Lobo Por Lobo

Lobo Por Lobo Ryan Graudin




Resenhas - Lobo Por Lobo


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Ana Caroline 29/04/2018

Esperava um pouco mais.
Mesmo após 5 dias da leitura realizada, não sei definir meus sentimentos sobre Lobo por Lobo. Era uma obra que esperei bastante tempo para adquirir — me interessei desde o lançamento em 2016 — que concretizada, não foi algo ruim mas que também não se encaixa como excelente. A autora tem mais o que dar e explorar.

O mundo é outro: a Segunda Guerra Mundial foi vencida pelo Eixo, Alemanha e Japão estão no poder. Para comemorar a Grande Vitória, anualmente se realiza uma corrida de moto através das antigas Europa e Ásia denominada Tour do Eixo. Essa corrida garante ao vencedor dinheiro, prestígio e o direito de estar perto de Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael, uma adolescente que fugiu do campo de concentração, faz parte da resistência e participará da Tour do Eixo com função de ganhar e chegar perto do líder alemão. Seu objetivo: matá-lo e por fim a essa liderança "ruim". No entanto, percalços no caminho irão aparecer, e seu "poder" especial a torna única peça possível para esta missão. Será capaz de Yael permanecer firme no seu propósito? Quais percalços irão surgir?!

Sabe aquele enredo que nunca passou pela cabeça, entretanto quando lido ou imaginado se pergunta como não tinha pensado nesta suposição antes?! É o que ocorre em Lobo por Lobo. Todo o desenvolvimento é algo inédito que passa ao mesmo tempo a sensação de elementos conhecidos — a 2° Guerra Mundial foi realidade, o fato do Hitler existir e os contexto envolvido nesse capítulo histórico. Ryan Graudin utilizou isso como base de fantasia de forma genial.

Fiquei completamente fascinada pela trama que desenvolve-se, de como é inserida a ambientação sutil e peculiar — sua escrita beira a uma poética — onde o enfoque é sentirmos as emoções da Yael. A narrativa do exemplar é pelo seu ponto de vista, o que em diversos momentos nos deixarão em dúvida e questionando atitudes de outros personagens que pela visão limitada dela não temos conhecimento. Foi um bom recurso que nos deixa "no escuro" em algumas cenas, que tornou-se um pouco ruim quando a ansiedade em entender outras coisas aparecia.

"Havia cinco motivos por que Yael não podia fazer aquilo. Cinco motivos por que se levantou (seus pés estavam muito mais firmes agora). Cinco motivos por que disse, começando a montar a sua barraca: — Posso dar um jeito no resto sozinha. Havia cinco motivos, e eles eram mais importantes." pág. 136

Não considero um livro arrastado, porém não enquadro como ágil também. As situações demoram a serem agitadas, as viradas dinâmicas são em poucas quantidades porque aparentemente é volume de introdução — o que talvez explique minha percepção de algo faltando. Temos um grande aprofundamento da vida de Yael com passagens pontuais no passado, descobrindo quem representa seus lobos tatuados, algumas lacunas do que aconteceu até chegar o caminho que está entre outros. É muita informação no sentido de montar o quebra-cabeça "quem é a protagonista?!" contudo, por mais que tivesse uma carga alta desses componentes não consegui sentir empatia por ela. Novamente digo: algo passou despercebido.

Acho que o maior ponto positivo e o que me faz querer continuar a duologia, é o ritmo acelerado das contexto final que ficou em falta no restante. Toda a demora para chegar ao ponto principal da trama foi suprimido pelo tanto de reviravoltas nos capítulos finais, o que deixa aquele gosto de quero mais, e até mesmo a última frase que deixa uma alta carga de tensão para o próximo — aos apressadinhos ou antecipados não leiam a última página! A parte fantástica não deixa a desejar. Não era algo que cheguei a presumir, o que na minha opinião é ótimo e deixa o tom de mistério bacana.

De uma forma geral Lobo por Lobo tem uma ideia de mundo criativa, ótima de ser explorada e detalhada, ainda assim neste volume não mostrou seu potencial — tanto de articulação da ambientação quanto de escrita — pois vejo que a autora tem elogios não só no Brasil como no exterior. Possa ser que tenha criado grandes expectativas e acabei esperando além do que o exemplar poderia dar. O bom é que se tem um sucessor para consertar e colocar nos eixos aquilo que ansiava.

Na parte física, a capa é o primeiro chamariz. Ligada diretamente ao conteúdo — assim como o título — teve-se um encaixe perfeito com o esperado. Acho a capa nacional bonita e superior da original, então com relação a edição só existe acertos. A diagramação tem detalhes especiais, principalmente por causa da narrativa dividida em passado e presente, e na revisão nenhum erro ortográfico ou de concordância. Como falado anteriormente: narrativa feita pelo ponto de vista da protagonista em terceira pessoa.

"— Quero lobos. — O animal que carregava a valquíria Gunnr para a batalha. Criaturas feitas de liberdade e ferocidade. Que eram capazes de sobreviver sozinhos, mas uivavam, sempre uivavam, por sua matilha." pág. 329

Sangue por Sangue, a continuação e finalização, está nas minhas metas por agora, então teremos minha opinião final sobre valer a pena ler a duologia ou não rapidamente — torço profundamente que a resposta seja sim! Espero que tenham gostado.

site: http://diariasleituras.blogspot.com.br/2018/04/lobo-por-lobo-ryan-graudin-seguinte-wolf-by-wolf.html
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 25/04/2018

Originalmente postada em http://www.oquetemnanossaestante.com.br/
Um dos períodos da humanidade é a Segunda Guerra Mundial. Milhões de vidas perdidas só porque um cara achou que sua “raça” era superior que as outras. Alguns historiadores e escritores levantam a pergunta “E se Hitler tivesse ganhado a Segunda Guerra Mundial?”. É nesse cenário tenso e imaginário que Ryan Graudin decidiu escrever a história de Lobo Por Lobo.

Yael é uma das milhares de judias que foi levada para o campo de concentração. Lá, ela foi cobaia de experimentos médicos e adquiriu o poder de parecer a pessoa que quiser. E é utilizando desse poder que ela vai concorrer na Tour do Eixo, no lugar de Adele Wolfe.

A Tour do Eixo é uma corrida de motocicleta comemorativa da vitória da Segunda Guerra Mundial. Adele Wolfe foi a única mulher a participar, ganhar e ainda chegar perto o suficiente do Führer. Então, tudo que Yael ser Adele tem que fazer é ganhar a corrida novamente e matá-lo durante a dança da vitória. Tudo isso seria fácil se Luka Lowe e Felix Wolfe, pessoas importantes da vida de Adele, não descem as caras durante a corrida.

Lobo Por Lobo era um livro que estava na lista de leitura tem um tempinho. Quando chegou em minhas mãos, devorei como se não houvesse amanhã. Um dos pontos fortes da história é justamente o contexto histórico envolvido. Ryan conseguiu transpor nas páginas como seria o mundo caso Hitler tivesse ganhado a Segunda Guerra Mundial. Raramente eu leio as notas dos autores, mas nesse caso eu li a da Ryan e ela conta como foi todo o processo de criação desse mundo tenebroso, baseando-se no que se sabe na história.

Yael virou uma mocinha favorita para toda a vida. Dizer que ela é determinada é pouco. Yael sabe qual é a sua missão e não deixa se distrair e perder o foco. Ela está disposta a fazer tudo para cumprir sua missão. Quer dizer, de quase tudo. Apesar de tudo que aconteceu na sua vida, do campo de concentração a ser treinada pelos rebeldes, ela ainda tem um senso de moral enorme, o que gera alguns questionamentos internos.

Os personagens secundários são de grande importância, tanto na história quanto na vida de Yael. Ao longo da história, somos apresentados a cinco pessoas que marcaram de alguma forma sua vida e foram responsáveis pelo molde de seu caráter. Os outros personagens são caracterizados pelos participantes da Tour, com destaque para Luka e Felix. Ambos conhecem Adele profundamente e isso se torna uma ameaça na missão de Yael. Tudo que ela sabe de Adele é o que a mídia sabe, porém com os dois garotos, existem mais segredos do que ela pode imaginar.

De início eu achei que a história poderia ser um pouco maçante pelo motivos de narrar a corrida, mas ledo engano. Lobo Por Lobo é narrado em terceira pessoa, focando em Yael durante a Tour e deixando você com o coração na mão pela vida da garota. A escrita da Ryan é bem fluída e um tanto poética em certos momentos, principalmente quando focava em Yael, seus sentimentos e dúvidas.

O livro tem um pouco menos de 400 páginas, mas muito bem trabalhadas e eu fiquei bem de cara com isso. Se formos ver, a história tem uma carga bem pesada e poderia ter ficado a desejar; o que não aconteceu aqui. A cada página virada, eu me via mais envolvida em Yael, sua missão, corrida, vida… E quando menos espero, rola um baita plot twist no final que me deixou super estirada da BR. Fechei o livro querendo proteger Yael de todos os males desse mundo e super sedenta por Sangue por Sangue.

Leia mais resenhas em http://www.oquetemnanossaestante.com.br/

site: http://www.oquetemnanossaestante.com.br/2018/04/lobo-por-lobo-resenha-literaria.html
comentários(0)comente



steph (@devaneiosdepapel) 11/04/2018

Lobo Por Lobo
Imagine um mundo em que Hitler venceu a guerra. Um mundo dominado pelo autoritarismo, violência e punição como forma de controlar a população, onde apenas uma parcela das pessoas é considerada digna. É nesse cenário que Lobo por Lobo inicia sua história e nos traz uma visão sobre a Segunda Guerra Mundial ainda mais sombria e devastadora, acompanhada de uma jornada de uma garota em busca de vingança.

Acompanhamos a história de Yael, uma jovem judia que desde pequena foi escolhida para participar de diversas experiências em laboratórios alemães. Essas experiências deram à Yael uma certa habilidade que irá capacitá-la para cumprir a missão de sua vida: assassinar Hitler. Para tanto, ela precisará competir em uma corrida de motocicletas que irá criar a oportunidade ideal para Yael alcançar seu objetivo.

Lobo por Lobo é um livro um pouco difícil de encaixar em um único gênero. Ele pode ser compreendido como ficção histórica, já que usa um fato histórico como base para o enredo, porém há muitos indícios de ficção científica, que é abordada quando Ryan Graudin nos mostra as experiências feitas pelo governo alemão. Junte isso a aventura e ação e temos uma obra que transborda originalidade, e não se perde mesmo em meio a tantos acontecimentos.

Mesmo com diversos elementos compondo Lobo por Lobo, Ryan prefere focar mais no evento da corrida do que na construção de mundo. Temos uma boa base para nos situar nesta Alemanha dos anos 50, e é possível perceber a opressão do governo sobre a população. Há a menção de campos de trabalho forçado, mas pouco se fala sobre o racismo e o preconceito contra judeus. Tudo fica um pouco subentendido neste sentido. Senti falta de mais exploração a respeito da sociedade. Os diálogos soam bastante atuais, como qualquer outro livro de YA, então talvez se a ambientação tivesse sido melhor elaborada, seria mais fácil enxergar os personagens como pessoas daquela época.

Em relação aos personagens, são muito bem construídos; ninguém é caricato ou unidimensional. Yael foi minha favorita, mas também simpatizei com Felix, Vlad e Babushka. Os personagens com quem Yael tem uma proximidade maior foram todos muito bem trabalhados; por meio de seus flashbacks foi possível sentir tudo o que a protagonista vivenciou com eles.

Sobre a corrida em si, acho que é melhor não comentar muito para não entregar nenhum spoiler. O que posso dizer é que mesmo nos momentos mais críticos, o ritmo da leitura não é tão frenético, e isso foi um ponto negativo pra mim já que me fez demorar bastante para ler.

As reviravoltas finais são bem legais e fazem a história valer a pena. Portanto, mesmo com os defeitos que identifiquei, vou ler a continuação e espero que a experiência consiga superar a que tive com este primeiro volume!

site: http://www.dear-book.net/2017/12/resenha-lobo-por-lobo-ryan-graudin.html
comentários(0)comente



Amanda Campanha 01/02/2018

[Resenha] Lobo por Lobo, Ryan Graudin
Em uma realidade completamente diferente da nossa, onde o Eixo saiu vitorioso na Segunda Guerra Mundial e a Alemanha, comandada por Hitler, e o Japão dominam o mundo.

Para celebrar a Grande Vitória, eles criaram o Tour do Eixo, uma corrida de motos pela Europa e Ásia, onde o vencedor ganha fama, dinheiro e um encontro com Adolf Hitler em pessoa durante o Baile da Vitória.

Nesse cenário, Yael faz parte da resistência e recebeu a missão de se infiltrar na Tour do Eixo, ganhar a corrida e matar Hitler.

O livro começa bem lento, sem a gente entender muito o que está acontecendo, porém quando tudo se encaixa e o grande segredo de Yael é revelado, a leitura embala e o livro fica realmente bom.

Aos poucos nós vamos entendendo melhor quem Yael é, seus motivos para estar na resistência e o porque de tanta fúria. Isso acaba gerando uma enorme curiosidade no leitor, já que durante a corrida Yael tem que lidar com o irmão e o suposto namorado da garota que é seu disfarce.

Tal mistério não é resolvido no primeiro livro, mas o segundo já foi lançado no Brasil e recebeu o nome de Sangue por Sangue, em breve teremos resenha dele aqui!

site: http://www.marshmallowcomcafe.life/
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 16/11/2017

Lobo por Lobo, da autora Ryan Graudin e lançado no Brasil pela Editora Seguinte (que cedeu um exemplar para resenha), fala sobre o quanto o sofrimento e a perda podem nos tornar forte o suficiente para mudar o mundo.

Para começo de conversa, Lobo por Lobo se passa em uma realidade em que Adolf Hitler venceu a Segunda Guerra Mundial, e inúmeros outros fatos que não aconteceram na nossa realidade, contribuíram para que a guerra fosse vencida. A construção da história, envolvendo acontecimentos históricos, a construção deles e da época em que os personagens vivem, é realmente muito boa. O mundo inteiro ainda não está dominado pelos nazistas, mas essa é uma possibilidade que para eles cresce a todo instante. Contra a opressão de Hitler, há a resistência, se escondendo nos submundos da Alemanha e do mundo para tentar deter o Führer.

"O vento lançava gelo cortante contra suas bochechas. Seu rosto estava dormente de tão gelado, mas os lobos queimavam sob sua pele. Segredos uivantes. Coisas ocultas que qualquer um poderia ouvir se chegasse perto demais. Felix e Luka... eles tinham ouvidos atentos. Yael não podia permitir que escutassem."

No meio disso tudo, e aguardando um papel chave que poderá modificar sua própria realidade e a de milhares de pessoas, há Yael. Yael é uma jovem que quando criança foi mandada em um trem com sua mãe para servir nos campos de concentração, mas por algum motivo que ela desconhece, foi escolhida por um médico para passar por experiências químicas, ou seja, uma cobaia. Sem o médico perceber, Yael adquire certas habilidades que a auxiliam a fugir daquele lugar horrível, sobreviver e mais tarde, se juntar à resistência.

A escrita da autora é envolvente e desperta a curiosidade e a vontade de continuar lendo. É muito fluída, quase poética. Isso nos faz sentir na pele de Yael muitas vezes, percebendo profundamente seu sofrimento e compreendendo seus atos e pontos de vista. Ela é uma protagonista excelente, forte e inteligente, que luta pelo que acredita e quer lutar ainda mais, ela quer salvar o mundo daquele homem que a fez passar por todas aquelas coisas ruins na vida. Para mim, é impossível não gostar da personagem, ela sempre tenta fazer o melhor avaliando a situação e se mantendo forte, não pensa somente em si mesma, mas também não é “boazinha”.

"Às vezes não restava nada para o luto alimentar. Yael era uma tela em branco. Um cabide com uma pele bonita pendurada nele. Quem é você? (Por dentro?) A resposta para aquela pergunta era algo por que ela precisava lutar. Seu reflexo não era reflexo nenhum. Era um espelho estilhaçado. Algo cujas peças precisava juntar, várias e várias vezes. Memória por memória. Perda por perda. Lobo por lobo."

Para tentar por em prática seu plano de salvar o mundo, Yael precisa participar de uma corrida de motocicletas que acontece todos os anos e cruza os domínios de Hitler e de seus aliados. Não é algo fácil, ou simples, e ela realmente precisa se preparar e saber o que está fazendo. A parte técnica é fácil para Yael, ela apenas não esperava se deparar com a parte complicada que envolve antigos participantes e uma história que ela pode encenar, mas não conhecer.

Os detalhes da corrida, dos lugares e dos personagens são muito bem descritos. Quase senti areia na boca conforme Yael passava de moto pelo deserto. E os personagens secundários têm presença forte e participações que fazem, realmente, parte do livro e contribuem para os acontecimentos e para as ações de Yael. Quer dizer, não importa se o personagem deveria ser um imbecil, a autora faz você se importar com ele de alguma forma.

Quanto à edição, a desse livro é lindíssima, não poderia imaginar uma capa melhor. Perto da original, a brasileira dá de dez a zero. A fonte é boa e facilita uma leitura rápida e fluída, as páginas são amareladas o que todo mundo adora (há). O livro tem 357 páginas, e a leitura é rapidinha porque a construção da narrativa é muito, muito boa. Querendo ou não, você fica ansiando pelo próximo volume para saber o que vai acontecer à Yael e ao mundo da realidade dela.

E aí, você também se interessa por histórias da Segunda Guerra ou realidades alternativas?

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2017/11/resenha-lobo-por-lobo.html
comentários(0)comente



Nessa Januth 07/10/2017

A história se passa em 1956 intercalando com 12 anos antes quando Yael foi retirada de sua mãe e feita de cobaia, e explicar o significado dos lobos que ela tem tatuados, que foram a motivação para sua missão secreta: matar o Hitler em rede nacional quando vencer a corrida. Uma judia que adquiriu através de um experimento, a habilidade de se tornar outra pessoa. E isso será sua arma secreta.
A intenção da menina porém era um tanto ousada e arriscada. Ela planejava assumir a forma da campeã de corrida de forma que se ganhar possa se aproximar de Hitler e matá-lo.
Sim, nessa história ele está vivo e venceu a guerra, ela precisa que todos o vejam ser derrotado para que ninguém mais assuma seu lugar e para que consiga acabar com ele de uma vez por todas.
Uma corrida cheia de trapaças onde tem como único aliado o irmão. Ela precisa ultrapassar suas limitações e fazer com jus aos seus anos de treinamento.
O livro deixa algumas pontas soltas do tipo: e agora? Que acredito que serão melhor amarradas em sua continuação "sangue por sangue".
Se você curte uma distopia, acredito que vá gostar bem mais que eu, que enrolei 3 meses para finalizar essa distopia.
Outro livro da autora gostei bem mais. A cidade murada.
comentários(0)comente



Ana @aspaceforbooks 14/09/2017

Vença a corrida
ou morra tentando.

Alemanha e Japão estão no comando, o Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, em comemoração, a cada ano é organizado uma corrida de motocicleta pelos países. Onde o vencedor "além de fama e dinheiro, ganha um encontro com Adolf Hitler" e isso é o mais perto que se pode chegar dele sem suspeitas.

E é exatamente desse momento que nossa protagonista, Yael, precisa para realizar a sua missão. Vidas dependem do resultado.

Se transformar em outra pessoa
Ganhar a corrida
Matar Hitler

Yael é uma personagem tão verdadeira e forte que é impossível não torcer para que no fim tudo ocorra bem. Passou por inúmeros procedimentos involuntários e perdeu as pessoas que mais importavam para ela. Cinco lobos. Lembretes.

Lobo por lobo é um livro que pode não agradar todo mundo, o começo é um pouco lento e confuso. Leva um tempo para você se situar na história, mas vale a pena.

Em alguns capítulos somos levados ao passado, conhecemos mais sobre a vida de Yael, suas perdas e como ela se tornou o que é. Tudo é bem descrito e desenvolvido pela autora.

Os personagens secundários, outros competidores da corrida também são cativantes e irão fazer de tudo para ganhar. Vencedores que pretendem ganhar a cruz dupla e torna-se parte da história.

Durante a maior parte do livro, Ryan Graudin nos mantém curiosos e aflitos para o tão esperado momento final, o que torna uma leitura viciante e que chama sua atenção.

O "plot twist" final desse livro é maravilhoso e deixa a ponta certa para que você deseje ler a continuação o mais rápido possível. Estou bastante curiosa para saber como tudo vai terminar.

Sem dúvida uma leitura rica em detalhes e em seu desenvolvimento. Original e instigante.

O mundo não estava apenas se movendo. Estava vivo.
E pronto para lutar.


site: https://www.instagram.com/aspaceforbooks/
comentários(0)comente



Kari 10/09/2017

O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial e o mundo é comandado pela Alemanha e pelo Japão. A trama é narrada e em terceira pessoa e tem como protagonista Yael, uma garotinha judia de seis anos de idade que foi escolhida no campo de concentração pelo dr. Geyer, para ser uma de suas cobaias no ano de 1944. Os anos passam e Yael torna-se membro da Resistência, um grupo que luta com unhas e dentes para deter o avanço do Eixo.

"Ele devolvia a prancheta para a enfermeira, rolava o banquinho até a mesinha prateada onde as agulhas ficavam organizadas em fileira. Dentes de prata, querendo enfiar veneno na pele de Yael. Enchê-la de mais dois dias de ardor e agonia. Mudá-la de dentro para fora. Tirar todas as cores, os sentimentos e a humanidade de dentro dela. Drenar, drenar, drenar, até não sobrar nada. Só o fantasma de uma menina. Uma casca oca. Progresso". (p. 16)


Yael não é uma simples mulher e sim uma metamorfa que tem a habilidade de assumir a identidade de qualquer pessoa. Por conta disso, seu papel é muito importante dentro da Resistência e quando surge a oportunidade de eliminar de uma vez Hitler, ela é convocada para a missão. O Tour do Eixo é uma grande prova de rally com vários concorrentes em busca da fama. No ano anterior, uma mulher ganhou e como “prêmio” terá a honra de dançar com Hitler durante o grande baile. Não seria incrível assassinar o líder do Eixo diante de milhares de testemunhas?

A missão de Yael é simples: assumir a identidade da ganhadora e se aproximar de Hitler. Mas logo fica claro que não existe nada de fácil na missão e Yael, junto com outros aliados, irão ter que lutar apenas para sobreviver.

"Porque o dia seguinte era o começo do fim. Ela correria da Germânia até Tóquio. Venceria o Tour do Eixo e seria convidada para o Baile da Vitória. Mataria o Führer e, consequentemente, o Terceiro Reich. Estava disposta a atravessar o mundo para mudá-lo. Ou a morrer tentando". (p. 36)

Com um enredo diferente, “Lobo por Lobo” é sem dúvida um livro espetacular que inicia uma série que tem tudo para dar certo. Pegar um tema tão polêmico e trabalhar do desfecho alternativo é simplesmente genial, pois mescla ficção com um fato histórico inesquecível.

site: http://www.livrosechocolatequente.com.br/
comentários(0)comente



Eu Pratico Livroterapia 06/07/2017

Lobo Por Lobo
Em Lobo por Lobo, vemos um possível futuro para o nosso mundo. Como seria se os Nazistas tivessem ganhado a guerra?

Yael é judia. Quando era criança, ela e sua mãe foram levadas a um campo de concentração e acabou sendo escolhida para participar de um experimento. Ela ficava com a mãe e outras mulheres, que vivam em péssimas condições.

A garota foi a primeira sobrevivente ao experimento. Porém, teve um grande efeito colateral. Ela perdeu as suas características e assumiu as características de uma ariana pura. Mais não foi apenas isso. Yael também podia mudar de aparência para a de qualquer outra pessoa, mas esse era o seu segredo.

Agora, 1956, ela se juntou a resistência, que é um grupo que tenta armar operações contra Hitler, com o objetivo de pôr um fim as maldades, aniquilando a pior delas. Quem comandava o grupo era Henryka, que a tratava como sua filha e o comandante do exército nacional-socialista, Reiniger. E eles já possuem um plano.

O mundo era comandado, além do Terceiro Reich, que eram os nazistas, também havia o Império Japonês. Todos os anos eles organizam uma corrida chamada Tour dos Eixos. Alguns adolescentes participavam, sendo eles da Juventude Hitlerista e da Grande Associação de Sinceridade Japonesa.
Até o ano anterior, era uma corrida apenas masculina. Porém, tudo mudou quando uma garota se passou por seu irmão e ganhou a corrida. Seu nome era Adele Wolfe. Durante o Baile da Vitória, dedicado ao ganhador, é o único momento que Hitler aparece e ele dançou com a garota.

O objetivo da missão é Yael se passar por Adele, na corrida desse ano, em busca da segunda vitória, que ainda não foi conquistada por ninguém. Ela deve ganhar a corrida para ter a oportunidade de dançar com Hitler no baile e mata-lo.

O que ela não imagina, é que o irmão de Adele, Felix, vai participar da corrida assim como Luke Lowë, que também está em busca da segunda medalha. Existe muitos segredos entre eles e a verdadeira Adele. Será que ela vai conseguir despista-los e ganhar a corrida?
"Era uma vez, em outra época, uma garota que vivia no reino da morte. Lobos uivavam em seu braço. Uma matilha inteira - feita de tinta e dor, memória e perda. Era a única coisa nela que sempre continuava igual.
Sua história começa num trem."
Já havia ouvido alguns comentários negativos sobre Lobo por Lobo, porém ainda assim senti vontade de lê-lo. E foi a minha maior surpresa. Me surpreendi com a história e já se tornou um favorito com toda a certeza.

