Clarice Lispector Todos os Contos

Clarice Lispector Todos os Contos Clarice Lispector




Resenhas - Clarice Lispector Todos os Contos


49 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Bia 20/09/2020

todos os contos, clarice lispector
Clarice Lispector, sem dúvida, que é uma escritora profunda que nos faz sentir desconfortáveis pelo nosso papel submisso dentro da sociedade, fazendo-nos refletir imenso. contudo, confesso, devido à sua grande profundidade, em boa parte dos contos, custou-me a entender um pouco, não acho que seja uma leitura fácil. nem vos falo do "Ovo e a galinha", se a autora não entendeu, imaginem eu.
enfim, "Todos os contos" não é para ler de ânimo leve, mas é bom para entendermos melhor a autora.
comentários(0)comente



Igor.Pinheiro 13/09/2020

Minhas impressões foram de que è um livro com contos bem diversos, onde uns vc entenderá a história diretamente, sendo que outros contos, è preciso da uma relida para entender melhor.
comentários(0)comente



Geórgia 26/08/2020

Dois anos lendo e relendo Clarice!
Foi muito interessante revisitar alguns contos que li na época do vestibular e conhecer muitos outros.

Ler Clarice algumas vezes sufoca, algumas vezes dá um nó na cabeça (desisti de entender ?o ovo e a galinha?) e quase sempre liberta alguma coisa lá dentro da gente. Adoro como ela brinca com o fluxo de consciência e constrói diálogos, adoro a ironia e a acidez também, adoro que se trate de uma leitura para ser sentida.

Essa mulher é uma bagagem literária obrigatória, o que ela faz com as palavras eu defino como feitiço - assim como minha professora de literatura definia. Meu conto preferido da vida é ?Perdoando Deus?.

Não sei se compreendo tudo que li e talvez reinterprete tudo diferente quando reler algum desses contos, mas o que fica após essa leitura é mais admiração. Clarice Lispector é uma imensidão a ser explorada (e não somos todos nós?).
comentários(0)comente



Ju 12/08/2020

demorei muitos anos para poder entender a ler essa rainha do brasil. quando consegui me envolver nos contos dela, finalmente entendi a beleza de cada palavra que ela escrevia. fantástica! quase inacreditável.
comentários(0)comente



Mari 08/08/2020

100 anos dessa diva, dona do Brasil!
Amo tanto essa mulher que nem existem palavras pra descrever, tudo que leio dela é perfeito! Pensei que provavelmente seus primeiros contos não seriam tão bons e me enganei, amei todos. Seus contos clássicos não são considerados clássicos à toa. Até os que foram considerados "lixo" eu amei. Como a própria Clarice escreveu na explicação do livro "A Via Crucis do Corpo": "Uma pessoa leu meus contos e disse que aquilo não era literatura, era lixo. Concordo. Mas há hora para tudo. Há também a hora do lixo."
Disso só posso pensar que se os contos dela são lixo, eu queria ter talento pra ser capaz de escrever 1/10 desse lixo. E quantas obras-primas perdemos por desespero do(a) autor(a) ao ouvir alguém dizer que suas obras eram lixo? Obrigada Clarice por ter publicado seus "lixos", porque quanto mais Clarice melhor.
No final dessa edição têm algumas opiniões da Clarice sobre seus contos, ela fala que não gostava do conto "Preciosidade", não pude deixar de pensar: "Só falta eu ter amado esse conto!". Dito e feito, tinha marcado o conto inteirinho. Ou seja, qualquer coisa que essa mulher escreve eu acho maravilhoso, mesmo que nem ela goste. Qualquer coisa dela pode mandar pra mim, que eu vou ler, vou amar e vou falar pra todo mundo ler.
comentários(0)comente



Maria 07/08/2020

Aquela bruxa que ninguém entende, mas todos amam.

Entre tantos contos magníficos, "Felicidade clandestina" continua sendo o meu favorito.

Quanta sensibilidade!
comentários(0)comente



Carla Verçoza 23/07/2020

Edição grandiosa, é um livro que li sem pressa, absorvendo cada conto. O fluxo de consciência, a prosa poética e densa, encanta. Grande parte das personagens são mulheres que já não cabem mais no papel que a sociedade espera delas em suas épocas, mesmo quando desempenham esses papéis com maestria e aparente alegria, há sempre um "no entanto..." gerando desassossego. Os contos são apresentados em ordem cronológica. As Primeiras Histórias são ótimas, já comprovando o talento da jovem Clarice. Os contos presentes em Laços de Família são os que menos gosto. Já havia lido o livro há vários anos e realmente não consegui me conectar muito com as histórias. Nos contos de A Legião Estrangeira destaco Os desastres de Sofia, Viagem a Petrópolis e A Solução, ambos sensacionais. Os contos escritos nos anos 70 são os que mais gosto e os contidos em A Via Crucis do Corpo são impressionantes e belíssimos!

"(...) nós todos somos fracassados, nós todos vamos morrer um dia! Quem? mas quem pode dizer com sinceridade que se realizou na vida? O sucesso é uma mentira." (O homem que apareceu)

"Estavam pedindo demais de minha coragem só porque eu era corajosa, pediam minha força só porque eu era forte. 'Mas eu?', gritei dez anos depois por motivos de amor perdido, 'quem virá jamais à minha fraqueza!'." (Os desastres de Sofia)
comentários(0)comente



Bru 21/07/2020

Perfeito
Cada conto melhor que o outro, amei demais fazer a leitura desse livro
comentários(0)comente



Julia 14/07/2020

Denso e muito bom
Eu adorei! É um livro bem denso, como a própria Clarice é. Se faz necessário de muita atenção e seus contos trazem análises literárias incríveis! Recomendo!
comentários(0)comente



Esther 21/06/2020

Uma ótima experiência!
Demorei, mas concluí!
O livro "Clarice Lispector todos os contos" proporcionou meu primeiro contato com a obra de Clarice. Agora posso verdadeiramente afirmar: QUE ESCRITORA INCRÍVEL!
Por ser dividido em contos, demorei mais tempo para finalizar, pois cada conto configura um universo mais ou menos denso, que nos faz refletir ou simplesmente admirar a poesia nas palavras de Lispector.
Livro bem organizado e explicado, através das notas elucidativas de Benjamin Moser.
comentários(0)comente



Ray 28/05/2020

"Por outro lado, as pessoas que me cercavam moviam-se tranquilas, a testa lisa sem preocupações, num círculo onde o hábito há muito alargara caminhos certos, onde os fatos explicavam-se razoavelmente por causas visíveis e os mais extraordinários se ligavam, não por misticismo mas por comodismo, a Deus. Os únicos acontecimentos capazes de perturbar suas almas eram o nascimento, o casamento, a morte e os estados a eles contínuos. Ou engano-me e, na minha feliz cegueira, não sabia enxergar mais profundamente? Não sei, agora parece-me impossível que na zona escura de cada homem, mesmo nos mais pacíficos, não se aninhe a ameaça de outros homens, mais terríveis e dolorosos." Trecho do conto Obsessão, escrito por Clarice Lispector e publicado originalmente em 1941.
comentários(0)comente



Thais.Guerra 28/04/2020

INDESCRUTIVEL, nunca um livro, contos e palavras haviam me atingido de forma tao intensa e rápida. Eu consigo me ver em todas as personagens que mesmo tao singulares seguem uma vida tradicional do patriarcado. Nunca tinha me visto tanto em uma história. Virei fã numero 1 e agora quero ler todos os livros desse gênio perfeitamente imperfeita.
comentários(0)comente



Jediael 20/04/2020

?Digo o que tenho a dizer e sem literatura?
É aquele tipo de livro do qual você nunca quer se despedir completamente, e graças ao seu conteúdo ser apenas contos, você pode.
Cada conto de Clarice é um universo, alguns mais acessíveis que outros, mas todos fascinantes.
Clarice é apoteótica, e nessas 642 páginas, é possível começar a entender o porquê.
comentários(0)comente



Tinho.Silva 08/04/2020

Todos os contos – Clarice Lispector
Aqui, o biografo oficial da autora, Benjamin Moser, reúne todos os contos da escritora em um único livro. Laços de família (1960), A legião Estrangeira (1964), Felicidade Clandestina (1971), Onde estivestes de noite? (1974), A Via Crucis do Corpo (1974), O Ovo e a Galinha (1977), A Bela e a fera (1979) e mais 78 contos compõem essa coletânea. O que chama a atenção nessa obra é o trabalho minucioso de pesquisa por parte do biografo, pois alguns desses contos foram escritos para os jornais da época e nunca lançados em livros. Outro fato importante é que os contos não estão apresentados em ordem cronológica o que deixa a leitura mais rica e interessante.

É um livro prazeroso de se ter e ler. E se tratando de Clarice Lispector ficamos muito mais empolgados com a leitura. Cabe ressaltar também que a forma inovadora de escrita que permeou a sua trajetória literária ficam evidenciados em cada um dos contos. Os traços intimistas, a supervalorização dos sentimentos e das sensações, remetendo ao ser humano dentro da sua intimidade, trazem os mais diversos questionamentos sobre nós e sobre a condição humana. Finalizando, deixarei um dos trechos do meu conto favorito da autora e que vai corroborar com as afirmações citadas acima.

Como contar o que se seguiu? Eu estava estonteada, e assim recebi o livro na mão. Acho que eu não disse nada. Peguei o livro. Não, não saí pulando como sempre. Saí andando bem devagar. Sei que segurava o livro grosso com as duas mãos, comprimindo-o contra o peito. Quanto tempo levei até chegar em casa, também pouco importa. Meu peito estava quente, meu coração pensativo.

Chegando em casa, não comecei a ler. Fingia que não o tinha, só para depois ter o susto de o ter. Horas depois abri-o, li algumas linhas maravilhosas, fechei-o de novo, fui passear pela casa, adiei ainda mais indo comer pão com manteiga, fingi que não sabia onde guardara o livro, achava-o, abria-o por alguns instantes. Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade. A felicidade sempre iria ser clandestina para mim.

Parece que eu já pressentia. Como demorei! Eu vivia no ar… havia orgulho e pudor em mim. Eu era uma rainha delicada.

Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.

Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante. (Conto: Felicidade Clandestina, p.395 e 396).

site: https://www.instagram.com/cafecomlivrossp/
comentários(0)comente



Lira 01/04/2020

#4 DESAFIOSkoob
comentários(0)comente



49 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4