Como Se Fosse Magia

Como Se Fosse Magia Bianca Briones


Compartilhe


Resenhas - Como Se Fosse Magia


39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Jaqueline 30/08/2016

Como se fosse Magia
Dia 28/08/2016, tive o prazer de dar um abraço quentinho na Bianca, e no Athos, sim eu estava no lançamento do livro na Bienal de SP, e claro me emocionei muito ao ficar frente a frete com a Bi...

Sobre "Como se fosse Magia", só posso dizer que ele é diferente da série batidas, mas tão lindo quanto, amei o livro e principalmente as referencias à alguns personagens que já conhecemos.
Eva é uma escritora assim como a Bi, ela está com bloqueio criativo a 1 ano e não consegue escrever se quer uma palavra, até o dia de forte chuva ela presencia a um assalto, com a fuga do bandido ela se surpreende ao chegar perto e constatar que esse rapaz é exatamente tudo aquilo que ela descreveu em seu livro, Eva está frente a frente com Enzo...o personagem que ela criou para a sua série.
Ao acordar Enzo percebe que esta completamente sem memória, porém ele sente que algo muito forte o liga a Eva.
Como pode um personagem ser tão real? Essa é a grande pergunta, e Eva vai lutar para entender td isso e descobrir a resposta, ao final de tudo isso ela será capaz de abrir mão de seu amor quando enfim colocar um ponto final nessa história?
Tocante, criativo, mágico essas são as palavras que, para mim, descrevem o livro. É impressionante a capacidade da Bianca em nos prender e tocar de forma tão profunda, singela, doce, dolorosa e inexplicável com suas palavras, é assim que me senti ao devorar mais esta bela história de amor da autora, no fundo Eva pra pra mim é a Bianca em gênero número e grau a forma doce de tratar seu melhor amigo Thiago, a forma que se comunica com seus fãs, mais uma vez ela arrasou!
comentários(0)comente



Kennia Santos | @LendoDePijamas 09/09/2016

"Para que duas pessoas se encontrem, mundos inteiros são capazes de colidir".
Eva, uma escritora altamente reconhecida, encontra-se em um bloqueio criativo: não consegue escrever nada há mais de um ano. Com alta cobrança da editora, ela precisa escrever algo para ser lançado na Bienal do livro. Desnorteada, ela tenta de toda forma "entrar em contato" com seus personagens e recuperar sua inspiração, seu objetivo principal é finalizar uma série de fantasia cuja já foram lançados 3 livros, e ela vem recebendo alta cobrança dos fãs para o desfecho da história de Elena e Enzo, os protagonistas.
É quando, em uma noite de frustração com sua tentativa de escrita, ela volta para casa, e é quando presencia um homem ser assaltado e ferido. Caído em pleno asfalto e sem mais ninguém presente para socorrê-lo, ela se vê de mãos atadas e chama o pronto-socorro.
Mais tarde, ela descobre que ele está sem memória, e parece inacreditavelmente demais com o principal personagem de seu livro, Enzo, cujo ela vem a chamá-lo mais tarde devido à falta de conhecimento do passado do mesmo.
Com muitos desencontros, confusões e teorias malucas, Eva e o suposto Enzo percebe que entre eles há mais do que apatia, há uma intensa... conexão. E então, Eva, se deixando levar pela imaginação, volta milagrosamente a escrever, a entrar no "outro mundo" de seus personagens, e passa realmente a pensar se o destino não trouxe o personagem sobre o qual ela escreveu para a realidade dela, afim de ajudá-la a se reencontrar nos trilhos sob os quais ela se perdeu.
Estariam Eva e Enzo, interligados por uma força paralela que une mundos e destrói barreiras?


Bom, definitivamente esse livro NÃO foi o que eu esperava. Não necessariamente uma decepção, mas o foco da história, e a principal questão envolvida se tratam de assuntos cujos não são do meu agrado.
Eva é uma personagem peculiar, que entra em real contato com os personagens sobre os quais escreve em... uma realidade paralela?? Outro mundo? Imaginação? Não sei bem.
Foi chamada de louca e esquizofrênica, só encontrou apoio em Thiago, seu melhor amigo que compartilha com ela e seu mozão Netflix altas noites regadas a séries e filmes.
Daí vem o Enzo, um perdido que permite ser incorporado e visto como um personagem fictício, e ele diz que "sente" a verdade nisso, e ao invés de ir atrás de suas origens (afinal, ele pode ter uma família procurando por ele) aceita esse "rótulo" e começa a viver essa nova "realidade".
Eu sabia que seria muito diferente de As Batidas Perdidas, afinal só a capa e a sinopse denunciam que se trataria de uma coisa mais singela. Mas isso de universo paralelo, vidas passadas e outros mundos explanados nessa história sob a perspectiva posta, não ficou muito legal não. Eu esperava um livro mais "amorzinho", um tipo de chick-lit do tipo que tem uma sofrência extra para caracterizar a essência Briones.
Mas não teve.
Claro que a escrita da Bianca continua FANTÁSTICA, afinal eu li em um dia, mesmo a história não sendo do meu extremo agrado.
Ficaram muitas pontas sem serem encaixadas, assuntos sobre o passado dos personagens são abordados de forma passageira, e eu acho que poderia ser melhor problematizado, porque a Bianca tem a capacidade pra fazer isso.
E o grande mistério envolvendo o passado de Enzo, e a verdade sobre o que fez ele e Eva se encontrarem, é explicado de forma bem corrida, mal chegam a ser 5 páginas, e mais uma vez acho que poderia ser melhor problematizado, poderia ser mais surpreendente, e ter mais sentido, entendem?
Terminei esse livro com um aperto no coração, porque por mais que o abordado não seja do meu agrado, senti que poderia ser bem, bem melhor desenvolvido, mas não consegui captar a essência, nem o romance entre os dois, toda essa conexão, pra mim, foi somente escrita, e não sentida. De verdade, eu não citei nem um terço das "coisas loucas" que acontecem nesse livro, que deixou vários "?????" na minha mente.
Não recrimino quem gostou, eu entendo até, mas essa classificação é devida a escrita magnífica e a narrativa mais contagiante ainda da Bianca, porque se fosse pela história, sinceramente, mal daria uma..
Jeizy 10/09/2016minha estante
Nossa que história mais maluca, pelo jeito ela encarou bem essa onda de imaginação haha


Amanda 11/09/2016minha estante
Pra mim deixar pontas soltas é diferente de poder problematizar/desenvolver melhor uma história...acho sim que poderia ter mais história ali, tinha espaço. Mas, de novo, na minha opinião, não ficaram pontas soltas, que são coisas inacabadas.


Kennia Santos | @LendoDePijamas 11/09/2016minha estante
Pra mim ficaram sim, aquela explicação corrida do final não foi suficiente para eu compreender toda a doideira envolvida, talvez se fosse revelada um pouco antes e com mais calma e descrição, ficaria mais claro. Fiquei com muita dúvida sobre muita coisa, mas essa é a minha opinião..


Érica 12/09/2016minha estante
Aff, ng merece! Eu não curti o resumo da história não, já achei tudo meio blé...Eu que não vou ler isso!
Ps: Não se pode fazer resenha em paz hein??


Kennia Santos | @LendoDePijamas 12/09/2016minha estante
Não leia, se for ler Briones, leia logo o melhor: As batidas perdidas do coração < 3 esse sim é lacrador *-*
Pois é amiga, tô sendo perseguida auhuhushuhasuh


Amanda 12/09/2016minha estante
Gente, desculpa se pareci crítica...eu sou a última pessoa no universo que vai falar "É assim, é assado". Tenho plena consciência de que é a minha opinião e não uma verdade absoluta. E respeito muito a opinião dos outros, inclusive gosto de ver diferentes opiniões, não sei quanto a vocês.


Kennia Santos | @LendoDePijamas 12/09/2016minha estante
Não, tudo bem, cada um tem sua opinião mesmo. É que ultimamente, qualquer livro nacional que leio e não gosto muito e faço a resenha, o pessoal vem fazendo um barraco, exagerado, sabe? Dai fiquei meio traumatizada AUHAAUAH


Amanda 12/09/2016minha estante
Que isso! É direito seu não gostar, uai. Acho saudável mostrar diferentes opiniões, desde que não saiam atacando as pessoas, como você está falando que fizeram com vc. :)


Júlia 19/09/2016minha estante
Adorei a resenha, bem colocados os pontos e me deu mesmo assim vontade de ler pois é Briones. Lerei mesmo assim para tirar minhas próprias conclusões


Kennia Santos | @LendoDePijamas 19/09/2016minha estante
Obrigado Julia :)
Eu te entendo, afinal comprei o livro porque também amo a Briones, mas prefiro focar na série Batidas perdidas


Giovanna 05/10/2016minha estante
Cara, acabei de terminar e vim correndo ver se alguém pensava como eu! Foi muito sessão da tarde, parece que a autora queria correr para escrever o final. Acheui muuuito fraquinho esse livro, estava esperando MUITO mais. Fora a história que não faz sentido nenhum :\


Kennia Santos | @LendoDePijamas 07/10/2016minha estante
Me abraça Giovanna :/
Sim, muito sessão da tarde... surreal. Minha expectativa tava lá no alto e depois veio isso...




Rafa 26/10/2017

Bem leve
Ao ler este livro tive a impressão de que se tratava de o primeiro livro da Bianca, mas não fui atrás para saber. Ele é bem levinho, com temas tabus porém sem nenhum aprofundamento e romance bem fraquinho. A trama gira em torno desses três personagens apenas, Eva, Thiago e Enzo.

Na minha opinião é o tipo de livro para matar o tempo e sair de ressaca literária. Eu dei algumas risadas com o Thiago, que sem dúvida foi o melhor personagem.

Queria muito que houvesse uma explicação mais interessante para o surgimento do Enzo na vida de Eva...mas emoção, aprofundamento e magia de verdade.

Enfim pra quem quer algo leve, do tipo foi esquecer de tudo depois de uns dias, este é o livro.
comentários(0)comente



Notas.Literarias 18/09/2016

Perfeito como sempre
E mais uma vez Bianca Briones provou que merece estar no titulo de autora do coração, minha ansiedade para ler Como se fosse Magia era maior que por estar na Bienal do Livro de São Paulo,rs, então assim que o peguei nas minhas mãos iniciei minha leitura, e claro eu não me decepcionei.

Com a mesma escrita envolvente e apaixonante que conhecemos da série As Batidas Perdidas, mais uma vez ela nos leva a um universo paralelo a realidade, mas que é tão tangível que as vezes nos confunde, e nos leva a se perguntar onde é o real e onde é a ficção.

Com personagens simplesmente especiais, você quer se tornar parte daquela história e fazer parte do dia a dia da vida delas, e se tornar os BFF deles.

Eva, é uma escritora, vive em seu apartamento com seu casal de gatos, que mais parecem humanos, rs, distante da família tem um melhor amigo lindoo o Thiago, juntos eles forma uma dupla e tanto, além de amigo Thiago assessora a carreira de Eva que está indo de vendo em polpa, porém a um ano a guria vive com um bloqueio literário e tem poucos dias para entregar o último livro de sua série Universo Paralelos.

Eva tem uma conexão com seus personagens, ela os vê, isso mesmo que leu, no mundo real ela conversa com eles, como conversa com Thiago, é isso assusta as pessoas em sua volta, afasta elas, e a faz viver ali em seu mundo sem muitos a cerca-la. Falando assim soa triste né, mas sinto que Eva é bem mais feliz com seus amigos no mundo paralelo e com a vida que conquistou, só falta em sua vida um grande amor.

E como se fosse magia, em uma noite que Eva fica em uma livraria até tarde na volta para seu apartamento ela vê um homem sendo assaltado, e fica dividida entre voltar pra sua casa ou ajuda-lo, é quando surge uma garota dançando, uma nova personagem, ela tem os cabelos coloridos e soa alegre, diz para ela ajuda-lo, e assim Eva o faz e que surpresa quando ela se depara com o rapaz que agora esta desacordado mas que ela conhece, mas como ele pode estar aqui, se ele vive dentro de suas histórias.

site: http://www.notasliterarias.com/2016/08/como-se-fosse-magia-gutenberged.html
comentários(0)comente



Aione 29/09/2016

Fazendo jus ao título de seu primeiro chick-lit, Bianca Briones tem o dom de envolver os leitores em suas histórias como se sua narrativa fosse mágica. Já havia lido As Batidas Perdidas do Coração e sucumbido à sua intensidade; agora, tive o prazer de me encantar por Como Se Fosse Magia.

Eva é uma escritora de sucesso, mas vem enfrentando, há um ano, um fortíssimo bloqueio criativo, que a impede de escrever o último livro de uma de suas séries de sucesso. Enquanto tenta encontrar em si as palavras que teme ter perdido, seu caminho se cruza com o de um estranho que perdeu a memória e que acaba tendo apenas Eva para ajudá-lo. O mais curioso de tudo é que esse estranho é idêntico a Enzo, o protagonista da série que Eva precisa finalizar.

Em primeira pessoa, a narrativa ora traz a voz de Eva e ora a de Enzo, de maneira que podemos conhecer melhor ambos personagens. Como marca de Bianca Briones, Como Se Fosse Magia traz passagens com uma escrita bastante sensível e intensa, ainda que, aqui, haja também uma boa dose de leveza e humor, características próprias dos chick-lits.

Não apenas a escrita é cativante como a própria história de Como Se Fosse Magia não demora a conquistar. Me encantei pelos universos de Eva e por seu processo criativo, bem como gostei de como a autora atrelou esse aspecto aos conflitos enfrentados por Eva. Aliás, de maneira geral, gostei bastante das questões trabalhadas por Bianca, independentemente se relacionadas a Eva ou a Thiago, seu melhor amigo e personagem extremamente cativante. O romance, por sua vez, não só é apaixonante como também proporcionou um desfecho belíssimo à trama, tornando tudo ainda mais encantador.

Contudo, ainda que a escrita de Bianca Briones seja maravilhosamente fluida e que a trama em si conquiste, senti que a leitura não me conquistou tanto quanto poderia. Minha impressão foi de que havia uma ânsia no narrar dos fatos, como se a própria autora estivesse tão imersa em sua própria intensidade e desejo de contar a trajetória de Eva e Enzo que acabou transmitindo tudo com certa velocidade, o que resultou tanto em cenas que poderiam ter sido mais aprofundadas quanto em detalhes do enredo que poderiam ter sido melhor trabalhados e explicados. A história convence, cativa e envolve, mas poderia ter sido ainda mais convincente, cativante e envolvente. Fechei o livro tendo gostado da leitura, mas senti que ela tinha potencial para me fazer me apaixonar e me emocionar por ela, o que, infelizmente, não aconteceu.

Ainda que eu tenha sentido falta de um pouco mais de Como Se Fosse Magia, é inegável o quanto ele carrega amor e magia; sobretudo, o quanto ele carrega a própria Bianca. Em seus agradecimentos, Briones menciona que Eva tem muito dela, e basta acompanhá-la em suas redes sociais para sentir o quanto isso é real. Mais do que ligada à história, me senti ligada à Bianca, a ponto de, inclusive, ser capaz de imaginá-la imersa em emoções durante a escrita do romance, e tal impressão é só mais um atestado da verdade e sinceridade das palavras com que a autora nos presenteia em suas obras.

site: http://minhavidaliteraria.com.br/2016/09/29/resenha-como-se-fosse-magia-bianca-briones/
comentários(0)comente



Carla Cássia - @contra.capa 25/04/2017

Entre o real e o imaginário, uma paixão.
‘Como se fosse magia’ é diferente de tudo que você já leu da autora até agora.

Eva é uma escritora com um dom único, e isso é o que move a história. Eu amei ver a forma que Bianca Briones trabalhou Eva, não apenas seu dom, mas sua relação com a escrita, com a imaginação e até mesmo com seus fãs. Acredito que nesse livro, a autora mostrou um pouquinho mais de quem ela é e pude me sentir mais próxima dela.

Enzo é o cara perfeito saído dos livros de Eva, ou talvez não, o livro roda nessa incerteza e no sentimento que cresce dentro do peito dos dois. Afinal, seria você, capaz de amar alguém que não existe ou que não era para ser seu?

Medos, incertezas, sonhos e talentos. Tudo isso é trabalhado de forma brilhante em ‘Como se fosse magia’, que sem dúvidas, é o livro mais leve da autora, quem já leu outras coisas da Bianca, sabe que quando ela quer, pode amassar nosso coração até virar purê. Mas nesse livro, até por conta de seu tamanho (intencional ou não), certas dores não foram aprofundadas a esse ponto. O que fez para mim um livro totalmente diferente.

Assumo que não estava esperando por aquele final, não que fosse a coisa mais surpreendente do mundo, não, mas a forma que foi feito, a forma que a escrita estava encaminhada não me passou realmente que aquilo fosse ocorrer, ou só eu que não queria acreditar mesmo.

E o ponto mais importante do livro, Thiago, gente na boa, ele é o melhor amigo gay não estereotipado. Sério, mas as melhores falas do livro são dele! O nome do livro vem por causa das falas dele gente, tá entendendo o nível de fantástico que é esse personagem? Se não, vá ler para entender. Depois dele não quero nem saber se Bianca escreve LGBT ou não, agora eu preciso de seu livro, preciso mesmo.

Para mais resenhas, link abaixo.

site: www.blogcontracapa.com.br/2017/04/resenha-como-se-fosse-magia.html
comentários(0)comente



Ale 14/09/2016

Como se Fosse Magia no Estante da Ale
Mais Bienal? Com certeza! O lançamento da vez é 'Como Se Fosse Magia' da linda Bianca Briones e publicado pela Editora Gutenberg. Um livro mais simples, rapidinho, cheio de amor que me conquistou logo de início (ok, tudo da Bianca me conquista logo de início) e vale a pena dizer que li em um dia, rs.

A história é sobre Eva, uma escritora famosa que está com um bloqueio criativo há um ano. Com o prazo de entrega do próximo livro chegando, a nossa querida protagonista precisa buscar inspiração. O que ela menos esperava era que a inspiração viesse cair aos seus pés. Sim, um homem idêntico ao personagem de seu romance de fantasia mais aclamado pelos fãs aparece em sua frente após ser assaltado e perder a memória. Um grande mistério para Eva que vê a ficção se tornando realidade, porém é preciso pensar racionalmente e ir atrás de quem aquele homem realmente é. Mas... isso será fácil?

Eu já vou logo confessar que não me importaria de não saber quem o homem era. Para mim, desde o início ele era Enzo, o protagonista da série 'Universos Paralelos'. A magia realmente aconteceu nesse livro e me apaixonei pelos personagens. Eva é doidinha e é o que mais amei na personagem. Ela se aceita, se doa àquilo que faz e sorri. Incrível como isso ficou claro para mim. Uma personagem transparente sem medo de expor seus pensamentos e neuras, ela é bem resolvida e usa seu dom a seu favor. Ela aprendeu (da pior maneira) que nem todos a aceitam, mas isso não importa porque ela é feliz!

Destaco o relacionamento de Eva e Thiago como um dos melhores pontos do livro (texto da página 162/163, principalmente). A amizade de ambos trouxe trechos extremamente marcantes para mim. E por incrível que pareça, foram eles que me trouxeram emoção e lágrimas (de felicidade). É tão lindo o sentimento entre eles. É mútuo. Ambos se aceitam, se defendem e estão dispostos a tudo para a felicidade um do outro. Além de serem os responsáveis pelas risadas do livro, rs. Thiago é um personagem excelente!

Os capítulos são alternados com as visões de Eva e Enzo e novamente temos uma linda e marcante trilha sonora. Corre para o Spotify que a Editora Gutenberg já disponibilizou!

Ah, e antes de continuar a resenha vou ser obrigada a expressar novamente minha felicidade de ter ido ao lançamento do livro. Bianca Briones é uma das autoras mais amorosas e atenciosas que eu conheci. Cheguei a contar um pouco do quanto ela foi importante na superação da perda que tive (meu pai) e só de lembrar o quanto seus olhos me passaram compreensão e amor fico emocionada. Sim, Bianca. Você não sabe o quanto me ajudou e sou imensamente grata. Esse abraço quentinho era há muito tempo aguardado e finalmente eu o recebi.

"E se tudo parecer desabar, lembre-se de que a fantasia sempre estará lá, esperando por você"

Posso ficar horas falando o quanto seus livros me marcaram. Realmente, sinto que me torno alguém melhor após terminar a leitura. Nesse caso, a mágica aconteceu. Seus livros são cheios de sentimento e transbordam amor. Vi Eva nas páginas, porém também vi Bianca. E de certa forma, ouso dizer que me vi também, porque eu ouvi que não iria conseguir e hoje provo a cada dia meu valor. As histórias que guardo em meu coração um dia sairão de mim como saíram de Eva. Mas enquanto isso não acontece, eu fico sonhando com os livros da Bianca, aquela que acredita em magia e me faz acreditar também.


site: http://estante-da-ale.blogspot.com.br/2016/09/resenha-como-se-fosse-magia.html
comentários(0)comente



Bianquinha 29/09/2016

Resenha da Rami - Como se fosse magia - Apaixonadas por Livros
Pensa numa pessoa vomitando arco-íris… Agora pense em uma pessoa vomitando todos os arco-íris dessa vida… Essa sou após ler Como Se Fosse Magia, e como por mágica, euzinha, que não sou fã de fofuras, me vi vomitando todos os arco-íris possíveis por Eva e Enzo!

Quando li a história da Clara em O Descompasso, achei que Clara era próxima à minha imagem da Bianca que vemos através do pouco que convivemos com ela e através das redes sociais. Mas aí chegou a Eva e parecia que era Bianca ali nas páginas. Eva é Bianca e Bianca é Eva em “universos paralelos”?!

Eva é aquela escritora apaixonada pelas letras e suas personagens (lembra alguém?), que está num bloqueio criativo, mas que precisa escrever o último livro da série que ela não está tão preparada assim pra se despedir ainda… Mas por mágica, ou destino, acaso ou o que você quiser chamar, numa noite ela se depara com um estranho que é encarnação de seu protagonista e com amnésia… Seria seu personagem vindo de sua imaginação até o seu mundo? Seria tão louco se muitas coisas que ocorreram nos livros começassem a acontecer com os dois?

Já cansei de dizer que Bianca é minha autora nacional favorita, e mais uma vez ela se consagra como a melhor. Em duzentas e poucas páginas que devorei em menos de 3 horas, ela constrói personagens que a gente se identifica e identifica-a com seu dom de nos fazer sofrer, rir e vomitar todos os arco-íris possíveis.

De todos os livros que tive oportunidade de ler dela, esse é o mais lindo, fofo e menos trágico, mas nem por isso nos deixa sem refletir sobre a vida, e dessa vez ela tocou num tema considerado tabu ainda por muitos de forma linda e que mais me fez vomitar os maiores arco-íris no livro todo (quando você ler e ver uma certa cena, você vai falar que concorda comigo 😉 ).

O romance que vai se desenvolvendo acontece de forma linda, digna de livros, e quando terminei, concluí que meus namorados serão todos literários, pois não me contento com pouco!

E claro, Bianca teve uma sacada genial, pois quando soltaram um certo nome no início eu fiquei “não!”… Cenas depois eu estava “me segura, meu homi!”.

Eu não posso transpor em palavras a fofura e o amor que eu senti lendo esse livro. Sem dúvidas um dos meus xodós desse ano. Não posso escrever muito, porque começaria a soltar spoilers e mais spoilers da lindeza que é. Quando acho que Chick Lit não pode chegar à beira da fofura, a Bianca vem e me joga um balde de “gatinhos fofinhos” invadindo minha “timeline”.

O universo está conspirando procê ler o livro, Lola tá conspirando, todos os mundos e universos paralelos também, então só colabora com o destino e vai atrás de ler esse livro, pois a experiência é pura mágica, é Como Se Fosse Magia!



PS: To vomitando mais arco-íris só em escrever essa resenha.

PS2: Bianca, pelamor do universo, escreve a série da Eva de verdade, quero conhecer Elena e Enzo e CIA 😉


site: http://www.apaixonadasporlivros.com.br/resenha-da-rami-como-se-fosse-magia-de-bianca-briones/
comentários(0)comente



Juliana 09/09/2016

[Resenha] Como se fosse magia- Bianca Briones
RESENHA:

Apesar de não ser um dos meus gêneros literários preferidos, o livro soube me encantar de uma forma que o fez se tornar por si só uma das histórias que guardarei na memória e, com toda certeza, voltarei a reler em algum momento. Como se fosse magia estava na minha lista de livros que eu queria comprar na Bienal do Livro (Que se encerrou no dia 04 de setembro de 2016) logo após ouvir sobre a história em um evento onde a autora comentou.

O livro conta a história de Eva, uma escritora que possui um diferencial que torna ela e todos os livros que escreve especiais, cativantes, realista e emocionantes. Para ela seus personagens existem em Universos paralelos (Título de sua série de livros de maior sucesso) e se apresentam a ela afim de terem suas histórias contadas e repassadas para o papel (o que na minha opinião a autora soube descrever a intensidade do relacionamento entre escritores e suas histórias, e o amor pelas palavras), o que a pôs na lista de autores Best-Sellers, tendo suas histórias traduzidas para diversos países. Porém, só ela e seu melhor amigo, Thiago, reconhece essa sua peculiaridade em todas as suas facetas e as aceita como um dom e não loucura. Mas nem sempre foi assim.

"Mas, para mim o choque é ainda maior porque ele é assustadoramente parecido com meu personagem."


Fã de carteirinha de Harry Potter, Eva teve que aprender a se aceitar da forma que é sem que a opinião das pessoas de fora a afete, prejudicando seu relacionamento com seus personagens, entretanto ela está com um grave problema: Não vê seus amigos do universo paralelo há um ano, o que significa que não escreve nada novo há 365 dias e o prazo para entregar o último livro que encerrará sua série cresce no ritmo em que seu desespero e do Thiago, seu melhor-mega forever amigo e agente literário, aumenta. Eva tenta de tudo, desde banhos relaxantes à luz de velas aromáticas até consultas com terapeutas, porém nada surte efeito. Ao sair para tomar café, em outra tentativa de se reconectar com seus personagens e buscar inspirações, eventos estranhos semelhantes aos que escreveu em um de seus livros, ao qual precisa finalizar, começa a acontecer e a noite chuvosa se encerra com a maior delas ao presenciar um assalto. O que Eva não esperava ao correr ao socorro da vítima era dar de cara com Enzo, protagonista e personagem preferido de seu livro. Ou estaria ela ficando louca de vez?

Enzo acorda sem sequer lembrar de seu nome ou de onde está, apenas que a mulher que o ajudou e o chamou de "Enzo" lhe parece familiar assim como a sensação de segurança que sente ao estar próximo dela. Eva não esconde o jogo para Enzo que, por alguma razão que ele desconhece, embora tenha relutado em acredita no início, não a julga por suas suspeitas. Tudo começa a se tornar mais confuso quando evidências que acusa Eva de estar certa surgem, apesar das chances de serem apenas coincidências, ambas pesam da mesma forma.

Juntos, Eva, Thiago e Enzo se comprometem a descobrir a verdade por trás do surgimento de Enzo, no passo em que Eva precisa encontrar uma maneira de descobrir se suas suspeitas sobre seu personagem têm a ver com o homem que desperta nela sentimentos dos quais pensou jamais viver em seus 30 anos de idade. Uma amizade fofa e leal começa a surgir entre os três.
Uma garota misteriosa, um personagem/homem desaparecido e sem memória e um bloqueio criativo que dura tempo demais sem motivo aparente que pode ligar os pontos a algo que Eva desconhece ou se nega a enxergar.

O livro é repleto de diálogos engraçados e divertidos, apesar do clima apreensivo sobre todo o mistério que acerca Eva e suas histórias, e os melhores acontecem entre Eva e seu melhor amigo Thiago e companheiro de vida, que embora a história não seja sobre ele, soube se destacar e encontrar uma forma de cativar o coração de quem souber de sua história de vida juntamente com sua personalidade engraçada e amável. Apesar de sempre estar do lado de Eva nos momentos difíceis e alegres, ambos se conheceram em um ponto de suas vidas em que o mundo (as pessoas) lhes viraram as costas apenas por não serem da maneira que o mundo julga normal, juntos escolheram que caminhos que os levou a dar a volta por cima.

"Como se fosse magia" foi um livro que eu estava mega ansiosa pelo lançamento que aconteceria (e que já aconteceu) na Bienal. Eu já sabia mais ou menos do que se trataria a história do que já havia sido comentado pela autora, e apesar de estar com bastante expectativa o livro em si soube ultrapassar todas. Não sou muito fã de Chick lit, mas se eu tivesse uma lista este com certeza estaria no topo.

" [...] Você é uma escritora. Não uma comum, daquelas que vemos aos montes por aí. Você é capaz de ver além do que vemos. você vai além das palavras. você tem o dom. É como se fosse magia. [...]"

Um dos aspectos que mais adorei foi a capa. Além de fofa, ela trás muitas informações que o leitor somente descobrirá ao ler a história e isso eu amo. Adoro quando tudo em um livro contribui para a história. Outra coisa que foi responsável pelas diversas marcações que fiz no livro (Kkk) foi as referencias de como é o processo de escrita de uma autora, todo seus envolvimentos com suas criações, e a sensação de quem escreve tem de que personagens não são apenas meras criações e sim pessoas que vivem em outros universos e se apresentam para seus escolhidos para que contem suas histórias para nós, meros seres mortais (Kkk). Gente, eu amei isso, sério. eu que amo escreve soube me identificar completamente sem me chamar louca. Eu senti a paixão que tenho pela escrita aflorar de uma maneira que eu soube perceber que aquilo que Eva estava fazendo sem perceber eu estava também.

