O navio das noivas

O navio das noivas Jojo Moyes




Resenhas - O navio das noivas


48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Cheli 09/08/2017

Muuuito bom...
Amo quando alterna passado e presente, quando se trata de guerras e histórias reais.
Como sempre Jojo não decepciona, o começo é meio lento, mas vai fluindo e vai ficando cada vez melhor... sou meio suspeita pra falar porque Jojo é minha autora preferida, minha diva, amei o livro, super recomendo!
comentários(0)comente



Lenah 18/07/2017

Arrastadíssimo
Embora a narrativa seja bonita em sua essência, achei a história cansativa e cheia de cenas desnecessárias. As primeiras 100 páginas fluíram bem pra mim, mas depois disso, chegar ao final tá sendo bem difícil.
comentários(0)comente



Luciana Souto de Oliveira 06/07/2017

Cerca de seiscentas mulheres enfrentam uma viagem de seis semanas, da Austrália até a Inglaterra, em um navio porta-aviões, o HMS Victorius, no ano de 1946, a fim de reencontrar os seus maridos, oficiais ingleses em serviço no exterior, após a guerra.

A narrativa gira em torno da vida de quatro dessas mulheres: Margareth, Frances, Avice e Jean, que viajaram na mesma cabine e, por isso, precisaram conviver durante todo o percurso, compartilhando muitos segredos e enfrentando os percalços que porventura pudessem existir durante o tempo em que passaram juntas.

Uma das grandes expectativas da viagem são as cartas e telegramas que as esposas recebem de seus maridos e o maior medo de cada uma delas é que nessas correspondências exista a frase ?Você não é bem-vinda. Não venha?. Talvez alguma delas tenha recebido um telegrama assim... Caso a esposa não fosse bem-vinda, teria que descer no próximo porto e voltar para a Austrália. De cortar o coração...

No decorrer do livro, o leitor passa a conhecer cada uma dessas quatro mulheres e, ao final, já está íntimo de cada uma delas, amando umas e, talvez, odiando alguma delas.

Uma avó que aparece no início do livro, nos dias atuais, é uma daquelas quatro protagonistas. Passamos o livro todo pensando em quem ela pode ser e eu, particularmente, errei, mas adorei o final que a ela foi atribuído.

Tive uma certa dificuldade com a leitura. Achei-a arrastada e, para mim, o livro ficou bom mesmo nas últimas setenta páginas. Há partes com longas descrições que achei desnecessárias, mas, gostei do desfecho da história. A autora deixou claro qual o destino de cada uma das personagens principais e eu adoro quando isso acontece em um livro, tudo fica devidamente explicado.

Um livro que retrata sentimentos como amor, amizade, decepção e perdão na vida das personagens principais, fazendo com que o leitor torça por cada uma delas, que, com suas particularidades, conquistam os nossos corações.
comentários(0)comente



Carol 05/07/2017

Não é que eu esperava mais, esperava que fosse menos cansativo...
"Porque não há garantias, certo? Nada prova que esses homens e suas famílias vão nos aceitar, não é mesmo?"

No prólogo estamos na Índia em 2002, onde uma avó passeia com a sua neta e reconhece o navio Victoria que marcou a sua vida há tantos anos atras...

Na Austrália em 1946, com o fim da Segunda Guerra Mundial, um navio repleto de mulheres que irão encontrar seus maridos parte para Inglaterra afim de trazer o amor após tanta destruição e também o esquecimento de tudo o que aconteceu.
Nesse navio repleto de noivas conhecemos as nossas quatro protagonistas: Margaret, gravidinha mais linda que sente muito a falta da família, Frances uma enfermeira que possui um misterioso passado, Jean que é uma adolescente totalmente fora da casinha e por último Avice, que é chata, mimada chata, rica, chata, mesquinha, chata, cheia de caprichos e chata.
Durante essas seis semanas de viagens amizades se formarão, destinos irão se cruzar, várias coisas acontecerão, muitos segredos serão expostos e você sempre irá se questionar: qual delas é a senhora do prólogo?

Tive muitas dificuldades para ler o livro "O navio das noivas" por diversos motivos, mas o principal foi a narrativa arrastada. Já estamos acostumadas com a escrita descritiva de Jojo Moyes e eu adoro isso, mas nesse livro não rolou, as coisas só começam a melhor na página 230.
A história é inspirada em fatos reais e fala sobre uma época na história que me interessa muito, por esse motivo foi uma leitura válida, porém foi muito cansativo e por isso não irei reler esse livro que, dentre as obras que já li da autora, foi o que eu menos gostei. Fui no skoob, li diversas resenhas e são todas positivas, estou me sentindo um E.T, mas não irei mentir pra vocês, pra mim o livro só ficou bom no final.
Me emocionei em algumas revelações, adorei Margaret e achei bonita a lição que o final do livro nos traz sobre ir atrás do que você tanta sonha e da importância do amor, por ele tudo vale a pena.

site: www.nossaressacaliteraria.com.br
Leandra Rodrigues 05/07/2017minha estante
Por essa narrativa arrastada não consegui ler o livro! está abandonado aqui na minha estante, quem sabe um dia eu tente novamente, por agora não dá pra mim! acho que também sou uma E.T!! kkkk


Lay 05/07/2017minha estante
Acho a escrita dessa autora difícil de engolir.....


Roberta Liboni 28/07/2017minha estante
Tb tive muita dificuldade em ler. Gosto demais da Nojo, mas este livro foi bem cansativo. Só me empolgou nos capítulos finais.




cris.leal.12 26/06/2017

Baseada em fatos reais...
Em "O Navio das Noivas", de Jojo Moyes, acompanhamos a viagem de quatro noivas da Austrália para a Inglaterra, onde se reencontrarão com os militares com quem se casaram durante a guerra.

As noivas em questão são: Margaret, uma moça do interior, grávida, cuja a vida até então se resumia a cuidar do pai e dos irmãos. Avice, moça da alta sociedade, escrava das aparências. Jean, uma adolescente inconsequente, que só pensa em se divertir. Frances, uma enfermeira discreta que, claramente, guarda um grande segredo. As quatro moças dividem não só uma pequena cabine no navio, mas também suas expectativas e medos. Ao longo da viagem amizades se estreitam, mistérios são revelados, alguns relacionamentos terminam, outros começam e destinos são mudados.

A história baseia-se em fatos reais. Foi apoiada nas lembranças da avó e em farto material de pesquisa, que Jojo Moyes escreveu "O Navio das Noivas", lançando um luz sobre as mulheres da época do pós-guerra, período em que elas estavam, em sua maioria, restritas ao ambiente doméstico. No entanto, algumas delas mantiveram-se fiéis a promessa que fizeram aos seus homens e em nome do amor, não mediram esforços para chegar até eles bem longe de casa.

Recomendo a leitura.

site: http://www.newsdacris.com.br/2016/08/eu-li-o-navio-das-noivas.html
comentários(0)comente



Nath 14/06/2017

Envolvente e degustativo
Se tem uma coisa que a Jojo Moyes é, é uma grande narradora de detalhes. E nesse livro ela caprichou. Não vou me prender em falar muito sobre a história em si, pois quem leu sabe o desfecho (lindo, por sinal. Simples, mas interessantíssimo).

Quem não está preparado para uma narrativa cheia dos detalhes de uma longa viagem em alto-mar, nem leia esse livro. Levei 15 dias para lê-lo, mas não foi por achá-lo maçante, o que ele não é. Apenas por saber que com tantos detalhes, esse livro devesse ser lido devagar, como se, ao longo dos dias de leitura, você também estivesse vivenciando a experiência pelas correntezas dos oceanos. Se tentar ler muito rápido, talvez realmente ache o livro parado, pois ele não vai dar a fluidez que seu ritmo frenético exige.

Amo a Jojo do fundo de my heart, e as 4,5 é apenas por não saber ao certo o que se sucedeu com umas das personagens que some no meio do livro. Mesmo que a autora quisesse dar um fim cruel a ela, poderia ter relatado mais a vida pós ser expulsa do navio. Acho que pesou um pouco na narrativa, pois o livro se comprometeu a contar a história de quatro protagonistas e só terminamos com três...

Ah...! Descobrir quem é a senhorinha no final me deixou emocionada. ?

Mas é isso aí! O livro é lindo e para quem gosta de histórias ambientadas em períodos de guerra ou pós-guerra mundial, esse é uma ótima opção.
comentários(0)comente



Marcela @ler_sim_ler_sempre 10/06/2017

Totalmente envolvente
@ler_sim_ler_sempre

🔹Acabou a guerra. Hora dos homens que prestaram serviço ao seu país voltarem pra casa. E para que a felicidade seja completa, o velho navio porta aviões Victorius tem como ultima missão levar as mais de 600 mulheres da Australia para Inglaterra para encontrarem seus maridos. E ali formarem seu novo lar.
.
.

E entre essas tantas mulheres, acompanhamos a vida de 4 delas em particular. Que irão dividir a mesma cabine, com suas dúvidas, seu passado, seus preconceitos e sonhos.
Fora que nessas 6 interminaveis semanas , essas pessoas criarão uma nova rotina e novos dramas.
.
.

Um livro com uma narrativa envolvente, que Jojo vai incluindo personagens e mais personagens na trama. Que a principio você fica confusa e acha que vai da “merda”, mas aos poucos vai se tornando intimo deles também. Torcendo ardentemente para uns e odiando profundamente outros. .
.
Jojo conseguiu passar com sua narrativa todo aquele ambiente. Me fez sentir junto áquelas mulheres e homens atravessando o oceano. E mais uma vez me perdi em seu mundo e seus personagens. E mesmo com a fonte minúscula da intrinseca, não tive dificuldades em terminar o livro rapidamente e me apaixonar por essa história que com certeza merece um filme. .
.

Tenho que salientar que o início do livro estamos em 2002, no cais da Índia, com uma senhora aos prantos em frente a carcaça de um navio. E ao mergulhar em 1946, você pensa que aquela senhora do inicio é uma certa personagem. Mas no desenrolar da trama, você já não tem certeza que será ela. E torce para que NAO seja. Pois deseja desesperadamente saber mais a respeito de uma outra tripulante e tem muita vontade que seja dela o final feliz. .
. 🔹Enfim, um livro maravilhoso. Que Jojo se inspirou na história de sua avó, para escrever. E que em breve tenho o desejo de reler.
.
. 🔹E se você tem ele aí na sua estante e já leu e gostou de "A Garota que Você Deixou pra Trás " e " A Última Carta de Amor ". Leia logo esse. Que tenho certeza que irá se apaixonar também. 😏

site: https://www.instagram.com/p/BVFT0GElDtP/?taken-by=ler_sim_ler_sempre
comentários(0)comente



Paulinha 09/06/2017

O destino e suas peças
"Minhas horas avançam em direção ao nada." (página 176)

O livro começa na Índia em 2002, com uma jovem inglesa e sua avó viajando pelo país. Graças a um pequeno incidente, a senhora se depara com cemitério de navios e reconhece um deles, que marcou a sua vida em 1946.

Depois, o livro avança para a época do pós-guera e passamos a conhecer a vida de 4 jovens: Avice (rica e cheia de caprichos), Jean (uma adolescente maluquinha), Frances (a enfermeira discreta) e Margaret (a amigona grávida). Cada um tem sua história de vida e todas tem o mesmo destino: deixar a Austrália para trás a bordo no navio Victória, junto com cerca de seiscentas e sessenta mulheres, para reencontrar seus maridos na Inglaterra.
Durante as seis semanas de viagem muita coisa acontece, além do cronograma previsto e é impossível não se envolver com cada uma delas e com os seus segredos.
No começo, pensei que iria me cansar da leitura logo, pois isso aconteceu um pouco com o último que li da Jojo (A Baía da Esperança), mas foi o contrário. Como a avó do começo não é identificada, fiquei curiosa para saber qual das 4 era ela.
Não vou falar mais para não entregar nenhum spoiler sem querer, mas o romance é gostoso de ler e retoma um tempo da história em que amor, promessas e casamento caminhavam juntos. Quando isso não acontecia o que sobrava era dor e vergonha. Da mulher, claro.
Boa leitura!

site: http://cantinhodaleitura-paulinha.blogspot.com.br/2017/06/o-navio-das-noivas.html
comentários(0)comente



Deh 03/06/2017

O navio das noivas
Ler um livro da Jojo é sempre uma jornada incrível. E nesse livro, foi ainda mais fascinante. Ser levada a década de 40, num navio com mais de seissentas mulheres, foi de tirar o fôlego.
Navio das noivas, nos conta a estória das esposas australianas que vão em busca de seus esposos britânicos. Quando a guerra termina, elas se aventuram numa viagem no grande navio Victorius. Entre tantas mulheres, somos apresentadas a jovem Jean, a socialite Avice, a meiga e amorosa Meggie, e a reservada enfermeira Frances. Cada uma com sua missão, enfrentando seus medos e anseios nessa nova vida que enfrentarão. Personagens fortes, assuntos polemicos, mas todas em busca do amor.
Impossível não se colocar no lugar de todas, imaginando se eu seria capaz de fazer aquela travessia.... Impossível esquecer essa estória tão cheias de detalhes e ricamente histórica. Além de saber que a própria avó de Jojo esteve presente ali, foi uma das corajosas mulheres que correram atras de seus sonhos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Camila 30/07/2017minha estante
Desculpa, mas isso não é spoiler, está no livro (antes do prólogo).
E o navio saiu em 2 de julho de 46 e não 96...




Kaka Amaro 20/05/2017

Sorte e destino emociantes...
Nesse livro, narra-se a história de mulheres que após a Segunda Guerra Mundial, seguem em busca de seus amores, homens com os quais elas se casaram durante o conflito. Esse livro é totalmente detalhista do início ao fim, fazendo com que vivamos cada sensação dessa viagem. Sem contar que todas as citações não são ficcionais e se referem às experiências de esposas de guerra ou oficiais a serviço do Victorious.
Nessa viagem a bordo do HMS Victorious, um porta-aviões, com armas, aeronaves e mil oficiais da marinha, embarcam 600 noivas de Sidney - Australia, para o encontro de seus maridos ingleses. As regras do navio são extremamente rígidas, mas o destino reuniu a bordo homens, mulheres e um futuro incerto, atravessando mares em busca de se viver um grande amor. Quatro jovens mulheres de personalidades fortes, um fuzileiro, um comandante e o Victorious, acabam após semanas de viagem, vendo-se realmente diante de um destino implacável onde suas jornadas se entrelaçam, e suas vidas se modificam para sempre.
Realmente uma história de sorte e destinos emocionantes...
comentários(0)comente



priscila.saatmam 19/05/2017

Uma grande experiência...
O livro se passa um ano após o fim da Segunda Guerra, em 1946. Os soldados retornam para suas casas na Inglaterra, mas, durante o período de guerra esses homens se casaram com mulheres que viviam nos países onde estava às bases aliadas, como no caso do livro a Austrália. Com o retorno desses homens houve uma mobilização dos governos de cada país a fim de levar as esposas para perto desses homens, nos navios militares.

E, é exatamente isso que o livro trás, uma leva de seiscentas e poucas mulheres australianas viajando durante seis semanas de um lado do mundo para outro, para reencontrarem os seus maridos. Em um navio, mas não é qualquer navio é um porta-aviões, o “HMS Victorius” que em minha opinião tornou-se um personagem na trama.
Mais do que apenas relatar a travessia, o livro nos emerge nas emoções de cada uma das quatro protagonistas em relação a tudo: ao que deixaram em seus passados, ao que estão passando e ao que pensam que está por vir. Através das vivências de Avice, Frances, Jean e Margaret, a autora nos leva a pensar sobre a questão da mulher sobre questões profundas e que comumente são tratados como “mimimi” por aqueles que não entendem as dores e dúvidas que isso causa em uma mulher.

Acredito que Moyes queria de fato destacar as situações de Frances e Margaret, e, caro leitor eu particularmente não esperava outra coisa, não desmerecendo Avice e Jean que são personagens tão importantes quanto às outras para a beleza da história. No entanto, Margaret por estar grávida e Frances por ter um passado complicado e ser uma enfermeira de guerra causa um impacto maior no leitor.

E o que dizer do romance entre Frances e Nicol, um fuzileiro do HMS Victorius, que vai se desenrolando na história, um amor tímido, construído em meio a segredos e dores da guerra? É simplesmente fantástico. Porque na medida em que a leitura se segue, há uma compreensão do porquê que esse romance acontece de maneira lenta, porém bem, bem intensa.

Ao final da leitura, eu fiquei satisfeita com o que li, aprendi sobre um tempo distante, sobre uma época da qual não faço parte, mas da qual vieram meu ascendentes, uma época onde pessoas foram separadas e que agora precisariam se unir em um lugar do qual elas não tinham qualquer informação.

“ – Esta é a beleza disso tudo Frances. Temos todo direito á felicidade agora. Ou melhor, conquistamos esse direito.” (pág: 382).
comentários(0)comente



JúAlves 19/04/2017

O navio das noivas
A história é incrível, quatro mulheres com personalidades diferentes embarcam em um porta aviões ao final do período de guerra, para reencontrar seus maridos. Durante as seis semanas em alto mar muita coisa acontece, amizades são criadas, um romance surge é uma beliche na cabine fica vazia.
comentários(0)comente



Dani 16/04/2017

O navio das noivas
Fazia bastante tempo que eu não lia nada da Jojo Moyes, e realmente estava sentindo falta de me envolver com um de seus romances sempre tão bem escritos. Mas dessa vez, isso não aconteceu de forma plena, como eu imaginava; apenas parcialmente, somente em alguns trechos da trama.

Comecei bem empolgada, afinal de contas essa ficção foi inspirada na viajem que a avó da autora fez em 1946, junto com mais de 600 outras esposas, a bordo do porta-aviões HMS Victorious, para encontrar seus maridos ingleses. Um romance rico em detalhes, descrições grandiosas, narrativas simultâneas sobre os personagens... com toda a calma e capítulos mais longos, como é característica da autora.

Porém, a história não engrenou como eu gostaria e acabou sendo um pouco confusa, com muitos personagens e descrições. Mas talvez eu tenha achado tudo isso por causa do meu próprio "estado de espírito", ou porque o momento não era o mais apropriado e tal; o fato é que fiquei "patinando" na narrativa e achei sim que a trama foi um pouco cansativa. Mas posso dizer que gostei do final (ufa! :))

Nota: 3/5 (bom)

quote: ?[...] as únicas pessoas que têm todas as respostas são as que nunca se defrontaram com as perguntas.?
comentários(0)comente



ELB 20/03/2017

Every Little Book
"Você seria capaz de enfrentar seis semanas dentro de um navio, dividindo quarto com mais três garotas, vivendo longe de todos os fuzileiros à bordo e cheia de regras, para reencontrar o amor da sua vida? Mais de seiscentas noivas passaram por diversas situações até reencontrarem seus marido."

Em 1946, após o fim da Segunda Guerra Mundial, começou o chamado repatriamento das esposas de guerras dos soldados Ingleses que lutaram por todo um país, mulheres essas que viram sus maridos poucas vezes e estão dispostas a viajar em um navio por seis semanas para rever seus amados.

