O Papai é Pop 2

O Papai é Pop 2 Marcos Piangers




Resenhas - O Papai é Pop 2


18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


ecfernandes 20/09/2020

A princípio um Déjà vu do primeiro
Logo no início se percebe que o autor começa novamente o mesmo assunto do livro anterior... e muitas vezes contato de novo o que já foi dito no primeiro livro. Porém com o decorrer da leitura se percebe que o livro 2 é, na verdade, o livro 1, só que da forma que ele deveria ter sido escrito.
Infelizmente o autor novamente deu seu toque de deboche no lado religioso e logo em seguida quis deixar claro que é ateu. Não consigo entender onde este assunto se encaixa no contexto do livro.
comentários(0)comente



Giovanna 05/03/2020

Melhor que o primeiro
Assim como o primeiro, esse é um livro com boas historias, pode ser que inspire homens a serem pais melhores, mas senti mais profundidade e emoção nos textos do segundo volume.
comentários(0)comente



Marverosa 10/01/2020

Meigo, leve e mantendo a qualidade
Tao bom quanto o primeiro, Piangers vem e nos enche com mais reflexões a respeito da vida e paternidade.

Recomendo para pais, mães e filhos!
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 17/10/2018

O Papai é Pop 2
Enfrentar a paternidade não é algo fácil, mudar a forma como as pessoas encaram esse papel parece ser ainda mais difícil. Para Marcos Piangers, autor de O Papai é Pop e agora O Papai é Pop 2, há formas muito mais leves e fáceis de encarar tudo isso. A primeira delas é que a diferença entre o papel do pai e o papel da mão não é exatamente delimitada por uma linha explícita, apesar de as vezes ser na cabeça das pessoas.

O que o – ainda jovem – pai retrata nesse livro são formas mais descontraídas e simples de encarar tudo o que esse momento traz, com seus desafios, felicidades e dúvidas. Para ser um bom pai não há uma fórmula pronta, o que precisa haver é a necessidade de melhorar e de encontrar sempre as maneiras mais bacanas de se engajar nessa jornada.

O livro é composto pro crônicas sobre o cotidiano e situações que se apresentam. A troca de fraldas, o que é um pai perfeito, o segundo filho, as férias, a escola e algumas conversas mais sérias, tudo isso com bom humor e algumas pitadas de diversão. Os textos são leves e muito fáceis de ler, proporcionando uma rápida passagem pelas páginas.

Através das palavras de Piagers refletimos sobre o ato da paternidade e do que realmente consiste em ser um bom pai ou a quebrar e manter convenções. Nas páginas que contam como uma diagramação excepcional da editora Belas Letras encontramos não só ilustrações, mas elementos para interação do leitor. A edição do livro está muito bonita e é certamente uma ótima opção para presentear um jovem pai.

Acredito que hoje, mais do que nunca, num mundo que é confuso e cheio de preconceitos, o ato de ter um filho pode ser amedrontador. Para os mais jovens e marinheiros de primeira viagem e, principalmente, aqueles que não planejaram esse momento, deve ser uma confusão sem fim. Será que vou dar conta? Será que vou ser um bom pai? Será que saberei o que fazer?

É exatamente para ajudar a acalmar as ansiedades e perguntas que surgem nesse período que acho que esse livro vem bem a calhar. O autor é um pai que vê a paternidade com olhos não tão tradicionais, e tenta trilhar seu próprio caminho, descobrindo a cada novo desafio como ser melhor ou proporcionar às filhas o melhor crescimento. Anita e Aurora pegam o pai pela mão e, num mundo extremamente feminino onde essas duas menininhas vivem, ele se insere, tentando compreende-las ao máximo. Através de suas palavras nos encantamos também por essas meninas, que conduzem a vida dele e lhe proporcionam tantos ensinamentos. Afinal é assim, não? Não são somente os pais que ensinam aos filhos. As crianças desde que chegam ao mundo tem lições muito importantes para nos passar.

E, por mais que você possa não ser um papai de primeira viagem ou assim tão jovem, que tal dar uma olhada pra esse momento com outros olhos? Que tal rever as convenções, aprender algumas coisas, refletir sobre as atitudes e, quem sabe, buscar mais acertos em uma próxima vez. E, para as mamães de plantão, a esposa do Piangers, Ana Cardoso, que a princípio iria colaborar com alguns textos para esse livro, acabou ganhando um só dela e trouxe junto do Papai é Pop 2, A Mamãe é Rock.

O autor nos repete a fórmula do primeiro livro, abrangendo outros temas e insere o leitor no seio da sua família, inspirando o leitor a ser melhor. Aos que já tem a maternidade e paternidade na vida há aqui a oportunidade de desbravar mais esse mundo e, para aqueles que assim como eu não alcançaram ainda esse momento, quando ele chegar olhar para ele com mais coragem, sabendo que a maneira certa para cada um conduzir esse ato é através do amor, da dedicação, compreensão e carinho.

site: http://resenhandosonhos.com/o-papai-e-pop-2-marcos-piangers/
comentários(0)comente



Su 16/09/2018

Após ler O papai é pop, eu precisava ler o Papai é pop 2. Apesar de estar muito longe de ser o público-alvo do autor, amei a leitura e me senti completamente cativada pelo jeito de narrar do Piangers.
Na introdução, Eloisa Piangers, mãe do autor, nos conta como foi criar um filho sem a presença paterna. Ela nos mostra que, apesar de existir essa “lacuna”, recebeu muito apoio de suas amigas. Muitas delas queriam ajudar a cuidar das necessidades cotidianas daquele bebê. Porém, seus próprios pais não viam aquela pequena revolução como algo bom. Para eles, o melhor seria que ela tivesse abortado. Uma mãe solteira não era bem vista, naquela época.
Piangers aborda a questão das perguntas infantis de forma muito simples. As crianças não entendem porque não podem fazer diversas coisas sozinhas. Nós, também, já fomos crianças e fazíamos as mesmas perguntas, ou piores. Ainda assim, quando começamos a nos sentir envelhecendo, queremos, com todas as nossas forças, voltar para aquela época onde tudo era mais fácil.
Além disso, ele nos mostra que apenas dizer não, ou sim, para os filhos não é algo produtivo. Se dissermos apenas não, as crianças tendem a se tornarem inseguras na vida adulta. Porém, se falarmos apenas sim, elas tendem a não lidar bem com as dificuldades inerentes da vida. O melhor caminho, e, também, o mais trabalhoso para muitos pais, é saber dosar o não e o sim, manter o equilíbrio. No entanto, para isso, é preciso conhecer seu filho, saber quando ele precisa ouvir um não, ou um sim. E, isso demanda tempo.
Antes de mais nada, esse livro me ajudou a ver que é muito fácil julgar a forma como alguém está criando seus filhos, porém isso é algo muito injusto, pois vendo de fora tudo fica mais fácil. Além disso, e acho que o mais importante de tudo, passar tempo com crianças é algo muito prazeroso, quando elas não estão nos proporcionado boas risadas, estão nos ensinando formas novas de ver a vida. Amei as filhas do Piangers, principalmente a mais nova, muito carismática.

“Não há um dia, nos últimos três a nos, que minha filha não use a “bibi”. Esses d ias, no elevador, ela viu um menino usando bico. Tirou sua chupeta da boca e disse: “Tu não sabia que bico deixa os dentes tortos?”, pra, um segundo depois, colocar na boca o seu próprio. Outra vez, andando na rua de bico na boca, passou um menino e apontou pra minha filha: “Olha, pai. Um neném”. A menina tirou a chupeta da boca, disse pra eu guardar no bolso e foi tirar satisfação: “Quem é neném?! Quem tu chamou de neném?!”.”

“Não perca tempo. Tempo é a coisa mais importante. Não perca tempo fazendo coisas que você não gosta. Não se sinta mal de parar um livro no meio. Não se sinta mal de largar más companhias. Não leia notícias sobre violência urbana, porque elas vão te dar medo de sair de casa. Não leia notícias sobre política, porque elas vão te deixar desanimado. Leia os quadrinhos. Não seja malvado.”
comentários(0)comente



Gramatura Alta 01/05/2018

O PAPAI É POP foi escrito por Marcos Piangers, radialista, apresentador e colunista brasileiro. Através de crônicas, ele conta como é ser pai no mundo moderno: com crianças exigentes e pais cheios de trabalho e muito pouco tempo. O autor relata várias situações que viveu após se tornar pai e o quão radicalmente sua vida mudou depois que suas pequenas Aurora e Anita vieram ao mundo. Histórias engraçadas, fofas e emocionantes!

