiente.

Já disse em resenhas anteriores que uma das coisas que mais gosto na J.M é o fato de como ela consegue desenvolver bem a narrativa dela, assim como os personagens sem deixar de ser fiel a essência deles. E nesse livro ela mantem essa característica, apesar de permitir o leitor conhecer outras facetas das personagens que se desenvolvem maravilhosamente durante a história.

A escrita prende o leitor do incio ao fim, e a todas as pontas que aparentam estar soltas, vão se interligando ao longo da narrativa construindo assim uma trama surpreendente. Seguindo o padrão dos outros dois livros da mesma autora resenhados aqui, 'Sempre: A Redenção' aborda temas complexos e polêmicos, que vem colocar o dedo na ferida e fazer o leitor pensar sobre a vida. Ao final da leitura eu estava em lágrimas, e fazia muito tempo que eu não chorava com um livro.

Enfim, só digo que a autora vai revirar todas as suas emoções e te deixar sem folego, e vocês precisam ler esse livro o mais rápido possível ♥.

* Resenha escrita pela colunista Ana Luisa no blog Amiga da Leitora

site: http://www.amigadaleitora.com/2016/12/resenha-sempre-redencao-univdoslivros.html
comentários(0)comente



Carla 24/09/2016

PERFEITO!!
Aiai (suspiros)... assim terminei esse livro maravilhoso! Após vários sentimentos rodopiarem em minha direção, tive a CERTEZA de que essa autora não escreveu essa OBRA "nas coxas", mas sim com todo o coração. Uma história perfeita, do início ao fim... Até as mortes que ocorreram no livro, se eu disser que mudaria alguma delas, estou mentindo. Tudo ocorreu como tinha que ser, sem tirar ou pôr. Ah! que delícia de romance. Que personagens! Quantas reviravoltas e possibilidades implícitas. Um desenrolar apaixonante!

Esse livro realmente foi uma continuação PERFEITA de seu antecessor. E se eu pudesse dizer algo nesse momento para convencê-lo a lê-lo, eu diria: Essa é a duologia do meu
Valquiria 28/09/2016minha estante
É a duologia do meu??????




Paula Gorgatte 15/09/2016

Me rendo
Olá, agradeço todos os dias por ser uma criatura teimosa e muito inclinada a me torturar, sabe por quê? Porque mesmo não gostando do primeiro livro Sempre, eu insisti, por puro autoflagelo mesmo e li Redenção. E querem saber???? EU AMEI....ME RENDO.

Eu reclamei muito que no primeiro livro não senti nada, nenhuma emoção e blá blá blá...., entendi tudo agora. A autora estava economizando para despejar tudo em redenção. PUTA MERDA....tinha tanto sentimento nesse livro que quase não cabia tudo nele. Houve partes em que eu tive que pausar a leitura me recompor e continuar.

Essa resenha pode conter spoiler do primeiro livro, então fuja agora ou cale-se para sempre....

Haven foi sequestrada pelos Russos, Vincent e Corrado são presos. Desesperado Carmine não sabe a quem pedir ajuda para resgatar sua amada. Não lhe resta alternativa senão a de procurar o padrinho, chefão da Máfia, Salvatore.

Carmine fez uma escolha fácil, abriu mão de sua liberdade e seus sonhos, jurou fidelidade à Máfia em troca de ajuda para resgatar Haven. Mesmo detestando essa vida. Acometido por uma insanidade grave, Carmine decide que Haven não merece essa vida de máfia e a abandona.

Eu tive pequenas paradas cardíacas com o sofrimento de Haven, desejei tanto que ela superasse tudo, que ele conseguisse ser feliz. Ela merecia tanto, depois de viver o horror, o inferno. Chorei muito por Haven aqui. Porque apesar de sempre desejar a liberdade. Depois de passar tanto tempo como escrava e controlada o tempo todo, ser livre requer muita coragem. Mas Haven não teve muita escolha. Foi atirada na mais pura loucura de estar...SOZINHA.


