It

It's In His Kiss Julia Quinn




Resenhas - It's In His Kiss


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Coruja 15/03/2011

Embora The Viscount Who Loved Me ainda seja meu livro favorito da série Bridgerton, It’s in His Kiss vem logo em seguida, e por muito pouco não rouba o posto (talvez porque Anthony foi o primeiro de todos...).

Não sei se para compensar o tom mais sério dos dois volumes anteriores, neste aqui a Quinn usa e abusa do humor.

Para começar, temos Hyacinth, a caçula da família Bridgerton, que está longe de ser uma heroína convencional: ela é, sem quaisquer dúvidas, uma peste; diz sempre o que lhe vem à cabeça, acha que está sempre certa e não hesita em colocar todo mundo naquele que acha ser seu devido lugar. Sua aspiração é ser igualzinha a Lady Danbury, que é o terror de dez em dez personalidades da sociedade londrina, e é avó de Gareth St. Clair, considerado o maior dos libertinos da época. Agora o sonho de Lady Danbury (e ela não é nem um pouco sutil nisso) é juntar Hyacinth e Gareth – e se isso envolver chantagem emocional, manipulação e eventos sociais ensurdecedores e bizarros, que seja.

O destino dá uma mãozinha ao velho Dragão, é claro, na forma de um diário em italiano pertencente a avó paterna de Gareth. Ele quer saber o que tem escrito no diário; Hyacinth sabe italiano, logo, ele acaba pedindo a ela que o traduza.

Lá pelas tantas, Hyacinth descobre que a avó de Gareth trouxe consigo da Itália (ela era italiana, foi forçada a se casar com um barão inglês, o avô do nosso herói) uma fortuna em diamantes. Como a garota adora se meter em encrenca, ela vai querer dar um jeito de encontrar esses diamantes.

Ainda que isso signifique fugir de casa na calada da noite com roupas masculinas para invadir a casa do Barão St. Clair com Gareth, que não é nem um pouco benquisto no lar paterno.

Esse é um detalhe importante do livro – e uma quase constante em todos os livros da Quinn. Conto nos dedos os heróis dela que não possuem alguma espécie de trauma familiar relacionado à figura paterna; trauma esse do qual são invariavelmente resgatados pelas figuras femininas de suas vidas.

Pois é, pensando direitinho, nos livros da Quinn, na maior parte das vezes, é a heroína que salva o mocinho em perigo da torre encantada.

Além disso, é nesse livro que temos a primeira menção a Miss Butterworth and the Mad Baron, que fará nossa alegria em What Happens in London e Ten Things I Love About You.

Enfim, de todos os livros que li da Quinn, esse definitivamente ganha o posto de mais divertido – entre um terrível musical, a pastora, as ovelhinhas, o unicórnio, um barão louco e Henrique VIII, Hyacinth e Gareth lhe valerão boas risadas e muitos suspiros.

Recomendado!
Gisele Melo 15/03/2011minha estante
Adorei a resenha! Hyacinth é uma peste mesmo e é por isso que ela é tão legal.. comecei agora When he was Wicked e como sempre estou adorando.. louca já p ler as aventuras dessa pestinha..




Suelen Mattos 08/04/2019

Se está em seu coração… ESTÁ EM SEU BEIJO!

Desde que Hyacinth apareceu no primeiro livro da série, ainda criança, fiquei curiosa para saber como seria a história dela, pois a Hy tinha um jeitinho bem peculiar. Contudo, depois do perrengue que passei durante a leitura do livro anterior a esse aqui, confesso que dei uma desanimada e pensei que já havia lido os melhores livros da série, que depois de ler os 5 primeiros, os outros não seriam tão bons. Mas eu mal havia começado a leitura e já não conseguia largar. Fui conquistada logo nas primeiras páginas!

Eu amei a dinâmica entre Hyacinth e Gareth desde o começo. Eles realmente eram perfeitos um para o outro e se completavam muito bem. Me deu uma peninha dele por causa de sua relação conturbada com o pai e essa sensação de solidão que ele tinha. Ainda bem que o mocinho ganhou todos os Bridgertons de presente. Esse aí nunca mais vai se sentir sozinho, hehe!

Em relação ao mistério do diário, curti demais cada "expedição" do casal — que sempre encontrava algum contratempo no final. Hyacinth sempre determinada e incansável, tanto na tradução, quanto na busca. Torci demais para que ela conseguisse alcançar o seu objetivo. E é exatamente por isso que o final teria sido bem frustante... se não tivesse o segundo epílogo.

Eu não esperava ter gostado tanto desse livro como eu gostei. Na verdade, ele virou um dos meus favoritos da série. Devorei em poucos dias. It's In His Kiss (Um Beijo Inesquecível) tem um charme todo especial, sem falar da presença da Lady D, que é sempre bem-vinda. Adoro quando ela rouba a cena! Super-Hiper-Ultra-Mega-Power recomendado!


Quer ler a resenha completa, ver a relação dos livros dessa série, saber mais sobre o segundo epílogo e ter acesso a materiais e informações extras do livro??? Então visite o blog ROMANTIC GIRL:

site: https://su-romanticgirl.blogspot.com/2019/04/julia-quinn-its-in-his-kiss-um-beijo.html
Silvana Barbosa 08/04/2019minha estante
Eu li este duas vezes. Na primeira amei, na segunda já achei a mocinha meio enjoadinha... O Gareth é ótimo!


Suelen Mattos 08/04/2019minha estante
Então nem vou ler uma segunda vez, pra não correr riscos, kkkkkkk


Silvana Barbosa 08/04/2019minha estante
kkkkkk


isa gusmão 20/05/2019minha estante
mais uma resenha sua que eu completamente concordo!! esse virou um dos meus favoritos da série, junto com o de Anthony e o de Benedict. Hyacinth é maravilhosa! também estava muito receosa porque não gostei nem um pouco do de Francesca, mas ainda bem que esse livro me provou errada!




Cris Costa 30/04/2010

O mais hilariante, entre os oito livros da série!
Divertidíssimo, cheio de cenas cômicas!
Hyacinth é simplesmente terrível, no bom sentido, se isso for possível. Sempre dizendo o que pensa. A autora conseguiu montar um cenário hilariante ou colocá-la junto com a temida Lady Danbury e o sedutor Gareth Saint Clair, neto de Agatha. Gareth não se relaciona com o pai, pois este o expulsa de casa e revela que na realidade não é seu verdadeiro pai. Desde então ele faz de tudo para chocar o Lorde. Mas com a ajuda de sua avó, a única pessoa a quem ama, começa a conviver e contar com a ajuda de Hyacinth para traduzir o diário de sua avó paterna. A partir desse momento é pura diversão para os leitores.
As melhores cenas, na minha humilde opinião, são os dois recitais... engraçadíssimos!
comentários(0)comente



Girlane 20/10/2012

Não ganhou 5 estrelas porque achei o final fraquiinho! =/
Não gostei da parte dos diamantes.
comentários(0)comente



LuizaSH 19/03/2016

Gareth, more!
Hyacinth agora é uma jovem de 22 anos, mas continua a mesma que conhecemos. Tem uma opinião sobre tudo, é determinada, e fala pelos cotovelos.
Gareth St. Clair é filho de um barão, mas ele não se dá nada bem com seu pai, e é neto da famosa e nossa mais que querida Lady Danbury.
Hyacinth lê para Lady Danbury todas as tardes de terça-feira, e por ser tão amiga da velha condessa é que conhece seu neto. E aos poucos ambos vão se conhecendo, tornam-se amigos, até que certos eventos da vida de Gareth fazem com que os dois fiquem ainda mais próximos, surgindo daí um sentimento mais forte entre eles. Mas ainda existem barreiras a serem ultrapassadas, como o Barão de St. Clair, entre outros segredos.
A história é bem divertida, como não poderia deixar de ser quando se trata da Hyacinth, mas achei que o fim ficou com uma solução muito simples, especialmente quanto às desavenças de Gareth e seu pai. E gente, o livro não acaba!! Quer dizer, o que foi o epílogo? Como assim?? hahaha. Ainda bem que o segundo epílogo, em "Happily Ever After", dá um fim de verdade à história. Mas aí teremos que aguardar o livro ser lançado no país. Mas para aqueles que sabem inglês e não se seguram (meu caso, kkkkk) já li e aí sim eu senti que a história desse livro ficou completa!
comentários(0)comente



Mariliz 02/10/2010

Gareth e Hyacint

Hyancinth é a terrível e original caçula dos Bridgerton. Todos os homens a temem, menos Gareth, um dos mais sedutores libertinos. Suas famílias torcem para que ambos se casem. Menos o pai De Gareth que o odeia.
O diário davó paterna de Gareth elucida mistérios e lança a ele e Hyancint numa busca frenética de seus diamantes.
comentários(0)comente



Maitê 14/11/2015

Fofo
Mais um livro fofo da Julia Quinn, dessa vez ela tenta fazer algo gótico, com mistérios e escapadas a meia noite mas a coisa toda não passa do fofo, não cheguei a me importar muito com os personagens, e não achei que eles fossem muito mais do que bons amigos.
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7