A Divina Comédia

A Divina Comédia Dante Alighieri




Resenhas - A Divina Comédia


210 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


K. F. Feriali 19/10/2020

Muito bom!
Simplesmente encantada. Meu primeiro clássico. Me fez perder o medo e abriu os olhos para quanta cultura é possível conhecer com livros como esse.

Me apaixonei pelo final. O modo como é descrito o que seria o céu. A Virgem Maria e seus anjos...

A tradução dessa versão é ótima! Tentei começar a ler por outra editora e a experiência foi horrível, quase abandonei a leitura, ainda bem que não o fiz.

?A fantasia aqui me deixou e, como uma roda movida igualmente, meu desejo e minha vontade voltavam, com o amor que move o sol e as estrelas.?
comentários(0)comente



Renata Bopsin 15/10/2020

Um clássico...
Mas de difícil leitura. Extenso, confuso, lento. O inferno é muito mais empolgante e interessante, foi uma leitura mais rápida em relação às outras partes. Purgatório é um local de questionamentos, e pouca animosidade. O paraíso (como eu bem imaginava), um completo porre.
A parte legal da comédia é o contexto histórico em que foi escrito. Se não fosse o site de notas explicativas que eu achei no Google, teria sido uma leitura nula, de pouco ou nada de aproveitamento.
De resto, concluo que a igreja é falha desde o princípio, e que o inferno, apesar de temível, ainda guarda mais destaque nesse mundo.
comentários(0)comente



Andrade 13/10/2020

A caminhada.
Ao adentrar na trilogia de A divina Comédia o leitor irá costurar uma colcha de retalho em três mundos totalmente diferentes, mas, que na essência, resume-se a vida ?nua e crua?. Como qualquer ser humano, ao nascer, vamos trilhando nossas vidas, sem cortes, com erros e acertos, mas que a cada fase, constrói-se sua personalidade e ajuda a encarar o mundo de forma diferente e é nesse contexto que o enredo se passa.
Diante do que foi citado, percorre-se o ?Inferno?, que seria como o ser humano se comporta diante da sociedade que o cerca, levando em conta o agir diante da mesma e que acima de tudo, ela é doente e o indivíduo acaba se corrompendo diante das situações que o acometem. ?A fera, que te faz bradar tremante, aqui passar não deixa impunemente, tanto se opõe, que mata o caminhante...? em Canto 1, 96, Inferno. Já em Purgatório, é a continuidade, sendo mais ?leve?no que tange o quesito ser humano, tendo em vista que aqui o cidadão que está trilhando sua jornada, está ciente no meio em que vive e que jamais irá mudar a essência dos outros. Tendo isto em vista: ?A causa o mundo bem conhece: tens prudência, tens paz, possuis riqueza...? em Purgátorio, canto VI, 126. Nota-se aqui um olhar mais maduro para as coisas que o acometem, ou seja, a pessoa chegou na fase madura, onde nada mais o abala, querendo apenas paz para viver. O que todos procuramos. Já no Paraíso, não menos importante, é o resumo de toda a trajetória da vida de cada um aqui na terra, é a busca interminável pelo reconhecimento, pelas conquistas aqui e acima de tudo o viver. ?Mas não tinha o meu vôo um tal poder; até que minha mente foi ferida por um fulgor que cumpriu seu querer...?, em Paraíso, canto XXXIII, 139.
Com tudo que foi descrito aqui, fica claro que este livro trata-se da busca pelo EU que todos procuram, desde o primeiro momento em que chegamos ao mundo. É saber como lidar com as nuances da vida, dos desafetos,das traições e de como não se tornar um cidadão de má índole em uma sociedade tão corrupta e desumana.
comentários(0)comente



Helô 09/10/2020

Uma longa jornada
Depois de um pouco mais de 4 anos, finalmente concluí a leitura desta obra da literatura clássica medieval. Foi uma leitura árdua, mas gostei muito dessa edição, por conta das notas de rodapé muito esclarecedoras e da tradução bem cadenciada e poética. Sobre o conteúdo: acompanhar Dante em sua visão do submundo e do Paraíso, dada a época em que ele viveu, é realmente interessante. Porém, não foi muito efetivo em me cativar?? ou capturar minha atenção. Mas é uma mina para historiadores e entusiastas da Idade Média ou coisas do tipo.
comentários(0)comente