Assim que comecei a ler a obra, fiquei encantada com cada linha escrita. Na medida em que você lê, percebe tanto amor em cada relato, que se apaixona pela relação do autor com as filhas. A sensibilidade de Piangers é impressionante! Eu ri e chorei muito, porque, apesar de ser leve e divertido, é bem tocante a forma que o amor paterno é descrito e demonstrado o tempo todo.

Acompanhando o cotidiano da família pelas histórias contadas, fica evidente o quanto a vida conjugal é transformada após a chegada dos filhos, como as crianças crescem rápido e se tornam tão espertas. Aurora e Anita me cativaram muito, cada uma com sua personalidade, mas ambas muito inteligentes. É super divertido ver a forma como os pais lidam com tantos momentos constrangedores que seus filhos provocam.

No segundo volume, Piangers não abre mão de sua sensibilidade e seus bons conselhos, contando as maravilhas de ser pai e, também, as adversidades que acompanham o crescimento dos filhos.

A obra é iniciada com um texto de sua mãe, Eloisa Piangers, contando sua experiência de ser "mãe solteira": as dificuldades, a rejeição da família e a ajuda essencial dos amigos. Em suas palestras, Marcos fala sobre sua infância e o fato de sempre ter desejado conhecer o homem que abandonou sua mãe grávida; evidencia, também, tudo que aquele cara (e outros que fizeram o mesmo) perdeu ao desistir da paternidade. Para quem tiver interesse, é só pesquisar os vídeos do autor no YouTube, são palestras muito inspiradoras e tocantes, temos a sensação de que ele é sempre sincero e fala com o coração.

À partir daí, ele mostra a importância de um pai estar presente na vida da família, como é bom participar da educação das crianças e vê-las evoluindo diariamente. Ele também dá várias dicas a outros pais: esteja presente, aproveite os momentos (os filhos crescem rápido demais), todos os pais erram (não julgue), tome cuidado com o tempo que passa em frente ao computador e/ou usando o celular, faça o bem e dê o exemplo aos pequenos, etc.

O que achei incrível, foi como o autor critica várias atitudes machistas: valorizando mães que criam seus filhos sozinhas e têm de lidar com os comentários maldosos das pessoas e com a rejeição e críticas de familiares ignorantes; e também afirmando que os pais devem participar das tarefas diárias e cumprir com seus deveres, como: trocar fralda, dar banho, alimentar, colocar para dormir, etc, porque são coisas básicas e não é só obrigação da mãe. Na crônica "A coisa mais comum do mundo", ele relata que, apesar de "ser pai" é algo muito corriqueiro, na maioria das vezes, os homens não sabem como cuidar do próprio filho, considerando a criação machista que receberam com a ideia fixa de que brincar de casinha os tornaria afeminados.

As edições são bem fofas e com várias ilustrações, possuem uma linguagem bem tranquila e despojada, tornando a leitura rápida e fácil. Apesar de possuírem histórias curtas, elas são muito bem escritas e repletas de sentimentos. Indico a série O PAPAI É POP para aqueles que apreciam livros leves e sensíveis, pois neles vemos o amor incondicional de um pai descrito em forma de crônicas.

site: http://www.gettub.com.br/2018/05/o-papai-e-pop-1-e-2.html
comentários(0)comente



Roberto.Proença 12/02/2018

Quando sai o 3
Tão Genial como o Primeiro Livro, Marcos Piangers proporciona uma leitura que preciso fazer de forma diferenciada. Apreciá-la de forma lenta. Aos poucos. Lendo alguns textos em cada momento, para aproveitar mais. Cada texto novo parece melhor que o anterior. Não quero que acabe. Quando sai O Papai é Pop 3 mesmo ?
comentários(0)comente



Kari 20/07/2017

Mais uma de Marcos Piangers agora nosso autor irá nos contar novas histórias relacionadas ao seu dia a dia com suas meninas Anita e Aurora e essas histórias são tão intimas e diversas que irão do cômico ao "ai meu Deus!".


Ser pai ou mãe é algo que não se mede, apenas sentimos e nos entregamos seja lá o que vier! Filhos não trazem benefícios comuns, como diz nosso autor.. Como bonus! E sim muitas e muitas noites sem dormir, muitas despesas, preocupações, mas também alegrias sem fim!


E uma coisa que eu já disse e concordo totalmente com o autor - ter filhos é amar incondicionalmente alguém.. Acima de tudo, de todos e até de si mesmo! É por aquele ser que faz parte de ti, em primeiro lugar em tudo, exatamente tudo na nossa vida! E acreditem! É sim a melhor coisa do mundo, apesar de algumas vezes dar vontade de sair correndo! Não me julguem! Sou mãe de adolescente e de uma pré adolescente! Acreditem, sei do que estou falando! Penso em fuga muitas vezes! Mas aí no meio da fuga vem o sentimento de fugir levando eles.. Algo louco e bizarro que só quem vive isso entende!


Nos contos que Piangers compartilha conosco podemos entender e muito bem seus sentimentos e suas locuras, por assim dizer. Tudo é como uma batalha, desde a hora em que os pequenos acordam e começam a nos desafiar, até o momento em que o colocamos para dormir em segurança!


Mais uma vez recomendo o livro e não tenho muito o que dizer, apesar recomendar que abram o coração e a mente e sintam com todo o seu ser não apenas a história do Marcos, mas a minha e de tantas outras pessoas!



site: http://www.mixliterario.com/
comentários(0)comente



Fernanda | @psiuvemler 29/04/2017

O Papai é Pop 2 | Blog Psiu, vem ler!
Piangers está de volta com mais crônicas divertidas e emocionantes repletas de lições, tanto as que ele ensina aos seus leitores quanto as que ele aprende com as filhas sobre as experiências de se tornar pai. Dessa vez, as meninas já estão um pouquinho mais velhas e Marcos nos prestigia com a oportunidade de acompanharmos suas novas descobertas.
Anita e Aurora continuam sendo as estrelas da obra e somos agraciados com relatos de um pai passando por diversas situações, desde a troca de fraldas, que é o mínimo que um pai deve fazer, passando pelas crônicas sobre ter o segundo filho, até conhecer o pai da coleguinha de escola da filha. Piangers continua aprendendo com a inocência das meninas, principalmente no que diz respeito a ficar no celular.

São contos fáceis de entender e divertidos em muitos momentos. Mesmo para quem ainda não entrou na fase da paternidade ou maternidade, essa pode ser uma ótima leitura. São contos bem curtos, divinamente escritos, que podem ser lidos em um único dia. Imagino que não seja nada fácil criar uma criança e Marcos deixa claro que as pessoas não comentam nada das coisas horríveis que acontecem, como choros incessantes, a dificuldade de alimentar essa pessoa tão pequenina e como é difícil o simples ato de fazê-la dormir.
Li o primeiro volume dessas crônicas e foi algo encantador, mas a leitura se mostrou ainda melhor no segundo livro. Em várias partes me emocionei e dei boas gargalhadas com as descrições. É possível imaginar cada uma das situações acontecendo, como se estivéssemos visitando a casa da família, compartilhando do dia a dia dos quatro.
O exemplar, mais uma vez, conta com uma edição fantástica que ficou a cargo da Belas Letras. A capa segue o mesmo padrão divertido da anterior, agora com cores mais vivas e marcantes. No interior, contemplamos uma variedade de ilustrações, tanto no início de cada capítulo, quanto interativas no começo e final do livro. A diagramação continua impecável, com cada capítulo tendo o próprio destaque. Não há do que reclamar em nenhum aspecto.
É uma leitura que recomendo sem restrições. Sem dúvidas, maravilhosas lições podem ser retiradas do livro e aproveitadas na vida real, independentemente de você já ter sua família ou não. Com certeza, vale a pena ler, pois não há espaço para arrependimentos. Em breve trarei para vocês a resenha de A Mamãe é Pop e teremos a família completa no blog! Enquanto isso, participem do nosso sorteio no Instagram, onde o vencedor receberá os três livros da família pop. Clique na imagem abaixo para participar:

site: http://www.psiuvemler.com.br/2016/08/resenha-papai-pop-2.html
comentários(0)comente



Alyssa @culpadoslivros 26/03/2017

Em agosto de 2015 a Editora Belas Letras lançou o livro: O Papai é Pop, reunindo divertidas crônicas do Marcos Piangers, sobre paternidade e família. Logo o livro se tornou um best-seller e, cerca de um ano depois, chegou as livrarias O Papai é Pop 2. De novo! De novo! De novo!

Quem não leu o anterior não precisa se preocupar, pois não se trata de uma continuação; é um livro independente, com crônicas e ilustrações novas. Eu sou até um pouco suspeita para falar, pois li os dois e adorei. Mas, preciso confessar que este novo volume está ainda mais lindo e interativo, a começar pela cor roxa na capa, que deu um contraste muito maior. Os desenhos e citações estão ainda mais legais e os textos continuam emocionantes e bem-humorados.

E tem novidade logo na capa! Através do aplicativo gratuito Zappar, é possível acessar pelo celular o conteúdo exclusivo e divertido.

Para quem ainda não comprou presente para o Dia dos Pais, fica aqui esta sugestão. Se o seu pai é do tipo descontraído e que também adora ler, com certeza ele vai gostar deste livro!

Vale comentar que achei muito legal o prefácio desta edição, escrito por Eloisa Piangers, a mãe do autor. E também já tenho em mãos o livro: A Mamãe é Rock, escrito por Ana Cardoso, a esposa e mãe das fofuras Anita e Aurora. Depois contarei todos os detalhes. Esta família é mesmo Pop Rock!

site: http://www.instagram.com/culpadoslivros/
comentários(0)comente



Lilian 09/02/2017

Me surpreendi
Como posso dizer, sem parecer exagerada, que eu acho as diagramações desses livros perfeitas? Sério! Até hoje não vi um livro sequer da Editora Belas-Letras que seja menos que fenomenal! É um trabalho tão único e bem feito que eu simplesmente fico querendo fotografar o livro todo para vocês verem!

Assim, não poderia ser diferente com 'O Papai é Pop 2'! Como já acompanho as redes sociais do Piangers, eu tinha uma noção do que esperar do livro dele, mas ainda assim me surpreendi.

Neste livro o autor traz várias crônicas, histórias de suas experiências com suas filhas, o modo como elas pensam, o modo como ele lida com tudo isso e suas experiências como pai. É interessante ver como, em momento algum, ele diz ser um pai perfeito, na realidade ele reforça várias vezes o quanto ainda tem de aprender essa 'coisa de ser pai'. É notável.

Ele traz ainda tudo sobre esse mundo da paternidade, como é ter de trocar fraldas, lidar com chupetas, ser antissocial, avós, o pai perfeito, férias, stress e tudo que envolve a relação pai e filhas. Ele também conta as vezes em que se surpreende com aquelas mini pessoas e o que pode vir delas, isso o faz amar cada vez mais e, por um momento, esquecer todo o peso de carregar a vida de pessoas com você.
Mesmo para quem não tem filhos, acaba se identificando com as histórias e, claro, dá boas risadas. Na realidade, o autor nos traz uma abordagem leve e descontraída do que é ser pai e o que advém disso. É fascinante!

As crônicas são curtas, mas garanto que o livro te fará ficar com vontade de mais. As meninas são lindas e não há como não se apaixonar por elas e só posso dizer que o autor fez um ótimo trabalho ao descrever seus pensamentos nesse livro. Sua narrativa é fluida e divertida, nada apressado, nos envolve nesse mundo de pai e filha e quando vemos, estamos nos sentindo um pouquinho na vida deles.

A diagramação do livro é coisa de outro mundo. Novamente, como já disse, a Editora fez um trabalho único neste livro. As páginas são marcantes, com detalhes fortes e característicos, chama nossa atenção e as cores vibrantes finaliza tudo com perfeição.

Enfim, super recomendo esse livro se quiser saber mais do mundo dos pais e se divertir com isso. É uma ótima dica para você que quiser se divertir e passar umas horinhas desfrutando de boas histórias e dando boas gargalhadas.

site: http://www.leitorasvorazes.com.br/2016/11/resenha-88-o-papai-e-pop-2.html
comentários(0)comente



Nicole 23/10/2016

Só não dei 5 estrelinhas por falta de páginas
Que delicinha de livro! Amo crônicas assim, levinhas.
Que felicidade viver em uma época em que podemos ler pais falando simplesmente sobre ser pais.
Recomendo!
comentários(0)comente



val silva 18/10/2016

O Papai é Pop 2 – Marcos Piangers
Baixe O livro Grátis... http://livrosgratisbibliotecaonline.com/2016/10/18/o-papai-e-pop-2-marcos-piangers/

O papai é pop está de volta! Marcos Piangers vai colocar você no banco de trás do carro, ao lado das filhas Anita e Aurora, para contar novas histórias – algumas comoventes, algumas divertidas e outras talvez um pouco nojentas – sobre essa coisa absolutamente comum e extraordinária que é ser pai.
Um sentimento que não se pode explicar, não se pode entender. Só se pode viver. Porque você não vai ter um filho para obter vantagens, descontos, deduções do imposto de renda ou balões de graça sempre que for ao shopping. Um filho vai esgotar suas economias e minguar suas noites de sono. Vai sujar suas camisas novas e desenhar em suas paredes.
Você vai ter um filho, na verdade, por um único motivo: para aprender a amar outra pessoa mais do que a você mesmo.

site: http://livrosgratisbibliotecaonline.com/2016/10/18/o-papai-e-pop-2-marcos-piangers/
comentários(0)comente



Sofia Trindade - Fórmula do Amor 22/09/2016

Depois de "O Papai é Pop" ter feito sucesso Piangers, autor dos dois livros, decide lançar "O Papai é Pop 2" dando continuidade as suas crônicas que nos contam do dia a dia de ser pai. O livro dessa vez conta com uma linda introdução da mãe de Piangers, que decidiu falar abertamente de como foi a vida de mãe solteira para ela na época em que foi jovem.

Em "O Papai é Pop 2" pude mudar minha opinião sobre algumas coisas que li no primeiro livro. A impressão que ficou ao ler o primeiro volume foi que Marcos era um pai que se esforçava demais para ser perfeito, já no segundo o autor relaxa um pouco mais e abre mão de passar essa perfeição por algo mais real, sensível que mostrasse a paternidade como um todo.

O trabalho da editora Belas-Letras mais uma vez está incrível, e vai chegar uma hora que nem precisarei mais falar isso de tão acostumada que vou ficar com a perfeição da diagramação e das ilustrações presentes no livro.

Assim como "O Papai é Pop" e "A Mamãe é Rock", livro de Ana, mulher de Piangers, recomendo muito "O Papai é Pop 2". Foi como eu disse nas outras resenhas, não precisa ser pai ou mãe para entender a mensagem do livro, basta apenas ser filho.

site: http://formula-amor.blogspot.com.br/2016/09/resenha-o-papai-e-pop-2-de-marcos.html
comentários(0)comente



Lê Golz 21/09/2016

Super descontraído!
O papai é pop 2 é o segundo livro de Piangers lançado pela Belas-Letras. Antes de mais nada devo dizer que não ter feito a leitura de O papai é pop 1 não atrapalha se você resolver começar por esse, afinal, foi o que fiz. Mesmo não tendo lido o livro anterior posso afirmar que não é necessário ler na ordem.

Marcos Piangers é um papai comum como todos os outros: acompanha o crescimento das filhas, chora, sorri e até fica nervoso em diversos momentos únicos da paternidade. O interessante nesse livro é a visão do autor sobre o dia-a-dia de um pai, uma maneira talvez um pouco diferente de que se tem uma mãe.

A intenção de Piangers nessa obra de crônicas, não é reclamar da tão difícil tarefa de criar um filho, e sim mostrar de maneira descontraída todos os momentos únicos que um pai pode passar com seus filhos, apesar de todos os contratempos e dificuldades. Que ser humano sem filhos nunca julgou um pai ou uma mãe que encontrou na rua ou em qualquer outro lugar? Até Piangers já fez isso! Algumas ironias que o autor usa, acaba arrancando sorrisos e risadas do leitor, e com certeza nos fará olhar de uma forma diferente para um pai desconhecido na rua.

Além do ar divertido que o livro possui, adorei ver toda a fofura do livro. O leitor sente o quanto Piangers ama suas duas filhas e o quanto considera importante estar presente, educar e dar o máximo de amor possível, e claro, trocar fraldas. Afinal, pai que é pai, troca flaldas!


O livro como um todo é pura fofura, além de ter um ótimo trabalho gráfico. As ilustrações ao longo do livro só confirmam a serenidade que o livro traz. A obra é curtinha e fácil de ler. Piangers tem uma maneira gostosa e envolvente de escrever e se expressar.

"Há alguns anos, a Anita começou a usar meu computador. Fui checar o histórico de pesquisas no Google e uma das coisas que ela tinha pesquisado era: "mundo melior". Ela estava procurando por um mundo melhor. Eu também estou, filha. Imagino que é quando estamos juntos."

Recomendo esse livro de olhos fechados. Piangers te mostrará que nenhum pai é perfeito, e que é normal enlouquecer um pouquinho, mas que o amor deve sempre prevalecer. Um livro fofo que você não precisa ser papai para desbravar. Vale muito a pena. Simplesmente amei a leitura!

site: http://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2016/08/resenha-o-papai-e-pop-2.html
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2