A autora ainda preparou uma mega surpresa em uma das cenas dos livros que, quem adoras os outros livros dela vai pirar. Além de outra coisa que, na minha opinião eu adoro nos livros da Bianca é a profundidade que ela descreve os pensamentos e sentimentos dos personagens sem ser clichê, tornando-os quase reais em suas atividades diárias e dúvidas da vida que todos temos. Cada capítulo é iniciado com um trecho de música que dá ritmo ao capítulo (Músicas que, algumas, eu conheço e amo e só soube somar na minha opinião sobre a obra).

site: http://folheandosonhosblog.blogspot.com.br/2016/09/resenhas-como-se-fosse-magia-bianca.html#more
comentários(0)comente



Luana Moraes 10/09/2016

É magia.....
É magia.....

Bianca Briones "Você é uma escritora. Não uma comum, daquelas que vemos aos montes por aí. Você é capaz de ver além do que vemos. você vai além das palavras. você tem o dom. É como se fosse magia. ", entre todas as coisas que poderia escrever sobre a autora, prefiro fazer das palavras de Thiago- o melhor amigo de Eva-, as minhas para a minha autora favorita.

Eva nasceu com o dom das palavras, Eva não é apenas uma escritora, ela escreve com o coração e com os sentimentos e por isso conquistou milhares de leitores pelo mundo. Diferente de seus livros a personagem só consegue inspiração para seus projetos de quando tem seu coração partido por algum idiota, mas algo na formula magica, por assim dizer, parece finalmente ter dado errado.

Eva precisa escrever o último livro de sua saga de fantasia, porém está bloqueada, nenhuma palavra sai dela, e já faz um ano. Seu agente e melhor amigo Thiago não sabe o que fazer para quebrar o bloqueio.
"-Além de ser seu amigo, sou seu agente. Sempre que você sofre por amor, ganhamos um best-seller, e desde que você parou de namorar, a um ano, você não escreveu nada. Partiram seu coração e cadê meu livro? Entenda, não quero que sofra muito. Só o suficiente para o livro sair." - pág 9
Enquanto Eva está tentando se reconectar com seus personagens, o destino parece finalmente lhe dar uma mãozinha, ao presenciar um assalto, entre a emoção e a razão, ela decide ir até lá ajudar o rapaz, e para sua surpresa é Enzo, seu personagem, ou melhor é um rapaz parecido com seu personagem e ele está sem memoria, todas as pistas levam Eva a acreditar que de fato o rapaz bonito e sem memoria é seu Enzo, o personagem da sua série de fantasia.
"No meio de toda essa bagunça, uma certez me atinge como um raio: eu conheço essa mulher" - Pág 38
Eva avisa seu melhor amigo e agente Thiago sobre Enzo, e diferente de muitas pessoas, Thiago embarca com Eva na aventura de tentar descobrir quem ele é, e afinal será possível Enzo ter saido das páginas dos livros e ir atrás de sua escritora?

Bianca Briones vai mostrar que ás vezes a vida é como se fosse magia, algumas coisas não precisam de explicações, precisam apenas ser sentidas. Entre as páginas de Como se fosse magia, enquanto acompanhava Eva, eu enxergava a Bianca Briones, tanto na relação com seus leitores, quanto com seus amigos, seus gatos e seus personagens, foi magico estar na cabeça dessa escritora fantástica.

Em uma narrativa gostosa acompanhamos Eva, Enzo e Thiago, em uma divertida aventura. Bianca mesclou o drama com uma boa dose de diversão, por ser um check lit o livro está com uma pegada mais leve do que os outros livros da autora, mas a essência na escrita permanece a mesma.

O enredo está super gostoso e descontraído, flui fácil e tem um desfecho de encher os olhos e o coração de emoção e amor.

A playlist de Como se fosse magia me fez adicionar varias músicas no spotify, descobri músicas que gostei bastante e cada música se encaixa perfeitamente no capítulo e no contexto da história.
"Para que duas pessoas se encontrem, mundos inteiros são capazes de colidir" Pág 183

Como se fosse magia não é apenas um check lit, é uma livro que acrescenta e muito ao leitor, conseguimos descobrir um pouco mais do processo criativo de alguns autores e como bloqueio criativo é uma coisa infernal. E também fala sobre preconceito, como é difícil aceitar a si próprio quando todos os outros julgam e não aceitam quem você é, seja pela sua opção sexual ou por simplesmente ver a vida de um jeito diferente.

Bianca mais uma vez arrasou! Estou com saudades da Eva já.

Ps: Foi maravilhoso rever um personagem que amo tanto da série As Batidas Perdidas do Coração
comentários(0)comente



Talita 24/12/2017

Parece fanfic
É um livro raso e superficial, porem a escrita da autora é facil , por isso vc termina ele em um dia. Me lembrou fanfic bobas, isso porque existem aquelas bem escritas, mas nao é o caso desse.
comentários(0)comente



Thati 24/09/2016

Arrebatador!
Quando vi a capa do novo livro da Bianca Briones, pouco antes da Bienal, pensei: "AH MEU DEUS, QUE COISA LINDA. PRECISO DESSE LIVRO!", assim, em CAPS mesmo! Quem me conhece sabe que, apesar de eu não julgar um livro totalmente pela capa, aprecio um bom design. Voltei da Bienal com poucos livros por conta de uma coisinha absurdamente cara chamada excesso de bagagem, mas "Como se fosse magia" era um deles! No entanto, preciso confessar que estava vivendo uma terrível crise literária. Nenhum livro vinha me causando aquele frisson gostoso, sabe? Minhas leituras estavam, num geral, me causando certa decepção.

Decidi colocar todas as minhas expectativas em cima do novo livro da Bianca, o que sempre pode ser um risco danado. A história da Eva e do Enzo, entretanto, superou todas as minhas expectativas e me tirou dessa terrível crise que se instalou nos últimos tempos. Li "Como se fosse magia" de um dia para o outro. Não consegui sossegar até descobrir o desfecho dessa história encantadora. Então, quem quer saber mais um pouquinho sobre ela? Vamos lá...

Eva, assim como sua criadora, é uma escritora best seller de renome. Ela, entretanto, vem sofrendo um bloqueio difícil de driblar. Há cerca de um ano, quando seu último relacionamento extremamente abusivo chegou ao fim, ela não consegue escrever nada. Seus personagens já não a visitam com tanta frequência... Pois é, Eva consegue ver seus personagens e conversar com eles, como se fossem pessoas de carne e osso. Ela não é exatamente normal e, para mim, é exatamente isso que a torna única.

"Às vezes, tudo o que uma escritora quer é poder se esquecer de todas as suas histórias e mergulhar no universo criado por outro alguém."

Thiago, seu melhor amigo e agente, começa a ficar preocupado com os prazos. Eva precisa entregar para a editora o desfecho da sua série de fantasia em pouquíssimo tempo e não possui absolutamente nada para apresentar. Na tentativa de furar esse bloqueio, ela começa a reler suas histórias e a visitar a cafeteria onde costumava escrever. É num dia chuvoso, a caminho de casa, que ela presencia um assalto e vê um desconhecido caindo e batendo com a cabeça. Apesar de temerosa, ela se aproxima para ajudá-lo e... O homem é exatamente idêntico a Enzo, um de seus personagens.

"É estranho como as pessoas que precisam umas das outras eventualmente acabam se encontrando."

O homem acorda sem lembranças e Eva resolve chamar um uber e levá-lo até o hospital. Irritantemente, é nesse momento que a bateria de seu celular acaba. Eva então ajuda o desconhecido a caminhar até o seu apartamento, onde lhe empresta roupas secas e finalmente consegue um carro para acompanhá-lo até o hospital.

A hipótese de que Eva está completamente maluca é descartada quando Thiago encara o homem desmemoriado e concorda que ele é exatamente idêntico ao Enzo, personagem idealizado e criado pela amiga. A partir daí, Eva e Thiago ajudam Enzo a recuperar sua memória, enquanto também ajudam Eva a encontrar sua inspiração perdida. Enzo, é claro, é um perfeito galã, exatamente como seu personagem, e é difícil lidar com os sentimentos que começam a surgir...

"Às vezes, para que duas pessoas se encontrem, mundos inteiros são capazes de colidir."

Eu me senti completamente tragada pelo universo criado pela Bianca. Eva é uma personagem muito carismática e divertida, e Enzo é um galã de arrancar suspiros. Thiago é o responsável pelas expressões mais engraçadas, mas é também em torno dele que surge um dos temas mais tristes do livro: a homofobia e a intolerância. Fiquei encantada com a forma como a autora conseguiu dosar tantas emoções conflitantes ao longo das páginas e a sutileza de cada linha não passa despercebida.

Criei muitos desfechos para a trama na minha cabeça, mas nunca imaginei o que estava à minha espera. Fiquei muito feliz com a forma como a história foi conduzida e, principalmente, com a forma como tudo se encaixa e faz sentido no final. Se você é fã de chick-lits, precisa conhecer "Como se fosse magia". Sério!!! É leitura obrigatória!



site: http://www.nemteconto.org/single-post/2016/09/24/RESENHA-COMO-SE-FOSSE-MAGIA-BIANCA-BRIONES
comentários(0)comente



Taty Assis 19/10/2016

Que eu adoro a escrita da autora Bianca Briones não é segredo, então é claro que eu estava muito ansiosa para conhecer Como se Fosse Magia, e a ansiedade foi tanta que acabei devorando o livro em algumas horas.

Eva é uma escritora de sucesso, mas há um ano ela não consegue fazer com que as palavras fluam. Com o prazo acirrado para entregar a conclusão de uma série, ela precisa que sua inspiração e ligação com os seus personagens retornem. Sem ter muito o que fazer a respeito, a não ser esperar, ela decide reler seus livros, e é então que ela acaba sendo surpreendida com uma sucessão de fatos em sua vida praticamente idênticos com os que aconteceram com os personagens principais de sua série. Seria destino? Ou apenas um acaso?

Eva se apegou muito a um de seus protagonistas, e imaginem sua surpresa ao encontrar um homem muito parecido com ele em uma situação para lá de estranha e muito parecida com a que aconteceu quando o tal personagem “apareceu” no livro... Pois é, um pouco confuso e estranho, não?

Enzo depois de ser assaltado, acaba caindo e ao bater a cabeça, consequentemente, perde a memória. Eva ao presenciar o assalto e por ser a única pessoa presente no momento, acaba indo socorrê-lo. Como Enzo não se lembra de nada, Eva toma para si a “obrigação” de cuidar dele. E diante de nenhuma novidade sobre o passado dele, Eva acaba confidenciando que ela acredita que ele é o seu personagem. Como e o porquê ela não sabe, mas são tantas semelhanças que, sinceramente, parece pouco provável que a história de Enzo não tenha nada a ver com a do seu livro.

E é claro que inicialmente Enzo não acredita que tal coisa possa ser verdade, mas, após ler o livro de Eva e sentir que de alguma forma a conhece, ele e nós leitores passamos acreditar que tudo é possível, só basta acreditar e esperar a magia acontecer.
“Tem tanta verdade no que você escreveu em seu livro que a cada momento acredito mais que eu possa mesmo ter vindo de lá.”

E com o passar dos dias Eva e Enzo acabam se envolvendo ainda mais, mas como será quando Eva concluir a série? E se o passado do Enzo retornar, como eles vão lidar com a situação?

Gosto da forma que a Bianca Briones sempre aborda assuntos sérios, como o preconceito e problemas familiares, em seus livros. Gostei da pegada mais leve no romance e na intensidade dos personagens. A escrita da Bianca continua instigante, mas acabei sentindo falta de algo. A história é muito boa, mas acho que o final foi um pouquinho corrido, queria mais da Eva e do Enzo rs. O livro é narrado pelos dois, então a gente consegue sentir os sentimentos e medos deles. Gostei de ambos, mas um salve para o Thiago, melhor amigo da Eva.

