Como Se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas

Como Se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas Elvira Vigna




Resenhas - Como Se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas


25 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Cacá 22/11/2021

Leitura construída como palimpsestos
Livro muito bem escrito, com frases curtas , diretas, com espaçamento entre parágrafo que induzem ao leitor a sempre seguir pensando no que foi dito anteriormente. História com narrativa objetiva , irônica , por vezes sarcástica.
Experiência de leitura diferente e muito boa !
comentários(0)comente



André Vedder 20/09/2021

a escrita não me pegou.
Havia em mim uma expectativa alta em relação ao livro, mas que infelizmente não foi correspondida, por um simples motivo: achei a escrita da autora muito enjoativa.
No início sua narrativa entrecortada até chama atenção, mas acaba ficando maçante no decorrer da leitura. Uma pena, pois gostei da trama, e da crítica da autora ao machismo e tudo mais, mas confesso que empurrei com a barriga o seu término.

comentários(0)comente



Euler 07/09/2021

Um livro que me fisga por sua engenhosidade, por conseguir desvelar a escritura e o processo imaginativo que é contar/escrever sem que isso se torne teórico ou egoíco demais. Talvez porque a engenhosidade exista exatamente dentro da narrativa, no fato da personagem que conta a história criar e se apoderar da imaginação e das possibilidades subjetivas que tem, para seguir na narrativa. Como num jogo, vamos acompanhando o que ela cria a partir do que ouve, essa escuta que pra mim é tão preciosa para quem escreve e que é uma escuta de sons, de ver as coisas, de sentir o mundo. Sobre o enredo, temos a personagem que ao escutar as memórias de um homem de suas saída com prostitutas, complementa e melhora essas vivências, tornando algumas delas fantasiosas, e deslocadas do original. Ou seja, é o que fazem os escritores. A ironia é outro ponto muito forte, que se intensifica e melhora, inclusive na fase final do livro. Onde uma.personagem quase silenciada ganha grande destaque e como num espelho dessa narradora, se percebe como dona da história. É um texto com fragmentos saborosos e muito criativo, e o estilo próprio -que não consigo comparar com outro - também vale muito a pena??
comentários(0)comente



Rafael V. 24/03/2021

Seco, frio e violento.
Numa linguagem entrecortada, que se articula para dar conta do vazio existencial em que vivemos, somos máquinas desejantes alienadas de si e do mundo. Até as supostas transgressões são cartas marcadas de um baralho viciado, cansado e tosco.
comentários(0)comente



Zeka.Sixx 23/03/2021

Leitura interessante e diferentona
O romance conta a história da amizade entre a narradora sem nome e João, um homem de meia-idade que cultivou ao longo de grande parte da vida o hábito de sair com garotas de programa. Ambos se conhecem meio que por acaso, em algum momento na segunda metade da década de 90, quando a protagonista estava à procura de emprego e João estava trabalhando em um cargo de alto escalão em uma grande editora à beira da falência. Logo se estabelece uma relação de cumplicidade, e João encontra na nova amiga uma confidente para quem ele passa a narrar, tarde após tarde, seus encontros com as prostitutas.

A história se desdobra em outras camadas, pouco a pouco revelando mais sobre ambos os personagens, e também sobre outros, periféricos mas igualmente importantes, como Lola, a ex-mulher de João. Conforme a leitura avança, o diagrama vai se tornando mais claro, e as motivações dos personagens vão sendo desnudadas, em uma escrita que funde com maestria lirismo e estilo. Alguns poucos recursos utilizados pela autora, como a repetição de trechos, às vezes se tornam cansativos, mas, fora isso, trata-se de um grande romance nacional.
comentários(0)comente



Mada 14/11/2020

Ai, ai... A masculinidade frágil...
Como é que a Elvira Vigna conseguiu pegar um personagem muito bobo contando um monte de histórias ruins e repetidas, num clima de tédio e, com uma força narrativa arrebatadora criar TODA ESSA REFLEXÃO NECESSÁRIA que ela traz aqui nesse livro??? Eu estou pasma até agora com o que li. Isso que ela conseguiu fazer aqui, com esse material aparentemente tão pobre e escroto e cotidiano e machista, da maneira como ela coloca, com essa dicção única que ela tem, é de lavar a alma e reverenciar essa mulher. Elvira te amo. Leiam.
Rafael V. 24/03/2021minha estante
Eu gosto do título que explora não só a personagem principal.




Luana 06/11/2020

Esplendoroso
Elvira Vigna apresenta um domínio da linguagem em que nos deixa embabascados. Ela brinca com a escrita, que coisa fascinante. Foi uma indicação de um amigo e que indicação maravilhosa! É sempre muito gratificante ler algo tão magnífico quanto esse livro. Simplesmente esplendoroso.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mariana 14/09/2020

A forma como Vigna organiza as narrativas me instiga bastante. Gosto da forma como ela faz a personagem de Lola, que é enganada por toda a trama, triunfar, em certa medida. Gosto também como ela expõe, na obra, a tolice da maioria dos homens da trama travestida de esperteza.
comentários(0)comente



Debora 12/09/2020

Uma leitura difícil, fragmentada
O livro inteiro tem uma escrita fragmentada, um vai e volta. Uma repetição de raciocínio.
A leitura é bem cansativa
comentários(0)comente



João 04/08/2020

... a única maneira que havia de falar dela. Não falando...
Acabei lendo esse livro ao acaso, por uma indicação de uma amiga, de início li 50 páginas sem entender direito a proposta do livro, mas continuei, e ao decorrer descobri que o livro retrata vários pensamentos e acontecimentos da vida de João e da Narradora (narrados por ela mesma).

Um livro com uma escrita bem diferente, onde a história por ser vários pensamentos, ela não tem uma cronologia exata, portanto fica indo e voltando, um tanto quanto emocionante.

Enfim, amei a leitura, confesso que foi um pouco difícil a compreensão do que é abordado no livro, mas quando compreendido causou em mim várias reflexões muito importantes.

Super recomendo, ainda mais por ser uma obra BRASILEIRA contemporânea de peso.
comentários(0)comente



Beatriz 17/05/2020

Um livro necessário.
Esse livro tem uma narrativa um pouco arrastada no começo, mas depois a narrativa me pegou de jeito e fiquei sedenta por saber mais sobre as mulheres que tinham sua história narrada por um homem que precisava urgentemente de atenção. Nesse livro podemos ver a tentativa do homem de invisibilizar a mulher. Leiam. Vale a pena demais.
comentários(0)comente



Grace @arteaoseuredor 01/03/2020

Como se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas, de Elvira Vigna. ? Faz tempo que queria ler um livro dessa escritora, e esse então logo me atraiu por causa de seu título louco. ? A narradora da história que não tem nome, tem conversas em uma editora que está a beira da falência com João, que começa a contar sobre seus inúmeros encontros com garotas de programa, e sobre sua ex-mulher Lola, através de seus relatos vamos sabendo quem é João, ou preenchendo lacunas junto com a narradora, e também com suas omissões conhecendo Lola. A narradora mora com uma garota de programa Mariana, acho que isso a liga de alguma forma a João. Confuso? Pode parecer a princípio mas conforme vamos lendo, vamos decifrando esses personagens. Achei ótimo a forma da escrita de Elvira, que não é fácil de ler, mas é muito bom, adoro escritores que fogem do comum. Ela fala de presente, passado, vai e volta na história e tem palavras não ditas. Através dessa história, ela fala sobre opressão, solidão, feminismo. Gostei demais. E vou procurar mais livros dela para ler.
comentários(0)comente



Adriana Scarpin 18/06/2019

Há anos este livro está guardado na minha estante, quando Vigna morreu fiquei tão chocada que nem consegui ler o palimpsesto de putas porque simplesmente não conseguia aceitar que sua literatura chegava ao fim, a considerava o maior escritor brasileiro vivo em atividade, posição esta que ainda não consegui encontrar um substituto – coloquei no masculino para ficar em evidência que ela não era a melhor autora entre mulheres e sim entre homens e mulheres.
O motivo de tê-la em tão alta conta é fácil de ver também neste livro, ela não é uma simples contadora de estórias e sim trabalha na evisceração da linguagem e é disso que os grandes escritores são feitos, a literatura de Vigna é virada do avesso em termos de linguagem e a autora era mesmo uma GIGANTE e reiteradamente ela sempre volta a nos embasbacar como aqui.
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR