Eu Estou Aqui

Eu Estou Aqui Clélie Avit




Resenhas - Eu estou aqui


23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Suelen 24/05/2017

Maravilhoso
Não consigo me lembrar quando foi a última vez que li tão rápido um livro. Li em 4 horas e não por ele ser curtinho, mas pelo assunto que ele aborda me agradar intensamente.
Sou super a favor da eutanásia e resolvi ler esse livro pra ver se ele ia fazer com que eu mudasse minha opinião. Não mudou, mas me deixou pensativa pra caramba e abriu espaço para reflexão.
Livro maravilhoso e tocante, explorou o amor de uma forma doce e comovente e nos demonstrou que absolutamente nada é impossível, pode parecer surreal, mas não é impossível.
Infelizmente o livro acabou e ficou aquele gostinho de quero mais. Gostaria que houvesse mais páginas explicando o desenvolvimento dela até o momento de sair do hospital definitivamente, uma pena isso não ter acontecido.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Zana 13/04/2017

Por falta de uma analogia melhor vou utilizar 'Bolero' de Maurice Ravel para falar de EU ESTOU AQUI. Essa música encanta e envolve gradativamente num crescendo sedutor até terminar num grandioso ápice, assim faz Clélie Avit em seu livro.

Avit encanta o leitor com o personagem Thibault, o envolve com seu sofrimento e conflitos internos. Com sua desilusão pelo fim de um relacionamento que não deu certo, com sua solidão, sua raiva e revolta pela distante relação com um irmão superficial e irresponsável, que termina dirigindo bêbado e provocando a morte de duas adolescentes num acidente automobilístico. A dificuldade dele em aceitar e perdoar a irresponsabilidade do irmão faz com que ele não queira vê-lo e ao levar a mãe para visita-lo se refugie no quarto de Elsa, uma montanhista em coma há cinco meses depois de cair durante uma escalada.

Daí o leitor também se envolve com o drama da jovem em coma que ouve, percebe e sente toques em seu corpo, mas não tem como comunicar seus desejos e anseios, enquanto a ameaça de eutanásia sorrateiramente a envolve. Acompanha o desabrochar dessa estranha interação que culmina num suposto amor (o suposto fica por conta do ceticismo da leitora que aqui escreve, contudo relevemos porque na imaginação tudo é possível).

Então, depois de devidamente enlaçado pela trama, que gradativamente sobe em um crescente vertiginoso... PUFF! Eu Estou Aqui! Que estava aqui já sabíamos porra (adverbio de intensidade)!!, pois não estava presente desde o título do livro? E o que mais?! O que mais, 'pelamor' ? Essa artimanha utilizada na música podemos dizer magnifica, mas como narrativa muito frustante. A abordagem do livro foi boa, pois tratou com sutileza de problemas atuais, como eutanásia, alcoolismo e irresponsabilidade no trânsito, falou de relações familiares e novas construções afetivas sem laços biológicos, falou de amor, mas no mais foi frustante. Querendo ler se prepare para gostar, mas também para ficar emputecido, assim a escolha é sua!
comentários(0)comente



Day Duque 03/03/2017

Você está aqui!
Livro lindo, leve, emocionante, agoniante, e uma graça! A leitura voa!
Só achei o final um tanto aberto, mas já esperava!
Queria mais desse arco-íris ♥
comentários(0)comente



MILA 31/01/2017

Thibault entra por engano no quarto do hospital de Elsa e ele é totalmente envolvido pelo cheiro suave de jasmin, sua curiosidade com a bela mulher em coma o faz ler seu prontuário, ele se comove com o estado de Elsa e passa a fazer visitas frequentes a moça.

Elsa está em coma há cinco meses, aos poucos as visitas deixaram de ser presentes e tornaram-se escasas, como se a esperança para a recuperação deixasse de fazer sentido.

Com a entrada abrupta pelo novo visitante, Elsa se anima mesmo que inconscientemente, ela percebe sua respiração e gosta de ouvir sua voz, mas principalmente gosta da maneira que Thibault descreve o que está em sua volta.


"- Ela também tem dois raminhos que se entrelaçam em volta da aliança. Como se fossem cipós. Não, melhor, como uma espécie de haste de alguma flor. Ah! Como um arbusto de jasmim, porque parece que você ama o cheiro de jasmim!"


O livro trás questões bem interessantes, fortes, por exemplo em como pode ser simples o leitor sentir na pele o que é estar em coma. É desesperador a narrativa de Elsa, ela quer se comunicar, mostrar que esta escutando tudo ao seu redor, mas não consegue!

Apesar dela estar em coma, ela sente tudo a sua volta, ela só não consegue responder aos estímulos, para Elsa tudo está muito irritante, as visitas de sua família que por vezes cogitam a desligar ou não os aparelhos, seus amigos que se sentem culpados pelo acidente, a irmã mais nova que só pensa em garotos. Com a chegada de Thibault pelo menos algo mudou, ele é extremamente atencioso, parece que ele realmente enxerga o que Elsa precisa.

Resenha completa no blog Daily of Books Mila

site: http://dailyofbooks.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Jacqueline 27/01/2017

Me comoveu
Gostei. É uma leitura lenta, cheia de sentimentos, bem descritiva, uma vez que nossa mocinha está em coma, mas ainda assim emociona...deixando um gostinho de quero continuação!!
comentários(0)comente



Kelly Martinez 13/01/2017

Regular
Bom, confesso que o livro não me atraiu...nem pela capa, nem pela sinopse, nem por nada.... li , simplesmente, porque estava bem cotado aqui no Skoob.
Aí ja fui com aquele pé atras. Explico: Um livro que narra um protagonista se apaixonando por uma moça em coma, não faz o meu coração palpitar e , além disso, o cenário sempre repetitivo do quarto do hospital me fez achar a historia linear... simplesmente isso... Sem muita emoção.
Aí não deu outra: achei a narrativa um pouco cansativa, e me peguei querendo acabar logo a história. A sorte é que o livro é fino! 288 páginas dá pra ler numa noite de insônia.
Não me comoveu! E ainda fiquei com a sensação de tempo desperdiçado!
Não é que o livro seja de todo ruim mas honestamente... não indico!

comentários(0)comente



Mi 22/12/2016

Linda história de amor
Faz vinte semanas que Elsa esta em coma , seis que esta desperta, que saiu do mundo da inconsciência. Mas ninguém nota a mudança de seu quadro. Médico, mãe, pai , todos parecem estar desacreditados de uma possível cura. Uma luta. Ela consegue ouvir todos, mas não consegue ser ouvida. Nada. Não consegue fazer um mínimo sinal

Durante uma visita ao seu irmão , que foi parar no hospital ,por causa de um acidente envolvendo um carro , bebida e duas garotas ( morreram ambas ), Thibault , Se depara com Elsa . Ao encontra-la em tal estado, um sentimento de pena , compadecencia, um carinho, surgi nele. Um sentimento bom , puro, diferente de toda a escuridão que luta diariamente com a luz de sua alma.

Inexplicável , Thibault se ver cada vez mais conectado à Elsa. Um instinto protetor nasce. A cada quarta - feira, as visitas se tornam cada vez mais. ...essenciais um para o outro. Como se fosse um porto seguro para cada um.
Os momentos são simplesmente fofos , uma mistura de romântismo com ate uma pegada de humor. Lindo de se ler.

"Estou amando uma garota em coma
Nesse momento, isso parece ser a coisa mais sadia que poderia me ter acontecido. "

Se dando conta dar enormidade das proporções que o sentimento por Elsa tomou. Thibault. .não ver outro caminho, alem de aceitar, e tentar de alguma forma despertar a sua amada do estado que se encontra.

E o fim ? FIQUEI MUUUUUITISSIIIIIMO PUTA kkkkkkkk como é que pode ter parado logo ali...
FALTOU PÁGINAS....ta faltando coisa ai minha gente kkkk Vou matar a autora do livro. ..com certeza vou.
Quero uma continuação URGENTE, quero uma pra ontem. Inaceitável a história ter terminado.

Não ha muito o que falar, só que simplesmente é um livro lindo, delicado , maravilhoso de se ler.
Indico a todos a lerem.
Mayra 23/12/2016minha estante
Concordo com vc inaceitável esse livro terminar assim. