Sem Olhar para Trás

Sem Olhar para Trás Lycia Barros




Resenhas - Sem Olhar para Trás


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Jully 05/01/2019

Este livro conta a historia de superação de Agatha, uma mulher forte e guerreira, que abandona tudo após receber uma singela herança de sua tia. Esse era o empurrãozinho que faltava para ela partir em busca de vencer seus medos, se descobrir e principalmente recomeçar. Mas nem tudo são flores nesse recomeço, e apesar de um tempo de sossego, o passado volta a atormentar. Ela agora terá que encontrar em si e em sua fé, um caminho para achar o que tanto busca: paz, amor e uma vida tranquila.

Texto completo no blog!

site: https://comentandolivroslidos.blogspot.com/2019/01/sem-olhar-para-tras.htm
comentários(0)comente



Bi Faria 08/03/2018

Capa linda! E a história me tocou profundamente, favorito de 2018!
Agatha vive um casamento abusivo, mas tem medo de reagir pois tem um filho e a família do marido é rica e influente. Mas ela não aguenta mais, então resolve fugir.
Ela recebe um telefone dizendo que uma tia que mora no interior lhe deixou um sítio, e é para lá que ela vai. Ar puro, fogão a lenha, horta, vizinhança tranquila, são muitas as mudanças, mas a paz de recomeçar a vida, a esperança de que ninguém nunca mais vai levantar a mão para lhe bater é o que precisa e procura.
E andando aos arredores ela conhece uma pousada e seu dono, muito bonito por sinal.
Vicente ama aquele lugar, apesar das suas recentes perdas, cuida muito bem do local. Ele avista a nova morada com curiosidade, bem bonita ela.
E eles se aproximam mais a cada dia, Vicente gosta muito do filho dela, eles se dão super bem. É um menino muito inteligente, mas que já sofreu muito pela pouca idade.
Agatha aguça a curiosidade de Vicente, e a aproximação faz com que ambos se abram um para o outro, cada um abalado com o que passaram. Eles se encantam um pelo outro e resolvem viver esse amor, mas Agatha precisa resolver sua vida.
O tempo passa e quando menos se espera o seu marido está na porta da pousada, com aquele olhar que a deixa paralisada. Ele os quer de volta, mas ela diz que não, ele diz que vai entrar na justiça e sai pisando duro.
No outro dia Agatha vai ao seu sítio buscar suas coisas, ela vai passar um tempo na pousada, pois lá Vicente pode protegê-los, mas ao chegar lá seu mundo desaba, seu pensamento é "estou morta." Milhares de mulheres passam o que a Agatha passou, denunciem! E leiam essa obra para saber essa história de luta, só posso dizer que é especial e inspiradora. "Chegaria o dia em a ela precisaria resolver sozinha aquela batalha particular. Colocar um fim na história." @lyciabarros @edvalentina
comentários(0)comente



Bianca 23/09/2017

Resenha: Sem Olhar para Trás
Sem Olhar para Trás conta a história de Agatha, uma mulher de 28 anos que sofre com a violência e o abuso do marido, Bruno. Quando mais jovem, ela se apaixonou pelo rapaz e largou toda sua vida para ficar com ele no Rio de Janeiro. Inicialmente, tudo era perfeito, o namorado era apaixonado e encantador, contudo, ao conhecê-lo melhor viu que, na verdade, ele era agressivo e abusador. Agatha não o denunciava por medo do que poderia acontecer com ela e com seu filho, Gabriel, uma vez que a família do marido era rica e influente.

Ela acredita que a única forma de mudar sua situação é por meio de uma fuga, no entanto, para onde iria? A chance de mudar de vida surge quando Agatha ganha como herança uma chácara no interior de Minas Gerais. Mesmo com receio do que poderia acontecer, ela foge para Rio Preto com Gabriel. Lá ela vai conhecer pessoas incríveis e generosas, vai reaprender o que realmente importa na vida e terá uma nova oportunidade para amar. Erros acontecem pelo caminho, mas não se pode desistir. Recomeços são possíveis e Agatha terá o dela.

Sem Olhar para Trás foi uma ótima leitura! Ele tem como tema principal a violência contra a mulher e, em minha opinião, a autora soube desenvolvê-lo muito bem. Os personagens me agradaram, foi fácil ser cativada por eles. Agatha foi uma ótima protagonista, seus dramas eram reais. Foi muito bom acompanhar sua história de superação e recomeço. Outro ponto positivo foi o cenário, enquanto lia me sentia de verdade em uma cidadezinha do interior com seu clima calmo e simples.

Existe romance no livro e em certas partes eu gostei, mas em outras não. Achei que o casal era excelente junto, um complementava o outro. Todavia, fiquei com a impressão de que ele aconteceu muito rápido, ainda mais quando lembramos tudo que Agatha passou em seu último relacionamento. A edição do livro está simples e bonita. Não encontrei erros. Sem Olhar para Trás não se tornou meu favorito da autora, este posto continua sendo de Despertar – A Bandeja, porém recomendo a leitura!

site: https://www.instagram.com/estantevioleta
comentários(0)comente



BookTherapy 02/07/2017

Que livro maravilhoso! Que história de vida e superação mais emocionante...
O tema violência doméstica mexe muito comigo.
Eu cresci acompanhando, de longe, uma pessoa muito próxima a mim sofrer dessa violência. Nunca presenciei, mas ouvia as histórias mais absurdas e, à medida que fui entendendo a situação, podia sentir o olhar de submissão por parte dessa pessoa, o descontentamento quando ela tinha que vestir a roupa que ele escolhia, usar a bolsa e o sapato que ele mandava...
Ela, uma pessoa tão ativa, tão impulsiva, tão determinada, foi se tornando submissa, triste, medrosa, doente...
Uma vez, quando soube que ela havia parado no hospital por causa dele, eu e mais uma tia tentamos denunciá-lo, mas ela chorou e implorou para que não fizéssemos nada, pois ele era um bom homem, um bom pai, dava tudo a ela e só estava nervoso porque ela o deixou assim. Bom, claro que ele dava tudo a ela, pois sabia que estava errado e a comprava depois de cada briga. Mas ela não enxergava desta forma...
Engraçado como o próprio agressor faz uma lavagem cerebral na vítima, induzindo-a a pensar que é a culpada pela violência e ele só bateu porque não teve outra escolha ou precisava "educá-la".
Naquela época, não conseguimos levar a denuncia para frente, pois só podia denunciar quem era vítima. Hoje, com a lei Maria da Penha, essa história mudou e a denúncia pode partir de uma pessoa próxima. Graças a Deus, ela não sofre mais. Ele morreu, mas infelizmente ela e o filho ainda convivem com algumas marcas do passado...
Infelizmente, essa violência não é empregada somente a essa pessoa próxima a mim e sim a milhares de mulheres que são iludidas, achando que o primeiro tapa foi sem querer. O cara chora, diz que estava nervoso, que nunca mais vai fazer isso, compra um presente, leva para passear, passa uma semana "bonzinho" e da próxima vez a agressão se torna pior. Muitas vezes, o agressor faz a vítima se tornar independente financeiramente, impedindo assim, de que a vítima consiga sair daquela situação.
Foi assim com Agatha, que tenta reconstruir sua vida após fugir, junto com seu filho de 9 anos, de um relacionamento abusivo por parte do marido.
Quando mais nova, abandonou os estudos e fugiu de casa, iludida por um lindo rapaz de família rica, que dizia que a amava. Se tornou independente financeiramente dele e logo em seguida, se viu presa em uma vida de mentiras, traições e violências.
Enquanto essa violência gratuita era empregada somente a ela, aguentava calada, por não ter como fugir, já que não é mais bem-vinda na casa do pai, sua mãe já falecera e devido à condição financeira do marido, que vem de uma família tradicional do Rio de Janeiro, tendo muitas influências.
"Passou tantos anos tendo cada aspecto da sua vida dominado pelo ex, que já não sabia mais as próprias referências."
Com essas agressões se tornando ainda mais frequentes, o marido passa a descontar toda a fúria também no menino, que já tem idade suficiente para querer proteger a mãe. Cansada de tanto abuso, Agatha consegue a grande oportunidade que tanto esperava: uma tia distante deixa como herança, um simples e pequeno sítio, em uma cidade do interior de Minas Gerais.
Decidida a abandonar tudo, a moça foge com o mínimo de coisas possíveis, junto com o filho, para tentar um novo destino.
Ao chegar na pequena cidade, ela é recebida com muito amor pela população e começa a se reerguer, com a ajuda de um casal de idosos muito fofo, mudando completamente sua rotina luxuosa, vendendo queijos para o comércio local e um hotel fazenda famoso na cidade.
É lá que ela conhece Vicente, o dono do hotel, ex-campeão de equitação, que se vê obrigado a abandonar a carreira após uma tragédia, mas que carrega consigo uma grande lição de vida.
"Seu coração, havia muito tempo, estava preparado exclusivamente para lutas e decepções."
A atração entre os dois cresce ao longo do tempo e o amor se torna inevitável. Agatha vê em Vicente um porto seguro, alguém em quem confiar. E Vicente vê em Agatha o amor que ele tanto procurava e promete proteger sua nova família a qualquer custo.
Mas, quando o passado da moça volta para assombrá-la e deixar estragos ainda piores, é que tanto Agatha, quanto Vicente precisam recorrer ao amor e à misericórdia de Deus para então viverem a vida que tanto sonharam.
"A fé é a certeza das coisas que se esperam, e não das que se veem."
Uma história linda sobre superação, onde a fé nos dá força para recomeçar.

site: http://wp.me/p7mYmm-nc
comentários(0)comente



Glaucia @blogmaisquelivros 22/02/2017

Ainda muito jovem Agatha se iludiu com a ideia do primeiro amor e decidiu seguir o coração fugindo com Bruno para o Rio de Janeiro. O problema é que Agatha conhecia os pais e sua atitude os fez deserda-la por conta da reputação arruinada da família. Desamparada, seu único consolo era o fato de ter Bruno, o homem que amava ao seu lado.

No entanto com o passar do tempo Agatha percebeu que sua vida não era um conto de fadas e que o príncipe que lhe enchia de amor e presentes anteriormente era o mesmo homem que a traía com diversas mulheres e lhe agredia física e verbalmente.

Bruno Albuquerque era filho de uma família ambiciosa e importante do Rio de Janeiro, e cresceu com a certeza de que o dinheiro que possuía sempre o manteria acima da lei. Acostumado a ter tudo como e quando queria, o rapaz se entregava aos deleites da vida usando drogas, bebendo, transando e agredindo a esposa sempre que julgasse seu comportamento inadequado.

“Relacionamentos baseados somente em conexão sexual não costumam durar. São quentes e intensos no começo, mas a chama se apaga com a mesma rapidez. Já a amizade e o respeito mútuo, não. Esse tipo de intimidade só se constrói com o tempo, quando deixamos as pessoas serem livres para serem quem são e as aceitamos com seus defeitos.”

Com o passar do tempo e a chegada de Gabriel, filho do casal, as coisas só pioraram. Bruno tinha ciúmes do próprio filho e exigia de Agatha total atenção, mas a gota d’água foi quando as agressões começaram também a ser direcionada ao filho, Agatha não podia suportar ver seu pequeno sofrendo, ela precisava fugir, mas a quem recorrer se a própria família havia negado qualquer contato? A resposta veio através do telefonema de um advogado de tia Dulce, que antes de morrer lhe deixou um casebre caindo aos pedaços. Finalmente Agatha tinha uma chance de libertação.

Sem pensar duas vezes, Agatha foge com o filho para Rio Preto em busca de recomeçar a vida. Chegando à pequena cidade ela conhece o simpático Sr. Pedro e Dona Gema, antigos cuidadores das terras de sua tia. Embora a residência não possua qualquer luxo ao qual esteja acostumada, Agatha sabe que terá o principal: paz.

“Olha, colocar a nossa fé em Deus é como preencher um cheque. Antes disso, precisamos conhecer o saldo, ou seja, tudo o que Deus prometeu para nós. Se esperamos algo que Deus prometeu, então, podemos esperar com certeza.”

Decidida a criar o filho com sossego e não se envolver com outro homem, a moça nem imagina a surpresa que o destino lhe reservara ao conhecer Vicente, o dono da famosa pousada local. Inicialmente o contato entre os dois não é dos melhores, mas com um empurrãozinho da enxerida Dona Gema um relacionamento amigável começa a nascer entre os dois.

Será que Agatha dará uma nova chance ao amor? E será que a influência de Bruno e sua paixão obsessiva permitirá que Agatha e o filho possam ser felizes? Só lendo para saber...

Quando solicitei Sem Olhar Para Trás a Editora Valentina nem imaginei a complexa história por trás desse livro. Presumi que encontraria apenas um romance clichê de uma jovem que queria recomeçar a vida e me enganei redondamente.

A história de Agatha é o retrato da triste realidade de muitas mulheres que desamparadas pela família se permitem viver em uma relação abusiva. Mulheres que são diminuídas pelo próprio parceiro que abalam suas esposas física e emocionalmente, fazendo-as se sentirem inferiores, pequenas e muitas vezes merecedoras de tal sofrimento. Senti-me angustiada ao acompanhar as duras passagens de agressão que a personagem vivia, e como mulher senti sua dor profundamente. Esse é um assunto que afeta a todas nós e que precisa ser falado abertamente para que pessoas que vivem tal situação possam encontrar forças para se libertar.

Em meio a toda essa aflição, a autora enfatizou a importância da fé, introduzindo versículos bíblicos e parábolas que encaixaram tão bem com a situação de Agatha que foi impossível não me emocionar, eu realmente não esperava por isso no enredo.

Sem olhas para trás foi meu primeiro contato com a escrita da Lycia Barros e só posso elogiar a autora pela trama tão real e emocionante focada em um assunto tão importante em nossa sociedade.

Um ponto interessante na história foi a construção dos personagens que exalavam sentimentos e personalidade. Eu me encantei por cada um, Vicente é o verdadeiro homem protetor que transmite a segurança que Agatha jamais conheceu enquanto esteve com Bruno, Gabriel com toda a sua inocência nos desperta aquele sentimento maternal de zelo, foi maravilhoso acompanhar sua jornada de horror para libertação junto a mãe. Mas tenho que dizer que Sr. Pedro e Dona Gema ganharam meu coração pela bondade e pelo coração grande que somente avós possuem. Foi reconfortante a presença desses dois durante a história.

