Antes De Partir

Antes De Partir Colleen Oakley




Resenhas - Antes De Partir


80 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Hellen @Sobreumlivro 26/08/2016

Por que eu gostei de Antes de partir?
Será que posso começar e terminar essa resenha com infinitos corações? Por que, claramente, estou assim:
💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓
.
Nossa! Eu não esperava mesmo essa bad, esse chororô, esse aperto no peito quando iniciei a leitura. Não esperava ter que juntar os farelos e os cacos em que se resumem meu coração.
_

Na véspera da comemoração do "cancerversário" de 3 anos livre da doença, Daysy tem uma péssima notícia: o câncer voltou, e agora ela só tem poucas semanas de vida.

Daisy não verá o marido se formar, não terá filhos, não estará presente quando sua melhor amiga encontrar o amor, não estará em casa para conseguir arrumar as vigas irregulares da sala, não ganhará seu certificado de mestrado em psicologia, e por que? Porque a merda do câncer decidiu voltar, depois de tantas lutas, quimio, radio e oportunidades perdidas.
_

Antes de partir, da Colleen Oakley, é um livro lindo sobre tentar manter a sanidade quando tudo ao seu redor desmorona; quando o cotidiano e a rotina traz a tranquilidade e a lembrança de dias comuns; quando não fazer coisas extraordinárias mantém aquela utópica sensação de que a vida continua normal.

Por que eu gostei de Antes de partir?

Porque ele me fez rir e chorar ao mesmo tempo.
Porque a narrativa é acolhedora.
Porque os personagens são generosos e adoráveis.
Porque a autora soube equilibrar muito bem as partes sensíveis e tensas, durante os capítulos curtos.
Porque é um livro divertido sobre coisas tristes.
Porque, caso eu encontrasse Daisy, eu a pegaria pelos ombros e sacudiria até ela acordar e prometer aproveitar seus últimos dias
Porque eu não queria que o livro terminasse, enquanto me debulhava em lágrimas.

Só quero dizer pra vocês que leiam, leiam e leiam. MIL VEZES, LEIAM!
💓💓💓💓💓💓💓💓💓💓

site: https://www.instagram.com/sobreumlivro/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nina 03/09/2016

Antes de Partir foi um livro que me pegou pela capa, quando vi a foi impossível não associar a Como Eu Era Antes de Você e com todas as histórias lindas da Jojo Moyes que já li. Quando li a sinopse achei que iria me acabar de chorar e ficar profundamente emocionada, mas infelizmente, não foi bem isso o que aconteceu.

Daisy sobreviveu ao câncer de mama aos 23 anos e agora, quatro anos depois, a doença está de volta, mais forte e impossível de tratar e ela tem poucos meses de vida. Preocupada com o que pode acontecer ao seu marido Jack depois que ela partir, Daisy decide encontrar uma nova esposa para ele. Esse mote já é o suficiente para fazer com que eu me apaixone pela história, toda esse altruísmo e preocupação com o outro ao invés do sofrimento por si mesma. O problema é que Daisy faz isso por motivos equivocados e é óbvio que vai dar errado. Primeiro porque ela considera o marido incapaz de cuidar de si mesmo e não passa pela cabeça dela em compartilhar sua busca com ele. E segundo porque ela não consegue lidar com o ciúmes.

A narrativa da Colleen Oakley é muito bem estruturada, e ela consegue desenvolver a história mesclando momentos tristes e reflexivos com outros mais leves e engraçados. Ela vai alternando leveza e melancolia e com isso nos prende na história. O problema para mim foi a falta de simpatia pelos personagens. Daisy é muito controladora e chata, mas dá para entender isso pelo momento que ela está passando. Mas Jack é tão alheio às ideias da esposa que às vezes parece estar desinteressado, e mocinho desinteressado fica bem complicado né?

Não é um livro ruim, muito pelo contrário, é muito bem escrito e pode agradar muita gente, mas eu esperava bem mais emoção e choro com a história. Não deixo de recomendar, mas não vão com muita sede ao pote, pois como eu, vocês também podem se decepcionar.


site: http://www.quemlesabeporque.com/2016/09/antes-de-partir-colleen-oakley.html#.V8reQ5grLIU
Pati 15/09/2016minha estante
É bem escrito, leitura fluida, mas não me apaixonei como achei que aconteceria, esperava mais emoção! É um bom passatempo ?


Marianna.Melo 23/03/2017minha estante
Concordo com vc. Ao invés de sentir empatia por Daisy, tive muita raiva dela... De Jack só consegui gostar no último capítulo, muito tarde para um mocinho. A história é boa mas, para mim, tratou as questões propostas com muita superficialidade...




Nana 11/10/2016

Esperava mais emoção!
O livro é gostosinho de ler e apesar de tratar de um assunto delicado como doença e morte, não é nenhum dramalhão, pelo contrário, tem mais partes engraçadas do que drama. E foi exatamente com isso que me decepcionei.
Os personagens não me convenceram.
Daisy: Está com câncer terminal, poucos meses de vida e ao invés de aproveitar o tempo que lhe resta pra curtir a vida, ela fica procurando uma nova esposa pra deixar para o marido? Não dá né?
Kayleigh: É a melhor amiga de Daisy e sabendo que a amiga vai morrer só aparece de vez em quando e sempre fazendo piada, não leva nada a sério?
Jack: O marido mais ausente impossível! A mulher fazendo exames, sendo operada e ele não vai ao hospital porque ela disse que não queria que ele faltasse as aulas pois está pra se formar ? Dane-se o que ela pediu, se ele quisesse realmente estar com ela teria ido e pronto! Além de que, ficar pra cima e pra baixo com a amiga "Pâmela" neste momento não foi a melhor opção né seu Jack?? Ela tem toda razão em ter ficado com ciúmes da garota com "cabelo cor de caramelo que parece comercial da Pantene"...rs rs
No geral foi uma leitura agradável, mas faltou profundidade para um tema que tinha tudo pra emocionar!
sandra 11/10/2016minha estante
Realmente não desce , tirei da lista !!


MANINHA BLOOM 11/10/2016minha estante
Menos um..kkk


Nana 11/10/2016minha estante
Imaginei que vc não ia querer, por isso nem perguntei. Já conheço a peça...kkk


Mariana Soliman 16/10/2016minha estante
Concordo plenamente rsrs tb me decepcionei, embora não seja de todo ruim.


Manoela Pontual 09/06/2017minha estante
Falou tudo, foi exatamente o que senti com o livro. A mulher morrendo e todo mundo vivendo a vida como se nada tivesse acontecendo, não dá. Esperava um baita drama mas não encontrei, poderia ter sido muito melhor.


Krous 12/03/2020minha estante
O Jack realmente deixou a desejar e isso muito antes da esposa ter câncer. Pelo que ela relata, ele sempre esteve muito preocupado com a carreira dele, ela também. Colocava o marido num pedestal e vivia em função dele. Morreu sem viver direito. Aquele último capítulo narrado por ele não serviu de nada




Carla Brandão 04/04/2020

Aos 27 anos e prestes a completar 3 anos livre do câncer, Daisy recebe a notícia que não gostaria de ouvir: a doença está de volta. E, dessa vez, bastante agressiva, restando para a jovem apenas mais alguns meses de vida.

Diante de algo assim, como você aproveitaria o tempo? Como reagiria ao se deparar com a certeza da morte cada vez mais próxima? Daisy tinha as respostas para essas perguntas quando a própria finitude era algo distante. Porém, no momento em que a dura realidade se impõe, tudo muda.

Casada com um futuro doutor em medicina veterinária, Daisy chega a conclusão de que o marido não tem condições de viver sozinho. Jack trabalha demais, é desorganizado e bagunceiro. Então ela decide: usará todo o tempo que ainda tem para encontrar uma nova esposa para ele, sem que ele sequer desconfie. Com a ajuda de sua melhor amiga, Kayleigh, Daisy passa a frequentar de cafés a sites de relacionamento em busca da mulher ideal. Mesclando passagens tristes e momentos divertidos, o livro vai narrando toda a confusão que Daisy experimenta em seus últimos meses de vida.

O amor entre Daisy e Jack não me tocou, o que não significa que não era real. Por talvez estar vivenciando uma espécie de luto antecipado, achei Jack um pouco distante de sua esposa, que, por sua vez, mantinha-o nessa posição.

O foco de Daisy na busca de uma nova companhia para o marido em vez de focar em si mesma também me causou certo estranhamento, mas aos poucos a gente entende que é a forma que ela encontrou de [não] lidar com o que acontecia. Mesmo entendendo tudo isso, a falta de conexão com o casal me impediu de enxergar amor em suas atitudes durante boa parte da história.

Sou atraída por capas bonitas e por enredos que carregam certa melancolia. Em geral, histórias assim têm o poder de emocionar e provocar reflexões, mas Antes de partir não teve esse efeito em mim. Apesar de bem escrito, é raso. Mas importante destacar que em nenhum momento prometeu ser mais que isso, às vezes as expectativas interferem na experiência de leitura.

A parte tocante do livro acontece mais para o final, quando os personagens vão entendendo e esclarecendo algumas coisas. É um final bonito, devo dizer. Tema difícil e abordagem leve é o que Colleen entrega ao leitor.

site: https://blog-entre-aspas.blogspot.com/2020/04/resenha-antes-de-partir-colleen-oakley.html
comentários(0)comente



Erika 13/02/2020

Emocionante
Esse livro assim como vários outros, comecei a ler por acaso. A protagonista descobre uma doença em que ela não poderá viver muito tempo e começa a maneiras de deixar alguém para que seu marido não se sinta sozinho. Não consigo nem falar mais nada sem dar spoilers, mas o desenrolar da trama, nos faz ficar um pouco apreensivos e até mesmo com raiva da protagonista, coisa passageira.
Há momentos de reflexão sobre a vida e o amor. Uma leitura muito linda
comentários(0)comente



Drika 14/08/2016

Fui com muita expectativa....
O livro é bom... mas fui cheia de expectativa , achando que me faria chorar, que seria " O" drama.... mas não.

A narrativa da personagem é bem pertinente ao que ela está passando, mas sei lá..... queria mais!
Dih Schaberle 10/10/2016minha estante
ah eu tbm... eu esperava mais emoção, pra falar a verdade li até a metade e ñ senti mta emoção, só no fim que as coisas 'melhoram', mas esperava mais =/




Aione 17/08/2016

Antes de Partir, livro de Colleen Oakley publicado pela Bertrand Brasil, ganhou minha atenção tanto por sua belíssima capa quanto por sua sinopse, que me deixou intrigada para saber o destino da história e os caminhos da protagonista.

Às vésperas de comemorar seu terceiro aniversário livre do câncer de mama, Daisy descobre que não só ele retornou como, agora, está extremamente agressivo, impossível de ser tratado. Sabendo que lhe restam poucos meses de vida e preocupada com o estado emocional de seu marido após sua partida, Daisy cria um plano para colocar em prática: encontrar uma nova esposa para ele.

Foi impossível não mergulhar na trama de Antes de Partir desde as primeiras páginas, considerando que a escrita de Colleen Oakley é extremamente cativante, fluida e envolvente. Em primeira pessoa, nos entregamos às emoções e pensamentos de Daisy e, embora haja uma inegável e intrínseca melancolia em meio à narrativa, trazendo momentos mais tristes para a leitura, ela também consegue ser suave e divertida, com momentos de leveza que dão o tom certo à história, de forma a não torná-la nem dramática nem frívola.

O que mais havia chamado minha atenção ao ler a sinopse de Antes de Partir foi a decisão de Daisy sobre buscar uma esposa para seu marido; contudo, bastou conhecê-la um pouco melhor para compreender sua atitude: sendo metódica e organizada ao extremo, ela precisa de uma lista e de um propósito para lidar com sua morte iminente. Aliás, mais do que uma forma de lidar com a morte, essa é sua maneira de negá-la e de fugir dessa dolorosa verdade.

Ainda que a morte esteja no centro da trama, arrisco a dizer que ela não é a principal temática de Antes de Partir. Mais do que isso, está o amor de Daisy e Jack, e a forma de como o relacionamento de ambos é afetado pela estado gravíssimo de saúde de Daisy. Pouco a pouco, vemos como cada um deles vai sendo impactado pela notícia, e como os dois vão se distanciando, sem saberem como enfrentar a situação e manterem suas próprias sanidades.

Em linhas gerais, me apaixonei completamente pela leitura de Antes de Partir. Colleen Oakley usou as doses certas de leveza e melancolia em sua escrita, garantindo uma história deliciosa de ser lida e, ao mesmo tempo, emocionante e divertida. A autora, em sua obra, fala de vida, morte e amor, sendo esse o principal ingrediente, que aparece tanto em meio ao matrimônio quanto às questões familiares e às amizades. Sem dúvida alguma, um livro recomendado aos que buscam por um bom e envolvente romance.

site: http://minhavidaliteraria.com.br/2016/08/17/resenha-antes-de-partir-colleen-oakley/
comentários(0)comente



May vieira 12/03/2020

Eu fiquei muito triste com esse final, poxa acabou comigo, mesmo sabendo no decorrer do livro o final da Dayse.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Kelly Martinez 09/07/2017minha estante
Qtas estrelas?


Fabi @donasdahistoria 10/07/2017minha estante
Dei 3 estrelas amiga


Fabi @donasdahistoria 10/07/2017minha estante
Dei 3 estrelas amiga pq o final me emocionou e o livro em si trouxe uma ótimo reflexão sobre viver o hj e não deixar nd p amanhã ou p o futuro.


Lucia.Leal 26/07/2017minha estante
Concordo contigo Fabi, ouvi falar tanto desse livro,esperava bem mais dele


Fabi @donasdahistoria 27/07/2017minha estante
Foi uma leitura que me decepcionou viu Lucia achei q eu fosse chorar horrores mas não teve nd disso na vdd a protagonista me irritou o tempo td c as atitudes dele, na vdd eu esperava algo diferente qdo comecei a ler enfim só terminei pq odeio deixar uma história p trás como diz minha amiga Kelly tenho toc literário comecei tenho que terminar kkkkkk


DanielaF 08/03/2018minha estante
o que acontece no final ?




Giuliana Sperandio 01/06/2020

Um bom livro mas...
É um livro bom, mas confesso que eu esperava um pouco mais.
O livro conta a história de uma mulher jovem que já havia passado por um câncer de mama. Prestes a comemorar o aniversário de cura com mais um exame de rotina, descobre que o câncer não só retornou como espalhou-se, sua vida agora tem o prazo de validade, 6 meses.
A personagem começa a refletir sua vida, mas principalmente o seu relacionamento com o seu marido.
Eles que são apaixonados e estavam pretendendo ter um filho após ele formar-se em sua pós-graduação de veterinária, eles têm seu mundo e casamento derrepente devastado com essa notícia.
Então ela começa a confrontar os seus medos, e o pior deles é deixá-lo sozinho, achando que seu marido, Jack precisará de uma nova companheira antes de ela partir.
Bem, como disse o livro é bom, mas não é espetacular ou tão emocionante como gostaria. Pensei que pelo tema choraria horrores, mas não. Às vezes eu até sentia raiva da personagem apesar de tentar entendê-la.
A escrita da autora é fluida, nada rebuscado, simples e direta e o livro é bem rapidinho. Peguei o no Kindle unlimited e gostei da leitura. Recomendo com a ressalva de não esperarem um livro de chorar rios, mas é sim um bom livro para refletir e passar o tempo.
E vocês, já leram esse livro ou algum outro livro da autora? Esse foi meu primeiro contato com ela.
Até a próxima resenha ?
comentários(0)comente



Tamara 05/09/2016

Confesso que essa sinopse teria todos os elementos que me atraem e que me fazem desejar um livro, mas por algum motivo desde que a li não senti aquele desejo imenso de ler, mas mesmo assim, por curiosidade de encontrar um bom drama o coloquei na minha lista de leituras e dia desses, enquanto lia dois livros que não estavam fluindo resolvi começar este aqui, já sem muitas expectativas. Qual não foi minha surpresa quando nos primeiros capítulos fui conquistada e estava gostando de tudo que estava lendo, porém logo isso mudou quando cheguei mais ou menos na metade do livro, ou um pouco antes e a personagem começou a se mostrar chata, e em alguns momentos senti inclusive que estava se tratando de situações fúteis ali quando havia algo muito mais importante em jogo, que era o câncer.
Tudo bem. Pareço até insensível ao usar a palavra fútil para me referir a situação, mas o que me deixou bastante frustrada é que a personagem descobriu o câncer e não soube obviamente lidar com as implicações disso, porque era bastante claro que ela pensava naquilo mas ao mesmo tempo fugia, e então resolveu tomar para si a missão de encontrar alguém para o marido, e até aí tudo certo, esse foi o modo que ela encontrou para desligar sua mente. Mas o que me deixou nervosa mesmo foi o fato de que ela tomou aquilo como uma missão única para a sua vida: pensava dia e noite, não podia ver outra mulher na rua que já começava a analisá-la, entrava em sites de relacionamento e quando encontrou alguém que pensou ser perfeita ficava divagando o tempo todo sobre as situações que envolviam a tal mulher, falava o tempo todo a respeito dela, até que isso se tornou uma espécie de fanatismo que ficou muito frustrante e senti que alguns capítulos só falavam dessa mulher que ela supunha servir, enquanto a cada vez mais ela reclamava das pessoas que estavam ao seu redor e afastava àqueles que mais amava e que a amavam. Além disso, em alguns momentos achei a personagem ranzinza ao extremo e impulsiva, tomando atitudes que logo depois ela abominava, e mesmo que essas situações sejam compreensíveis por toda a situação pesada que a personagem passava, em alguns momentos senti que ficou um tanto forçado e acabou me fazendo perder o ânimo pela história.
Mas nem só de pontos negativos o livro é feito. É bonito acompanhar o amor de Daisy e Jack antes do câncer e também é triste e doloroso acompanhar todos os sonhos e planos que eram abandonados aos poucos porque jamais aconteceriam. Além disso, em alguns momentos o amor de Daisy pelo marido foi admirável, e a determinação dela em não deixá-lo suspender seus afazeres para ficar à espera da morte da esposa foi bastante intensa. Além disso, gostei muito de acompanhar todo esse suspense de como é viver uma vida com prazo contado para terminar, e embora tenha achado irritante os métodos de fuga da realidade que ela utilizou eu também compreendi que ela precisava de algo para distrair sua mente de tudo o que estava acontecendo, bem como foi compreensível sua situação de negação e raiva pelo que lhe esperava.
Daisy foi uma personagem que me deixou com vontade de sacudi-la durante todo o livro e teve todas as características já mencionadas que acabaram não me atraindo tanto. Já Jack, o marido, em alguns momentos pareceu alheio, mas me senti sensibilizada para com ele e com sua situação sem saber o que fazer ou falar, sem saber se deveria se aproximar ou se afastar. Também houveram outras personagens que mereceram destaque, como Pamela, alguém que apareceu na metade do livro e que foi de grande ajuda e também Kayleigh, a amiga de Daisy que mesmo sofrendo com toda a situação fazia o máximo para imprimir normalidade a cada um de seus momentos com a amiga e demonstrava força todo o tempo.
A narrativa foi feita em primeira pessoa, sendo dividida em 25 capítulos e esses capítulos foram dividido em meses: fevereiro, quando daisy descobriu o câncer, março, abril, maio, e maio de um ano depois. Todos foram narrados pela própria Daisy, exceto o mês de maio de um ano depois que foi narrado por Jack. Minha leitura foi em ebook e encontrei alguns erros que não atrapalharam na leitura.
Além da história, uma das coisas que mais gostei nesse livro foi a escrita da autora, que é leve e por vezes chega a ser descontraída, o que fez com que eu não chorasse em nenhum momento, mesmo nos mais tristes, mas isso pode se dever apenas a minha insensibilidade de leitora que já leu muitas coisas pesadas, pois já vi vários leitores declarando que choraram por dias com o livro.
Adianto que o interessante dessa obra não está no fim da história, que é basicamente nos contado através da sinopse, a personagem sabe que vai morrer, mas está no desenrolar dos fatos e no passo a passo de como ela lidou com a situação. Recomendo o livro para os leitores que gostam de histórias com drama e romance, e para aqueles que gostam de livros que trazem muitas reflexões e que ao final nos fazem nos colocarmos no lugar dos personagens e nos perguntar o que faríamos diante daquilo.


site: Resenha postada originalmente em: http://rillismo.blogspot.com.br/2016/09/resenha-antes-de-partir-por-collen.html
Giuliana Sperandio 27/05/2020minha estante
Concordo com tudo Tamara!




Kennia Santos | @LendoDePijamas 06/09/2016

"Eu precisava de você e errei quando disse que não precisava."
Daisy tem 27 anos, e acaba de descobrir que o câncer cujo acreditava ter vencido há três anos voltou, e ainda mais agressivo, não só na mama, mas em várias partes do corpo.
Ao receber essa notícia, ela perde o chão, e não consegue aceitar, muito menos imaginar como contar a Jack, seu marido que sempre a apoiou desde a primeira fase, e sua família e amigos.
Depois de enfrentar olhares de piedade e o choque de Jack, Daisy perde o rumo, pois, conforme o médico, ela só tem cerca de quatro ou seis meses de vida. Ela, pausa para avaliar tudo à sua volta, tudo o que precisa fazer antes de partir, e se foca em uma coisa: encontrar alguém para seu desorganizado, nerd, e dedicado Jack.
Então ela saí a procura de uma mulher para seu marido (NO SENSE!!) com o objetivo de ele não ficar sozinho após sua partida..

A princípio fiquei com muita raiva dessa Daisy, de verdade. Cheguei a postar um histórico de leitura declarando insatisfação, porque eu a achei chata, egoísta e insensível. E o livro continua nesse ritmo por um tempo, até uma personagem aparecer e mudar o rumo dos outros personagens.
E no final? Acabou que eu fiquei com lágrimas nos olhos.
Não somente porque me surpreendeu, mas porque a atitude da Daisy e do Jack foi completamente insana e linda. E doída, claro.
Mas o que mais mexeu comigo nesse livro?
A grande maioria de outros livros com personagens vítimas do câncer, nos apresenta personagens completamente altruístas, fortes, positivos..
Mas não nesse.
Esse livro mostra passo a passo de como uma pessoa pode ficar depois de ser diagnosticado com algo dessa dimensão. Transtornado, ríspido, egoísta.. mas não por mal, simplesmente porque ele não sabe o que fazer quando se está.... MORRENDO.
Como julgar? Se coloca no lugar: seu tempo de vida está pré-determinado, e você quer fazer TUDO, mas existem TANTOS poréns...
A minha classificação aumentou justamente por isso: o livro me fez ter uma outra percepção sobre personagens com a doença. Nem sempre são mil maravilhas. Nem sempre o positivismo é mantido.
Só descontei uma estrela porque algumas horas fiquei realmente FRUSTRADA, e faltou a melhor construção de alguns adjacentes, até mesmo do Jack, queria mais cenas dele, ou até mesmo mais capítulos narrados por ele para entender o que ele estava sentindo ao ver a esposa desfalecer com uma doença tão horrível.
Não preciso falar sobre o final, certo? Acho que a sinopse e o título não deixam muito pra imaginar, se trata de um drama e é narrado de perspectiva totalmente realística.
Não existe muito o que decorrer sobre detalhes da história em si, porém a escrita é ótima, e a autora escreve de forma bem clara.
Se eu recomendo? Só se você for igual a mim, que adora uma sofrência literária, morre de ressaca mas termina com algo mudado dentro de si ;)
Érica | @aquelacomlivros 12/09/2016minha estante
Não sei se conseguiria ler, mas eu gostei da parte que ela não é uma vítima do câncer forte e empolgada pra viver só 4 meses como em outros livros. Acho legal quando a história mostra a realidade e pessoas que passam por isso conseguem se ver ali, e quem não passa consegue compreender melhor quem está passando. Como eu tô nessa vibe meio doida, talvez eu leia....a capa é muito lindinha!


Kennia Santos | @LendoDePijamas 12/09/2016minha estante
Então, pois é, ela não se faz de forte nem nada, aborda muito bem a realidade e o impacto que uma notícia assim pode fazer com a pessoa.
"Vibe doida" uahuhuhsuh
Acho que você vai passar raiva, muita raiva, eu não recomendaria pra você não




@leituralari 12/03/2020

@leituralari
Após passar 3 anos livre do câncer, Daisy descobre que está novamente doente, restando-lhe apenas alguns meses de vida. Diante desta situação a protagonista fica apavorada com a situação em que deixará seu marido Jack. Esse medo faz Daisy iniciar uma busca por uma nova esposa que cuide do seu marido da mesma forma que ela cuidava.

Confesso que essa não é uma sinopse que normalmente chama a minha atenção, mas estava precisando de uma leitura mais leve e resolvi aproveitar minha assinatura no Kindle Unlimited.

Me surpreendi com a maneira que a leitura me prendeu. O livro tem uma escrita fácil, e apesar de não concordar com esse “cuidar do marido” apresentado pela autora, diversas outras questões são abordadas, como a reaproximação de Daisy e a mãe, o vínculo com sua melhor amiga e a aceitação da sua doença e daquilo que ela não pode mudar: sua morte.

site: https://www.instagram.com/leituralari/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Cleo 13/10/2019minha estante
Eu vi um filme assim, mas ele não deixou ela por outra como ela queria , ele acaba ficando com a esposa ate o fim . Foi bem triste o final .




80 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6