A irmã da sombra

A irmã da sombra Lucinda Riley




Resenhas - A irmã da sombra


42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Bruna.Mariani 07/09/2019

Nesse volume conhecemos mais sobre a história de Asterope, mais conhecida como Estrela. Acostumada a viver sempre a sombra da irmã mais nova Ceci, Estrela nunca foi muito de falar, e sempre seguiu a irmã e suas decisões aonde quer que fosse. Algo que por muito tempo a impediu de crescer, seguir seus sonhos e trilhar seu próprio caminho.

Antes do repentino falecimento, Pa Salt deixou em poder de seu advogado a função de entregar as filhas uma carta junto de pistas relacionadas ao passado, possibilitando que possam ir atrás de suas origens se assim for do desejo de cada uma. No primeiro momento Estrela por medo do desconhecido hesita e decide não abrir sua carta.

Mas a morte de Pa Salt parece ter mudado algo dentro de Estrela, ela agora precisa de espaço para refletir e se encontrar, algo que certamente terá que fazer sozinha. Após abrir a carta deixada por seu pai e entender seu conteúdo, Estrela sabe que precisa ir à busca de suas origens.

Em sua busca por respostas, nossa personagem encontra a livraria de Orlando, um homem com costumes bem peculiares para a época atual. Enquanto Estrela tenta descobrir mais sobre Flora Macnichol, um nome encontrado nas pistas deixadas por seu pai e que Orlando parece conhecer muito bem, Estrela recebe uma proposta, ela ajudará Orlando em sua livraria e o mesmo a ajudará a conhecer mais sobre Flora.

Durante sua estada como funcionária da livraria, Estrela começa a conhecer mais sobre a família do patrão e sua ligação com Flora MacNichol através de seus diários, e é por meio do passado e da afeição crescente por essa família que Estrela aos poucos vai se desprendendo das asas de sua irmã.
Ao adentrar no mundo de Flora, estrela vai se identificando com a história da jovem inglesa amante da natureza e dos animais. Flora nasceu e cresceu em Lake District e era primogênita de uma família que possui poucos recursos. Por não possuir um dote e nem uma beleza excepcional, a moça não chegou a debutar, algo que não a abalava por acreditar que necessitava apenas de suas plantas, seus animais e a companhia da irmã caçula para viver. Porém o mundinho de Flora começa a ruir quando sua bela irmã Aurélia é enviada para Londres para debutar sob o patrocínio de sua tia. Algo que mudará não apenas o destino de Aurélia, mas de toda a família MacNichol.

No desenrolar da história de Flora, descobrimos uma trama de mistérios e de segredos ao qual junto da personagem precisamos desvendar. Flora era uma jovem inocente, que com um futuro fadado ao fracasso sofreu duras perdas da vida. Em sua jornada nos emocionamos com a descoberta do primeiro amor, seus sacrifícios, solidão, determinação e amor incondicional. É impossível não nos sentirmos tocados com sua história e sua trajetória.

Ao longo da trama vamos percebendo que a doce e introspectiva Estrela é na verdade uma mulher forte e segura, que por muitas vezes anulou seus desejos para permanecer ao lado da irmã querida, algo que impediu que ambas crescessem e seguissem o próprio destino.
comentários(0)comente



Bella 07/09/2019

Muito bom
A Estrela é de longe a irmã onde eu mais me vi! Ela é querida, não quer decepcionar os outros e as vezes colocava em risco suas próprias vontades pelas dos outros. Mas, com a morte de seu pai adotivo, e com uma pista de sua família biológica, a personagem é colocada fora de sua zona de conforto e é encorajada a viver pelos seus instintos em busca de conhecer suas raizes.
Os personagens desse livro são muito reais e concretos, demonstrando sentimentos e apreensões muito humanas e dignas da vida real. Adoro as ambientações da autora, principalmente quando se trata de Londres, território dominado pela Lucinda Riley. Escreve com tanto apreço que eu me sinto em casa.
A relação entre Ceci e Estrela é muito estreita e perigosa, impossível de não se importar e refletir sobre. Ter um pouco de ódio pela Ceci foi inevitavel, mas não me deixa menos curiosa por conhecê-la no próximo livro da série. O terceiro livro das sete irmãs com certeza superou as expectativas ao nos levar por um diário de Flora, uma garota do início do século XX, e pela própria vida da terceira irmã e suas experiências.
Ou seja, impossível não se apaixonar! Nenhum livro para mim superará o primeiro da série, por isso tirei uma estrela, acho que gostaria de mais sobre a relação entre Ceci e Estrela... porém, o romance do livro é lindo e muito real. Recomendo muito.
comentários(0)comente



Mariane 05/07/2019

A irmã da sombra é o terceiro volume da série "As sete irmãs".
Neste livro conheceremos mais Estrela. Ela aparece nos livros anteriores e é caracterizada por ser a irmã que pouco fala e que aparentemente vive a sombra de Ceci.
No livro que conta a sua história, entenderemos a relação de Estrela e Ceci e mergulhamos no passado de uma família com seus segredos.
Assim como nos outros livros, esse conheceremos um lugar diferente. Os encantos de Londres.
Lucinda sempre nos presenteia com lindas e emocionantes histórias. Um livro muito bem escrito, mesclando passado e presente.
comentários(0)comente



Nivia.Oliveira 31/05/2019

Não resisti a mais um livro de Lucinda Riley. Agora foi a vez da pleiade Asterope. (seguindo a série das Sete Irmãs). A história de Estrela é fascinante. Ela precisava encontrar a própria voz e também a coragem par a usá-la.
Sempre me cobro por não estar fazendo nada que transforme o mundo e com este livro pude entender que agente também pode "tocar a vida de quem está a nossa volta e mudá-las(...) fazendo isso encontramos a nós mesmos." Esta é a grande transformação!
comentários(0)comente



Mi 11/03/2019

No terceiro volume desta série vamos conhecer a Asterope.
' Astérope em grego significa ?estrela? e é tradicionalmente retratada como uma das mais fracas entre as irmãs, talvez por ser uma das que brilham menos do que as outras.'
Pouco tempo depois que Estrela foi morar em Atlantis, Pa Salt levou para casa Celeno (comumente chamada de Ceci), logo ela e Estrela eram como carne e unha. Como Estrela era recatada e de poucas palavras sempre viveu na sombra de Ceci que falava e decidia tudo pelas duas. Pa Salt sempre dizia a ela: "O carvalho e o cipestre não crescem à sombra um do outro."
Com a morte do seu pai adotivo, Estrela decide que é hora de sair da sombra da irmã e ir atrás de um sentido pra vida, então decide ir atrás das pistas que seu pai deixou sobre a sua origem. Como ela já morava em Londres foi mais fácil seguir as coordenadas que a levaram para uma livraria.
O dono da livraria (Orlando) a ajuda na busca pela sua origem. Nesta busca, além de Orlando, ela conhece Mouse, Margarite e Rory e descobre a ligação que eles tem na vida dela.
Lucinda nos leva a uma Londres aristocrata em 1909 para falar do antepassado de Estrela. Neste passado conhecemos a história de Flora, uma garota que sempre foi rejeitada pela família e cresce vendo as oportunidades serem dadas apenas para sua irmã mais nova, Aurelia. Até que o jogo vira. Enfim, Flora gostava de escrever, cuidar de animais e plantas. Sofreu muito e tudo que conquistou foi através de muita força mesmo que a vida tentasse dar várias rasteiras.
Alternando entre romance de época e um romance moderno, o enredo nos envolvendo de uma forma fascinante.
Devo destacar que Lucinda destaca vários autores/autoras que fizeram muito sucesso na época. Além de citar sobre a família real.
comentários(0)comente



Paola Carpinelli 26/01/2019

A Irmã da Sombra - Estrela D?Aplièse
Esse livro está nos meus Top 10 de livros favoritos! ?A história de Estrela, ou melhor dizendo a história de Asterope, que é seu real nome! ??
Estrela sempre viveu à sombra de sua irmã, Ceci, que por ser mais decidida que Estrela, impedia um pouco a irmã de tomar iniciativas! ?
Quando Estrela vai atrás de sua origem, descobre que nem precisa andar muito, pois a história de seu passado, se encontra em Londres, mesma cidade que Estrela mora com sua irmã! ??????? Ela é levada para a livraria de Orlando, e começa a fazer sua pesquisa sobre Flora Macnichol, que é ligação direta com sua origem. E junto com Orlando, eles se envolvem com os diários de Flora, que conta com mistérios, romances e sacrifícios! ?
comentários(0)comente



Carla 21/12/2018

"Um ser humano sem amor é como um botão de rosa sem água. Sobrevive por um tempo, mas nunca desabrocha por inteiro."
Esse é o terceiro volume da série "As sete irmãs" e é o volume que conta a história de Estrela. Com a morte de seu pai adotivo, Pa Salt, começa a busca de Estrela pela sua origem, seguindo os passos deixados por seu pai quando ainda estava em vida. Ela é a irmã tímica, quieta e pouco comunicativa, além de ser super dependente da sua irmã Ceci. Mesmo assim ela sente que chegou a sua hora, hora de saber quem é e o que pode ser. Ao arrumar um emprego numa livraria, ela está cada vez mais perto de saber a história do seu passado através de Flora MacNichol.

"A única responsável pelo seu destino é você. Mas é preciso ajudá-lo a acontecer."

A história desse volume é bem delicada e também dramática. Ela intercala a narração de Estrela nos tempos de hoje e de Flora que vivia a cerca de 100 anos antes. Assim como os demais volumes conhecemos duas histórias, uma contemporânea e uma de época. Nesse não é diferente, a história de Flora é um dramático romance de época. Lucinda criou duas histórias que juntas fazem todo sentido e se encaixam perfeitamente. Com sua escrita sempre fluida, inteligente e gostosa, nos conduz por essas descobertas junto com as personagens. Eu amo a inteligente com que ela cria suas histórias e nos envolve na mesma.

Estrela parece um pouco comigo, ela é mais tranquila, tímica, quieta e ama a sua família. Além de ser apaixonada pelo universo literário. Ela inicia essa história ainda dependente da sua irmã Ceci e muito insegura, até iniciar a sua grande busca. É notório que ela precisava dessa aventura para se conhecer, se descobrir e buscar antigos sonhos que estavam esquecidos. Ela cresce muito durante a história e o seu desenvolvimento é construído muito bem. Eu amei ver o desabrochar dela e conhecê-la melhor.

"Gosto de fazer coisas de casa e cuidar dos outros. Você acha isso errado?"

"Nesta época em que nós, mulheres, precisamos ter carreiras e tentar superar na marra os obstáculos invisíveis que nos impedem de chegar ao topo, você quer dizer?"
"Isso."
"Não vejo nada de errado nisso, Estrela."
"Bem, eu gosto das coisas simples. Adoro cozinha, jardinar, manter a casa bonita...e adorei cuidar de Rory. Fiquei feliz."
"Então é esse que deve ser o seu objetivo. Você vai precisar de mais um ingrediente para fazer a magia acontecer, claro."
"Qual?"
"Você não sabe?"
"Sei. Amor."

E quando eu digo que "Lucinda criou duas histórias que juntas fazem todo sentido" é porque a caminhada dessas duas personagens é de superação, regados de autoconhecimento e descobertas e redescoberta do amor. Isso porque a história de Flora não é fácil. Mas é MARAVILHOSO ir conhecendo a sua história, as suas dificuldades, superações e ver uma personagem feminina forte e peculiar.

"Sabe de uma coisa? Estou começando a pensar que uma vida de solteira seria muito conveniente para mim. Vou morar em um chalé cercada por animais, que terão por mim um amor incondicional. Parece-me bem mais seguro do que amar um homem."
"Queria ser um esquilo. Eu também gostaria de hibernar no inverno."

Esse certamente é o meu volume favorito até aqui. O desenrolar e a troca de narrativas me pegou de jeito e me conquistou totalmente. A sensação de romance de época quando narrado por Flora foi muito gostoso de ler e se envolver e se apegar aos personagens e suas histórias. Assim como conhecer uma grande mulher, que é diferente do padrão imposto. Amei a mensagem que foi passada de que a mulher tem o seu poder de escolha, isso é empoderamento. É ser o que quiser ser. É ter uma carreira ou não ter. Ter um marido ou não ter. Querer ter filhos ou não querer. Amei! Pra mim, foi o melhor da série até agora.

"Eu gosto de coisas simples: cuidar da casa, cozinhar, jardinar... Não sou muito ambiciosa. Isso é errado?"
"É claro que não! Enfim, todos nós ficamos satisfeitos que a emancipação feminina tenha avançado, e vou lhe dizer uma coisa: nós, garotas dos anos 1980, fomos pioneiras, a primeira geração de mulheres instruídas a fincar o pé num mercado de trabalho dominado pelos homens. Mas acho que o que fizemos simplesmente deu uma escolha às mulheres que vieram depois. Em outras palavras, permitiu a elas serem quem quiserem ser."
"A verdade é que a considero minha heroína. Espero que um dia minha vida se pareça com a dela."

"Como assim? Uma velha solteirona cuja única companhia são os animais e as plantas?"
"Uma mulher independente que tem seu próprio dinheiro e pôde escolher o próprio destino, você quer dizer?"

site: www.sharingbooks.com.br / @sharingbooks2
comentários(0)comente



Ana Ira! 25/11/2018

A Irmã da Sombra é o terceiro volume da série As Sete Irmãs, da autora irlandesa Lucinda Riley. A série conta em cada livro a história de uma das seis irmãs, e podem ser lidos separadamente, sem ser na ordem. Até agora foram lançados cinco volumes, temos certeza de mais um, mas, eu acho que terá um sétimo livro aí. Calma aí que já explico!

Eu conheci a série As Sete Irmãs há uns três anos quando comecei a ler o primeiro livro "As Sete Irmãs" que nos apresenta a família D'Aplièse e é narrado pela irmã mais velha, a Maia. Essa família mora na Suíça e é formada por seis irmãs adotivas, cada uma adotada de um país diferente por Pa Salt, um homem riquíssimo e muito misterioso, que as amava demais e fez de tudo pelas meninas. E deu para cada uma um nome das sete estrelas da constelação das sete irmãs, as estrelas Plêiades. Mas ele nunca adotou a sétima irmã, porém, como a série leva esse nome, eu desconfio que ela exista sim, e será uma grande surpresa e reviravolta na série, tomara, né? kkkkk

Eu li metade do primeiro livro, porém, achei chatinho e parei. Todavia, esses tempos li A Rosa da meia-noite, também da Lucinda, e gostei muito, com isso, resolvi pegar outra dela e tentar ler, e qual não foi a minha surpresa ao gostar demais de A Irmã da Sombra.

Bom, sem ser spoiler, mas os livros dessa série já começam com a morte de Pa Salt e a esfera armilar com as coordenadas geográficas para suas filhas descobrirem seu local de nascimento, com uma carta para cada uma e um suvenir que tem relação com sua família biológica, assim, deixando nas mãos delas se querem ou não descobrir sobre seu passado.

No primeiro livro, a Maia descobre que é brasileira, - uma homenagem da autora ao Brasil que tão bem lhe acolheu nos lançamentos anteriores!- não sei mais, porque não terminei o livro, embora esteja agora pensando em terminar de lê-lo. kkkkk

Precisei fazer essa introdução porque assim vocês que não leram o livro ainda, entenderão bem do que se trata, e fica mais legal. Em A Irmã da Sombra, a Estrela, a irmã mais calada e grudada com Ceci, uma chatinha conversadeira, muda-se para Londres no apartamento que Ceci acabou de comprar, e está se sentindo muito mal e sozinha na vida. Por mais que Ceci sempre tenha sido sua irmã mais íntima e quase uma gêmea adotiva (parece eu e a Andressinha kkkkkkk), Estrela sente que falta algo em sua vida. Uma luz, um caminho a seguir...

Quando ela começa a pesquisar sobre seus pais adotivos com as coordenas que Pa Salt deixou, descobre que o primeiro passo é pesquisar uma mulher chamada Flora MacNichol, numa livraria no centro de Londres.
Ao chegar lá, ela conhece o dono, Orlando, um homem muito divertido, excêntrico e louco por livros, que lhe oferece um emprego e promete lhe mostrar os diários da Flora e contar tudo que sabe sobre ela.

Com o tempo, Estrela conhece vários parentes de Orlando, incluindo seu irmão e também dono da livraria, Mouse.

Estrela começa a se enturmar com essa família de livreiros, sem saber, que de certa forma, seu nascimento é ligado diretamente à eles.

Como na maioria dos livros da Lucinda, esse tem duas narrativas, uma no presente e outra no passado. Algo que muito me agrada porque geralmente as narrativas passadas dela são em outros países. Mas, aqui a narrativa da Flora é em Londres também.

Flora é uma jovem pobre, que nem pode ser apresentada a sociedade londrina, e com isso, está perdendo a chance de fazer um bom casamento. Embora não queira casar mesmo, ela sente isso como um descuido e desamor dos pais, que nunca ligaram muito pra ela, e agora estão pagando a apresentação à sociedade de sua irmã mais nova, mas por que pra ela nem tentaram?

Com as falência da família, seus pais vão morar no interior deixando a sua irmã com uma tia enquanto ela espera por um pedido de casamento, e Flora vai trabalhar para uma mulher rica da sociedade, uma antiga amiga da mãe, Alice Keppler.

Flora adora os animais, cuida de todos que encontra pela frente, e tem um mini zoológico em casa e quando tem que se mudar, leva eles para outra amadora dos bichos, a escritora Beatrix Potter, que se torna sua grande amiga.

A Beatrix Potter, pra quem não sabe, é uma escritora de livros infantis que realmente existiu e ela tem uma participação muito importante na história de Flora!

Flora então reencontra com Archie, filho de outra amiga da sua mãe, e acabam se apaixonando, no entanto, a vida lhes prega uma peça horrenda que pode causar para sempre sua separação.

Alice Keppler é uma mulher rica, fina e adorável, casada, com filhos e que - pasmem! - mantém um caso com o rei Edward VII, encontrando-se com ele às vistas de seu marido, que nem liga pra esse caso, parece até gostar!

Os dois têm também participações importantíssimas na vida da Flora, ai, gente, e são outros personagens que existiram na vida real! Adorei a Lucinda tem colocado-os na história, ficou bem interessante!

A vida da Flora tem muitas e muitas voltas. Muitas dores, tristezas e desafios, mas bem emocionante. Seu caminho se cruza com o de Estrela de uma forma bem singular e diferente.

Voltando a história de Estrela, conforme ela vai lendo e descobrindo mais sobre Flora, ela vai aprendendo mais de si mesma, se tornando mais confiante, encorajada a seguir seus sonhos e percebendo que viveu à sombra de Ceci a vida toda e finalmente ela tem uma nova família com os parentes de Orlando, junto deles, ela se sente viva de verdade.

As descobertas no final são várias, o livro promete muitas surpresas e a leitura toda foi muito fofa e gostosa de acompanhar.

A Estrela é uma moça maravilhosa, mas muito na dela, e que têm um papel fundamental na vida dos novas amigos.

Gostei das histórias intercaladas, ambas mulheres sofreram muito, viveram à sombra esquecidas por um bom tempo, entretanto, souberam se impor e lutar pelo o que queria.

É um livro mais fofo, calmo e doce de ler!
Indico!
E é claro que ele me deixou com muita vontade de não só ler toda a série, como também, todos da Lucinda Riley!

site: https://elvisgatao.blogspot.com/2018/11/resenha-irma-da-sombra-lucinda-riley.html
comentários(0)comente



Carol.Cuofano 23/11/2018

Queria ser uma irmã.
Mais uma leitura concluída!
Estou irremediavelmente apaixonada por essa série!
Após a morte do pai adotivo as irmãs buscam sua origem por meio de pistas deixadas. Com isso Lucinda Riley nos leva por viagens por diferentes lugares e por diferentes épocas. A narrativa é sempre envolvente. Difícil parar a leitura, até para coisas essenciais, a curiosidade sempre fala mais alto.
Estrela, a terceira irmã, não é minha personagem preferida. Achei que nesse livro as personagens secundárias tiveram um destaque e um carisma maiores. Mas isso em nada tira o brilho da narrativa.
Pronta para a próxima irmã!
comentários(0)comente



Virgílio César 19/11/2018

Este livro foi o pior dos três até agora. O começo é entediante com o chororô pela morte do pai. Já teve isso no primeiro livro e depois foi repetido praticamente igual no segundo volume. E o pior é que os livros já deram várias pistas de que o pai não morreu. Se o quarto volume começar do mesmo jeito vou pular as páginas iniciais. E também esta história de ficar alternando passado e presente já está cansando. Quando vai ficando interessante, a autora quebra o ritmo passando para outra época.
Marisa.Palma 19/11/2018minha estante
Quero ler




Sarah.Raphaele 20/10/2018

"O carvalho e o cipreste não crescem à sombra um do outro"
Escrito por Lucinda Riley, “A Irmã da Sombra” é o terceiro livro da série “As Sete Irmãs”. Ainda não li os outros da série, mas a leitura fluiu sem problemas. É uma obra de ficção com fundo histórico (com direito a bibliografia e tudo).

A capa condiz totalmente com o conteúdo, tanto em cor quanto características físicas de quem está estampada. A narrativa varia entre primeira (Estrela) e terceira pessoa (Flora) e possui diálogo bem alternados. Estou encantada com a capacidade da autora transladar de forma tão natural de uma época para outra e de como criou personagens tão interessantes, carismáticos e com personalidades marcantes que complementam toda a narrativa com seus brilhos individuais. Apesar das protagonistas terem algum envolvimento amoroso, o livro não foca em casaizinhos. É uma história sobre família e a busca de autoconhecimento, “o seu lugar no mundo”.

A escrita de Lucinda Riley é única: romance, aventura e temas sociais relevantes. A obra é recheada de temas que te levam a refletir e a ter insights o tempo todo: traição, rejeição, perdão, superação, autoconhecimento, autoconfiança, convivência familiar, questões de gênero, entre outros. A autora ainda aborda, mesmo que de forma leve, a cultura surda e a depressão. A maneira que Lucinda tece as palavras faz com que você seja capaz até de sentir o cheiro da comida sendo preparada. Eu gosto disso. Ela cria rotinas e é fiel a elas. As coisas vão acontecendo sem atropelamentos (e também sem enrolação) e ainda contamos com vários mistérios para as páginas finais.

Estrela não é muito ambiciosa. Gosta de coisas simples: cuidar da casa, cozinhar, jardinar. Possui um exterior calmo impenetrável. A capacidade de escutar é uma de suas maiores forças. Conforme o livro avança, ela começa a sair da concha e cria conexões mais profundas com os outros. Não só ela, mas todos evoluem e amadurecem de alguma forma. Flora também possui uma história muito cativante, cheia de desafios e superação (muitas vezes roubou a cena, deixando Estrela em segundo plano).

O único ponto “negativo”, digamos assim, é que senti que estava lendo dois livros ao mesmo tempo e que as personagens brigavam por atenção (pois são protagonistas igualmente fortes). Particularmente, acredito que deveria ter focado mais em Estrela ao invés de dar tanto espaço para Flora (afinal, é “A História de Estrela”). Também não relata como Pa Salt conseguiu aquelas informações, ele continua muito misterioso (lerei os outros livros pra ver se consigo respostas). No mais, é uma leitura envolvente e muito satisfatória.

Pude compreender a visão de Lucinda através da “Nota da Autora” e me simpatizei ainda mais com ela. Quero o resto dessa série, pois estou bastante curiosa para descobrir o destino (e o passado) das outras irmãs. Uma autora que entrou pras “queridinhas”.

“Não é incrível como se pode caminhar pelo raso durante anos, sem que nada mude, e então, do nada, um maremoto de acontecimentos empurra você para o mar aberto ou traz você suavemente até a praia?” (p. 430)


Se a autora quis passar alguma mensagem, acredito que seja:

De nada adianta tomar uma decisão errada por causa do sentimento de culpa. Assuma seus erros com a mesma coragem que teve pra cometê-los. Nada dura para sempre, embora os humanos esperem que sim. Tudo o que se pode fazer é aproveitar as situações enquanto possível. Não perca as pequenas alegrias aguardando a grande felicidade. O amor não machuca, a perda dele o faz. O amor acende a pessoa por dentro. Um ser humano sem amor é como um botão de rosa sem água: sobrevive por um tempo, mas nunca desabrocha por inteiro. Às vezes nos sentimos como uma folha sendo soprada pelo vento, totalmente impotente para controlar o próprio destino. É muito fácil se convencer a não mudar a situação pra melhor, sobretudo quando a mudança nos amedronta. Aprecie a mudança. É precisa ser valente se quiser que a vida mude. Nunca é tarde para mudar nosso destino. O único responsável pelo seu destino é você, é preciso ajudá-lo a acontecer.
comentários(0)comente



Jamile.Baliza 28/08/2018

Que livro lindo! Cada um melhor do que o outro, a autora se supera a cada obra! Encantada!
comentários(0)comente



Erikinha 27/04/2018

Tocante
Esse com certeza é meu livro preferido da série e o segunda da Lucinda, só perde pra Rosa da meia noite.
Extremamente encantada com essa leitura, que história envolvente e tocante.
comentários(0)comente



Camila.Furlaneto 18/03/2018

Livro 3
Cada livro uma surpresa melhor. Estou amando As Sete Irmãs. A história de Maia foi maravilhosa, a de Ally foi muito emocionante e agora, a de Estrela foi envolvente. Se o personagem de Estrela me cativou por sua bondade o de Flora MacNichol roubou a cena!! Flora uma mulher forte, de caráter, amorosa, e principalmente amante dos animais, vc tem que conhecer Flora!!!!
Só elogios para Lucinda Riley!!! E que venham os próximos... estou ansiosa para que os mistérios que envolvem Pa Salt comecem a ser desvendados!!
comentários(0)comente



Galáxia de Ideias 16/03/2018

De longe meu favorito até agora

*** Postado originalmente no blog Galáxia de Ideias ***


Não há outra maneira de começar a expor minhas impressões acerca do terceiro livro das Sete Irmãs, senão dizendo que ele foi, de longe, o meu favorito da série até agora. Isto pode ser comprovado pelo fato de que eu realizei a leitura em uma única noite.

A personalidade constantemente fechada e reclusa de Estrela, aparente nos livros anteriores, foi algo que me fez partir para este livro coberta de expectativas. "Ela vai surpreender..." era o que eu imaginava. E surpreendeu mesmo! Sua determinação e vivacidade demonstradas ao longo da história eram características com as quais eu não contava, e que me cativaram logo no início. Sua sensibilidade, doçura e uma certa inocência tornaram-na minha irmã preferida. Senti vontade de chaqualhá-la algumas vezes, claro, devido a seu jeito cabeça dura, mas nada grave. Por outro lado, nossa segunda protagonista, Flora, não me envolveu assim tão rápido. Não que não tenha gostado dela, apenas levei um tempo maior para me conectar com sua história e a pessoa em si. Após alguns acontecimentos, porém, Flora passa a demonstrar uma força incrível que nos faz torcer e vibrar por ela a cada página. Quanto às personagens secundárias, de ambas as histórias, só tenho a dizer que foram todas extremamente bem desenvolvidas. Orlando, Mouse e Rory são os meus favoritos, aqueles por quem eu criei um imenso carinho e empatia ao longo dos capítulos. Orlando é temperamental, mas dono de um coração gigante e muito divertido. Mouse é o típico mocinho aparentemente babaca, mas que nos desperta um enorme instinto de proteção e cuidado. E Rory é encantador, não há melhor definição.

Ainda a respeito das personagens, outro ítem que considerei importante neste livro foi que, apesar de não contar a história de Ceci, ele nos aproxima mais da garota que Estrela costuma seguir. E isto, particularmente, me foi muito bem vindo, já que os livros anteriores haviam me deixado com uma impressão um tanto quanto ruim de Ceci, pensamentos de que ela era uma pessoa egoísta e tudo mais. Esta ideia, porém, modificou-se ao longo deste terceiro livro, o que me levará a ler o p´róximo, a história de Ceci, com muito mais entusiasmo.

Acho que nem preciso dizer que, assim como todos os outros livros da autora que já li, este já me ganhou só pela descrição detalhada dos lugares e situações. Era como se eu pudesse sentir o cheiro dos livros vez ou outra foleados por Estrela e Orlando, bem como o aroma do campo por onde Flora costumava perambular, ouvir os sons feitos por seus tantos bichinhos de estimação.

Considero A Irmã da Sombra um enredo comovente, escrito com sensibilidade, recheado de lealdade e muito, muito amor. Eu recomendo para qualquer um que curta romances na medida certa, histórias de amizade e de famílias que sabem como aquecer o coração de quem as acompanha.

site: http://www.galaxiadeideias.com/2018/01/resenha-irma-da-sombra-por-lucinda-riley.html
comentários(0)comente



42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3