As Letras do Amor

As Letras do Amor Paula Ottoni




Resenhas - As Letras do Amor


38 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Iara.Antunes 30/08/2019

Temos muitas dúvidas sobre o que escolher como profissão e sobre relacionamentos tanto no amor quanto na amizade.

A história é sobre Bianca que vai se mudar com namorado Miguel para Roma e mora na casa do amigo dele Enzo para tentar se descobrir sobre o que seguir e colocar um rumo na sua vida e fugir da realidade delicada dos seus pais em processo de separação.

Nesta viagem de seis meses em outro país Bianca irá se encontrar e amadurecer descobrir o que quer ser e ver que seu relacionamento não era bem aquilo que ela acreditava, mas será que deve insistir nisso ou só uma fase ruim no relacionamento?

Além disso ela descobre que o amor é muito mais do só contato físico e que um relacionamento se construí sendo presente e tendo suas semelhanças e diferenças respeitando o espaço e tempo de cada um.

Este livro me surpreendeu positivamente como foi contato sobre as dúvidas de Bianca e como ela foi amadurecendo no processo trazendo boas reflexões.


Mathias.Weirich 02/09/2019minha estante
Adorei! Mais um livro para minha lista de uturas leituras!


Iara.Antunes 03/09/2019minha estante
Eva hahaha




Ana Karolê || @anakaroline_gc 25/12/2018

As letras do amor são as mesmas letras de Roma.
Então, o que dizer desse livro que é uma gracinha? É aquela típica história do "sair de si mesmo para conhecer a si mesmo". E foi o que aconteceu com Bianca.
Uma italiana fake, recebeu a cidadania por seu pai, mas não sabe absolutamente nada de concreto sobre a Itália e, através de uma oportunidade de morar 6 meses em Roma com seu namorado, ela acaba se descobrindo de um modo "una vera italiana, ma dai!".
Miguel, o seu namorado, deve ir a Itália com a missão de abrir uma filial de sua empresa familiar e Bianca quer aproveitar a situação para descobrir a sua verdadeira vocação - ela abandonou a graduação que estava cursando - e como um casal, vão dividir um apê na capital italiana com um grande amigo do seu boy, o nerd, lindo e italiano Enzo.
Entre admissões e demissões de seus empregos, as aulas no curso de italiano, as voltas na cidade com sua bicicleta adquirida, passeios por ruas de arquitetura inigualável, 'gelatti e paste', ela descobre mais que um rumo na vida.
Como a capa do livro já nos traz: "Ela foi mais longe para descobrir o amor tão perto". E começa o jogo de estar ou não apaixonada por duas pessoas, que são amigos, que dividem o mesmo teto ... ah, sem contar na amiga dela que é afim de Enzo. Realmente, é uma confusão formada. (sobrou até para o Padre Domenico). É o querer e não poder, ou pior, querer, saber que quer e mentir a si mesmo afirmando que não quer e tudo ficará bem. Como bem disse Enzo "Acho que tudo depende da sorte de encontrar alguém que combina com você. Há bilhões de pessoas no mundo, mas parece que podemos nos dar bem com apenas algumas poucas, e elas nem sempre cruzam o nosso caminho. (...) E, as vezes, quando achamos essas pessoas, elas não estão disponíveis para nós." (pag. 89).
Bom, daí em diante, é só acompanhar a trajetória desse triângulo amoroso e bem enrolado de Bi, Mig e Enzo que, a cada página nos faz torcer, desesperar-se e querer estar no lugar de um certo alguém.
O lindo do livro é que eu, particularmente, pude lembrar tudo que eu vivi na Itália quando morei um ano em Roma: toda a vida, as descobertas diárias, o aprendizado da língua, os amores italianos (porque sim!), a arquitetura, mas a magia da cidade é o que mais me faz falta. "(...) a experiência de morar sozinho é ótima para que você possa conhecer a si mesmo."(Pág. 39).
A dúvida na hora da volta é o que mais nos confunde - ficar ou voltar, eis a questão. "Lembrar que voltarei ao Brasil é uma espécie de choque. Na maior parte do tempo é como se minha mente tivesse se acostumado à ideia de ficar pra sempre onde estou."(pág. 109).
Roma e Veneza, minhas cidades italianas preferidas (Siena também) foram lindamente descritas na narrativa, o que fez com que eu me apegasse mais ainda à trama ...
ROMA - "Enquanto dirigimos para nosso endereço, observo da janela do banco de trás as maravilhas arquitetônicas que meus olhos conseguem capar. JÁ AMO ROMA. Um sorriso enorme se abre em meu roso ao ver praças, os prédios centenários, as ruínas espalhadas como intrusos bem-vindos... os turistas caminhando sob a lus do sol, misturando-se aos italianos em suas atividades finas e corriqueiras. Afinal, tudo é charmoso, superando qualquer expectativa."(Pag.19) // (...) lá dentro fico fascinada com a grandiosidade daquela estrutura, imaginando como ela deveria ser na época do Império Romano, com gladiadores e todo o espetáculo sangrento na arena.Em meio a tantos turistas, em uma edificação de arquitetura tão fascinante, é fácil esquecer a verdadeira razão de aquilo um dia ter sido construído" (pag. 22)
VENEZA - "A arquitetura da cidade é totalmente peculiar, diferente de tudo o que eu já tenha visto, até mesmo na Itália. Enzo me explica que a mistura que se vê, esse estilo único, é devido aos diferentes povos que passaram por aqui no passado. Veneza era uma ponte entre o Ocidente e o Oriente, por isso consigo ver em alguns detalhes, como em torres e janelas, elementos e traços de influência oriental." (pág. 105).
A narrativa é bem leve, tem uma temporalidade e umas questões interessantes: o certo e o errado, o se colocar em primeiro lugar ou deixar a felicidades dos próximos acima de si mesmo, é um situação complicada!
E é isso! Posso ter me empolgado com a resenha por falar de Itália e muitas lembranças virem a tona, mas essa é uma leitura bem leve, pra quem quer algo divertido e sem pesos.