Já Carmine virou uma bagunça, a perda de Haven abriu nele um buraco sem fim, e diante da nova vida, no qual ele sempre odiou, foi difícil seguir em frente.

Desde o primeiro livro Vincent foi meu personagem preferido, e não me decepcionei. Mas não entendi suas escolhas e tão pouco as da Autora para esse personagem. Fica aqui minha indignação.

A grande surpresa pra mim ficou por conta de Corrado. Por incrível que pareça, bem lá no fundo...mais no fundo mesmo, quase saindo, esse homem tem um coração.

Foi angustiante ver toda a energia de Carmine se apagando nesse livro, nada de tiradas acidas, seu sarcasmo, sua vontade de viver, sobrou apenas uma casca. O garoto praticamente foi morrendo.

Eu amei o livro por todas as emoções que ele despertou em mim, mas não posso ignorar as falhas que existem nele. O livro focou muito no cotidiano, em pequenos detalhes, como os esquemas em que Carmine foi inserido. e novamente o livro é muito extenso e cansativo, mas naõ falou o que realmente importava.

Em nenhum momento foi feito um relato da verdadeira história de Haven. E Carlos? interrogação mesmo. Haven continua pintando?

O final foi mágico, suspirei de verdade. E o epílogo....não tenho outra palavra ao não ser descrever como PERFEITO.

Mas agora estou aqui escrevendo o que achei do livro, sentindo muito a falta dele. Preciso de um pouco mais de Carmine, ainda não me conformo com Vincent, o que aconteceu com Kelsey a amiga de Haven de Nova York? O que aconteceu com Corrado? E Pelo Amor de Dio, eu preciso de um livro só de Gavin.

Se Recomendo? Sim

comentários(0)comente



Taty Assis 19/04/2016

Carmine teve que abrir mão de sua "liberdade" para proteger Haven. Ele, que nunca pensou em fazer parte da Máfia, acabou se tornando parte dela. Em um momento de puro desespero, ao pensar que perderia sua amada para sempre, ele jurou lealdade a Cosa Nostra. Agora, seu pior medo, o de perder Haven, pode se tornar real.

"Este garoto - teimoso, altruísta e estúpido - entregara a própria vida à máfia. Em troca da vida dela, ele cedera o controle de seu futuro aos homens que ele mais odiava. Pela segurança dela. E foi tão fácil para ele, tão rápido... Como se sacrificar-se por ela fosse tão natural quanto respirar."

Carmine deseja que Haven tenha a sua tão sonhada liberdade e é por isso que ele toma a decisão de ir embora deixando-a sozinha para seguir seus sonhos. É claro que ele sofreu ao deixá-la, mas Haven não cabia na sua nova realidade. Ela não merecia viver em meio aos perigos da máfia mais uma vez. Ela merecia ser livre. Feliz.

"Não é assim que deveria ser. Não era para acabar desse jeito. Nós deveríamos ficar juntos, longe de toda essa merda, e apenas viver a vida. Seria a primeira vez que teríamos a oportunidade de viver de verdade, de abandonar tudo isso. Nós só queríamos ser nós mesmos, mas agora, olhe para toda essa merda."

Haven não lida muito bem com a decisão de Carmine. Pois, como pode alguém que deseja sua liberdade tomar decisões por ela? E, ainda por cima, abandoná-la? Carmine não deu opção de escolha, ele simplesmente foi embora deixando-a com o coração partido, mas também com um futuro todo pela frente.

E assim, ambos acabam seguindo com suas vidas. Carmine tendo que lidar com a Máfia, e Haven estudando pintura. E mesmo depois de passarem algum tempo sem notícias um do outro, eles ainda sofrem com a separação; e diante da nova realidade deles, um futuro juntos parece ainda mais improvável de acontecer.

"É estranho como as coisas funcionam. Num minuto você é uma serva; no seguinte você de torna a Cinderela, e, de repente... de repente a história se acaba e você é forçada a fechar o livro."

Tenho que confessar para vocês que a autora J. M. Darhower se tornou uma das minhas queridinhas. Juro que eu não sabia o que mais poderia acontecer a Carmine e Haven, e, a autora mais uma vez me surpreendeu... Que história incrível e instigante.

O "trabalho" da autora com os personagens foi fabuloso, tanto é, que fica impossível para o leitor não entender os medos e receios deles.

Foi interessante ver como Carmine e Haven tiveram maneiras diferentes de lidarem com a dor. Enquanto Carmine se afundava em bebidas, Haven estava em busca de seus sonhos. Mas já aviso que de meloso o livro não tem nada. Na verdade, em muitos momentos, o romance fica como pano de fundo. Então, sim! Sempre e Sempre - A Redenção são livros que não falam apenas de amor, tem muitas outras coisas envolvidas, até porque estamos falando de um "mundo" em que a Máfia comanda. Então se preparem para um misto de sentimentos como: dor e incertezas (porque nada nessa história é certo), momentos de pânico, de medo e puro horror...

A história de Carmine e Haven está longe de ser bonita, porque eles tiveram que passar por cada coisa, mas uma coisa eu garanto a vocês: vai ser lindo ver a redenção dos personagens. Eu amei o desfecho.

Essa duologia se tornou única para mim. A história é marcante e tão diferente dos livros que estou acostumada a ler. E minha recomendação é: Leiam e se surpreendam.

"Às vezes de maneira abrupta, fazendo com que fiquemos sem chão no momento em que a vida nos surpreende com um acontecimento repentino, virando nosso mundo de cabeça para baixo, despedaçando-o e fazendo com que aqueles que ficaram para trás tenham de recolher os pedaços. Outras vezes, a mudança ocorre devagar: uma hora, um minuto ou um segundo de cada vez, de um jeito tão vagaroso que ninguém poderia dizer com certeza quando a transformação aconteceu. Você se encontra em algum lugar onde nunca esteve, fazendo coisas que nunca fez, sendo uma pessoa que nunca imaginou que seria."
comentários(0)comente



Meu Vicio em Livros 19/04/2016

uma história muito bem escrita, difícil e algumas vezes chocante.
Antes de qualquer coisa, eu tenho que avisar que é preciso ler o primeiro volume para entender este livro. Diferente de qualquer outro que eu já li, está é uma história muito bem escrita, difícil e algumas vezes chocante. O casal também não é nada convencional. A trama gira em torno de uma família de mafiosos do qual o protagonista Carmine DeMarco faz parte. No livro anterior, ele prometeu sua lealdade a máfia em troca de localizar Haven. Depois de um período de descanso, ele é requisitado em Chicago para cumprir os favores que deve. Ele não quer isso para sua vida, não quer se afastar de Haven, mas fica sem escolha. Decide deixá-la na Carolina do Norte, pois entende que já que ela viveu uma vida inteira como escrava e nunca teve poder de decisão. Então, com o intuito de protegê-la, permitir que ela seja ela mesma e tenha liberdade para seguir seus sonhos, ele vai embora.

Os dois passam boa parte do enredo separados e fiquei triste por isso, no entanto, o tempo que Haven fica longe de Carmine, usando uma nova identidade e sobre a proteção de Corrado, é essencial para que ela se torne independente e ganhe experiência. Este é um livro realmente impressionante se você curte um enredo cheio de suspense e intrigas. Traz uma bela história de amor, honra e família. Não posso dizer muito mais sem dar spoiler, só posso dizer que Carmine não nasceu para seguir os passos do pai e aqui você terá várias respostas referentes ao livro anterior.

Não é apenas Carmine que alcança a redenção nesta história, seu pai Vincent DeMarco e seu tio Corrado Moretti, apesar dos crimes terríveis que já cometeram e que ainda cometem, encontram a salvação cada um a sua maneira. Dominic, irmão de Carmine, continua sendo um personagem divertido e apaixonante, não poderia fazer esta resenha sem citá-lo. Já Corrado, é aquele tipo que você não sabe se ama ou odeia. Imprevisível, me deixou aterrorizada em uma determinada cena, em contrapartida, o amor e o respeito que ele tem pela sua esposa é admirável.
"Ele estava cercado por violência e morte; todo aquele horror o desintegrava internamente, mas então, do outro lado havia Haven."
Tanto Carmine como Haven tem que fazer escolhas e aprender a lidar com elas. Ambos tem que lutar para descobrir o que querem para o seu futuro e o sacrifício de Carmine não foi em vão. Depois de ler o primeiro livro, eu estava ansiosa para saber o desfecho deste casal que sofreu tanto e merecia paz. A estrada que eles percorrem até ter o merecido final feliz é de partir o coração. Recheado de momentos tensos e comoventes, me deixou apreensiva boa parte do tempo, mas o final realmente valeu a pena. Lindo e inesquecível.

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2016/04/resenha-sempre-redencao-serie-sempre-de.html
comentários(0)comente



fernanda.hahne 19/03/2016

Emocionante!
Eu simplesmente amei essa duologia de J. M. Darhower. Quando vi a sinopse do primeiro livro, gostei bastante, mas não imaginei que a história fosse me prender da forma como prendeu.

Haven e Carmine são dois jovens machucados, que tiveram um passado cheio de tristeza e lutam para viver no presente com as lembranças desse passado tenebroso. Haven é uma escrava e tem sua vida transformada quando é comprada por Vincent Demarco, integrante de uma família de mafiosos chamada Cosa Nostra. Vincent leva a jovem pra trabalhar em sua casa e apesar da hostilidade inicial, o Dr. Demarco acaba gostando da garota, que aos poucos vai se integrando na família. Carmine é um dos filhos de Vincent e logo que conhece Haven sente uma conexão diferente e que aos poucos vai se transformar em amor. O relacionamento de Haven e Carmine é complicado mas eles encontram uma forma de fazer dar certo. Mas existem alguns mistérios acerca da ascendência de Haven e ela acaba sendo sequestrada. Carmine fica desesperado e para ajudar nas buscas acaba pedindo ajuda ao padrinho Salvatore, que é o chefão da Cosa Nostra. Em troca de ajuda, Carmine aceita se tornar um membro da famiglia, contrariando os desejos do pai, que não queria ver o filho envolvido com a máfia. Haven é resgatada e agora ela e Carmine têm que descobrir uma forma de viver o seu amor em meio aos compromissos assumidos por Carmine com a Cosa Nostra.

O que mais me chamou a atenção nessa história é que tudo o que acontece com os personagens é bem real: o pai que não quer que o filho tenha o mesmo destino que ele; a namorada que se sente culpada pelo sacrifício feito pelo seu amor em nome de sua liberdade; o menino cheio de sonhos que se vê encurralado diante de uma situação extrema; o tio mafioso com jeito de durão mas que bem no íntimo valoriza sua família e luta para mantê-la em segurança. É possível acompanhar os dramas de cada personagem e ver seus anseios e esperanças. Carmine abusa de álcool e drogas para camuflar sua tristeza por ter se afastado de Haven, o que o leva num caminho quase sem volta. Corrado, o tio de Carmine, e também membro da Cosa Nostra é uma pessoa muito fria, que leva a sério os compromissos assumidos com a organização, de lealdade e dedicação; ele cobra isso do sobrinho constantemente e embora seja duro algumas vezes podemos perceber que lá no íntimo ele sempre faz tudo para proteger sua família.

Eu gostei imensamente de como foi conduzida a história; tem romance, drama e muita ação também. Tudo foi intercalado de forma inteligente, deixando a leitura extremamente prazerosa, fazendo a gente até esquecer do tempo. São quase 1000 páginas (os dois livros juntos) que passam voando, mas que deixaram a história bem amarradinha e com direito a um final bem elaborado, o que me agrada bastante. Enfim, recomendo muitíssimo a leitura desse livro (bem como do primeiro, Sempre), que vai ficar na minha memória para Sempre!
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11