Adeus, promessas

Adeus, promessas Kristin Halbrook




Resenhas - Adeus, promessas


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Cristiane 27/07/2016

“Senti uma coisa estranha. Que não tinha nada a ver com o clima daquela noite. Uma coisa parecida com tristeza. (...)”

Conhecemos a Kayla melhor amiga de Jen, amiga da Bean e também de Selena. As quatro garotas são inseparáveis. Fazem tudo juntas, uma amizade de dar inveja e aparentemente impossível de se destruir facilmente. Pois é, as aparências enganam, não é mesmo?

Kayla matou um garoto e feriu outro enquanto dirigia um carro que não era dela. Para tentar protegê-la de sofrer uma rejeição das outras pessoas de sua cidade, seu pai a enviou para o Kansas, cidade da sua tia Bea, para passar o verão por lá.

Ninguém sabe como Kayla foi parar naquele carro, mas ela sabe. Sempre soube. No começo quando acordou no hospital até que ela não lembrava direito o que tinha acontecido na noite do acidente, mas ela conseguiu lembrar, mas decidiu não contar para ninguém o que ela sabia.

A história é dividida da seguinte forma: um capítulo se passa na Primavera e o outro no Outono. Nos capítulos que se passam na Primavera, vamos saber tudo o que aconteceu antes do acidente, e nos capítulos do Outono vamos descobrir o que Kayla enfrentou depois do acidente.

O que aconteceu antes do acidente, é basicamente a rotina de Kayla. Mostra o quanto a amizade das meninas é forte, fala sobre o esporte preferido dela e de Jen que era andar a cavalo, menciona também, o barco que Kayla encontrou em uma casa com uma placa escrita “DOA-SE”, que então a garota decide levar para casa de presente para o pai. Juntos, pai e filha começam a reformar o barco.

Jen é irmã gêmea de Jay o jogador mais aclamado do time de futebol americano da cidade. Ele é o tipo de garoto que gosta de manipular tudo e todos a seu favor, independente do que ele tenha que fazer para conseguir isso. O mais ridículo em Jay, é como ele manipula os amigos, ele está tão acostumado a se dar bem, que não tem medo nenhum de sofrer alguma punição, aliás, nem seus amigos.

“Será que o Jay se sente do mesmo jeito? (...) Será que, lá no fundo, sente uma fraqueza, um leve gostinho amargo por saber que alguém pode destruir tudo isso?
Alguém tipo eu?”

Kayla e Jen são as mais próximas dentre as quatro amigas. Trocam confidências, uma consola a outra quando necessário. Nas competições de equitação, Kayla sempre se destaca pelo seu talento e afinidade com seu cavalo. Andar a cavalo faz com que ela se sinta completamente feliz. Jen também compete, mas seu desempenho comparado com o de Kayla é inferior.

Mas, ao que parece, depois do acidente que Kayla se envolveu, sua vida que parecia um conto de fadas, vira de ponta cabeça.

Ao voltar para sua cidade depois do verão, parece que todos a condenam pelo acidente. Como não existe outra escola em sua cidade, ela volta a estudar na mesma escola em que dois dos envolvidos no acidente estudam.

“Mesmo numa cidade dos sonhos como essa, uma dor aperta meu coração, como a pressão do ar baixando antes de vir um tornado.”

Parece que todos estão dispostos a fazer da vida dela um inferno. Jen e Selena, não se mostram nada felizes pela volta da menina que matou o amigo delas. A perseguição a Kayla se torna insustentável em certos momentos. Bilhetes no seu armário, pessoas que a empurram, ofensas de todos os tipos, enfim. A grande amizade que existia entre as quatro amigas, parece ter desaparecido.

As únicas pessoas que não a julgaram pelo o que aconteceu, o que a deixou bem surpresa, foram Noah e a Bean.

Noah e Kayla foram amigos quando eram crianças. A mãe de Noah é das Filipinas, e de uma hora para outra, ela decidiu morar um tempo com sua família em seu país. Quando Noah retornou, ele parecia outra pessoa, e não foi bem recebido pelos demais e sua amizade com Kayla, nunca mais foi a mesma.

Ele parece ser o único a acreditar que realmente, que ela não causou o acidente de propósito. Mesmo não sabendo o que aconteceu naquela noite com ela, Noah não pressiona Kayla para contar o que aconteceu.

Já a Bean. Algo estranho aconteceu entre ela, Jean e Selena. As três não se falam mais. O mais curioso, é que ninguém conta a Kayla o motivo, mas ela desconfia do que pode ser. Até porque, ela lembra muito bem o que aconteceu naquela noite.

“Até parece que eu fiz de propósito.
Só que eu... fiz.”

Confesso que no começo do livro fiquei um pouco confusa com a história, sem conseguir entender direito os fatos. Acontece que, de acordo com que você vai lendo os capítulos, uma curiosidade desperta dentro de você. O que aconteceu nesse acidente? O que aconteceu naquela festa em que a vida de Kayla mudou completamente?

As respostas a estas perguntas me deixaram de queixo caído. Não só isso. As consequências daquela noite. Até que ponto é certo guardar segredos? Se a felicidade de alguém estiver em jogo, você estaria disposto a contar tudo o que sabe?


Eu teria contado tudo o que sei, sem nem hesitar. Faria o possível e o impossível para que os responsáveis fossem punidos de alguma forma. O complicado no caso da Kayla era morar em uma cidade pequena, onde as consequências seriam para sempre. Mesmo sua família apoiando sua decisão, tudo iria ser diferente se ela decidisse realmente contar toda a verdade.

site: http://www.sugestoesdelivros.com/2016/07/resenha-adeus-promessas_26.html#.V5lKMPkrLIU
comentários(0)comente



Kari 14/08/2016

Eu tirei umas férias bem legais em uma Ilha maravilhosa aqui no RJ e uma das minhas leituras de férias foi Adeus, promessas da Editora Plataforma21 (V&R) e gente.. Terminei com uma sensação de que esse livro tem muito mais a mostrar do que imaginei!

"Sim, estaríamos juntos por mais um ano. Mas eu podia sentir uma mudança no ar. Sutil como um fio de lã solto, que eu sabia que ia aumentar, assim como quando a gente o puxa e a blusa inteira se desmancha. Eu queria ignorar isso o máximo possível."

Em Adeus, promessas iremos conhecer Kayla e seu grupo de amigas. Sua melhor amiga é Jen, mas além de Jen também tem Selena e Bean. As quatro são inseparáveis e fazem muitos planos para o último ano que passarão juntas antes do fim do colegial e a ida para o "mundo real" - faculdade, trabalho e a mudança da pequena cidade onde vivem. A única que não quer sair da cidade é Kayla que ama tudo exatamente como é e consegue ver beleza e talvez familiaridade e conforto no lugar onde vive com todos aqueles que a cercam. O quarteto é popular e vive em uma redoma de "rainhas" e certezas de que tudo pode acontecer que aquela amizade sempre estará firme e forte, até que as coisas saem do controle no aniversário de uma delas e as promessas ditas e não ditas tornam-se apenas um vislumbre de tudo que Kayla não queria perder!

"Eu poderia continuar triste. Pensando no dia que não teria mais a Jen do meu lado, caminhando toda confiante pelos corredores do colégio. Quando não teria mais ninguém para fofocar durante as longas trilhas a cavalo. Quando nós quatro nos encontraríamos assim, na beira do rio, numa noite de fim de semana e preguiça, mais nas nossas lembranças do que de verdade."

Acontece que Kayla sempre vista como muito responsável se envolve em um acidente onde um garoto do time de futebol morre e outro - irmão gêmeo da Jen (sua melhor amiga) machuca o braço e ela parece que apesar de algumas escoriações, sai com a memória falha e não se lembra do que aconteceu. Logo após o acidente ela é enviada para a casa de uma tia e passa um tempo lá até que resolve retornar para sua cidade natal com a esperança de que as coisas pudessem ser como antes. Ela sente muita falta das amigas, do lugar e de toda familiaridade da qual estava acostumada. Mas ao retornar as coisas não saem exatamente como gostaria e ela precisará enfrentar Jen novamente, assim como Selena e Bean e parece que o quarteto tornou-se uma dupla, já que Bean também se afastou das amigas e parece ter arranjado novas meninas com quem andar. Além disso, enfrenta muita hostilidade e a única pessoa que parece fazer algum sentindo é Noah, um garoto que ela já foi amiga há muitos anos atrás e que passou a ser invisível depois que ela entrou para o quarteto. Em meio a toda culpa, dor e descobertas Kayla passará por muitas dúvidas de quem quer ser e não apenas o que esperam dela. Suas escolhas serão definitivas para seu futuro e de muitas outras vidas envolvidas direta e indiretamente no acidente que mudou tudo!

"Meu caderno é um lugar onde os segredos vivem. Se eu tivesse uma caneta neste momento, poderia escrever mais um. Em vez disso, enfio o caderno de novo debaixo do colchão. Para escondê-lo. Esconder todos os segredos. É o jeito que encontrei de voltar para minha antiga vida."

A história intercala passado e presente em uma linha no tempo que mostra como as coisas eram antes do acidente e como ficaram depois do acidente; tudo que Kayla enfrentou, enfrenta e como se sente.. Suas escolhas e que suas ações tanto no passado como no presente são determinantes para o desenrolar de vidas que estão além de seu conforto e desejo de que as coisas não mudem jamais!

"... Será que se sente o herói que as pessoas pensam que ele é? Será que, cada vez que respira, sente no ar o agradável gosto da glória e da adoração da cidade inteira?
Será que, lá no fundo, sente uma fraqueza, um leve gostinho amargo por saber que alguém pode destruir tudo isso?
Alguém tipo eu."

Kayla é um desses personagens que despertam amor e ódio, pois ao mesmo tempo em que ela está indo pelo caminho esperado ela tem muito medo de tudo que vai perder sendo covarde inúmeras vezes e prejudicando a vida de terceiros, mesmo que não seja sua intenção! Claro que eu compreendo Kayla e digo que toda dúvida que ela sentiu e os erros que cometeu a tornaram muito mais palpável e me fizeram refletir muito! Afinal, não é fácil perder tudo aquilo que se ama, abrir mão de tudo mesmo que seja pelo que é certo! Às vezes só queremos que tudo volte a ser como antes! Entendo muito esse sentimento.

"Uma dor de começa a crescer no meu peito. Surge devagar, vai aumentando sem parar até que, de repente, grita. Uma chama arde, dolorosa.
Éramos quatro. Éramos quatro em uma cidadezinha com um rio serpenteante e um restaurante que servia pães doces do tamanho da nossa cabeça. Éramos."

A história fala sobre amizade, erros, amor, lealdade, família, pessoas e a forma como elas veem uma situação quando imersas em realidades diferentes... E principalmente sobre perdoar a si própria e achar uma forma de seguir em frente..

"... vou cruzando o corredor que leva ao meu quarto e pensando sobre ter o coração partido. Sobre queimar.
Em como odeio as pessoas que roubaram meu lar de mim.
Em como espero, um dia, poder me odiar um pouco menos.
Porque lar não é um penhasco que tem uma vista de perder o fôlego, nem cheiro de açúcar e canela no ar, nem o barulho que os cascos de cavalo fazem quando batem na terra seca.
Lar é onde você pode viver em paz consigo mesmo."

Não é simplesmente um livro sobre jovens e erros fúteis e sim sobre situações muito avassaladoras que podem destruir uma vida. Fala sobre a importância em apoiar vítimas de abusos sexuais que são efetivados não por uma questão sexual em si, mas pelo domínio, demonstração de poder sobre alguém. Uma violência sem tamanho que pode destruir uma pessoa.

Terminei essa leitura com lágrimas nos olhos, pois afinal uma vez que se sofra um abuso torna-se impossível fingir que aquilo não ocorreu; só o que temos é a força e apoio para seguir em frente! Mas aquela lembrança amarga fica tatuada para sempre! É fundamental ter apoio e Adeus, promessas mostra as diversas nuances de uma triste realidade sobre a cultura do estupro e a mania de abafar com julgamentos ou desculpas um crime muito sério!

Tenho muitas coisas para falar sobre essa história, mas não posso me estender muito para não estragar a história. Caso alguém que tenha lido queira conversar mais sobre a mesma, meu e-mail está disponível: karinicouto@yahoo.com.br - assunto: livro Adeus, promessas.
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 28/08/2016

Resenha - Adeus, Promessas / Dreams & Books
"Ensinam o medo a nós, meninas."

Gosto de personagens que sofrem ou sofreram algo terrível em suas vidas. Gosto de poder ler suas histórias e poder depois, ter a certeza que não importa quão fundo no poço você chegou, sempre há como retornar.

Gosto de livros que me fazem pensar, que me fazem deitar a cabeça e olhar para o teto por horas relembrando a história e pensando em hipóteses, juntando as peças e trilhando mentalmente novos caminhos.


Gosto de personagens que me ensinam algo. Gosto de personagens empáticos e incríveis que me fazem ter esperança na humanidade, por que, sim, há pessoas incríveis assim espalhadas por aí. Só é necessário ter olhos atentos e livres de preconceito para encontrar.

Foi fácil gostar de Adeus, Promessas. Esse livro junta todos elementos que me agradam, como os citados acima, numa narrativa fluida e envolvente. O livro escrito por Kristin Halbrook não é nada daquilo que eu esperava e é muito mais do que eu poderia imaginar.

Um livro surpreendente, encantador e tocante sobre amizade, amor, lealdade. Um livro que, acima de tudo, te faz repensar o que é mais importante para você. E quanto valor você está dando para coisas que, afinal, não são tão importantes assim.

"Lar é onde você pode viver em paz consigo mesmo."

Foto por Dreams & Books.
Instagram @DreamseBooks

Uma das coisas mais incríveis desse livro é ver a história desse ponto de vista. Já li vários livros com essa temática, mas, nunca desse ponto de vista. E a experiência não poderia ter sido mais incrível!

Fiquei bem surpresa com o desenrolar desse livro e com a maneira como a autora conduziu a história. Como eu já disse, ele é muito diferente do que eu esperava, de um jeito totalmente positivo.

Você vai se encantar com a escrita da autora. É aquele tipo de escrita que te prende sem você perceber. Você vai lendo e quando se dá conta, está lendo a nota da autora. Ele não te dá chance de fazer pausas.

A história é tocante, você vai se emocionar em várias partes dela e vai querer entrar nas páginas e dar um abraço bem apertado em Kayla e Bean. (E vai querer chutar outros personagens). Você também vai querer roubar o Noah e nunca mais devolver. Ele é meu mais novo crush literário!

A autora está de parabéns pelos personagens criados. Cada um é encantador (ou não) a sua maneira e suas singularidades e personalidades são muito bem trabalhadas.

O livro é narrado intercaladamente entre Primavera e Outono. As páginas são amareladas, as letras são pequenas, mas, de um jeito ok e a capa é um arraso!

"Você não pode permitir que os outros te afastem do que é seu."

Se está buscando um livro que te faz pensar, que te ensina algo e que te apresenta personagens que você pode se identificar e amar; não precisa buscar mais. Você já encontrou, agora é só ler e crescer junto com Kayla.

"Mesmo que eu pudesse esticar meu braço por quilômetros, não conseguiria alcançar as crianças que fomos um dia.
- As estrelas eram diferentes naquele tempo. Mais brilhantes. Agora, perderam o brilho.
- Você não perdeu o seu."

site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Fernanda 10/07/2016

Adeus, promessas
Resenha no blog

site: http://www.segredosemlivros.com/2016/07/resenha-adeus-promessas-kristin.html
Mako_chan 05/02/2017minha estante
E qual é o blog?


Fernanda 06/02/2017minha estante
www.segredosemlivros.com :)




Página 94 25/08/2016

Adeus, Promessas
"Adeus, Promessas" conta a história de Kayla, uma adolescente que após sofrer um acidente na qual matou uma pessoas, tenta retomar sua vida na cidade pequena.

A história é narrada em dois períodos intercalados: passado (Primavera) e presente (Outono). No passado, vemos como era sua vida e os acontecimentos anteriores ao acidente. Depois de ler uns dois ou três capítulos, já dá para perceber o ritmo que o livro terá. O grande problema para mim, foi a repetição em relação ao presente. Kayla está voltando para a escola e encarando os olhares desconfiados e xingamentos de seus colegas, mas o tempo todo vemos ela se auto-culpando pelo que fez ou deveria ter feito no passado. Uma "encheção de linguiça" que deixa a história arrastada e tediosa.

O modo como o livro foi escrito me lembrou o livro "Mentirosos", da E. Lockhart, na qual temos uma história bem arrastada e pistas jogadas discretamente, nos levando a deduzir possíveis cenários para o grande mistério, com a trama ficando mais interessante de ler apenas nos capítulos finais. Em "Adeus, Promessas", lá pela metade do livro eu já sabia qual era o grande mistério (que, claro, só se revelaria no final), o que deixou a descoberta bem menos impactante, se comparada com "Mentirosos".

O grande ponto do livro, é o tema estupro, que vem sendo muito discutido ultimamente e a autora trazer a tona esse tema é muito interessante. No caso deste livro, não vemos o ponto de vista do agressor ou da vitima, mas sim de uma pessoa que presenciou esse crime e ficou omissa por medo de ser vista como mentirosa e também ameaçada pelo agressor. Apesar de ser um tema extremamente importante de ser discutido principalmente pelo público jovem (o livro foi lançado pela Plataforma 21, selo da V&R destinado ao público jovem), acho que o assunto poderia ter sido bem mais explorado.

No geral é um livro que eu não leria de novo, pois só tive mais vontade de ler nos capítulos finais, além de já saber o grande mistério do livro, o que perderia toda a emoção. Se você está em busca de livros com essa temática, seja por interesse apenas de leitura, ou quem sabe para alguma pesquisa, ele seria um bom começo, pois como disse anteriormente, a autora traz a violência sexual do ponto de vista de uma pessoa de fora.
comentários(0)comente



Natália 26/08/2016

Fundamental para qualquer garota
Uma história sensível sobre um tema difícil.
A narrativa é envolvente e a personagem principal causa grande empatia, fazendo com que o leitor queira descobrir o que aconteceu na noite em que Kayla dirigiu um carro e matou um colega de escola. Qual segredo mudou a sua vida e de suas amigas para sempre. Esse livro personifica o desafio que é se manter calada diante de uma violência devastadora.

"Um menino está morto. Outro está ferido. E, aparentemente, a culpa é de Kayla.
Ela presenciou algo que não devia. Mas não contou nada para ninguém. Ninguém sabe o que realmente aconteceu naquela noite: o porquê de ela estar dirigindo um carro que caiu numa vala depois da festa de sua melhor amiga; do que viu nas horas que antecederam o acidente, e da promessa que ela fez para sua amiga Bean antes de sair de férias.
Agora, Kayla está voltando para casa para terminar o Ensino Médio. Se ela ficar calada, pode até recuperar a sua antiga vida de volta. Mas, se contar a verdade, corre o risco de perder tudo – e todos – que já amou na vida."
comentários(0)comente



Eduarda.Moreira 02/10/2016

Minha opinião sobre Adeus, promessas.
O livro nos leva a questionar o quanto fazemos o bem as pessoas sem querer nada em troca,o quanto nos sacrificamos pelo bem de outra pessoa sem ser egoísta, como pode as pessoas protegerem alguém apenas pelo nome e admiração que supostamente tem, como podem deixar um crime passar em branco dessa forma. Reforçou o que penso sobre impunidades,o quanto o abuso sexual destrói uma pessoa, sua família, seu amigos e aqueles que presenciaram retirando apenas os que cometeram o crime, recomendo o leitura do livro, é cativante, com muitas emoções e principalmente, nos leva a questionar a sociedade em que estamos!
comentários(0)comente



Valzita 24/10/2016

Adeus, promessas! Um dos melhores livros que já li.
A muito tempo, eu não pegava um livro que me fizesse ignorar o tempo em volta, a ponto de mesmo me forçando a parar de ler, simplesmente não era possível parar, pôs queria chegar logo ao final e ver como tudo ficaria.
Adeus, promessas me prendeu desde a primeira à última pagina, nunca havia lido um livro nesse estilo, com o tema estupro como foco.
Ao ver como a Kayla era tratada por todos conforme as paginas passavam, tinha uma vontade enorme de chorar, a ponto de ficar com os olhos cheios de lagrimas.
Não tenho palavras para dizer, o quanto este livro me surpreendeu, apesar de ser um tema forte, adorei o livro e principalmente, me fez pensar em como pessoas que sofrem esse tipo de abuso, se sentem, em como pessoas que estão em volta delas, que sabem do ocorrido ficam a se sentir e muitas vezes sem saber o que fazer.
Adeus, promessas foi um dos melhores livros que já li neste ano, admirei muito a força de vontade da Kayla, mesmo que algumas vezes ela tenha vacilado por querer as coisas de volta, ela soube o momento e como fazer tudo certo.
Este livro ficará para sempre marcado na minha memória.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Key 25/10/2016minha estante
Vou passar bem longe dessa porra! Paz!


Jade 09/01/2017minha estante
Achei bem ruinzinho... Esperava bem mais, o assunto é bom porém a escrita foi bem redundante. A autora se perdeu em vários momentos tbm, poderia ser um livro incrível, mas não foi!


Val 22/05/2018minha estante
Ainda bem que vi seu comentário. Um a menos na lista.




Escritonasfotos 31/03/2017

Prometeu e não cumpriu
Sinopse: #MEUAMIGOSECRETO acha que todas as meninas da cidade morrem de amores por ele. E, por ser de uma família conhecida, pensa que todas as suas atitudes ficarão impunes. Ele paga de bonzinho, mas gosta mesmo é de embebedar e abusar de garotas da maneira mais sórdida possível. Para o #meuamigosecreto, se a menina está bêbada e dá mole, a culpa é dela. O cara não tem medo das consequências porque acha que ninguém vai ter coragem de por a boca no trombone e se expor. E, se tiver, ele acaba com a reputação dela em poucos minutos.

Pesado não? Você ler a sinopse e já pensa que o livro será igual. Lendo a sinopse você percebe que a menina que "fala", na sinopse, sabe de alguma coisa. Você percebe que ela sabe de algo que pode fazer a diferença, só não sabe o que.

O livro tem como principal Kayla e suas 3 melhores amigas. Jen, sua melhor amiga, Selena e Bean, melhores amigas. As 4 tem coisas em comum, estudam na mesma escola, estão no último ano e fofocam juntas. E tem suas diferenças, cada uma é boa em alguma coisa, tem gostos e personalidades diferentes, mas as semelhanças as une. Todas querem fazer faculdade fora, abrir as asas e voar para longe de suas famílias, menos Kayla, ela ama aquela cidadezinha pequena que nasceu e cresceu.

No primeiro capitulo elas são melhores amigas, no segundo, poucas folhas depois, já não estão mais se falando. O por quê? só no final do livro você descobre. E não, o primeiro capitulo não foi um prolongo, o livro é dividido entre primavera/antes e outono/depois. Cada capitulo é um. Eles são confusos, principalmente no começo, porque são juntos, você não sabe o que aconteceu no final daquela primavera, não sabe porque elas brigaram e nem o porque todos culpam a Kayla.

E o livro é só isso! As pessoas culpando a Kayla, uma mistura de antes e depois. Histórias delas sendo amigas e depois brigando. Kayla se culpando, se afastando e voltando a falar com Noah, um nerd fofo e totalmente diferente das pessoas daquela cidade. Não tem mais nada. Você fica esperando o que aconteceu, esperando saber o que o #amigosecreto fez, mas nada. Dá para descobrir quem é ele no começo do livro, mas ainda sim não rola nada. O livro fica nesse enrola-enrola até o final... E quando você descobre o que acontece, o que não posso contar o que é para não dar spoiler, embora seja fácil saber com a sinopse, o livro acaba. Sim, acaba! De um jeito decepcionante e com um péssimo desfecho.

Não gostei dele ser dividido em antes e depois, fez o livro ficar confuso, e fugiu do foco, que era o #amigosecretro que agarra meninas. Não teve nada do que prometeu. Embora mostre como algumas pessoas preferem salvas a própria pele em vez de ajudar melhores amigas, mostra como amizades podem acabar de uma hora para outra. Mas no fim, é muita enrolação. Prometeu algo e no fim não cumpriu, só enrolou e acabou de um péssimo jeito.

Fiz uma resenha no Canal, se quiserem ouvir mais, só ir no link. Talvez no vídeo eu tenha explicado melhor o que aconteceu e dei minha opinião mais detalhada. Inclusive expliquei melhor as personalidades.

site: https://www.youtube.com/watch?v=I-VR6Rd3hMc
comentários(0)comente



Michele 11/09/2019

Um livro necessário
Um livro bom, eu entendi o que a autora quis passar neste livro. O como a cultura do estupro é formada e de como nós mulheres somos julgadas, culpadas e tantas outras coisas, sendo que somos as vítimas.
Não dei 5 estrelas porque achei o final raso demais, a kayla tomando uma decisão e não mostrando o que aconteceu depois, apenas que ela resolveu sair dali. Ele enrola bastante, mostra a amizade da personagem e como era a convivência.
Mas gostei do tema abordado. NÃO SOMOS CULPADAS! O ABUSADOR QUE É!
comentários(0)comente



Leticia 13/05/2020

Na sinopse do livro já entendemos que há um estupro e que envolve bebidas.
O livro é dividido entre primavera (passado) e outono (presente). E é escrito em primeira pessoa, quem conta a história é a personagem principal Kayla.
O desenvolvimento da história se dá de
forma lenta e instigante. Cada vez que você avança na leitura, fica mais curiosa pra saber o que houve.
Do meio pro final, você acaba meio que descobrindo o que aconteceu, e quem se envolveu na história do estupro, mas ainda assim o livro te prende, pois você quer entender como as coisas funcionaram, pra chegar do jeito que Kayla está no outono.
É uma leitura leve, mas para algumas pessoas pode ser um gatilho, pois histórias com estupro geralmente são pesadas.

Eu gostei.
comentários(0)comente



12 encontrados | exibindo 1 a 12