Caminho das Sombras

Caminho das Sombras Brent Weeks




Resenhas - Caminhos Das Sombras


35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Cindy 30/08/2017

Adorei!
Para quem gosta deste estilo de fantasia este livro é um prato cheio: garoto órfão, pobre, fracote e covarde que encontra um mestre - que é considerado uma verdadeira lenda no submundo (o maior dos derramadores - a elite dos assassinos profissionais) - e o ensina artes marciais, a usar armas, disfarces, preparar venenos, etc.

No decorrer da história acompanhamos os dilemas de Azoth/Kylar Stern - dos 11 aos 20 anos - até ele se transformar num derramador, entre crimes sangrentos, batalhas entre soldados e magos poderosíssimos, vilões extremamente cruéis e impiedosos.

Já o mestre de Azoth - Durzo Blint - lembra muito o Kelsier da série Mistborn, só que ele tem uma personalidade mais complexa. Em certos momentos ele atua como um mercenário, com extrema crueldade, sem apego ou lealdade a quem quer que seja, enquanto em outros ele é capaz de demonstrar uma generosidade surpreendente. Na maior parte das vezes as atitudes de Durzo pegam o leitor de surpresa e a gente nunca sabe o que esperar dele, talvez, por isso, mesmo depois de de terminar o livro, eu ainda não consiga definir meus sentimentos em relação a este personagem.

E o livro não gira somente em torno dos dois, mas apresenta muitos outros personagens interessantes. Vilões odiosos que nos fazem torcer para que tenham um fim terrível: como o Rato, Roth, o rei Aleine, o Deus-rei Garoth Ursuul e todos os seus magos, o derramador Hu Gibbet, etc. Homens generosos e cheios de coragem e lealdade: como o conde Drake, o duque Regnus Gyre e seu filho Logan. Alguns em eterno conflito entre servir a um rei fraco e tirano, por causa da palavra empenhada (general Brant Agon). Outros que somente aos poucos vão se revelando ao leitor e desvendando sua importância na história (como Solon, Dorian e Feir). E, finalmente, aqueles a quem nos apegamos logo de cara, como os sofridos Menina-boneca e Jarl.
comentários(0)comente



Ileana Dafne 06/04/2016

Um ótimo começo de série!!
Esse é o primeiro livro de uma trilogia chamada Anjo da Noite, de Brent Weeks. A história desse livro é contada em terceira pessoa e sob diversos pontos de vista, mas foca principalmente em dois personagens, Durzo Blint e Azoth.
A história se passa na cidade de Cenária, uma cidade dividida em duas partes, as Tocas e o lado leste da cidade, separados pela ponte Vanden. As Tocas é a parte miserável da cidade e vive sob o comando do Sakagé, uma organização secreta que controla tudo e todos, chegando a ter influência até sobre a parte nobre e o destino dos reis. As Tocas se dividem em guildas. A parte leste, nobre, da cidade é onde existem as mansões e onde mora a nobreza, além da presença do castelo. Essa parte é controlada por nobres corruptos.
Azoth nasceu e iniciou sua vida nas Tocas e possuía 2 amigos, Jarl e a menina-boneca. Aos 11 anos e cansado de sofrer abusos e sentir medo e fome decidiu que queria se tornar aprendiz do melhor, mais temido e respeitado derramador da cidade, Durzo Blint, para finalmente conseguir fugir do Rato, o espancador principal da guilda que ele pertencia.
Um derramador é mais do que um simples assassino, ele é alguém que possui e usa seu talento para lhe ajudar nos serviços.
Durzo Blint é um dos melhores personagens que já tive o prazer de conhecer. Sabe aqueles personagens que vamos conhecendo pouco a pouco a cada página que passamos, mas que só se revela no final? Que nos impressiona e nos cativa mais e mais. Pra mim é o melhor personagem do livro!!
Depois de Azoth passar num teste, Durzo decidiu, mesmo relutante, em aceitá-lo como seu aprendiz. Passou a treiná-lo nas diversas artes que os derramadores são exímios, em especial luta, envenenamento, disfarce e o uso das sombras.
Durzo trabalha para o Sakagé e não tem escrúpulos para cumprir as ordens e tenta passar isso ao seu aprendiz. E para Azoth além de tentar ser alguém diferente, queria muito proteger e dar uma nova vida à menina-boneca uma menina linda, por isso a alcunha, com apenas 5 ou 6 anos.
Contudo, para se tornar um derramador, ele tem que deixar os amigos e a identidade para trás, mudando, assim, de nome e passou a ser Kylar Stern, um nobre pobre que precisa de ajuda de um parente distante para se manter.
Além de Durzo, Aloth, agora Kylar, passa a tomar aulas com Mama K, uma cortesã rica que controla os bordéis da cidade e que lhe ensinou sobre modos e costumes nobres, além de alfabetizá-lo. Mama K é uma personagem complexa e impressionante.
Outro personagem que merece destaque é Logan Gyre, um rapaz que cedo teve que se tornar Lorde Gyre, pois seu pai foi mandado para os Ventos Uivantes, a fronteira entre Cenária e Khalidor. Ele se torna um dos melhores amigos de Kylar e se mostra u personagem que cresce magnificamente no decorrer da história.
Além de tudo, um reino vizinho, Khalidor, tem tentado invadir Cenária para ter acesso ao resto do Midcyru e ter controle sobre todos os reinos. O líder dos khalidori é o deus-rei Garoth Ursuul, um homem ambicioso e que possui muitos bruxos sob seu comando, além de possuir um exército numeroso, agressivo e inescrupuloso.
Esse livro 1 me conquistou e preciso dos próximos!! Uma fantasia que mistura magia, com o lado sombrio de todo ser humano. Onde apesar de todos os elementos fantasiosos, podemos encontrar personagens que mais parecem reais.
Recomendo a todos!!!

Quotes:
Abrace as sombras... Respire o silêncio... Seja normal, seja invisível... Localize sua vítima... Conheça cada saída... p. 69.
O preço da desobediência é a morte. p. 84.
As máscaras mudam, mas os mascarados permanecem os mesmos, não é? p. 93.
A pessoa se envolve no passado e fica inútil no presente. p. 102.
A vida é vazia. Quando tiramos uma vida, não estamos tirando nada de valor. Derramadores são matadores. É só isso que fazemos. É só isso que somos. Não há poesia no ofício da amargura. p. 109.
O segredo é decidir o que você não vai vender. Nunca venda seu coração... Eu fiz de tudo, mas guardei meu coração. p. 153.
Relacionamentos são cordas. O amor é uma forca. p. 213.
Você ficaria surpreso com o que seria capaz de fazer para ficar vivo. p. 368.
Chega de bênçãos. Chega de piedade. Chega de sal. Chega de luz nos meus cantos escuros. Que tudo isso termine. Por favor. p. 375.
A vingança vem de um amor pela justiça e de um desejo de reparar os erros. Mas a vingança é uma maldição. Três faces tem o Anjo da Noite, avatar da Retribuição: Vingança, Justiça, Piedade. p. 377.
Onde outros fracassaram, onde outros titubearam e caíram, eu vencerei. Eu sou diferente, sou feito de outro material. Eu voltarei. p. 422.

site: http://www.livroseflores.com/2016/04/resenha-caminho-das-sombras-brent-weeks.html
comentários(0)comente



cotonho72 10/03/2017

Excelente!!!
Caminho das Sombras é o primeiro livro da série Anjo da Noite, logo que fiquei sabendo do seu lançamento fiquei empolgado, pois literatura fantástica é um dos meus gêneros favoritos, não sabia muito o que esperar dele, mas as primeiras páginas me ganharam rapidamente.
Azoth é um jovem garoto que sobrevive nas ruas e becos sujos da cidade de Cenária, vive numa guilda de crianças que é comandada por Rato, as crianças dessas guilda são obrigadas a dar dinheiro para permanecerem nela, além disso, o que não falta são agressões e surras todos os dias.

Durzo Blint é um assassino temido por todos da cidade de Cenária, ele é um lendário derramador, uma espécie de assassino com poderes mágicos, para ele matar é uma arte, ele trabalha para o Sa’Kagé, uma organização criminosa que comanda a cidade e governa em segredo o reino.
Os únicos amigos de Azoth são Jarl e a Menina-Boneca, ele sempre busca protege-los, mas quando desobedece e afronta Rato recusando a fazer o que ele manda, seu amigo Jarl sofre uma grave consequência, que promove o encontro de Azoth com Durzo Blint, e assim decide ser aprendiz do tão temido assassino. Blint nunca aceita aprendizes, mas impõe um desafio para Azoth para que ele seja aceito, assim ele sai convicto que vai conseguir cumprir a exigência do lendário derramador, mas sua indecisão e falta de coragem, além de quase não qualifica-lo como aprendiz, faz com que a Menina–Boneca sofre uma terrível agressão e assim toma coragem e cumpre o que Blint lhe impôs.
Após se tornar aprendiz de Durzo Blint, Azoth começa a receber um severo treinamento de assassinato, lições de sobrevivência, manipulação de venenos, etiqueta e muitas outras coisas necessárias para ser infalível e logo assume uma nova identidade e passa a se chamar Kylar Stern, o próximo derramador e cruel assassino a serviço do Sa’kagé.
O autor Brent Weeks conseguiu criar uma trama incrível e uma atmosfera fantástica bem diferente, cheia de magia, reviravoltas, magos, bruxos, reis, príncipes e muito suspense, a leitura flui muito bem e os personagens secundários como Logan Gyre, filho e herdeiro do duque Regnus Gyre, Solon Tofusin, o misterioso tutor de Logan; Mama K, a cortesã cheia de segredo e mistérios; o Conde Drake, responsável por educar Kylar nas maneiras dos nobres; Elene, uma bela garota por quem Kylar se sente responsável e outras mais são cativantes e igualmente interessantes, certamente esse livro vai surpreender a muitos, estou curioso pela continuação.

site: http://devoradordeletras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Clube do Farol 12/09/2017

Caminho das Sombras. Clube do Farol.
Resenhado por: Milly (@codigoliterario)

Confesso que gosto de livros que tem Aprendizes e vamos acompanhando todo o desenvolvimento deles conforme o livro, e apesar de estar tentando evitar sagas incompletas, essa já vinha chamando atenção a bastante tempo. (Deve ser por estar incompleta, elas me chamam!!)

"Caminho das Sombras" tem quase tudo que eu esperava, Azoth é um garoto de Guilda (é como se fosse uma gangue, todos os garotos de rua, tem que está em uma se quiser sobrevier), e ele vê e passa por coisas horríveis, e tudo que ele mais quer é proteger os que lhe são próximos e parar de sentir medo, com isso o seu maior desejo é querer se aprendiz do derramador, o assassino Durzo Blint.

A relação entre Azoth e Durzo é um pouco diferente dos que nos é apresentado normamente, sim é um treinamento muito pesado, apesar de alguns detalhes ficarem mais de fora, o relacionamento deles fica entre o passional e o racional, sabendo que sempre fazer o que for necessário, tipo o do "ele pode me matar a qualquer momento", rs.

Fiquei achando que algumas coisas aconteceram rápido demais, o crescimento de Azoth por exemplo, e eu ainda não decidir se isso é uma coisa de toda ruim ou não, pois acho que o quanto mais você acompanha esse crescimento mais você se apega ao personagem, eu gostei muito de Azoth, mas acredito que me apegaria mais ferrenhamente a ele se não fosse tudo no de repente. Mas o desenvolvimento deles é bom (só não era o esperado), assim como o de outros personagens e o final com toda certeza deixou um enorme branco do que vai acontecer na continuação do livro.

Tem muita coisa para acontecer e infelizmente eu estou ansiosa, mas vou ter que esperar, rs. Espero que leiam e gostem também.

site: https://clubedofarol.blogspot.com.br/2017/05/caminho-das-sombras-anjo-da-noite-1.html
comentários(0)comente



Remeskinha 31/05/2016

Resenha Caminho das Sombras
Estou aqui, meio perdida por não saber como começar esta resenha. E muito ansiosa. Já reescrevi umas milhões de vezes mentalmente e duas escrevendo... São tantos adjetivos que este livro nos traz, que torna um pouco complicado escrever sem apresentar empolgação exagerada para os amantes do gênero literário.

Há diversas maneiras de explicar e contar a história, elaborada com maestria pelo autor, que não deixa espaço para você largar a leitura.Com vários personagens importantes descritos, bem desenvolvidos com uma complexidade individual de cada um, Brent Weeks nos faz navegar por um mundo surreal digno de um jogo de vídeo game em 3D.

Lendo assim parece difícil de entender as personagens e não querer ler o livro, para os que não são amantes de jogos de RPG. Pelo contrário, odiando vídeo games ou não, a leitura é agradável, com suspenses, aventuras e mudança de vida para nosso protagonista Azoth. A narrativa é suave e mesmo com tantas pessoas citadas, conseguimos acompanhar com tranquilidade a história de cada e seu envolvimento no enredo principal.

Calma que já entro na resenha propriamente dita. Um ponto de vista interessante ao ler o livro é coloca-lo bem dentro da situação social mundial, seja em qualquer país. Sendo assim, podemos situá-lo bem aqui no Brasil, que tem classes sociais cultural e economicamente diferentes, uma política repleta de traições para todos, com objetivo de benefícios próprios como enriquecimento e poder e, dentro disso, a nossa vida pessoal com amigos, inimigos declarados ou não e sempre aqueles que do nada querem te colocar em uma situação delicada e, claro: você é culpado sendo inocente. Quem te defenderá? Quem poderá melhorar a situação da sua cidade? Quem levará igualdade aos recintos mais pobres e esquecidos? Lembrando que no livro há magia e fantasia e criaturas estranhas.

Azoth, um garoto que via a morte nas Tocas, literalmente se espremia em lugares para conseguir moedas de cobre e vivia em uma guilda, a Dragão Negro, comandada por Ja'laliel e gerenciada por Rato, que cobrava taxas para permitir a moradia de qualquer um naquele lugar. Mesmo já tendo visto a morte de perto, nada o deixou com a alma gelada quando viu Durzo Blint em ação.

Azoth contava com dois amigos nas Tocas, Jarl e a Menina-Boneca, a garota muda, mas bem esperta para interpretar seus pensamentos apenas mirando seu olhar e observando suas expressões.

"A morte não era algo raro nas Tocas, mas Azoth nunca tinha visto tantas pessoas morrerem com tamanha rapidez e facilidade."

E nessa vida triste de se esgueirar na lama para obter dinheiro e cuidar de seus amigos dividindo o único pão, que ele resolve se tornar discípulo de Durzo e se tornar um matador. Eis um problema, que não era nem juntar dinheiro para fugir dali ou encontrar Blint e, sim fazer Durzo Blint aceitá-lo como aluno. E não porque essa era uma missão complicada e exigia estar ingresso em algum lugar ou organização. Era simplesmente porque ele não aceitava discípulos.

Durzo Blint era o mais famoso e melhor derramador da região e, como diziam, "qualquer dúvida quanto a isso não durava muito." Dentre seus elogios, os mais ouvidos eram poderoso, perigoso, confiante, destemido e fatal. Nosso amigo em questão (creia: é melhor tê-lo como amigo) pertencia aos Anjos da Noite e respondia a uma organização conhecida como Os Nove, situada em uma câmara subterrânea secreta, chefiada por Shinga e submissa às ordens de Sa'kagé.

Sa'Kagé já detinha o poder sobre as Tocas e queria governar todo reino de Cenária. O atual rei Davin estava à beira da morte e seu substituto era totalmente favorável às essas intenções. O objetivo de Durzo era garantir isso a qualquer custo. Se bem que a qualquer custo para o assassino não era complicado, era habitual. Mas uma dúvida perpassa pelo consciente de Durzo em determinada missão onde ouve as palavras de Regnus Gyre e, uma raiva desconhecida o abala e o faz lembrar de um outro rei a quem já servira. Um rei a quem respeitara e admirara.

"Quanto tempo eu não tenho esse tipo de dilema?"

Azoth em um encontro com Durzo nas Tocas, toma fôlego e o segue. Claro que é notado em determinado momento e, em uma coragem nada fácil além da espada afiada em sua garganta pede a ele que o treine, que faça dele um matador. E mais: aceitava fazer qualquer coisa. E Durzo pede a ele que faça algo que ele não conseguiria fazer: matar Rato e lhe levar a prova. E quando consegue tal trunfo, de ser seu discípulo, ele escuta as palavras que permanecerão em sua mente por um bom tempo: "Se me seguir agora pelos Anjos da Noite, você vai me pertencer. Ou você vira derramador ou morre."

E afinal o que era se tornar um derramador? Era aprender a arte de matar, de produzir corpos sem vida em todos seus aspectos, com todos os tipos de armas ou sem elas, conhecer todas as sementes, folhas, fungos, líquidos entre outras coisas e convertê-los em venenos de todos os tipos. E o mais importante, desenvolver seu talento, sua magia, e em especial o disfarce e o uso das sombras. Com treinamentos e estudos diários, sem mordomias, moldado fisicamente e mentalmente, Azoth recebe o nome de Kylar Stern.

Kylar passar a contar ao longo do tempo com Mama K, a cortesã mais influente da cidade que o alfabetiza e, também com Lorde Gyre, uma personagem que cresce bastante e de maneira grandiosa ao longo da história, tornando-se o seu melhor amigo.

Além do enredo em torno de Azoth, agora Kylar, a narrativa nos apresenta Khalidor, um reino vizinho que ameaça tomar a cidade de Cenaria para poder ter acesso ao restante de Midcyru. Neste reino conhecemos o deus-rei Garoth Ursuul, ser ambicioso e que conta com vários bruxos ao seu lado.

Um ponto importante a ser citado é que os derramadores não se envolvem em política, de forma alguma. Seus trabalhos são provenientes de contratos firmados com dinheiro. E muito dinheiro. A guerra que surge deixa de ser travada somente nos campos de batalha e passa através da Corte Real com a participação desses assassinos , os Anjos da Noite.

Repleto de tramas e reviravoltas, a fantasia que envolve o Caminho das Sombras é trabalhada de maneira singular com a transformação de suas personagens em cada página lida. Amizade, amor, vingança e sacrifícios são presentes neste primeiro livro da trilogia Anjos da Noite de Brent Weeks, assim como alguns outros mais complexos: religião, preconceito, escravidão e traição.

O Caminho das Sombras nos faz percorrer uma estrada oculta dentro de nós mesmos, abrindo as portas do nosso lado sombrio. O lado negro de qualquer ser humano. E se minha ansiedade me permitir, quero dormir (preciso) antes da chegada do volume dois, À Margem das Sombras e obter resposta à pergunta: seria agora Midcyrua ou nova Westeros?

E nada de comparar esta obra com Assassins Creed e nem com A Saga do Assassino. Passa bem longe dessa análise comparativa.

Leiam. É ótimo, empolgante e surpreendente. Já estou relendo *~*

site: https://blog-entre-aspas.blogspot.com.br/2016/05/resenha-caminho-das-sombras-anjos-da.html
comentários(0)comente



Cath´s 26/04/2016

Resenha Caminho das Sombras.
Demorei para ler esse livro (dentro dos meus padrões), foram aproximadamente treze dias. Isso não quer dizer que o livro é ruim (ele é ótimo), mas sim que é cheio dos detalhes, como o autor te introduz em um novo universo tem que te ambientar nele, e para não ter que voltar páginas para saber do que estão falando, tem que prestar atenção aos detalhes.

Azoth vive numa guilda de crianças que é comandada por Rato na cidade de Cenária. Todas as crianças dessa guilda tem que dar dinheiro para permanecer nela, ou seja, é horrível viver nesse lugar, pois eles tem que furtar para conseguir esse dinheiro, além do dinheiro para poderem comprar alimentos.

Acontece que um dia Azoth se recusa a fazer o que Rato manda e termina virando o arquirrival dele. Então Jarl, melhor amigo de Azoth, diz para ele tentar se tornar aprendiz de Durzo Blint, o melhor derramador da cidade (derramador é um assassino que tem Talento, o Talento é como magia). Quando finalmente Azoth convence Durzo a cogitar a hipótese, este lança um desafio, deixa Azoth ser seu aprendiz se ele matar Rato.

Como Azoth não era um assassino ele hesita por dias, mas isso tem um preço e Rato apronta uma com a Menina-Boneca (amiga de Azoth). Então, Azoth consegue matar Rato e vira aprendiz de Durzo.

Basicamente, quem manda na cidade é o Sakagé, uma organização criminosa para quem Durzo trabalha. O rei atual da cidadão é daqueles que seria melhor não existir, pois só sabe ordenar coisas ridículas que não deveriam fazer. Porém, tem um reino chamado Khalidor que deseja invadir Cenária e Azoth se pega sendo arrastado para o meio disso, visto que além de ser aprendiz do melhor derramador da cidade também é amigo de Logan Gyre, um nobre que por pouco não virou príncipe de Cenária (Logan é um homem daqueles que você deseja que seja rei, seus poros gritam que tem integridade).

Isso é só um pedacinho da história por alto, no começo vai ficar meio confuso para entender como tudo funciona, pois vai ir ganhando as informações aos poucos. Mas digamos que a vida de Azoth está totalmente ligada ao futuro da cidade, bem como as vidas dos personagens que vão te ser apresentado no decorrer da obra.

Azoth aprende tudo com Durzo, como matar, lutar, envenenar, não fazer ruídos quando caminhar e a se esconder, mas falta algo nele que é o Talento. Não vou adianta o que Azoth é exatamente para não estragar o momento de explicação do livro, mas foi muito bem bolado tudo.

Não é um livro leve, demanda atenção, tem muita maldade e frieza. Mas ao mesmo tempo demonstrar o lado profundo do ser humano que mesmo sofrendo horrores pode fazer algo bom.

Achei uma fantasia muito bem estruturada, a parte que ele inicia nesse livro tem final no mesmo volume, mas é claro que para saber como a totalidade da obra termina você terá que acompanhar os outros dois volumes da trilogia Anjo da noite que vão ser lançado no Brasil pela Editora Arqueiro.

Não vou enfeita para vocês: tem personagens que vocês vão odiar e querer entrar no livro para acabar com eles. Já tem outros que embora não sejam bons você vai gostar e esperar que se salve. O próprio Azoth e Durzo são exemplos de personagens cheios de luz e sombras.

Gostei muito da obra, ela demanda uma imensa atenção, mas faz isso valer a pena, o resultado é fantástico. Descobri do ano passado para cá que adoro fantasia e esse é um bom exemplo de um ótimo livro do gênero.

Por fim, saliento que adorei a capa do livro, consigo imaginar Azoth assim e ao mesmo tempo da um charme.

site: http://www.some-fantastic-books.com/2016/04/resenha-caminho-das-sombras-de-brent-weeks.html
comentários(0)comente



Anderson Tiago 13/06/2016

Caminho das reviravoltas [INTOCADOS]
O autor Brent Weeks é sempre lembrado junto a Peter V. Brett, Joe Abercrombie, Mark Lawrence e Scott Lynch, entre outros, como um dos grandes nomes da fantasia épica contemporânea. Esses autores, embora não tenham atingido o mesmo status de um George R.R. Martin ou Patrick Rothfuss, acumulam leitores ansiosos pelos seus novos trabalhos e fãs sempre dispostos a indicar o seus livros. Por esse motivo fiquei muito feliz quando descobri que a Editora Arqueiro traria a trilogia Anjo da Noite para o Brasil.

O primeiro livro dessa trilogia, Caminho das Sombras, também foi o primeiro livro escrito por Brent Weeks. Isso é algo que fica bem claro para o leitor que já teve contato com muitos livros de escritores iniciantes, mas também funciona como uma espécie de elogio para o autor. Ora, se mesmo com alguns detalhes que podem ser melhorados, a história consegue ser tão incrível, imagina quando ele ganhar mais experiência no seu ofício.

No livro acompanhamos a vida de Azoth, um garoto criado nas ruas do bairro mais pobre da Cidade de Cenaria. Junto ao seus amigos Jarl e Menina-Boneca, ele faz parte de uma das inúmeras guildas de ladrões que infestam às Tocas. Essas guildas respondem ao Sa’káge, uma organização secreta que comanda todas as atividades ilícitas na cidade e praticamente governa o reino em segredo. O líder da guilda de Azoth, entretanto, está morrendo, deixando todo o controle nas mãos do segundo em comando, o cruel Rato. Para assumir de vez o comando, Rato pretende acabar com todos aqueles que se colocarem em seu caminho e, por ironia do destino, Azoth se vê nessa posição.

"Azoth encarou a pilha de moedas. Quatro anos. Dezenas de surras. Não só não sabia se faria o mesmo por Jarl, mas também havia pensado em roubar do amigo. Não conseguiu conter as lágrimas, que rolaram quentes. Sentia muita vergonha. Sentia muito medo. De Rato. De Durzo Blint. O medo não o largava. Mas, se fosse embora, poderia ajudar Jarl. E Blint lhe ensinaria a matar. Ergueu a vista para o amigo; não se atreveu a encarar a Menina-Boneca por medo do que poderia ver em seus grandes olhos castanhos. – Eu aceito. Já sabia quem iria matar primeiro."

Decidido a não ter mais medo, Azoth tenta se tornar aprendiz do lendário derramador Durzo Blint, uma espécie de assassino com poderes mágicos, mas o derramador só o aceita caso ele faça algo que Durzo não julga que Azoth seja capaz de fazer. Apenas quando as suas ações, ou falta de ações, tem resultados catastróficos é que Azoth encontra forças para fazer o que é preciso. Após se tornar aprendiz de Durzo, o garoto assume uma nova identidade e passa a se chamar Kylar Stern. A partir desse momento acompanhamos o treinamento de Kylar nas mais diversas artes do assassinato, além de lições de sobrevivência, furtividade, leitura, história, e até etiqueta. Tudo isso para se tornar um derramador, uma verdadeira máquina de matar a serviço do Sa’kagé.

Também acompanhamos, em menor escala, a trajetória de Logan Gyre, filho e herdeiro do duque Gyre. Logan é um jovem enorme, forte, e de coração tão grande quanto a sua altura. Ele inspira confiança e lealdade em todos a sua volta, mas será que isso será suficiente para mantê-lo vivo em uma sociedade tão corrompida?

O plantel de personagens secundários é completado por Durzo Blint, o melhor derramador de todo o mundo e mestre de Kylar; Solon Tofusin, o misterioso tutor de Logan; Mama K, a cortesã que parece ser muito mais do que aparenta; o Conde Drake, responsável por educar Kylar nas maneiras dos nobres; e a jovem Elene, uma bela garota por quem Kylar se sente responsável; além de um amigo do passado de Azoth. Ainda existem mais personagens com certa importância na trama, mas decidi citar apenas os principais.

"O homem comprido era o derramador Durzo Blint. Um derramador era mais ou menos como um assassino… da mesma maneira que um tigre era mais ou menos como um filhote de gato. Entre os derramadores, Durzo Blint era sem dúvida o melhor. E, como costumava dizer o líder da guilda de Azoth, qualquer dúvida quanto a isso não durava muito."

Os leitores que gostam do lado mais mágico da fantasia também vão gostar da magia de Caminho das Sombras. Entre o Talento dos derramadores, magos, bruxos, meisters, vürdmeisters, além de profecias e artefatos mágicos poderosos, temos uma sistema de magia bem interessante e que deve ser explorado com mais detalhes nos próximos livros.

Embora a escrita de Weeks não seja tão refinada nesse livro quanto a dos autores citados no início da resenha, é inegável que ele criou uma história fantástica, principalmente pelo seu talento com os “plot twists”, as reviravoltas na trama. São tantas durante a obra e a maioria delas te deixam de queixo caído com o que acabou de acontecer. Eu já li vários livros com excelentes plot twists, mas nada que se compare, em nível de quantidade, com o que o autor fez nesse livro.

Por fim, comparo Caminho das Sombras com um filme blockbuster. Ele não seria aclamado pela Academia, não ganharia o Oscar, mas com certeza vai divertir milhares de leitores por todo o Brasil. Mal posso esperar para ler o segundo volume, À Margem das Sombras.

site: http://intocados.com/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Amanda 21/07/2016

Caminho das Sombras
Resenha no blog As Meninas Que Leem Livros

site: http://www.asmeninasqueleemlivros.com/2016/05/caminho-das-sombras-brent-weeks.html
comentários(0)comente



C. Aguiar @coelhoobrancoo 12/07/2016

Azoth é só mais um dos muitos meninos que vive nas Tocas e faz parte de uma guilda de ladrões. Ele precisa levar dinheiro diariamente para pagar sua moradia, caso contrário ele não terá onde ficar e viver na parte mais pobre da cidade pode ser bem perigoso para alguém da sua idade.
Porém Azoth está cansado de viver daquele jeito sem contar é claro, as constantes humilhações, por isso decide que irá seguir seu sonho de torna-se aprendiz de um dos melhores Derramadores de Cenária, Durzo Blint.

Após passar por uma grande tarefa que era praticamente impossível de ser feito e depois de alguns acontecimentos, Azoth finalmente acaba sendo aceito por Durzo como aprendiz. Nesse momento Azoth precisa trocar de nome e começa a viver como um aprendiz de assassino (dentre outras coisas).
Será que Azoth tem o que é necessário para ser um bom assassino?

Vamos vendo diversos personagens secundários durante a leitura, o mundo criado pelo autor vai se abrindo na frente do leitor e cada vez mais vamos conhecemos um pouco mais sobre os Derramadores, e outros personagens de vários cantos da cidade de Cenária.

A leitura é cheia de reviravoltas, mas ainda assim senti que faltava algo no livro. Creio que pelo fato de ser uma história que precisa de muitos detalhes e por ser o primeiro livro da série, eu tenha ficado com essa sensação de vazio em alguns momentos, mas acredito que vai ser suprida no próximo livro. Porque vai ser preciso que o autor aprofunde mais algumas coisas na história.

O livro é cheio de magia, também nos mostra uma politica/governo cheio de traições e mentiras, que acaba pecando em muitos sentidos com o povo.
Vemos o crescimento bem rápido de personagens e vamos acompanhando bem de perto os personagens necessários para a trama no momento.

Apesar de ter encontrado vários erros durante a leitura, a diagramação estava ótima na medida do possível e gostei muito da capa.

site: http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/
comentários(0)comente



Carol 03/05/2016

Assassinos, intrigas e um mundo complexo!
Caminho Das Sombras é o primeiro livro da trilogia The Night Angel, ou Anjo da Noite, aqui no Brasil.

O mundo criado por Brent Weeks é Midcyru, um lugar onde as disputas territoriais são constantes e as tramas políticas estão sempre em movimento. Cenária, onde se passa a história é um reino frágil que sente a ameaça de invasão do Deus-Rei de Khalidor a todo momento, principalmente com um governo fraco como o de Aleine Gunder IX, mais conhecido com "Nove", um soberano que é fraco, prepotente e arrogante. Apesar de Cenária possuir um rei, quase todos os acontecimentos importantes são manipulados pelo Sakagé, uma organização criminosa, um tipo de máfia.

Azoth é um menino que já viu muitas coisas horríveis na vida. Ele vive nas Tocas, lugar onde as crianças devem se submeter as regras da Guilda e qualquer desobediência resulta em espancamentos e as vezes até a morte. Tentando proteger seus amigos, Jarl e a Menina-boneca, Azo tem o sonho de se tornar um derramador, de ser aprendiz de Durzo Blint, o mais famoso dos derramadores, e assim nunca mais precisar sentir medo.

Ao mudar de identidade, Azoth se torna Kylar Stern, um baronete pobre de um lugar distante, e o menino covarde e assustado que um dia foi deixa de existir. Entretanto, manter essa nova identidade pode ser mais difícil do que imaginava, pois esquecer o passado não é algo fácil.

Em sua nova vida, Kylar se torna grande amigo de Logan Gyre, filho do Duque Gyre, um jovem carismático e bondoso, que se encontra na linha de sucessão do Trono. Essa amizade além de abrir novas portas para o futuro de Kylar, ainda é um ponto importantíssimo no futuro de Cenária.

O livro é narrado em terceira pessoa, mas sempre pelo ponto de vista de um personagem ou outro. A história nos traz não só apenas conflitos políticos e territoriais como destaca também problemas sociais, como abandono e abuso infantil, diferenças de classes entre outros.

O autor além de criar esse mundo complexo ainda introduziu elementos mágicos, Midcyru é uma terra onde habitam magos e bruxos, pessoas que possuem o "Talento". As reviravoltas são constantes durante a narrativa, vários futuros são possíveis e vários caminhos a ser trilhados por todos os personagens apresentados.

No começo a leitura pode ser um pouco confusa, devido a quantidade de informações que nos são apresentadas, mas depois que nos acostumamos com a história e a própria forma com que o autor escreve é impossível não se apaixonar. A leitura foi super fluida e não só me prendeu do início ao fim como me transportou totalmente para a história. O final foi surpreendente, e cheio de descobertas incríveis! Apesar de ser uma trilogia, o autor soube finalizar muito bem esse primeiro livro, deixando o final bem amarrado mas com alguns ganchos para o próximo.

Super recomendado para quem curte fantasias mais darks! Com muitas reviravoltas e sangue hehe Eu fiquei muito feliz com esse lançamento da Arqueiro e estou adorando as novas apostas em literatura fantástica da editora. Com certeza eu não vejo a hora de lançarem os próximos livros que já estão no alto da minha lista de desejados.

site: http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Raniere 04/07/2016

CAMINHO DAS SOMBRAS, A FANTASIA MAIS SANGUINÁRIA DO QUE GAME OF THRONES
Quando comecei a ler Caminho das Sombras eu não tinha nenhuma expectativa, e a impressão inicial foi a melhor possível. Nas primeiras páginas, o autor Brent Weeks descreveu uma cena vívida, claustrofóbica e perturbadora que me deliciou e ao mesmo tempo me desesperou. A partir desta cena (que aconteceu nas três primeiras páginas) o autor já me ganhou.



A história gira em torno de Azoth, um menino de rua que faz parte de uma guilda de ladrões. Nessas guildas, crianças são ser agredidas e violentadas sexualmente. Quando as vidas de Azoth e seus dois amigos começam a correr perigo, ele (Azoth) resolve ir atrás de Durzo Blint, o derramador mais famoso e mortífero que há na cidade, e pede para ser seu aprendiz.


Claro que o que contei acima é apenas uma introdução. Caminho das Sombras é repleto de intrigas políticas, e s histórias de todos os personagens, por mais distantes que suas realidades (pessoais e sociais) estejam, se interligam. A trama criada por Brent Weeks é inteligente e complexa, e o ritmo da história é bastante acelerado.



No título deste texto, fiz uma comparação com os livros de As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin (que deu origem à série Game of Thrones). As histórias de Martin e Weeks não têm nada em comum e são estilos de fantasia diferentes. Porém, a afirmação deste é verdadeira. Ao contrário de outros livros de fantasia, onde as batalhas de cavalheiros acabam tendo algumas regras implícitas, baseadas na honra dos combatentes, a morte e os assassinatos em Caminho das Sombras são sujos, violentos e sem honra alguma. Claro, nos livros de Martin encontramos mortes assim, mas neles a honra ainda conta. Esta falta de honra e regras acaba fazendo com que a obra de Brent Weeks acabe sendo mais violenta e com muito mais mortes. A violência e o banho de sangue no final de Caminho das Sombras supera, nesse quesito, a cena do Casamento Vermelho, que tanto chocou os leitores no livro A Tormenta de Espadas e na terceira temporada de Game of Thrones.



“A vida é vazia. Quando tiramos uma vida, não estamos tirando nada de valor. Derramadores são matadores. É só isso que fazemos. É só isso que somos. Não há poesia no ofício da amargura”.



Outro fator que me chamou a atenção foi o conflito pessoal, existente no âmago dos principais personagens. Dentro da realidade deles, tais conflitos são compreensíveis, fazendo com que, inevitavelmente, os interesses dos protagonistas acabem se confrontando e, assim, contribuindo para que o final do livro seja uma incógnita para os leitores.



Caminho das Sombras mostra ao leitor um mundo sujo e cruel, onde a vida não tem valor algum e a honra é uma fraqueza. Este livro é um presente para todos os fãs de fantasia e de intrigas políticas.

site: www.encontrosliterarios.com.br
comentários(0)comente



Hoje é dia de Livro 13/11/2016

Resenha - Hoje é dia de Livro
Caminho das Sombras, primeiro volume da série Anjo da Noite, já possui a incrível marca de mais de 3 milhões de exemplares vendidos e é óbvio que não seria para menos! Com essa incrível marca atingida, Brent Weeks, o autor, consegue fazer com que seu romance de estreia seja relevante e memorável, tornando-se uma dádiva para todo fã do gênero admirar e contemplar!

A fantasia de Caminho das Sombras é trabalhada de maneira distinta, propiciando uma história agradável de ser lida. Nela conhecemos Azoth, um garoto de infância pobre que possui o sonho de se tornar um derramador, espécie de ofício, para assim reprimir seus medos e vencer os obstáculos de uma vida árdua. Nessa jornada, seu caminho se cruza com o de Durzo Blint, a lenda viva dos derramadores, que colocará em prova suas habilidades, tornando-se seu mestre e treinador. Somente com o tempo, Azoth provará ser digno ou não de exercer tal ofício. Coisas importantes terão de ser deixadas para trás, abandonadas e esquecidas, até a sua personalidade, que se findará para o proceder então de Kylar.

É interessante a forma com que o autor trabalha na transformação e na evolução dos seus personagens, como é o caso do personagem Azoth, que tem sua personalidade modificada, dando origem assim a um novo ego. Essas mudanças são trabalhadas desde a infância de Azoth até a a vida adulta de Kylar fazendo com que tenhamos a sensação de estarmos sempre ali, presentes, nos tornando parte da história.

Conhecemos a história de um mundo repleto de magia, com direito a magos perversos e criaturas bizarras! Amizade, amor, vingança e sacrifícios são alguns dos temas presentes na obra de Weeks, assim como alguns outros mais complexos: religião, preconceito, escravidão e traição, todos trabalhados com maestria pelo autor.

E novamente volto a falar dos marcantes personagens dessa história, que são peças fundamentais para o desenrolar da história, com eles Weeks nos apresenta o melhor e o pior nas pessoas.
Em suma, a história é bem desenvolvida e possui reviravoltas INCRÍVEIS, de deixar qualquer leitor de queixo caído! Fica agora a ansiedade por À Margem das Sombras e a pergunta: seria Midcyru a nova Westeros?

site: http://www.hojeediadelivro.com.br/2016/04/resenha-caminho-das-sombras-anjo-da.html
comentários(0)comente



Leandro 17/05/2017

O Caminho das Sombras - Diário de Seriador
O Caminho das Sombras é o início de uma bela trilogia sobre morte, poder e amor. Brent Weeks segue a receita que vem dando certo em grande histórias de fantasia ao criar seu próprio mundo, com algumas semelhanças com o nosso, mas com a liberdade de criar e surpreender com temáticas mágicas e misteriosas.

Nesse livro acompanhamos, principalmente, Azoth, um garoto que vive nas Tocas, uma área da cidade de Cenária, antro de tudo que existe de ruim. Dentro desse mundo, fazendo parte de uma guilda, ele tem de sobreviver e se permitir sonhar com um futuro mais promissor. Ao seu lado estão Menina-Boneca e Jarl, seus únicos amigos.

Para ler o restante, acesse Diário de Seriador!

site: http://www.diariodeseriador.tv/2017/05/livros-resenha-caminho-das-sombras.html
comentários(0)comente



Déborah - @lisossomos.lisos 02/03/2017

Pra ler no busão: Caminho das sombras
Pensem em um livro que empacou!

Acho que passei uns 3 ou 4 meses para terminar de lê-lo porque ele sempre me deixava meio que de ressaca e eu deixava ele de lado.

No início da leitura pensei que ia amar por ser fantasia, então comecei super empolgada, mas a leitura é muito descritiva e isso acaba me dando sono ou deixando meio desanimada e de ressaca literária.

Porém eu coloquei na cabeça que ia ler e só sosseguei quando acabei (mesmo que tenha começado em 2016 e terminado apenas em 2017).

Azoth é um menino de guilda que não tem onde cair morto e muito menos quem o proteja.

Ele se protege sozinho e ainda protege a menina boneca. Sempre que não paga as taxas acaba apanhando do Rato que é o menino mais velho e segundo em comando na guilda.

O personagem também tem outro amigo chamado Jarl e eles tem o plano de que Azoth se torne um Derramador e os livre de Rato.

O plano tem chances de dar certo o problema é que Rato quer fazê-los de suas "meninas" e eles não gostam da ideia.

Azoth enfrenta Rato que fica irado e acaba se vingando nos amigos dele.

Quando Azoth sai do domínio de Rato ele tem que abrir mão das amizades e servir com obediência a Durzo Blint, o melhor e mais respeitado derramador de toda Canaria.


Agora como Kylar, Azoth está sendo treinado para ser tão bom quanto o mestre, o problema é que o talento dele não consegue ser despertado, logo ele não é tão formidável quanto Durzo.

Ele passa por muita coisa até mostrar o seu valor e se entender com a sua antiga vida. Faz novas amizades e toma decisões ora sábias e ora idiotas.

Como eu disse tem uma parte bem descritiva que me deu um bocado de sono, mas perto do final a leitura deslanchou e eu passei a gostar mais do Azoth/Kylar e até entender o Durzo e a maneira que ele agia.

A capa é super bonita e tem a ver com a história.

Não encontrei problemas de revisão. Tem uma diagramação simples, mas bonita.

Vale muito a pena para quem gosta de fantasia, trilogias (já que é o primeiro livro de uma) e não tem problema com descrições.

site: http://lisos-somos.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3