A Máquina do Tempo

A Máquina do Tempo H. G. Wells




Resenhas - A Máquina do Tempo


182 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


ouroboros 30/06/2020

Pioneiro
O livro, até onde sei, foi o primeiro a tratar de viagem do tempo "com um viajante".
Só isso o faz especial para a ficção científica. Vários elementos do livro foram (e ainda o são) copiados em grandes obras sobre o tema.

Exemplo: Temos na "introdução" uma aula de física de um personagens para outros, mas que no fim serve para explicar conceitos sobre Tempo ao leitor. Um mecanismo literário que outros autores passaram a usar bastante (alguns, até acima do aceitável).

O livro é bem curto, imagino que em 2 horas conseguimos o terminar.
A escrita é agradável e direta, o que facilita a leitura. O grande mote que segura o leitor é o mistério do mundo novo.

O livro tende a ser bastante "científico", com muitas teorias físicas e sociais.
O personagem é um explorador acadêmico relatando para outros acadêmicos suas descobertas e impressões. Tende muito mais a ser uma manifestação de visão de futuro do autor, do que literatura.

Talvez esse tipo de linguagem mais "dura" não agrade a todos.

Os conceitos apresentados no livro são bastante simples e até ultrapassados. Mas não deixa de ser incrível como o autor, na época dele, estava bem antenado com tudo.

Imagino que obras ficcionais que tratem hoje de viagem do tempo, como a série Dark, beberam muito na fonte do H. G. Wells. Inclusive, na série, um personagem chave tem o nome justamente como H. G, em homenagem.

Mesmo que H. G. Wells, busque tornar racional a viagem do tempo, com preocupações pertinentes (ex: e se ele parar a máquina onde já existe um outro objeto?), ainda há falhas, claro. Por exemplo: milhares de anos se passaram e o nível do chão da máquina não mudou? Provavelmente no futuro a altitude do terreno onde a máquina pararia estaria bem diferente. Com a possibilidade de nem ter terra ali.
Mas são falhas "científicas", que não implicam em nada na literatura, e só de poderem ser debatidas, mostra o crédito da obra.

O autor também insere uma crítica social. É um livro que até "flerta" com o "marxismo", pois insere duas classes sociais bastante nítidas e mostra consequências assustadoras do distanciamento social dessas classes, inclusive com uma morando no subsolo e outra não. Marx e Wells eram contemporâneos.

Pode ser um exagero, mas é esta a fundação da literatura crítica. Podemos dizer que H. G. Wells teceu elementos de uma Distopia.

O filme Parasita, por exemplo, é outro que tem a crítica social da obra, com uma família vivendo numa casa com um jardim lindo, e os trabalhadores vivendo num subsolo. Isso, só para citar um exemplo. Existem milhares de outros exemplos possíveis, reais ou ficcionais, mostrando o quanto atual ainda é a crítica social do autor.

comentários(0)comente



Carina 28/06/2020

Viagens no tempo
O livro não foi o que eu esperava, e isso foi incrível! Imaginei que seria algo parecido com um romance do Jules Verne e o filme De Volta para o Futuro, o primeiro, pela época em que a obra foi escrita. O segundo, por ambas as obras usarem máquinas para se mover no tempo. Estava completamente enganada. O livro possui uma leve pegada científica, tendo sua discussão voltada para crítica social da evolução humana (ou não), com elementos descobertos com o protagonista sobre o que de fato está acontecendo ao redor, com a viagem no tempo. A narrativa é fluída, onde o leitor tem vontade de saber logo onde tudo isso vai dar, e eu não me senti frustrada em nenhum momento. O próprio autor informa que deixou os desafios científicos de lado e abriu asas da sua imaginação para a história.

Assim como ele explica sobre quatro dimensões no início do livro, percebo que há uma ligação entre a narrativa e o leitor. O tempo é questão de percepção, como a nossa imaginação, sendo assim, não importa quando o livro seja lido (no meu caso em 2020, 135 anos após a publicação), ele ainda fará todo sentido e muitos, ainda pensarão como HG Wells.

Adorei a experiência de ter acesso a um livro tão incrível, sem se prender as questões de funcionamento e construção da máquina do tempo em si, o que não é o meu maior interesse em livros de ficção científica. Gosto do tema distópico inserido sutilmente e como o livro traz reflexões importantes sobre o nosso tempo e para onde a humanidade caminha.

A edição é simples, fininha. Inclusive, quando tive acesso ao livro, nem passou pela minha cabeça ser um livro tão importante, acho que devido a simplicidade da edição. São folhas brancas, com boa diagramação. O livro é um pouco maior do que os livros da minha estante totalmente são, por isso, possui apenas 148 páginas. Não tem orelhas, a gramatura da capa é bem fina. É uma edição bem simples.
comentários(0)comente



aarmelim 27/06/2020

Livro sobre viagem no tempo mas com reflexões interessantes
"Eu vinha desta nossa época, de pujante maturidade da raça humana, em que o Medo não nos paralisa e o mistério perdeu os seus terrores"

Até que ponto somos realmente maduros? Até que ponto o futuro sera melhor ou pior se nos mantermos nesse ritmo e nesse tipo de "evolução"?Os de cima sao realmente melhores? Por que perderemos nossas forças e inteligências? Qual a importância de mantermos livros e museus em nossa sociedade? Ou só precisamos mesmo é de ferramentas? Só alguns devaneios e reflexões que esse livro me trouxe e compartilho como resenha.

Ótimo livro considerando a época em que foi escrito. E Rapido de ler.
comentários(0)comente



Vini Vieira 25/06/2020

Leitura leve e rápida!
A leitura de "A máquina do tempo" foi bem tranquila, li em apenas dois dias! Apesar de ser uma obra do século XIX, a linguagem é de fácil compreensão bem atual até. Wells desenrola a história de maneira simples e, ao mesmo tempo, aborda de forma sutil a questão da desigualdade social. O final é previsível e nada inesperado, mas o livro vale a pena! Ótimo para se ler depois de uma leitura pesada :)
comentários(0)comente



Jessica Dias 24/06/2020

O primeiro livro sobre viagem no tempo
E também a minha primeira leitura de H. G. Wells.

A história me prendeu bastante e o final me deixou intrigada.
O livro tem boas reflexões, como por exemplo:
"A natureza nunca apela para a inteligência até que o hábito e os instintos tenham se tornado inúteis. A inteligência não se desenvolve onde não há mudança nem necessidade de mudanças. Somente partilham da inteligência os animais que tiveram de enfrentar uma grande variedade de necessidades e de perigos."

Leitura recomendada!
comentários(0)comente



ericaln90 23/06/2020

Rápido e simples
Um livro bem simples na leitura, fácil entendimento e com várias passagens que nos faz refletir de como será o futuro e como a linguagem escrita é essencial. E será que nossa humanidade é Intrisica e está enraizada de uma forma que nunca a perderemos?
comentários(0)comente



Henrique 21/06/2020

Um clássico de seu Tempo!
Esta obra inaugurou na Literatura de Ficção Científica o subgênero de viagem no tempo. Portanto é uma obra que por si só já aponta elementos funcionais e desfuncionais nesse tipo de texto. O leitor mais experiente do gênero irá se deliciar com esse tipo de observação ao longo da leitura.

Ponto muito positivo para o autor ao fazer uma análise crítica da estratificação social quando, no texto, o viajante no tempo tenta compreender as relações sociais da sociedade encontrada no futuro distante.
comentários(0)comente



Tiago 16/06/2020

802.701 d.C.
A historia é narrada pelo protagonista nomeado apenas de o Viajante do Tempo em que ele apresenta a um grupo de amigos a sua história de como ele construiu uma Máquina do Tempo totalmente funcional e a sua viagem para o ano de 802.701 d.C. Acompanhamos as suas descobertas e surpresas ao se encontrar num lugar desconhecido.

Achei que seria um livro parado mas tem uns poucos momentos de suspense ao longo do livro que eu não esperava encontrar. Há também uma discussão sobre as classes sociais, que acredito ser um paralelo com o momento em que foi escrito. Com a industrialização e a luta entre a classe operaria x nobreza no auge. Porem a parte que mais gostei do livro são as descrições daquele futuro distante. De como ele se transformou naquilo, quem vive lá agora. Porem apesar de tudo isso não senti aquele algo a mais para dizer que é um ótimo livro, não é tão empolgante tirando algumas partes.
comentários(0)comente



Jessica 14/06/2020

Sensacional.
Um livro com uma aventura muito empolgante e com várias surpresas ao longo da narrativa, me lembrou muito Doctor Who.
comentários(0)comente



Oly 11/06/2020

Incrível
Um livro curto e de fácil leitura, ótimo para quem quer ler em uma tarde. Aborda temas interessantes, de forma simples e detalhada. Muito bom! Recomendo bastante!
comentários(0)comente



Alexandre Verdú 10/06/2020

Mesmo quem não gosta de sci-fi vai gostar
Sempre tive curiosidade nesse livro porque sei que ele é muito antigo e foi o primeiro que trouxe essa ideia de máquina do tempo.
Comecei a ler tendo como base a história do filme que é muito diferente do livro, particularmente considero o filme uma adaptação ruim.
comentários(0)comente



Carol Grayshadow 10/06/2020

O desconhecido
Esse livro nos mostra o sentimento de curiosidade pelo desconhecido chamado Futuro, como também uma crítica a sociedade da época.
Um livro eletrizante e muito interessante, fiquei surpresa com essa leitura e super recomendo.
comentários(0)comente



Alessandro @cafe_entropico 09/06/2020

Fósforo na mão!
A edição desse clássico pela Zahar acerta nos comentários, nas notas de rodapé bem colocadas e na introdução. Nela a obra e vida do autor são muito bem contextualizadas, e quem não conhece bem os detalhes de A Máquina do Tempo se vê curioso pela leitura.
.
É muito clara a importância da obra de Wells para a literatura mundial, seus escritos são considerados uns dos inaugurantes do gênero de ficção científica. Ao pensar a temática da viagem no tempo sem utilizar parâmetros mágicos, mas sim colocando a fé da narrativa no poder da ciência, um paradigma literário havia sido rompido e um novo modo de pensar as fantasias estava sendo construído.
.
Para além de seu impacto histórico e de sua importância para o gênero do sci-fi, a obra é em si direta e fraca. A viagem no tempo tem seus momentos mais fortes e as críticas ao tempo presente do autor são perceptíveis num texto que não instiga. Provavelmente se o livro fosse maior, as chances de abandono seriam grandes.
.
As duas estrelas para Wells vem por conta da importância e criatividade, o autor realmente estabelece uma novidade digna de encanto: a ciência pode ser ficcionada. A decepção da obra talvez fique pelo modo como a própria viagem e a máquina do tempo não são os pontos principais.
.
A máquina da nome a obra, mas é a viagem no tempo em si e as relações criadas por ela que guiam a narrativa. O fim é um dos melhores pontos, salvando a obra de recorrer as respostas e resultados fracos do meio da história.

site: https://www.instagram.com/p/B_x3LGsDtP2/?utm_source=ig_web_copy_link
comentários(0)comente



Marcio Izidoro 06/06/2020

Pra ler sem parar
Uma ótima história, que é difícil parar de ler, e saber onde vai dar essa aventura.
E ainda nos deixa em dúvida se tudo que o personagem passa, realmente é verdade ou sonho.
Uma ótima leitura, e um ótimo escritor.
comentários(0)comente



Renato 31/05/2020

A maquina do tempo
Atende à expectativa quanto ao tema referente a viagem no tempo. A leitura é bastante prazerosa , com algumas palavras rebuscadas,mas na versão que li, faltou uma revisão de português quanto ao uso de hífenes para utilização de pronomes oblíquos. Recomendo a leitura.
comentários(0)comente



182 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |