Butcher

Butcher's Crossing John Williams




Resenhas - Butcher's Crossing


25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Silmara.Lemes 29/07/2020

Butcher?s Crossing
Livro muito bem escrito. O autor consegue transmitir bem o espírito de exploração do Velho Oeste. De forma bem sutil e profunda, consegue tratar de questões existenciais que surgem a partir dos acontecimentos da história.

Li este livro por causa de outra obra do autor, ?Stoner?, que é excelente.
comentários(0)comente



Tah_baddauy 25/07/2020

O John Williams tem o dom da escrita sinestésica. Ele descreve tão bem as coisas, que é impossível ficar inerte aos seus relatos.
comentários(0)comente



Picón 12/06/2020

Romance em 4D
Um livro contemplativo, sinestésico. Descritivo sem ser chato (o que é algo difícil de ser conseguir), a ponto de fazer com que nos sintamos na cena. Encontra-se no livro: a filosofia de Emerson e Thoreau, o dístico Homem vs Natureza, o Homem como um animal na Natureza, a busca de um sentido para a vida, o Absurdo, além de paisagens à la Brokeback Mountain. Muito bom.
comentários(0)comente



marcioenrique 07/06/2020

por vezes descritivo demais, o que deixa o livro um pouco cansativo no meio, mas, ainda assim, mais um belo livro com a precisão característica do autor.
comentários(0)comente



Fernanda Sleiman 04/05/2020

JOHN WILLIAMS NASCEU PARA ISSO
Não é o primeiro livro que leio do autor e definitivamente não é o melhor. Porém o autor escreve tão divinamente bem que mesmo sem me apegar a história li até o final. JOHN WILLIAMS NASCEU pra escrever. Texto maravilhoso. O final valeu a pena
comentários(0)comente



Ludhi 17/04/2020

O jovem Will Andrews desiste da faculdade e vai para butcher's crossing em busca de uma razão para existir. Ele participa de uma longa caçada de búfalos cheia de imprevistos. Livraço!
comentários(0)comente



Book.ster por Pedro Pacifico 01/03/2020

Butcher's crossing, John Williams - Nota 8/10
A narrativa do livro tem como foco os desafios de um jovem que, após largar os estudos em Harvard, decide se aventurar pelo interior dos Estados Unidos. Sem rumo, o protagonista acaba se juntando a um grupo de caçadores de búfalos, prestes a iniciar uma temporada de caça no oeste do país. A partir daí, o leitor passa a acompanhar a aventura, com as dificuldades - físicas, mas também psicológicas - extremas vivenciadas por cada integrante do grupo. O autor escreve de forma extremamente detalhada, o que torna a leitura um pouco cansativo em certos momentos, principalmente no meio do livro. Mas ao mesmo tempo, essa característica acaba permitindo que o leitor tenha uma verdadeira imersão no cenário criado por John Williams e na aventura vivenciada pelo grupo.

site: https://www.instagram.com/book.ster
comentários(0)comente



Janary 14/02/2020

MINUTO LEITURA: Butcher’s Crossing
Um jovem desiste de um promissor futuro acadêmico dentro uma das mais prestigiadas universidades dos Estados Unidos na década de 1870, para realizar uma viagem em busca de autoconhecimento em meio a natureza selvagem – um lugar bem diferente da boa criação de um filho de pastor de uma cidade grande. Esse é o enredo de abertura do livro “Butcher’s Crossig”, do norte-americano John Williams, publicado em 1960 e que retrata um pouco do drama da vida no árido faroeste a ser desbravado.

O escritor John Williams é um gênio! Suas palavras são certeiras para nos fazer imaginar exatamente o cenário daquela época, como na simples caminhada pela rua principal da cidade enquanto um rastro de poeira sobe a cada passo de Andrews, o personagem central, que é pouco mais que um menino. Um dos pontos mais inteligentes da escrita do norte americano é sua habilidade em descrever uma cena sem abusar da repetição das palavras ou usar sinônimos complexos. Isso torna o texto leve ao mesmo tempo em que temos o peso das consequências de uma viagem como essas.

Nessa história, um experiente caçador de pele de búfalos convence Andrews a fechar uma parceria que os levará por entre o oeste selvagem durante meses de caçadas e luta por sobrevivência, enquanto lidam com as diferentes personalidades de cada um. John Williams cria personagens fortes ao mesmo tempo que transbordam humanidade, transparecendo os anseios e medos, assim como as convicções que cada um carrega sobre como guiar a vida. Uma leitura que acelera gradualmente à medida em que as páginas vão contando os dias vivenciados pelos caçadores, quase em um paralelo ao amadurecimento pessoal do rapaz.


site: https://soundcloud.com/user-567764695
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Deisy 02/07/2019

Livro incrível !! Recomendo!
comentários(0)comente



Lucas 23/06/2019

O tom geral do livro é o de um esforço em vão, como o de Sísifo – de vaidade, qualidade do que é vão, por isso Eclesiastes se oferece como chave para sua compreensão.

Comentário completo no link:
https://www.revistaamalgama.com.br/06/2019/butchers-crossing-e-eclesiastes-o-caminho-atraves-do-vale-de-ossos/
comentários(0)comente



monique.gerke 23/01/2019

Já se passaram dois dias e eu ainda penso com bastante frequência nas montanhas do Colorado..não queria que essa leitura tivesse acabado..
Euwagner.escritor 24/01/2020minha estante
Este livro esta na minha cabeceira, ao lado do Stoner! Leu?




Ricardo 30/04/2018

Surpreendente
Por vezes bastante descritivo. A América do desbravamento exige isso. A narrativa segue o carro dos bois. Rodas barulhentas como a sede de exploração dos comerciantes de pele, das comerciantes do próprio corpos e dos caçadores. O protagonista dialoga pouco (o suficiente?), quase monossilábico, mas não é tolo, apenas muito jovem. Andrews empreende sua jornada confiando demais nas outras pessoas. O problema é que com isso ele se esquece do que é essencial: é isso mesmo que ele deseja? A natureza selvagem ajuda ou faz ele se esquecer dele mesmo?
comentários(0)comente



Vorspier 26/03/2018

A única coisa de Butcher's Crossing que eu não curti...
foi a descrição de como o protagonista e seus companheiros de caçada matavam e cortavam os búfalos para retirar o couro e aproveitar parte da carne. Só.
Achei que fosse me entediar com um livro do gênero western, mas ainda bem que foi um engano. Gostei bastante do livro de John E. Williams e do modo como ele mostrou a perda da inocência do jovem Andrews. Só sei que agora criei uma expectativa enorme em torno de Stoner, obra também bastante elogiada de Williams.
Euwagner.escritor 24/01/2020minha estante
Olaaa! Leia Stoner, leia Stoner!!! Sobre a descrição, é tao pesada que por vezes eu me sentia no lugar. A forma como o Miller realizava isso como uma espécie de vingança íntima!


Vorspier 28/01/2020minha estante
Já li Stoner, amei! Agora eu tenho Augustus na lista pra ler este ano.


Euwagner.escritor 28/01/2020minha estante
somos dois! Estou iniciando a leitura dele hoje!!!




Laís 22/11/2017

John Williams foi um admorável autor americano e, sem dúvidas, um dos meus queridinhos de 2017. Stoner, seu outro título publicado pela Editora Rádio Londres, me marcou pela grande reflexão. Com Butcher’s Crossing não foi diferente.


Andrews, após anos de estudo, desiste de Harvard e parte em direção ao Kansas. Uma vez em seu destino, a cidadezinha de Butcher’s Crossing, ele se encontra com Miller e propõe mais uma viagem ao caçador.


Miller há muitos anos atrás encontrou um vale com quatro mil búfalos, mas nunca havia conseguido os recursos suficientes para fazer uma caçada lá. Uma vez que Andrews oferece o financiamento para essa viagem, é questão de dias até que o pequeno grupo esteja pronto para partir.


Quatro homens e uma natureza avassaladora - esse é o contexto de grande parte desse livro. Embora essa história gire em torno dos búfalos e de sua caçada, o livro se trata de muito, muito mais do que isso.


Os personagens de Williams são enigmáticos. Aqui nós temos Andrews, um homem claramente despreparado para qualquer adversidade da vida que, na viagem, é o tempo todo desafiado pela natureza selvagem. Isso se torna muito interessante e simbólico ao longo da leitura.


A narrativa desse autor é simples, bem visual! É um livro difícil de digerir, principalmente para quem não se sente muito confortável com sangue, mutilações, etc. Existem várias cenas onde eles explicam sobre o processo de emboscar, matar e limpar a pele do búfalo.


Essa leitura foi uma surpresa! Um livro que talvez não fosse a minha primeira opção ao entrar em uma livraria acabou se tornando uma obra cheia de reflexões e digna de muitos elogios.


Apesar de ter prendido minha atenção, o ritmo da minha leitura foi lento, porque precisei de tempo para digerir e refletir entre os capítulos. De qualquer forma, foi uma experiência de leitura muito bacana, já que eu adoro essa característica que o autor tem de nos teletransportar para suas histórias. 
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2