Prof.GOD 09/10/2020

Obra de arte
Livro muito difícil de entender, fato que pode afastar o publico leigo, sem as notas e introduções seria praticamente impossível a compreensão.
Aqueles que embarcam nessa leitura por conta de influências da cultura pop ficam desapontados, a obra é pura erudição.
Não leia apenas pela parte do inferno que é muito famosa, o purgatório o paraíso so essenciais na composição da obra ignorar tais partes é trair o autor.
Fruto de estreia da língua italiana a arte se torna um prato cheio em uma introdução para a cosmogonia da época.
comentários(0)comente



J. Fontenele 28/09/2020

Continuação da viagem de dante
Eu tenho achado interessante a obra.
Essa edição vem com uma errinhos de tradução mas dá pra passar.
Se vc não é uma amante de poemas vai achar a narrativa maçante
comentários(0)comente



zuperiax 25/09/2020

Resumo do Livro
ZUPERS no vídeo de hoje, para estrearmos o assunto #zuperlivros, na melhor do que começar com um grande clássico de Dante Alighieri, A Divina Comédia.
No vídeo de hoje, trazemos a vocês o resumo completo do livro, contando as três partes do poema, Inferno, Purgatório e Paraíso, além de muitas informações extras para vocês.

https://youtu.be/Oj1mR4cncm0

site: https://youtu.be/Oj1mR4cncm0
comentários(0)comente



dudaz 24/09/2020

A Divina Comédia - Editora Itatiaia
O QUE FALAR SOBRE ESTA OBRA-PRIMA?

Primeiramente, é um marco da escrita italiana moderna, considerada como o poema épico mais importante da literatura mundial. Dante, em sua epopeia, nos leva ao reino dos mortos numa viagem para a redenção humana.
A primeira parte, o inferno é composta de 34 cantos, sendo o primeiro apenas introdutório.
Virgílio (autor preferido de Dante, que escreveu a Eneida) como mestre e guia leva o poeta aos 9 círculos do inferno localizado no interior da terra. Quando Lúcifer foi jogado do céu como punição por sua rebeldia, seu impacto no solo, deslocou uma enorme massa de terra, criando um funil, onde estão distribuídos os círculos infernais.
Após essa jornada no submundo, Dante sobe o purgatório. A terra que havia sido movimentada no momento da queda de lúcifer, saiu pelo lado oposto, criando o monte do purgatório. Agora já não é uma decida, o poeta começa a se elevar ao céu. Nessa etapa, ainda guiado por Virgílio, acompanhamos Dante por 33 cantos, passando pelos sete círculos, representados pelos 7 pecados capitais.
E a terceira e última etapa, composta também por 33 cantos, o Paraíso, onde Dante é guiado por sua amada Beatriz, que veio busca-lo no jardim do éden, guia-o pelos 9 céus em uma jornada celestial.
Na última etapa, quando Dante contempla Deus, nem Beatriz era autorizada. São Bernardo acompanha o poeta até a presença do criador, ajudado pela virgem Maria.
Não é apenas uma aventura ou história sobre o mundo invisível, é muito maior. Mostra as fraquezas do homem, suas falhas e o que isso pode acarretar para a alma, os castigos, as lamentações e suas punições eternas. E veja, ninguém é poupado no livro. No inferno por exemplo, encontramos bispos, papas, pessoas que aos olhos da comunidade seriam santas. E há pessoas, vistas como pecadoras, como uma prostituta, acedendo ao reino dos céus.
Com isso, é demostrado que não importa a sua condição perante a sociedade, mas sim, seus atos para com o próximo. Nos versos de Dante, encontramos muito teor histórico, mitológico, filosófico, político e religioso.
O clima pesado, se torna mais palpável com as ilustrações de Gustave Dore, que permitem a criação de um cenário sombrio no inferno e purgatório, e leve e iluminado quando Dante chega ao céu. Deve ser lido, relido e admirado.

Fato curioso, até 1555, o livro era conhecido apenas como COMEDIA. O nome DIVINA, foi dado por Boccaccio, autor do Decamerão, admirador de Dante e que escreveu a sua primeira biografia.

Sobre essa edição que eu li, os grandes estudiosos, dizem que, para se absorver toda a ideia do autor, deve-se ler no original. Como a maioria das pessoas, não sou fluente em dialeto florentino, coube buscar a melhor tradução. A escolhida e menos conhecida, foi a de Cristiano Martins, poeta mineiro especialista nos Lusíadas de Camões. A edição possui uma introdução biográfica e centenas de notas de rodapé que auxiliam na compreensão do texto. Essa tradução é a preferida de Carlos Drummond (escritor / poeta), de Marco Lucchesi (presidente da ABL), José Monir Nasser (professor / critico literário), e de Otto Maria Carpeaux (critico literário / professor / historiador), que no ano de lançamento da tradução, disse o seguinte em seu artigo para o jornal do Brasil em 1976:

“A tradução completa da Divina comédia por Cristiano Martins, o inesquecível poeta da Elegia de Abril, talvez seja o maior acontecimento literário do ano. Não se sabe o que é mais estupendo: o imenso trabalho do tradutor ou o empenho corajoso da editora. A língua portuguesa no Brasil não dispõe, infelizmente, de maior número de traduções assim que em outras áreas linguísticas têm contribuído tanto para ampliar os horizontes literários: basta lembrar o Shakespeare alemão e a Bíblia inglesa. E Cristiano Martins escolheu a mais difícil tarefa de todas! O trabalho realizado pelo poeta mineiro é enorme: proíbe apreciação superficial, segundo primeiras impressões. Não poderia fazê-lo logo e agora. Só nos cabe agradecer.”

Sem dúvidas, é a melhor opção para quem quer se aventurar pelos caminhos do reino dos mortos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Maria.Souza 21/09/2020

Dante
Sempre tive vontade de ler esse clássico... E olha, não me decepcionou em nada. Esse é um dos livros que enquanto você está lendo se sente tão intelectual ??...
comentários(0)comente



Maria.Souza 21/09/2020

Dante
Sempre tive vontade de ler esse clássico... E olha, não me decepcionou em nada. Esse é um dos livros que enquanto você está lendo se sente tão intelectual ??...
comentários(0)comente



Jessmuller 11/09/2020

Inferno - Dante Alighieri
A leitura da obra é difícil, tanto pela colocação das palavras quanto pelo seu entendimento. Um livro que precisa de muita atenção do início ao fim, principalmente para alguém não habituado a esse tipo de leitura, mas traz várias reflexões, há muitos diálogos entre os personagens que são interessantes. A descrição de Dante sobre cada caminho percorrido nos círculos do Inferno é bem detalhado, elevando a nossa imaginação.
comentários(0)comente



Cynthia Leite 09/09/2020

Eu levei anos pra começar, e 4 meses para completar a leitura.
Simplesmente maravilhoso!! Maravilhoso! O melhor livro da minha vida!
Tatiana 06/10/2020minha estante
Tão maravilhoso assim??? Já quero!




vefaria 08/09/2020

Bem detalhado
Ótima tradução com notas explicativas muito bem detalhadas. Muito bom para quem tem curiosidade de ler.
comentários(0)comente



Sérgio 07/09/2020

Impactante
Um grande clássico da literatura mundial que, mesmo não tendo uma projeção tão forte em veículos de comunicação, tem seu brilhantismo firmado por toda a eternidade. O primeiro livro d'A Divina Comédia é forte e impactante. A sua leitura não é simples, já que em meio a alegorias e termos arcaicos, a compreensão mínima da história de Dante e seu guia pelo inferno demanda do leitor uma atenção sem falhas. Imaginar o percurso de Dante e Vigílio por cada círculo do inferno leva o leitor a uma jornada penosa, sombria, e, sobretudo, melancólica. Assim como comenta Dante sobre as palavras encravadas na entrada do Inferno, a leitura deste livro "il senso lor m’è duro", e não poderia deixar de ser. É uma obra enriquecedora, um texto que, apesar de complexo, demanda uma completa imersão do leitor, que seguramente não será o mesmo após a virada da última página.
comentários(0)comente



210 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |