Sem Olhar para Trás

Sem Olhar para Trás Lycia Barros




Resenhas - Sem Olhar para Trás


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Kennia Santos | @LendoDePijamas 08/09/2016

"Se não pode lidar com meu barulho, não mexa com meu silêncio.."
Agatha tem 28 anos, e, até então, vive aos pedaços.
Nativa de Juiz de fora, em Minas Gerais, logo cedo, aos 19 anos abandonou a casa de seus pais para ir viver uma aventura de amor: ela conhece Bruno, um carioca lindo e irresistível, e não pensa duas vezes quando recebe a oferta de ir viver com ele no Rio, muito apaixonada, porém cega. Em consequência, seus pais, muito religiosos, nunca mais lhe redigiram a palavra direito, foi taxada de ingrata até o fim da vida de ambos.
Porém, um tempo após sua nova vida começar no Rio, ela descobre que nem tudo são flores, e o que é aparentemente lindo, pode calhar a ser pútrido internamente: Bruno Albuquerque se mostra não somente ciumento, mas obsessivo e violento, controlando cada passo de Agatha, batendo nela quando um simples olhar não direcionado a ele ocorre, forçando-a a ser socialmente uma esposa troféu, pois os Albuquerque são uma família de grande renome no Rio devido ao seu grande patrimônio... mas entre quatro paredes ela se torna o saco de pancadas dele.
Quando eles têm um filho, o pequeno Gabriel, ao invés de as coisas melhorarem, elas pioram: Bruno sente ciúme do próprio filho. ISSO MESMO, VOCÊ LEU CERTO. Do próprio filho. Se sente negligenciado da atenção de sua "amada esposa" e logo começa a se irritar muito com a presença da criança. As coisas ultrapassam o limite quando Bruno agride Gabriel, e, para o bem de seu filho, Agatha sente que precisa tomar uma atitude, mas encontra-se de mãos atadas.
É quando um "milagre" acontece.
Agatha recebe uma ligação informando que, recentemente, sua tia Dulce, com quem ela havia perdido contato há anos faleceu, e, deixou seu pequeno sítio e seu gado para a sobrinha. Sem pensar duas vezes, Agatha aproveita o momento oportuno para cancelar todos os vínculos com seu marido e fugir com Gabriel.
Quando chega na cidadezinha de Rio Preto, ela encontra uma casa acabada: além de ultrapassada, está suja, com bolores, mofos e insetos. Sem falar que é incomparável ao luxo extremo no qual ela vivia no Rio. Mas só de lembra disso, Agatha sente arrepios. Então ela começa a se virar sozinha da melhor forma que pode, para sua integridade e a de seu menino. Logo ela recebe auxílio do velho fazendeiro Pedro e sua esposa, Gema, que auxiliam e apoiam Agatha em tudo, simplesmente por boa vontade, e ela fica espantada ao descobrir que pessoas assim ainda existem.
Ali perto, onde dona Gema trabalha, ela conhece Vicente, um jovem do interior que a princípio se mostra um tanto ríspido e cauteloso, mas aos poucos vão caindo os receios e ele se mostra protetor, corajoso, sincero e carinhoso... e claro, muito, mas muito bonito, coisas que ela deixou de acreditar que ainda existiam em homens.
Logo, os dois descobrem uma conexão profunda e intensa, e tentam lutar contra, mas os instintos falam mais alto e acabam se entregando. Até mesmo Gabriel, passa a tratar Vicente de forma absolutamente carismática e encantadora. Logo Agatha se vê feliz e acolhida, em um local totalmente escasso de luxo, mas cheio de sentimentos e autenticidade.
Mas é claro que, o influente, psicopata-obsessivo Bruno Albuquerque não iria deixar isso barato, então, junto com toda sua fúria, dinheiro e loucura, já trama uma vingança sangrenta para todos os envolvidos.
Será o laço entre Agatha, Vicente e Gabriel, suficiente para vencer a violência e o ódio?

Lycia Barros mais uma vez encantando com sua escrita, personagens principais e secundários perfeitamente construídos, e um desfecho relativamente justo e maravilhoso.
Eu esperava bem mais aspectos religiosos envolvidos, assim como em "A bandeja", mas não faz mal, o livro é ótimo mesmo assim, e fonte de inspiração e coragem para quem vive ou já viveu em situações semelhantes.

"Antes eu virava a página, agora eu queimo o livro todo..."
Fran 09/09/2016minha estante
Adorei a resenha!


Jeizy 09/09/2016minha estante
menina =O "Antes eu virava a página, agora eu queimo o livro todo..."


Érica | @aquelacomlivros 12/09/2016minha estante
Nossa, amei! Quero ler!


Kennia Santos | @LendoDePijamas 12/09/2016minha estante
Leiam gente, vale muito muito a pena, a Lycia arrasa < 33




Carolina DC 01/08/2016


A história é narrada em terceira pessoa e gira ao redor de Agatha, uma mulher de 28 anos que está fugindo do Rio de Janeiro. Perceptivelmente assustada, ela chega a cidade de Rio Preto, onde herdou uma casa de sua tia Dulce, uma mulher com quem ela teve pouco contato, mas que deixou a única propriedade que tinha em testamento para a sobrinha.
É em Rio Preto que Agatha tentará recomeçar com Gabriel, seu filho de nove anos de idade. Mas o problema em recomeçar sem encerrar com o passado é que ele volta para nos assombrar...
Agatha é uma mulher que se apaixonou profundamente e ficou encantada com os gestos românticos de Bruno Albuquerque. Bruno, filho de Rita e Rômulo, foi criado como o filho de ouro, aquele que tem direito a tudo e que não deve ter nada negado. Após o período de "lua de mel", Bruno começa a mostrar sua verdadeira faceta: um homem ciumento, possessivo e violento. Agatha passou anos aguentando os maus tratos, mas quando a violência atinge Gabriel ela decide que já basta.
Rio Preto é uma cidade pitoresca, típica cidade pequena do interior, onde todos se conhecem e sabem de tudo. Seu Pedro, o caseiro do sítio de Agatha, é um homem simples e trabalhador. Honesto, calmo e bondoso, é casado com dona Gema, uma senhorinha bem faceira que vive bancando o cupido. São os dois que irão se tornar o alicerce de Agatha e Gabriel, demonstrando aos dois a simplicidade e o amor verdadeiro.
Temos também seu Afonso, o dono da mercearia. Um homem solitário e amargo, que guarda ressentimentos e dificuldades para se relacionar com a família restante. Temos também a jovem Bianca, uma moça de 16 anos de idade que irá enfrentar inúmeros desafios, sempre com um sorriso no rosto e um coração repleto de sonhos...
Gabriel é um garotinho que em poucos anos de vida presenciou muita violência, mas que consegue manter a inocência e a esperança por dias melhores. É inteligente, sagaz e completamente fofo.

"Que tipo de menino criado numa cidade grande, com todos os recursos, encararia aquele casebre decrépito como uma benção? Um menino infeliz, com certeza. Um menino que passara a vida inteira com muito medo, mas que agora via alguma esperança no fim do túnel." (p.14)

Agatha é uma mulher resiliente. É alguém que precisa descobrir quem é e o que é capaz de fazer para seguir em frente. Nos últimos anos foi mantida como uma esposa troféu e sem renda própria ou referências profissionais, irá colocar a mão na massa para aprender um ofício capaz de sustentar a ela e ao filho. É uma pessoa que está se curando emocionalmente aos poucos, aprendendo a confiar em si mesmo e a compreender que existem pessoas realmente bondosas no mundo.
Vicente é o dono da única pousada da cidade. É um homem marcado pelo passado e que se retraiu um pouco socialmente por conta disso. É simpático, justo e engraçado, mas mantêm o seu coração seguro e tem receio de se relacionar novamente.
A escrita da autora Lycia Barros é delicada e aborda de forma suave esse tão aterrador assunto que é a violência doméstica. Seus personagens são complexos, humanos e cheios de defeitos e isso os torna ainda mais carismáticos.
O enredo é bem escrito e aborda outros temas, como a família, a amizade, a honestidade, as segundas chances e o amor. Ele aborda também a fé no enfrentamento dos problemas e a capacidade do ser humano em recomeçar várias e várias vezes.
Em relação à revisão, diagramação e layout a Editora Valentina realizou um trabalho excepcional. Existem detalhes na parte interna do livro e um único errinho na página 37.

"Seu coração, havia muito tempo, estava preparado exclusivamente para lutas e decepções." (p. 14)

site: http://www.viajenaleitura.com.br/
Jacqueline 05/11/2016minha estante
Parece ser muito bom! Vai pra listinha rs




dayukie 29/10/2016

"Sem Olhar Para Trás é um livro simplesmente incrível, que me fez amar, odiar, sorrir e chorar. Acendeu a esperança depois de apresentar um problema tão comum, mas tão polêmico que existe praticamente desde sempre na história da humanidade.
Muitos livros abordam o tema agressão a mulher, mas até então não tinha lido um livro que abordasse tão profundamente o tema como este. Agressão a mulher, o medo de denunciar, a fuga em busca de algo melhor e as consequências que viver constantemente com a agressão traz as vítimas, são pontos que você irá encontrar neste livro de uma forma intensa e delicada. "

Leia a resenha completa no blog. ;)

site: https://goo.gl/wVV2KR
Hosanita 23/04/2017minha estante
undefined




Priscilla 02/09/2016

Sensacional
Sou fã da autora e mais uma vez não me decepcionei com a história pelo contrario terminei o livro com o coração leve e com a minha fé renovada.

Agatha é uma mulher de 28 anos que é obrigada a recomeçar a vida em um sitio longe da civilização apenas com o seu filho Gabriel de 9 anos,depois de anos vivendo em um casamento doente ela toma um fôlego e foge do marido violento.

A coragem e a resiliência da personagem principal me deixou surpresa, nessa nova vida ela acaba conhecendo alguns anjos que podem ser chamados de amigos como o caseiro do sitio o Seu Pedro e a esposa dele a Senhora Gema que é uma velhinha porreta e muito engraçada.

Também conhece Vicente o dono da pousada ao lado que acaba encantando mãe e filho, mas os dois tem feridas enormes e a história mostra que além do amor os dois precisam de fé para restaurar suas vidas, como sempre os livros da Lycia passam mensagens de fé de uma maneira sutil sem se tratar de um livro religioso.

“-Tenha fé. – Marcos tocou seu ombro. – A fé é a certeza das coisas que se esperam, não das que se veem. ”

Mas vocês precisam ler o livro para conhecer do que Vicente se esconde e quais são suas feridas além de apreciar uma história tão tocante.

Os personagens secundários são um espetáculo a parte todos muito encantadores , Gabriel com sua inocência e Dona Gema são um show a parte.

"As vezes, Deus permite que as pessoas passem por certas provações porque quer algo delas, ou então quer fazer algo com elas."

