O navio das noivas

O navio das noivas Jojo Moyes




Resenhas - O navio das noivas


54 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


nicolasfg 21/11/2017

Uma surpresa
Primeiro livro lido por mim de Moyes e sinceramente, me surpreendi! O início da história deixou a desejar, salvado apenas com a narrativa dos sentimentos de Margaret que foram tão bem elaborados para que nós leitores sejamos capazes de nos identificar e passar a nos adaptar com a personagem. Na metade, pensei até mesmo em abandonar, mas a história de Frances me prendeu e que bom que eu não o abandonei! Um livro que me deixou feliz com seu final e me enganou quando pensei que seria apenas uma história de mulheres submissas aos seus maridos. Retrato lindo e real de relações femininas.
comentários(0)comente



Gabriely 30/10/2017

Destino e Amor
Eu comecei a ler umas três vezes, antes de realmente começar a ler. No começo não me prendeu nenhuma atencão, até questionava a necessidade de escrever um livro sobre mulheres dentro de um navio indo ao encontro de seus maridos. Logo o livro te cativa e te transmite confiança, se torna bom, muito bom, maravilhoso. Um livro sobre mulheres, 600 mulheres que deixaram suas vidas, suas familias e sua casa para um novo começo, para viver seus amores em um lugar desconhecido, um livro baseado em amor, confiança e coragem. O navio das noivas foca em Margaret, do interior, grávida é muito amorosa e companheira, única mulher entre seus irmãos homens e seu pai. Jean, adolescente animada e despreocupada. Avice, da alta sociedade que se preocupa com sua classe social e a aparência. Francês, enfermeira que cuidava de soldados pós batalha, recatada e discreta até demais. Elas logo criam um laço entre sí, e se mostram com grandes personalidades. Mesmo que algumas sejam difíceis de mostram interesse.
Um livro sobre amor, confiança, coragem e amizade. Um livro que nos compartilha a angústia e ansiedade, em estar no meio do nada ao encontro de seu futuro caminho, amor mesmo que pareça improvável, o sentimentos em diferente lados e com forças incríveis, coragem, curiosidade, entre outras mil emoções. Mulheres que deixaram tudo pra trás em busca de amor e o começo da vida que escolheram. Mulheres preocupadas e ansiosas, que nos torna muito mais ansiosos. Uma história determinada e atrativa.
comentários(0)comente



infinitivo 07/10/2017

[Resenha Curta] Por INFINITIVO
Comprei pensando nas maravilhosas histórias da Jojo e estava certa ao apostar que ele seria emocionante. Me perdi um pouco no meio do livro pois achei que havia muita enrolação, porém, me surpreendi com o final, que me fez rir e chorar. Jojo mais uma vez explorou a amizade feminina, além de nos trazer mais um conto sobre a realidade da guerra, o que me deixou fascinada.
comentários(0)comente



Sueli Passos 22/09/2017

O navio das noivas chatas
Livro muuuito chato, arrastado e cansativo. Não consegui simpatizar com nenhum personagem. É o primeiro que leio da Dona Jojo e só terminei porque não gosto de abandonar a leitura. Tenho mais um na estante. Espero que seja melhor que esse.
comentários(0)comente



Ilma 07/09/2017

Precioso
O navio das noivas é um livro magnífico. Vamos contar um pouquinho sobre a narrativa.
O navio das noivas conta a história de quatro mulheres australianas corajosas que embarcam no HMS Victória, um porta aviões junto com mais de 600 mulheres e toda tripulação do navio para reencontrar seus maridos após o fim da Segunda Guerra prontas para uma nova vida, um novo mundo. Cada uma com sua história peculiar, anseios e medos longe de casa acaba descobrindo umas nas outras uma companheira e surgem novas amizades. Surge também um amor inesperado para acelerar os corações de leitores apaixonados. Este livro é um convite para você cruzar o oceano abordo do Victória e amar ou odiar suas passageiras (os).
comentários(0)comente



@saoribooks 27/08/2017

#ResenhaDaSaori
Depois da Segunda Guerra Mundial, algumas mulheres que tiveram seus maridos longe de si, começaram a querer revê-los. Então, mais de 600 mulheres embarcam no navio HMS Victoria para reencontrá-los. No meio dessas mulheres, estao Margaret, Avice, Jean, e Frances, quatro mulheres corajosas que foram tiradas de seus maridos.
Agora no navio, dividindo a mesma cabine, elas vão enfrentar milhares de dificuldades, e mesmo em meio a tantas diferenças, vão acabar essa aventura com o melhor desfecho possível.
Eu AMEIIII esse livro! Ele é super engraçado, com as quatro personagens, cada um diferente da outra... Jojo Moyes lacrou nesse livro, e guardem o que vou lhes dizer: essa obra maravilhosa deveria ter muito mais destaque do que já tem!
Thiago 25/09/2017minha estante
undefined




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cheli 09/08/2017

Muuuito bom...
Amo quando alterna passado e presente, quando se trata de guerras e histórias reais.
Como sempre Jojo não decepciona, o começo é meio lento, mas vai fluindo e vai ficando cada vez melhor... sou meio suspeita pra falar porque Jojo é minha autora preferida, minha diva, amei o livro, super recomendo!
comentários(0)comente



Lenah 18/07/2017

Arrastadíssimo
Embora a narrativa seja bonita em sua essência, achei a história cansativa e cheia de cenas desnecessárias. As primeiras 100 páginas fluíram bem pra mim, mas depois disso, chegar ao final tá sendo bem difícil.
comentários(0)comente



Luciana Souto de Oliveira 06/07/2017

Cerca de seiscentas mulheres enfrentam uma viagem de seis semanas, da Austrália até a Inglaterra, em um navio porta-aviões, o HMS Victorius, no ano de 1946, a fim de reencontrar os seus maridos, oficiais ingleses em serviço no exterior, após a guerra.

A narrativa gira em torno da vida de quatro dessas mulheres: Margareth, Frances, Avice e Jean, que viajaram na mesma cabine e, por isso, precisaram conviver durante todo o percurso, compartilhando muitos segredos e enfrentando os percalços que porventura pudessem existir durante o tempo em que passaram juntas.

Uma das grandes expectativas da viagem são as cartas e telegramas que as esposas recebem de seus maridos e o maior medo de cada uma delas é que nessas correspondências exista a frase ?Você não é bem-vinda. Não venha?. Talvez alguma delas tenha recebido um telegrama assim... Caso a esposa não fosse bem-vinda, teria que descer no próximo porto e voltar para a Austrália. De cortar o coração...

No decorrer do livro, o leitor passa a conhecer cada uma dessas quatro mulheres e, ao final, já está íntimo de cada uma delas, amando umas e, talvez, odiando alguma delas.

Uma avó que aparece no início do livro, nos dias atuais, é uma daquelas quatro protagonistas. Passamos o livro todo pensando em quem ela pode ser e eu, particularmente, errei, mas adorei o final que a ela foi atribuído.

Tive uma certa dificuldade com a leitura. Achei-a arrastada e, para mim, o livro ficou bom mesmo nas últimas setenta páginas. Há partes com longas descrições que achei desnecessárias, mas, gostei do desfecho da história. A autora deixou claro qual o destino de cada uma das personagens principais e eu adoro quando isso acontece em um livro, tudo fica devidamente explicado.

Um livro que retrata sentimentos como amor, amizade, decepção e perdão na vida das personagens principais, fazendo com que o leitor torça por cada uma delas, que, com suas particularidades, conquistam os nossos corações.
comentários(0)comente



Carol 05/07/2017

Não é que eu esperava mais, esperava que fosse menos cansativo...
"Porque não há garantias, certo? Nada prova que esses homens e suas famílias vão nos aceitar, não é mesmo?"

No prólogo estamos na Índia em 2002, onde uma avó passeia com a sua neta e reconhece o navio Victoria que marcou a sua vida há tantos anos atras...

Na Austrália em 1946, com o fim da Segunda Guerra Mundial, um navio repleto de mulheres que irão encontrar seus maridos parte para Inglaterra afim de trazer o amor após tanta destruição e também o esquecimento de tudo o que aconteceu.
Nesse navio repleto de noivas conhecemos as nossas quatro protagonistas: Margaret, gravidinha mais linda que sente muito a falta da família, Frances uma enfermeira que possui um misterioso passado, Jean que é uma adolescente totalmente fora da casinha e por último Avice, que é chata, mimada chata, rica, chata, mesquinha, chata, cheia de caprichos e chata.
Durante essas seis semanas de viagens amizades se formarão, destinos irão se cruzar, várias coisas acontecerão, muitos segredos serão expostos e você sempre irá se questionar: qual delas é a senhora do prólogo?

Tive muitas dificuldades para ler o livro "O navio das noivas" por diversos motivos, mas o principal foi a narrativa arrastada. Já estamos acostumadas com a escrita descritiva de Jojo Moyes e eu adoro isso, mas nesse livro não rolou, as coisas só começam a melhor na página 230.
A história é inspirada em fatos reais e fala sobre uma época na história que me interessa muito, por esse motivo foi uma leitura válida, porém foi muito cansativo e por isso não irei reler esse livro que, dentre as obras que já li da autora, foi o que eu menos gostei. Fui no skoob, li diversas resenhas e são todas positivas, estou me sentindo um E.T, mas não irei mentir pra vocês, pra mim o livro só ficou bom no final.
Me emocionei em algumas revelações, adorei Margaret e achei bonita a lição que o final do livro nos traz sobre ir atrás do que você tanta sonha e da importância do amor, por ele tudo vale a pena.

site: www.nossaressacaliteraria.com.br
Leandra-@meumundobaguncado 05/07/2017minha estante
Por essa narrativa arrastada não consegui ler o livro! está abandonado aqui na minha estante, quem sabe um dia eu tente novamente, por agora não dá pra mim! acho que também sou uma E.T!! kkkk


Lay 05/07/2017minha estante
Acho a escrita dessa autora difícil de engolir.....


Roberta Liboni 28/07/2017minha estante
Tb tive muita dificuldade em ler. Gosto demais da Nojo, mas este livro foi bem cansativo. Só me empolgou nos capítulos finais.


Amanda 14/09/2017minha estante
Não se sinta um E.T, eu também reclamei disso enquanto lia o livro. Levei 26 dias, mas continuei mesmo pela Frances e pela Margaret. Hahahahaha




cris.leal.12 26/06/2017

Baseada em fatos reais...
Em "O Navio das Noivas", de Jojo Moyes, acompanhamos a viagem de quatro noivas da Austrália para a Inglaterra, onde se reencontrarão com os militares com quem se casaram durante a guerra.

As noivas em questão são: Margaret, uma moça do interior, grávida, cuja a vida até então se resumia a cuidar do pai e dos irmãos. Avice, moça da alta sociedade, escrava das aparências. Jean, uma adolescente inconsequente, que só pensa em se divertir. Frances, uma enfermeira discreta que, claramente, guarda um grande segredo. As quatro moças dividem não só uma pequena cabine no navio, mas também suas expectativas e medos. Ao longo da viagem amizades se estreitam, mistérios são revelados, alguns relacionamentos terminam, outros começam e destinos são mudados.

A história baseia-se em fatos reais. Foi apoiada nas lembranças da avó e em farto material de pesquisa, que Jojo Moyes escreveu "O Navio das Noivas", lançando um luz sobre as mulheres da época do pós-guerra, período em que elas estavam, em sua maioria, restritas ao ambiente doméstico. No entanto, algumas delas mantiveram-se fiéis a promessa que fizeram aos seus homens e em nome do amor, não mediram esforços para chegar até eles bem longe de casa.

Recomendo a leitura.

site: http://www.newsdacris.com.br/2016/08/eu-li-o-navio-das-noivas.html
comentários(0)comente



Nath 14/06/2017

Envolvente e degustativo
Se tem uma coisa que a Jojo Moyes é, é uma grande narradora de detalhes. E nesse livro ela caprichou. Não vou me prender em falar muito sobre a história em si, pois quem leu sabe o desfecho (lindo, por sinal. Simples, mas interessantíssimo).

Quem não está preparado para uma narrativa cheia dos detalhes de uma longa viagem em alto-mar, nem leia esse livro. Levei 15 dias para lê-lo, mas não foi por achá-lo maçante, o que ele não é. Apenas por saber que com tantos detalhes, esse livro devesse ser lido devagar, como se, ao longo dos dias de leitura, você também estivesse vivenciando a experiência pelas correntezas dos oceanos. Se tentar ler muito rápido, talvez realmente ache o livro parado, pois ele não vai dar a fluidez que seu ritmo frenético exige.

Amo a Jojo do fundo de my heart, e as 4,5 é apenas por não saber ao certo o que se sucedeu com umas das personagens que some no meio do livro. Mesmo que a autora quisesse dar um fim cruel a ela, poderia ter relatado mais a vida pós ser expulsa do navio. Acho que pesou um pouco na narrativa, pois o livro se comprometeu a contar a história de quatro protagonistas e só terminamos com três...

Ah...! Descobrir quem é a senhorinha no final me deixou emocionada. ?

Mas é isso aí! O livro é lindo e para quem gosta de histórias ambientadas em períodos de guerra ou pós-guerra mundial, esse é uma ótima opção.
comentários(0)comente



Marcela @ler_sim_ler_sempre 10/06/2017

Totalmente envolvente
@ler_sim_ler_sempre

🔹Acabou a guerra. Hora dos homens que prestaram serviço ao seu país voltarem pra casa. E para que a felicidade seja completa, o velho navio porta aviões Victorius tem como ultima missão levar as mais de 600 mulheres da Australia para Inglaterra para encontrarem seus maridos. E ali formarem seu novo lar.
.
.

E entre essas tantas mulheres, acompanhamos a vida de 4 delas em particular. Que irão dividir a mesma cabine, com suas dúvidas, seu passado, seus preconceitos e sonhos.
Fora que nessas 6 interminaveis semanas , essas pessoas criarão uma nova rotina e novos dramas.
.
.

Um livro com uma narrativa envolvente, que Jojo vai incluindo personagens e mais personagens na trama. Que a principio você fica confusa e acha que vai da “merda”, mas aos poucos vai se tornando intimo deles também. Torcendo ardentemente para uns e odiando profundamente outros. .
.
Jojo conseguiu passar com sua narrativa todo aquele ambiente. Me fez sentir junto áquelas mulheres e homens atravessando o oceano. E mais uma vez me perdi em seu mundo e seus personagens. E mesmo com a fonte minúscula da intrinseca, não tive dificuldades em terminar o livro rapidamente e me apaixonar por essa história que com certeza merece um filme. .
.

Tenho que salientar que o início do livro estamos em 2002, no cais da Índia, com uma senhora aos prantos em frente a carcaça de um navio. E ao mergulhar em 1946, você pensa que aquela senhora do inicio é uma certa personagem. Mas no desenrolar da trama, você já não tem certeza que será ela. E torce para que NAO seja. Pois deseja desesperadamente saber mais a respeito de uma outra tripulante e tem muita vontade que seja dela o final feliz. .
. 🔹Enfim, um livro maravilhoso. Que Jojo se inspirou na história de sua avó, para escrever. E que em breve tenho o desejo de reler.
.
. 🔹E se você tem ele aí na sua estante e já leu e gostou de "A Garota que Você Deixou pra Trás " e " A Última Carta de Amor ". Leia logo esse. Que tenho certeza que irá se apaixonar também. 😏

site: https://www.instagram.com/p/BVFT0GElDtP/?taken-by=ler_sim_ler_sempre
comentários(0)comente



Paulinha 09/06/2017

O destino e suas peças
"Minhas horas avançam em direção ao nada." (página 176)

O livro começa na Índia em 2002, com uma jovem inglesa e sua avó viajando pelo país. Graças a um pequeno incidente, a senhora se depara com cemitério de navios e reconhece um deles, que marcou a sua vida em 1946.

Depois, o livro avança para a época do pós-guera e passamos a conhecer a vida de 4 jovens: Avice (rica e cheia de caprichos), Jean (uma adolescente maluquinha), Frances (a enfermeira discreta) e Margaret (a amigona grávida). Cada um tem sua história de vida e todas tem o mesmo destino: deixar a Austrália para trás a bordo no navio Victória, junto com cerca de seiscentas e sessenta mulheres, para reencontrar seus maridos na Inglaterra.
Durante as seis semanas de viagem muita coisa acontece, além do cronograma previsto e é impossível não se envolver com cada uma delas e com os seus segredos.
No começo, pensei que iria me cansar da leitura logo, pois isso aconteceu um pouco com o último que li da Jojo (A Baía da Esperança), mas foi o contrário. Como a avó do começo não é identificada, fiquei curiosa para saber qual das 4 era ela.
Não vou falar mais para não entregar nenhum spoiler sem querer, mas o romance é gostoso de ler e retoma um tempo da história em que amor, promessas e casamento caminhavam juntos. Quando isso não acontecia o que sobrava era dor e vergonha. Da mulher, claro.
Boa leitura!

site: http://cantinhodaleitura-paulinha.blogspot.com.br/2017/06/o-navio-das-noivas.html
comentários(0)comente



54 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4