The Silent Waters

The Silent Waters Brittainy C. Cherry




Resenhas - The Silent Waters


46 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Cristina 24/05/2017

Salvou a minha vida!!!
O livro é maravilhoso e trás tantos ensinamentos de amor, paciência e auto descoberta que eu só sei dizer: LEIAM!!!
Mas a parte principal e que, literalmente, salvou minha vida foi a nota da autora. Ela conta sua identificação pessoal sobre a história e dedica o livro. Sua dedicação falou direto comigo em um momento em que eu havia perdido absolutamente a minha voz:
"
Então, este livro foi escrito por mim, mas não só para mim. Ele é para todos os Maggie May's do mundo, que às vezes se sentem tão perdidos e sozinhos. É para aqueles que se sentem invisíveis. É para aqueles que têm ataques de pânico em seus quartos escuros durante a noite. É para aqueles que choram para dormir, e acordam na manhã seguinte com manchas de lágrimas ainda contra as fronhas. Este livro é seu. Este livro é sua âncora. Este livro é prova de que você, também, vai encontrar a sua voz. Você é digno de amor, e sucesso, e seus sonhos se tornando realidade. Nunca pare de falar, mesmo quando sua voz começar a tremer, ok? Jamais desista de si mesmo. Você é importante, você é amado, e sua voz bonita importa."

Ele me fez não desisti. Obrigada Brittainy
comentários(0)comente



Giiovannaayres 17/05/2017

Estou me afogando!
Brittainy é aquele tipo de autora que sempre vai te arrancar suspiros, lágrimas e sorrisos ao longo da leitura.
Em The Silent Waters não foi diferente. O livro é todo muito intenso, os conflitos que os protagonistas enfrentam muitas vezes dão essa sensação de "afogamento" é desesperador, você quer ajudar, torce pra que de alguma forma no final tudo corra bem e eles encontrem uma solução.
Foi intenso, doloroso, mas me arrancou muitos suspiros! As referências musicais foram incríveis, os livros citados nem se fala!
E não tem nada que me faça suspirar mais do que o amor a primeira vista!
Enfim, uma excelente leitura que vou recomendar MUITO.
comentários(0)comente



Lurdes 30/04/2017

Diferentemente de A chama dentro de nós que achei uma decepção, The Silent Waters sim é um livro típico da Brittainy, ou seja, maravilhoso!
comentários(0)comente



Ru 21/04/2017

FAVORITO
"É isso que significa amor verdadeiro. Amor verdadeiro significa que você poderia rir dos erros. Amor verdadeiro significa que você poderia sussurrar segredos. Amor verdadeiro significa que você nunca teria que dançar sozinho
comentários(0)comente



Portal JuLund 20/04/2017

The Silent Waters, @BrittainyCherry
A cada livro Brittainy surpreende e me fascina mais. Uma tragédia no passado, depois passado e presente comprometidos por famílias desestruturas e agora uma gota que pinga no mar e faz inúmeras ondas na água, um momento que desestrutura toda uma vida. Ar, fogo e água. Sem sombras de duvidas esse é o livro até agora mais profundo, a família Franks é sugada para profundidade do mar, o livro mostra com um ato pode, e as vezes faz transformações na vida de inúmeras pessoas.
No prologo, temos Maggie com 6 anos e seu pai,Eric , se mudando para casa de Katie e conhecendo “os irmão” Cheryl e Calvin,e seu amigo Brooks.O livro começa realmente 4 anos depois, quando essas duas micro famílias se tornaram uma só.
E lógico que o Brooks tinha de ser alguém importante na historia, então de primeira vemos cartas trocadas pelos dois, e é uma das coisas mais fofas que vi na vida. A inocência e vivacidade que crianças demonstram amor.
E a dinâmica dos irmãos e amigos é linda também, a autora dosou bem os momentos alegres, com os tensos que irão aparecer ao virar das paginas.
Um momento, um simples descuidar da mãe, o não poder escolher as flores para o casamento e o atraso na escolha da gravata, os e se da vida… Maggie está na hora errada, no local mais errado ainda, e acaba presenciando um homicídeo, cheiro de alcaçuz e cigarro, aquela tatuagem e os olhos, olhos do diabo.Olhos que a perseguiriam por anos.

“Shh.[…]Shhiuuuuu”

Maggie se aprisiona dentro do seu mundo, após conseguir fugir do assassino do bosque, ela ouvi e passa a viver sobre ameça. Um momento que tira tudo dela.

Resenha completa no

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/resenha-de-the-silent-waters-brittainycherry
comentários(0)comente



Bia 19/04/2017

“O mundo continua girando porque seu coração continua batendo.”
A história de The Silent Waters dividida em três partes. Começa com Maggie, ainda criança, indo morar na casa da sua nova madrasta. Seu pai já passou por alguns relacionamentos ruins, mas o de agora parece ser para sempre. Só que ela também tem filhos. Dois, na verdade, com seu falecido marido. Cheryl é mais nova e logo de cara Maggie sabe que elas serão melhores amigas. Calvin é o tópico menino, mais interessado em jogar videogame do que conhecer sua nova irmã. Mas junto dele está Brooks, seu melhor amigo e aquele que viria se tornar sua âncora.

Alguns anos se passam e Maggie, ainda criança, se diz apaixonada por Brooks. Tanto ao ponto de planejar o casamento dos dois. Mas é no ensaio do mesmo, ao tentar ir de encontro a Brooks no meio da floresta, que Maggie May presencia algo que vai mudar sua vida e todos aqueles ao seu redor para sempre.

Esse é o tipo de história que não dá para falar muito sem soltar spoilers. A segunda parte sobre um pouco da adolescência de Maggie e Brooks e a terceira já conta a vida deles adultos.
[...]

Para conferir o resto da resenha, acesse o blog e aproveite e deixa lá seu comentário ;)

site: https://paginaebooks.wordpress.com/2016/09/23/resenha-the-silent-waters-elementos-3/
comentários(0)comente



Kelly Martinez 18/04/2017

Não foi tudo aquilo
Vamos lá... comecei o livro com toda expectativa desse mundo, afinal de contas é a Brittainy, a mulher que escreveu " o ar que ele respira" ...
Até a metade foi tudo bem, achei que choraria rios de lágrimas e tals... mas aí a estória não evoluiu comigo... sei lá... achei o livro bom, o Brooks, protagonista masculino é uma Graça, tudo o que vc espera de um carinha mas a sensação do "sei lá" permaneceu...
Acho que a autora não foi muito profunda .., qdo vc se propõe a falar de traumas pessoais, como o ser humano atinge o fundo do poço, como as pessoas se quebram e se tornam amargas, tem que haver muita profundidade, o que aqui nesse livro não se viu...
O livro é bom... mas não é aquela coisa toda! Vale 3 estrelas, pq hj eu tô boazinha!
comentários(0)comente



Tânia (@ritmoliterario) 15/04/2017

A capa me enganou direitinho.
Vou tentar falar sem dar spoiler, mas confesso que sera um tarefa difícil, tamanha minha indignação com essa estoria.

Eu já tinha lido um livro dessa autora, foi Sr. Daniel's e gostei bastante, então quando fui desafiada por uma amiga a ler esse imaginava que seria uma leitura fácil e agradável, mas foi justamente ao contrário. Fiquei dias empacadas nesse livro, uma estoria onde os personagens principais não me cativaram e os personagens secundários salvaram um pouquinho a estoria.

Já no começo senti meio que desnecessário esse “envolvimento amoroso” entre aos personagens, caramba, são crianças e já pensam em coisas de adulto. Tudo bem que a autora quis dar um ar de inocência e fofo, mas para mim não colou, ficou prematuro e bobo demais.

Quando acontece o grande “bum” da estoria, me animei, porque sabia que a partir desse ponto o relacionamento dos personagens seria construído e teríamos um trauma a ser tratado e superado certo? Errado. Claro que o que aconteceu com Maggie foi grave, foi sério e drástico, e coisas desse tipo deixam marcas profundas e para que se possa superar é necessário luta, empenho, apoio, amor e tempo, muito tempo. Mas o que vi aqui foi só o tempo, tempo, tempo, tempo e tempo. A autora foi empurrando a situação a diante como se tudo fosse se resolver num passe de magica.

A mocinha se afastou do mundo, e criou outro mundo no qual ela tinha o controle das paredes. Ela simplesmente desistiu, se escondeu no canto escuro e assistiu a vida dos outros seguirem, e os que ficaram, assistiram ela desistir de viver de camarote. Fiquei me perguntando como uma família que sabe a gravidade do problema da filha não procura ajuda especializada, não houve médico, psicólogos, psiquiatras. Nada. Somente silêncio e braços cruzados.

E sobre o relacionamento entre Maggie e Brooks, eu bem que tentei me envolver, torcer, suspirar. Mas como gostar de um casal que se deixa levar, que mesmo diante de tantas limitações ao invés de tirar forças para superar, não, deixam passar e só se lamentam e se conformam.

Uma garota/mulher que tem sérios problemas, mas não luta para se curar e poder viver o que mais sonha desde pequena. Ela sabe que tem o poder de começar a se reerguer, mas prefere deixar os medos vencerem. Ela sabe o que esta perdendo. Ela sabe a quem esta afetando. Ela sabe que o tempo não perdoa, e mesmo assim não tenta, desiste fácil. E isso realmente me irritou
E temos um garoto/homem que espera pacientemente um “milagre” acontecer para que ele se torne completo. E enquanto isso ele dá à Maggie o que acha certo, o tempo. Me poupe né!

E o mais “controverso” foi que depois que acontece algo grave com Brooks ela entende que esta na hora de enfrentar seus demônios, porque pelo amor dele vale esse esforço. E então começa a ter vida que deixou de viver há muito tempo. Agora ela luta por eles, ela se abre e grita para o mundo, como num verdadeiro passe de magica. Porque agora ela percebeu que é tudo ou nada, e esta profundamente magoada. Será mesmo? (essa cena ainda esta entalada na minha garganta)

Enfim, não gostei, achei que muita coisa não teve sentido. Faltou profundidade nos fatos, e eu não estou dizendo que pessoas que passaram pelo o que Maggie passou não devem sofrer, pelo contrário, devem sim e é muito traumático. Mas tem que ter coerência, e aqui faltou e muito. Tudo de enrola ao máximo para acontecer e depois se resolve do nada. Era para esse “sentimento” ser capaz de curar, certo? Não foi o que senti, acho que autora é daquelas que pensa que o tempo resolve tudo sozinho. Vamos sentar e esperar que logo passa. Já eu sou daquelas que sim, o tempo é necessário, mas e você não fizer nada para ajudar, no final só terá perdido oportunidades e o que passou não volta, não recupera.

Bom, essa é minha opinião.
comentários(0)comente



klau 15/04/2017

"Todo este tempo eu pensei que você estava lendo para escapar do mundo, mas agora eu sei, você não lia para escapar dele; Você lia para o descobrir.''

Ás vezes a vida não acontece da maneira que você acha que deveria, muitas vezes momentos e pessoas , podem modificar e até mesmo traumatizar por toda uma vida. Em quem confiar a partir dai ? Como retomar a vida após experiências tão traumatizantes ?

A amizade entre Maggie May e Brooks é algo fascinante, sem cobranças, apenas aceitando um ao outro da maneira como ele realmente é. May pode ter deixado de se comunicar com o mundo da maneira convencional , mas não a impediu de viver atraves, dos livros, na segurança de seu lar.

Às vezes as palavras eram mais vazias do que o silêncio.

Aqueles que acreditavam em você quando você não acreditava em si mesmo eram os que se mantinham firmes. "

site: https://klaumusicwithbooks.wordpress.com/
comentários(0)comente



Fihama 03/04/2017

Se emocionar, chorar e chorar de novo. Ter esperança de quem sabe o amor te salve da escuridão e do medo de viver mais uma vez.
comentários(0)comente



Rafaela.Teixeira 31/03/2017

Cinco minutos...?!
Sou totalmente à favor para que existam notas com 10 estrelas no Skoob, porque esse livro me tirou dá terra. Foi uma das histórias mais lindas que já li.
Um conto sobre superar seus traumas, sobre perdão, família e principalmente muito, muito AMOR.
Brooks e Maggie me encantaram do começo ao fim, mesmo quando não estavam juntos. Seus "pais e irmãos" também junto com seus amigos. Mostrou a importância de você saber que nunca está sozinho nesse imenso mundo e que seu verdadeiro amor sempre vai estar ao seu lado. Superar traumas é algo muito difícil, mas esse livro é capaz de te dar uma luz sobre como dar passos pra cura.
Eu deixei meu coração nessa história de tirar o fôlego e fazer você chorar em cada página.
Amei cada ponto e vírgula!
LEIAM!!!!!?
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 06/03/2017

Favorito!
Sabe aquele livro que você acaba de ler e quer falar sobre ele pra todo mundo e não consegue se expressar? É exatamente esse livro!

O livro aborda temas importantes e de uma forma natural a autora consegue fazer o livro ser ainda mais impactante em nossa vida. Ainda estou meio sem saber o que falar desse livro, mas vou tentar de alguma forma expressar todos os sentimentos que esse livro transmitiu e que está transbordando.

"Encontre-me no escuro porque é onde eu moro, abra seu coração e deixe as sombras entrar."

The Silent Waters é o terceiro livro da série Elements que está sendo publicado pela Ed. Record aqui no Brasil, o segundo livro é A Chama Dentro de Nós e foi lançado agora. Cada livro da série pode ser lido separadamente, já que a única coisa que tem ligação na série são os elementos. Assim como nos livros anteriores, no primeiro Ar Que Ele Respira, onde conhecemos Tristan e Liz lutando para descobrir o ar que os mantém sobrevivendo, em The Fire conhecemos Logan e Alyssa onde eles tentam lutar contra o fogo que queima e também pode confortar. Em The Silent Water conhecemos Brooks e Maggie que vão descobrir como a água pode purificar e também pode ser traiçoeira e nos machucar.


"Estar no amor com alguém não significa só amar durante os raios de sol. Isso significava que você ficaria ao seu lado durante as noites nubladas, também..."


Brooks e Maggie se conhecem ainda crianças, eles vivem aquele típico amor de infância onde vivem entre tapas e beijos. É lindo de ver a forma que se tratam e ao mesmo tempo engraçado. Porém, o destino foi traiçoeiro e Maggie um dia se depara com algo que a traumatizou para sempre, com isso ela perde a si mesmo e a sua voz, e um pedaço dela e de sua alma são roubadas.

Maggie tem dificuldade de seguir em frente, a família fica em uma difícil situação sem saber como lidar quando uma menina cheia de vida se torna triste e sem voz. A única pessoa que a compreende é Brooks, ele se transforma no grande protetor dela, o melhor amigo e aquele que escuta mesmo que ela nunca fale nada.

"Eu serei sua âncora. Eu vou te ajudar a ficar no chão quando você sentir que está se afastando... "

Eu me sinto uma estranha ao falar do amor deles, como se eu não fosse digna pra falar sobre isso. Eu senti os sentimentos de ambos, o amor deles é tão forte e profundo que faz até os momentos mais simples serem os mais importantes. Eles cresceram e amor deles também, essa forma de amor pura e profunda que me deixou sem respirar por vários momentos.

O livro é todo escrito em primeira pessoa, alternando entre Maggie e Brooks, dessa forma ficou ainda mais fácil de ver os medos que ambos sentem e o amor que eles tem um pelo outro. O que adoro na escrita dessa autora é que ela consegue transmitir todos os sentimentos dos personagens, mesmo que eu nunca tenha sentido nada daquilo, é como se ela fizesse eu sentir tudo o que os personagens sentiram.

"Uma pessoa nunca lê um excelente livro duas vezes e vai embora com as mesmas crenças. Um excelente livro sempre surpreende você e desperta para novas ideias, novas maneiras de olhar para o mundo, não importam quantas vezes as palavras foram lidas"


O livro começa ainda na infância e vai crescendo junto com os personagens, tanto no drama como no enredo. Quem leu os livros da Brittainy sabe que ela não tem pena do leitor e vai fazer você sentir aquilo que ela quer que você sinta. Ela fez um história quebrada, mas com personagens encantadores. Brooks é aquele homem que toda mulher sonha e quer ter do lado, homem que acho impossível de achar kkkkkk.

Resenha completa no blog

site: https://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2017/03/resenha-silent-waters-elements-3.html
Giselle 07/03/2017minha estante
MARAVILHOSO!




Mel 06/03/2017

O primeiro livro que eu li dessa autora foi, O Ar que ele respira e me decepcionei, porém nesse livro, ela total me cativou.
O trauma que a personagem sofre e que a modifica drasticamente foi o diferencial, nunca vi outro autor retratando tal assunto.
Uma historia linda e cheia de superação, a única coisa que não gostei, foi o jeito que a autora retratou um dos personagens que é vegetariano, ela o descreve como uma pessoa sempre pálido, magro e que vive doente, frisando como fica alguém que não tem carne em sua dieta. Sou vegetariana e não sou assim e não conheço nenhum outro vegetariano que o seja, talvez, talvez ela tenha conhecido alguém assim e usou isso para o descrever, não sei, mas achei achei preconceituoso e caricato, fora isso, amei o livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



adriana.campos. 14/02/2017

Expectativa é uma filha da p*ta
Bom, eu não sou de escrever resenhas, mas preciso desabafar sobre esse livro!
Vamos lá, não sei se criei expectativas demais ou se a história que é cansativa e arrastada. Não me entenda mal, a história é emocionante, e retrata um trauma que não posso nem imaginar quanto mais entender!
Mas não consegui me conectar com os protagonistas, e pra mim é essencial que eu me conectar com os personagens de alguma forma e com Maggie e Brooks isso não aconteceu! Outro fator que me levou a frustração, foi a falta de química entre os dois, sinto que a autora não trabalhou no romance dos personagens, e os coadjuvantes eram bem mais interessantes, como por exemplo, a Cheryl, me senti muito mais envolvida pela história da irmã dá mocinha.
O que é levou a uma leitura arrastada e quase sem fim, sim pulei algumas páginas, e você pode me perguntar porque não abandonou de uma vez? Porque tinha esperanças dá história melhorar, e também, porque li os outros dois livros anteriores dessa série e foram maravilhosos.
Então é isso, recomendo?
Sei lá :(
comentários(0)comente



46 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4