Sem olhar para trás foi um livro que me surpreendeu, me fez refletir e acreditar que Deus está sempre olhando por nós, por maior que seja o nosso sofrimento ou a nossa luta. Às vezes perdemos tanto tempo pensando no tamanho da nossa própria dor que não percebemos que temos a força necessária para enfrentar a situação, basta ter fé e força de vontade.

Para quem ainda não conhece a escrita da autora ou desejo conhecer uma bela história de fé, amor e superação, esse livro é mais do que indicado.


site: http://www.maisquelivros.com/2017/02/resenha-sem-olhar-para-tras-lycia-barros.html
comentários(0)comente



Izamacharette 22/02/2017

Espetacular
O livro conta a história de Agatha que pagou caro por um erro cometido no passado, então um dia quando ela recebe uma herança ela vai em.busca da felicidade e lá encontra uma vida maravilhosa e pessoas maravilhosas incluindo Vicente, ela descobre um lado da vida q até então não sabia que existia aprende dotes culinários a cuidar de uma casa sozinha. Esta Féliz,mas,como sempre, quando a felicidade batera nossa porta, os problemas batem em seguida. Seu ex marido acha os dois e os leva de volta e novamente Amanhã está nas mãos de seu agressor. Maas Deus em sua infinita bondade entra novamente na vida deles, e depois de uma conversa com o Pastor da Igreja da cidade Vicente se transforma em outra pessoa mas sereno, mais confiante e espera em Deus a resposta, e, apesar de Agatha ter sofrido mais nas mãos do ex, dessa vez ela confiou em Deus se lembrou dele, e ele também se lembrou dela e no momento certo quando ela achou que só restaria a morte para ela, Deus no momento certo entrou com providência e, ela foi salva e o monstro foi pro seu devido lugar, ela até teve um momento de fraqueza e pensou por um instante em fazer algo pelo qual se arrependeria pro resto de sua vida mas Deus não permitiu e no fim cada um teve o final que mereceu e ela pode novamente recomeçar sua vida da maneira mais correta possível, debaixo da bênção de Deus e, se perdoou de tudo aquilo que ela tinha feito no passado. Afinal Deus nos deu o livre arbítrio, coisa ruins conhecem muitas vezes para nos aproximar-mos mais dele. E pessoas boas e honestas também erram, todos somos passíveis de um erro na vida não somos perfeitos, só não podemos e continuar no mesmo erro pra sempre. E assim como a mulher de Ló, não devemos jamais olhar para trás.
comentários(0)comente



Polly 21/02/2017

Superação
"O preço de se ter tudo é não ter com o que sonhar."
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Agatha saiu de casa brigada com os pais para viver seu grande amor, ao lado do homem do seus sonhos, porém com o tempo, o conto de fadas virou história de terror, seu príncipe virou um homem ciumento, possessivo e extremamente violento.
Quando a agressão começou a respingar no filho, Agatha viu uma luz no fim do túnel, uma herança inesperada de uma tia distante, um sítio em uma pequena cidade, um recomeço, longe de tudo.
No entanto tudo teria que ser feito em sigilo, pois a família do marido era muito rica e influente, um passo em falso e eles a destruiriam.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Nessa nova vida Agatha precisa aprender muitas coisas e a principal delas é a de voltar a confiar nas pessoas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Com muita sutileza, a Lycia conseguiu contar uma história com um tema pesado.
A violência doméstica apresentada aqui abre nossos olhos para uma realidade, que muitas vezes acontece do nosso lado sem sabermos.
Quantas mulheres são agredidas pelo marido e ainda obrigadas a manter a fachada, seja por status ou por medo?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Além das agressões, Agatha sofreu abusos psicológicos, chantagens emocionais e um cárcere privado, ela estava amarrada a um monstro sem muitas opções de fuga, a opressão, a brutalidade e o terror emocional salta das páginas e nos sacode pra uma situação triste, mas real.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Lycia dosou muito bem todos os sentimentos envolvidos e nos presenteou com um amadurecimento lento e difícil da personagem, mas perceptível ao leitor.
Não poderia deixar de citar os personagens secundários que foram muito bem construídos e deram ao livro um brilho a mais, sem contar a narrativa envolvente e direta, que na minha opinião foi um ponto forte no livro.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Nota: 4/5 ⭐️

site: https://www.instagram.com/estantedapolly/?hl=pt-br
comentários(0)comente



ELB 31/01/2017

Every Little Book
Por um impulso comum a uma jovem apaixonada, Agatha abandonou a faculdade, a casa dos pais e tudo que lhe era familiar para viver um sonho de amor com Bruno, um jovem charmoso que a conquistou com gestos românticos, um jeito sedutor e promessas de felicidade amorosa.

Mas seu sonho se tornou um terrível pesadelo quando, quem ela pensou ser um príncipe, revelou-se um monstro cruel e dominador, que a fez viver longos anos sofrendo violência física e psicológica, forçando-a a deixar de ser uma jovem alegre e cheia de esperanças para se tornar uma sombra de si mesma, sob o julgo do medo.

Quando recebe uma herança inesperada, ela vê a oportunidade de se livrar daquele inferno. Assim, parte junto com o filho para outro estado, disposta a ter uma vida livre da violência que passou a ser constante em sua vida.

Em Rio Preto, onde Agatha encontra refúgio no pequeno sítio herdado, ela não se depara somente com os desafios de viver por conta própria, já que em toda sua vida teve os privilégios que o dinheiro proporciona; ela também encontra Vicente, alguém que acaba por lhe despertar uma atração inesperada.

Vicente é um ex-campeão de hipismo que possui uma pousada ao lado do sítio de Agatha. Taciturno, não procura se envolver com alguém, principalmente com uma completa desconhecida que surgiu inesperadamente na região.

Porém, com a interferência da sua cozinheira adoravelmente intrometida e através da amizade com Gabriel, o filho de Agatha, os dois acabam se aproximando e se envolvendo amorosamente. Os dois se entregam a essa atração intensa, apesar dos temores que ambos possuem. O que há entre os dois acaba evoluindo para algo mais forte, e mesmo com os receios que permeiam essa relação, eles tentam buscar a felicidade juntos.

(...) A minha vida também andava cinza antes de eu te conhecer. Meu coração estava vazio. Eu sentia saudades de você antes mesmo de tê-la encontrado.

No entanto, um pesadelo ainda permeia a mente de Agatha: que seu ex-marido descubra onde estão e destrua a paz recentemente conquistada. E esse pesadelo se materializa de forma violenta, trazendo a realidade de um futuro incerto, onde só a fé em uma força maior pode trazer o consolo e a esperança de tudo dar certo.



Bem, vou tentar colocar de forma clara minhas impressões sobre esse livro:

Primeiramente, quando vi que tinha um certo cunho religioso, fiquei um tanto receosa de ler. Não que eu seja cética sobre o valor que a fé tem na vida das pessoas e como isso as impulsiona; meu receio foi justamente pelo fato de que, quando penso em algo traumático, que oprime a pessoa por longos anos, além da fé, tem que haver também uma força interior para que se saia de determinada situação ou condição.

Mas, ao longo do livro, o cunho religioso é mínimo, pode-se dizer assim. Da forma que acredito que a autora quis trabalhar, não foi bem desenvolvido. Praticamente foi uma citação, uma alternativa para suportar um momento angustiante. Pelo menos foi essa a impressão que tive, mesmo citando mais adiante o envolvimento do casal na vida religiosa.

O segundo ponto que devo mencionar aqui, é sobre o envolvimento do casal, Vicente e Agatha. Eu esperava que os sentimentos fossem mais explorados, no entanto, tudo aconteceu de uma forma bem rápida, mal deu tempo de eu, como leitora, me envolver com eles, torcer imensamente pelo final feliz. Posso estar sendo chata com relação a isso, mas fiquei imaginando até que ponto Agatha realmente amava Vicente, ou se ele foi apenas alguém com quem ela descobriu o consolo e uma forma de amor mais carinhosa dedicada a ela.

Como o envolvimento dos dois acontece muito rápido no livro, senti falta de como os sentimentos deveriam ser trabalhados, a confiança ser construída, afinal, ela saiu de um relacionamento traumático. Creio que isso seria necessário para que o leitor se envolvesse mais com os personagens.

Enfim, para quem curte aquelas histórias ideais para passar o tempo, tipo sessão da tarde, é uma boa indicação.

site: http://www.everylittlebook.com.br/2016/09/resenha-sem-olhar-para-tras-lycia-barros.html
comentários(0)comente



Atitude Literária 31/01/2017

Uma leitura atual e reflexiva
É preciso falar sobre violência doméstica e suas consequências. Dar voz a essa luta silenciosa e cruel que aflige milhares de mulheres pelo mundo. É preciso se colocar no lugar, não apenas com os olhos julgadores que se enganam, mas com empatia, compreendendo de fato o que torna essa batalha tão árdua e por diversas vezes frustrada. Não se trata apenas de se calar, de omitir a verdade, de se enganar e arrumar desculpas. Não se trata apenas de se conformar, ser fraca. É muito mais complexo e intenso.

Agatha está presa em um relacionamento abusivo. Seu marido é um homem cruel, violento, possessivo, ciumento, que faz de tudo para oprimi-la, humilhá-la e menosprezá-la, tudo isso em nome de um amor doentio e egoísta. Ela era muito jovem quando se envolveu com Bruno, ingênua, se deslumbrou com sua aparência e promessas, porém nada foi como ela imaginou e o conto de fadas se tornou um pesadelo. Anos de repressão, a tornaram uma mulher vulnerável, fragilizada, que aguenta até onde pode, o que muda assim que o alvo dos ataques passa a ser seu filho, e ela se vê obrigada a tomar uma atitude.

Recomeçar nunca é fácil e acredito que Agatha só teve força e ousadia para isso, quando sentiu que de fato seu filho estava ameaçado. Ela está cheia de culpa, medos, inseguranças o que é totalmente aceitável diante das circunstâncias e sua pouca fé nos humanos passa por uma transformação ao se deparar com pessoas generosas e de bom coração. É notório o crescimento da personagem e as mudanças que ela sofre ao longo da trama, é como acompanhar o desabrochar de uma flor, descobrindo as coras da vida e o quanto se pode ser feliz. Porém, nada é simples na sua caminhada e o passado pode estar mais perto do que ela imagina, espreitando-a, aguardando o momento exato de atacar.

“Meu coração estava vazio. Eu sentia saudades de você antes mesmo de tê-la encontrado”.

SEM OLHAR PARA TRÁS é um belo drama sobre superação. Sobre se tornar dona de si mesma e da vida, sobre acreditar na própria força e lutar por aquilo que se ama. É sobre levantar a cabeça, encarar o mundo de peito aberto e não aceitar que a tratem com menos do que você de fato merece. É sobre não ter medo, não se anular, não permitir que te tornem um ser vulnerável e inseguro. É um grito de socorro, para que possamos olhar com mais atenção as pessoas a nossa volta e ter a certeza de que uma vítima de VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, precisa de ajuda.

"-Acho que já está na hora de virarmos essa página. - Antes eu virava a página, agora eu queimo o livro todo. Ela ameaçou ir embora mas Vicente a segurou pelo pulso. - Este você não vai queimar. - Só se eu tiver uma boa razão. Convença-me. "

De modo geral eu amei o enredo, as reflexões e o modo como o tema central foi abordado. O romance aqui ficou em segundo plano, porém foi bem trabalhado. Os personagens secundários foram bem construídos e desempenharam papeis significativos e marcantes. A abordagem “religiosa” foi sutil e eu confesso que estava esperando por um enredo mais focado nisso. O que me incomodou na história foi a rapidez dos acontecimentos, senti falta de aprofundamento em alguns momentos e terminei a leitura com a sensação de que algo ficou em aberto. Porém, mesmo com esses apontamentos eu recomendo sim a leitura, para todos aqueles que estão em busca de um livro reflexivo.

site: http://www.atitudeliteraria.com.br/2017/01/resenha-sem-olhar-para-tras-lycia.html#.WJEJ0PkrLIU
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



dayukie 29/10/2016

"Sem Olhar Para Trás é um livro simplesmente incrível, que me fez amar, odiar, sorrir e chorar. Acendeu a esperança depois de apresentar um problema tão comum, mas tão polêmico que existe praticamente desde sempre na história da humanidade.
Muitos livros abordam o tema agressão a mulher, mas até então não tinha lido um livro que abordasse tão profundamente o tema como este. Agressão a mulher, o medo de denunciar, a fuga em busca de algo melhor e as consequências que viver constantemente com a agressão traz as vítimas, são pontos que você irá encontrar neste livro de uma forma intensa e delicada. "

Leia a resenha completa no blog. ;)

site: https://goo.gl/wVV2KR
Hosanita 23/04/2017minha estante
undefined




Maravilhosas Descobertas 14/09/2016

SEM OLHAR PARA TRÁS, DE LYCIA BARROS
Sem Olhar Para Trás, o mais novo livro da autora nacional Lycia Barros, vai nos mostrar que nunca é tarde para tomar coragem e deixar para trás todos os erros cometidos. Porque cometer erros é normal, faz parte da vida, mas permanecer com eles, mesmo com todas as adversidades, é uma questão de escolha.

Agatha já sofreu de mais nas mãos de um marido machista e violento, que acha que pode e é dono de tudo e de todos. Com a vida cercada de medos, o destino dá uma oportunidade a Agatha e ela a agarra com unhas e dentes para proteger, principalmente, aquilo que ela tanto ama; seu filho. Sendo assim, resolve sair da casa do marido às escondidas e se mudar para uma cidade do interior.

Existem coisas que ficam marcadas, e mesmo os dias passando, elas nunca saem de você. Agatha, mesmo ainda cheia de incertezas tenta levar a vida de uma forma normal, sempre com o passado aparecendo em cada instante do seu dia à dia. Mas ela não contava que nesse lugar iria ter tantas pessoas maravilhosas para cruzar o seu caminho.

Um fazendeiro dono de pousada lindo que esconde um passado, um velha intrometida e um senhor sempre pronto para ajudar. Mostrando sempre mensagens de superação e amor, a história que Lycia conta é de uma simplicidade magnífica que te deixa de coração dormente de tanto bater.

A autora conseguiu colocar personagens marcantes, que tem a presença de danos profundos em seu interior e exterior, para se envolverem lindamente. Agatha é a personificação de uma mulher que, mesmo sofrendo por conta de seu marido, acha que o erro, desde o início, é dela. De suas escolhas e atitudes. Vemos isso constantemente no livro de uma forma simples e permanente.


E a forma como Lycia representa Deus é ainda mais singela. Quando li a sinopse achei que seria um livro com muito mais passagens sobre Deus, mas me enganei. Não posso dizer que senti falta, pois vi representatividade em diversos momentos depois que terminei de ler. Então a forma abordada, para mim, foi a ideal.

Um livro que emana amor e superação. Você não pode, nem deve, não arriscar de lê-lo!

site: http://www.maravilhosasdescobertas.com.br/2016/09/SemOlharParaTrasLyciaBarros.html
comentários(0)comente



Nathy 13/09/2016

Sem Olhar para Trás – Lycia Barros – #Resenha
Eu gosto dos livros da Lycia justamente porque abordam Deus de uma forma mais leve. Tem todo um romance, mas o trabalhar Deus também está presente. Então logo fiquei empolgada pelo livro. Ele atingiu as minhas expectativas. Apesar de ter tido alguns pontos das quais não gostei. Ela ainda abordou um tema bem evidente. A violência que a mulher sofre e ainda acredita ter culpa nisso. Ela conseguiu trabalhar muito bem o tema. Apesar de ter sido de uma forma rápida. Conseguiu transmitir a mensagem.

Sem Olhar para Trás conta a história de Agatha. Uma mulher que sofreu diversos abusos nas mãos de seu marido. Ele é um homem que acredita que pode tudo no mundo. E que não está errado em seus atos. Que uma mulher pede aquilo que recebe. Agatha aguenta até onde pode. Quando ele se volta contra seu filho ela percebe que tem que tomar uma atitude. Que se continuar daquele modo irá colocar a vida do filho em perigo. Seu filho é a pessoa que mais ama e faria qualquer coisa por ele. Não importando se irá colocar ou não sua vida em perigo. Mas, ao chegar em uma nova cidade percebe que não está sozinha. Que essa não é uma luta que irá combater sozinha.

A narrativa é terceira pessoa. O foco muda entre os diversos personagens. Particularmente gosto mais quando foca nos principais. Porque fico mais envolvida em suas histórias. Mas, gosto do modo que a Lycia instiga a querer saber mais sobre os demais. Sobre porque estão tristes daquele jeito. Ou o que houve no seu passado. O modo de escrita dela é muito bom. Quando menos espera finalizou o livro. E fica aquela sensação de querer outros.

Ao pensar no significado da palavra, os olhos da Agatha começaram a arder.

A Agatha me surpreendeu no livro. Ela começa de um modo fragilizado. Uma mulher cheia de medos e receios. Algo que é justificável. Porém, começa a ter uma mudança sutil ao longo do livro. Criando uma mulher forte e firme. Com liberdade em suas escolhas. Que não abaixa a cabeça diante da vontade de um homem. Ainda estou me decidindo se gostei dela ou não. Porque algumas de suas decisões eu não consegui entender. Queria que tivesse tido força muito antes. Mas, ela acabou indo no tempo certo. Apenas penso que tudo acabou sendo muito rápido perto do final. Como se não pudesse explorar as demais partes. Me incomodou um pouco esse fato. Mas, Agatha é uma excelente mãe. E uma mulher muito forte.

Continue lendo a resenha no link abaixo:

site: http://www.oblogdamari.com/2016/08/sem-olhar-para-tras-lycia-barros-resenha.html
comentários(0)comente



Kennia Santos | @LendoDePijamas 08/09/2016

"Se não pode lidar com meu barulho, não mexa com meu silêncio.."
Agatha tem 28 anos, e, até então, vive aos pedaços.
Nativa de Juiz de fora, em Minas Gerais, logo cedo, aos 19 anos abandonou a casa de seus pais para ir viver uma aventura de amor: ela conhece Bruno, um carioca lindo e irresistível, e não pensa duas vezes quando recebe a oferta de ir viver com ele no Rio, muito apaixonada, porém cega. Em consequência, seus pais, muito religiosos, nunca mais lhe redigiram a palavra direito, foi taxada de ingrata até o fim da vida de ambos.
Porém, um tempo após sua nova vida começar no Rio, ela descobre que nem tudo são flores, e o que é aparentemente lindo, pode calhar a ser pútrido internamente: Bruno Albuquerque se mostra não somente ciumento, mas obsessivo e violento, controlando cada passo de Agatha, batendo nela quando um simples olhar não direcionado a ele ocorre, forçando-a a ser socialmente uma esposa troféu, pois os Albuquerque são uma família de grande renome no Rio devido ao seu grande patrimônio... mas entre quatro paredes ela se torna o saco de pancadas dele.
Quando eles têm um filho, o pequeno Gabriel, ao invés de as coisas melhorarem, elas pioram: Bruno sente ciúme do próprio filho. ISSO MESMO, VOCÊ LEU CERTO. Do próprio filho. Se sente negligenciado da atenção de sua "amada esposa" e logo começa a se irritar muito com a presença da criança. As coisas ultrapassam o limite quando Bruno agride Gabriel, e, para o bem de seu filho, Agatha sente que precisa tomar uma atitude, mas encontra-se de mãos atadas.
É quando um "milagre" acontece.
Agatha recebe uma ligação informando que, recentemente, sua tia Dulce, com quem ela havia perdido contato há anos faleceu, e, deixou seu pequeno sítio e seu gado para a sobrinha. Sem pensar duas vezes, Agatha aproveita o momento oportuno para cancelar todos os vínculos com seu marido e fugir com Gabriel.
Quando chega na cidadezinha de Rio Preto, ela encontra uma casa acabada: além de ultrapassada, está suja, com bolores, mofos e insetos. Sem falar que é incomparável ao luxo extremo no qual ela vivia no Rio. Mas só de lembra disso, Agatha sente arrepios. Então ela começa a se virar sozinha da melhor forma que pode, para sua integridade e a de seu menino. Logo ela recebe auxílio do velho fazendeiro Pedro e sua esposa, Gema, que auxiliam e apoiam Agatha em tudo, simplesmente por boa vontade, e ela fica espantada ao descobrir que pessoas assim ainda existem.
Ali perto, onde dona Gema trabalha, ela conhece Vicente, um jovem do interior que a princípio se mostra um tanto ríspido e cauteloso, mas aos poucos vão caindo os receios e ele se mostra protetor, corajoso, sincero e carinhoso... e claro, muito, mas muito bonito, coisas que ela deixou de acreditar que ainda existiam em homens.
Logo, os dois descobrem uma conexão profunda e intensa, e tentam lutar contra, mas os instintos falam mais alto e acabam se entregando. Até mesmo Gabriel, passa a tratar Vicente de forma absolutamente carismática e encantadora. Logo Agatha se vê feliz e acolhida, em um local totalmente escasso de luxo, mas cheio de sentimentos e autenticidade.
Mas é claro que, o influente, psicopata-obsessivo Bruno Albuquerque não iria deixar isso barato, então, junto com toda sua fúria, dinheiro e loucura, já trama uma vingança sangrenta para todos os envolvidos.
Será o laço entre Agatha, Vicente e Gabriel, suficiente para vencer a violência e o ódio?

Lycia Barros mais uma vez encantando com sua escrita, personagens principais e secundários perfeitamente construídos, e um desfecho relativamente justo e maravilhoso.
Eu esperava bem mais aspectos religiosos envolvidos, assim como em "A bandeja", mas não faz mal, o livro é ótimo mesmo assim, e fonte de inspiração e coragem para quem vive ou já viveu em situações semelhantes.

"Antes eu virava a página, agora eu queimo o livro todo..."
Fran 09/09/2016minha estante
Adorei a resenha!


Jeizy 09/09/2016minha estante
menina =O "Antes eu virava a página, agora eu queimo o livro todo..."


Érica | @aquelacomlivros 12/09/2016minha estante
Nossa, amei! Quero ler!


Kennia Santos | @LendoDePijamas 12/09/2016minha estante
Leiam gente, vale muito muito a pena, a Lycia arrasa < 33




Priscilla 02/09/2016

Sensacional
Sou fã da autora e mais uma vez não me decepcionei com a história pelo contrario terminei o livro com o coração leve e com a minha fé renovada.

Agatha é uma mulher de 28 anos que é obrigada a recomeçar a vida em um sitio longe da civilização apenas com o seu filho Gabriel de 9 anos,depois de anos vivendo em um casamento doente ela toma um fôlego e foge do marido violento.

A coragem e a resiliência da personagem principal me deixou surpresa, nessa nova vida ela acaba conhecendo alguns anjos que podem ser chamados de amigos como o caseiro do sitio o Seu Pedro e a esposa dele a Senhora Gema que é uma velhinha porreta e muito engraçada.

Também conhece Vicente o dono da pousada ao lado que acaba encantando mãe e filho, mas os dois tem feridas enormes e a história mostra que além do amor os dois precisam de fé para restaurar suas vidas, como sempre os livros da Lycia passam mensagens de fé de uma maneira sutil sem se tratar de um livro religioso.

“-Tenha fé. – Marcos tocou seu ombro. – A fé é a certeza das coisas que se esperam, não das que se veem. ”

Mas vocês precisam ler o livro para conhecer do que Vicente se esconde e quais são suas feridas além de apreciar uma história tão tocante.

Os personagens secundários são um espetáculo a parte todos muito encantadores , Gabriel com sua inocência e Dona Gema são um show a parte.

"As vezes, Deus permite que as pessoas passem por certas provações porque quer algo delas, ou então quer fazer algo com elas."

Recomendo muito a leitura,foi um livro que deixou meu coração muito apertado durante a leitura e que acabou aliviando a minha alma depois.



site: http://www.cafecomenergeticoelivros.com.br/
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2