A Teia de Charlotte

A Teia de Charlotte E. B. White




Resenhas -


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Daniel 11/07/2020

"A Menina e o Porquinho", para quem ainda não associou rs
Resenha no link abaixo!

site: https://blogliteraturaeeu.blogspot.com/2020/07/a-teia-de-charlotte-charlottes-web-de-e.html
Jorge 11/07/2020minha estante
Apaixonante!


Daniel 11/07/2020minha estante
Concordo plenamente :)




Goimar 29/05/2020

A potência da palavra em um clássico de leitura deliciosa
Quanta delicadeza em falar sobre amor e amizade; vida e morte; crueldade e violência nas relações de interesse entre humanos e animais;
o tempo, a natureza e seus ciclos. E, claro, a transformação possibilitada por meio da força da escrita, da potência da palavra que, como deixa claro a história, pode salvar vidas. Uma escrita apaixonada, fluida, repleta da força arrebatadora da vida no campo, maravilhosamente descrita por E. B White. Foi inesquecível ser conduzida pelas mãos de personagens encantadores como Wilbur e Charlotte, determinados e observadores como a menina Fern, e até do complexo rato Templeton, que, a despeito de seu temperamento egoísta, contribuiu sempre, e positivamente, para o desenvolvimento da história. Um clássico de leitura deliciosa.
Banner 29/05/2020minha estante
Como faz a leitura não tô conaeguindo


Goimar 29/05/2020minha estante
Oi! Não entendi. Você se refere ao texto do livro? Aqui só tem a resenha mesmo.


Banner 29/05/2020minha estante
Isso como faz pra ler o livro não tô conseguindo


Goimar 29/05/2020minha estante
Você pode pegar emprestado numa biblbioteca ou comprar numa livraria (mas só quando a pandemia terminar, ok?).




Ricardo 07/11/2018

Lembra do desenho A menina e o porquinho que passava na sessão da tarde há alguns anos?
Pois então, A teia de Charlotte de E B White foi a história que deu origem tanto a esse desenho quanto ao filme. O desenho é de longe muito melhor que o filme. O livro...passados alguns anos continua emocionando com sua história de amizade entre uma aranha e um porquinho. Templeton, o rato é o coadjuvante mais destacado com seu jeito debochado, mas sempre ajudando a dupla. Avery, o irmão da menina é muito engraçado, chato, esperto, está sempre em cena perturbando ou enriquecendo a história com sua graça espontânea. Fern, a menina, tem a importância narrativa de ser a observadora de tudo o que se sucede no estábulo. A mãe dela acha que a filha enlouqueceu por escutar conversas de animais. Tanto que procura conselho de um médico. A cena não consta nem no desenho nem no filme mas é sem dúvida uma das melhores deste livro. Pensei na hora no Robin Williams num filme improvável. Wilbur, o porquinho e Charlotte, a aranha formam um caso a parte. Deixo para quem lê a história ver a real razão do livro ter sido escrito. O que destoa um pouco a beleza do livro é a capa com a ilustração de outro porco, o Tio que participa da competição na feira com Wilbur. Mas Charlotte está presente também e é o que importa.
comentários(0)comente



Rosana - @tudoquemotiva 12/05/2018

Fofura em forma de livro
Pode ser que você já conheça a história da resenha de hoje, o livro foi adaptadao para os cinemas em 1973 como uma animação e em 2017 apresentando a Dakota Fanning como melhor amiga de um porquinho. SIM, o filme é "A menina e o porquinho" e foi inspirado nesse livro aqui.

A família de Fern mora em uma fazenda e lá eles criam vários animais, é numa dessas que uma porca dá cria e nascem vários porquinhos, porém nem todos nascem perfeitos. Um deles é meio magrinho, raquítico e parece que não vai sobreviver ao inverno. Ao saber disso, o pai de Fern pega seu machadinho para sacrificá-lo. Fern fica horrorrisada com a situação e convece o pai a não sacrificar o bichinho, que ela cuidaria do porquinho e faria o que fosse possível para o porco ficar forte. No entanto, o porquinho não poderá ficar na fazenda de Fern e em comum acordo, ele é vendido para o tio, na fazenda vizinha.

É então que Fern passa a visitar Wilbur, seu porquinho, todos os dias e começa a descobrir vários segredos da fazenda e do cotidiano dos animais. Porém, quando chega a época que todos menos esperavam, o Wilbur será morto e é aí que a Charlotte entra em cena. Sabendo da morte iminente de seu amigo ela começa a escrever elogios sobre o seu amigo. A ideia é que usando a sua teia e escrevendo coisas boas pelo Wilbur, ela conseguiria salvar o amigo e impedir que ele fosse morto. É a partir daí que a vida da Charlotte, de Wilbur, de todos os animais e humanos da fazenda vai mudar.

Com diálogos e situações simples o autor consegue entreter o leitor e mostrar como as amizades são importantes. Para mim, a grande estrela de tudo isso é a aranha, apesar de todo acharem que é o porco é realmente incrível. É meio que uma crítica no sentido de "você só enxerga o que quer e não o que está por trás".

O livro consegue ser alegre e triste ao mesmo tempo. Conforme a leitura avança é possível ver que Charlotte não é mais a mesma aranha do estábulo e que Wilbur também não é mais o mesmo. Que os personagens que esperávamos que mudasse de comportamento, acabando por não mudar nunca, podemos comparar facilmente com algumas humanos, não?!

"A teia de Charlotte" é um livro sobre amizade e lealdade, tantos entre animais quanto entre os humanos. A narração entrega uma história cheia de emoção, sentimentos e até algumas reviravoltas. Com um final até que triste, o livro passa a ser muito mais do que um livro para crianças. É um livro para ser lido por qualquer idade.

site: http://www.tudoquemotiva.com/2018/05/livro-teia-de-charlotte-e-b-white.html
comentários(0)comente



Amanda Brandão 30/12/2017

Amar é se doar!
Ameeei! Acabei de terminar de ler. A escrita do E.B White é muito agradável de se ler. As ilustrações do Gart Williams são de encher os olhos. Essa edição da Martins Fontes tambem é muito confortável. E a trama em si é carismática. Como não amar o porquinho Wilder? Sem falar da reafirmação de que amar é se doar. Um excelente livro que fala sobre amizade e doação.
Amanda Brandão 30/12/2017minha estante
Porquinho Wilbur*




Jorge 08/11/2017

Magnum opus
Muito me encantou a escrita de E.B.White. É de uma simplicidade, e, ao mesmo tempo, de uma riqueza tão grande que só os grandes gênios são capazes de nos proporcionar. Os diálogos entre o porquinho Wilbur e a sábia aranha Charlotte são tão reais, tão bem construídos. Sem dúvidas, uma fábula para ler e reler sempre.
comentários(0)comente



Maggie 09/11/2015

Uma história maravilhosa
Mesmo sendo triste é mito bom, e essa história me chocou bastante ótimo para adultos e crianças.
A teia de Charlotte. Que nome lindo! Kkkkk
comentários(0)comente



Rafa 07/08/2014

A aranha e o porquinho
Bem, certo dia estava assistindo ao filme "A menina e o Porquinho", era a cena específica em que a aranha Charlotte dizia ao porquinho Wilbur que estava no fim de seus dias e que havia colocado seus 514 ovos num saquinho. Eu comentei esse cena, que foi bastante comovente, com amigos. Uma amiga se lembrou disso e me presenteou com o livro "A teia de Charlotte" de onde o filme foi baseado. Já havia visto em algum lugar que havia um livro, mas acabei esquecendo. Fiquei muito feliz com o presente e logo comecei a ler o livro.
É um livro infantil e muito bonito, que me remete imediatamente a obras como "As crônicas de Nárnia", de C. S. Lewis e "Mestre Gil de Ham" e "Roverandom", de Tolkien. O autor de "A teia de Charlotte" é o mesmo de "Stuart Little" que deu origem ao famoso filme do ratinho.
O livro, como já nos antecede na contracapa, fala de amizade. Uma forma muito bonita e sincera de amizade e lealdade, que na verdade não é a da menina com o porquinho, mas da aranha Charlotte e o porquinho Wilbur. Com uma linguagem bastante simples e ao mesmo tempo muito informativo, que inclui anatomia de aranhas e outros animais, significado de palavras, descrições de estações do ano...
Também podemos ver a mudança humana, como com a garotinha Fern, que no começo da história só se importa com seu porquinho e com os amigos animais e no finalzinho está totalmente interessada em um garoto e não frequenta mais o estábulo, onde se passa a maior parte do enredo.
Esse é um livro que me fez chorar, mas não por que é triste, mas por que é delicado e te faz se apegar aos personagens.

site: http://dear-never-let-me-go.tumblr.com/post/94086771050/a-aranha-e-o-porquinho
comentários(0)comente



Heidi Gisele Borges 31/01/2014

Talvez você conheça essa bela história de A teia de Charlotte mesmo sem ter lido o livro. Ela foi lançada no cinema em janeiro de 2007, com o nome de A menina e o porquinho e trouxe Dakota Fanning no papel da menina. No original, Julia Roberts fez a voz de Charlotte, e a trilha sonora é assinada por Danny Elfman.

E. B. White (Elwyn Brooks White – 1899-1985) encanta em sua forma de contar essa magnífica história tão simples e ao mesmo tempo tão rica. Repleta de amizade e doces palavras.

Na fazenda, vários porquinhos nasceram à noite, então o senhor Arable sai com com seu machado naquela manhã, antes mesmo do café. Sua filha Fern fica horrorizada, pois descobre que um dos porquinhos nasceu raquítico e por este motivo não cresceria muito – seria como um atraso para eles e teriam muitos gastos para criá-lo – e precisaria ser sacrificado.

A menina corre até o pai, implora e acaba por impedir de cometer essa tamanha maldade.

Fern consegue ficar com o porquinho, a quem dá o nome de Wilbur, mas ele não poderá permanecer na fazenda por muito tempo, então, em comum acordo, o bichinho é vendido para o tio de Fern, que tem bastante espaço, pode cuidar do porco e a menina pode visitá-lo quando quiser – o que ela faz bastante, sempre está lá com seu amiguinho. Senta-se num banquinho fora do cercado de Wilbur e passa tardes e mais tardes ali, quietinha.

Até que um dia uma notícia ruim chega, Wilbur será morto. Então entra em cena a Charlotte do título. Ela é uma aranha muito calma e querida. Faz suas teias perto na viga do celeiro do porquinho. Os dois são grandes amigos. Assim, Charlotte começa a tecer palavras como “Belo Porco” e “Incrível” para que as pessoas vejam o quanto Wilbur é especial e desistam de matá-lo.

É interessante ver esse trabalho de amizade, a busca pelo bem de um amigo querido que está em apuros.

Até podemos pensar que na verdade quem e especial é a aranha. Nesse caso, a questão é levantada pela senhora Zuckerman, tia de Fern:

“– Bem, parece que você está um pouco desnorteado. Acho que o que nós temos é uma aranha fora do comum.

– Oh, não – disse o senhor Zuckerman. – É o porco. Está escrito lá, bem no meio da teia”.


Então a fazenda se transforma. Todo mundo que conhecer esse porco diferente.

Na fazenda há outros animais, alguns não muito bem-vindos, como o interesseiro rato Templeton, que acaba tendo um papel bastante importante – muito além de suas reclamações e má vontade.

Acontece que Charlotte consegue salvar o amigo e até mesmo fazê-lo participar de uma feira, onde mais aventuras acontecerão.

A teia de Charlotte (Charlotte's Web, Editora Martins Fontes, 206 páginas, R$39,30) foi publicada pela primeira vez em 1952 e traz várias belas ilustrações de Garth Williams. É de E. B. White o livro Stuart Little, que também foi filmado. A autora ganhou o Prêmio Pulitzer pelo conjunto de sua obra em 1978.

site: http://mundodefantas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9