Entre o Sol e a Lua

Entre o Sol e a Lua Ana Ferrarezzi




Resenhas - Entre o Sol e a Lua


20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Eduardo Vieira 15/03/2021

Sem paciência
Bom, primeiramente eu diria que o livro possuí um público bem específico: entusiastas de romances do wattpad.

Não vou negar que a proposta do livro é interessante, afinal quem não se interessaria em um livro que junta o romance clichê com o CEO e a menina nova da empresa e uma fantasia estruturada no misticismo indígena com direito ao boto-cor-de-rosa e duas entidades (Sol e Lua) com personificações humanas?! É boa! A proposta é boa, mas é só.

Na verdade, eu diria que fora a proposta, o auge deste livro é seu prologo, muito bem escrito e até cativante, no entanto, quando a história começa de fato, as decepções vêm à tona. Os personagens são chatos e padronizados com direito a mocinha submissa que se apaixona por qualquer cara branco, alto, de olhos claros e um corpo definido (esses são os personagens masculinos do livro, e o pior é que eles eram índio na vida passada. De índio para branco padrão é um puta declive).

O livro caí tanto nessa maldição de internacionalização das obras nacionais que o nome do Boto-cor-de-rosa é Gabriel Waters. Sim, Waters porque o cara é o boto. Pqp!!!
Eduardo Vieira 15/03/2021minha estante
"Índios" corrigindo a palavra que ficou fora do plural.


Carlos 17/03/2021minha estante
Só de ler as características da obra, e dos personagens, eu fiquei sem paciência. Imagino vc que leu. Rs


Carotti 31/03/2021minha estante
Respeito seu comentário, mas como não leu até o final acabou perdendo o melhor do livro. Inclusive alguns pontos destacados (como o nome Gabriel Walters) acaba sendo explicado posteriormente. Gostei da forma como a autora respeitou o costume indígena, como, por exemplo, colocar um conceito territorialista. Adorei a cuca. A forma como a Lenda tupi-guarani se mistura ao enredo. Mesmo que esse se deu fora do Brasil (Estados Unidos e Itália). Particularmente, amei o livro é aguardo a conclusão.

Não gosto de excluir um livro porque acredito ter uma pegada internacional. A leitura nacional pode também navegar mares internacionais. Apoio essa ideia.




Carotti 11/01/2021

Perfeito
Sinceramente, é o melhor livro que já li na minha vida!

Recomendo lara todos que gostam de ler livros nacionais com temas nacionais.
comentários(0)comente



Malu 29/04/2019

Entre o Sol e a Lua
Joana é uma moça, que se muda para o Rio de Janeiro, após aceitar um emprego em uma empresa multinacional. Lá ela conhe Cauã um homem que aparentemente não parece muito amigável. Mas o que Joana não sabe é que no passado, ela era a entidade da Lua, e vários outros segredos que Cauã e seus amigos guardam. Cauã que sofre por ter ficado tanto tempo longe de sua amada, fará de tudo para proteger sua amada e salvar as entidades.
comentários(0)comente



Quennick 25/03/2019

Blog Eureka Mundo
Ola meus amores, o nosso #eurekamundo de hoje é com o livro da autora @anaferrarezzi.autora . Neste livro iremos conhecer Joana, uma moça que foi criada em uma cidade no interior de São Paulo e que para dar um novo rumo à sua vida ela aceita trabalhar no Rio de Janeiro em uma multinacional. Como toda garota do interior quando vai capital ela lida com os desafios da sua nova fase de vida e nessas voltas que a vida dá ela encontra Cauã.

Joana seria a lua e Cauã seria o sol, entre esses dois Astros do sistema planetário nós iremos embarcar em uma história de amor milenar entre eles, que a cada novo ciclo tem uma nova etapa. Há muitos anos atrás Rudá, a entidade do amor, concedeu ao Sol e a Lua uma forma de que eles ficassem juntos pois sempre percebeu que os dois se amavam e por isso os transformou em seres humanos, para que assim consolidar o seu amor.

Por milênios eles viveram felizes até que após um erro a lua representada pela personagem Jaci comete um erro fazendo com que ela se separasse de Guaraci, o sol. Ela desaparece e nunca mais você tem notícia da Lua até que Rudá consegue a encontrar, depois de uma grande e longa busca, porém ela está sem memória e desconhece todos os seres e a sua história de amor com o Sol. Porém aventura não acaba por aí.

O que me chama atenção nesse livro é a forma como a autora utiliza o folclore brasileiro para introduzir a sua história original. Essa é a primeira vez que eu leio um livro sobre essa mistura personagens da cultura brasileira sem qualquer distinção ou preconceito dentro de uma história propriamente original, é algo bem fascinante!

Como eu sempre digo a muitos autores nacionais com grande talento e criatividade e mais uma vez o blog Eureka Mundo vem trazendo para o cenário da literatura brasileira a divulgação de um grande talento que autora Ana Ferrarezi.
comentários(0)comente



Kethlyn 04/06/2018

Fui completamente surpreendida!
Cauã é o CEO da empresa Assendent que tem uma longa história no Rio de Janeiro, mas o que muitos não sabem é que ela só existe para que ele encontre seu amor verdadeiro.

- O amor entre Jaci e Guaraci é o que os humanos chamam de alma gêmea. Extremamente raro.
- Página: 88

O CEO é na verdade Guaraci¹ a entidade² do Sol, que veio para Ci (Planeta Terra)por causa de Jaci³ que pediu para sair de seu lar após quase se desmantelar4 com a culpa de ter traido e a dor de ser traída.

[...] Ele tem os olhos de Cauã. O calor desse rapaz esquenta a água. Sinto-a morna, deliciosa. Meu coração torna a bater desenfreadamente quando sinto seu beijo caminhar de minha nuca até o ombros. Viro-me de olho fechados e nos beijamos. Então, os abro e encaro os olhos profundos e âmbar dele; meu amor.
- Página: 111

Joana vive em Indaiatuba e está em um relacionamento abusivo que infelizmente é apoiado por sua ?melhor amiga', Camila, peça importante na estória que infelizmente não irei mencionar. A jovem encontra forças para abandonar Rodrigo (o namorado) que jura amá-la. Decidia a tomar um novo rumo ela vai a procura de um emprego e é aceita na Assendent. No caminho para iniciar esta nova etapa a moça não sabe que és Jaci a entidade do Lua e que sua alma gêmea a espera.

[...] ele me fez suspirar quando recitou "Serenata". Foi um momento solene. Mantive-me, por alguns segundos, em silêncio. Meu mundo rodava, em parte pelo entorpecimento do vinho, em parte pelo sentimento divino.
- Página: 125

Guaraci enfrentou diversos desafios em sua vida, mas nada se compara a todas as vezes que perdeu seu amor, viu diante de seus olhos a entidade da Lua se desmantelar e agora não é só o sentimento forte que os une, o planeta Terra precisa dela para manter sua harmonia e isso não seria fácil, antes de tudo ela precisa se lembra de quem é!

- Olhe para o seu corpo, Joana, seu corpo diz uma história linda. A sua história feminina. Seu corpo recita poesia que encanta. Esta mesma poesia que fez Cauã e apaixonar de novo, como das tantas vezes anteriores.- Página: 226

Com a ajuda de amigos (Alcione, Lina, Gabriel, Cristiano...)iria enfrentar o poder de entidades fortes... a magia, o medo, o amor, as forças da natura e tudo que se pode imaginar iria surgir no meio do caminho se tornando empecilho para o grupo.

Opinião:
Eu sei que a resenha ficou curtinha, mas gente foi um desafio grande fazê-la, postei no story que refiz ela duas vezes e a segunda eu ainda dividi para escolher a melhor, horas depois eu apaguei elas e fui para o word... kkk Para sair esse pouquinho de resenha tive que fazer três para divulgar uma do meu agrado.
Esse desafio todo foi por conta dos spoilers, li a obra sem saber muita coisa então mergulhei de cabeça e fui tão, tão surpreendi que deu vontade de esquecer tudo e reler o romance!
No começo do livro a autora já nos apresenta o conto folclórico que é o prólogo da estória, ele que vai nos introduzir ao livro.
Partindo para a fantasia que começa com uma escrita envolvente e apresentação dos personagens. Somos levados ao caos do enredo que vai desenrolando ao longo dos capítulos sendo muito bem esclarecido e com uma grande quantidade de personagens (por incrível que pareça não me perdi tanto dessa vez... kkk).

Agora o que falar dos personagens... hmn a parte folclórica não tem o que comentar, agora a criação deles como pessoas ?normais? foi muito bem construída, muito mesmo, fiquei até admirada, massssss não mais do que reparar que em meio a QUINHENTOS E DEZESSEIS PÁGINAS a uma porrada de personagens a autora não se perdeu, todas as portas abertas foram fechadas, na verdade nem todas, pois foi necessário algumas surgirem para a continuação nascer.
Meu único ponto negativo é com relação a uma cena de sexo que achei desnecessária, como é muito pessoal essa questão ela não afeta na qualidade da obra então não fiquem com receio por isso ou algo parecido.
Para esse post não ficar enormeeee no final das contas irei terminar agora... kkk
Agradeço a autora Ana Ferrarezzi e sua assessora Thais pela atenção e por terem se interessado pelo Parabatai Books para uma parceria a qual eu amei.
Todossss que gostam de uma fantasia com um belo romance bem escrito em completamente ORGINAL tem que ler essa obra prima da nossa literatura!


Peguei algumas explicações do livro para não deixar ninguém confuso... vamos lá:
¹Guaraci: Personagem do folclore.
²Entidade secundária: Seres que evoluem seus dons impactantes em um sistema solar específico. Podem representar um astro ou condição, são poderosos e responsáveis por harmonizar o sistema, para permitir vida, e também podem orientar as entidades cujo poder se encontra no nível suporte.
³Jaci: Personagem do folclore.
4Desmantelar: O ato de abrir mão da vida orgânica, da vida como humana e assumir a forma imaterial junto ao elemento original, mantendo a memória latente de todas as vidas passadas e escolhendo o melhor momento para retornar à vida humana , se quiser retornar.
comentários(0)comente



Alex Nascimentto 18/04/2018

O primeiro livro da autora Ana Ferrarezzi faz parte de uma série intitulada de Esmeralda, ENTRE O
SOL E A LUA vai contar a história de Joana que cresceu em uma cidade no interior de São Paulo e, para
dar um novo rumo à sua tumultuada vida, aceita um emprego em uma multinacional no Rio de Janeiro.
Enquanto ela enfrenta os desafios desta nova fase, Cauã ? entidade do Sol ? a reencontra e a reconhece
como o amor milenar dele. Joana não tem conhecimento de que é a personificação de uma importante
entidade milenar, representada pela Lua, tampouco tem ideia de que agora faz parte de uma perigosa
batalha entre entidades indígenas e de que irá se deparar com inimigos inimagináveis. Surge entre eles
uma paixão sem limites. No entanto, Cauã precisará unir forças para proteger a sua amada. E quebrar o
encantamento que o impede de estar ao lado dela. Afinal, se o Sol precisa de Cauã para existir, ele precisa
de Joana para viver.
O enredo da história se desenvolve em torno do amor de Joana ? entidade que representa a lua
(Jaci) e Cauã ? entidade que representa o sol (Guaraci) por mais que tenham um amor eterno ao longo dos
séculos enfrentam muitos problemas para que possam ficar juntos. Após ficar 500 anos sem ficaram
juntos Cauã e seus amigos estão a procura de sua Jaci, Joana que vive no interior de São Paulo tem uma
vida normal sem saber da sua real origem, até que um dia com a insistência do seu amigo Sandro resolve
mandar o currículo para trabalhar em uma importante empresa que fica no Rio de Janeiro. Nossa mocinha
muda sua vida completamente ao se mudar para o Rio de Janeiro em seu novo emprego ela conhece
novos amigos e o seu novo chefe Cauã (homem pelo o qual a mesma sente um profundo desejo). O que
eles não esperavam é que para ficarem juntos, teriam vários percalços.
É um livro um pouco diferente do que estamos acostumados a ler. A autora mistura romance,
aventura, fantasia e folclore brasileiro, em uma mistura que não tinha nada para dá certo e acaba
surpreendendo o leitor, Ferrarezzi consegue fazer uma boa mistura com todos esses elementos, com total
domínio do que estar escrevendo a autora mostra que a pesquisa com certeza foi grande porque apesar de
a todo momento sermos apresentados a nova entidades, a novos elementos, a narrativa possui uma
amarração. Nenhum elemento foi colocado e ficou sem resposta. Os personagens são cativantes não só os
principais mais todos os personagens são bem construídos faz com que o leitor crie um interesse por cada
um deles. Não podemos deixar de falar das cenas entre Joana e Cauã a autora sabe como faz uma cena
fofa ficar quente, fazendo que a cada momento você se encante ainda mais por eles.
A narração é feita de forma alternada entre os protagonistas em primeira pessoa e outras pelo os
personagens secundários em terceira pessoa. Tenho que confessar que o livro surpreendeu e mal posso
esperar para ler os próximos.
comentários(0)comente



Jenny 19/09/2017

[Resenha] Entre o Sol e a Lua
Joana é uma mulher de 24 anos, recém formada em Psicologia, vive no interior de São Paulo com seus pais Joamir e Sarah. Apesar de Joamir não ser o seu pai biológico, Joana o amava como se este o fosse. Esse fato trouxe uma grande confusão para a sua mãe na época, pois ele era estéril e Sarah havia engravidado de outro homem, porém se casara com Joamir. Ela não gostava de comentar sobre isso, mas sempre dizia para sua filha o quão importante eram as suas escolhas na vida.

E essa frase começa a pesar na mente de Joana que, em uma tarde tediosa, ela e sua melhor amiga, Camilla, resolvem contratar uma vidente para ler sua sorte numa borra de café turco. Ao olhar com bastante atenção para a xícara, Joana visualiza um dragão com suas garras em direção a uma borboleta, e por último um arco e uma flecha. O dragão, a fez lembrar-se rapidamente de seu atual namorado, Rodrigo, um homem de negócios formidável, belo, porém ele também era cruel e arrogante. Ele sabia seduzir, contudo suas investidas sensuais mais pareciam um convite para a tortura.

Vivendo um namoro tumultuado há cinco anos, Joana percebe que era hora de libertar-se de Rodrigo, mas ao ir de encontro a sua casa para informá-lo de sua decisão, ele apenas ri e a ameaça. Dizendo que ela não iria a lugar algum. Com medo de que ele fizesse algo, Joana corre para um lavabo e se tranca para que ele não pudesse alcançá-la, mas isso acaba tornando-se um tipo de jogo doentio para ele que, rapidamente começa a dar pancadas violentas na porta para tentar pegá-la.

Irada com o tempo que perdera com Rodrigo e a sua falsa noção de conforto, Joana consegue fugir por uma janela e corre em direção ao seu carro. Enquanto dirigia, Joana quase é atingida por uma pedra que Rodrigo atira em seu carro com uma incrível força, e como se isso já não bastasse, trovões e relâmpagos começam a surgir no céu, despertando um grande medo em Joana de que a morte estivesse perto. Mas para seu conforto, uma voz suave e conhecida desde a sua infância, começa a lhe dizer para continuar antes que Rodrigo a alcançasse e ela o faz mesmo pensando que era tudo fruto de sua imaginação.

Chegando em casa, Joana encontra Sandro, seu outro melhor amigo e que a estava esperando com um convite em suas mãos sobre um processo seletivo para uma empresa chamada Assendent, cuja vaga para assistente de segurança, meio ambiente e saúde, a faria se mudar para o Rio de Janeiro, e com isso, ela poderia recomeçar sua vida.

Mesmo suas chances sendo mínimas e ela não sabendo absolutamente nada sobre o assunto, Joana passa no teste com louvor. Contudo, ela não sabia o quanto essa vaga iria mudar a sua vida e lhe traria uma grande revelação sobre quem ela realmente é.

Ao entrar na Empresa, Joana surpreendentemente depara-se com pessoas gentis e atenciosas que a tratavam como uma amiga de muitos anos, principalmente sua chefe, Alcinoe, Gabriel, um homem com feições de anjo e ao mesmo tempo de um deus grego super gentil e calmo que era um dos sócios da empresa Assendent. Sem falar de sua namorada, Lina, que além de ser uma mulher linda, também tratara Joana como uma melhor amiga que não via há anos. E como se isso já não fosse estranho o bastante, Joana ainda conhece Cauã, o incrivelmente lindo, sério, amargurado e misterioso CEO da empresa que, em sua primeira troca de olhares era como se um ímã tivesse unindo os dois e ela não conseguisse evitar ficar completamente atraída por ele, como nenhum homem jamais fizera antes. Porém o início dessa suposta paixão pode ser posta à prova quando num simples toque de Cauã contra a pele de Joana, faz a moça desmaiar imediatamente. Mas o porquê desses desmaios e o tratamento diferenciado na empresa?

Calma, gente, pois tudo isso tem uma explicação! Segundo uma história muito antiga, o Sol e a Lua se apaixonaram, ou melhor, as entidades desses sistemas chamados de Guaraci e Jaci. Contudo a distância entre os dois era grande e isso acabava enfurecendo o pobre Guaraci, que a cada dia estava mais apaixonado pela sua Jaci. E o sentimento era profundo demais para viverem separados. Por isso, Rudá, a entidade do amor lhes dá uma chance, eles poderiam se materializar em forma humana e viver na Terra, óbvio que eles ainda precisariam cuidar de seus sistemas, ainda teriam seus poderes e envelheceriam com o sistema. E se precisassem abandonar os seus corpos, eles poderiam retornar a outros.

Apesar de alguns problemas Guaraci e Jaci viviam muito felizes, contudo, algo os separou, e às vezes para fugir da dor as entidades têm o poder de se desmantelar, ou seja, morrer e voltar para a sua forma original e, infelizmente, foi o que aconteceu com Jaci. O que foi um grande choque e decepção para Guaraci. Mas com o tempo, ele conseguia reencontrar sua amada quando esta decidia voltar a ser humana e tudo era perdoado, porém dessa vez, Jaci estava sumida há 500 anos.

E Cauã como era chamado o Guaraci- a entidade do Sol na Terra, sofria cada vez mais com a ausência de Jaci, mesmo junto de seus amigos, Gabriel- Rudá a entidade do amor, Cristiano- Uauiara a entidade do mar (mais conhecido como o boto cor de rosa), Lina- Iacy a entidade da luta e líder das icamiabas, guerreiras fortes e muito habilidosas em batalha, e Alcinoe uma guerreira icambiaba.

Uma busca se iniciou para encontrar Jaci e até que não descobrissem o seu paradeiro, eles se mudaram para o Rio de Janeiro e criaram a empresa Assedent. Até que o destino resolveu levar Jaci de volta para eles. O que era uma ótima notícia! Mas eles precisavam agir rápido, pois o tempo de todas as entidades estava por um fio.

"- Joana, pode parecer estranho o que tenho a dizer, mas não vejo outra maneira. Você merece receber explicações sobre a nossa recepção... -E, em um tom cauteloso, Cauã adicionou -Também sobre sua contratação. -Pausou. Parecia querer encontrar as palavras certas para prosseguir. Enquanto isso, ele me examinava tão profundamente que me fez desviar o meu olhar. -Joana, olhe para mim -ele pediu. Obedeci, sem questionar. Então, ele inclinou-se na mesa, em minha direção, e disse: -Você precisa saber que temos uma longa... longa história juntos. Nossa ligação ultrapassa o conceito do que se entende por eterno."

Será que Joana irá acreditar nessa história e quanto ao encantamento que a faz desmaiar com o toque de Cauã? Só lendo para descobrir!

Gentee, que livro viciante! Estou encantada com a história que a Ana Ferrarezzi criou, lembro-me que eu adorava as histórias sobre o folclore na minha infância, principalmente a do boto cor de rosa haha, e agora relembrar alguns desses personagens foi uma verdadeira nostalgia, me apaixonei pela história linda e emocionante do amor entre o Sol e a Lua, sem deixar de mencionar as cenas de batalha e romance entre os personagens. Na maior parte do livro, a narração está em primeira pessoa, pela Joana, mas a autora também optou por mostrar os pensamentos do Cauã e dos amigos em terceira pessoa. Com uma edição tão linda que deixou-me encantada e uma história linda, rica em detalhes, envolvente, e muito bem escrita de um modo que o leitor conecta-se rapidamente com os personagens incríveis e maravilhosos e passa a torcer pela felicidade não apenas entre Cauã e Joana, mas também dos seus amigos. A descoberta dessas novas entidades foi o suficiente para me deixar bastante curiosa para saber mais sobre essas lendas. Essa é uma história que deveria ser lido por todos que amam uma boa fantasia e que gostariam de conhecer mais sobre essas lendas folclóricas e se apaixonarem por esse casal lindo e divertido. Vale a pena conferir!


comentários(0)comente



Blog com V 17/07/2017

Resenha – Entre o Sol e a Lua
Com um número grandioso de páginas, essa literatura envolve gêneros os quais já estamos habituados a ler como ficção, fantasia e romance e traz o folclore como temática principal e não usual, constituindo uma obra única e singular.

O romance se inicia de forma explicativa e introdutória, as primeiras páginas podem parecer confusas a primeira vista devido à quantidade de informações, porém são essenciais para se contextualizar acerca da temática que a trama discorre. Após a explanação sobre algumas entidades presentes na mitologia tupi-guarani, somos apresentados aos personagens que representam essas entidades e também somos envolvidos pelo mistério e incógnitas que as cercam.

Continua em...

site: https://blogcomv.org/2017/07/17/entre-o-sol-e-a-lua/
comentários(0)comente



Camila Justi | @JustiBooks 13/06/2017

Mitologia Indígena
Joana mora em São Paulo com seus pais, em busca da sua liberdade decidi se mudar para o Rio de Janeiro e trabalhar na Assendent, uma empresa multinacional.

Sua contratação foi de fato muito suspeita, mas ela nunca imaginava o motivo pelo qual tinha sido selecionada e e todos eram muito receptivos com ela, como se a conhecessem há anos, principalmente o CEO da empresa Cauã. ••
A verdade é que Joana e Cauã são na verdade Jaci (entidade da Lua ) e Guaraci (entidade do Sol ). Há muitos anos são almas gêmeas e vivem entre encontros e desencontros, porém Joana não tem lembrança de nada e será como se fosse a primeira vez.

Confesso que no início fiquei um pouco intimidada pela quantidade de páginas e o prólogo ser um pouco complexo de entender. Mas no decorrer da leitura me apeguei muito ao enredo, que é repleto de lendas e mitologia indígena, e, em nenhum momento, se tornou maçante. Quando vi já estava nas últimas páginas e querendo mais. Aliás este é o 1º livro da série Esmeralda. Indico muito essa leitura
comentários(0)comente



Nilton Alves 05/03/2017

Uma história de um amor além do tempo
Resenha do Livro "Entre o Sol e a Lua " da autora Ana Ferrarezzi publicado pela editora Novo Século em 2016.
_a historia começa falando da primeira vez em que o Sol se encontrou com a Lua e se apaixonaram e passaram a viver na terra em forma humana. Somos apresentados ao amor entre os dois e como esse amor foi crescendo com o tempo e enfrentando alguns problemas que você verá durante a leitura do livro. Aconteceu uma coisa muito grave e Jaci voltou para a Lua e depois de 500 anos Joana que é Jaci entidade da Lua está de volta a terra em forma humana. Cauã a entidade do Sol reencontra sua amada, mais ela está enfeitiçada o que a empedi de ser tocada pelo seu amor e não tem consciência de quem realmente é. Cauã passou esses 500 anos sofrendo pela falta de esta ao lado da sua amada Jaci e agora que ela voltou precisará proteger ela de outras entidades do mal,  junto com seus amigos.
Um romance muito lindo que ultrapassa os limites de tempo e espaço.
_Com uma narrativa envolvente a autora Ana Ferrarezzi inspirada em nosso folclore brasileiro dar vida a personagens míticos e encantadoras lendas. Em um enredo intrigante e mágico conhecemos os personagens e suas personalidades únicas. Entre o Sol e a Lua é um daqueles livros que nos fazem viajar com sua leitura. Os personagens são muito bem construídos o que faz o leitor se apaixonar por eles logo no começo da leitura e a autora conduziu muito bem os acontecimentos no decorrer da história dispertando mais o interesse do leitor para saber o que vai acontecer nas próximas páginas.
_Além da capa e contra capa serem lindas nesse azul escuro com a imagem do casal Joana e Cauã e atrás deles Jaci e Guaraci, o livro possui orelhas. O livro é dividido em 46 capitulos e contém 516 páginas amarelas.
_Agradeço muito a autora por me confiar sua obra, é a primeira vez que leio um livro dela e eu adorei a escrita dela e obrigado por me proporcionar mais uma feliz leitura. Recomendo a leitura e Dou ?????
comentários(0)comente



@blogleiturasdiarias 05/12/2016

Resenha | Entre o Sol e a Lua
É um livro bem diferente do que estamos acostumados a ler. E isso é no sentido bom. Com misturas de romance, fantasia e folclore brasileiro, Entre O Sol e a Lua veio para desmitificar que cultura brasileira é ruim. Leia esse livro e descubra como nosso país é rico em mitologia.

Esse primeiro volume da série Esmeralda, nos traz a história de Jaci e Guaraci. Jaci e Guaraci são respectivamente a Lua e o Sol, duas entidades que se amavam e resolveram se materializar em humanos para concretizar e pode viver esse amor. Porém acontecimentos passados fizeram eles se separar, fazendo com que quando Jaci retornasse em corpo humano não lembrasse nada do seu passado e nada do seu Guaraci. Atualmente Guaraci com nome de Cauã está esperando há 500 anos o retorno da sua amada e está despedaçado. Joana, que detém Jaci no seu meio, não desconfia nada disso quando é contratada para trabalhar na empresa do seu futuro amado. O que eles não esperavam é que para ficarem juntos, teriam vários percalços.

Quando iniciei o enredo tive o completo medo de não saber lidar com essa lado da nossa cultura que eu não conhecia. Porém a autora, já ganhando um ponto positivo, nos começa mostrando um conto que está presente no prólogo sobre Guaraci e Jaci para nos situarmos no que seremos apresentados e não por satisfeito, temos um glossário e termos próprios que nos ajuda e muito durante a leitura.

Com suas mais de 500 páginas a trama não se prende apenas em certo gênero. A todo instante temos aventura, temos romance e temos a fantasia muito bem representada. E isso enriqueceu muito a escrita junto com a história. Quando pensamos que uma situação iria decorrer e autora iria por um ponto final, ela desmembra, faz revirar e nos vemos em uma nova situação. A pesquisa com certeza foi grande porque apesar de a todo momento sermos apresentados a nova entidades, a novos elementos, a narrativa possui uma amarração. Nenhum elemento foi colocado e ficou sem resposta.


" — Estou lhe dizendo isso, meu amigo, para alertá-lo sobre a felicidade. Ela é como a água. Quando a gente acha que capturou, ela escorre entre as mãos."

A interação também dos personagens é bem cativante. Quando conhecemos os principais e alguns secundários, de alguma forma todos já tinham alguma ligação de amizade, ou romance, ou de ser conhecido. E isso é muito benéfico para também o leitor se conectar. Destaque para o Gabriel, que representa Rudá - a entidade do amor, que dá os toques a mais em tudo que decorre.

E o romance que move barreiras e move mundos é tocante. É surpreendente o quanto você fica encantando com tudo que a Ana nos traz. E percebe o quão pouco da cultura brasileira você conhece. Ela avisa no início que pediu licença poética para desfigurar um pouco os contos, mas ao decorrer elas nos apresenta um pouco dos originais e isso é fantástico. O que podemos também citar é o quão descritiva os acontecimentos são. Não é feita de forma exagerada, e sim com o ponto exato para não exaurir o leitor.

E eu tenho que confessar que a capa é belíssima. Representa nós, representa o que nos é contado. A narrativa é feita de forma alternada entre os pontos de vistas dos protagonistas em primeira pessoa e alguns pontos de vistas de personagens secundários em terceira pessoa.

Foi uma surpresa positiva a leitura e o quão ela é maleável no sentido de que não é só fantasia, não é só romance como já tinha dito. Ela é muito mais que isso e nos traz conforto de ler. Este é o primeiro livro de quatro da série Esmeralda e ele te convida a conhecer mais nosso Brasil.


"O coração anda no compasso singular. Único. Um sentimento não reconhece o conceito da razão. A relação direta do tempo com a intensidade do sentimento. A paixão simplesmente acontece e domina nossa vida sem que o tempo tenha qualquer relação com isso. Simplesmente não se consegue aguardar. Subitamente, se torna uma necessidade fisiológica."

site: http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/2016/12/resenha-entre-o-sol-e-lua.html?utm_source=bp_recent&utm-medium=gadget&utm_campaign=bp_recent
comentários(0)comente



Cami @leiturizar 03/12/2016

Uma aventura épica! Um romance avassalador!
Olá leitores tudo bem? Confesso que ainda estou um pouco impactada com esse livro. Mas para vocês entenderem bem permitam-me contar uma história.
O livro gira em torno da mitologia tupi onde Guaraci, a entidade que representa o sol se apaixona perdidamente por Jaci, representante da lua. Eles não conseguiam se encontrar então o representante do amor, Rudá, cria o eclipse. Jaci e Guaraci cansados de viverem juntos por pouco tempo decidem descer a Terra para viverem sua história de amor. Até que um dia Guaraci precisou se ausentar por um tempo para resolver questões com o seu elemento e Uauiara, o boto cor-de-rosa, passeando pela terra, avista Jaci se banhando no lago. Ele não sabia quem era ela é então a enfeitiçou com seu charme e a possuiu. Depois que Jaci recobra a consciência se dá conta de que traiu Guaraci e aí vem o seu primeiro desmantelamento. Guaraci fica furioso com o boto e esse não sabe o que fazer para se desculpar pois se sente muito culpado pelo fato. Resumindo.. Passou-se um tempo e o casal conseguiu perdoar Uauiara e todos passaram a viver em perfeita harmonia até Jaci se desmantelar novamente.
O conto original é transcrito no início do livro e a partir de então começa a jornada para reencontrar Jaci, na qual eles descobrem que agora, ela responde por Joana.
Uma entidade não pode morrer, então ela deixa sua condição de humana e volta para o seu elemento, por isso se chama desmantelamento. Quando ela quiser retornar para Terra, retorna de modo normal, em condição de humano, porém com a memória intacta, ou seja, se ela viveu outras vidas aqui e se desmantelou outras vezes, quando ela volta novamente, virá junto toda a memórias das outras vidas.
Vindo para os dias atuais, Joana mora no interior de São Paulo e tem um namorado louco, cruel e agressivo, onde ela tenta terminar com ele várias vezes, porém é sempre desencorajada por Camilla, uma loira linda e melhor amiga de Joana. Sandro sabendo dos perrengues que a amiga passa com o namorado lunático, descobre que uma empresa multinacional no ramo de ecologia e ambiente sustentável localizada no Rio de Janeiro, a Assendent, está contratando pessoas e incentiva Joana a se inscrever, até que ela começa a trabalhar no local e conhece Cauã, o CEO da empresa nas horas vagas e domador dos raios solares que esteve procurando por ela por uma longa data. Ao iniciar o trabalho, ela não tinha ideia do que a esperava e dos desafios que iria enfrentar a fim de conseguir restaurar a paz entre os habitantes de Ci (a Terra).
Pra começar, Tau que é a entidade da destruição, espalha um boato sobre uma entidade chamada de Guardião do Tempo que quer destruir Ci (a Terra) e que para isso, haverá a abertura de um portal que os transportará para um outro planeta com características similares a Terra, mas que para isso teriam que entregar Joana como moeda de troca, foi o acordo que a entidade do outro planeta fez. A partir daí dá-se início a corrida pelo ouro pra capturarem a pobre moça que, como se não bastasse estar fraca, sem memória e não ter nenhuma conexão com a Lua, ainda sofre um encantamento encomendado que a faz desmaiar toda vez que Cauã a toca. Cauã e seus amigos estão em uma corrida contra o tempo para desfazer esse mal e ajudar Joana a se lembrar de quem é e o que ela representa. Eles farão de tudo para proteger a amiga de problemas inimagináveis e inimigos dispostos a tudo para entregá-la de bandeja.
O livro é repleto das mais diversas aventuras onde os personagens principais matam um leão por dia para que ao final desse dia ocorra tudo bem, por assim dizer.
Me identifiquei muito com Joana pelo fato de ela ser meio estabanada e carismática, apesar de ser muito ingênua também (houve momentos que quis dar uns tapas nela pra ver se ela acordava pra vida, mas felizmente com o decorrer da história ela vai amadurecendo e se tornando mais forte, passa a assumir seus poderes com precisão e dá a volta por cima).
Cauã, a entidade do sol, é de fato um verdadeiro deus da beleza, e com o avançar da trama se mostra um cara apaixonado, com saudades de sua amada e capaz de tudo para protegê-la.
Gabriel é Rudá, a entidade do amor, e ele sempre está tentando apaziguar os ânimos, tentando reconciliar o casal e procurando soluções para os problemas que eventualmente surgem ao longo da trama.
Lina é Iacy a chefe das icamiabas (amazonas, sim tem amazonas na estória também e elas são demais!!) é uma mulher de fibra, linda, amável, valente e muito atenta também. Ela treina as icamiabas com o objetivo de ajudar Jaci/Joana e também de protegê-la da fúria de algumas entidades. Ela e Gabriel tem um relacionamento de longa data onde mostra que até o amor pode surpreender o amor.
Agora quem eu virei fã de verdade foi Cristiano, que é Uauiara, o boto-cor-de-rosa. Ele tem um charme diferenciado, é o típico libertino, que vive com o objetivo de saciar sua paixão e amar sem limites, além disso, ele é responsável pelos sentimentos e emoções das pessoas ao seu redor, ele cria um clima de paz ou hostilidade, tudo de acordo com a sua vontade. Ri inúmeras vezes com a capacidade que ele tem de entrar em confusões e como ele fica quando encontra uma mulher bonita por perto. Ele é o clássico amigo engraçado e dinâmico que todos nós temos, que damos boas risadas na companhia dele, mas além de toda essa fachada de namorador galante, que é de acordo com a sua essência, há um homem bom e preocupado com o bem estar daqueles que ele ama.
O livro goza de uma diversidade cultural que é raramente explorada, pra não dizer nunca. É um livro cheio de fatos onde a cada página virada você vai conhecendo mais da mitologia tupi e também seus guerreiros e vilões, das lendas e crenças que o povo indígena acredita mas acima de tudo, fala sobre o amor, um amor milenar, amor de almas gêmeas onde o tempo (e bota tempo nisso, para ser precisa, 500 anos) não consegue diminuir ou acabar com esse amor.
Mostra também que mesmo no mundo das entidades há a presença constante da inveja, onde as entidades do mal se rebelam para afastar Cauã de Jaci, e uma dessas entidades ainda tentam ocupar o lugar da moça ao lado do belo rapaz ensolarado. Mas se com essa informação você pensou que era algum tipo de clichê, sinto muito em te decepcionar meu amigo, mas esse livro não tem nada de clichê, é totalmente inusitado, imprevisível do início ao fim.
Eu achei lindo o carinho que o grupo de amigos tem com a Joana, com a forma que eles a tratam e a ajudam. É impossível não comparar a amizade dela com Lina, e dela com Camilla.
A autora tem uma escrita viciante, pra terem ideia eu lia em média 100 a 150 páginas por dia, por isso contribuiu pra eu terminar o livro rapidamente. A leitura é leve, dinâmica, marcante e nem um pouco cansativa, são 510 páginas de puro divertimento, onde eu experimentei as mais diversas sensações. Ana não deixou nenhuma ponta solta, mas ficou claro que assuntos que não foram explicados nesse livro, ou então que foram pouco explorados serão mais aprofundados nos livros seguintes, portanto cheguei a conclusão que essa linda história repleta de desafios, ações e romance está longe de acabar e eu mal posso esperar para ver quais serão os próximos acontecimentos e o que o destino reserva para o nosso casal lindo e seus amigos.

site: https://leiturize-se.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Vivis A. 07/11/2016

Entre o Sol e a Lua - Ana Ferrarezzi
E o fôlego?Cadê? Não retornou ainda!


Entre o Sol e a Lua é o primeiro livro da série Esmeralda (minha alma já clama pelos outros).Esse livro me conquistou por inteiro.Primeiramente pelo fato de ser inspirado em lendas da minha querida terra,meu querido estado Amazonas.Um livro trazendo elementos das lendas tupi-guarani.


Lendo esse livro me lembrei da minha infância (não que eu não seja criança ainda,eu sou.Tenho 18?Tenho,mas meu lado "criança" nunca morrerá).Lembrei do tempo que estava no primário e estudávamos essa e várias lendas de maneira divertidas e criativas como peças, e minha parte favorita : as cantigas.


Ana Ferrarezzi me impressionou com a mesclagem que fez das lendas com romance contemporâneo.Foi perfeitamente mesclado!


Nas primeiras páginas a autora nos apresenta o conto original.O conto em que o Sol (Guaraci) e a Lua (Jaci) apaixonam-se perdidamente.



?Foi uma verdadeira surpresa para o Sol.Ele vagava e observava atentamente o movimento ao seu redor,até que encontrou a Lua,surgindo detrás da Terra. Como jamais vira esse curioso astro circulando a Terra?Intrigado,decidiu clareá-la.Foi assim,em meio à luz,que encontou seu brilho, sua sensualidade e fantástica entidade que o observava de volta com curiosa magia.Seu coração entrou em combustão, como se ele fosse capaz de ferver toda uma constelação. Naquele momento, invadido por um sentimento profundo de desejo e paixão que nunca conhecera,se rendeu.? 



 Mas como viver esse amor em total plenitude se a distância entre eles era absurda demais?! ~ choro ~


O Sol (Guaraci) pediu ajuda a seu grande amigo,Rudá.E sábio como era,reconhecia que :


?Felizmente, o amor não reconhece qualquer barreira física, diferença entre luz e escuridão, dia e noite,tampouco o conceito da impossibilidade.?


~ Aaaaahhhhhh  frase linda! Vontade de tatuar ela na testa! (kkkkkkkkkkk) ~


A solução que Ruda encontrou? O Eclipse!



?Finalmente, Jaci e Guaraci puderam se encontrar! Sem perder tempo se amaram intensamente. O encontro os surpreendeu de tal maneira que não conseguiam mais se distanciar. Em consequência, o eclipse perdurou por dias?



Isso começou a afetar o equilíbrio do sistema,já que o Sol deixou de direcioná-lo.


Mas uma vez Rudá os aconselha. Diz que eles devem viver na Terra,e assumirem formas humanas, mas jamais seriam totalmente humanos.Ainda teriam a essência de seus elementos e os representariam.


E assim eles passaram a viver esse amor.Passaram a viver entre os humanos, até que um fatídico ocorrido fez com que Jaci (a Lua),desmantelace,ou seja,desistisse de sua forma humana.E assim o fez,retornou a Lua.


~ pausa para limpar as lágrimas... É difícil digitar chorando,não? ~


Guaraci,retornou do Sol e não encontrou sua amada.Soube que ela havia desmantelado pelo bilhete que deixara.


Esse fato não abalou apenas esse grande amor,mas também foi o início de grandes e trágicas mudanças.


~ é surpresinha hahahah  ~


E a narrativa deste livro?Surpreendente!


Eu sou muito indecisa,e sempre me pergunto se prefiro livros em terceira pessoa ou em primeira.Nesse livro,eu não precisei pensar nisso!


Somos apresentados a uma narrativa fragmentada (Amo isso!) com a presença de um intruso o meu querido narrador onisciente,aquele que narra em terceira pessoas,e também a presença de um narrador-personagem que é a nossa querida Joana.


Joana é Jaci(a Lua),mas não tem conhecimento disso.


Joana que até então vivia no interior de São Paulo,busca por mudanças após sair de um relacionamento conturbado com Rodrigo.


Buscando por liberdade e buscando principalmente a si mesma,Joana,por sugestão de seu amigo,Sandro,envia seu currículo para a empresa Assendent.


Já ligada aos assuntos empresa,Joana conhece personagens que serão de suma importância para a história.Personagens que se tornarão muito queridos e deixarão a história ainda mais envolvente.


Personagens que foram explorados perfeitamente, assim como todo o enredo! A riqueza de detalhes é maravilhosa e não deixa nada cansativo.


Cauã, o Sol,é CEO da empresa,e o encontro desses dois (Joana e Cauã) é intenso e tenso (kkkkkkkkkkk)


?De repente, e sem dar qualquer sinal,ele girou o torço e nossos olhares se encontraram.Ele parou,cerou os olhos e deu alguns passos para trás. Notei una nota de espanto em sua expressão. Encaramo-nos,sem piscar, nos mesmos segundos parei de respirar.Era como se seu olhar tivesse invadido meu corpo e tocado em minha alma.?



Cauã agora,deve contar a Joana quem ela é realmente. Mas como fazer isso? Imagine,chegar a uma pessoa e dizer : "Oi,eu sou a entidade do Sol e você da Lua,somos eternos amantes"


Mas Cauã, tentará.Não aguenta mais ficar longe da sua Jaci.


~ 3...2...1... Awwwwnn
comentários(0)comente



Letty 05/11/2016

Resenha: Entre O Sol e a Lua - Série Esmeralda (Vol. 1) ~ Ana Ferrarezzi | Feita pelo blog Amor Literário
"Entre o Sol e a Lua" é o primeiro livro da Série Esmeralda e foi escrito pela autora Ana Ferrarezzi, autora também dos livros Alma Gêmea, Imprevisibilidade, entre outros. Antes de focar bem no livro, preciso falar que foi um livro que realmente me prendeu. Ele é MUITO grande mesmo e quando o iniciei, achei que seria uma leitura frustante, mas a escrita, o enredo, os personagens e os detalhes me prenderam significativamente no livro, demorei dias para ler tudo. Toda a história requer atenção máxima para cada detalhe, pois ela é realmente extremamente muito detalhada e se algo passar despercebido, vai precisar voltar e ler tudo novamente, então eu me dediquei muito na leitura e acabei apaixonada por Guaraci, no final de tudo.
"Seu coração entrou em combustão, como se ele fosse capaz de ferver toda uma constelação. Naquele momento, invadido por um sentimento profundo de desejo e paixão que nunca conhecera, se rendeu."
Joana, que acaba de sair de seu relacionamento extremamente conturbado e doentio com Rodrigo, acaba se inscrevendo em uma vaga de emprego para a empresa Assendent, que fica no Rio de Janeiro, e para sua enorme surpresa, Joana é convocada para o cargo no qual a empresa oferecia. Logo ao chegar na Assendent, Joana percebeu ser tratada diferente dos demais, e não só ela percebeu isso, como todos. Coisas começam a acontecer por toques de alguém que deveria ser desconhecido, mas que Joana sente ser extremamente familiar.

A história possui, de verdade, detalhes incontáveis. Fala bastante sobre nossa cultura, nossas lendas, os elementos e raízes folclóricas. Nunca li nada igual. Narrando "o presente" com muitos e muitos flashbacks do passado, tem como um dos temas principais Jaci (a Lua) e Guaraci (o Sol). Diz como eles se apaixonaram, como se entregaram de corpo e alma em paixão arrebatadora, e ah... como eu me apaixonei por Guaraci. O amor de Guaraci e Jaci ultrapassa tudo que conhecemos como eterno e a cada página isso é provado.

Jaci demorou 500 anos para voltar depois de seu último desmantelamento e quando voltou, não se lembrava de nada e nem de quem era, (entidades possuem memória eterna), e isso faz todos descobrirem que ela estava presa por um encantamento.
"Felizmente, o amor não reconhece qualquer barreira física, diferença entre luz e escuridão, dia e noite, tampouco o conceito da impossibilidade."
Jamais conseguirei pensar novamente na Lua apenas como um satélite e o Sol como uma estrela, (ou uma bola de fogo), a Lua se tornou Jaci e o Sol se tornou Guaraci, para mim. E, a cada dia que passar, vou admirar esse amor sendo escrito nos céus, enquanto eles se amam a cada início e final de dia e noite, pintando seu amor em cores lindas no horizonte.
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2