Cabeças de Ferro

Cabeças de Ferro Carol Sabar




Resenhas - Cabeças de Ferro


35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Letícia 27/08/2020

De nada
Se você gosta de mistério, romance, tragédia, reviravoltas, personagens cativantes e escritores brasileiros, você tá com o livro certo.
comentários(0)comente



Victoria Guará 26/08/2020

Gostei bastante do livro, a narrativa da autora é fluída e consegue prender você na estória ao mesmo tempo. O único ponto negativo é que o livro terminou com uma ponta solta na estória. Espero que tenha continuação :)
comentários(0)comente



Tata 14/05/2020

Não consegui parar de ler!
Esse livro me pegou de jeito! Amo livros que me fazem ficar grudada ao livro até de madrugada. E com esse livro foi assim: não consegui largar enquanto não fiquei sabendo o final!
A narrativa da Carol Sabar é leve, fluída e envolvente: você se percebe aproveitando cada detalhe a mais da vida dos personagens e vibrando com cada reviravolta.
Meu único ponto de reclamação é que a grande revelação do final poderia ter sido melhor amarrada, com uma construção um pouco mais pensada nos detalhes, sabe? Como leitora completamente mergulhada na história, eu queria mais detalhes. Mas, isso não diminuiu, ao meu ver, o prazer da leitura! Recomendo demais!
comentários(0)comente



Jade Ricieri 16/08/2019


Malu é muito inteligente e conseguiu passar em primeiro lugar na Universidade mais famosa e concorrida do Brasil.
Porém como nem tudo na vida é simples logo no primeiro dia de aula ocorre o tão temido trote, e é durante esse evento que algo terrível acontece. Uma caloura sofre uma alergia grave por conta de um líquido que é jogado em sua cabeça e acaba quase morta.

Era para Malu ter sido o alvo dessa horrível tragédia e é em razão disso que a jovem resolve se aliar com seu maior inimigo que também está envolvido no caso para juntos investigarem e tentarem desvendar todo o mistério e os motivos para tanta crueldade.

"Competir para vencer é da nossa natureza, afinal. Dizem que a distância mais longa é aquela entre a cabeça e o coração."

Eu simplesmente adoro os livros da Carol Sabar, a escrita dela além de ser muito envolvente é divertida e uma delícia de se ler, sempre fico encantada com as histórias e personagens que ela constrói, me surpreendo bastante.

Cabeças de ferro apesar de ter todo um suspense é um livro leve e rápido de ler. A trama é direta e os fatos vão se desenrolando sem muita demora, sendo que para todo mistério inserido na história existe um bom desenvolvimento.

É um livro com uma pegada mais adolescente, coisa típica da escrita da autora, mas tem um pouco de tudo, romance, diversão, suspense, ação, ou seja, é uma mistura que deu super certo. A única resalva que tenho para fazer é que achei o final um pouco corrido, queria que tivesse mais algumas páginas para poder saber um pouquinho mais da história de Malu, mas aguardo isso ansiosamente para o próximo livro, já que é uma série.

Enfim, recomendo o livro para todos, é uma leitura ótima, para ler de uma vez só.
comentários(0)comente



Glaucia 16/07/2019

Misterioso, intrigante e envolvente
Apesar de todos os problemas ocorridos nos últimos tempos, tirei o meu domingo para Ler Cabeças de ferro.
Carol Sabar é uma das minhas Divas nacionais (tenho poucas, por falta de tempo para explorar novos autores).
O livro tem o humor característico da autora, que é uma das coisas que AMO. Eu me identifico com personagens engraçadas e com um "Q" de loucura.
Aqui temos Malu, uma nerd que ganhou todos os concursos que já participou. Quando ela entra para a Universidade, pela ordem deve sofrer o trote do primeiro lugar no vestibular anterior. O problema é que Arthur Cantisani (acho que é isso) é seu maior inimigo de todos os tempos. Mas as invés dele jogar o líquido da garrafa em Malu, joga na segunda colocada, Mariana.
Merda feita! A menina entra em choque, sofre queimaduras, fica careca, todos fogem e os dois, junto com Nicolas (amigo de Malu) salvam a garota.
A coisa vira um pandemônio, com repórteres, investigação, Conselho disciplinar e os 3 são os excluídos da Universidade.
Malu e Arthur começam, secretamente, uma investigação e descobrem que o único frasco envenenado era o dela. Surge uma conexão e o início de uma amizade. Shippei muito, mas Malu acaba namorando Nicolas. 😢
Enfim, mistério, investigação, uma atração muito forte, cenas engraçadas (Malu é um pouco doida) e um livro delicioso para degustar.
O final não foi exatamente esperado, apesar de tudo esclarecido. Mesmo assim já mandei mensagens para Carol Saber pedindo continuar.
Esse não foi meu favorito, mas meu momento atual não anda muito propício, mas para minha Diva mineira vai ⭐⭐⭐⭐💋😘
comentários(0)comente



Comenta Livros 07/06/2019

Um livro sobre o trote na faculdade
Você já foi calouro ou caloura na faculdade? Leia esse livro e descubra coisas terríveis e incríveis.

site: http://comentalivros.com/cabecas-de-ferro-carol-sabar/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ivy (De repente, no último livro) 11/10/2018

Resenha do blog "De repente no último livro..."
Cabeças de ferro é um juvenil divertido e gostosinho de ler, perfeito pra quando estamos à toa, em busca de uma leitura que nos faça sorrir em momentos inesperados com um toque de mistério pra nos prender na história tentando desvendar o final.

A história nos narra a entrada de Malu na faculdade da UPN (Universidade Ponto sem Nó), uma instituição onde apenas os mais inteligentes conseguem entrar. Malu aprovou em primeiro lugar para o curso de engenharia e, no dia de seu temido trote, ela está duplamente apavorada pois além das brincadeiras nada agradáveis aplicadas pelos veteranos aos calouros, Malu deverá suportar ser alvo de ninguém menos que Arthur Cantisani, um ex-amigo, que foi o responsável por um dos maiores vexames que a garota passou na vida, quando ainda estava entrando na adolescência.
Tudo se complica quando ocorre uma tentativa de assassinato em pleno trote. Alguém tinha a intenção de ferir Malu? Ou será que alguém estava tentando prejudicar Arthur? Pode se tratar de que ambos tenham sido apenas alvos aleatórios de uma espécie de psicopata que, por debaixo da fachada de bom estudante, está disposto a eliminar a concorrência na universidade?
Seja como for, agora Malu e Arthur se vêem no olho de furacão, tendo de prestar contas à reitoria da Universidade, aos amigos, à família e à policia sobre o que realmente aconteceu no trote de Engenharia.
Quando os dois decidem embarcar em uma investigação secreta, com o objetivo de limpar seus nomes, ambos se verão obrigados a esquecer as rivalidades do passado e atuar em equipe, para salvar seus próprios futuros na universidade. No meio de tudo isso ainda há Nicolas, o melhor amigo de Malu, apaixonado por ela e alguém por quem a garota não consegue definir exatamente oque sente. Enquanto Malu tenta desvendar um caso de tentativa de assassinato, ela também terá que escolher entre o ex inimigo bonitão e o melhor amigo leal, sabendo que no meio de tudo isso alguém com certeza sairá de coração partido.

A premissa de Cabeças de Ferro me conquistou desde a sinopse. Adoro mistérios ambientados na universidade, todos os livros que li com temática semelhante me divertiram bastante e, apesar de não nutrir muitas expectativas com relação à Cabeças de Ferro (por conta de resenhas negativas que havia lido), o livro me surpreendeu positivamente, resultando em mais uma daquelas leituras inesperadas que ao finalizar nos deixam com um sorriso de satisfação no rosto.
Me lembro que uma das resenhas negativas que li apontava que a narração do livro era infantil, juvenil demais para uma história ambientada em um ambiente universitário.
Eu sinceramente não senti isso. Pelo contrário, aliás. Achei a narrativa super leve e divertida. Obviamente não dá pra ler o livro esperando aquela seriedade de um New Adult, até porque ele nem é um NA. Eu catalogaria Cabeças de Ferro como um chick lit juvenil, portanto, pra quem curte essas leituras mais levinhas, com umas piadinhas irreverentes no enredo e um toque de doçura típica de romances juvenis, Cabeças de Ferro é um livro que super recomendo.

Os personagens são carismáticos, possuem um toque de deboche e descontração que encaixa com perfeição nesse ambiente universitário retratado por Carol Sabar. Aliás, eu adorei a ambientação de Ponto Sem Nó. Acho que nunca tinha lido nada ambientado em Minas Gerais e gostei bastante das descrições oferecidas pela autora. O ambiente da universidade, com suas festas e euforia, desperta nostalgia no leitor que já passou por isso. É tudo bem realista nesse sentido, e eu gostei de me ver transportada à essa realidade mais parecida com a nossa.
Quanto aos protagonistas, teremos Malu, Arthur e Nicholas. Eu gostei da Malu, apesar de certas atitudes dela me tirarem um pouco do sério. Malu é inteligente, bem humorada, especial. Porém, é confusa e não sabe escolher com quem quer ficar. Então é aquele caso típico da protagonista que namora um, mas se sente atraída pelo outro durante quase toda a leitura. Isso cansa um pouco, porque parece que a garota está sempre dividida.
Arthur, ao meu ver, é o melhor dos três protagonistas. Ele é mais coerente, e também mais interessante, possuí um charme e uma fragilidade que conquistam o leitor.
Nicolas, pelo contrário, foi o que menos simpatizei. Por mais que a autora ressaltasse na narrativa o quanto Nicolas é fofo, lindo e carinhoso, achei o personagem um verdadeiro porre de chatice. Seu personagem é necessário e fundamental, ele é parte do tal triângulo amoroso. Porém, comparado aos outros dois protagonistas, Nicholas não tem carisma e encanto pra prender o leitor na história.

Os secundários são bem legais também. Teremos as amigas de Malu, Clarissa e Angélica, que são simplesmente geniais. Ambas agregam um ar divertido à história, e eu gostei da amizade que une as três meninas. Além delas teremos todo o rol de alunos e professores de Ponto sem Nó, que estarão na trama em momentos necessários, desempenhando papéis cruciais no mistério desenvolvido por Carol Sabar.

Eu li o livro em nada. Me durou 2 ou 3 dias apenas. Embora não seja exatamente uma história fenomenal, a narrativa da autora é encantadora. Eu gostei porque é um livro leve, despretensioso, que consegue captar o interesse do leitor até o final. É o tipo de história que, aliás, renderia uma boa adaptação pois possuí uma trama ágil e personagens com astúcia e carisma.

Fica a dica pra quem quer embarcar em um pouco de literatura nacional buscando uma história divertida que, apesar de sua ambientação comum, se torna uma leitura deliciosa pra qualquer momento.


site: http://www.derepentenoultimolivro.com/2018/09/review-241-cabecas-de-ferro.html
comentários(0)comente



Malu assalini @Livrosdemalu 15/08/2018

?#Resenhalivrosdemalu
@livrosdemalu
?
?
Livro: Cabeças de Ferro
Autora: Carol Sabar
Editora: @editorajangada
Ano: 2016
Páginas: 304
?
?
"Se finais felizes são chatos, mais chato ainda é não chegar ao final."
?
?
Sabe aquelas novelas da Globo da década de 90 ? Aquelas que levantavam um sensacionalismo doido na TV e que até hoje são citadas nas conversas de família ? Como: "Quem matou Odete Roitman ?" Ou "Quem é o pai do Tonho da lua ?". O tipo de mistério que durava meses e que, mesmo a gente pensando que sabia a verdade, no final não sabia era de nada e ficávamos chocados com a tal revelação?
?
?
Cabeças de ferro te transporta para isso. Malu ( Sim, eu comprei o livro por ter meu nome nele, me julguem.) é uma jovem de dezenove anos que passou em primeiro lugar no vestibular para engenharia de produção. da UPN - universidade de ponto sem nó - uma das universidades mais dificeis do pais, conhecida como berço dos Cabeça de ferro, os tais CDF. Após passar alguns meses estudando inglês na Califórnia, Malu chega para o receber seu trote vexatório, uma espécie de tradição da engenharia.
?
?
O veterano que deve aplicar o trote em Malu é Artur Cantisani, o seu sexy arqui-inimigo, responsável pela humilhação que ela sofreu aos 11 anos de idade e a deixou conhecida por Pikachu. Acontece que na hora do trote Artur joga a gosma que deveria ser despejada em Malu em outra caloura que sofre um choque anafilático! Nesse momento todos fogem deixando Malu, Artur e Nicolas - amigo de Malu que deseja ser mais que isso e que estava esperando ela sair do trote - sozinhos no local.
?
?
O livro é uma mistura de mistério, investigação, romance e uma veia cômica ali no meio. Eu ri muito, principalmente quando as páginas do diário de Malu aparecem nos capítulos. A narrativa do livro é ágil, mostra o que precisa e te deixa querendo cada vez mais. A autora soube conduzir a história para o final fechando cada ponta aberta ao decorrer do enredo. Com personagens bem construídos essa autora soube me surpreender. Esse livro é aquele mix de clichês escancarados e coisas inesperadas que criam uma leitura gostosa, cheia de referências a livros (Harry Potter principalmente), séries e desenhos. Uma história bem feita e que te entrega o prometido.
?
comentários(0)comente



Cuida bem 16/07/2018

Um livro em sete dias, por Ana
Já adianto que Carol Sabar escreveu “Cabeças de ferro” (eu li a 1º edição, da Jangada) para ser meu romance jovem nacional favorito. Bom, foi isso que aconteceu.

Sinopse: Malu foi aprovada no vestibular e prepara-se para encarar o temido trote da Engenharia. Afinal Artur, seu arqui-inimigo de infância, será seu veterano. No dia, ele despeja uma gosma na cabeça de outra caloura, que sofre um choque anafilático e todos fogem. Malu e Artur, apesar de se odiarem, não têm outra saída a não ser se unir para desvendar este mistério. Por que a gosma da garrafa despejada na caloura era a única de cor diferente? E por que as outras garrafas desapareceram? Alguém estaria tentando ocultar provas? Será que os estudantes estão na mira de um assassino?

Julgamos o livro pelo título e pela capa: Para uma amante de giz (é sério), a capa é bem bonita. O título foge um pouco do convencional e é curioso. Gosto!

Sobre o autor: Carol Sabar é boa de enredo, escrita e criativa que só. Inventa uma porção de coisas (cidade, universidade, drogas) para fazer sua história acontecer, e melhora tudo inserindo as criações em um universo muito verossímil.

Protagonista: Nem toda mocinha é protagonista. Malu é. Uma atípica, mas que conduz o livro muito bem. Como ela mesma se diz, é uma CDF (“C” de cabeça, rs) bonita e sociável. E usa tudo isso a seu favor, nem sempre (quase nunca) de forma ética. Ah, estabilidade emocional também não é seu forte.

Coadjuvantes: Os meninos se destacam entre os coadjuvantes da história, mas muitas vezes achei completos embustes. Não tira o mérito (pelo contrário) da Carol, que me confundiu várias vezes.

Trama: Esta é uma história principalmente de suspense (que começa com um crime bem construído) e aventura (com uma saga cheia de reviravoltas), em que o romance flui naturalmente (e envolve). Para mim, a balança foi perfeita e garantiu um livro movimentado do início ao fim.

Ponto forte: As quebras de expectativas são o melhor deste livro, mas isto abrange quase tudo: o emocional da protagonista, a imperfeição dos coadjuvantes, o desenvolvimento da trama. Mas destaco que é muito difícil adivinhar os finais da história: no suspense ou no amor. E isso é bem legal.

Um livro para: conhecer pessoas diferentes.

site: www.cuidabemdomeulivro.com.br
comentários(0)comente



Marlene C. 24/01/2018

[ Resenha ] Cabeças de Ferro
Sabe aquela história que te prende do início ao fim? História essa que as páginas passam voando? E você só se dá conta quando acaba? Assim foi Cabeças de Ferro para mim.
Já tinha ouvido falar da autora e do seu livro “Azar o seu!” mas ainda não tinha lido nada de sua autoria, até Cabeças de Ferro, que foi minha primeira leitura do ano, e pelo jeito comecei muito bem.
"Talvez seja simples.
Talvez o tempo não exista para as coisas do coração."
Malu é uma estudante de engenharia que passou em primeiro lugar em uma das melhores Universidades do Brasil, inicialmente somos introduzidos ao trote que Malu e outros jovens que entraram na Universidade irão sofrer. Pela ordem, o veterano que passou em primeiro lugar irá aplicar o trote ao calouro que também passou em primeiro, nesse caso para infelicidade de Malu, o responsável pelo seu trote será Arthur seu inimigo de infância.

Porém, Arthur por um motivo desconhecido não segue a ordem e ao invés de jogar a substância estranha em Malu, ele joga em Mariana que sofre um choque anafilático, e precisa de primeiros socorros. Os universitários vendo a confusão em que se meteram fogem, deixando apenas Arthur, Malu e Nicolas, que é seu melhor amigo e que nutre uma paixão muito grande por ela.

A partir daí, a vida de Malu vira de ponta a cabeça, já que alguém tentou matá-la, fora o fato de que alguém roubou os frascos com as substâncias do trote, deixando-a sem provas para mostrar que o único frasco contaminado era destinado a ela.
E para piorar uma situação já muito ruim, ela também tem que lidar com o sexy Arthur, com quem se alia para tentar desvendar esse mistério e descobrir quem é o culpado, e Nicolas que não aceita ser só seu amigo, e que não perde a chance de deixar esse fato conhecido.

Malu é o tipo de personagem divertida, que o leitor não consegue não se apegar e torcer para que tudo dê certo no final, ela é um pouco atrapalhada e também é muito inteligente e consegue se meter em uma confusão como ninguém.
Nicolas é um tanto que bipolar, suas ações são um pouco contraditórias, ele é o típico menino bonito da casa ao lado, e tem uma queda, não, tem um penhasco por Malu, ela tenta não dar muita esperança para ele, mas ele é bem determinado. Ao contrário de Arthur, que é um bad boy assumido, ele é bastante mulherengo também, e tem uma atitude indiferente com Malu, mas na verdade, não é tão indiferente assim.

Cabeças de ferro tem uma narrativa clichê, mas é bem divertida e fluída, a autora soube desenvolver muito bem as partes de suspense e investigação, assim como o romance. Usando a quantidade certa para deixar o leitor ainda mais curioso par saber o que aconteceria a seguir.

Foi divertido ver os pensamentos de Malu a respeito de Arthur e Nicolas, outra coisa que adorei foi que ela é muito argumentativa, isso por vezes me fez rir, fiquei um pouco decepcionada com o final, no fundo eu esperava um pouco mais, mas gostei e entendo as atitudes da personagem e não tiro sua razão.

A edição é simples, folhas amareladas e letras confortáveis, o que torna a leitura ainda mais agradável a capa é muito bonita e tem alguns cálculos nela o que tem tudo a ver com a história, não sei se vocês perceberam, mas Cabeças de Ferro, forma a sigla CDF que faz uma referência aos jovens da Universidade, por que lá só estuda os melhores e mais inteligentes.

Enfim se você gosta de um New Adult, com suspense, ação e romance não deixem de conferir Cabeças de Ferro.
comentários(0)comente



Beca 08/12/2017

Um romance diferente, me identifiquei muito com a personagem principal. Só queria um epilogo ou algo assim.. o final não é muito conclusivo sobre o que aconteceu com a malu e o arthur.
comentários(0)comente



Cia do Leitor 24/10/2017

Cabeças de Ferro
"Um trote errado, consequências irreversíveis, uma vítima, vários suspeitos, mas apenas um culpado."

Assim começa a trama Cabeças de Ferro, ultimo livro de Carol Sabar, publicada e fornecida para resenha pela nossa parceira Editora Jangada.

Malu é portadora de uma inteligencia eximia do qual lhe trouxe muitas dores de cabeça e muito orgulho em sua infância por conquistar diversas medalhas no decorrer de seus dias na escola nos concursos que participava. Suas vitórias escolares foram motivos de derrotas na amizade. Os alunos mais inteligente (menos que ela, claro) cultivaram em seus corações um ódio imensurável por Malu. Até que um de seus poucos amigos da escola, Artur Cantisani, lhe pregou uma peça humilhando-a diante de todos. Tal atitude desarmou Malu e a traumatizou por longo tempo, até os atuais dias. Artur virou seu arqui-inimigos, seu rival, seu monstro pessoal.

Anos se passaram e Malu acaba de ingressar na tão famosa e concorrida "Universidade dos Cabeças de Ferro" (Nome inusitado, concorda?). E como de praxe, todos os novatos deveriam passar pelos trotes dos veteranos de Engenharia. Curso que ela escolhera fazer. Só que Malu não contava que um dos veteranos responsáveis seria nada menos que seu arqui-inimigo de infância Artur.

"Fiquei sem entender se aquilo era um sorriso de deboche ou uma forma silenciosa de me confessar que, na verdade, não estava tão feliz de ser meu veterano-carrasco."

Agora, lá estava ela vendo tudo acontecer novamente diante de outros calouros. Só que na hora H, quando Artur deveria despejar uma garrafa com uma gosma não identificada em sua cabeça ele resolve mudar de vítima e escolhe a caloura ao lado de Malu.

O que veio a seguir, levou todos a entrarem em pânico e fugirem deixando uma jovem caída e inconsciente após sofrer choque anafilático com o produto misterioso. E um Artur desorientado tão vítima de um crime quanto a própria jovem desacordada.

Claro que a notícia do ocorrido se espalhou, Artur estava preste a ser expulso da faculdade, Malu era as única testemunha que poderia ajudá-lo nesse caso. Mas, como ajudar àquele que ela mal acreditava ser inocente? Sabia que era pra Ela estar no lugar da jovem, mas por alguma razão isso não aconteceu, o que a deixou muito intrigada e curiosa. Estaria Artur falando a verdade?

Pra saber a verdade ela teria que mergulhar de cabeça nesse caso, ao lado do seu algoz. E isso ela não ia deixar passar... Não Malu, a aluna mais inteligente e destemida da universidade.

"Pelo trote, eu já esperava. Mas nem nos meus piores pesadelos imaginei que minha vida universitária fosse começar assim, tão tumultuada."

Eu tive o grande prazer de conhecer a escrita de Carol Sabar, nos seus primeiros livros "Como quase namorei Robert Patterson" e "Azar o seu!", este ultimo por ser mais recente lembro-me mais, aliás tem resenha dele no blog. Azar é o seu! me arrancou gargalhadas, (em locais públicos) com uma história divertida, empolgante e memorável. E foi através desse livro que resolvi "Adotar" a autora. rsrsrs Favoritei, recomendei e fiquei a aguardar a próxima obra ansiosa pra me divertir tanto quanto ou mais que o penúltimo livro.

Eis que um ano depois a Editora Jangada deu a bela notícia da publicação de Cabeças de Ferro e ao solicitar estava certa de que a autora repetiria o sucesso do livro anterior. E me surpreendi.

Neste livro a escrita da autora ficou mais madura. Me peguei mais concentrada na trama, criando junto com os personagens teorias, ao invés de rir ou gargalhar descaradamente das confusões criadas pelos personagens como nos livros anteriores.

Não. Não vejo isso como um ponto negativo, pelo contrário, ela apresentou uma estória mais complexa, mas não menos divertida e mostrou que pode sim renovar sua escrita sem medo e deu muito certo.

O mistério criado em torno dos personagens e suas atitudes. As brincadeiras de detetive entre os protagonistas que precisavam desvendar os mistérios do desaparecimento das garrafas, a ocultação de pistas por alguns alunos, os motivos para quererem prejudicar Malu e Artur. Eram tão empolgantes e divertido estar junto com eles nessa empreitada.

A amizade de Malu por Nicolas era tão incrível e ao mesmo tempo questionável, pois o jovem logo no inicio demonstrou sentir por Malu um amor que logo deixou de ser platônico, sendo assim ele a todo momento forçava um relacionamento, passou de melhor amigo para o cara que a sufocava. (A mim também) Ela por sua vez não queria ser desagradável e passou a ser inconsequente e mentirosa... Acho que não devemos misturar as coisas. Só acho.

"A parte boa de se conhecer profundamente uma pessoa é que, na maioria das vezes, as atitudes dela se tornam totalmente previsíveis. A parte ruim é que, na maioria das vezes, o imprevisível é bem mais emocionante."

Artur, gostei dele desde o inicio. Apesar de conhecer apenas a versão da história aos olhos de Malu, alguma coisa me dizia que tinha algo além. E não me enganei.

O quebra-cabeça estava sendo aos poucos montado e na metade do livro já tinha desvendado boa parte dos mistérios. Gostei muito do resultado, apesar de ter ficado um tanto chateada com a atitude de Malu. No entanto, isso foi proposital para deixar margem para um segundo livro. Espero que ela conserte as coisas no próximo volume. Ou vou deixá-la de castigo!

A edição é simples, com folhas em papel pólen, fonte mediana, mas com uma capa diferente e divertida apresentando um quadro negro com fórmulas e acessórios da engenharia. A diagramação apesar de simples tem destaques pensamentos, conversas com o diário e listas. Sim, Malu é a louca das listas. Tudo muito dinâmico e fofo. Adorei!

Um livro para quem aprecia New Adult com uma pegada de chick-Lit, mistério e muito humor.

Até a próxima e boa leitura!

site: http://www.ciadoleitor.com/2017/10/resenha-cabecas-de-ferro-de-carol-sabar.html
Mih 26/10/2017minha estante
Muito Bom esse livro, ansiosa pela continuação...




Vanessa Vieira 01/10/2017

Cabeças de Ferro - Carol Sabar
O livro Cabeças de Ferro, da autora mineira Carol Sabar, nos traz um romance divertido e extremamente contagiante sobre o ingresso de uma jovem na faculdade e todos os seus percalços e descobertas. Com uma narrativa envolvente e fluída e personagens espontâneos e bem desenvolvidos, o livro conseguiu me agradar em cheio e me propiciar uma leitura leve e descontraída.

Malu sempre sonhou em começar a faculdade, mas não poderia imaginar que o seu ingresso nela seria tão tumultuado e tenso. Ela foi aprovada no vestibular da notável Universidade dos Cabeças de Ferro e ao lado do melhor amigo Nicolas - que sonha em ser muito mais do que simplesmente uma amizade - se prepara para o temido trote da equipe de Engenharia.

O veterano que recebeu a tarefa de aplicar o trote em Malu é Artur Cantisani, um dos maiores inimigos da jovem e o responsável pela humilhação que ela sofreu aos 11 anos de idade na frente de todo o colégio. De forma inesperada, quando o trote começa, Artur despeja uma gosma estranha não em Malu mas em uma outra caloura, que acaba sofrendo um choque anafilático. Na correria, tanto calouros quanto veteranos fogem, deixando na cena do crime apenas Artur, Malu e Nicolas.

Vários mistérios acabam emergindo como o fato da gosma despejada na caloura ter uma coloração diferente das demais e também o motivo das outras garrafas que contém a substância terem sumido misteriosamente. Parece que alguém está tentando ocultar provas e que os estudantes de Engenharia podem estar na mira de um assassino...Envolvidos até o pescoço, Artur e Malu não tem outra saída a não ser vencer a inimizade que os cerca e unirem os seus cérebros brilhantes para desvendar o mistério que circunda a Universidade dos Cabeças de Ferro...

Cabeças de Ferro é um livro divertido e descontraído, com uma linguagem abrangente e extremamente envolvente. Os personagens criados pela Carol Sabar possuem um carisma peculiar e uma espontaneidade ímpar, tornando o enredo leve, fluído e contagiante. Narrado em primeira pessoa pela Malu, de uma forma bem extrovertida e cômica, o livro conseguiu me cativar e me propiciar uma leitura muito gostosa e cativante.

"Talvez seja simplesmente isso, afinal; talvez seja simples. Talvez o tempo não exista para as coisas do coração; a matemática dos ponteiros desafiada pela irracionalidade do que, para mim, parecia um sonho, onde tudo acontece ao mesmo tempo e a gente nunca sabe direito quando as coisas começam... Nem quando terminam."

Malu é uma personagem inteligente, cômica e bem resolvida. Seus devaneios são hilários e é impossível não se divertir com as situações vividas pela protagonista, principalmente com a cena que a consagrou com o codinome de "Pikachu". Ela é muito intensa e tem um senso de justiça apurado, tanto que não sossega enquanto não descobre os mistérios da Universidade Cabeças de Ferro, mesmo contra tudo e contra todos.

Apesar da imagem de bom moço do Nicolas, confesso que o personagem não me agradou tanto quanto eu gostaria. Ele é um bom amigo para Malu, mas fica forçando a barra toda hora, além ser muito pegajoso. Entretanto já simpatizei bastante com o Artur, que apesar de ostentar a imagem de bad boy, tem um grande coração e revela pouco a pouco os seus sentimentos para Malu, sem pressioná-la e deixando tudo acontecer naturalmente.

Em síntese, Cabeças de Ferro é um livro divertido, descontraído e que nos proporciona boas gargalhadas. Carol Sabar desenvolveu uma história cativante, repleta de adrenalina, romance e suspense e norteada por várias referências contemporâneas, tornando o enredo assimilável e incrivelmente cômico. A capa é bem descolada e nos traz um quadro negro com ilustrações de gráficos, equações, dentre outras figuras e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

site: http://www.newsnessa.com/2017/10/resenha-cabecas-de-ferro-carol-sabar.html
comentários(0)comente



Portal JuLund 11/08/2017

Cabeças de Ferro, @grupopensamento
Definitivamente um livro que me surpreendeu. Outro livro que li da Carol Sabar foi o “Azar o Seu!”, uma leitura gostosa e cheia de bom humor. Esse livro não poderia ser diferente, há humor e romance, porém a grande novidade que adorei o suspense/mistério e investigação contidos no livro, fantástico.
Em “Cabeças de Ferro” conhecemos a Malu que passou em primeiro lugar na UPN (Universidade de Ponta sem Nó), a universidade dos cabeças de ferro. A Malu passou em Engenharia de Produção, e para mim, que não sou de um curso de exatas, achei que poderia não ser tão interessante ler informações que não tenho ideia do que significam, porém a Carol Sabar soube muito bem desenvolver a sua personagem e relação com seu curso. A Malu é inteligente e gostei bastante de como é madura.
A trama tem inicio com o primeiro dia de aula da Malu, na verdade o dia do trote na universidade. O trote é feito por alunos veteranos aos novos alunos (conhecidos como feras/calouros), em alguns lugares é proibido, e no caso da universidade da Malu, também é. Por isso, o trote não é feito na universidade.

Resenha completa no

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/resenha-de-cabecas-de-ferro-grupopensamento
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3