Recomendo muito a leitura,foi um livro que deixou meu coração muito apertado durante a leitura e que acabou aliviando a minha alma depois.



site: http://www.cafecomenergeticoelivros.com.br/
comentários(0)comente



Polly 21/02/2017

Superação
"O preço de se ter tudo é não ter com o que sonhar."
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Agatha saiu de casa brigada com os pais para viver seu grande amor, ao lado do homem do seus sonhos, porém com o tempo, o conto de fadas virou história de terror, seu príncipe virou um homem ciumento, possessivo e extremamente violento.
Quando a agressão começou a respingar no filho, Agatha viu uma luz no fim do túnel, uma herança inesperada de uma tia distante, um sítio em uma pequena cidade, um recomeço, longe de tudo.
No entanto tudo teria que ser feito em sigilo, pois a família do marido era muito rica e influente, um passo em falso e eles a destruiriam.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Nessa nova vida Agatha precisa aprender muitas coisas e a principal delas é a de voltar a confiar nas pessoas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Com muita sutileza, a Lycia conseguiu contar uma história com um tema pesado.
A violência doméstica apresentada aqui abre nossos olhos para uma realidade, que muitas vezes acontece do nosso lado sem sabermos.
Quantas mulheres são agredidas pelo marido e ainda obrigadas a manter a fachada, seja por status ou por medo?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Além das agressões, Agatha sofreu abusos psicológicos, chantagens emocionais e um cárcere privado, ela estava amarrada a um monstro sem muitas opções de fuga, a opressão, a brutalidade e o terror emocional salta das páginas e nos sacode pra uma situação triste, mas real.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Lycia dosou muito bem todos os sentimentos envolvidos e nos presenteou com um amadurecimento lento e difícil da personagem, mas perceptível ao leitor.
Não poderia deixar de citar os personagens secundários que foram muito bem construídos e deram ao livro um brilho a mais, sem contar a narrativa envolvente e direta, que na minha opinião foi um ponto forte no livro.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Nota: 4/5 ⭐️

site: https://www.instagram.com/estantedapolly/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Mary.Reis 22/07/2016

Uma mulher enganada pelo marido ou Cega pelo amor?
-Eu me casei muito cedo, cometi um grande erro e depois passei anos pagando por isso nas mãos do Bruno. No inicio, meu ex marido só era agressivo com palavras, muito possesivo e ciumento, e me via como um objeto pessoal. Mas, dois meses depois de morarmos juntos, ele me bateu no rosto pela primeira vez... -A recordação fez com que um mal-estar se remexesse dentro dela, mas algo em seu interior motivou-a a continuar. -Eu o amava, por isso o perdoei nas primeiras vezes. Além do que, era um homem tão convicente nos seus argumentos que cheguei a pensar que eu merecia apanhar. Mas, com o tempo, comecei a conviver com o medo, pois cada atitude minha fora das suas expectativas me gerava uma nova surra. Cheguei a pensar que me batia por esporte...
Apesar de ter um tema um tanto difícil o livro é bem leve e a leitura fluida.
Agatha viveu com seu Marido Bruno por anos sofrendo todo o tipo de agressão sem nenhuma possibilidade de defesa, sem ter como se libertar por não ter para onde ir ela apanhou e se manteve calada por todo esse tempo até o dia em que Bruno agrediu seu próprio filho, a maneira como o Bruno joga com o psicológico da Agatha em muitos momentos a gente conseguia sentir o medo exalando dela.
Agatha recebe de uma tia uma herança (um sítio) e foge abandonando o marido e levando seu filho junto, no interior de Minas ela vai encontrar um lugar para recomeçar a vida e conhecer pessoas que vão mudar a sua vida para sempre.
Vicente dono da fazenda vizinha a de Agatha e por quem Agatha claro vai se apaixonar (um clichezinho básico) vai ajuda-la a exorcizar os medos do passado trazendo alegria para a vida tanto dela como do filho.
Chega uma parte do livro que você se vê totalmente preso a historia e as coisas que eram clichês se tornam indispensáveis , esse livro foi um tapa na minha cara em diversos momentos, um livro tocante, eu amei o lado romance e senti falta de mais páginas alguns acontecimentos foram atropelados, as coisas aconteciam rápido demais.
Uma coisa que me incomodou bastante foram os finais dos capítulos alguns continham spoilers dos próximos capítulos e isso me irritou muito.
Eu amei demais essa historia e admito que não esperava tanto dela enfim é isso espero que gostem da resenha.


site: https://www.youtube.com/channel/UCP2zmMeOD0cW67eRuK7_UnQ
comentários(0)comente



BookTherapy 02/07/2017

Que livro maravilhoso! Que história de vida e superação mais emocionante...
O tema violência doméstica mexe muito comigo.
Eu cresci acompanhando, de longe, uma pessoa muito próxima a mim sofrer dessa violência. Nunca presenciei, mas ouvia as histórias mais absurdas e, à medida que fui entendendo a situação, podia sentir o olhar de submissão por parte dessa pessoa, o descontentamento quando ela tinha que vestir a roupa que ele escolhia, usar a bolsa e o sapato que ele mandava...
Ela, uma pessoa tão ativa, tão impulsiva, tão determinada, foi se tornando submissa, triste, medrosa, doente...
Uma vez, quando soube que ela havia parado no hospital por causa dele, eu e mais uma tia tentamos denunciá-lo, mas ela chorou e implorou para que não fizéssemos nada, pois ele era um bom homem, um bom pai, dava tudo a ela e só estava nervoso porque ela o deixou assim. Bom, claro que ele dava tudo a ela, pois sabia que estava errado e a comprava depois de cada briga. Mas ela não enxergava desta forma...
Engraçado como o próprio agressor faz uma lavagem cerebral na vítima, induzindo-a a pensar que é a culpada pela violência e ele só bateu porque não teve outra escolha ou precisava "educá-la".
Naquela época, não conseguimos levar a denuncia para frente, pois só podia denunciar quem era vítima. Hoje, com a lei Maria da Penha, essa história mudou e a denúncia pode partir de uma pessoa próxima. Graças a Deus, ela não sofre mais. Ele morreu, mas infelizmente ela e o filho ainda convivem com algumas marcas do passado...
Infelizmente, essa violência não é empregada somente a essa pessoa próxima a mim e sim a milhares de mulheres que são iludidas, achando que o primeiro tapa foi sem querer. O cara chora, diz que estava nervoso, que nunca mais vai fazer isso, compra um presente, leva para passear, passa uma semana "bonzinho" e da próxima vez a agressão se torna pior. Muitas vezes, o agressor faz a vítima se tornar independente financeiramente, impedindo assim, de que a vítima consiga sair daquela situação.
Foi assim com Agatha, que tenta reconstruir sua vida após fugir, junto com seu filho de 9 anos, de um relacionamento abusivo por parte do marido.
Quando mais nova, abandonou os estudos e fugiu de casa, iludida por um lindo rapaz de família rica, que dizia que a amava. Se tornou independente financeiramente dele e logo em seguida, se viu presa em uma vida de mentiras, traições e violências.
Enquanto essa violência gratuita era empregada somente a ela, aguentava calada, por não ter como fugir, já que não é mais bem-vinda na casa do pai, sua mãe já falecera e devido à condição financeira do marido, que vem de uma família tradicional do Rio de Janeiro, tendo muitas influências.
"Passou tantos anos tendo cada aspecto da sua vida dominado pelo ex, que já não sabia mais as próprias referências."
Com essas agressões se tornando ainda mais frequentes, o marido passa a descontar toda a fúria também no menino, que já tem idade suficiente para querer proteger a mãe. Cansada de tanto abuso, Agatha consegue a grande oportunidade que tanto esperava: uma tia distante deixa como herança, um simples e pequeno sítio, em uma cidade do interior de Minas Gerais.
Decidida a abandonar tudo, a moça foge com o mínimo de coisas possíveis, junto com o filho, para tentar um novo destino.
Ao chegar na pequena cidade, ela é recebida com muito amor pela população e começa a se reerguer, com a ajuda de um casal de idosos muito fofo, mudando completamente sua rotina luxuosa, vendendo queijos para o comércio local e um hotel fazenda famoso na cidade.
É lá que ela conhece Vicente, o dono do hotel, ex-campeão de equitação, que se vê obrigado a abandonar a carreira após uma tragédia, mas que carrega consigo uma grande lição de vida.
"Seu coração, havia muito tempo, estava preparado exclusivamente para lutas e decepções."
A atração entre os dois cresce ao longo do tempo e o amor se torna inevitável. Agatha vê em Vicente um porto seguro, alguém em quem confiar. E Vicente vê em Agatha o amor que ele tanto procurava e promete proteger sua nova família a qualquer custo.
Mas, quando o passado da moça volta para assombrá-la e deixar estragos ainda piores, é que tanto Agatha, quanto Vicente precisam recorrer ao amor e à misericórdia de Deus para então viverem a vida que tanto sonharam.
"A fé é a certeza das coisas que se esperam, e não das que se veem."
Uma história linda sobre superação, onde a fé nos dá força para recomeçar.

site: http://wp.me/p7mYmm-nc
comentários(0)comente



Izamacharette 22/02/2017

Espetacular
O livro conta a história de Agatha que pagou caro por um erro cometido no passado, então um dia quando ela recebe uma herança ela vai em.busca da felicidade e lá encontra uma vida maravilhosa e pessoas maravilhosas incluindo Vicente, ela descobre um lado da vida q até então não sabia que existia aprende dotes culinários a cuidar de uma casa sozinha. Esta Féliz,mas,como sempre, quando a felicidade batera nossa porta, os problemas batem em seguida. Seu ex marido acha os dois e os leva de volta e novamente Amanhã está nas mãos de seu agressor. Maas Deus em sua infinita bondade entra novamente na vida deles, e depois de uma conversa com o Pastor da Igreja da cidade Vicente se transforma em outra pessoa mas sereno, mais confiante e espera em Deus a resposta, e, apesar de Agatha ter sofrido mais nas mãos do ex, dessa vez ela confiou em Deus se lembrou dele, e ele também se lembrou dela e no momento certo quando ela achou que só restaria a morte para ela, Deus no momento certo entrou com providência e, ela foi salva e o monstro foi pro seu devido lugar, ela até teve um momento de fraqueza e pensou por um instante em fazer algo pelo qual se arrependeria pro resto de sua vida mas Deus não permitiu e no fim cada um teve o final que mereceu e ela pode novamente recomeçar sua vida da maneira mais correta possível, debaixo da bênção de Deus e, se perdoou de tudo aquilo que ela tinha feito no passado. Afinal Deus nos deu o livre arbítrio, coisa ruins conhecem muitas vezes para nos aproximar-mos mais dele. E pessoas boas e honestas também erram, todos somos passíveis de um erro na vida não somos perfeitos, só não podemos e continuar no mesmo erro pra sempre. E assim como a mulher de Ló, não devemos jamais olhar para trás.
comentários(0)comente



Bianca 23/09/2017

Resenha: Sem Olhar para Trás
Sem Olhar para Trás conta a história de Agatha, uma mulher de 28 anos que sofre com a violência e o abuso do marido, Bruno. Quando mais jovem, ela se apaixonou pelo rapaz e largou toda sua vida para ficar com ele no Rio de Janeiro. Inicialmente, tudo era perfeito, o namorado era apaixonado e encantador, contudo, ao conhecê-lo melhor viu que, na verdade, ele era agressivo e abusador. Agatha não o denunciava por medo do que poderia acontecer com ela e com seu filho, Gabriel, uma vez que a família do marido era rica e influente.

Ela acredita que a única forma de mudar sua situação é por meio de uma fuga, no entanto, para onde iria? A chance de mudar de vida surge quando Agatha ganha como herança uma chácara no interior de Minas Gerais. Mesmo com receio do que poderia acontecer, ela foge para Rio Preto com Gabriel. Lá ela vai conhecer pessoas incríveis e generosas, vai reaprender o que realmente importa na vida e terá uma nova oportunidade para amar. Erros acontecem pelo caminho, mas não se pode desistir. Recomeços são possíveis e Agatha terá o dela.

Sem Olhar para Trás foi uma ótima leitura! Ele tem como tema principal a violência contra a mulher e, em minha opinião, a autora soube desenvolvê-lo muito bem. Os personagens me agradaram, foi fácil ser cativada por eles. Agatha foi uma ótima protagonista, seus dramas eram reais. Foi muito bom acompanhar sua história de superação e recomeço. Outro ponto positivo foi o cenário, enquanto lia me sentia de verdade em uma cidadezinha do interior com seu clima calmo e simples.

Existe romance no livro e em certas partes eu gostei, mas em outras não. Achei que o casal era excelente junto, um complementava o outro. Todavia, fiquei com a impressão de que ele aconteceu muito rápido, ainda mais quando lembramos tudo que Agatha passou em seu último relacionamento. A edição do livro está simples e bonita. Não encontrei erros. Sem Olhar para Trás não se tornou meu favorito da autora, este posto continua sendo de Despertar – A Bandeja, porém recomendo a leitura!

site: https://www.instagram.com/estantevioleta
comentários(0)comente



Memórias de uma Leitora 23/08/2016

Quando um livro é ruim ou muito bom eu tenho um bloqueio para escrever a resenha dele. Confesso que tive dificuldades para escrever essa, o motivo são todas as cinco estrelinhas que tive que dar e o caraçãozinho de favorito. A Lycia já é uma velha conhecida aqui do blog, lembro que fui no lançamento do seu primeiro livro: A Bandeja e também tive a oportunidade de fazer uma entrevista com ela algum tempo depois, logo, fiquei muito feliz por mais um livro dela ser publicado em uma grande editora.

Uma coisa que eu já sabia quando o blog foi chamado para ser parceiro da Valentina é que a editora tem um apreço muito grande com as capas das suas publicações. Amei tudo! Os detalhes de cada início de capítulo e na parte superior de cada página, a contra capa, o título em alto relevo e o papel cartão escolhido para a capa é diferente também dos livros que estou acostumada a ter (é bem mas maleável). É perceptível que cada detalhe foi pensado e bem executado.

Trata de um tema bastante comum principalmente no Brasil, mas é o primeiro livro que leio com esse tema. Agatha é casada e tem um filho mas o seu casamento está longe de ser perfeito, normal já seria mais que suficiente para ela. Bruno seu marido, é lindo, um verdadeiro deus grego que faz as mulheres virarem a cabeça quando ele passa, conquistador e cheio de surpresas, tudo que uma mulher gostaria. Mas logo no início do relacionamento, assim que Agatha tomou a decisão que mais se arrependeu na vida: de deixar seus pais em Ribeirão Preto para morar junto de Bruno, ela foi percebendo a mudança brusca que a sua vida tomaria. Alguns meses foram o suficiente para ele mostrar o seu lado possessivo. Em um dia era um bouquê de flores que tinha para dar e no outro, caso fosse contrariado, um tapa na cara. A cada pedido de desculpas o perdão vinha fácil e tudo voltava ao normal, até o próximo ataque. Agatha tinha tudo, uma excelente casa, um filho companheiro e todos os luxos que o dinheiro pudesse pagar, mas ela também tinha medo. Medo dos ciúmes do marido com o próprio filho, das agressões cada vez mais ferozes por motivos cada vez mais descabidos, além de ter que aguentar a infidelidade cometida por ele e seus diversos pretextos para ser como era.

Agatha foge, não poderia submeter mais o seu filho Gabriel à aquela situação, afinal são mais de nove anos! Em boa hora ela recebe uma herança singela da tia falecida, uma casinha no interior, um local que acredita que nem mesmo Bruno encontraria.

Mal ela sabia que aquele local tão simples, longe de todo o luxo que ela tinha iria trazer algo que talvez ela jamais tivesse vivido: paz, companherismo e o entendimento do perdão. E que o amor pode ser um lugar seguro e de calmaria. E que você pode escolher o amor à dor. E Vicente estaria lá para mostrá-la.
"Conversar com pessoas simples, ajudá-las de perto, abrir o coração, interagir... Isso, sim, faz a vida valer a pena. Pois, na verdade, todos precisamos uns dos outros, uma hora ou outra. Ela era prova viva disto."
Uma mulher de personalidade forte mas totalmente fragilizada no âmago de seu ser. Aquele momento que o abuso torna-se tão comum na vida da vítima que ela de fato começa a pensar que tem culpa e que merece ser tratada daquela forma. Um retrato tão verídico impresso nas páginas deste livro através das palavras.

Li este livro virando a noite por que não queria largá-lo. É um livro com poucas páginas, mas não acrescentaria nem retiraria nenhum capítulo. Todos eles foram bem dosados, e a história foi bem encaixada combinado partes do passado que precisaríamos saber para dar consistência no enredo e as partes em sua maioria no presente. Destaque para o romance que foi bem construído e mas uma vez, na medida certa. Nem houve muita embromação para que desenrolasse nem foi muito rápido, timing perfeito; com cenas intensas e marcantes mas sem beirar o erotismo e sim apresentado de forma singela e capaz de arrancar suspiros.
"-Acho que já está na hora de virarmos essa página.
- Antes eu virava a página, agora eu queimo o livro todo. Ela ameaçou ir embora mas Vicente a segurou pelo pulso.
- Este você não vai queimar.
- Só se eu tiver uma boa razão. Convença-me. "
Viram a dificuldade de escrever a resenha!? Quando me empolgo começo a escrever sem parar! O livro é repleto de quotes que eu não poderia deixar de colocar aqui. Como sempre, Lycia Barros consegue trazer temas cotidianos para as páginas de seus livros e dar o seu toque especial e ministrar um lição encorajadora. Mostrou que às vezes é necessário sair de perto do problema, distanciar-se sem olhar para trás, por que às vezes a felicidade está a um passo de distância.

"Deus preferiu criar os homens à sua imagem e semelhança, que o amassem de livre escolha, assim como Ele nos amou desde o começo. E escolhas precisam de consequências, boas ou ruins. Uma escolha sem consequência não seria autêntica."

site: http://memoriasdeumaleitoraa.blogspot.com.br/2016/08/resenha-sem-olhar-para-tras-lycia-barros.html
comentários(0)comente



Atitude Literária 31/01/2017

Uma leitura atual e reflexiva
É preciso falar sobre violência doméstica e suas consequências. Dar voz a essa luta silenciosa e cruel que aflige milhares de mulheres pelo mundo. É preciso se colocar no lugar, não apenas com os olhos julgadores que se enganam, mas com empatia, compreendendo de fato o que torna essa batalha tão árdua e por diversas vezes frustrada. Não se trata apenas de se calar, de omitir a verdade, de se enganar e arrumar desculpas. Não se trata apenas de se conformar, ser fraca. É muito mais complexo e intenso.

Agatha está presa em um relacionamento abusivo. Seu marido é um homem cruel, violento, possessivo, ciumento, que faz de tudo para oprimi-la, humilhá-la e menosprezá-la, tudo isso em nome de um amor doentio e egoísta. Ela era muito jovem quando se envolveu com Bruno, ingênua, se deslumbrou com sua aparência e promessas, porém nada foi como ela imaginou e o conto de fadas se tornou um pesadelo. Anos de repressão, a tornaram uma mulher vulnerável, fragilizada, que aguenta até onde pode, o que muda assim que o alvo dos ataques passa a ser seu filho, e ela se vê obrigada a tomar uma atitude.

Recomeçar nunca é fácil e acredito que Agatha só teve força e ousadia para isso, quando sentiu que de fato seu filho estava ameaçado. Ela está cheia de culpa, medos, inseguranças o que é totalmente aceitável diante das circunstâncias e sua pouca fé nos humanos passa por uma transformação ao se deparar com pessoas generosas e de bom coração. É notório o crescimento da personagem e as mudanças que ela sofre ao longo da trama, é como acompanhar o desabrochar de uma flor, descobrindo as coras da vida e o quanto se pode ser feliz. Porém, nada é simples na sua caminhada e o passado pode estar mais perto do que ela imagina, espreitando-a, aguardando o momento exato de atacar.

“Meu coração estava vazio. Eu sentia saudades de você antes mesmo de tê-la encontrado”.

SEM OLHAR PARA TRÁS é um belo drama sobre superação. Sobre se tornar dona de si mesma e da vida, sobre acreditar na própria força e lutar por aquilo que se ama. É sobre levantar a cabeça, encarar o mundo de peito aberto e não aceitar que a tratem com menos do que você de fato merece. É sobre não ter medo, não se anular, não permitir que te tornem um ser vulnerável e inseguro. É um grito de socorro, para que possamos olhar com mais atenção as pessoas a nossa volta e ter a certeza de que uma vítima de VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, precisa de ajuda.

"-Acho que já está na hora de virarmos essa página. - Antes eu virava a página, agora eu queimo o livro todo. Ela ameaçou ir embora mas Vicente a segurou pelo pulso. - Este você não vai queimar. - Só se eu tiver uma boa razão. Convença-me. "

De modo geral eu amei o enredo, as reflexões e o modo como o tema central foi abordado. O romance aqui ficou em segundo plano, porém foi bem trabalhado. Os personagens secundários foram bem construídos e desempenharam papeis significativos e marcantes. A abordagem “religiosa” foi sutil e eu confesso que estava esperando por um enredo mais focado nisso. O que me incomodou na história foi a rapidez dos acontecimentos, senti falta de aprofundamento em alguns momentos e terminei a leitura com a sensação de que algo ficou em aberto. Porém, mesmo com esses apontamentos eu recomendo sim a leitura, para todos aqueles que estão em busca de um livro reflexivo.

site: http://www.atitudeliteraria.com.br/2017/01/resenha-sem-olhar-para-tras-lycia.html#.WJEJ0PkrLIU
comentários(0)comente



Jully 05/01/2019

Este livro conta a historia de superação de Agatha, uma mulher forte e guerreira, que abandona tudo após receber uma singela herança de sua tia. Esse era o empurrãozinho que faltava para ela partir em busca de vencer seus medos, se descobrir e principalmente recomeçar. Mas nem tudo são flores nesse recomeço, e apesar de um tempo de sossego, o passado volta a atormentar. Ela agora terá que encontrar em si e em sua fé, um caminho para achar o que tanto busca: paz, amor e uma vida tranquila.

Texto completo no blog!

site: https://comentandolivroslidos.blogspot.com/2019/01/sem-olhar-para-tras.htm
comentários(0)comente



Glaucia @blogmaisquelivros 22/02/2017

Ainda muito jovem Agatha se iludiu com a ideia do primeiro amor e decidiu seguir o coração fugindo com Bruno para o Rio de Janeiro. O problema é que Agatha conhecia os pais e sua atitude os fez deserda-la por conta da reputação arruinada da família. Desamparada, seu único consolo era o fato de ter Bruno, o homem que amava ao seu lado.

No entanto com o passar do tempo Agatha percebeu que sua vida não era um conto de fadas e que o príncipe que lhe enchia de amor e presentes anteriormente era o mesmo homem que a traía com diversas mulheres e lhe agredia física e verbalmente.

Bruno Albuquerque era filho de uma família ambiciosa e importante do Rio de Janeiro, e cresceu com a certeza de que o dinheiro que possuía sempre o manteria acima da lei. Acostumado a ter tudo como e quando queria, o rapaz se entregava aos deleites da vida usando drogas, bebendo, transando e agredindo a esposa sempre que julgasse seu comportamento inadequado.

“Relacionamentos baseados somente em conexão sexual não costumam durar. São quentes e intensos no começo, mas a chama se apaga com a mesma rapidez. Já a amizade e o respeito mútuo, não. Esse tipo de intimidade só se constrói com o tempo, quando deixamos as pessoas serem livres para serem quem são e as aceitamos com seus defeitos.”

Com o passar do tempo e a chegada de Gabriel, filho do casal, as coisas só pioraram. Bruno tinha ciúmes do próprio filho e exigia de Agatha total atenção, mas a gota d’água foi quando as agressões começaram também a ser direcionada ao filho, Agatha não podia suportar ver seu pequeno sofrendo, ela precisava fugir, mas a quem recorrer se a própria família havia negado qualquer contato? A resposta veio através do telefonema de um advogado de tia Dulce, que antes de morrer lhe deixou um casebre caindo aos pedaços. Finalmente Agatha tinha uma chance de libertação.

Sem pensar duas vezes, Agatha foge com o filho para Rio Preto em busca de recomeçar a vida. Chegando à pequena cidade ela conhece o simpático Sr. Pedro e Dona Gema, antigos cuidadores das terras de sua tia. Embora a residência não possua qualquer luxo ao qual esteja acostumada, Agatha sabe que terá o principal: paz.

“Olha, colocar a nossa fé em Deus é como preencher um cheque. Antes disso, precisamos conhecer o saldo, ou seja, tudo o que Deus prometeu para nós. Se esperamos algo que Deus prometeu, então, podemos esperar com certeza.”

Decidida a criar o filho com sossego e não se envolver com outro homem, a moça nem imagina a surpresa que o destino lhe reservara ao conhecer Vicente, o dono da famosa pousada local. Inicialmente o contato entre os dois não é dos melhores, mas com um empurrãozinho da enxerida Dona Gema um relacionamento amigável começa a nascer entre os dois.

Será que Agatha dará uma nova chance ao amor? E será que a influência de Bruno e sua paixão obsessiva permitirá que Agatha e o filho possam ser felizes? Só lendo para saber...

Quando solicitei Sem Olhar Para Trás a Editora Valentina nem imaginei a complexa história por trás desse livro. Presumi que encontraria apenas um romance clichê de uma jovem que queria recomeçar a vida e me enganei redondamente.

A história de Agatha é o retrato da triste realidade de muitas mulheres que desamparadas pela família se permitem viver em uma relação abusiva. Mulheres que são diminuídas pelo próprio parceiro que abalam suas esposas física e emocionalmente, fazendo-as se sentirem inferiores, pequenas e muitas vezes merecedoras de tal sofrimento. Senti-me angustiada ao acompanhar as duras passagens de agressão que a personagem vivia, e como mulher senti sua dor profundamente. Esse é um assunto que afeta a todas nós e que precisa ser falado abertamente para que pessoas que vivem tal situação possam encontrar forças para se libertar.

Em meio a toda essa aflição, a autora enfatizou a importância da fé, introduzindo versículos bíblicos e parábolas que encaixaram tão bem com a situação de Agatha que foi impossível não me emocionar, eu realmente não esperava por isso no enredo.

Sem olhas para trás foi meu primeiro contato com a escrita da Lycia Barros e só posso elogiar a autora pela trama tão real e emocionante focada em um assunto tão importante em nossa sociedade.

Um ponto interessante na história foi a construção dos personagens que exalavam sentimentos e personalidade. Eu me encantei por cada um, Vicente é o verdadeiro homem protetor que transmite a segurança que Agatha jamais conheceu enquanto esteve com Bruno, Gabriel com toda a sua inocência nos desperta aquele sentimento maternal de zelo, foi maravilhoso acompanhar sua jornada de horror para libertação junto a mãe. Mas tenho que dizer que Sr. Pedro e Dona Gema ganharam meu coração pela bondade e pelo coração grande que somente avós possuem. Foi reconfortante a presença desses dois durante a história.

Sem olhar para trás foi um livro que me surpreendeu, me fez refletir e acreditar que Deus está sempre olhando por nós, por maior que seja o nosso sofrimento ou a nossa luta. Às vezes perdemos tanto tempo pensando no tamanho da nossa própria dor que não percebemos que temos a força necessária para enfrentar a situação, basta ter fé e força de vontade.

Para quem ainda não conhece a escrita da autora ou desejo conhecer uma bela história de fé, amor e superação, esse livro é mais do que indicado.


site: http://www.maisquelivros.com/2017/02/resenha-sem-olhar-para-tras-lycia-barros.html
comentários(0)comente



Janaina Vieira Writer 25/06/2016

O poder das escolhas
Mais um livro da querida Lycia Barros, que tive o enorme prazer de ler quando ainda era um original a ser publicado e que tornou-se um lindo livro. A capa é maravilhosa e já diz a que veio a história. É impressionante o poder das imagens, que tantas vezes podem contar tanto com tão poucos elementos, como nesse caso.

A história de Agatha e Vicente é uma das mais bonitas que já li, mas não exatamente por ser uma história de amor e sim por tudo que o encontro deles representa para ambos. As marcas e feridas que cada um traz poderiam perfeitamente afastá-los do mundo, levando-os a não conseguir ou a não aceitar mais envolvimentos, sequer amizade com mais ninguém. Afinal, o ser humano pode nos magoar muito e isso acontece o tempo todo. Porém, ao se encontrarem "por acaso", eles se dão a oportunidade de ir em frente, apesar de tudo. OK, até aqui tudo bem.

A surpresa de tudo, porém, reside na aparente fraqueza deles, cada um por uma razão diferente e muito triste. Ela, porque durante muito tempo foi vítima das agressões covardes do ex-marido. Ele... Bem, é preciso ler o livro para conhecer seu segredo. Assim caminhando pela vida, às vezes confusos, meio trôpegos, cansados e com receio do que virá, eles começam a entender que a liberdade de cada ser só é real e completa quando vem de dentro e é capaz de apagar para sempre o medo.

É um livro maravilhoso e muito emocionante, que super recomendo, mas não quero fazer spoiler aqui. Que cada leitor possa sorrir e secar livremente suas próprias lágrimas!
comentários(0)comente



Thays 23/07/2016

Esse livro irá renovar a sua fé!

Agatha veio de uma família muito rígida e religiosa, quando mais nova conheceu Bruno, o homem dos seus sonhos e logo se juntou com ele e saiu da casa dos seus pais, e abandonou sua faculdade, Bruno era um homem gentil e que amava, e ela tinha o mundo aos seus pés.
No entanto seu conto de fadas foi se destruindo quando Bruno começou a se mostrar um homem ciumento, possessivo e que a agredia, Agatha queria voltar para casa dos seus pais e se ver livre desse pesadelo, pois Bruno não agredia apenas ela, ele havia passado a agredir seu próprio filho por causa do seu ciúme doentio. No entanto seu pai havia cortado o laço com ela a alguns anos quando sua mãe faleceu, ele jurou não perdoá-la por sair de casa e a culpa pela morte da esposa.
“-Talvez. Mas quando me dei conta das consequências que enfrentaria por conta disso, já era tarde demais para voltar atrás. “
Em meio ao mar agitado que ela estava vivendo, ela viu uma âncora, uma esperança, sua tia distante havia falecido e seu nome estava no testamento, Agatha não compreendia como isso era possível, pois elas eram bem distantes, mas ficou feliz pois agora ela tinha um teto para morar e poder fugir do seu marido.
Agatha foge com seu filho e a sua vida que era luxuosa já não seria mais, a casa veio no melhor momento, no entanto a situação era bem precária, era velha e precisaria de muitas reformas no qual ela não poderia se dar ao luxo de ter no momento. Sua casa não tinha nem ao menos um fogão, mas no meio de tudo isso dois anjos apareceram em sua vida.
Seus vizinhos um casal de idosos sempre cuidaram da fazenda, lhe ajudavam a lidar com a nova vida, a adaptação para ela não havia sido fácil, uma nova cidade, bem pequena, onde todos sabiam de tudo e onde ela precisaria aprender a se virar sozinha.
Mesmo sem querer Agatha conhece um homem que lhe despertou curiosidade, Vicente dono de uma linda pousada, filho de fazendeiro, que está passando um momento bem ruim na sua vida, ele se sentia solitário, assim como Agatha, em meio ao turbilhão de emoções que os dois estão enfrentando nasce ali algo que Agatha achava não experimentar mais, no entanto, a jornada de Agatha em busca da felicidade está apenas começando.
“-E quais são as suas convicções a nosso respeito?
-Que eu não paro de pensar em você – admitiu ele. ”
Agatha queria paz, mas como ela podia se dar ao luxo de tê-la? Ela havia fugido da casa do seu marido e ele não deixaria por menos, ele a acharia em qualquer lugar a mataria juntamente com seu filho.
A Lycia barros tem uma escrita que te pega logo no início e é impossível fechar o livro sem antes ter concluído a história. Uma coisa que eu admiro muito em todos os livros da Lycia é que ela traz personagens femininas marcadas pelo passado, ou que irão passar por algo, mas cada uma dessas personagens traz uma personalidade forte, elas são corajosas, Lycia escreve sobre mulheres guerreiras, e isso é o que torna a história melhor, e ao final sempre fechamos o livro e repensamos sobre nossas vidas. Esse é o terceiro livro que leio da autora e sempre que eu acabo eu fico me perguntando, será que estou vivendo do modo certo? E é isso que faz Lycia se destacar na literatura nacional.
O livro foi muito bem escrito e com personagens com fortes personalidades e bem maduros, o filho de Agatha com sua inocência infantil foi o que mais me surpreendeu, ele era o mais maduro e que compreendia a situação. Agatha é forte e decidida, o amadurecimento dela foi muito perceptível ao longo do livro, mesmo não se achando corajosa, ela era.
O livro é narrado em terceira pessoa, mas temos ciência e noção de cada pensamento dos personagens, o livro traz um enredo difícil de falar, mas que acontecem todos os dias com alguém, mesmo que não seja próximo a nós.
Esse é o tipo de livro que traz uma grande lição de vida, é tipo de livro que te permite sonhar.
Esse não é um livro religioso, sim o livro fala do amor de um homem para com uma mulher, mas fala também sobre respeito e obediência, é um livro que fala sobre o amor de Deus para com seus filhos, o livro também fala sobre nossos questionamentos acerca do mundo e de Deus, esse livro é tão lindo e emocionante que estou aqui escrevendo essa resenha com lágrimas nos olhos, esse livro que renovou a minha fé.
“-Tenha fé. – Marcos tocou seu ombro. – A fé é a certeza das coisas que se esperam, não das que se veem. ”


site: thaysmdelima.blogspot.com.br
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2