Oníria

Oníria B. F. Parry




Resenhas - Oníria


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Kari 13/06/2016

Eliot tem apenas doze anos e já é um menino com bastante "bagagem", perdeu sua mãe de maneira inusitada aos cinco anos e seu pai pouco tempo depois se casou com uma mulher que nunca se esforçou para amar Eliott como um filho ou entender seus pesadelos, já que nessa época ele era atormentado com pesadelos sem fim causados pelo terror de dormir e vir a morrer como sua mãe (que morreu enquanto dormia). Sua avó Mamilou acabou indo morar com a família para auxiliar com o neto e com as gêmeas que vieram algum tempo depois. Mamilou nessa época contava histórias sobre Oníria, um mundo onde os sonhos se tornavam reais ganhando vida e dessa forma ensinava Eliott a prestar atenção nos seus monstros e que sua imaginação poderia derrotá-los.

"- E se eu fosse morto por um monstro, como a mamãe?
O garoto estava apavorado. Sentado na cama, de pijama, agarrava-se ao urso de pelúcia como se sua vida dependesse disso. Estava esgotado, mas lutava para manter os grandes olhos abertos.
- Sua mãe não foi morta por um monstro, Eliott - disse a avó, acariciando-lhe os cabelos. - Você não corre risco nenhum, os pesadelos não podem entrar no seu quarto.
- Mas eles estão nos meus sonhos, e eu também! - replicou o menino..
- Então você vai ter que se defender como eu te ensinei. Lembra?"

Sua madrasta apenas queria que aquilo acabasse logo, já que após a chegada das gêmeas isso certamente iria ser um grande empecilho na vida da família.

Por um tempo as coisas pareciam normais na medida do possível, pois Eliott não é um menino feliz.
Em dado momento, seu pai fica em um estado de coma e vai para um hospital. eliott não possui nenhum amigo na escola, sua madrasta vive gritando com ele ou sendo simplesmente uma megera. A única pessoa que demonstra carinho e algum entendimento pelo que o menino está passando é sua avó Mamilou.

"Quase seis meses antes.. Philippe Lanfontaine não se levantara, como sempre fazia, para o café da manhã com a família. Christine pensou que ele tivesse tomado um calmante para se recuperar do fuso horário, pois acabava de chegar de uma viagem a Tóquio... À noite, porém, quando Eliott chegou do colégio, encontrou um veículo do serviço de emergência estacionado em frente ao prédio. Philippe continuava inconsciente.
O veredito do hospital: coma.."


Mas quem disse que o que está ruim não pode piorar? Mesmo tendo os melhores médicos investigando o caso de Phillippe (pai de Eliott), os mesmos informam a Christine (madrasta) que não podem fazer mais nada por ele e que irão transferir Phillippe para uma área que o manterá confortável até que a morte venha, afinal Phillippe está definhando e com uma saúde muito fragilizada, a qualquer momento a morte será inevitável, segundo os médicos. Durante essa visita ao hospital, Mamilou parece perceber algo, mas fica na dela. E quando Christine anuncia que irá se mudar com as crianças de Paris para Londres aceitando uma proposta de emprego melhor e declarando que não há mais o que fazer ali, Mamilou tenta argumentar e acaba sendo expulsa da casa onde morava com a família, percebendo o tanto que Christine é horrível e agoísta (algo que ela sempre desconfiou); em sua despedida ela revela a Eliott seu maior segredo, que Oníria não era apenas uma história para ajudar o jovem a lidar com seus pesadelos, mas real e que a salvação do seu pai dependia dele e de sua ida para Oníria; ela lhe entrega um colar onde há uma ampulheta e diz que use o mesmo quando for dormir e que isso irá possibilitar que ele possa entrar nesse mundo novo e salvar seu pai; alerta ele sobre os perigos e que ele precisa se lembrar de tudo que ela o ensinou quando ele era mais jovem.

A partir desses acontecimentos Eliott irá embarcar em uma aventura travando lutas inimagináveis no Reino dos Sonhos, onde a vida de seu pai está em jogo e também a sua própria vida. Nada será simples ou fácil, mas a perseverança de Eliott é simplesmente fascinante e comovente e nos faz torcer e embarcar nessa aventura junto com ele!

A história é narrada em terceira pessoa e o mundo criado é muito bem delineado, nos fazendo conseguir imaginar com clareza cada detalhe recheado de aventuras e personagens marcantes, nos fazendo refletir sobre a importância da família, das demonstrações de amor, ouvir mais, se doar mais. Em como amizades são fundamentais nas jornadas que enfrentamos.

O final me deixou bastante curiosa por mais e espero que não demore muito para sair a continuação!

Um menino de doze anos, uma aventura por um mundo completamente bem descrito e com personagens incríveis, quem resiste?
comentários(0)comente



Vinicius.Correa 15/02/2020

A história gira em torno de Eliott que com apenas 5 anos perdeu a mãe, que morreu misteriosamente enquanto dormia, sem motivo aparente. E agora, com 12 anos, encontra-se em uma situação ainda mais turbulenta. Seu pai está em coma há 6 meses, e assim como sua mãe, também sem nenhum motivo aparente. Ele está internado em um dos melhores hospitais da região, mas nem mesmo os médicos de lá nutrem esperança em uma possível recuperação. Como se já não bastasse, ele não possui um bom relacionamento com Cristine, sua madrasta, e ainda sofre bullying na escola.

Eliott vai mal nas provas, tem muitos desentendimentos com os colegas e não possui o apoio de Cristine. Mas isso é o de menos, ele preocupa-se mesmo é com a saúde de seu pai. Tudo era melhor enquanto ele estava acordado, mas os médicos já disseram que o tempo está acabando. O corpo desacordado está perdendo as forças dia-após-dia e que em breve ele ficaria fraco de mais para poder sustentar-se, mesmo com todos os aparelhos já instalados para facilitar essa tarefa. Momentos de muita dor e sofrimento que podiam ser comparados com pesadelos, mas antes fosse, Eliott os enfrentaria com extrema facilidade com os ensinamentos que Mamilou (como chamava a sua avó) havia lhe passado.

Quando a mãe de Eliott morreu, ele passou a ter terríveis pesadelos enquanto dormia. Adquirindo uma fobia pelo sono, mas sua vó, que quando mais jovem, teve o mesmo problema, o treinou para controlar os pesadelos. Ensinou-o que enquanto ele estava sonhando, ele poderia usar sua criatividade para fazer o que quiser, inclusive, destruir os monstros que o atormentam. E para acalma-lo ela contava diversas histórias de um maravilhoso mundo de faz de contas, que ela e ele chamavam por Oníria, o mundo dos sonhos.

Acontece que tudo isso era na verdade um treinamento. Mamilou suspeitava que o pai de Eliott não tinha nenhum problema de saúde e sim, alguma complicação no mundo dos sonhos, em Oníria. Que era um mundo real onde tudo que é ou foi sonhado está presente lá. Inclusive, os sonhadores. Que andam e sonham em seus territórios. Logo após de Mamilou obter a confirmação de que o seu filho estava realmente preso em Oníria, Cristine decidiu seguir em frente. Tomando a cruel decisão de mudar de cidade e deixa-lo sozinho. Eliot, teimoso como sempre, não quis aceitar de jeito nenhum. Mamilou também tentou intervir em defesa a seu neto e ao seu filho, porém foi expulsa da residência de Cristine. Porém, antes de partir, Mamilou contou todas as suas suspeitas para Eliott e o entregou uma pingente em forma de ampulheta dizendo que enquanto ele estivesse usando a ampulheta, ao dormir ele seria transportado à Oníria, e ter consciência de tudo, diferente dos sonhadores comuns, que só sonham e não tem controle nenhum. Eliott, achou tudo isso uma loucura, mas sua Mamilou não brincaria com um assunto tão sério. Ela não diria que o único método de salvar seu pai é ir à Oníria e falar com O Mercador de Areia.

Entretanto, toda essa jornada não vai ser tão fácil quanto parece. Para encontrar o Mercador de Areia, Eliott terá que passar por muitos perigos, incluindo uma rainha muito louca, bruxas, dragões e muitos pesadelos. Tudo muito característico no mundo dos sonhos. E além de a missão de salvar seu pai, ele se verá no meio de uma imensa confusão política no reino.

Oníria cumpre bem com o prometido. Ótimo para quem está começando a ler ou está a procura de uma trama mais leve, porém, ainda assim, envolvente. Minha única queixa é que o livro teve um daqueles finais sem conclusão, com a autora interrompendo a história em um momento bem crítico dela, provavelmente deixando para ser retomada no segundo livro da trilogia, que infelizmente ainda não foi lançado. Em questões de desenvolvimento dos personagens, achei em muitas partes o Eliott um personagem muito chato e revoltado, mesmo que ele tenha motivos para isso. E mesmo a Cristine não sendo uma das melhores madrastas, não consegui despertar ou ter alguma antipatia por ela. Já os habitantes de Oníria foram os melhores. Muito bem criados e arquitetados. Já estou doido para o próximo livro!


site: http://decidindose.blogspot.com/2016/09/resenha-oniria-b-r-parry.html
comentários(0)comente



Hsc_Aju 14/06/2016

Juvenil... alguns gostam outros nem tanto.
Reino dos sonhos, mundo mágico onde tudo é possível, basta mera imaginação e observação e tudo o que deseja pode ser realizado, porém existe condições e leis imutáveis. Animais Falantes, transmorfos, gente que é ótima de luta mas péssima de comida. Um livro que vem misturando tudo que conhecemos de universo mágico, seja de pura e simples mágica até Dragão. Sonhos, pesadelos e aventura, vem comigo embargar nesse fantástico mundo imaginário.

Restante da Resenha no Link Abaixo

site: http://www.papeletas.com.br/2016/06/resenha-oniria-b-f-parry-o-reino-dos.html
comentários(0)comente



Livros Encantos 17/06/2016

Uma aventura emocionante que vai conquistar fãs de todas idades.
Eliott é um menino com sua vida estabilizada, mora com o pai, suas irmãs, sua madrasta e sua avó Mamilou, sendo filho de um grande repórter internacional, todos na escola estão sempre prontos a ouvir as histórias sobre as viagens de seu pai.
Até que seu pai fica doente e tudo muda, na escola ele é alvo de zombaria, Cristine sua madrasta e ele não tem uma relação muito boa.

Quando Cristine toma uma decisão que vai deixa-los longe de seu pai, Eliott reluta, sua avó Mamilou decide argumentar com Cristine tentando a demover dessa ideia que irá abalar a vida de todos, e acaba discutindo sendo expulsa de casa,
Com a saída de Mamilou ela decide entregar a ampulheta para Eliott e explicar qual sua finalidade, ele a leva o mundo de Oníria o Reino dos Sonhos.

Eliott mesmo não acreditando muito decide usar a ampulheta, acorda em Oníria e descobre um mundo repleto de magia, onde sonhos e pesadelos vivem, descobre que tem o poder de criar qualquer coisa nesse mundo, conhece a Rainha e a princesa.
Ele tem uma missão encontrar alguém que possa ajudar seu pai a sair de seu sono agitado que está levando sua vida embora.

Quando retorna de sua primeira visita a Oníria, Mamilou o orienta a não correr riscos desnecessários, Eliott está firme em sua determinação em encontrar quem posso o ajudar, com a ajuda de Farjo um macaquinho que pode mudar para qualquer forma animal e Katsia uma guerreira destemida eles irão enfrentar muitos perigos.

Em meio a muitas aventuras, descobertas e perseguição Eliott passa a ser procurado por algo que não cometeu e mais do que nunca precisa correr contra o tempo e achar Oza-Gora.

O final do livro nos deixa bem curiosa com o rumo da história e com o avanço de Eliott de estar mais próximo de salvar seu pai.

Oniria é um livro de fantasia repleto de magia e encantamento, com personagens intrigantes e um mundo criado com muitos detalhes que fazem toda a diferença.

Amei a escrita do autor é leve, com muita aventura, sou apaixonada por fantasia, o livro me conquistou pela criatividade do enredo, com personagens jovens e corajosos.

Eliott é um menino que sofre bulling na escola, perdeu sua mãe de uma maneira estranha, e agora seu pai doente. para completar uma madrasta nada amável, mesmo assim ele não desiste mediante a todos perigos para tentar salvar seu pai demonstrando o quanto é determinado com sua pouca idade.

Mamilou que avó doçura, uma personagem carismática que irá ajudar Eliott em suas aventuras.

Uma aventura emocionante que vai conquistar fãs de todas idades.

Capa perfeita para o livro, revisão impecável.

Blog Livros Encantos
Joyce

site: http://www.livrosencantos.com/2016/06/oniria-bf-parry.html
comentários(0)comente



Beatriz 23/06/2016

Ansiosa para o próximo!
Eliott é um garoto de 12 anos que está passando por uma fase difícil e não é só porque está entrando na adolescência mas sim porque perdeu sua mãe, seu pai está doente e para ajudar a madrasta é uma verdadeira víbora. Para ajudar, ele também sofre bullying na escola por estar sempre no mundo da lua mas Mamillou a avó de Elliot é quem deixa as coisas um pouco mais suportáveis.

Mamillou se mudou para a casa de Elliot assim que Phillippe ficou doente para auxiliar e cuidar do garoto e das duas irmãs. A avó está sempre contanto histórias de Oníria e apesar de gostar muito desse universo fantástico Elliot não acredita que o reino dos sonhos possa realmente existir.

Elliot não acreditava que Oníria pudesse de fato existir até que os médicos falam que o coma de seu pai é realmente sério e que não há mais nada a fazer. Mas Mamillou sabe um jeito de curar Phillippe e esse jeito é ir até Oníria e falar com o mercador de areia.

O garoto embarca numa grande aventura pelo reino dos sonhos mas chegando lá descobre que não vai ser tão fácil assim salvar seu pai desse eterno pesadelo.

Oníria é um reino cheio de magia, seres estranhos, bruxas, rainha, pesadelos e muito mas muito perigo. Para conseguir encontrar o mercador de areia Elliot passará por muitos perigos e até quem ele mais confia pode acabar montando alguma espécie de armadilha.

Eu gostei muito do livro e achei que ele tem um ritmo de leitura bem legal. Como os capítulos são intercalados entre o mundo real e o reino dos sonhos eu acho que isso acabou deixando a leitura bem mais fluida. Afinal, você fica sempre ansioso para chegar os capítulos de Oníria e descobrir o que vai acontecer dessa vez.

O livro também termina de um jeito que deixa qualquer um curioso para saber o que vai acontecer no próximo e se Elliot vai finalmente conseguir se encontrar com o mercador e salvar seu pai.É um ótimo livro para quem gosta de fantasia e histórias curtas.

E eu fiquei realmente ansiosa para o próximo.

site: http://www.prateleiracolorida.com.br/2016/06/oniria-bf-parry.html
comentários(0)comente



Thalita Branco 26/06/2016

Resenha ~ Oníria - B. F. Parry (O Reino dos Sonhos #1)
Recebi Oníria de presente da Editora Verus (obrigada!) e a sinopse logo me deixou interessada. Eliott é um jovem de 12 anos com uma vida bastante turbulenta. Perdeu a mãe quando muito novo, não se dá bem com ninguém na escola, é obrigado a aguentar a madrasta chata e o pai se encontra incapacitado. Atormentado por pesadelos, o homem a seis meses reside em um hospital psiquiátrico. Agora desacreditado, será transferido para uma área do hospital onde os pacientes aguardam apenas uma coisa: a morte.

Diante da situação, sua madrasta resolve deixar o marido em Paris e mudar com as crianças para Londres. Desesperado, Eliott se vê encurralado com a única certeza de não abandonar o pai. Até que sua avó Louise lhe revela uma surpresa. Impossibilitada de retornar a Oniria, presenteia o neto com seu antigo colar com uma ampulheta, a chave para o Reino dos Sonhos, e instrui Eliott a procurar o Mercador de Areia, o único capaz de salvar o seu pai. Mas é claro que nada é tão simples assim. Eliott descobre que é o Enviado e se vê em meio a uma batalha entre Sonhos e Pesadelos.

Oníria foi uma agradável surpresa. É um daqueles livros infanto-juvenis capazes de encantar pessoas de todas as idades. Apesar de contar com alguns clichês clássicos o mundo criado por B. F. Parry é original e criativo e a explicação para o mundo de Oníria é bastante convincente.. O livro não subestima a inteligencia do leitor. Apresenta uma linguagem adulta no sentido de utilizar palavras rebuscadas e de pouco uso no linguajar diário, mas sem se tornar massante. Pelo contrario, a história flui como um doce sonho.

Encontrei um ou outro errinho na diagramação, mas nada grave. Apesar de não ser muito fã da capa, a editora respeitou a original francesa, o que achei bem legal. O Reino dos Sonhos possui três livros publicados na França. Esse primeiro volume não possui exatamente um final, o que, confesso, me desapontou um pouco. Mas a história é bem desenvolvida, sem enrolação. Não é aquele tipo de livro que poderia ser escrito em menos páginas. Gostei muito e com certeza lerei a continuação das aventuras de Eliott no Reino dos Sonhos.

site: www.entrelinhasfantasticas.com.br
comentários(0)comente



Vickawaii 03/08/2016

Uma história literalmente movida pela imaginação
Livros de fantasia se popularizaram com o sucesso de Harry Potter e As Crônicas de Nárnia, mas não é tão fácil achar uma narrativa realmente original. Foi por isso que gostei tanto da proposta de Oniria - O Reino dos Sonhos, uma criativa história da escritora francesa B. F. Parry que apresenta todos os elementos típicos dos livros de fantasia, mas que é literalmente movida pela imaginação.
(...)
Oníria - O Reino dos Sonhos é um excelente livro de fantasia, que nos envolve em uma aventura mágica e nos encanta com os detalhes, com as peculiaridades que encontramos no novo mundo. É um livro divertido e intrigante, que nos deixa curiosos para saber o que acontece em cada capítulo e ainda, empolgados em participar daquela aventura.

Confira a resenha completa no blog FINDING NEVERLAND.

site: https://wheresmyneverland.blogspot.com.br/2016/07/resenha-oniria-o-reino-dos-sonhos.html
comentários(0)comente



Sofia Trindade - Fórmula do Amor 22/08/2016

B. F. Parry (Bénédicte Fleury) é uma escritora Francesa que criou um dos universos mais legais e detalhista que pude conhecer. Com uma proposta em partes já vista e em outra parte possuindo sua originalidade, a autora soube criar um mundo paralelo ao nosso com aventuras inesperadas e segredos irresistíveis. Mas a diferença que destaca Oníria dos demais é a seguinte: Nesse mundo, o personagem tem o poder de decidir o que acontece na trama.

Eliott perdeu sua mãe muito cedo. Quando ainda tinha cinco anos o garoto precisava lidar com a dor de saber que a mãe morreu inesperadamente enquanto dormia. Com isso Eliott ganhou a companhia de pesadelos que o atormentavam e não o deixavam dormir com medo. Mas aos poucos ele aprendeu a colocar uma barreira nesses pesadelos, isso graças a sua avó que o ajudou a vencer esse período difícil. O que Eliott não imaginava era que toda essa ajuda que sua Mamilou, (como ele chamava a avó), lhe dava na verdade era uma preparação para algo maior que aconteceria em sua vida.

Quando o pai de Eliott entra em coma, sem ter sofrido nenhum tipo de acidente, a vida do menino só piora, e para sua decepção total sua madrasta desiste de esperar que um dia o marido acorde e decidi se mudar para Londres, com Eliott e suas irmãs gêmeas. Desesperado para salvar a vida do filho, pai de Eliott, Mamilou toma a decisão de entregar a chave do portal de Oníria para Eliott e agora ele tem pouco tempo para fazer com que seu pai acorde.

Oníria é um mundo encantado que foi imaginado por inúmeros humanos, chamados de terráqueos no livro, que passaram por lá. Nesse mundo tudo pode acontecer, dependendo do que os Criadores desejam que aconteça. No início da leitura não pude deixar de perceber algumas características parecidas com um determinado filme que assisti recentemente, mas depois a obra foi ganhando um espaço original maior e a história foi se tornando mais interessante.

Mesmo tendo um interesse muito grande em terminar a leitura algumas vezes me senti um pouco dispersa e não conseguia me concentrar direito na leitura. Não sei se foi algo do momento em que eu realizava a leitura, pois a obra é bem leve e mesmo possuindo vários detalhes sobre a ambientação de Oníria não é algo maçante de acompanhar ou entender.

A forma como Parry escreveu as primeiras páginas me incomodaram um pouco. Algumas vezes a autora repetia algumas informações que antes já foram ditas e a impressão que tive foi que faltou um pouco mais de revisão da parte dela. A forma como ela escreve no meio e final do livro tem uma diferença enorme do que lemos no começo.

O que mais e deixou desesperada foi a forma como a autora escolheu dar fim ao primeiro livro. Diferente de muitas séries em O Reino dos Sonhos não temos uma conclusão exata para o primeiro livro, então dessa forma só saberemos o que aconteceu com os personagens no próximo livro. Isso se tornou desesperador pois a autora para o primeiro livro no momento em que algo muito importante ia acontecer.

Tirando isso, que não foi de fato um defeito, a leitura foi muito boa. Gostei muito de ver o desenvolvimento da autora em várias áreas, principalmente em sua escrita. Oníria foi um universo agradável e intimo de se conhecer. Aguardarei ansiosamente a continuação para ver o que acontece com Eliott e finalmente matar minha curiosidade para ver como ele irá resolver todos os quebra-cabeças que surgiram no enredo.

site: http://formula-amor.blogspot.com.br/2016/08/resenha-oniria-o-reino-dos-sonhos.html
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9