Achei muito interessante ler um livro que tem um mundo comandado pelos nazistas, apresentando um possível futuro, caso eles tivessem ganhado a guerra. Achei tudo muito bem elaborado, incluindo a explicação do que aconteceu na guerra e de como está hoje. Pessoas sendo selecionadas, judeus sendo levados para campos de concentração e trabalhando até não aguentarem mais, pessoas não podendo andar a noite por conta do toque de recolher e sendo proibidas de fazerem algumas coisas.

Sobre os personagens, eu adorei Yael. Ela passa por muita coisa, incluindo o experimento doloroso por receber agulhas diárias em sua pele e pela perda de pessoas no qual ela se apegou. E vamos acompanhando o seu presente, mas voltando em seu passado, fazendo tudo se encaixar. Ela se torna alguém muito forte, sempre tentando lembrar das suas origens e de quem ela é. Uma forma de fazer isso, foi tatuando cinco lobos, cada um para uma pessoa importante na sua vida. E ela tatuou em cima dos números que Yael recebeu quando criança ao chegar ao campo de concentração: 121358ΔX. Foi uma personagem muito fácil de se apegar. Eu torcia por ela, sofria em determinadas situações e passei a entender o seu jeito e suas atitudes.

Felix também foi um personagem importante para a história e eu senti amor e ódio por ele. Ele apenas queria ajudar sua irmã e leva-la para casa em segurança, porém foi irritante em algumas situações. Assumo que fiquei com pena dele em alguns momentos, por causa das escolhas de Yael enquanto estava disfarçada de Adele.

Luke é outro personagem que eu tive uma relação de amor e ódio. Na maior parte do tempo ele é insuportável, mas com o passar da história eu passei a entende-lo, quando algumas coisas são contadas.

Conhecemos alguns outros personagens como Henryka e Reiniger, porém eles estão presentes apenas no início da história ou quando volta para o passado. Henryka sempre se mostrando uma mãe-coruja, como a Yael define, e Reiniger sendo um homem duro, sempre planejando estratégias e esperando o dia certo para começar uma operação. Outros personagens importantes também aparecem no passado da garota, porém não entrarei em detalhes.

O final do livro foi totalmente inesperado e assumo que puxei alguns fios do meu cabelo de tão nervosa. Não esperava por aquele final e estou bem ansiosa para a continuação, Sangue por Sangue, que vai lançar no dia 08 de julho. Preciso muito saber o que acontece depois.

A Ryan Graudin soube escrever muito bem o livro. Não deixou pontas soltas no mundo que ela criou e desenvolveu bem os personagens. Além disso, a diagramação está impecável. A capa está maravilhosa, as folhas são amarelas, com espaçamento e fonte ótima.

De uma forma geral, Lobo por Lobo é um livro incrível. Me surpreendeu e superou minhas expectativas. Eu viciei na história e já estou sentindo falta. Não consegui soltar o livro até finaliza-lo. Recomendo demais e já se tornou um favoritado.


site: http://www.eupraticolivroterapia.com.br/2017/07/lobo-por-lobo-ryan-graudin.html
comentários(0)comente



Cris 16/06/2017

E se...
“Ela não lembrava.
Ela não lembrava.
Que tipo de pessoa esquece o próprio rosto?” Pág. 49

E se a Alemanha Nazista de Hitler tivesse ganhado a Segunda Guerra Mundial? Quem nunca imaginou como seria?

Partindo desta hipótese, somos apresentados a Yael, uma jovem fugitiva de um campo de concentração numa época em que a Alemanha e Japão são os soberanos sobre o resto do mundo e Hitler governa.

Para celebrar a vitória dos países do Eixo, todos os anos acontece o Tour do Eixo, que é uma corrida de motocicleta através da Europa e Ásia. O vencedor, além do prêmio ganha um encontro com Adolph Hitler durante o Baile da Vitória.

Yael consegue se infiltrar para participar desta corrida e planeja matar o temível Hitler no final se ela conseguir vencer.

Eu adoro histórias sobre a Segunda Guerra, mesmo as que sejam ficção, e eu fiquei muito curiosa quando vi a sinopse desta história, um mundo em que Hitler venceu? Que terrível.

Eu gostei bastante da competição, gostei da protagonista e adorei a forma como a autora escreve. O livro é super rápido de ler e tem uma escrita bem poética.

Porém, o livro tem alguns elementos mágicos que eu achei meio mal explicados e foi meio difícil de aceitar no meio dessa história toda...

Mas eu gostei muito, recomendo o livro e terminei muito curiosa pra ler a sequência.

“Ela era a predadora daquela vez. Não a presa.
Nunca mais.” Pág. 72


site: http://instagram.com/li_numlivro
comentários(0)comente



Nikolle - Paradise Books 09/06/2017

Em Lobo por Lobo, somos apresentado a um mundo onde o Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, ou seja, quem comanda agora é a Alemanha e o Japão, que dividiram as terras conquistadas, escravizaram os que não eram arianos, e assinaram um tratado de paz entre os países que decidiram não se juntar, ou ir contra Hitler.

Neste mundo regido pelo poder nazista, vamos conhecer Yael, uma Judia que sofreu o inimaginável nos campos de concentração, mas que conseguiu fugir, levando consigo todo o tormento que suportou ali por tanto tempo. E depois de anos sobrevivendo sozinha, ela encontrou um propósito em sua vida, Yael se juntou a resistência, e estava comprometida na missão de matar Hitler e acabar com este regime criado por ele.

Mas não será tão simples. Para ter sucesso nesta tarefa, Yael terá que entrar na grande corrida de motocicletas, O Tour do Eixo, onde o vencedor ganha um encontro com o grande Hitler, que depois de atentados à sua vida, apenas aparece em público neste evento. O porém da história, é que Yael não irá competir com seu nome, ela entrará na corrida, como a perfeita Adele, que foi a primeira menina a participar e ganhar o Tour do Eixo. E isso só será possível graças a habilidade que Yael adquiriu, ao passar por experiências dolorosas quando era criança, nos campos de concentração. Ela pode ser qualquer pessoa, trocar a cor de sua pele, cabelo, tamanho e simplesmente ter uma nova identidade. Portanto, teriam que raptar Adele, e assim Yael tomaria seu lugar na corrida.

Contudo, os primeiros passos para a resistência ter sua grande aliada, Yael, vitoriosa, eles a treinaram e deram todas as informações que ela precisaria para pensar/ser Adele, durante a Tour. Mas ela não esperava que poderia ter complicações com dois concorrentes, que tinham uma ligação com Adele, que Yael não tinha conhecimento. Assim, vamos acompanhar a personagem principal em seu disfarce durante a corrida, tentado a todo custo representar o papel da outra corredora e ganhar o Tour, para finalmente atingir seu objetivo. Ela terá obstáculos, irá enfrentar milhares decisões, mas sempre vai ter na mente as pessoas que a ajudaram chegar até ali, e que todo o seu desempenho e sucesso, significaria esperança para todos.
comentários(0)comente



Mari - Pequenos Retalhos 23/05/2017

Lobo Por Lobo
Lobo Por Lobo é uma história também de como uma guerra muda as pessoas. O império germânico é uma ditadura onde as mulheres servem apenas para dar à luz a bebês arianos, que deverão seguir os passos de seus pais. Outros países, como os Estados Unidos, preferem não intervir nas atrocidades, pois já perderam a guerra e foram obrigados a assinar tratados de paz.

A personagem de Yael é complexa. Ela sofre por não saber quem é, já que não se parece com si mesma há muito tempo. É como se o campo de concentração tivesse roubado sua essência. Os demais personagens, como Luka e Felix, também são bem definidos e tem importância na história.

O final contém uma reviravolta que eu confesso já tinha meio que adivinhado. Eu tenho uma teoria forte para os próximos livros, mas não posso compartilhar aqui com vocês, pois envolve diretamente a reviravolta do final.

Leia a resenha completa no blog Pequenos Retalhos!
comentários(0)comente



Luana 25/04/2017

Preciso da continuação na minha mesa AGORA!
E se o Eixo tivesse ganho a 2ª Guerra Mundial? Se o Japão nunca tivesse invadido Pearl Harbor e, consequentemente, os Estados Unidos nunca tivesse entrado na guerra? E se Hitler tivesse dominado a Inglaterra e a Rússia? Devemos concordar que nada de bom sairia disso, certo? E a partir desses ''E Se?" que a escritora criou Lobo por Lobo.
Lobo por Lobo é no mínimo curioso, a personagem principal Yael, é determinada, forte e ao mesmo tempo confusa, lutando por um mundo justo para todos. Temos personagens cativantes, um livro com a narrativa fluída, história interessante e viciante, gostei assim que li o primeiro capítulo, fica aqui a indicação mais que merecida para Lobo por Lobo.
E eu preciso de respostas, ESTOU LOUCAMENTE DESESPERADA PELA CONTINUAÇÃO.

"O mundo dentro destas páginas poderia ter sido o nosso. E foi, durante um tempo e em um lugar, então devemos fazer o possível para não esquecer isso." - GRAUDIN, p 355.
Mari 25/04/2017minha estante
????




Thalita Branco 05/04/2017

Resenha ~ Lobo por Lobo - Ryan Graudin
E se Hitler tivesse ganho a Segunda Guerra Mundial? A partir desse pressuposto temos Lobo por Lobo. A pequena judia Yael é selecionada logo ao chegar no Campo de Concentração para uma experiência. Substâncias estranhas são injetadas em sua pele com o intuito de deixá-la com a mesma aparência de uma ariana pura. Mas ninguém esperava que a menina adquiriria a capacidade de trocar de aparência quando bem desejasse.

Já mais velha e membro da resistência, precisa usar sua capacidade para trocar de lugar com Adele Wolfe, última vencedora do Tour do Eixo, importante corrida de motocicletas realizada anualmente. No ano anterior, Adele conseguiu se aproximar de Hitler após vencer a corrida, então Yael precisa vencer também, chegar perto do tirano e assassiná-lo. Apesar dos meses de preparo, Yael não esperava que o envolvimento de dois competidores poderiam por tudo a perder.

Lobo por Lobo se mostrou uma grata surpresa. Apesar da repetição das questões relacionadas aos lobos incomodar um pouquinho, a história por trás deles é bastante interessante. Mesclando passado e presente, a leitura é fluida. Os personagens são bem construídos e você entende as suas motivações e se preocupa com eles. Felix, irmão gêmeo de Adele, é um fofo ainda que insistente em suas preocupações e Luka poderia ser facilmente interpretado pelo Alexander Ludwig, o Bjorn de Vikings, caso o livro vire filme. Aliás, fiquei imaginando essa história nas telonas e na minha humilde opinião ela tem um grande potencial!

Desanimei um pouco quando recebi o livro e vi o número 1 na lombada. Sim, Lobo por Lobo não é um volume único e sua continuação chamada Blood for Blood (Sangue por Sangue em tradução livre) ainda não possui data de lançamento no Brasil. Apesar de alguns momentos corridos e que poderiam ter sido melhor descritos, o final é super “WOWWWWWWW!!!” e deixa aquela curiosidade insana para a continuação!

Ainda que utilize mínimos elementos fantásticos, Ryan Graudin conseguiu criar a partir de uma hipótese real uma história bastante interessante e plausível. E fez com que eu, uma pessoa que não gosta de young adults, ideias semelhantes a distopias e que evita novas séries literárias, adorasse a história.

site: www.entrelinhasfantasticas.com.br
comentários(0)comente



Julia G 10/03/2017

Lobo por lobo
Como seria o mundo se a Alemanha tivesse vencido a Segunda Guerra Mundial? É com essa pergunta que Ryan Graudin desenha a trama de Lobo por Lobo e reinventa a realidade a partir de um dos maiores "E se..." da história da humanidade. Sua ousadia literária resultou em um enredo original, extremamente envolvente e repleto de reflexões sobre o que poderia ter sido.

Yael, protagonista do livro, havia sido submetida a experimentos em um campo de concentração quando criança, em uma tentativa de fazer seus traços semelhantes aos dos alemães. O experimento, entretanto, permitiu que seus traços se transformassem a tal ponto que ela podia assumir qualquer fisionomia que desejasse. Como membro da resistência, ela assume a identidade de Adele Wolfe, com a missão de vencer o Tour do Eixo, se aproximar do führer e matá-lo.

"- Estamos fazendo progresso. - O sorriso do dr. Geyer aumentou, como se seus lábios fossem abertos por um pé de cabra. Ele devolvia a prancheta para a enfermeira, rolava o banquinho até a mesinha prateada onde as agulhas ficavam organizadas em fileira. Dentes de prata, querendo enfiar veneno na pele de Yael. Enchê-la de mais dois dias de ardor e agonia. Mudá-la de dentro para fora. Tirar todas as cores, os sentimentos e a humanidade de dentro dela. Drenar, drenar, drenar, até não sobrar nada.
Só o fantasma de uma menina. Uma casca oca.
Progresso."

Lobo por Lobo traz em suas páginas um enredo eletrizante. Grande parte da trama se desenrola no decorrer do Tour do Eixo, uma corrida de motos na qual vida e morte estão em jogo, e cujo percurso perpassa toda a Europa, parte da África e Ásia. Não sou grande fã de corridas, então deduzi que ficaria entediada com essas cenas, mas a autora consegue narrar esses trechos com tanta paixão e intensidade que é difícil não ficar grudada a cada palavra. Além disso, o perigo está em cada quilômetro, e a tensão deixa o tédio bem longe.

E não é só Yael que se destaca durante o livro. Fiquei centenas de vezes com o coração dividido entre Luka e Felix, tão doces por trás de toda a carranca e briga por posições. Esses rapazes tocaram meu coração apesar de tudo, e eu fiquei muito curiosa para saber mais do passado entre eles e a verdadeira Adele, e também se em algum momento eles reencontrarão Yael.

O mais interessante da história é que Ryan Graudin utilizou aspectos verídicos do governo de Adolf Hitler para embasar sua trama. A cruz de ferro, a Gestapo, as operações militares e a ideia de construção da "capital do mundo", a Germânia, são apenas alguns dos elementos reais que estão presentes no livro. A própria autora comenta, em uma nota ao final do livro, sobre a origem de alguns detalhes de seu texto. Tudo isso misturado, é claro, a uma boa dose de liberdade criativa.

A maior liberdade criativa do livro, aliás, é a metamorfia de Yael. Claro que isso é fantasioso e muito improvável de acontecer, mas os experimentos dos alemães de fato ocorriam naquela época e a autora explica que optou por incluir esse elemento fantástico para fazer os leitores refletir sobre a real importância da aparência. Yael pode se transformar em qualquer pessoa, mas não lembra sua própria aparência, então é difícil dizer em que padrões ela se enquadraria. Provavelmente, em nenhum deles, porque ela não reflete o que é de verdade, Yael só existe por trás de cada rosto que assume.


"[...] Às vezes (muitas vezes) não restava nada para o luto se alimentar. Yael era uma tela em branco. Um cabide com uma pele bonita pendurada nele.Quem é você? (Por dentro?)
A resposta para aquela pergunta era algo por que ela precisava lutar. Seu reflexo não era reflexo nenhum. Era um espelho estilhaçado. Algo cujas peças precisava juntar, várias e várias vezes. Memória por memória. Perda por perda. Lobo por lobo."

O livro termina com uma grande reviravolta, daquelas de deixar qualquer leitor doente de ansiedade pelo próximo livro. Para quem gosta de uma história repleta de adrenalina, ou se interessa por possibilidades históricas, Lobo por Lobo é uma ótima opção. Gostei muito da trama criada por Graudin e, agora, além da expectativa pelo próximo livro da série, fiquei curiosa para ler A Cidade Murada, também escrito pela autora.

site: http://conjuntodaobra.blogspot.com.br/2017/03/lobo-por-lobo-ryan-graudin.html
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2