Neste livro, iremos conhecer a história de quatros mulheres em especial, que estão deixando suas vidas para trás, para entrar a bordo no navio HMS Victoria que as levará da Austrália para a Inglaterra, para o encontro dos seus maridos.

Margaret é uma delas, ela está grávida e preste a dar a luz, e mesmo com toda a relutância em abandonar seu pai e irmãos, decide embarcar nessa viajem, mesmo sem ter total certeza que está é a melhor decisão a ser tomada.

Avice é uma mimada menina rica de 21 anos, seu pai é o maior fabricante de rádios de Melbourne, ela é uma jovem muito egoísta e também muito preocupada com sua aparência, faz de tudo para conseguir o que quer. Ela não aceita muito bem o fato de ter que viajar em um navio de carga com tanta outras mulheres abaixo da sua classe social, mas está disposta a enfrentar tudo para rever seu marido.

Jean tem apenas 16 anos, e é uma das esposas mais jovens a bordo de Victoria, ela sabe se meter em uma confusão como ninguém, é inconsequente e sua ingenuidade faz com que meta os és pelas mãos por diversas vezes, mas não perde a esperança do reencontro com seu marido.

Francis é uma incógnita para suas companheiras de dormitório, ela é uma enfermeira e ajudou os soldados feridos da guerra, seu passado é sombrio e ela é a mais reservada das três, ela ver na sua viajem uma chance de recomeçar sua vida longe de tudo.

Às vezes, deitada no escuro, ela avaliava o significado daquilo: a presença dele reforçava a ideia de que elas eram uma carga, uma encomenda que devia ser transportada em segurança de um lado para outro do mundo, em muitos casos dos pais para os maridos, de um grupo de homens para outro.

Quando o livro começa somos levadas a Índia no ano de 2002, onde uma senhora com sua neta estão de passagem a jovem moça se mete em problemas, mas isso não é o que tira a velhinha do eixo e sim um navio em desmonte que desencadeia uma série de memorias na velhinha.

Eu não sei bem o que falar a respeito desse livro, eu adorei a história, as personagens são tão fortes e decididas, passaram por tanta coisa por algo que acreditavam ser a melhor decisão, ir de encontro aos homens por quem se apaixonam e de quem praticamente não conhecia, foi um verdeiro desafio.

Inicialmente não conseguia me apegar a história e muito menos as personagens, já que a narrativa se arrasta um pouco, não vou dizer que não gostei pois isso seria mentira, mas não fluiu exatamente como eu esperava, os detalhes em excesso contribuíram para isso e também a quantidade de personagens, o livro em si não chega a ser confuso, mas é necessário atenção para entender alguns fatos, mas aos poucos fui me apegando as personagens e foi impossível não torcer por essas guerreiras.

O Navio das Noivas tem uma narrativa alternada em terceira pessoa, o que nos da uma visão bem ampla do que ocorre, além da visão das protagonistas também temos o capitão que é um homem que sofreu muito mas que ganhou meu carinho como leitora e alguns tripulantes também, já que o navio não tem só as noivas mas muitos soldados também.

Esse fato de haver também homens a bordo complica um pouco as coisas, sentimentos começam a surgir onde não deveriam já que todas são casadas e alguns dos homens também. Para entreter as mulheres durante essas longas semanas foram feitos concursos de beleza, e palestras sobre como será suas vidas de casadas tudo para mantê-las entretidas.

No geral O Navio das Noivas foi uma boa leitura, não foi uma história muito emocionante no sentido de outros livros da autora como, Como eu era antes de você, mas ele ganhou sem lugarzinho no meu coração da mesma maneira. Não deixem de conferir esse livro.

site: http://www.everylittlebook.com.br/2017/03/resenha-o-navio-das-noivas-jojo-moyes.html
comentários(0)comente



48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4