A irmã da sombra

A irmã da sombra Lucinda Riley




Resenhas - A irmã da sombra


42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Samantha 07/09/2016

Deixou a desejar
Fiquei esperando Estrela desabrochar ao longo do livro como ocorreu com Maia no primeiro livro da série, mas isso simplesmente nunca acontece! A sister permanece insonsa e monossilábica durante toda a narrativa, mostrando-se muitas vezes egoísta e extremamente covarde. Simplesmente não consegui simpatizar com ela nem com Mouse e sua autocomiseração. Os personagens que salvam são Orlando com sua excentricidade e Rory com seu carisma. Quanto à história do passado, adorei Flora, sua relação com sua irmã e todo seu desenrolar, mas acho que o fato de se situar na Inglaterra aristocrática, lugar tantas vezes visitado por tantos outros romancistas, deixou a história uma pouco sem graça, principalmente se comparada às emoções vividas na Noruega e no Brasil nos livros anteriores. Acho que vale a leitura pela bela e sempre emocionante escrita da autora, apesar de não ter uma história tão envolvente, e pelo fato de fazer parte de uma saga, de maneira que é necessário ler este livro para entender os demais. Porém sozinho, esse livro definitivamente não se sustenta, muito menos sua heroína sem graça que está bem mais para sombra do que para estrela.
comentários(0)comente



Thila 17/08/2016

"Bem, Estrela querida, no final das contas a gente conseguiu fazer essa flor brotar. Beijo, Pa."
Resenha publicada no blog Nunca Desnorteados

Aqui estou eu pela milionésima vez para falar de um assunto que pouco gosto: Lucinda Riley e seus livros tremendamente incríveis! Mal pude conter a emoção de ter esse livro em mãos mas juro que tentarei não dar spoilers, ser o mais breve e normal possível! - Universo me mande forças para me conter e não escrever demais.

A Irmã da Sombra é o terceiro livro da série As Sete Irmãs e dessa vez temos como protagonista a tímida e delicada Estrela que, como pudermos perceber nos livros anteriores, é um tanto calada, misteriosa e muito próxima de sua irmã Ceci.

Sempre foi difícil para Estrela se expressar e principalmente falar o que sente, portanto aceitar a morte de seu pai, Pa Salt, estava sendo uma tarefa imensamente difícil para superar. Não houvera sequer um funeral, um instante para lamentar sua partida e dizer adeus. Tudo aconteceu rápido demais; ela jamais havia imaginado que a próxima reunião de todas as irmãs em Atlantis seria para compartilhar a terrível notícia.

Agora você deve estar imaginando: Como será que Lucinda narrou o encontro da irmãs pela visão de Estrela?...

Ao contrário dos dois livros anteriores, todo aquele começo com a distribuição das cartas, a apresentação da Esfera Armilar e o encontro com o advogado de Pa que foi narrado na visão de Maia e Ally, não é narrado novamente por Estrela. O primeiro capítulo já retrata a nossa protagonista em seu lamento e em sua confusão emocional 2 semanas após o recebimento da notícia. É claro que ela relembra alguns momentos, mas de uma forma bem vaga (achei bem positiva essa mudança de não narrar tudo de novo).

Abrir a carta, ler a tradução de sua frase da Esfera Armilar e descobrir o lugar que suas coordenadas apontavam, eram outras tarefas árduas para ela. Simplesmente não conseguia pois o que quer que houvesse dentro da carta e caminhar em direção das pistas para descobrir o seu passado, significaria aceitar que Pa tinha partido e ainda não estava preparada para deixá-lo ir.

Depois de voltar para Atlantis mais uma vez e, surpreendentemente, sem a companhia de Ceci, Estrela finalmente consegue abrir a sua carta no lugar que se sentia mais próxima de Pa: O jardim que cultivaram juntos.

Agora a pergunta é: Quais são as pistas das origens de Estrela?

Suas coordenadas revelavam que sua origem estava ali mesmo na Inglaterra, seu objeto era uma pequena caixa de joias que continha uma pequena estatueta felina feita de onix com o nome Pantera gravado na base e, finalmente, a tradução de sua frase era:

"O carvalho e o cipreste não crescem à sombra um do outro."

Estrela entendeu que tratava-se de sua relação com Ceci. Uma era a antítese da outra, mas ela sabia, claramente, quem era a irmã da sombra... Inicialmente, essa grande aproximação, quase inseparável, não parecia importar quando estavam 'espremidas' em uma família grande, assim poderiam recorrer uma à outra, mas agora essa relação estava mudando...Estrela sabia que para seguir em frente precisava conquistar sua 'liberdade' e claro, sua voz.

"Já está na hora de eu ter uma vida de verdade"

Além de todas essas revelações, Pa deixou no verso da carta um endereço anotado em um cartão de visita que tinha como instrução perguntar por uma mulher chamada Flora MacNichol no estabelecimento. O seguinte endereço era:

Livraria Arthur Morston
Kensington Church Street, 190
Londres W8 4DS

Estrela acaba deixando isso um tanto de lado, entretanto, como se o destino estivesse lhe mandando um sinal, ela avista a livraria dentro do ônibus em seu caminho para ir ao curso de culinária que estava fazendo. Deixou o fato mais uma vez de lado até que, pela segunda vez, se depara novamente com a livraria ao lado da loja que Ceci a havia levado para escolher móveis para colocar no novo apartamento que estavam dividindo.

Decidida, finalmente ela volta ao endereço e entra na livraria.

"Eu me demorei ali fora, pois sabia que entrar me faria embarcar em uma jornada que eu não sabia se queria fazer."

Na livraria, Estrela se depara com uma das pessoas mais interessantes e singulares que já havia conhecido: Orlando - dono da loja, amante declarado da literatura, fissurado em livros raros e suas diferentes edições e meticuloso em relação à sua rotina e horários.

Após perguntar para ele sobre Flora, Orlando começa a rir e diz que era uma ironia e tanto ela estar perguntando sobre MacNichol enquanto segurava um livro de Beatrix Potter.

Qual seria a relação dessas duas mulheres?... Depois de conversarem e ter ficado claro que Estrela tinha um conhecimento enorme sobre livros, ela saí de lá com um emprego e com a esperança de que estava no caminho certo para descobrir o seu passado.

Meu Deus, já escrevi demais, sorry produção!! Juro que vou ser bem breve agora

Dias se passam e Orlando revela que precisa ir ao High Weald em Kent para o aniversário de seu sobrinho, Rory, na casa de sua família e a convida para ir junto já que seu irmão, Mouse, que tem um conhecimento maior sobre Flora e fez transcrições dos seus diários, também estaria lá.

Estrela se apaixona de cara com a casa. Era tudo que sempre sonhou! Totalmente diferente da caixa de vidro sem identidade na qual morava com Ceci. Apesar dos seus incontáveis defeitos, High Weald era simples, adorável, confortável, particular e com um jardim encantador. Só havia uma coisa que a incomodava naquele lugar: a presença fria e amarga de Mouse. Entretanto, quais fossem os seus sentimentos em relação à ele, saber sobre o seu passado era uma causa superior. Assim somos levamos à 1909 onde entramos em um cenário londrino cheio de reviravoltas, com bailes, festas luxuosas, segredos sem fim e, como se não bastasse, temos a presença da turbulenta família real.

Agora qual a relação de Estrela com Flora MacNichol, a tão aclamada escritora e ilustradora, Beatrix Potter e com a família real? Esse é um mistério tão grande quanto o sétimo aro vazio na esfera armilar e que você só descobrirá as respostas lendo, é claro :)

Não vou me estender falando o quanto Lucinda Riley é INCRÍVEL e possui uma habilidade sobrenatural para escrever - já falando - mas uma coisa eu digo com 100% de certeza: Pa Salt está vivo e vou defender isso até o final do sétimo livro se for preciso! Hahaha

"Existe um momento na vida de qualquer ser humano em que é preciso esquecer a própria tragédia e estender a mão para quem precisa."

Leiam, leiam e leiam

site: http://nuncadesnorteados.blogspot.com.br/
Kassia.Torres 24/08/2016minha estante
Estou nas primeiras páginas do livro...mas já AMANDO! e concordo com você...Pa Salt está VIVO!!!


Rayane Colomes 24/08/2016minha estante
Adorei sua resenha. Muito isso mesmom gostei do fato da lucinda nao ter retratado tudo se novo igualmente ao 1 e 2.. a personagem cresce mto e amadurece tbem


Lilly 21/09/2016minha estante
Isso para mi ficou claro que Pa estava vivo no segundo livro na parte de Ally quando atende o telefone e quando começa a falar de Estrela,e só se confirmou agora no primeiro capitulo de Ceci. E Ma sabe de tudo.


Tamara 09/10/2016minha estante
também acho que o pa ta vivo, vai ser um choque para todos se não estiver, ehehe.


Eliane Maria 28/03/2017minha estante
Também concordo com você, Pa está vivo.
Rayane, eu acho legal retratar um pouco a história inicial, ajuda a nos lembrar.




Patricia 30/08/2016

Mais um livro lindo da Lucinda Riley. Leitura envolvente e deliciosa. Essa ligação entre passado e presente que ela faz nessa série me deixa sempre curiosa e querendo saber o que acontecerá no próximo capítulo. Ansiosa pelo próximo livro. Recomendo!
comentários(0)comente



Helana O'hara 02/10/2016

A Irmã da Sombra, uma história emocionante.
A Irmã da Sombra é o terceiro livro da série As Sete Irmãs. Não precisa ser lido na ordem, já que cada livro conta uma história diferente, porém para adentrar melhor em alguns detalhes – principalmente do começo da leitura, recomendo que leiam na ordem, assim a leitura será mais prazerosa e emocionante.

Se tem uma coisa que gosto nos livros de Lucinda é a diagramação. Editora Arqueiro além de publicar uma nova edição dos livros anteriores conseguiu destacar os livros da série muito bem.
O livro tem cerca de 500 páginas e 46 capítulos, é divido ainda entre as narrativas da vida de Estrela em Julho de 2007 e na vida de Flora onde sua história começa em 1909. As partes de Estrelas são narradas em primeira pessoa, já Flora em terceira pessoa, sendo assim, o leitor não se confunde na leitura.

Primeiramente conhecemos Estrela, logo após a morte de Pa Salt, assim como suas outras irmãs, ela recebeu uma carta com instruções sobre seu passado e sua família e caso fosse vontade, ela poderia ir investigar.
Estrela sempre viveu muito a sombra de sua irmã Ceci, nunca escolhendo o que gostaria de fazer ou ser. Confusa com quem é o que deseja da vida, ela lê a carta que Pa Salt a deixou, além da carta um misterioso gatinho estava junto e tudo que tinha era o gato e instruções para um local.
Estrela acaba descobrindo uma charmosa livraria onde o dono o excêntrico Orlando, gasta seu dinheiro comprando obras raras e curiosamente Orlando e sua família de certo modo estão ligadas a ela.
Apesar do homem excêntrico e sua livraria, o que realmente chama atenção de Estrela é a propriedade da família dele High Weald na qual tem muita história para se contar. Quando Orlando leva a moça para conhece-los Margaritte, sua prima e o filho dela Rory recebem a moça muito bem, com exceção de Mouse que é bem brusco.
Passando os dias lá, a família permite que Estrela comece a ler os diários de Flora MacNichol e comece a entender um pouco mais de sua história.

Flora é uma jovem que vive na zona rural, sua família gastou tudo que tinha para manter a propriedade que vivem e a única forma de manter as aparências é casar sua irmã Aurélia com um bom partido, pois Flora misteriosamente esta fora de cogitação. Flora ama a natureza, não come carne, gosta de ficar no meio dos bichos, ama sua irmã e seu gato preto Pantera.
A vida pacata de Flora começa a desmoronar quando o charmoso Archie entra na vida dela e da sua irmã. Começa ai uma história dura de amor, muitos segredos envolvidos e muita história que envolve não apenas Flora e Aurélia, mas que muda o curso para Estrela também.

A Irmã da Sombra, obviamente é mais um livro magnifico de Lucinda Riley, onde com maestria ela mistura ficção com realidade, não é qualquer autora que consegue colocar na história Alice Keppel, Beatrix Potter,o Rei Eduardo VII sem que a história se perdesse, muito pelo contrário, todos estes personagens tem uma ligação especial com Flora, que lendo a gente chega a acreditar.
A narrativa do livro é muito dinâmica, Lucinda é muito simples eu sua escrita, o leitor consegue ler e se aprofundar na história muito facilmente. A cada capítulo lido, difícil parar, o leitor quer saber de fato quem é Estrela, qual o mistério que envolve Flora.

E acreditem, nenhuma ponta da história das duas fica solta, Lucinda sabe levar o leitor em seus livros muito bem.
Certamente a Irmã da Sombra é um livro maravilhoso, desses que faz a gente pesquisar os personagens depois.
Se vale a pena? Não preciso nem dizer. Vale e muito.

site: http://bit.ly/ResenhaIrmaDaSombra
comentários(0)comente



Larissa 03/09/2017

A Irmã da Sombra
Lucinda Riley surpreende neste livro novamente. Apesar de alguns desfechos serem totalmente previsíveis, a autora consegue surpreender com maestria. Havia ganhados os 3 livros, e digo que talvez eu mesma não os tivesse comprado. Porém, estes foram capazes de me encantar ainda mais do que alguns que eu mesma escolhi. Ou seja, quero dizer que vale cada centavo investido nesta série. E aguardo ansiosa o lançamento do quarto livro, A Irmã da Pérola
comentários(0)comente



Tamara 14/10/2016

Definitivamente essa autora não deixa de me fascinar. Mais uma vez termino um livro dela encantada, apaixonada e querendo mergulhar mais fundo em suas histórias e sabendo que os personagens serão inesquecíveis, além de me sentir admirada pelo mundo em que ela consegue inserir dentro de um livro. Porém, devo ser sincera ao revelar que eu sempre tenho uma preguiça imensa de começar as obras de Lucinda, devido ao tamanho delas, mas sempre que começo minha leitura é tão intensa que fico até a madrugada lendo por não conseguir deixar de lado esses personagens.
A irmã da sombra é o terceiro livro da série as sete irmãs, que iniciou-se com o livro também chamado de As sete irmãs, trazendo a história de Maia, e logo em seguida tivemos A irmã da tempestade, que trouxe a história de Alli. E nesse terceiro conhecemos estrela, que se revelou uma personagem cativante e foi uma história que me surpreendeu bastante, mas até agora não consigo eleger algum desses livros como o meu favorito, pois todos conquistaram um lugar bastante especial para mim.
O primeiro ponto extremamente positivo da obra para mim é o modo como a autora nos apresentou Estrela. Pelo que eu via sobre ela nos outros livros, a achava uma pessoa muito dependente da irmã Ceci, de quem ela era muito próxima e achava bastante esquisita a relação das duas, mas a medida que fomos conhecendo o perfil de Estrela e tivemos vislumbres da vida de Ceci também, entendemos um pouco dessa ligação. Além disso, o cenário onde se passa o livro é bastante interessante, e apesar de ser extremamente explorado nos diversos livros já escritos, é um local que sempre tem muito mais a ser descoberto. Também o cenário interno, de casas antigas e a livraria é cativante, e em vários momentos eu podia imaginar perfeitamente aquelas descrições e conseguia até me imaginar dentro de cada local.
Mas além do presente, onde vemos a vida de Estrela, temos também o passado, onde podemos ver Flora e entender um pouco mais sobre seus pensamentos. Estrela ficou sabendo sobre a vida de Flora através dos diários que ela escrevia, e confesso que me senti um pouquinho frustrada por esses diários terem sido narrados no livro em terceira pessoa e não em primeira, no formato original do diário. Porém, tirando isso que é um ponto bastante insignificante diante de toda a beleza do livro, amei conhecer Flora, os lugares que ela nos descrevia e a época em que viveu, o início do século XX e o mundo inglês, com todas as suas etiquetas e personalidades, e também através disso temos certo contato com personagens que realmente existiram, como Beatrix Potter, Alice Keppel e o próprio rei Eduardo VII.
O modo como a autora conduziu a vida e os segredos das duas personagens foi perfeito, principalmente o destino de Flora que me conquistou e a ligação dela e de Estrela, bem como o desfecho de tudo.
Quanto a pontos negativos, tenho muito pouco a dizer. Mas como já mencionado, um dos destaques é que eu gostaria que a parte de flora tivesse sido narrada em primeira pessoa, no modo como ela escreveu no diário. Além disso, vários dos segredos do livro eu consegui entender antes de serem realmente revelados, mas isso não é necessariamente um ponto negativo, e sim se deve ao fato de eu já ter lido quase toda a obra da autora e conseguir conhecer um pouco o modo como ela conduz as coisas. Outro ponto, que não se deve ao enredo e sim a tradução, é que existiam algumas palavras no meio da trama como Apê, abreviando apartamento, dentre outras palavrinhas que achei estranhas no contexto, mas também não atrapalharam na leitura.
O livro é dividido em 45 capítulos, mais o primeiro do próximo livro que tratará da irmã de Estrela, Ceci, livro pelo qual já estou ansiosa. Os quarenta e cinco capítulos se dividem no presente, sob a perspectiva de estrela, que narra em primeira pessoa, e no passado, sob a perspectiva de flora, narrado em terceira pessoa, e mais uma vez a autora deixa o mistério presente em seus livros: quando nos sentimos curiosos com as ações de uma personagem, ela nos deixa em suspenso e passa a nos apresentar a outra, e assim segue, e eu particularmente gosto muito desse tipo de narrativa.
Quanto a estrutura do livro mais duas coisas me chamaram bastante atenção nesse terceiro livro. Em primeiro lugar aqui não tivemos toda a introdução dos livros anteriores, onde se passavam mais de cinquenta páginas com a narrativa de como cada irmã descobriu a morte do pai e como foi para a casa dele. Na história de Estrela, ela fala sobre seu choque mas não relembra tudo como foi com as outras irmãs. E o outro ponto eu já havia destacado quando resenhei o segundo livro, que é a inserção de uma sessão de perguntas e respostas relacionadas ao livro no fim da obra, assim nos possibilitando entender um pouquinho mais sobre esse universo e também nos permite sanar algumas curiosidades.
Quanto aos personagens, que são vários, a mais cativante para mim acabou sendo Flora, com seu jeito determinado e altruísta. Outro que me cativou muito foi Rory, um menino de sete anos meigo e com uma personalidade muito interessante. Ainda cabe destaque para estrela, que me surpreendeu em suas atitudes e em seu desligamento da relação intensa com a irmã e também Mouse, um homem atormentado pelo passado, cujas motivações vamos compreendendo no decorrer da história. Ainda temos Orlando, um homem extremamente excêntrico que cuida da livraria e Ceci, a irmã de Estrela cuja personalidade podemos ver um pouco nesse livro e ficamos intrigados por sua história que virá no futuro, além de outros personagens essenciais mas aos quais não cabe a mim mencionar pois seria spoiler.
Recomendo essa história para todos os leitores que gostam de bons livros históricos, carregados de descrições, com personagens cativantes e verossímeis. Destaco que apesar de ser o terceiro livro de uma série ele pode ser lido de forma independente, pois cada obra aborda uma irmã diferente e sua história.


site: Resenha publicada originalmente em: http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/10/resenha-irma-da-sombra-3.html
Hellen (@literatucracia) 14/10/2016minha estante
Tamara, você está me fazendo sentir vontade de dar uma oportunidade a Lucinda. Hahah Acho que vou por na lista de leitura o livro Sete Irmãs.


Tamara 14/10/2016minha estante
Eu adoro, vale a pena! :) principalmente o primeiro que se passa quase todo mno brasil.




Ana Ira! 25/11/2018

A Irmã da Sombra é o terceiro volume da série As Sete Irmãs, da autora irlandesa Lucinda Riley. A série conta em cada livro a história de uma das seis irmãs, e podem ser lidos separadamente, sem ser na ordem. Até agora foram lançados cinco volumes, temos certeza de mais um, mas, eu acho que terá um sétimo livro aí. Calma aí que já explico!

Eu conheci a série As Sete Irmãs há uns três anos quando comecei a ler o primeiro livro "As Sete Irmãs" que nos apresenta a família D'Aplièse e é narrado pela irmã mais velha, a Maia. Essa família mora na Suíça e é formada por seis irmãs adotivas, cada uma adotada de um país diferente por Pa Salt, um homem riquíssimo e muito misterioso, que as amava demais e fez de tudo pelas meninas. E deu para cada uma um nome das sete estrelas da constelação das sete irmãs, as estrelas Plêiades. Mas ele nunca adotou a sétima irmã, porém, como a série leva esse nome, eu desconfio que ela exista sim, e será uma grande surpresa e reviravolta na série, tomara, né? kkkkk

Eu li metade do primeiro livro, porém, achei chatinho e parei. Todavia, esses tempos li A Rosa da meia-noite, também da Lucinda, e gostei muito, com isso, resolvi pegar outra dela e tentar ler, e qual não foi a minha surpresa ao gostar demais de A Irmã da Sombra.

Bom, sem ser spoiler, mas os livros dessa série já começam com a morte de Pa Salt e a esfera armilar com as coordenadas geográficas para suas filhas descobrirem seu local de nascimento, com uma carta para cada uma e um suvenir que tem relação com sua família biológica, assim, deixando nas mãos delas se querem ou não descobrir sobre seu passado.

No primeiro livro, a Maia descobre que é brasileira, - uma homenagem da autora ao Brasil que tão bem lhe acolheu nos lançamentos anteriores!- não sei mais, porque não terminei o livro, embora esteja agora pensando em terminar de lê-lo. kkkkk

Precisei fazer essa introdução porque assim vocês que não leram o livro ainda, entenderão bem do que se trata, e fica mais legal. Em A Irmã da Sombra, a Estrela, a irmã mais calada e grudada com Ceci, uma chatinha conversadeira, muda-se para Londres no apartamento que Ceci acabou de comprar, e está se sentindo muito mal e sozinha na vida. Por mais que Ceci sempre tenha sido sua irmã mais íntima e quase uma gêmea adotiva (parece eu e a Andressinha kkkkkkk), Estrela sente que falta algo em sua vida. Uma luz, um caminho a seguir...

Quando ela começa a pesquisar sobre seus pais adotivos com as coordenas que Pa Salt deixou, descobre que o primeiro passo é pesquisar uma mulher chamada Flora MacNichol, numa livraria no centro de Londres.
Ao chegar lá, ela conhece o dono, Orlando, um homem muito divertido, excêntrico e louco por livros, que lhe oferece um emprego e promete lhe mostrar os diários da Flora e contar tudo que sabe sobre ela.

Com o tempo, Estrela conhece vários parentes de Orlando, incluindo seu irmão e também dono da livraria, Mouse.

Estrela começa a se enturmar com essa família de livreiros, sem saber, que de certa forma, seu nascimento é ligado diretamente à eles.

Como na maioria dos livros da Lucinda, esse tem duas narrativas, uma no presente e outra no passado. Algo que muito me agrada porque geralmente as narrativas passadas dela são em outros países. Mas, aqui a narrativa da Flora é em Londres também.

Flora é uma jovem pobre, que nem pode ser apresentada a sociedade londrina, e com isso, está perdendo a chance de fazer um bom casamento. Embora não queira casar mesmo, ela sente isso como um descuido e desamor dos pais, que nunca ligaram muito pra ela, e agora estão pagando a apresentação à sociedade de sua irmã mais nova, mas por que pra ela nem tentaram?

Com as falência da família, seus pais vão morar no interior deixando a sua irmã com uma tia enquanto ela espera por um pedido de casamento, e Flora vai trabalhar para uma mulher rica da sociedade, uma antiga amiga da mãe, Alice Keppler.

Flora adora os animais, cuida de todos que encontra pela frente, e tem um mini zoológico em casa e quando tem que se mudar, leva eles para outra amadora dos bichos, a escritora Beatrix Potter, que se torna sua grande amiga.

A Beatrix Potter, pra quem não sabe, é uma escritora de livros infantis que realmente existiu e ela tem uma participação muito importante na história de Flora!

Flora então reencontra com Archie, filho de outra amiga da sua mãe, e acabam se apaixonando, no entanto, a vida lhes prega uma peça horrenda que pode causar para sempre sua separação.

Alice Keppler é uma mulher rica, fina e adorável, casada, com filhos e que - pasmem! - mantém um caso com o rei Edward VII, encontrando-se com ele às vistas de seu marido, que nem liga pra esse caso, parece até gostar!

Os dois têm também participações importantíssimas na vida da Flora, ai, gente, e são outros personagens que existiram na vida real! Adorei a Lucinda tem colocado-os na história, ficou bem interessante!

A vida da Flora tem muitas e muitas voltas. Muitas dores, tristezas e desafios, mas bem emocionante. Seu caminho se cruza com o de Estrela de uma forma bem singular e diferente.

Voltando a história de Estrela, conforme ela vai lendo e descobrindo mais sobre Flora, ela vai aprendendo mais de si mesma, se tornando mais confiante, encorajada a seguir seus sonhos e percebendo que viveu à sombra de Ceci a vida toda e finalmente ela tem uma nova família com os parentes de Orlando, junto deles, ela se sente viva de verdade.

As descobertas no final são várias, o livro promete muitas surpresas e a leitura toda foi muito fofa e gostosa de acompanhar.

A Estrela é uma moça maravilhosa, mas muito na dela, e que têm um papel fundamental na vida dos novas amigos.

Gostei das histórias intercaladas, ambas mulheres sofreram muito, viveram à sombra esquecidas por um bom tempo, entretanto, souberam se impor e lutar pelo o que queria.

É um livro mais fofo, calmo e doce de ler!
Indico!
E é claro que ele me deixou com muita vontade de não só ler toda a série, como também, todos da Lucinda Riley!

site: https://elvisgatao.blogspot.com/2018/11/resenha-irma-da-sombra-lucinda-riley.html
comentários(0)comente



Camila.Furlaneto 18/03/2018

Livro 3
Cada livro uma surpresa melhor. Estou amando As Sete Irmãs. A história de Maia foi maravilhosa, a de Ally foi muito emocionante e agora, a de Estrela foi envolvente. Se o personagem de Estrela me cativou por sua bondade o de Flora MacNichol roubou a cena!! Flora uma mulher forte, de caráter, amorosa, e principalmente amante dos animais, vc tem que conhecer Flora!!!!
Só elogios para Lucinda Riley!!! E que venham os próximos... estou ansiosa para que os mistérios que envolvem Pa Salt comecem a ser desvendados!!
comentários(0)comente



Deborah 10/03/2017

Estrela D’Aplièse é protagonista do terceiro livro da série As Sete Irmãs. Considerada a irmã mais retraída e calada, viveu sempre a sombra da irmã Ceci. Durante a história, Estrela vai conquistando sua própria voz, em uma jornada de descobertas, medos, bondade, atos de coragem e perdão e aceitação.

As pistas do passado deixado por Pa Salt, leva a história de Flora McNichols, que viveu em Londres no inicio do século XX. Nessa história possui alguns fatos e personagens reais como Beatrix Potter, Rei Eduardo VII, Alice Keppler e Vita Sackville-West, o que torna a historia mais vívida.

Eu sou fã da Lucinda Riley, acho fantástica a forma que mescla o passado e o futuro dos personagens. Gostei bastante do livro, principalmente da parte da Flora. Leitura fluída, detalhada e emocionante.
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 07/11/2016

Não consegui ler tão rápido, mas foi só por que eu estava na correria. Se dependesse de mim, não teria largado este livro até terminá-lo.

Como os outros dois primeiros volumes da série “As Sete Irmãs” temos a história de uma das 7 irmãs que se passa no presente intercalada com uma história do passado relacionada com a origem da irmã.

“A Irmã da Sombra” nos trás a história de Astérope, carinhosamente apelidada de Estrela. Estrela passou a maior parte da sua vida à sombra de Ceci, a irmã mais falante, expansiva e “mandona” desta dupla. Agora, morando em Londres, no novo apartamento comprado por Ceci, Estrela finalmente cria coragem para ir em busca de sua história. Essa busca a leva a uma livraria de livros antigos (até imagino o brilho nos olhos dela, o cheiro de livros antigos, a sensação de olhar para aquelas estantes… ai, ai… (suspiros!!)).

A livraria pertence a Orlando, um jovem excêntrico com um amor incondicional por livros. E ao invés de conseguir as informações que buscava, ela acabou conseguindo um emprego na livraria! Depois disso, devido a algumas circunstâncias, de repente, Estrela se vê na propriedade de High Weald, que pertence à família de Orlando, e ali ela conhece Rory, um menininho muito queridinho de 7 anos, Mouse, o irmão de Orlando, sério e distante, que está sempre tentando administrar o lugar, e a prima Marguerite, uma artista restauradora sem muito jeito pra cozinha.

Ao chegar em High Weald descobrimos o quanto Estrela ama cozinhar e seus dons culinários.

Mas… não foi à toa que Pa Salt deixou o endereço da livraria e o nome Flora McNichols como pista para Estrela. Ela descobre que Mouse conhece a história de Flora e tem seus diários e é aí que mergulhamos no passado, na vida de Flora McNichols.

***Leia resenha completa no blog***

site: http://poressaspaginas.com/resenha-a-irma-da-sombra
comentários(0)comente



Bruna.Mariani 07/09/2019

Nesse volume conhecemos mais sobre a história de Asterope, mais conhecida como Estrela. Acostumada a viver sempre a sombra da irmã mais nova Ceci, Estrela nunca foi muito de falar, e sempre seguiu a irmã e suas decisões aonde quer que fosse. Algo que por muito tempo a impediu de crescer, seguir seus sonhos e trilhar seu próprio caminho.

Antes do repentino falecimento, Pa Salt deixou em poder de seu advogado a função de entregar as filhas uma carta junto de pistas relacionadas ao passado, possibilitando que possam ir atrás de suas origens se assim for do desejo de cada uma. No primeiro momento Estrela por medo do desconhecido hesita e decide não abrir sua carta.

Mas a morte de Pa Salt parece ter mudado algo dentro de Estrela, ela agora precisa de espaço para refletir e se encontrar, algo que certamente terá que fazer sozinha. Após abrir a carta deixada por seu pai e entender seu conteúdo, Estrela sabe que precisa ir à busca de suas origens.

Em sua busca por respostas, nossa personagem encontra a livraria de Orlando, um homem com costumes bem peculiares para a época atual. Enquanto Estrela tenta descobrir mais sobre Flora Macnichol, um nome encontrado nas pistas deixadas por seu pai e que Orlando parece conhecer muito bem, Estrela recebe uma proposta, ela ajudará Orlando em sua livraria e o mesmo a ajudará a conhecer mais sobre Flora.

Durante sua estada como funcionária da livraria, Estrela começa a conhecer mais sobre a família do patrão e sua ligação com Flora MacNichol através de seus diários, e é por meio do passado e da afeição crescente por essa família que Estrela aos poucos vai se desprendendo das asas de sua irmã.
Ao adentrar no mundo de Flora, estrela vai se identificando com a história da jovem inglesa amante da natureza e dos animais. Flora nasceu e cresceu em Lake District e era primogênita de uma família que possui poucos recursos. Por não possuir um dote e nem uma beleza excepcional, a moça não chegou a debutar, algo que não a abalava por acreditar que necessitava apenas de suas plantas, seus animais e a companhia da irmã caçula para viver. Porém o mundinho de Flora começa a ruir quando sua bela irmã Aurélia é enviada para Londres para debutar sob o patrocínio de sua tia. Algo que mudará não apenas o destino de Aurélia, mas de toda a família MacNichol.

No desenrolar da história de Flora, descobrimos uma trama de mistérios e de segredos ao qual junto da personagem precisamos desvendar. Flora era uma jovem inocente, que com um futuro fadado ao fracasso sofreu duras perdas da vida. Em sua jornada nos emocionamos com a descoberta do primeiro amor, seus sacrifícios, solidão, determinação e amor incondicional. É impossível não nos sentirmos tocados com sua história e sua trajetória.

Ao longo da trama vamos percebendo que a doce e introspectiva Estrela é na verdade uma mulher forte e segura, que por muitas vezes anulou seus desejos para permanecer ao lado da irmã querida, algo que impediu que ambas crescessem e seguissem o próprio destino.
comentários(0)comente



Paty Argachof 02/02/2017

A Irmã da Sombra - Livro 3 Série "As Sete Irmãs"
Da série: livros impossíveis de não amar, kkk.

Como vocês já devem ter percebido eu sofro de um caso de amores grave e intratável com relação a essa autora, juro que não existe um livro ruim que ela escreva, se apoiando sempre em um contexto histórico associado ao moderno, vamos nos aventurando em romances extremamente apaixonantes do início ao fim, de século em século.

Com certeza a autora Lucinda Riley sabe mexer com nossos pobres coraçõezinhos leitores e, novamente, ela trouxe uma experiência de leitura fantástica em "A Irmã da Sombra", que conta a história de Estrela a terceira filha adotiva de Pa Salt enquanto ao mesmo tempo discorre sobre a vida de Flora, uma jovem que viveu em 1900 e tem uma correlação indireta com a vida no presente.

"A Irmã da Sombra" é o terceiro livro da Série "As Sete Irmãs", lançado recentemente no Brasil. E eu já liberei a resenha do primeiro livro chamado "As Sete Irmãs", então se você está se sentindo meio por fora dessa realidade, clique aqui e fique por dentro da contextualização dessas irmãs. Estou devendo a resenha de "A Irmã da Tempestade", mas prometo liberar em breve. ^^

Já falei muito, vamos partir para o abraço agora! =D

"Muitas vezes, a coragem silenciosa, a gentileza e a força interior passam desapercebidas. Ela não transformou o mundo, mas tocou as vidas de quem estava à sua volta e as mudou para melhor. E, ao fazer isso, encontrou a si mesma." (Nota da Autora)

Astérope é o nome real da protagonista, mas todos a chamam carinhosamente de Estrela, aí você está pensando: "- Nossa, que nome esquisito!" hahaha. Esse nome foi dado a ela por seu pai adotivo Pa Salt que batizou suas filhas com nomes que fazem referência a constelação Plêiade.

Estrela vive à sombra de sua irmã Cecília, as duas têm personalidades bem opostas, só que em meio as dificuldades completam uma a outra, mas a verdade é que não há como tudo se manter da mesma forma eternamente e esse "grude" que são as duas uma hora teria que mudar. O fato é que a mudança começa justamente na irmã mais calada, reservada e introspectiva, algo que ninguém da família esperava, especialmente Ceci.

"Durante meus anos nesta Terra, aprendi que nada pode permanecer igual para sempre... Ter essa esperança, é claro, é o maior erro que nós, seres humanos, cometemos. As mudanças vêm, quer nós a desejemos ou não, e de inúmeras formas diferentes. Aceitar isso é fundamental para alcançar a alegria de viver neste magnífico planeta."

Após a morte de Pa Salt e de acordo com desejo unilateral de Ceci, as duas vão morar em Londres em um apartamento enorme, só que assim que chegam lá Estrela se sente desconectada, não enxerga aquele ambiente como seu lar e, movida pela necessidade de sentir bem, embarca na investigação sobre seu passado de acordo com as coordenadas que seu pai adotivo deixou a ela e as demais filhas depois de seu falecimento.

Para ela investigar sua história é um ato de grande magnitude, pois terá que lançar mão da socialização - algo, que está pouquíssimo familiarizada, já que Ceci é meio que sua porta-voz - e, ao meu ver, é nessa sua atitude mais pró-ativa que ela começará a mudar sua vida.

Pa Salt deixa para ela uma carta e um pulseira com um pingente de um animal preto representando uma pantera, além disso diz que ela deve procurar uma livraria bem minimalista e diferente localizada em Londres, porque segundo ele lá encontrará com certa dificuldade fatos sobre seu passado.

Nessa livraria fará amizade com um excêntrico homem chamado Orlando, um britânico tradicional que respira livros 24h ao dia e vive da venda de obras excepcionais e raras. Meio perdida com relação ao seu futuro, Estrela começa a trabalhar para ele como sua assistente e entre conversas diárias acaba se infiltrando vagarosamente na vida familiar dele, além, é claro, de saber um pouco mais sobre uma mulher chamada Flora MacNichol, que pode vir a ter relação com sua família biológica.

Assim ela vai descobrindo um pouco sobre a Flora em seus diários que estão na livraria e iniciamos nossas descobertas juntamente com ela. Alternando presente e passado, ou seja, visão de Estrela e Flora, vamos compreendendo o quanto o passado pode influenciar o presente/futuro.

Flora é uma garota simples que vive com sua família - que inclui sua mãe Rose, seu pai Alistair e sua irmã mais nova Aurélia -, são considerados no vilarejo os ex-ricos digamos assim, porque as condições financeiras deles estão bem longe de serem boas para a sociedade da época.

Basicamente teremos um triângulo amoroso que irá desunir uma família, Aurélia é apresentada na sociedade londrina e se apaixonará por Archie Vaughn, todavia esse jovem já terá entregado seu coração a ninguém mais ninguém menos que Flora, logo as duas irmãs amam o mesmo homem.

Com medo de magoar a sua amada irmã, Flora opta por obrigar que Archie se case com Aurélia. Ela se muda para Londres onde será também apresentada com atraso a sociedade e ficará por um tempo sobre os cuidados da Sra. Alice Keppel, que é a melhor amiga e amante do rei Bertie. Esse rei parece nutrir um grande apreço pela jovem senhorita Flora e lhe dará de presente uma jóia com um pingente de pantera.

"- Esse homem é mesmo um enigma - sussurrou ela para Pantera, cuja cabecinha repousava no travesseiro ao seu lado. - E eu me odeio por começar a gostar dele."

Quando o caos se instala novamente na vida de Flora ela se vê obrigada a viver reclusa, somente na companhia de seus amados animais e seu gato Pantera, além de esporádicas visitas a sua grande amiga e inspiradora Beatrix Potter (famosa autora inglesa de livros infantis).

A vida dá muitas reviravoltas ao longo dos anos e o amadurecimento, o perdão e o amor sempre andarão juntos.

Todo esse passado de Flora, que após alguns anos viverá na companhia de seu filho Teddy e sobrinha Louise, terão uma ligação importante com os motivos de Estrela ter sido adotada quando ainda bebê. Só que eu não posso falar quais as razões pra tudo isso, mas afirmo que a descoberta é excelente quando estamos lendo a obra e todas as surpresas são fantásticas.

Enquanto Estrela descobre seu passado o presente estará o tempo inteiro batendo à sua porta, porque sua proximidade com Orlando a puxará para um novo destino que poderá a vir a ser seu futuro. Para ajudar seu patrão e a família dele, passará alguns dias na companhia de Rory, Mouse e Margareth na High Weald, mansão essa extremamente necessitada de reformas da família Vaughn.

Rory é um menino com habilidades artísticas maravilhosas e que apesar da sua limitação física é muito esperto e feliz, Estrela se conectará com ele rapidamente e não conseguirá se imaginar longe da vida no campo perto dele e todo o aconchego rústico que proporciona, em muitos aspectos ela lembra Flora tanto na personalidade quanto no estilo simples de vida.

Suas idas a High Weald permitirão momentos importantes de reflexão sobre seu passado e farão ruir as barrerias do seu coração que sempre esteve fechado para o amor.

Nunca é fácil resenhar um livro da Série "As Sete Irmãs" por conta do risco constante de spoiler, já que cada página é um tiro de conhecimento crucial para o desfecho do romance. Mas deixo o máximo de informação possível sem causar turbulências quando vocês lerem a obra.

Nesse livro é possível sentir que o romance ficou levemente mais focado no passado, confesso que ficava sempre curiosa durante a leitura para saber um pouco mais sobre Flora. Mas Estrela ao longo do livro vai ganhando seu espaço, sua voz (no sentido abstrato e literal) e vamos nos apaixonando pela personagem e tudo o que ela é.

Minha avaliação sem sombra de dúvida é: 5 estrelas, ao infinito e além! hahaha.

site: http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/2016/09/resenha-irma-da-sombra.html
comentários(0)comente



Mariane 05/07/2019

A irmã da sombra é o terceiro volume da série "As sete irmãs".
Neste livro conheceremos mais Estrela. Ela aparece nos livros anteriores e é caracterizada por ser a irmã que pouco fala e que aparentemente vive a sombra de Ceci.
No livro que conta a sua história, entenderemos a relação de Estrela e Ceci e mergulhamos no passado de uma família com seus segredos.
Assim como nos outros livros, esse conheceremos um lugar diferente. Os encantos de Londres.
Lucinda sempre nos presenteia com lindas e emocionantes histórias. Um livro muito bem escrito, mesclando passado e presente.
comentários(0)comente



Beta Oliveira 31/08/2016

Em busca da própria voz, Estrela foi para a Inglaterra para saber sobre Flora. Sobre amor e a coragem que não deixa desistir quando a vida resolve revirar tudo. E continua o dilema de não conseguir eleger um favorito numa série onde todos os livros são ótimos à sua maneira.

No Literatura de Mulherzinha, o texto completo sobre A Irmã da Sombra, lançamento da Lucinda Riley, publicado pela Editora Arqueiro.

site: http://livroaguacomacucar.blogspot.com.br/2016/08/cap-1235-irma-da-sombra-lucinda-riley.html
comentários(0)comente



Silvana - Blog Prefácio 29/10/2016

Estrela D'Aplièse, ou melhor Asterope, sempre viveu literalmente à sombra de sua irmã Ceci. Todas as irmãs foram adotadas por Pa Salt com anos de diferença, somente com as duas que foi diferente, Ceci chegou seis meses depois de Estrela. Por isso talvez as duas sempre foram grudadas e como Ceci tem uma personalidade muito forte, Estrela sempre fez o que Ceci decidia pelas duas. Até falar por Estrela, Ceci fala. Esse hábito começou na infância. Quanto mais Ceci falava, mais Estrela se calava. E isso nunca a incomodou. Até agora. Depois que elas receberam a notícia da morte de seu pai, Ceci decidiu que elas iriam morar em Londres, onde ela vai estudar artes e para Estrela não ficar sozinha, ela matriculou Estrela em curso de culinária. Ceci escolheu uma casa espetacular suspensa sobre o Tâmisa, mas por mais que se esforce, Estrela não consegue se sentir em casa e decide passar um tempo na casa delas em Atlantis, na Suíça. Sozinha.

Pa Salt deixou para cada filha uma carta e em uma esfera armilar, a localização de onde cada uma delas foi adotada, se assim fosse o desejo delas conhecer suas origens. E ao lado de cada nome na esfera, ele deixou uma frase. A frase de Estrela é a seguinte: O carvalho e o cipreste não crescem à sombra um do outro. Pa Salt não poderia ter descrito melhor sua situação e da Ceci. Estrela que ainda não tinha aberto sua carta, decidi ler enfim o que seu pai lhe escreveu e junto a carta, ela encontra um cartão de visita de uma livraria em Londres, no nome de Arthur Morston e uma caixa de jóias com uma pequenina estatueta de um felino escrito Pantera. Mas apesar de ler a carta, ela decide que por enquanto não quer saber onde foi encontrada e volta para o curso de culinária em Londres. Só que as coisas não saem como ela esperava, e a cada dia que passa, ela se sente mais sufocada vendo Ceci viver a vida por elas.

Então quando ela encontra Ally e esta conta que está indo para a Noruega atrás do seu passado, Estrela decide ir atrás do seu e vai até a livraria que seu pai deixou um cartão junto a sua carta. Depois de várias tentativas, ela consegue perguntar por Arthur Morston ao homem, Orlando, que lhe atendeu e descobre que Arthur foi o primeiro dono da livraria, aberta em 1850. Estrela explica a situação e pergunta por Flora MacNichol, conforme seu pai deixou explicado na carta. E Estrela sai da livraria sem muitas informações sobre seu passado, mas sai feliz porque consegue um emprego na livraria, já que livros é uma das suas paixões, tanto que se formou em Letras, mas foi levada em outra direção por Ceci. É assim que ela conhece Mouse, o irmão frio de Orlando, e o pequeno Rory. Mouse está fazendo uma pesquisa sobre a família deles e acaba esbarrando em Flora, que é irmã de sua bisavó Aurélia. E Estrela vai descobrir que tem muito em comum com Flora, que também vivia à sombra da sua irmã Aurélia.

Olhei a lua pela janela e pensei: talvez fôssemos mais parecidas do que eu queria acreditar. Ambas tínhamos medo daquele mundo cruel que existia fora de nosso ninho confortável."

Definitivamente estou apaixonada por essa série. É só pegar um novo livro para ler que já fico curiosa para saber qual foi a pista deixada por Pa Salt e qual a cidade que vamos conhecer dessa vez. E não é que dessa vez a autora nos levou a Inglaterra nos tempos da monarquia? E eu que já nem sou fã de romances históricos, delirei com a história. Temos dois romances lindos, um no presente e outro no passado como já é de praxe na autora. No do passado temos a inserção de personagens reais na história, que só deixa a história mais interessante. E tanto no passado como no presente temos uma viagem pela Inglaterra. Eu que já tinha vontade de conhecer o país, fiquei ainda mais curiosa.

De todas as irmãs, a que eu mais tinha curiosidade em conhecer era a Estrela. Talvez por ser a que menos informações nos é dada nos outros livros, sempre aparecendo como uma sombra da irmã. E me surpreendi com o tanto que o personagem tinha para oferecer. Ela começa de mansinho e quando vemos ela já nos arrebatou Estrela é aquele tipo de pessoa que transforma a vida de todos a sua volta quando decide parar de se esconder e viver a vida por ela mesma. Já Flora me surpreendeu por ter algumas atitudes que nunca iria esperar dela. No começo da história dela fiquei foi com muita raiva por causa de uma coisa que ela fez. Tem horas que a pessoa por mais boa que seja tem que pensar um pouco nela também. Por isso que me surpreendi mais para frente.

Dos livros da série esse foi o que mais gostei até agora. E olha que já tinha amado os outros dois. A autora criou uma história que prende o leitor até última página e nos faz querer que as 500 páginas de cada livro se multiplique. As histórias alternadas só atiçam a curiosidade e faz com que o livro se torne pequeno. Cheguei a desejar que fosse feriado ou domingo porque não queria parar de ler para ir trabalhar de tão envolvida que estava na história. E enquanto estava trabalhando não via a hora de mergulhar nas histórias da Estrela e da Flora. E o mistério quanto a Pa Salt, só aumenta. Como ele conseguiu adotar garotas tão diferentes e cada uma com uma história mais interessante que a outra? E também estou quase certa de que ele está vivo mesmo. A edição da Arqueiro está linda e só me resta aguardar as outras histórias desses personagens tão interessantes criados pela Lucinda.


site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2016/09/resenha-irma-da-sombra-lucinda-riley.html
comentários(0)comente



42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3