P.S. A 4a estrela da minha avaliação foi por Roma ♥ r.o.m.a.m.o.r sempre!
Noely Fernanda 25/12/2018minha estante
Deu vontade de ler logoooo kkkkk arrasou demais


Ana Karolê || @anakaroline_gc 04/01/2019minha estante
Pois pegue lá em casa e leia , gata ahhaha




Jéssica @DivaLiteraria 27/04/2018

Minha impressão
Aproveitando que estou de férias, dei um pulo em Roma. Não estava sozinha nessa viagem, fui com Bianca e Miguel e lá encontramos o Enzo. Conhecemos os principais pontos turísticos e aproveitamos para nos conhecer um pouquinho mais. O Miguel estava muito envolvido com os negócios da família, mas Bianca e Enzo curtiram muitas coisas juntos e ali nasceu um laço. Percebi que cada vez que o Miguel se distanciava, a Bi ia dando um passo mais para perto do gato do Enzo [quem não?]. Nesse meio tempo, conheci também a Mari, melhor amiga da Bianca e a Catherine que era francesa. Desde o início suspeitei, mas tive a certeza em pouco tempo que o Miguel era um cretino e o Enzo em comparação muito mais fofo [Boy magia]. Então surgiram alguns impasses, mas como espectadora do acontecimento, não opinei, apenas me mantive ali, observando [Mentira! Falei minha opinião nos Stories hahaha]. Depois, vieram as brigas e algumas decisões; voltamos para o Brasil, todos sem entender muito bem o que estávamos sentindo. O boy magia ficou na Itália (#Tears). A Bianca, mais decidida, depois de alguns longos meses, resolveu voltar para a Itália, junto com sua mãe e seus irmãos pequenos. Quando ela reencontrou o Enzo, minha missão estava completa e eu estava livre para voltar. Eu amei embarcar nessa viagem.
🎒
.
📖“Acho que tudo depende da sorte de encontrar alguém que combina com você. Há bilhões de pessoas no mundo, mas parece que podemos nos dar bem com apenas algumas poucas, e elas nem sempre cruzam o nosso caminho. E, ás vezes, quando achamos essas pessoas, elas não estão disponíveis para nós.”
.
📖“No meu ponto de vista nunca percebi diferença entre roupa de baixo e de banho. Por que as pessoas podem te ver nas de banho e não nas de baixo, se ambas mostram as mesmas coisas?”
.
📖“Só eu que acho injusto que parece haver uma porcentagem muito maior de garotas ‘pacote completo’ (bonitas, inteligentes e legais) do que homens com as mesmas características?” 🌷Lisa, obrigada pela indicação @euli_voutecontar🌷

site: https://www.instagram.com/p/BfuGnadHqRR/?hl=pt-br&taken-by=livrosdajehdicas
Lisa.Vieira 27/04/2018minha estante
Miga, gostei do livro também e amei ler com vc. Mas dei 3,5. Achei alguns pontos um pouco desnecessários, algumas coisas banalizadas.
O Enzo é muito fofo, mas acho que a Bianca podia ter sido maus firme... Ela se diz tão determinada em várias partes, mas acho que foi covarde e omissa em situações que era necessária uma postura mais rente.
Eu entendo que a idade dela de certa forma é um ponto de fraqueza, por mais que se mostre madura, mas assim mesmo ela poderia ao menos tentar conversar. Ela queria que tudo ficasse bem por força de pensamento!

A escrita é bem gostosa. Foi um "achado" no nosso pacote nacional!!!

Bj.


Jéssica @DivaLiteraria 27/04/2018minha estante
Ahh sim Lisa, super entendo. O livro tem que ser bem ruim para dar uma nota baixa. No geral eu gostei :)




Michelle Trevisani 12/09/2016

Um romance juvenil
Boa tarde pessoal! Hoje a resenha é desse livro lançamento da Novas Páginas, selo da editora Novo Conceito, As Letras do Amor, escrito por Paula Ottoni.

Neste livro vamos conhecer a história de Bianca. Os pais de Bianca só brigam - e Bianca prevê uma separação entre os dois logo, logo. Seus irmãos também são duas pestes, então quando o namorado de Bianca, Miguel, propõe que o acompanhe até Roma por alguns meses para começar a trabalhar na empresa de seu pai, Bianca não pensa duas vezes.

Aliás, Bianca até pensa - afinal tem 19 anos, e ir morar sozinha em Roma com Miguel (apesar de que vão dividir o apartamento com um amigo de Miguel que já mora em Roma) significa um passo importante no namoro dos dois. Vão estar vivendo como realmente um casal, e Bianca não sabe se está pronta para este tipo de relacionamento (eles estão juntos há um ano, mas ainda nem tiveram relações, apenas uns beijos mais quentes e tal). Mas como a situação na sua casa está insuportável, Bianca anuncia sua decisão enquanto janta com seus pais e, apensar de protestarem um pouco em relação a decisão de Bianca, decidem deixar a filha tentar. Afinal, Bianca está em busca do seu amadurecimento e seus pais acreditam que essa experiência será valiosa, já que Bianca também é cidadã italiana e nunca viveu na Itália.

Felizes da vida, Miguel e Bianca partem para a linda Itália. E quem recepciona os dois no aeroporto quando chegam é Enzo, melhor amigo de Miguel e que será o novo companheiro de apartamento dos dois. Enzo parece ser um cara legal, e Bianca já está adorando tudo na cidade Italiana.

Mas com o passar dos dias, Bianca começa a se sentir meio inútil. Não quer atrapalhar Miguel, que está tentando aprender o máximo possível com seu pai sobre as coisas da empresa, para depois poder tocar os negócios na filial do Brasil. Bianca até tentou alguns empregos, mas que não deram certo. Então se vê na maioria dos dias sozinha no apartamento, com Enzo que está de férias dos estudos e trabalha bem menos que Miguel - que ultimamente Bianca só vê na hora de dormir. E essa relação com Enzo cresce. Os dois começam a fazer várias coisas sozinhos, descobrem o quanto são parecidos um com o outro. E Miguel, para ajudar, pensa que não deve muitas satisfações à Bianca quando o assunto é dar uma esticada na noite com seus amigos.

Leia o restante da resenha no meu blog >> Livro Doce Livro

site: http://meulivrodocelivro.blogspot.com.br/2016/09/resenha-as-letras-do-amor-de-paula.html
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 13/09/2016

Resenha: As Letras do Amor
O mais recente lançamento da editora Novo Conceito, As Letras do Amor chegou até nós através da parceria. Um romance da literatura nacional contemporânea que promete uma história de amor adorável, mas que escorrega nos clichês atrasados de obras do tipo.

Bianca está de malas prontas para morar na Itália por um tempo. Acompanhada do namorado, um empresário animado com as possibilidades que as terras italianas guardam, Bianca está ansiosa com o que vai poder ver e aprender em um novo mundo. Ela só não esperava que junto às novas experiências surgisse uma nova opção para o seu coração; indecisa quanto às escolhas que deve fazer, o livro acompanha essa jornada da Bianca enquanto ela se apaixona pela Itália e, principalmente, por um certo italiano.

As Letras do Amor tem a premissa de um romance água com açúcar adorável, e pelo menos durante as primeiras cinquenta páginas se sustenta assim. O meu problema com o livro foi o fato de os esteriótipos serem carregados demais, e de os personagens terem sido tão afixados em um só tipo de personalidade - o namorado problemático, a garota virgem perfeitinha, o interesse amoroso sem defeitos - que tornou a leitura enfadonha. Não li nenhum crescimento, nenhum ápice de mudança, nenhuma situação que forçasse a protagonista a se desenvolver. Do início ao fim, você já sabia qual seria o destino final dela. Nunca houve nenhuma dúvida, apesar da promessa de um triângulo amoroso.

"Ele sorri complacente, ao que retribuo. É quase como nosso ritual particular. Se ele sorri, eu sorrio de volta."

Gosto de ler young adult porque, em sua maioria, acompanhamos personagens jovens vivenciando as coisas assustadoras da vida - e por assustadoras não digo monstros e batalhas medievais, mas sim as coisas que realmente dão medo: escolhas, perdas, amores e outras situações que testam o crescimento dessas personagens. Livros contam histórias, contam jornadas, e infelizmente aqui eu não enxerguei nada além de uma grande volta para acabar no mesmo lugar. Sim, a Bianca confrontou alguns momentos tensos, situações desesperadoras, mas ela acabou tal como começou. Só porque é um livro de romance não significa que sua protagonista não vai crescer, muito pelo contrário. Livros que ambientam a realidade precisam de um desenvolvimento forte para mostrar que a história está ali porque ela importa. A Bianca não me convenceu disso. Em todos os seus monólogos interiores, todo o seu laudo psiquiátrico sobre a vida e seus amores, quase nada disso contribuiu para colocar a personagem principal de um patamar acima daquela que havia começado essa história. Por isso minha maior decepção.

Quanto ao triângulo amoroso, aqui ele incomodou demais. Veja bem, amo triângulos amorosos. Quando bem construídos, todo o drama em volta deles é delicioso de se ler. Quando você tem dois amigos e uma garota se apaixonando por ambos, cara, as possibilidades de drama e de reviravoltas são imensuráveis. Aqui, a Bianca já deixou claro sua escolha logo nas primeiras cem páginas, o que levou a uma enrolação completamente desnecessária pelo resto do livro. E eu preciso comentar sobre duas cenas que foram muito incômodas: A) traição não justifica traição. B) "conceder" a sua virgindade é um termo muito errado e ruim e precisa ser evitado, especialmente quando coloca a personagem em uma situação desconfortável.

"Miguel foi a minha primeira escolha, e talvez minha vida pudesse ser uma pilha de erros que surgiram dela. Ou eu poderia escolher o caminho alternativo, Enzo, e enfrentar as dificuldades."

Miguel e Enzo foram caricaturas dos interesses amorosos básicos em histórias que já não conquistam mais como deveriam. De um lado, o cara ausente, avoado, que de repente para de dar atenção para a namorada, o que abre caminho para: o amigo simpático, nerd, companheiro, extremamente cauteloso e atento a tudo. Queria dizer que amei o Enzo, mas toda a perfeição não me comprou, e pelo Miguel eu senti apenas a necessidade de que ele sumisse do mapa depois de duas situações específicas.

"Seus lábios estão sorrindo. Não sei por que, mas algo em meu modo de agir e falar sempre o faz mostrar esse sorriso."

A edição da Novo Conceito está impecável. Formato de página e fonte agradáveis, capítulos breves, que não se tornam enfadonhos, e uma trilha sonora ótima. No início de cada capítulo, duas músicas embalam os acontecimentos dele.

A parte que eu mais gostei em todo o livro foi a ambientação. A Paula nos transportou para a Itália com uma narrativa leve e nos apresentou a um cenário bastante real, colocando os personagens em cenários lindos e bem descritos. Se não fossem os pontos citados acima - coisas que podem ser trabalhadas em histórias futuras que combinem o mesmo tema - As Letras do Amor teria sido um livro leve e adorável de se ler, tal como os romances juvenis devem ser.
comentários(0)comente



Carol 17/09/2016

Mais no blog Virando Amor
"Apesar de ser um romance bem clichê com um final previsível, eu consegui me identificar muito com a personagem. O ponto principal do livro não é romance, em minha opinião, e sim todo o conflito que ela passa pra tentar se encontrar, decidir o que fazer com o futuro. Creio que todos que já passaram por situações semelhantes irão adorar o livro."

Mais no blog Virando Amor

site: http://www.virandoamor.com/2016/09/resenha-as-letras-do-amor-de-paula-ottoni.html
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 19/09/2016

Perfeito para ler depois de uma ressaca literária.
Oie gente! Esse mês estou lendo bastante nacionais. As editoras estão apostando na literatura nacional e quem ganha é claro somos nós leitores. Esse mês já li 4 nacionais e com mais dois na lista. Para você que também gosta de nacional, tá rolando um sorteio super bacana no blog com 10 livros nacionais. Vamos parar com a conversa e simbora pra resenha rsrs.

"Olhando para Enzo ali, quase chego à conclusão de que estou apaixonada. Isso me apavora."

As Letras do Amor é o lançamento da Novas Páginas, da autora Paula Ottoni. Já olhando pra capa dá pra perceber que se trata de um triângulo amoroso. Eu sinceramente amo livros assim e não tive dúvidas quando pedi para resenha. O livro tem seus pontos altos e baixos e vou tentar falar aqui todos eles.

O livro conta a história de Bianca, uma jovem de 19 anos que vai para Roma passar 6 meses junto com seu namorado Miguel. Eles vão morar junto com o amigo de Miguel. Enzo é um nerd, tímido, bom amigo e além disso tudo é lindo. Miguel está atolado de trabalho, então deixa a desejar no quesito namoro. Em contra partida seu amigo Enzo que é cheio de qualidades está ali com Bianca, como amigo e consolando. Você já sabe onde tudo isso vai parar, Bianca vai ficar em dúvida com quem ficar e nessa história vamos acompanhar sua decisão.

Já nas primeiras páginas a autora nos apresenta uma Roma linda, cheia de detalhes. Me senti lá lendo esse livro. Cada esquina, cada monumento, cada comida detalhada pela autora com perfeição. Foi contagiante a alegria de Bianca está em um pais novo, amizades novas, novo trabalho, enfim nova vida. Mas depois da página 60 ficou claro com quem Bianca iria terminar. O livro começou a ficar previsível e com isso comecei a gostar menos de Bianca.

"Eli sorri complacente, ao que retribuo. É quase como nosso ritual particular. Se ele sorri, eu sorrio de volta."

Mas Ana você não disse que gosta de triângulo amoroso? Sim adoro!! É normal nesses casos eu odiar a mocinha, mas nesse livro as situações foram tão previsíveis, que eu já sabia onde cada ação ia levar. Faltou aquele "tchan" para diferenciar dos demais triângulos amorosos.

Resenha Completa no Blog

site: http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2016/09/resenha-as-letras-do-amor.html
comentários(0)comente



Carol 26/09/2016

Não rolou...
"Ele sorri complacente, ao que retribuo. É quase como nosso ritual particular. Se ele sorri, eu sorrio de volta."

Bianca está de partida para Roma, irá com o seu namorado Miguel, pois para assumir os negócios da família ele terá que passar alguns meses na capital italiana. Sabe aquela fase que você não sabe o que fazer da sua vida? A garota está assim, então agora se vê animada com uma perspectiva de futuro e novos conhecimentos. Porém o que ela não imagina é que junto com as novas experiências, também virá Enzo, uma nova oportunidade pro seu coração. Uma escolha que pode ser repleta de incertezas, porém que ao mesmo tempo parece ser tão linda quanto os cenários italianos.

Em "As letras do amor" vemos um romance água com açúcar que parece repleto de leveza, suspiros e boas risadas, oferece aqueles clichês e eu adoro clichês, até a página 70, por aí, a leitura fluiu bem. Porém não me identifiquei com esse. Aqui vemos todos aqueles estereótipos que já vimos inúmeras vezes na literatura juntos, já cansativos.

Ao ler o livro não consegui me identificar com os personagens, não consegui me apegar a Bianca desde o início, não vi um amadurecimento da personagem principal e o triângulo amoroso não pode ser chamado de triângulo. Antes de chegar na página 100 você já sabe o final do livro.

Eu amo triângulos amorosos, amo a construção dos mesmos e todo o drama que eles carregam. Porém nesse caso acaba não acontecendo isso e eu realmente não concordo com algumas atitudes tomadas por Bianca, acho que nada justifica algumas coisas que aconteceram.

O que me encantou no livro foi o trabalho da Editora Novo Conceito, a capa é linda, diagramação caprichada e no início de cada capítulo temos uma playlist literária maravilhosa. Conhecer Roma por meio das páginas também foi linda, Ana Paula consegue nos mostrar o melhor da Itália em seu livro de uma forma bem escrita e encantadora.

site: www.nossaressacaliteraria.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Oceano 12/11/2020

É um livro ok. Não diria que é um dos melhores, embora não me arrependa de ler. Um ponto positivo do livro é que a personagem principal e seus interesses amorosos são bem fáceis de gostar, mas a leitura não me foi tão envolvente quanto poderia ter sido. Mas a escritora é talentosa.
comentários(0)comente



Bruna 06/10/2016

Até que ponto vale a pena lutar pelo amor?
Até que ponto você iria para ter a sua felicidade? Será que para viver o verdadeiro amor vale a pena magoar a todos que são mais importantes para você? Bianca, ao viajar para Roma com seu namorado, Miguel, poderá acabar descobrindo mais sobre ela mesma do que jamais imaginou, mas será que ela está pronta para crescer e enfrentar o que irá acontecer? Em As Letras do Amor da autora Paula Ottoni e publicado pela Editora Novo Conceito, você irá se deparar com uma história linda de amor, descobertas e amadurecimento. Prepare seu coração porque será impossível não se apaixonar por essa história.

Bianca é uma jovem linda de dezenove anos, estudante de pedagogia, e com um namorado que sempre desejou e uma grande família formada por seus pais e seus dois irmãos mais novos. Mas ao contrario do que se poderia esperar a vida dela está bem longe de ser perfeita... Ao largar os estudos depois de descobrir que Pedagogia não tinha nada haver com ela, seus pais viverem brigando e estarem prestes a se divorciar e seu namorado querer viver 6 meses com ela em Roma como se fossem um casal, digamos que tudo que ela menos tem em sua vida é a certeza sobre algo ou sobre o seu próximo passo!
Decidida a mudar essa dependência que possuí e quem sabe descobrir o que deseja para o resto de sua vida, ela se dispõe a mudar com Miguel Nogueira – seu namorado – para Roma enquanto ele abre a nova filial da empresa de seu pai e sua futura empresa durante seis meses. Ela só não imaginaria que essa viagem e principalmente que um certo melhor amigo, nerd e encantandor - e dono da casa onde eles ficariam - poderia mostrar sentimentos e sensações que ela não havia sentido antes.

“Tenho de confessar que Enzo é um cara atraente. Não só pelo seu rosto e corpo em forma, mas também pelo modo como se veste, como se entendesse consideravelmente de moda.”

Enzo é um típico Italiano e melhor amigo de Miguel, tanto que quando esse pergunta se ele pode morar em seu apartamento por um tempo – ainda mais agora que esta sem companheiro de quarto – com sua namorada ele logo aceita. No entanto, sem ter conhecido Bianca anteriormente ele não imaginava o que estava por vir.
O que tinha tudo para ser uma incrível oportunidade dela passar mais tempo com Miguel acaba se tornando um pesadelo. Ele sempre ocupado com o trabalho e querendo aproveitar seu tempo livre para curtir como se não houvesse amanha, faz com que Bianca comece a se ressentir com ele e o relacionamento que antes era bom e perfeito passe a apresentar diversos defeitos.
É então que ela e Enzo, que acabam passando mais tempo juntos, começam a formar uma grande e especial amizade. Talvez seja o fato dele estar sempre disponível enquanto Miguel não, ou simplesmente pelo fato de que ambos possuem personalidades tão parecidas que se completam, mas os dois passam a criar um vinculo surgindo uma grande amizade e os fazendo viver uma grande aventura a cada dia.

“– Acho que tudo depende da sorte de encontrar alguém que combina com você. Há bilhões de pessoas no mundo, mas parece que podemos nos dar bem com apenas algumas poucas, e elas nem sempre cruzam o nosso caminho. – Ele me olha de relance, então continua encarando a rua. – E, às vezes, quando achamos essas pessoas, elas não estão disponíveis para nós.”

No entanto, o que começou com uma simples amizade pode vir a ser algo mais profundo e intenso... Mas com tantas pessoas envolvidas, eles estariam dispostos a magoar aqueles com quem mais se importam para viver esse sentimento? Ou só se trata de mais um daqueles casos de querer o que não se pode ter?
Em As Letras do Amor nos deparamos com uma história intensa e gostosa e com uma importante lição sobre: amizade, perdão, conhecimento sobre si mesmo e sobre mudanças. Com uma playslist especial para capa capítulo prepare-se para se sentir dentro do enredo e para se apaixonar pelos personagens. O perfeito equilíbrio entre uma história simples e intensa, divertida e dramática, clichê e apaixonante para todas as idades.

“Parece que, de uns tempos para cá, toda vez que um filme romântico acaba, naquela cena habitual do beijo ou do casamento – você sabe, com a musica épica, os sinos tocando e a coisa toda -, eu me pergunto: “Tá, e agora?”.”

Obra mais do que recomendada, já entrou até para as minhas favoritas! Espero que possam agradar a vocês, tanto quanto me agradou. Mas é como eu sempre digo, peguem e leiam e tirem suas conclusões, posso dar uma ideia para vocês e dizer sobre o que aconteceu comigo durante a leitura, mas só por si mesmo vocês poderão formar a sua opinião!

site: www.brookebells.com
comentários(0)comente



Thami | @professorathami 18/10/2016

As Letras do Amor
Se o que você procura é uma leitura leve e que valha como distração, As Letras do Amor é uma ótima escolha. O livro foi cedido ao blog em parceria com a editora Novo Conceito.

Paula Ottoni nos apresenta a personagem Bianca, uma jovem de dezenove anos que decide se mudar para Roma com o namorado, Miguel. O motivo da ida a Roma é que Miguel está trabalhando para montar uma empresa, e ele acredita que Bianca seria uma boa companhia e o ajudaria muito. Bianca aceita ir, pois acabou de largar a faculdade de Pedagogia e precisa de um espaço para pensar a respeito do seu futuro. Apesar do medo de se tornar a dona de casa muito cedo, Bianca acaba cedendo ao pedido do namorado para acompanhá-lo. Mas eles não vão morar sozinhos. Enzo, o melhor amigo de Miguel dividirá seu apartamento com o casal.

De forma natural, Bianca acaba se aproximando de Enzo e se distanciando de Miguel. Então, em meio aos empregos perdidos e as dúvidas de Bianca sobre o futuro, o livro se desenvolve.

"Todos temos muitas faces, anjos e demônios dentro de nós."

As Letras do Amor é narrado em primeira pessoa pela protagonista Bianca. A edição está muito bonita, pois a fonte é de bom tamanho e de formato agradável, e as páginas são amareladas. O livro possui 224 páginas e levando em conta a linguagem dele, é possível lê-lo em um curto período de tempo.

Você não vai encontrar grandes lições nas páginas de As Letras do Amor, então não espere por isso. De modo geral, o que há nele são as dúvidas de uma jovem de dezenove anos, um relacionamento fofo nascendo e um relacionamento complicado se complicando ainda mais. E por se passar quase que integralmente em Roma, há muitas descrições acerca do lugar, o que é muito bacana para conhecermos um pouquinho de lá.

Não me aproximei de Bianca, pois, apesar dos grandes elogios que ela recebe de Miguel e de Enzo, eu não a considerei tão adulta e tão controlada assim. Mas, quem é, em todos os momentos da vida, tão adulto e tão controlado assim? Poucas pessoas. O fato é que, apesar das minhas considerações, não simpatizei tanto assim com a protagonista. Mas isso não é uma crítica ao livro, é apenas a minha opinião. Quanto aos outros personagens, estou encantada por Enzo e com muita raiva de Miguel. Já, nos primeiros deslizes de Miguel, eu comecei a detestá-lo.

A leitura é muito agradável, mas o livro é bastante previsível. Não precisamos chegar na metade para imaginar o desfecho. Então, se você gosta de surpresas, eu não indicaria As Letras do Amor para você. Para falar a verdade, eu acredito que As Letras do Amor é uma leitura para quem quer se distrair, dar alguns suspiros (pois, em vários momentos, eu me envolvi bastante com os acontecimentos) e praticar o ato da leitura.

O final, como eu já disse, apesar de previsível, foi muito agradável. Eu gostei de todo o desenvolvimento e todos os desfechos, exceto o que envolve a amiga de Bianca, Mari. A amizade é algo muito importante para mim e eu fiquei entristecida com a forma como as coisas terminaram nesse caso. Fora isso, foi bem gostosinho ler o livro e se envolver nessa estória de descobertas pessoais e muito amor.

site: http://thamirisdondossola.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Dicas Literárias 15/11/2016

#Resenha 90, As Letras do Amor, da autora Paula Ottoni.
Sinopse: Sinopse: Bianca acabou de largar um curso de graduação de que não gostava, seus pais vão se divorciar e seus irmãos pequenos estão cada dia mais barulhentos. A oportunidade perfeita de escapar surge quando seu namorado, Miguel, resolve ir a Roma abrir uma empresa para o pai. Bianca decide que aprender italiano, arrumar um trabalho temporário e ajudar Miguel em seu negócio será um bom começo. O que parecia um sonho, porém, torna-se uma incerteza ainda maior quando Miguel fica sempre fora de casa, os empregos de Bianca não duram mais que uma semana, e, cada dia mais próxima de Enzo – o melhor amigo de Miguel, com quem moram –, ela começa a questionar seus sentimentos.






#RESENHA

Para quem já sabe, sou apaixonado por livros de romance e, quando vi esse lançamento no site da Editora Novo Conceito, pensei: preciso ler. Não demorou muito para a cortesia chegasse em minha casa e rapidamente comecei a leitura.
As letras do Amor é um romance nacional, escrito pela autora Paula Ottoni. Para ser sincero eu gostei muito da história. Um romance curto, livro fino, mas muito atrativo!
Bom, a história rola entre três pessoas, Bianca, Miguel e Enzo. Três personagens que são apresentados logo nas primeiras páginas do livro. Confesso que me apaixonei pela escrita da autora, ela conta a história pelos olhos de Bianca, sua protagonista.
Bianca é uma jovem cheia de expectativas, ainda tem aquele sonho que viver com o namorado é um conto de fadas, ser independente também, viver sua vida do jeito que quiser sem ter consequência alguma. Porém, sabemos que não é assim. Miguel é um filhinho de papai, que vai para a Itália abrir uma empresa para começar a administração, se der certo, estará nos negócios principais das empresas do pai.
Enzo é o personagem que conquista o leitor. A autora conseguiu escrever um rapaz sem ser cachorro, como muitas autoras colocam. Ele é atencioso, educado, não trata as mulheres com desrespeito. Porém, claro, não é aberto para relacionamentos, coisa que intriga rapidamente Bianca.
O romance irá se desenrolar na linda Roma, quando Bianca começa a curtir a cidade, a ter um emprego temporário e começar a passear com Enzo, que é melhor amigo do seu namorado. E lá ela realmente conhece a pessoa em quem confiava.
Alguns blogueiros não gostaram da história, pois acharam clichê e tal. Eu só queria deixar claro: a vida é clichê. A história é muito bem escrita, construída e tal. O que as vezes percebo é que tem pessoas que desejam personagens soltos, que gostam de sempre enfrentar o perigo, destemido, todo poderoso, mas esquecem que os personagens de um livro têm muito em comum com o autor que o escreve. OPS! Isso não quer dizer que é IDÊNTICO, entendam. O autor só escreve aquilo que ele conhece, então se ele acha e entender que a forma de amor é daquela forma, doce, clichê é o ACHAR dele, então respeitem!
Por isso eu parabenizo a autora, pois gostei da obra, é um romance lindo que as vezes sinto falta em muitos livros. A história parece muito com alguns filmes americanos de comédia romântica.
Para quem procura uma boa leitura aproveita!

Resenhado por Tony

site: http://dicassliterarias.blogspot.com.br/2016/10/resenha-90-as-letras-do-amor-da-autora.html
comentários(0)comente



Mari Scotti 15/11/2016

Resenha no Blog Coração de Papel
Resenha completa no blog, em 16/11/2016


“As letras do amor” nos apresenta Bianca, uma jovem sonhadora, que está de mudança para a Itália para acompanhar o namorado, Miguel, que abrirá uma filial da empresa do pai, em Roma. Sua escolha de ir está diretamente relacionada a família de quem ela quer se afastar e também porque deseja manter o relacionamento com Miguel.

Como a maioria das personagens aventureiras, Bianca está ansiosa, principalmente, com o que irá aprender em terras estrangeiras. Desde a língua até a cultura local. O que ela não esperava era dar de cara com um possível novo amor e esse amor ser o melhor amigo do seu namorado.

Apesar de seu carinho e paixão por Miguel, Enzo consegue, quase que instantaneamente, roubar a cena. Ele é o típico “príncipe encantado”: perfeito, atencioso, sorridente, galante, educado e, para a surpresa do leitor, não quer ter um relacionamento amoroso.

Miguel já é o típico rico que está em busca de aprovação do pai e por isso segue a carreira, administrando a nova empresa em Roma e sem tempo para a namorada. Ele demonstrou certa arrogância em alguns momentos, o que já era esperado para a personalidade criada para ele.

Eu gosto de triângulos amorosos e, geralmente, torço pelo cara errado. Nesse livro, eu fiquei torcendo para ela escolher a si mesma, parar de calcular tanto cada passo e pensar sem parar em suas escolhas, e conhecer outro alguém deixando os dois para trás. Não sei se eu esperava muito, mas foi tanto clichê sobre clichê (eu amo e escrevo clichês, não me entendam mal!), que após as primeiras cinquenta páginas eu tive a impressão que já sabia tudo o que viria e quase nada me surpreendeu.


site: www.mariscotti.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Bru | @umoceanodehistorias_ 16/11/2016

As Letras do Amor é um livro nacional que pode ser definido como amorzinho e clichê. Nessa obra conhecemos a história de Bianca, uma jovem de 19 anos que acabou de largar o curso de graduação que estava fazendo e vive com seus pais que brigam o tempo todo e estão na iminência do divórcio. Miguel, seu namorado, lhe apresenta uma proposta incrível: viver alguns meses em Roma para ajudá-lo com a abertura de uma loja da empresa de seu pai.

Para fugir do que sua vida é no momento, Bianca decide partir com Miguel para Roma e testar como seria viver uma vida de casado. Eles irão mora junto do amigo de Miguel, Enzo, um rapaz muito inteligente – um nerd –, lindo e recatado.

Bianca está fazendo o possível para se encaixar, começou um curso de italiano, busca um emprego, mas Miguel está cada vez mais distante e Enzo mais próximo e isso não tem ajudado, pois diversas dúvidas surgem em sua mente. Seria possível ela não estar mais apaixonada por seu namorado, mas por seu melhor amigo? Como ela deverá lidar com isso?

“- Acho que tudo depende da sorte de encontrar alguém que combina com você. Há bilhões de pessoas no mundo, mas parece que podemos nos dar bem com apenas algumas poucas, e elas nem sempre cruzam o nosso caminho. – Ele me olha de relance, então continua encarando a rua. – E, às vezes, quando achamos essas pessoas, elas não estão disponíveis para nós.”

O livro é clichê e totalmente previsível. Você já sabe, antes da metade do livro, qual será a escolha de Bianca, então, o resto da leitura fica um pouco cansativa, mesmo com alguns acontecimentos aqui e ali.

O que me fez não gostar tanto assim da história não foi sua previsibilidade ou o triângulo amoroso, mas, sim, umas escolhas que os protagonistas tomaram que são inaceitáveis para mim. Além disso, Miguel foi um personagem odioso. Não consegui simpatizar com ele. Quem leva a namorada para um lugar, alega gostar dela e a deixa solta para o melhor amigo cuidar? Ele entregou a Bianca nas mãos do Enzo e não deveria ter do que reclamar!

“Miguel sempre foi um garoto atraente para as meninas, me lembro bem, e até nas fotos que vi de quando ele era mais novo, ele parecia de algum modo encantador para um adolescente. Sou ciumenta e acabo ficando um pouco decepcionada por ele não demonstrar o mesmo. Não que eu queira um cara superciumento pegando no meu pé, ah, não, mas o sentimento de ciúme demonstra que a pessoa se importa e gosta, não? Às vezes acho que Miguel no fundo gosta quando outras caras me acham bonita. Como se isso fosse uma espécie de autoafirmação para ele, sei lá.

Apesar disso, a leitura é leve e envolvente. Você começa a ler e quando percebe já terminou e está abraçando o livro, pois a ambientação é incrível. A Paula escreve com muita propriedade sobre os lugares e você se sente visitando Roma e vivendo junto dos personagens, que foram todos muito bem construídos, por sinal.

Recomendo essa leitura para quem gosta de uma história clichê e leve para ler entre livros densos ou num final de semana chuvoso.

“Porque a gente pode até ficar atraída pelo físico, mas, quando se descobre que o que há por dentro daquela pessoa é o que você quer, a sensação é completamente diferente.”

site: http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/2016/10/resenha-as-letras-do-amor-paula-ottoni.html
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3