Foi bonito ver a conexão entre Eva e Thiago e em como eles se defendem e se protegem. Eva apesar de ter tido problemas familiares por causa do seu dom de falar com seus personagens, ela não desistiu e não fingiu não ver eles. Ao me deparar com as “conversas” dela com os personagens confesso que achei muito estranho, sério rs, mas também fiquei me perguntando se isso acontece com a maioria dos autores. :P Acaba batendo aquela curiosidade sobre o processo criativo de um livro. Como os personagens surgem? Eles são inspirados em outras pessoas?...

Tantas perguntas, mas voltando aos personagens, gostei muito do Enzo, da forma que ele se entregou a Eva e ao que eles sentiam, de como ele defende as pessoas. Deu para sentir que ele é uma pessoa que se entrega de corpo e alma #muitoamorzinho. Só acho que o passado dele ficou um pouco vago, e por um lado até entendo porque o foco do livro é o presente e as circunstâncias que levaram Eva e Enzo a se conhecerem, mas acho que seria legal ter explorado um pouco mais.

Enfim, mesmo não tendo amado a história, recomendo o livro, principalmente para aqueles que estão em busca de um romance mais leve.... Leiam e sintam a magia acontecer.

site: http://www.aculpaedosleitores.com.br/2017/07/resenha-como-se-fosse-magia.html
comentários(0)comente



Leh Golz 04/01/2017

Mágico
Como se fosse magia é um lançamento da Editora Gutenberg, escrito por Bianca Briones, o seu primeiro chick-lit. Até esse livro, ainda não conhecia a escrita da autora e adorei tanto essa história encantadora e mágica, que com certeza vou continuar lendo os livros da Briones. Essa é minha dica de hoje.

O livro conta a história de Eva, uma escritora famosa que conquistou inúmeros fãs devido a suas histórias apaixonantes e inspiradoras. O que precisamos saber sobre Eva é que ela mora com seus dois gatos de estimação, nunca teve muita sorte no amor e tem um melhor amigo, Thiago, que cuida e a protege. Os momentos de sua vida refletem muito em sua escrita, e Eva passa por um bloqueio criativo, justamente quando precisa terminar o último livro de uma série de fantasia. Enquanto ela tenta buscar inspiração de alguma forma, um homem incrivelmente idêntico a um de seus protagonistas aparece e bagunça tudo. Enzo é o personagem a quem Eva criou inspirada em seu próprio homem dos sonhos, mas o desconhecido não se recorda quem é. Seria mesmo ele um personagem que saiu dos livros? Cenas em que ela descreveu em suas histórias começam a acontecer e ela fica cada dia mais confusa em responder a essa pergunta. Somente o tempo e, quem sabe o desfecho de sua série, resolveria esse mistério.

Os capítulos são intercalados entre Eva e Enzo, em uma narrativa simples, fluída e totalmente envolvente. Adorei a escrita leve de Briones, cheia de sentimentos, magia e diversão. Cada início de capítulo tem um trecho de uma música que se conecta de alguma forma com o mesmo. Ademais, algumas conversas entre os personagens são por meio de mensagens. Tudo isso rendeu uma leitura extremamente confortável. Sem contar que o nome do livro faz jus ao enredo.

Os personagens são encantadores. Gostei muito de como a autora criou Eva, uma escritora muito apaixonada pelo que faz, e até senti que tem muito da própria Briones nesse livro. Enzo não tem nada de surpreendente, mas também me agradou bastante. E Thiago, o melhor amigo de Eva, é um fofo! A autora criou esse personagem homossexual para chamar a atenção do leitor para o preconceito. O legal foi que o foco não esteve o tempo todo em Eva e Enzo, mas também nas angústias de Thiago e como ele encarra sua opção sexual. Os personagens, sem dúvida, são cativantes.

O que mais gostei no livro foi a criatividade. Que autora nunca escreveu um romance cujo mocinho era tudo o que ela sonhou para si própria? Adorei esse universo criado pela autora, onde a realidade e ficção se misturam na vida de Eva. O mais envolvente é o tom de mistério que permeia o livro, pois a cada página queremos descobrir porque coisas surreais começam a acontecer como, por exemplo, os personagens dos livros de Eva andando pela sala. Além disso, temos uma pitada de um romance fofo que vai nascer.

"É complicado lidar com os sentimentos. É difícil sentir tanto e não viver. E é uma missão quase impossível nos aceitar como somos". (p. 195)

Em linhas gerais, Como se fosse magia é um chick-lit reflexivo, romântico e levemente divertido. A obra passa algumas mensagens importantes. Não importa quanto tempo passe, duas pessoas destinadas uma a outra, irão se encontrar. Ele nos ensina também que não devemos apenas aceitar as pessoas como elas são, mas nos aceitar também como somos. Não foi a melhor leitura que fiz na vida, mas amei essa história mágica e recomendo para quem busca um livro leve e inspirador.

site: http://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2016/12/resenha-como-se-fosse-magia.html
comentários(0)comente



Estante da Rai 20/12/2016

Encantadoramente romântico
Despretensiosamente comecei a acompanhar a história de Eva, uma escritora best seller que está num bloqueio criativo há quase um ano. Os mundos inteiros que simplesmente surgiam diante dos seus olhos, não aparecem mais. Ela não ouve mais seu coração. Mas mesmo assim coisas estranhas acontecem, situações que se assemelham às descritas em suas histórias começam a acontecer com ela.

Então, voltando para casa de uma reunião com seus editores, ela é pega por uma tempestade e ao se proteger debaixo de um toldo na rua, Eva acaba testemunhando um crime. Bem na sua frente um homem é assaltado e agredido, cai no chão e desmaia. Ela sai da segurança do seu abrigo para ajudar o estranho, mas tem uma surpresa maior do que imaginava ao perceber que o homem é exatamente igual a Enzo, protagonista da sua série de fantasia inacabada (por quem ela tem uma queda). O homem acorda. Porém, ele está com amnésia.

Acostumada a ser protagonistas de coisas inexplicáveis, Eva começa a se questionar se ali, diante dos seus olhos, não seria mesmo Enzo, que por seu desejo (e desespero) de conseguir voltar a escrever, não teria saído do mundo ficcional para ajudá-la.

Resenha completa em \/

site: http://ilustrese.blogspot.com.br/2016/12/como-se-fosse-magia.html
comentários(0)comente



39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3