Amor à Moda Antiga

Amor à Moda Antiga Fabrício Carpinejar




Resenhas - Amor À Moda Antiga


30 encontrados | exibindo 16 a 30
1 | 2


Jul 15/06/2016

Amor e livro à moda antiga
O que diferencia Amor À Moda Antiga (AMA) de todos os outros livros de poemas? São tantas coisas! Mas, pra mim, a mais relevante foi a forma como o amor foi tratado: nu e cru.

Além disso, os poemas do livro foram publicados exatamente como foram entregues à editora. Com erros, correções e rabiscos do próprio autor. Entendem agora como o "nu e cru" do amor também se mostra na própria criação do livro?

Poemas são obras que realmente mexem com o leitor, mas Carpinejar consegue ver sempre um pouco além, é o que me parece. É o primeiro livro que leio do autor e já fiquei encantada com a forma simples, direta e humana que ele usa para falar desse sentimento tão especial.

A diagramação está incrível! Tratando-se de livros da Editora Belas-Letras isso já não é novidade, haha. Mas vocês não têm noção de como AMA ficou inovador e autêntico. A capa é "removível" (os livros dos gringos sempre têm isso) e tem uma textura tããão viciante! ♥ Fiz um pequeno vídeo mostrando esses detalhes lindos, publico assim que possível!

"Fiéis a uma única marca de cigarro
a uma única morte"

Enfim, Amor À Moda Antiga é um livro que dá orgulho de ter na prateleira. Com conteúdo leve, a obra é indispensável para você, gostando ou não de poemas. #ficadica

site: http://www.blogentretanto.com/2016/06/resenha-amor-moda-antiga.html
comentários(0)comente



Mih 09/12/2016

Amor nu
“Amor à moda antiga” é um livro curtinho, mas intenso e original. Seu título se refere à forma de amar, esse amor que se mostra e que se quer sentido. Cada poema está cheio de profundidade, seja ele pequeno ou grande. Há sentimento em todos eles, que falam do nó que é o amor, dos desamarros e amarros da vida, da saudade do ser amado, da importância de dizer o que sente e não somente o que pensa, da efemeridade que é viver, da fragilidade que é estar respirando. Eles passam do amor ao sofrimento, e vice e versa, num virar de páginas. Há um toque de sensualidade em alguns, em outros é mais escancarado, mas nada perto do vulgar. Ás vezes o amor aparece da forma mais simples, às vezes, personificado, vestido de um objeto, de uma sensação. Os poemas são escritos em versos e rimas livres e estão todos em letras minúsculas.

Achei muito interessante isso de os textos não ter sido revisados, é como se pudéssemos ver Fabrício em pleno ato de composição. Aqui e acolá há palavras riscadas, outras substituídas. E os rabiscos que pra muitos podem parecer feios, pra mim se parecem como uma parte dos poemas, não como algo exterior, mas algo que está imbrincado no significado deles. Não são somente poemas jogados em uma folha e entregues ao leitor; pode-se perceber, através do que se parece descuido, o ato mesmo de escrever. A escrita fala de tudo isso que destaquei no primeiro parágrafo, mas, sobretudo, ela fala de si. Esse amor, que é o centro dos poemas e que se mostra pela escrita, é também o ato de compor. Ele se desnuda e mostra sua essência. Se pinta na poesia de Carpinejar não somente uma imagem do pessoal, biográfica, senão uma imagem poética. Vejo em Fabrício uma poesia que chama a atenção para si mesma e, à medida que se constrói formalmente, se despe e mostra seu interior. É por isso que além de ler sentimos cada palavra, como tinta que colore nossa alma dos mais diversos tons. 
comentários(0)comente



Linda 24/10/2016

Simples
È uma coletânea muito linda, pura ingenua, simples e até mesmo imperfeita como deve ser o amor.
Confesso que me fez fazer uma viagem ao meu passado, presente, futuro sem sair do lugar.

site: https://vocenaopodedeixardeler.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Taíla 28/09/2016

Para se apaixonar
Se você não conhece o autor Fabrício Carpinejar, precisa conhecer já. O cara escreve textos lindos sobre o amor que deixa todo mundo apaixonado. Corre no Google agora e vai ler tudo de lindo que o autor já escreveu por aí.

A sinopse desse presentão da editora Belas Letras já diz tudo sobre a obra.

O livro traz uma poesia por página, todas escritas à máquina de escrever e com o toques e ajustes do próprio autor. Parece que a gente está lendo cartas e em um nível de intimidade do autor bem maior por estar em contato com algo como se fosse inacabado, com se a gente tivesse acesso aos rascunhos recém nascidos do autor e isso é tão mágico. Quem ama a leitura sabe o quanto é bom ter esse tipo de diferencial que nos aproxima dos nossos ídolos.

O textos em si são lindos e me deixaram toda boba. Tirei fotos de quase todos (a loca) para mostrar para vocês, mas né, vou deixar só o gostinho e a dica para se jogar na leitura.

site: http://www.prateleirasemfim.com.br/posts/livros/amor-a-moda-antiga-resenha
comentários(0)comente



Lorena 19/08/2016

Tudo lindo.
O livro é muito bem feito. Acabamento, capa, folhas, tudo especial. Amei.
As poesias são lindas. Tocam na alma, aquelas feridas que a dor do amor sempre deixa são por vezes cutucadas durante a leitura deste livro.
Amor à moda antiga. Vamos amar, passar momentos especiais e sentir intensamente. Do que adianta não se permitir sofrer por amor, se desta forma não podemos nem mesmo sentir a alegria de amar?

site: https://dalorena.wordpress.com/
comentários(0)comente



L Soares 17/08/2016

Da capa ao conteúdo arte. O livro é todo branco com o nome do autor e da oba impressos na frente sinopse atrás. O verde com as flores é uma sobrecapa com recortes para o texto de baixo aparecer. O livro, como a sinopse promete, são poemas em sua forma original, e isso torna esta obra linda. Ele é bem curto, mesmo lendo devagar, relendo cada poema não levei mais de uma hora para terminar. Os poemas são tudo que se espera quando se trata do Carpinejar, tudo com muito sentimento e significado. Mas o melhor é a edição. Tudo muito cru e bruto, com páginas grossas como dos livros antigos, a impressão da máquina de escrever e rasuras de caneta, e ao mesmo tempo tudo tão leve e delicado.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Eli @leituraentreamigas 30/07/2016

Carpinejar...
Não é de hoje que aprecio os textos do Carpinejar, sou daquelas que segue o autor nas redes sociais, se identifica com as palavras escritas por ele, e ainda curte e posta várias frases dele no Facebook e Twitter. Por isso fiquei muito feliz em ler o seu novo livro Amor à moda antiga, que contém poemas repletos de amor, e profundidade de sentimentos que me deixou encantada e apaixonada como sempre.

O livro possui poucas páginas (tanto que a minha irmã assim que o viu o devorou em poucos minutos) e a cada página somos apresentados a poemas que foram escritos em uma velha máquina de escrever que o autor ganhou de presente. É impossível não se identificar em algum momento com os poemas do Carpinejar, ele fala do amor de uma forma bem humorada e verdadeira, e isso deixa a leitura prazerosa.

Os poemas são pequenos mas repletos de significados, e palpável a admiração, diria até um encantamento profundo com que o autor descreve e declara o amor em sua escrita. Carpinejar também fala de solidão e da saudade em relacionamentos, e sobre o que é está apaixonado. Confesso que me vi em vários dos seus poemas, assim acabamos relembrando aqueles paixões antigas e amores de agora.


''Não invejarei a sua felicidade com outro, o sexo com outro, a casa e os planos de casamento para o resto da vida com outro, os dentes alinhados com outro, após três anos de aparelho comigo. Morrerei de ciúmes se por acaso sofrer pelo outro o que só sofreu por mim'' (Pág. 67)

Apaixonante e singelo, assim é o livro Amor à moda antiga, nele nos sentimos conectados ao Carpinejar pois até os erros gramáticas e palavras que o autor quis acrescentar o livro contém, pois o texto foi publicado exatamente como escritos em sua máquina de escrever, tão simples e ao mesmo tempo de uma riqueza incomparável. E a capa do livro está magnifica, detalhe para a cor do livro que é a mesma cor da máquina de escrever do autor, a Bela-Letras está totalmente de parabéns pelo lindo trabalho!

site: + Resenhas: http://www.leituraentreamigas.com.br/
comentários(0)comente



Lenah 24/07/2016

só amor...
Este foi o primeiro contato que tive com obras do Carpinejar, mas saí totalmente fã. O autor trata do amor de forma tão sincera e sem firulas que nos faz devorar o livro em pouco tempo (muito embora, eu tenha sentido a necessidade de passar a cada virada de página, refletindo sobre a poesia do momento).

Pra quem acha que poesias são essencialmente rebuscada e confusas, esse livro vem pra mudar totalmente essa ideia.
comentários(0)comente



Blog Stalker Literária 12/07/2016

Resenha pelo blog Gordinha Assumida
Amor à moda antiga foi mais um lançamento da Belas letras de maio. O livro é lindo do começo ao fim, e possui poemas lindos, que vai conquistar até mesmo os leitores que não leem tanto o gênero.

Estes poemas foram escritos em uma máquina de escrever, que o autor ganhou em seu aniversário, e foram publicados da maneira que foram entregues, com as correções a mão do autor, e na ordem que estavam organizados pelo mesmo.

Aqui todas as fases de um relacionamento são retratadas: quando se conhecem, a saudade por ficarem longe, o amor se fortalescendo, as diferenças e separações. São idas e vindas que descrevem toda a forma de amor.

A diagramação do livro é outra coisa linda. O livro é branco e possui uma case com um material texturizado, cheio de flores brancas. E o verso de cada poema possui o mesmo tom de verde do resto do livro. As folhas são amarelas e bem grossas, o que trás um luxo maior ainda a obra.

Por fim, devo dizer que amor à moda antiga é um livro apaixonante. Se você gosta de poemas, se você gosta de falar e ler sobre o amor esse é um livro mais que recomendado, tenho certeza que você se encontrará em diversos poemas do autor, e vai querer enquadrar vários para por na sua parede.

No blog você pode conferir alguns poemas do livro ;)



site: http://www.gordinhaassumida.com.br/2016/06/amor-moda-antiga-fabricio-carpinejar.html
comentários(0)comente



Marcos Pinto 12/07/2016

Amor à moda antiga é um livro poético de grande beleza. Contudo, apesar do termo “moda antiga” no título do trabalho, o que encontramos aqui uma poesia contemporânea que não se prende aos padrões estéticos “antigos” ou clássicos. O que importa na escrita de Carpinejar é o sentimento retratado e esse sim é “antigo”, por ser belo sem vergonha de se expor.

Como dá para se imaginar pelo título, o livro é uma obra que foca no lado sentimental, principalmente amoroso, abordando as diversas nuances dos sentimentos. Do ciúme ao amor; da ternura à volúpia. Isso dá à obra uma qualidade interessante: a de poder acompanhar o leitor nas mais diversas fases do seu relacionamento.

Como já dito, a obra possui uma abordagem bem contemporânea na construção do texto, constituindo-se a partir da ausência de elementos fixos de métrica e rima. Outro elemento característico dos textos é o tamanho diminuto. Em alguns momentos, alguns textos também lembram versos que são facilmente encontrados em redes sociais, o que ajuda com que leitores menos experientes se interessem pela poesia.

Quanto à parte física, a obra continua tão bela quanto no seu conteúdo. A capa possui uma jacket em alto-relevo belíssima. A diagramação interna também é muito bonita, com diversas páginas em verde, da mesma cor da capa. Outro detalhe chamativo é que a obra foi toda elaborada em uma máquina de escrever antiga, não tendo nada sido modificado posteriormente. O livro foi publicado ainda com as correções do autor, o que dá um ar todo especial ao trabalho.

De uma maneira geral, Amor à moda antiga é um livro ótimo, que convence e que transmite belíssimos sentimentos. Apesar de não ser a melhor obra do gênero, merece destaque por se valer de elementos simples para construir textos ricos. Sem dúvidas, uma leitura recomendada.

Alguns trechos:

“Tiro a minha roupa
enquanto a sua mão
vai me vestindo.
nunca estarei nu
em seu corpo.”

“só é livre quem não ama.
amar é nascer de novo
com o mesmo desamparo,
sem direito a escolher o nome
os pais, a casa.
é assumir as consequências
de um destino emprestado”.

“ainda ama,
dolorosamente ama,
quando já separado
e vai transar
e não há como desfazer
o mal-estar
de que está traindo.”

“quando o ódio
casa com o amor,
nasce a vingança.”

site: http://www.desbravadordemundos.com.br/2016/07/resenha-amor-moda-antiga.html
comentários(0)comente



Mari Siqueira 11/07/2016

Por ser admiradora do trabalho de Fabrício Carpinejar há muito tempo, amar Amor À Moda Antiga não foi nenhuma surpresa. O que me surpreendeu foi a linda diagramação - ou falta dela - permitindo que o livro fosse publicado a partir dos escritos crus de Carpinejar. Não há revisão, não há métrica, não há padrão. O autor escreve com liberdade e traz uma poesia moderna que não se submete à nenhum obstáculo ou técnica, bem como o amor.

Desde pequena valorizava a poesia romântica que não seguia os padrões clássicos. Antes eu não entendia o motivo, mas quando percebi a magia da imagem que o próprio texto transmite, tudo fez sentido. É como se a própria estrutura da poesia fosse livre e isso é ainda mais lindo quando se fala de amor.

Fabrício Carpinejar, com seus textos que mais parecem fragmentos de pensamentos, nos convida a sentir. Sem medo de errar, cada um dos seus versos foi digitado à máquina, literalmente à moda antiga, e publicado deste mesmo jeito. O diferencial da escrita do autor é justamente a simplicidade e o intimismo de suas poesias, como se fossem trechos de um diário.

Um livro encantador, Amor À Moda Antiga mistura o moderno e o tradicional de uma maneira sutil. É como contar uma mesma história de uma nova maneira e é exatamente isso o que Carpinejar faz. Livre para transformar cada linha em algo novo, o autor dá asas às borboletas que antes ficavam no estômago e faz com que elas voem alto. Tão alto que ultrapassam os limites da nossa visão, os limites da poesia.

site: http://sobreamorelivros.blogspot.com
comentários(0)comente



Milena @albumdeleitura 10/07/2016

Amor à moda antiga
"Amor à moda antiga" é um livro de poemas escrito por Carpinejar e sua inseparável e mais nova amiga: uma máquia de escrever verde esmeralda que ganhou de presente no seu aniversário de 43 anos. A partir de então, ele colocou sua poesia nos mais diversos e conflitantes sentimentos que apoderam a mente humana, que sentimos, mas não conseguimos explicar, entre eles o mais inexplicável, incomparável, indescritível e irracional: o amor.

O mais interessante, é que o livro não passou por correções, tanto é que, algumas foram feitas à mão pelo próprio autor, que entregou sua obra pessoalmente à editora, cujos poemas foram publicados na mesma ordem em que foram entregues.




"Você não mudou a minha vida, deu todos os motivos para provar que ela não estava errada".




Munido de sensibilidade, Carpinejar encanta o leitor com suas histórias contadas em poucas linhas. O livro é simplesmente apaixonante e a diagramação é perfeita, como sempre. Essa foi a primeira obra do autor com a qual tive contato e devo dizer que fiquei admirada pela fluidez da sua escrita. Já entrou para a lista dos meus favoritos! Recomendadíssimo!

site: https://albumdeleitura.blogspot.com.br/2016/06/eu-li-e-voce-50_19.html
comentários(0)comente



Sofia Trindade - Fórmula do Amor 04/07/2016

Eu sempre costumava rejeitar livros com poemas, mesmo que tenha sido por eles que comecei a escrever. O medo de que seja um livro chato com coisas complicadas de entender me dominava e por isso nunca corri atrás de conhecer melhor as obras de escritores famosos, ou não, que continham poemas. Essa visão mudou muito quando solicitei o livro Amor à Moda Antiga de Carpinejar.

A primeira coisa que pensei ao pegar no livro foi na dificuldade que teria para lê-lo e principalmente entender o que o autor queria dizer com seus poemas, mas fiquei extremamente surpresa ao constar que não era nada daquilo que eu havia pensado.

Carpinejar tem uma escrita jovem, de fácil entendimento e poemas super divertidos que animaram minha noite. O bicho de sete cabeças que imaginei logo no começo sumiu na primeira página de leitura e fez com que eu me lembrasse dos primeiros poemas que escrevi na adolescência.

A edição feita pela editora foi toda planejada para passar a sensação de realidade ao leitor. Com poemas únicos em cada página e sem a revisão de cada um deles chega a ser fácil de imaginar o próprio autor digitando em sua máquina de escrever em um dia calmo.

O livro foi feito para mostrar e sentir o amor através das palavras. Carpinejar me conquistou, tirou meu medo e fez com que a curiosidade despertasse em mim para ler outros de seus livros.

Alguns poemas que favoritei:

Preste atenção nos fumantes,
são monogâmicos.
Fiéis a uma única marca de cigarro.
A uma única morte.

Não culpo Deus
pela caligrafia do meu rosto.
Não se pode escrever bem
e ainda ter letra bonita.


site: http://formula-amor.blogspot.com.br/2016/06/resenha-amor-moda-antiga.html
comentários(0)comente



ricardo_22 16/06/2016

Resenha para o blog Over Shock
Amor à moda antiga, Fabrício Carpinejar, 1ª edição, Caxias do Sul-RS: Belas-Letras, 2016, 112 páginas.

A primeira vez que tive contato com o escritor Fabrício Carpinejar foi assistindo uma de suas entrevistas ao Programa do Jô. Na ocasião não cheguei a correr atrás de nenhum de seus livros, porém pensei: Caramba, esse cara é bom!. E após muito tempo, quando finalmente conheci a sua escrita e passei a acompanhá-lo nas redes sociais, ele não parou mais de comprovar que fiz a escolha certa ao decidir ouvi-lo. Também por isso fiquei ansioso pelo lançamento de seu novo livro.

Amor à moda antiga é a maior prova de como o escritor sempre tem algo bom para dizer. No caso, por ser uma antologia de poemas sobre o amor, suas palavras carregam muitos sentimentos e, mais do que isso, o prazer de lê-los é semelhante ao prazer de ouvi-los sendo declamados. E o mais interessante nessa experiência com o novo livro de Carpinejar é perceber como ele tratou o amor de forma tão pura e verdadeira, retratando o ciúme, as loucuras, os desejos e tantos outros detalhes como de fato o são.

E por não ser um leitor de poemas, pelo menos não no sentido de entrar em uma livraria com o intuito de procurar uma obra do gênero, não posso falar com propriedade sobre eles. Apesar disso, sempre que um poema cai em minhas mãos acabo sendo fisgado para o seu interior, embora nunca tenha acontecido como dessa vez. No fim, encontrei nas palavras de Carpinejar os sentimentos que muitas vezes não soube como expressar e sensações que estou acostumado a carregar em mim, mas que se mantinham até então guardadas à sete chaves.

Não bastasse o fato de as palavras estreitarem o laço entre autor-leitor, existe algo que torna tudo mais característico: os poemas foram publicados exatamente como entregues à editora, sem passar por qualquer correção ortográfica ou edição, tanto que existem inclusive anotações feitas à mão pelo próprio escritor. A sensação é a de estar invadindo o espaço solitário em que ele se dedicou às belas letras (sem qualquer trocadilho com o nome da editora) e não há nada mais especial.

site: http://www.overshockblog.com.br/2016/06/resenha-390-amor-moda-antiga.html
comentários(0)comente



30 encontrados | exibindo 16 a 30
1 | 2