Conquistada por Um Visconde

Conquistada por Um Visconde Stephanie Laurens




Resenhas - Conquistada por Um Visconde


49 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


spoiler visualizar
Epo 04/09/2016minha estante
Sério?


Carla Solayne 04/09/2016minha estante
GENTE...ESSA RESENHA CONTÊM SPOILER!! QUEM QUISER LER O LIVRO, NÃO LEIA!!


Carla Solayne 04/09/2016minha estante
Sério sérissimo...mas gosto é gosto, tem gente que amou essa história né Epo...vai que vc ama tbm...rs


Epo 04/09/2016minha estante
Calma, esse não está na minha lista! Mas agradeço o aviso.


Brena Rocha 04/09/2016minha estante
Eu tava louca pra ler esse livro. Mas depois dessa tua resenha, nem vou me dar ao trabalho. DETESTO livro enrolação. E mocinhas chatas.Nunca li nada dessa autora, pretendia ler alguns dela, mas agora vou procurar mais resenhas antes de tentar.


Aninha 04/09/2016minha estante
Nossa, ainda não li, mas pelo jeito é decepcionante. Ahhhh é tão triste isso.


Fabiana.Martino 04/09/2016minha estante
Então... Esse nem passarei perto! ????


Carla Solayne 04/09/2016minha estante
Mas vai que vcs são do time que gostam de livre gente? Se quiserem ler, leiam e depois voltem aqui pq quero saber a opinião de vcs...hahaha


Brena Rocha 04/09/2016minha estante
Ah não, Sarah.Tenho um monte de livro, que tbm tô louca pra ler, na fila.É melhor eu ler algum livro interessante, do que esse.Pelo o que você disse, esse é do tipo de livro, que eu vou ter que terminar de ler, por obrigação. Kkk Deixa pra lá.


Carla Solayne 04/09/2016minha estante
kkkkkk...literalmente terminei de ler por obrigação...hahaha


Caroline Fortunato 27/12/2017minha estante
Obrigada pelo resumo; me poupou tempo.

Eu até entendo que tem gente que deve gostar, que é preciso ler antes para tirar as próprias conclusões, mas quando me pego lendo resenhas como a sua, prefiro sempre partir pra outro livro. Melhor não arriscar, né? Até porque eu leio, geralmente, em um tablet e não quero jogar ele na parede. HUhuhu.

Abração!


Miss V 05/07/2019minha estante
Parece que você leu minha mente e escreveu tudo o que eu queria falar. Que livro chato!




Eliete 25/04/2020

Poderia ser bom, mas...
Gente que livro arrastado! Demorei muito para finalizar a leitura.... a ideia do livro em si, é bem legal... mas é contada de uma forma tão, tão, mas tão arrastada que acaba com a vontade de continuar a leitura....mas o pior é que quero ler os outros para saber o final do enredo, que como disse é bom...
comentários(0)comente



Andressa 20/04/2020

Casal não ME convenceu
Infelizmente o romance não convenceu tanto, que em certo ponto do livro eu queria mais saber sobre as motivações pro sequestro dela do que como o casal teria o seu final feliz. Acho que a autora quis retratar um personagem masculino maníaco por controle até msm com as emoções no olhar (que nos livros, principalmente românticos, revelam mais verdade do que as palavras) que deixaram a mocinha mto insegura quanto aos sentimentos dele. Os últimos capítulos foram só sobre isso. Ele sendo orgulhoso demais pra demonstrar que ama a mocinha, e ela achando que ele não gosta dela, chegando a ser cansativo. Passando de receio amoroso, pra pura teimosia. A gente sabe q isso funciona em um enredo até certo ponto, mas em algum momento alguém tem que ceder. Teve uma hora que tava querendo pegar cada um pela mãozinha e falar "ela te ama. ele te ama. parem com isso. casem e pronto. ta feio ja ". Apesar de deixar umas pontas soltas (principalmente quanto a própria da resistência do protagonista pra se declarar pq fica óbvio que tem a ver com traumas antigos, mas ele não explicou nada, nem pra mocinha) a autora me deixou BEM curiosa. O bastante pra continuar nessa trilogia, pq ainda que a autora peque em alguns pontos, é um livro bom. Tem uma trama principal ainda n apresentada totalmente nesse primeiro volume, guardado pro último livro, o q deixou o romance do casal meio apagadinho, como algo secundário. Espero mesmo que o próximo me convença mais.
comentários(0)comente



Viviane 05/06/2020

Leitura tediosa
Livro cansativo, chato. Não prende a leitura de jeito nenhum, e quanto mais você lê, parece que mais páginas tem. Sério, fica arrastado demais. O começo é bom, te empolga até certo ponto, mas a mocinha do livro não ajuda.

Heather Cynster é aquela pessoa que parece que o mundo gira em torno de si. Parece uma princesa que todos tem que acatar suas vontades sem ao menos questionar. É teimosa feito uma mula, e isso irrita muito no livro. Quando ela é sequestrada pelos bandidos, o livro desanda de uma tal maneira que você não acredita. É ai que entra o mocinho, o visconde Breckenridge. Ele em si convence até certa parte. Vai atrás da mocinha ao vê-la em apuros, para resgatá-la, mas ao encontrá-la acontece coisas sem nexo. Tipo, ela querer ficar com os sequestradores para tentar descobrir quem é o mandante, e ele próprio concordar com as sandices dela. E essa enrolação fica quase o livro todo. Até a hora da nossa princesa chatinha decidir que é hora de ir. Achei o visconde sem opinião perante ela. Ele é esperto, soube enganar os sequestradores, é astuto, porém perto dela isso some.
Romance mandou lembranças aqui.

O vilão é o melhor do livro. Você não sabe quem é, e porque está fazendo isso. O pouco que aparece sobre ele, nos deixa curiosa, querendo saber mais. Roubou a cena do casal morno.
comentários(0)comente



Lisa.Vieira 29/08/2016

Um visconde rendido
Esse livro é o começo de uma série, e na minha opinião a autora usou ele para armar a trama, e já deixar uma setas aqui e ali.
Não é um livro fabuloso, e arrebatador, mas é sim um bom livro.
O que me deixou um pouco cansada, foi as voltas e mais voltas que o casal deu em volta da cama...porque a autora se prendeu muito ali, e história não ia nem vinha.
O começo é muito bom, do meio para o fim ficou repetitivo, mas no momento que eles se resolvem, e se declaram, é bem fofo.
Eu torci mais pra ele, que pra ela... que mocinha tola!
Mas vale a pena embarcar na série, e acredito que o segundo livro será DEMAIS, pois já mostrou que será com o vilão misterioso do livro 1, e a irmã da Heather... eu acho que teremos suspiros e mais suspiros por esse "vilão", que na verdade é um refém da mãe louca!
Esperando ansiosamente..
Janinha 01/04/2017minha estante
Tive a mesma impressão que você Lisandra! Estou ansiosa para ver esse vilão como mocinho! Acho que vai ser muito romântico!




Rafaela Regis 14/02/2019

Conquistada por Um Visconde - Stephanie Laurens
Eu simplesmente amo quando vejo séries de romances históricos, ainda mais sendo da Stephanie Laurens, então quando vi Conquistada por um Visconde tive um mini surto e o resto é história.

O livro começa e forma bem diferente e isso já me agradou bastante, sim tem aquele famoso prazo de validade espirando e tal, mas o que eu estou dizendo é que tem ação logo no começo do livro, mas calma!

Heather Cynster é uma jovem que já está passando da idade de casar e por isso sofrendo ainda mais pressões para tomar tal passo em sua vida, mas ela sempre encontra defeitos nos pretendentes, pois ela está em busca de seu herói da vida real e sabe que ele não vai estar nos chatos bailes da sociedade, e sendo assim ela começa a procurá-lo em lugares não tão convencionais. Mas ela não contava com um protetor relutante de sua virtude na forma de um dos amigos de seus irmãos.

No entanto um acontecimento não planejado se mete na vida da jovem que está sempre em busca de aventuras, sim esse acontecimento fascinante vem na forma de um sequestro! Sim! Ela é sequestrada na saída do tal baile em que ela estava buscando o seu herói.

E quem vai ao resgate de tal acontecimento, ninguém mais ninguém menos do que o Visconde Breckenridge, que foi o dito cujo que a colocou para fora do baile e é a pessoa que ela menos gosta no mundo, então já deu para perceber que vem coisa por aí!

Conquistada por um Visconde da autora Stephanie Laurens faz parte da série das Irmãs Cynter, que aqui no Brasil ele é o primeiro volume, porém na verdade ele é o decimo sexto livro da série dos Irmãos Cynter, ou seja tem coisas que acontecem aqui que não entendemos muito bem, enfim.. baile que segue.

O que falar de Heather, sim ela é uma mocinha decidida e sabe o que quer, só que no caso dela isso não funciona tão bem porque simplesmente o que é certo ou errado na cabeça dela só funciona para sua conveniência e porque estou dizendo isso: quem no mundo é sequestrado e quer ficar na companhia dos sequestradores para descobrir por quem foi sequestrada... Heather!

Isso mesmo, a mocinha tem várias chances de fugir do seu cárcere, está na companhia de seu salvador, vulgo Breckenidge (relutante, mas tá valendo) e continua lá! E só sai quando os sequestradores são pegos por um acaso do destino e a coisa fica feia.

Então começamos a acompanhar a "fuga" do casal de volta para casa, sim pois até então ficamos no dito sequestro sem pé nem cabeça porque o motivo e simplesmente levá-la para o "Chefe" que a quer para esposa! Oi?!

Mas sinceramente para mim o ponto alto não foi o casal ou até mesmo o sequestro e sim o "Chefe", a quem nos deixa com a pulga atrás da orelha sempre, sim eu estou curiosa para saber quem é ele e já fiquei feliz porque vai ter o livro dele sim!

Um ponto que me deixou bastante frustada na leitura foi que mesmo não gostando dos personagens, foi o fato do livro se arrastar até a morte, todos os eventos pareciam que levariam anos para acontecer e o livro ser muito descritivo (muito mesmo!), em alguns livros isso é ótimo mas no caso desse isso deixou a história ainda mais lenta e frustrante! Frustante do tipo:

"Está chovendo! As gostas de chuva batem na janela de vidro. A gota de chuva começa a descer lentamente pelo vidro da janela. A gota escorregou até o fim da janela de vidro e evaporou."

Argh! Devo dizer que parei a leitura várias vezes e só não abondei porque é um histórico, mas juro foi por muito pouco que não abandonei de vez!

Sim! Esse livro não é para fracos e confesso que foi o primeiro que peguei que me deu vontade de parar! No ais vamos aguardar o próximo livro e torcer para que seja o do "Chefe" e seja bem mais emocionante do que esse!

site: https://dlivros.blogspot.com/2019/02/conquistada-por-um-visconde-stephanie.html
comentários(0)comente



Cris Paiva 18/07/2018

Heather Cynster é sequestrada na saída de um baile, por ordem de um escocês misterioso, e o Visconde Breckenridge vê a cena e decide seguir a carruagem que leva a pobre mocinha indefesa para resgatá-la na primeira oportunidade.
Só que quando a oportunidade chega, a mocinha não quer ser resgatada! Pode isso?
Pode sim, Heather é esperta e tem um plano. Ela quer saber mais sobre o homem que mandou sequestrá-la, quer descobrir quem é ele e porque quis sequestrar uma das irmãs Cynster, e ela no caso, foi apenas a primeira que apareceu no caminho dos sequestradores. Ela sabe que não descobrir quem é o seu sequestrador, suas irmãs também estarão em risco.
Breckenridge concorda com o plano de Heather, mas até certo ponto. Ele não quer correr o risco de perdê-la para o escocês misterioso. E chega o momento em que o casal tem de tomar uma atitude e fugir para as montanhas para se esconder do sequestrador.

O romance do casal até que foi bonitinho. Eles se conheciam apenas dos eventos sociais e Heather mal havia reparado no visconde, mas os dois formaram uma boa dupla. O problema que eu vi foi que as situações se arrastaram demais; primeiro, a parte do sequestro até o “resgate” da mocinha demorou muito e depois eles passaram dias fugindo pelas montanhas e sendo perseguidos pelo escocês.
Agora, a melhor coisa do livro foi o tal Escocês misterioso! Confesso que torci mais por ele do que pelo tal mocinho que a autora arrumou.
Amanda Caldeira 18/07/2018minha estante
Verdade, o vilão é o melhor personagem. Doida pra chegar no último livro e ver a história dele!!!




Leilane 03/08/2016

Stephanie Laurens combina personagens divertidos e teimosos em um romance de época muito envolvente
Heather Cynster faz uma aposta arriscada ao ir a um sarau que não condiz com sua posição e status social, mas ela está decidida a tomar conta de seu destino e encontrar seu herói fora da mesmice dos círculos sociais que frequenta. Entretanto, seus planos são arruinados pelo irritante e belo Visconde Breckenridge que rapidamente a tira do local. Breckenridge é amigo da família de Heather e sabe que os homens da família Cynster o matariam se ele permitisse que ela ficasse naquele lugar de reputação tão questionável, por isso ele logo a manda para casa, mas o que ele não esperava é que diante de seus olhos Heather fosse sequestrada. Ele não pensa duas vezes e sai em uma perseguição alucinada para tentar resgatá-la; será que ele é o herói da história de Heather ou só quem vai resgatá-la? Ou as aventuras entre esses dois acabam de começar?

Já vou começar com um super agradecimento à HarperCollins por começar a investir em romance de época; meu gênero favorito e queridinho aqui do LI! As editoras estão cada vez mais reconhecendo o potencial deste gênero e a quantidade de leitores que ele tem, e é muito bom ter a HarperCollins nesta lista, ainda mais por ter começado forte com uma série da Stephanie Laurens, agora só ficar na torcida para que mais autoras de romance de época façam parte da editora.

Eu adorei a história! A maior parte do livro se concentra na situação de sequestro que a Heather vive e o mistério de por que uma Cynster foi roubada de sua família, mas está sendo tão bem tratada por seus sequestradores. E é esse mistério que prolonga o que poderia ter sido resolvido mais rapidamente e levam Heather e Breckenridge a fazerem um acordo que pode dar muito errado se não tiverem cuidado.

Stephanie Laurens é mais uma autora de romance de época que tenho o enorme prazer de ler e já virei fã! Com um casal divertido e teimoso, ela nos proporciona muita tensão e aventura, e momentos deliciosos entre os personagens principais. Entretanto, um ponto tirou um pouco o brilho da história é que em determinado momento os personagens ficam em um vai e vem irritante, no qual eles se interpretam erroneamente diversas vezes seguidas, o que faz com que a autora gaste muitas páginas neste impasse, projetando-o para além do necessário na história. De qualquer maneira, o desfecho foi bem impactante para eles, então eles não saem ilesos da própria “enrolação”. Mas mesmo com esta leve titubeada, eu adorei o casal, a Heather é uma personagem forte e destemida e o Breckenridge é leal e determinado, e não vejo a hora de ler o próximo da série, ainda mais porque temos um grande mistério ainda na história.

Ainda não tenho a informação de quantos livros esta série terá. Há uma série anterior a este livro chamada “Cynster” que contém 15 livros e compreende a primeira geração da família, logo em seguida a autora lançou lá fora mais 5 livros referente “As Irmãs Cynster” (uma trilogia para a Heather deste livro e suas duas irmãs, e uma duologia para as primas da Heather) e mais três da “Nova Geração” dos Cynsters, dando no total 23 livros do clã Cynster. O nome que a HCBr deu para a série aqui no Brasil sugere que ela abrangerá os 8 últimos livros, o que já é ótimo, mas eu adoraria que lançassem os primeiros 15 também pela HCBr , eu sonho grande quando se trata de romance de época, rs.

site: http://lerimaginar.com.br/blog/2016/08/stephanie-laurens-combina-personagens-divertidos-e-teimosos-em-um-romance-de-epoca-muito-envolvente/
comentários(0)comente



Meu Vício em Livros 09/09/2016

Muito bom!
Lady Heather Cynster é mais uma das muitas heroínas de romances de época a ter o sonho de se casar por amor. Começa esta história procurando um pretendente no lugar mais inadequado e quando é impedida pelo Visconde Breckenridge, tem mais um motivo para mostrar a antipatia disfarçada que sente por ele. Breckenridge, como amigo de toda a família Cynster só quer proteger a reputação dela e acaba presenciando o seu sequestro assim que a manda de volta para casa. Consegue encontrar rapidamente o cativeiro de Heather, mas salvá-la não é tão simples assim. Ela logo descobre que seus captores não vão tocar em um único fio do seu cabelo e, além disto, que ela não era o alvo real deles. Sabendo disto, ela decide ficar nas mãos dos criminosos até descobrir exatamente a identidade do mandante do sequestro e assim impedir que eles façam mal a qualquer um de seus familiares. O plano é aceito pelo visconde com a condição de que ele a acompanhe nesta viagem ao seu real destino. Disfarçado, ele consegue encontros secretos com ela todas as noites a fim de colher as informações que ela obtém ao longo do dia.LEIA A RESENHA COMPLETA EM:http://www.meuvicioemlivros.com/2016/08/resenha-conquistada-por-um-visconde.html

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2016/08/resenha-conquistada-por-um-visconde.html
comentários(0)comente



Vânia 29/10/2016

Irmãs Cynster #1
Aos 25 anos, Lady Heather Cynster, considerada uma das princesas Cynster, sabia que seu prazo para encontrar seu "herói" estava terminando.
Desistindo dos salões famosos da Alta Sociedade, onde já conhecia todos os cavalheiros, e nenhum deles lhe apetecia os olhos, ela decide se enveredar por outros lugares. Para isso, ela finge uma dor de cabeça, deixando sua irmã Eliza ir sozinha à festa de Lady Montague, e sai para o salão de Lady Herford, cujas festas eram famosas por acontecimentos mais escandalosos.

O que Heather não contava era encontrar um conhecido, mais ainda que este conhecido fosse tão amigo de seus irmãos e seus seis primos, todos agora casados e felizes, mas temidos na Sociedade. Especialmente o chamado Devil Cynster, Duque de St. Ives.

Timothy Danvers, Visconde Breckenridge, 35 anos, conhecia os Cynster há anos e sabia que arrancariam sua cabeça se descobrissem que ele a viu num dos salões mais infames de Londres e a deixou ficar lá.
Decidido a tirá-la da festa - o que não seria tarefa fácil já que todas as Cynsters, mesmo as não de sangue, eram teimosas -, Breckenridge a escolta até o lado de fora. Mas Heather não o deixa acompanhá-la até a carruagem. E é nesse ponto que, ao longe, Timothy a vê sendo jogada dentro de outra carruagem e a mesma partindo em alta velocidade.

Imediatamente ele toma as rédeas da carruagem dela e segue-a até poder soltar os cavalos e pegar um deles para seguir galopando, enviando o cocheiro para avisar ao pai dela e a Devil.

Os sequestradores de Heather, Fletcher e Cobbins, foram instruídos a dizer a qualquer um ao longo da viagem que eles estavam levando uma protegida fujona ao seu tutor, o que naquela época seria totalmente aceito. Para validar a história, até mesmo tinham uma dama de companhia, Srta. Martha.

Na primeira parada dos sequestradores, numa estalagem, Timothy consegue entrar em contato com Heather para resgatá-la. Mas baseado no que conseguiu extrair dos sequestradores, e não foi muito, Heather fica sabendo que o alvo do sequestro não era ela especificamente, mas qualquer uma das irmãs Cynster. Protetora como era, ela ficou preocupada que isso viesse a acontecer com uma de suas irmãs, Eliza e Angelica, ou ainda as primas, Henrietta e Maria. Querendo descobrir mais sobre seu captor, o porquê de tudo aquilo, já que não parecia que ele a pegara para exigir resgate, ela resolve cooperar com eles, e diz isso a Timothy, que concorda com o plano dela, seguindo-os ao longo do caminho.

De Londres, partem para a Escócia, parando em várias cidades.
O ponto de encontro seria em Gretna Green.
Além da descrição da aparência do captor, ela conseguiu descobrir apenas um suposto nome, "McKinsey", e que era um escocês das Terras Altas.

Em Gretna Green, Timothy consegue fazer com que os dois sequestradores fiquem fora de combate por um tempo, a dama de companhia com medo, foge, e, assim, Timothy e Heather também seguem caminho. Ao invés de voltarem a Londres, preferem seguir viagem até a casa de Richard "Scandal", meio-irmão de Devil, e Catriona, a Senhora do Vale.

Ao longo do caminho, precisando manterem-se escondidos, Timothy e Heather dormem em celeiros ou hospedam-se em casas de colonos, fingindo serem um casal. E com isso, o clima entre eles esquenta.

Ao chegarem à casa de Richard, contam o que houve, enviam cartas a Devil e à família dela, para tranquilizá-los, mas agora precisavam descobrir quem era o tal McKinsey, que quase os alcançara em seu cavalo enorme, Hércules, mas parou de persegui-los ao vê-los entrar no vale que era protegido pela magia da Senhora.

Enquanto se recuperavam da viagem, o assunto vira para a reputação de Heather. Richard pergunta a Timothy e não se surpreende ao ouvir que este iria se casar com ela. O ponto era: Heather o aceitaria facilmente?

"- Se você se casasse comigo teria muito mais sucesso.
- Talvez - ela ergueu o queixo, encarou-o - Mas nem por isso vou me casar com você.
A despeito da tentativa de se controlar, ele sentiu o rosto endurecer.
- Por que não?
- Se você não sabe a resposta, isso é prova de que não devemos nos casar.
- O que é isto? Algum teste secreto?"

Começa a guerra de braços entre eles. De dia, ela o evitava, de noite, um caía nos braços do outro.
Observando tudo ao longe, Catriona e sua mentora Algaria, têm certeza que a Senhora do Vale tem planos para o casal e os fez ir até lá para criar a oportunidade de eles caírem em si que foram feitos um para o outro.

Timothy sofreu uma rejeição anos antes, sendo ridicularizado por uma dama, quando expressou seus sentimentos. Heather queria um conto de fadas. Os dois teriam de aprender a ceder se quisessem seu "felizes para sempre"...

Sei que os romances de época costumam ser clichés, mas o enredo deste aqui não me prendeu em nada. Mais de 50% da história se passa ela viajando nas mãos dos sequestradores e depois vem a famosa ladainha "só me caso por amor".
Diva Laurens me decepcionou.

2,5 estrelas
Dany 04/01/2017minha estante
Adorei o que você escreveu!Abandonei a leitura, não consegui passar das 60 páginas,estava muito chato.Aquela viagem não terminava nunca.


Vânia 27/02/2017minha estante
E eu amo essa autora, mas confesso que este livro me decepcionou :/




ELB 13/02/2017

Every Little Book
Heather Cynster é a personificação de uma dama determinada. Tanto que, beirando os 25 anos, idade em que uma jovem do século XIX não era mais considerada como possível esposa no mercado matrimonial londrino, ela está determinada a escolher seu marido; e não quer algo menos que um homem apaixonado por ela e que corresponda totalmente ao seu amor.

Essa determinação a fez ir escondida a uma festa que, digamos, não era própria para alguém que quisesse preservar sua reputação. Lá, ela encontra um conhecido que frustra totalmente seus planos: o Visconde de Breckenridge, um atraente libertino, amigo de sua família, que a incomoda há anos. E, não podia negar, lhe causava uma certa atração...

Timothy Danvers, o Visconde de Breckenridge, mal acredita quando vê a beldade loira, que atormenta seus sonhos há 04 anos, em meio àquele antro de libertinagens. Como bom amigo da família, se dispõe a defender a honra da teimosa dama e deixá-la em segurança, mas seus intentos são frustrados ao presenciar seu sequestro.

Disposto a salvá-la, ele empreende uma perseguição aos sequestradores até conseguir encontrá-la, e assim, os dois planejam, escondidos dos sequestradores que foram enviados por um homem misterioso, a saber mais sobre o mandante do sequestro enquanto aguardam o momento propício para fugirem.

A cada noite, quando se encontram para trocar informações, a faísca que arde entre os dois e que se desprendia em cada encontro anterior nos salões de bailes, passa a crescer, despertando o desejo de ambos, que passam a admitir para si mesmos o quando são atraídos um pelo outro.

Através de meios ardilosos, Breckenridge consegue tirar os sequestradores do seu caminho e finalmente fugir com Heather. No caminho, enquanto tentam se afastar o mais longe possível do misterioso homem que ordenou o sequestro de Heather, eles acabam por se entregar um ao outro. Para o Visconde, é uma paixão nunca antes experimentada, e isso cria a resolução de se comprometer com aquela jovem impetuosa que, há anos, atormenta seus desejos.

Aquela nova entidade dentro dele, que ela suscitou, brilhava como um farol, uma luz que o conduzia, que dava a cada movimento de suas mãos, cada toque possessivo, um significado emocional.

Quando finalmente chegam em segurança ao seu destino, a guerra que Breckenridge agora tem que travar não é mais contra sequestradores ou perseguidores misteriosos: ele agora tem que se empenhar em conquistar o coração de Heather, que não aceitará menos que o amor verdadeiro.




Primeiramente, não posso deixar de fazer uma colocação: quando comecei a ler esse livro, me senti completamente perdida. Eram muitas referências sobre outros personagens, o que me fez pesquisar e descobrir que esse livro faz parte de uma longa série composta. Apesar de fazer parte de uma trilogia, outros 15 livros anteriores sobre os Cynster já foram publicados. Quem tiver curiosidade, é só olhar aqui.

Mas, quando finalmente consegui me envolver com a história, ela realmente me prendeu. Quem já conhece minha paixão sobre os livros de época, sabe que amo mocinhas determinadas, que não seguem o que a sociedade dita só porque é regra. Heather é assim; corajosa, determinada e ousada. Ela demorou a admitir seus verdadeiros sentimentos por Timothy, mas quando o faz, se entregou a ele com paixão, sem meios termos. Confesso que, no começo, achei a personagem muito chata, mas depois que me aprofundei mais na história, gostei bastante.

Quanto a Breckenridge, ele foi o típico mocinho de época que se negava a se entregar aos sentimentos, influenciado pelas más lembranças de um passado onde ousou amar e não foi correspondido. Fora isso, gostei da construção do personagem.

Mas, o que me chamou mesmo a atenção, foi o mistério que a autora deixou no ar sobre o misterioso mandante do sequestro. Talvez, quem acompanha a saga da família desde o primeiro livro já tenha uma ideia de quem seja, mas eu, que não conhecia e não li, fiquei na expectativa de saber mais sobre, afinal, ele pode não ser definido como um verdadeiro vilão. Espero ansiosa que a história dele chegue às minhas mãos para conhecê-lo melhor.

Stephanie Laurens tem uma narrativa que prende o fã de romances de época: leve, dinâmica e com personagens que te conquistam. Sem falar naquele toque certo de mistério e cenas regadas a muita paixão, mas muito bem escritas e sem vulgaridade. Para os amantes do gênero, é um livro que deve entrar na lista de leitura.

site: http://www.everylittlebook.com.br/2017/02/conquistada-por-um-visconde-stephanie.html
Janinha 01/04/2017minha estante
Eu também fiquei super curiosa para saber mais sobre o vilão! As partes sobre ele eram as mais interessantes...inclusive, espero que ele vire mocinho em algum livro.




spoiler visualizar
Roqueline.Ferreira 27/06/2019minha estante
Concordo !! Detestei!!




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mari 15/03/2017

"Ele tivera a intenção de protegê-la. Mas..."
Não me lembro da última vez que me interessei tanto por um romance de época. Acho que, por isso, Conquistada por um visconde e sua sequência, Salva por um cavalheiro, chamaram tanto minha atenção. A promessa de "uma dama provocante, um cavalheiro dominador e uma aventura audaciosa" na capa, me deixaram bem curiosa e ansiosa para conferir a escrita e a trama de Stephanie Laurens.

"Não havia como negar que Breckenridge era um dos libertinos favoritos da alta sociedade por um bom motivo." p. 127

Estamos na Londres de 1829 e conheceremos Heather Cynster, uma mulher de 25 anos que, segundo os padrões da época, já está passando da hora de casar. O "problema" é que Heather não quer casar sem a garantira do amor verdadeiro. Seus planos envolvem escolher seu marido, um homem que a conquiste de verdade, e possuir uma certa independência. Entretanto, quando seu destino se cruza com o de Visconte Breckenridge, um amigo próximo de sua família, tudo parece mudar. Ele terá que correr contra o tempo pois, ao tentar fazê-la voltar para casa depois de um sarau de má reputação, Heather será sequestrada por inimigos de sua família que estão atrás de vingança.

"— Isso não significa cada. — as palavras sussurradas a atingiram.
Conforto, segurança, calor — significava tudo isso."

As primeiras páginas do livro possuem uma dose certa de mistério, mantendo a identidade das pessoas que buscam vingança contra os Cynster em segredo, assim como apresenta Heather de forma intrigante. A narrativa em terceira pessoa de Stephanie Laurens é bem elaborada e detalhada, entretanto logo percebemos que isso não é suficiente. As cenas são muito bem escritas, os detalhes nos fazem sentir em cada local, os diálogos são convincentes, porém chega um momento em que você percebe que tudo tem (ou deveria ter) um limite. Queremos avançar na leitura, queremos mudanças, queremos outros tipos de detalhes, queremos outras situações. A trama parece cair na mesmice e, ao alcançarmos as cenas sensuais, a sensação é de que a autora se dedicou mais a elas do que todo o resto. Parece que a leitura não está avançando, parece que não saímos do mesmo lugar, mesmo depois de mais de 200 páginas.

A teimosia de Heather a faz perder diversas chances de fuga, a ideia de prezar pela segurança da família passa a parecer desculpa, as inúmeras perguntas aos sequestradores afim de descobrir o mandante não levam a nada especial, a fuga acontece de maneira arrastada, o chefão de tudo descobre todos os lugares pelos quais Heather e Breckenridge passam e por aí vai. O pior de tudo é a decisão que o vilão toma ao encontrar o casal e o fato de que a parte do livro dedicada ao romance traz várias contradições na personalidade da personagem (que antes não queria ser tratada como donzela, porém acaba querendo manter certas tradições da família).

[...] Resenha completa no blog

Conquistada por um visconde não é um livro de todo ruim. Gosto da protagonista mesmo com seus deslizes e torci para que o romance desse certo mesmo com a lentidão, assim como ainda quero saber a verdadeira identidade dos mandantes do sequestro e o motivo para tal vingança. Stephanie Laurens pode não ter me conquistado como o visconde conquista a dama em seu romance, todavia, assim como ele não desistiu, não pretendo fazê-lo. Espero que Salva por um cavalheiro possa ser uma leitura melhor para mim.

site: http://www.magialiteraria.net/2017/03/resenha-conquistada-por-um-visconde.html
comentários(0)comente



Thaisa 15/03/2017

Uma história onde a teimosia e a determinação andam lado a lado, mas que no final o amor prevalece!
Eu e minhas séries de Romance de Época… Amo! O que posso fazer? Série nova, autora nova (para mim, claro) e toda uma expectativa em relação à escrita de Stephanie Laurens e as irmãs Cynster.

Em Conquistada por um visconde, conhecemos a história de Heather e Breckenridge. O primeiro livro da série, nos apresenta a saga das mulheres Cynster em busca do amor verdadeiro e de um casamento firmado no amor. Heather já tem 25 anos e ainda não encontrou seu herói. Com essa idade, para os padrões da época, ela já se encontra no limite de virar uma solteirona e ficar fora da indústria casamenteira. Apesar de ter boa aparência e ser rica, o nome Cynster tem um peso e não é todo homem que se aventura a querer casar com uma das mulheres dessa família.

Decidida a encontrar seu herói, Heather se aventura em um sarau na casa de uma dama que tem uma reputação não muito correta. Ela acredita que será em um desses locais que encontrará seu herói, já que nos salões de baile apenas os rapazes novinhos se encontram e não é bem isso que ela quer para si. E nesse sarau ela acaba encontrando o Visconde de Breckenridge, seu arqui-inimigo, e seus planos são frustrados. O visconde é amigo dos irmãos da mocinha e jamais permitiria que ela permanecesse num ambiente tão distante de seu círculo social.

Breckenridge praticamente obriga Heather a voltar pra casa e antes de entrar na segurança de sua carruagem, ela é sequestrada e nosso herói inicia a perseguição aos misteriosos sequestradores. E assim começa a nossa história…

O pano de fundo da história é interessante, é muito bom e bem diferente da maioria dos livros de romance de época que encontramos no mercado. Tem muitas coisas que acontecem no decorrer da história que realmente me surpreenderam, mas ainda assim essa leitura não deu muito certo comigo. Vou explicar.

A premissa é maravilhosa, os personagens são fantásticos, o romance é super envolvente, mas, e sempre tem um mas… a leitura por diversas vezes foi massante. Senti que a autora acabou enrolando um pouco e as coisa demoraram a acontecer. Mais da metade do livro acontece durante o percurso do sequestro e achei repetitivo. Sabe aquela sensação de que você ler e não sai do mesmo lugar? As mesmas coisas aconteceram em locais diferentes. Ficou chato, massante e demorei muito pra ler um livro que geralmente levo 2 dias para ler.

Outro ponto que me incomodou muito no decorrer da leitura foi um certo exagero na parte das descrições de sensações durante o sexo. Sim, o livro tem cenas picantes e até interessantes, mas, algumas coisas descritas não existem, mesmo na ficção. Por favor…

Tenho sérios problemas com livros muito descritivos. Quando digo muito, falo exageradamente descritivo. Por exemplo, temos quase 10 páginas só descrevendo as diversas formas que Breckenridge beijou Heather na primeira vez que fizeram amor. Tudo bem, eu entendi o que a autora quis passar, mas eu já não suportava mais as repetições. Mais do mesmo, entende?

Heather é a melhor coisa que existe nesse romance. Ela é a personagem do jeitinho que amo. Uma mulher inteligente, independente, decidida e ousada. Mesmo apaixonada ela luta por seus ideais e vai até o fim. Por mais mocinhas como ela nos romances de época!

Já Breckenridge é o libertino que toda mulher ama e quer pra chamar de seu! Ele é galante, sedutor, apaixonante, mas tem um lado dele que me irritou e fez eu me sentir lendo Cinquenta Tons… a versão masculina da Anastácia. Anastácia tem uma “deusa interior” que fala com ela, já o nosso querido visconde tem um “macho interior” bem machista pra meu gosto.

Quero deixar claro que essa é a minha opinião sobre o livro. A sua pode ser completamente diferente. Como falei acima, não me dou muito bem com livros muito descritivos e estou torcendo muito para que o segundo livro da série me surpreenda positivamente. Sim, eu vou ler Salva por um cavalheiro e estou torcendo para ser diferente.

Se eu recomendo o livro? Sim, recomendo. Num geral, é uma leitura interessante, envolvente e divertida. Aquelas leituras leves que combinam com dias chuvosos e uma boa xícara de café!

Resenha publicada no blog Minha Contracapa:

site: http://minhacontracapa.com.br/2017/03/resenha-conquistada-por-um-visconde-de-stephanie-laurens/
comentários(0)comente



49 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4