Cat: meu amigo psicopata

Cat: meu amigo psicopata Malu Ghiraldeli




Resenhas - Cat: meu amigo psicopata


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Quel 03/06/2016

Psicopatas são perversos, malignos, e não amam.

Este livro foi lançamento do mês de abril da Editora Arwen, e apesar da capa não ser na minha opinião atraente a sua premissa chamou a minha atenção. Dito ser um conteúdo mais para comédia romântica, um gênero que não costumo ler, porém sendo romance arrisquei e quando iniciei a leitura a cada virar de páginas me sentia mais atraída pelos os personagens e pelo trama vivido por eles.

Quem nunca se interessou em conhecer um psicopata, ou mesmo saber o pouco mais sobre eles? Sim, então neste enredo de Malu conhecemos 6 jovens que são capazes de tudo, mas Malu escolheu abordar este assunto de uma forma tão leve e divertida que eu como leitora por diversas vezes imaginei acontecendo de fato, claro, é ficção e a autora deixa bem claro o quão sabe a respeito desses seres tão distintos. Não recomendamos tentar fazer o que esses jovens tentaram, okay?!

Em algum lugar do mundo, Logan Davis e William Miller estudantes na Universidade Seasons tem como projeto uma missão impossível, mas com vagas garantidas no mais famoso hospital psiquiátrico estão dispostos a tentarem. Será que um psicopata é capaz de amar?

Tudo se inicia quando William Miller estudante de medicina toma como projeto descobrir se psicopatas são capazes de amar alguém além de si mesmo, todos descrentes descartam está possibilidade sendo arriscado pôr em risco a vida das pessoas envolvidas. Porém Will não satisfeito, contradiz as ordens dos seus coordenadores e pede a ajuda de Logan Davis, estudante de psicologia, rivais segundo as tradições da universidade. Mas, se o projeto for bem-sucedido ambos terão vaga garantida e consequentemente serão bem-sucedidos em suas carreiras, isso se não acontecer uma tragedia antes.

William é um jovem que sempre teve tudo a seu alcance, filho de pais ricos planeja tudo, consegue uma liminar com um juiz e escolhe um psicopata a dedo. O escolhido é Elijah Carter, um homem que fora um dos criminosos mais procurado do estado se não do país, isso antes de falhar e ser pego em flagrante. Matou três pessoas a sangue frio, é ex-estudante de medicina, é considerado um gênio e muitíssimo inteligente.

A escrita de Malu Ghiraldeli é extremamente envolvente, em pouquíssimo tempo após iniciar a leitura já me via na expectativa para descobrir um pouco mais sobre cada um dos personagens e principalmente conhecer Elijah, o Cat.

Logan e Will deixam Cat preso e como não é confiável deixá-lo sozinho eles passam a viver todos juntos. Cat por hora é confiável, falante e em outras ocasiões se transforma, se isola e ninguém é capaz de invadir seu espaço e Logan acredita que isso significa que ele está planejando um assassinato.

Com atitudes de bipolar o plano inicial de fazer com ele se apaixone falha, Cat não se mostra interessado em Megan que também está no projeto, sendo psiquiatra poderia lidar perfeitamente com a situação de ter um psicopata apaixonado por ela.

Mas, tudo muda quando Amy, uma jovem albina amiga de Logan foge de casa e se instala na casa onde Cat, Logan e Will estão morando. O encontro inicial entre Amy e Cat não é muito agradável, mas apesar disso Amy sem saber a verdade se sente super a vontade com a presença do misterioso Cat e eles terminam por ficarem bem próximos.

Amy passou a vida toda trancada em casa, por ser filha única e albina seus pais são super protetores e não a deixa sair muito de casa por temer que sua pele super delicada se queime, ou que algo pior aconteça.

É incrível como Amy pôde de alguma forma acrescentar algo na vida de Cat, porém de forma alguma digo que ao incluir Amy nesta história o Cat mudou, sendo um psicopata sua mente funciona de uma forma diferente acredito ser impossível modificá-lo neste sentido, porém ao Amy se aproximar dele a ponto de se envolver amorosamente mesmo após saber sua verdadeira identidade foi o que o atraiu.

O projeto foi declarado um sucesso, sim, eles são capazes de gostar de alguém, mas isso pode sair do seu controle a qualquer momento, por serem 'perturbados' mentalmente acabam por transformarem suas companheiras em bichinhos de estimação e este querido psicopata sabe que essa relação pode virar uma tragedia, só que este é um relacionamento nascido na base da confiança e não é por Cat ser quem é que isso deixará de ser algo importante em uma relação, qualquer relação só sobrevive com confiança.

Eu me apaixonei por este livro, Cat e seus amigos psicopatas que aparecem no decorrer da narração são super engraçados e a certo ponto carismáticos. É interessante como eles formam uma quadrilha de psicopatas que são por natureza extremamente inteligentes, e convivem em meio à pessoas normais, eles são vizinhos, colegas de trabalho, colegas de classe na universidade. Em todos os lugares existe um psicopata oculto e ninguém imagina o quanto são perigosos e isso se assemelha a vida real, ninguém chega a ser apresentada a um psicopata ou sociopata, mas pessoas sem perceberem já tiveram algum contato com algum.

Não sei se você irá gostar deste livro, eu nem tenho palavras para dizer o quanto gostei deste livro, eu sempre fui muito curiosa sobre a mente humana, toda a vida me senti envolvida com as áreas de psiquiatria/psicologia e ler este livro foi bom, muito bom. Assim como a autora não posso dizer que sou uma especialista, o pouco que eu sei é sobre pesquisas e muita leitura e ainda assim eu me imagino escrevendo algo como Cat, meu amigo psicopata. Na literatura os pensadores têm mais liberdade, sempre existirá um leitor que se sentirá envolvido que se agradará do tema e da forma como o mesmo foi abordado.

Malu Ghiraldeli foi tão especial ao relatar algo sério de uma forma divertida, engraçada. Apesar de Cat ter me deixado apreensiva eu sabia, ou tentava de alguma forma confiar nele e em suas intenções, lógico que ele não era digno de piedade, muito menos de minha confiança, pior, apesar da calmaria ele era um felino pronto para atacar quem tentasse provocá-lo e foi justamente isso que me motivava na leitura. Eu queria saber qual seria seu próximo passo e quando eu descobri fiquei muito surpresa, eu não imaginava que eu fosse gostar tanto. Após Amy e Cat iniciarem um relacionamento alguns assassinatos acometem a população e cada vez mais a narração me mostrava indícios que algo ruim estava por vir e que Cat iria me mostrar sua verdadeira natureza. Me surpreendi muito, muito com a verdade e principalmente com a forma como ela foi sendo revelada e principalmente com a sua resolução.

Sobre o final, fiquei emocionada e foi difícil segurar o riso, foi tão diferente do que eu imaginei, foi tão bom! Gostei tanto deste livro que quero uma continuação, preciso mais de Cat. Parabéns Malu Ghiraldeli seu romance é formidável!

site: https://raquel-ebooks.blogspot.com
comentários(0)comente



Clube do Livro 24/07/2016

Resenha do blog Clube do Livro e Amigos escrita por Katerine Grinaldi (completa)
A história começa realmente do início, e o que quero dizer com isso? Que não há enrolação! O prólogo trata logo da questão que fará a vida de todos os personagens mudar, então, a autora vai direto ao ponto e de uma maneira bem dela, mas pretendo falar sobre isso depois. O projeto de William Miller, filho de um empresário bilionário, é rejeitado pela banca da universidade porque aparentemente é uma piada. Como ele é um dos melhores alunos de Medicina, concedem-lhe um novo prazo para refazer seu projeto, mas Will não parece nada disposto a desistir da sua tese. Bem, nesse ponto, ele ganhou muitos pontos comigo porque o projeto de conclusão de curso deve ser algo em que acreditamos ou, do contrário, o que estamos tentando provar? Estamos fazendo apenas mais um trabalho acadêmico?!

Então a sorte ou o azar dá um jeito de reunir Will e Logan em uma mesma situação, a oportunidade perfeita para uma proposta inusitada. O graduando em Medicina quer provar sua teoria a todo custo e pede a ajuda de Logan, o melhor aluno de Psicologia. Apesar de relutar, após receber cada vez mais benefícios para participar, Logan acaba por aceitar e, como diz na sinopse, os dois passam a ser responsáveis pelo psicopata mais perigoso da cidade.

E, agora, eles precisam fazê-lo se apaixonar.
Surge o terceiro membro da equipe: a cobaia, rsrs. Megan Lapusi, psicóloga e estudante de psiquiatria. Ela sabe que está na equipe “Psicopatas” apenas para fisgar o psicopata. Ok, afinal, ele não tem sentimentos, não é mesmo?

Elijah Carter, o psicopata, enfim é inserido na equipe, sabendo apenas que está participando de um projeto no estilo reality show. Gente, não vou dar alguns detalhes por motivos de spoiler, ok? Estou resumindo... Como não dá para chamar um psicopata por aí pelo seu nome verdadeiro, eis que o apelidam de Cat, já que Logan odeia gatos. (Bem, se você pensar que o Cat é o Ian Somerhalder, o apelido não precisaria nem de explicação... rs)





Mas, como tudo na vida, o tiro sai pela culatra e não rola a tão esperada química entre Cat e Megan. Na verdade, ele nem dá bola para ela. E, lembre, isso não quer dizer que o projeto tenha ido por água abaixo, ok? Você precisa ler para saber ;) E, preciso dizer que, apesar de aceitar participar, Logan não deixa de ser sensato... Eles estão com um psicopata, ok? Parece que ele era o único que enxergava a gravidade de uma coisa dessas. A equipe de três começa a aumentar quando Amy, albina, que tem problemas com os pais super protetores aparece onde os outros estão morando com Cat. Ela fugiu de casa e o único lugar que tinha para ir era lá, onde estava seu único amigo Logan.


Só posso dizer uma coisa: você vai pensar em alguns casais, você vai mesmo achar que eles vão ficar juntos e vai ser realmente incrível quando isso não acontecer. Sério! Você deve estar dizendo que sou doida, mas não! A autora mostrou o que a vida nos mostra diariamente. Às vezes, o amor está ao nosso lado e não percebemos, não é mesmo? Olhamos para todos os lugares menos para o certo e, então, é isso que ela mostra. E o certo vai arrebatar você. Pode apostar. Confesso que shippei muito o casal mais inesperado do livro... Juro que eu nem cogitava e foi mesmo uma surpresa agradável e que acho que vai mexer com a mente de muitas pessoas por aí.



Depois que Logan, Will e Megan passam a ter um psicopata de estimação, mortes começam a acontecer pela cidade, inclusive de pessoas ocupantes de cargos importantes como o prefeito e o juiz. É importante ressaltar que a autora não quis definir uma cidade específica para a história do livro e isso é explicado nos agradecimentos. Com o desenrolar do livro, percebemos que Elijah ou Cat é um psicopata, mas as coisas não são bem assim também... Olha, Cat não é um psicopata capaz de ser odiado.


Já pararam para pensar no motivo pelo qual Will insiste nesta tese a ponto de arriscar sua vida para prová-la? O fato de um psicopata necessitar de tratamento, não faz dele o único mal de uma sociedade. E nem sempre um criminoso é aquele que está atrás das grades.
A escrita da autora é leve, engraçada, você realmente não consegue parar de ler. Acho que demorei mais para fazer a resenha do que para finalizar a leitura. A diagramação feita pela Arwen está linda, perfeita mesmo, bem condizente com o tema do livro, a revisão teve pequenas falhas, mas é porque faço revisões, então, meu olhar já foca naquilo, porém com certeza não é algo que tenha prejudicado a leitura. Pode confiar.



Preciso ressaltar que a leitura é muito engraçada mesmo. O livro é 90% narrado por Logan, em primeira pessoa, e o personagem é incrível, fazia-me rir muito com o seu jeito irônico de lidar com situações sérias. Até me identifiquei com ele, acho que sou um pouco assim.

site: http://clubedolivro15.blogspot.com.br/2016/06/kate-indica-resenha-cat-meu-amigo.html
comentários(0)comente



Joana Masen 26/08/2016

Cat, o psicopata que vai mexer com seus sentimentos
Logan Davis, estudante de medicina, um jovem tranquilo e pouco popular na universidade, de repente se vê envolvido numa confusão que pode não só lhe custar tudo aquilo com que sonhou para seu futuro, como sua própria vida.

Depois de ter seu louco projeto de final de curso rejeitado, o melhor aluno de psiquiatria da universidade, William Miller, convida Logan para participar de uma experiência perigosa: sequestrar um psicopata famoso, que está preso, e fazê-lo se apaixonar por uma mulher.

Will tem razões fortes para acreditar que os psicopatas podem ter sentimentos, e ele quer provar sua teoria, custe o que custar. Com um pai rico e todas as facilidades que o dinheiro proporciona, ele não mede esforços para tirar o psicopata da prisão e mantê-lo sob vigilância, enquanto tenta fazer com que ele se apaixone por uma colega de faculdade.

Mas como todo projeto arriscado, esse também tem seus contratempos, e Logan acaba permitindo que uma de suas pacientes, a garota albina e totalmente insegura, Amy, passe uns dias na mesma casa em que estão observando Cat, o psicopata. Eles decidem chamá-lo por esse apelido carinhoso para não levantar suspeitas, e para que Amy não descubra quem ele realmente é.

A presença da garota na casa causa uma reviravolta incrível nos planos de Will. e dá muita dor de cabeça para Logan, que quer vê-la feliz e ao mesmo tempo protegê-la do assassino que. Por outro lado, ele não pode contar a ela quem Cat é ou o que ele faz, o que vai deixado Amy cada vez mais curiosa sobre o que está acontecendo, e pior, a aproxima muito de Cat.

Não quero dar spoilers sobre a relação entre os personagens, mas acontece muita coisa, inclusive, alguns momentos de muita tensão, em que os meninos ficam sob ameaça de uma faca, sem saber se vão conseguir sair com vida daquela experiência. O livro é muito divertido, apesar do tema pesado, e os personagens são muito bem desenvolvidos: cada um deles vive seus próprios dramas, e as dúvidas e medos de Logan, Will e Amy conduzem a estória. A autora realmente estudou sobre psicopatia para falar sobre o assunto, e soube trabalhar muito bem com ele, mostrando nuances da doença e criando a trama toda em torno dela, ao mesmo tempo que dedicou momentos individuais para cada personagem mostrar sua personalidade única.

O final é muito bem pensado, e só nas últimas páginas entendemos os motivos de Will, e também conhecemos um pouquinho mais dos psicopatas amigos de Cat, que têm personalidades interessantes, e são tão divertidos quanto perigosos. O leitor se vê imerso no clima tenso do livro, e vive junto com os personagens as situações mais estranhas e ameaçadoras, o que mostra o talento da autora em criar uma narrativa envolvente. Em alguns momentos até torcemos para os psicopatas!

Além da estória ser incrível, a arte gráfica do livro é impressionante: desde a capa, que foca no semblante impassível do jovem psicopata e tem ao fundo os lindos olhos azuis de Amy, até o interior, com as páginas ilustradas com gotas de sangue e uma tesoura ameaçadora. É uma leitura rápida e surpreendente, e eu super indico para todos os leitores. Não tenham receio do tema, nem pensem que vão ver muito sangue e morte, mas estejam sempre alertas, pois os psicopatas não têm medo de agir.


site: http://seiqueeusei.blogspot.com.br/
nane 11/09/2016minha estante
undefined




Katerine.Grinaldi 04/09/2016

"Ah, a espécie humana..."
A história começa realmente do início, e o que quero dizer com isso? Que não há enrolação! O prólogo trata logo da questão que fará a vida de todos os personagens mudar, então, a autora vai direto ao ponto e de uma maneira bem dela, mas pretendo falar sobre isso depois. O projeto de William Miller, filho de um empresário bilionário, é rejeitado pela banca da universidade porque aparentemente é uma piada. Como ele é um dos melhores alunos de Medicina, concedem-lhe um novo prazo para refazer seu projeto, mas Will não parece nada disposto a desistir da sua tese. Bem, nesse ponto, ele ganhou muitos pontos comigo porque o projeto de conclusão de curso deve ser algo em que acreditamos ou, do contrário, o que estamos tentando provar? Estamos fazendo apenas mais um trabalho acadêmico?!
Então a sorte ou o azar dá um jeito de reunir Will e Logan em uma mesma situação, a oportunidade perfeita para uma proposta inusitada. O graduando em Medicina quer provar sua teoria a todo custo e pede a ajuda de Logan, o melhor aluno de Psicologia. Apesar de relutar, após receber cada vez mais benefícios para participar, Logan acaba por aceitar e, como diz na sinopse, os dois passam a ser responsáveis pelo psicopata mais perigoso da cidade.
E, agora, eles precisam fazê-lo se apaixonar.
Quer saber mais?
Leia no Blog Clube do Livro e Amigos.

site: http://clubedolivro15.blogspot.com.br/2016/06/kate-indica-resenha-cat-meu-amigo.html
Giuliana Sperandio 07/09/2016minha estante




Conchego das Letras 20/02/2017

Resenha Completa
"Nunca julgue um livro pela capa". Taí um ditado excelente para CAT. Quando vi a capa desse livro disse "hum... Gostei não. Quero não". Ainda assim, fiquei atenta às notícias a respeito dele porque a sinopse era bastante atrativa.

Depois de ler vários elogios, resolvi: vou comprar. O livro chegou e lá fui eu enrolar para começar a leitura. Tudo culpa daquela capa. kkkk Na segunda semana de janeiro finalmente peguei CAT para ser minha leitura nacional do mês e preciso confessar para vocês: que orgulho que deu da literatura nacional!!! Livro excelente!
Will é um estudante de psiquiatria que quer provar que os psicopatas são capazes de amar (essa é a tese de graduação dele, passaporte para conseguir o emprego com que sonhava). O problema é que a faculdade não concorda com isso e não autoriza o projeto. Determinado a provar o que queria, resolve apelas para as vias clandestinas. Rico, paga para que o psicopata mais famoso da cidade seja raptado da cadeia, para ir morar com ele a fim de testar sua teoria. Para tanto irá se valer da ajuda de Megan (a garota que deveria conquistar o coração de Elijah, o psicopata) e Logan, o melhor aluno da turma de psicologia, que só entrou nessa "roubada" porque a carne é fraca e Will fez uma proposta irrecusável para ele.


Como vocês podem imaginar, tudo o que foi "perfeitamente planejado" não saiu nem um pouco como o esperado. CAT, o codinome que deram para o nosso querido psicopata, tinha sua própria agenda e mudou um pouquinho o rumo programado pelo trio. A chegada de Amy (uma garota albina, ingênua, que vivia trancada em casa pelos pais) à "república" que eles montaram para colocar o plano em prática só torna o que já estava complicado ainda mais "impossível de dar certo".

O(s) psicopata(s) que aparece na obra é um tanto caricato, estilo filme Hollywoodiano ou seriados como Dexter, mas isso não tira em nada o sabor da obra, porque, convenhamos, 99,9% dos livros de ficção com psicopatas apresentam esse modelo. O diferencial desse é mesmo o toque de comédia que a autora dá a cada capítulo da obra e à realidade e coerência dos sentimentos e alguns pensamentos dos personagens.

Com uma escrita fluida, Malu Ghiraldeli trabalhou temas polêmicos e extremamente interessantes, tudo em um clima leve e fácil de ser compreendido. Ri horrores com o paranoico Logan e suas crises existenciais, suspirei com Amy e vibrei com as tiradas inteligentíssimas de CAT. Para coroar a obra com chave de ouro, ao final ainda tem uma cartinha da autora ressaltando que embora ela tenha baseada boa parte das características dos personagens em pesquisa, ninguém deve procurar por psicopatas na vida real, porque eles são muito perigosos e os do livro dela foram bastante romanceados para dar liga à história (achei esse cuidado dela, a preocupação com as ações/reações que sua obra poderia desencadear em alguns leitores, espetacular).

Leitura super recomendada!


site: http://www.conchegodasletras.com.br/2017/02/resenha-cat-meu-amigo-psicopata-malu.html#more
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5