A conduta para a vida

A conduta para a vida Ralph Waldo Emerson




Resenhas - A Conduta para a Vida


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Everton 11/12/2011

Magnífica obra
É uma pena que Emerson tenha escrito poucos livros.
Suas obras são fascinantes, uma prova de que não é preciso fantasiar para identificar a beleza da Natureza.
Este livro deve ser lido vagarosamente, saboreado, sorvido lentamente para alimentar a “alma”.

Emerson afirmava que a sociedade, ao criar cultura, agrilhoa o homem, cria um padrão que aprisiona e diminui a força interna. Para ele a vida é força, jorra, quer se afirmar, se expõe, mas os valores, a cultura, o modo-antigo-de-ser sempre diz não, sempre acomoda, e aprisiona a todos no padrão.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Peterson Boll 03/04/2011

Interessante livro sobre o que os pensadores norte-americanos do início da sua república, pensavam no que diz respeito a moral de vida. Um bom retrato sobre o espírito estadunidense original, baseado no respeito a individualidade do cidadão, e quanto este espírito se deteriorou com o tempo.
comentários(0)comente

George Facundo 11/04/2011minha estante
Cara, coincidência semana passada tava na livraria e dei uma boa folheada nele... Achei bem curioso o livro. Vou adquiri-lo um dia certamente!




Jpg 20/03/2011

Os donos da verdade
Falar difícil e bonito pode ter sido uma boa forma de convencimento no século 19, hoje só é irritante. Isso prejudica bastante a o entendimento de obras como essa, principalmente pelos mais jovens, que são os que deveriam lê-la.

No livro, Emerson dispensa as convenções da sociedade e, baseando-se em muito pragmatismo, fala sobre sua ideia de como seria uma vida respeitável. Fala da importância da individualidade, da identidade própria tanto pessoal como nacional, do respeito à natureza e suas leis como limítrofes de todos os seres, inclusive dos humanos. Diz-se que a cultura dos Estados Unidos provém principalmente das ideias deste autor, mas os únicos traços que pude identificar foram o pragmatismo, o patriotismo e talvez algo como a mania de achar que é superior, ou o dono da verdade - pois Emerson realmente escreve como se o fosse. O resto dos ideais contidos na obra - como o respeito pela natureza e o desprezo pelas convenções sociais - parecem ter ficado só no papel, ignorado pelos americanos.

Enfim, quem está a fim de explorar ideais e abrir a mente vai gostar do livro, é só ter paciência com a linguagem.
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4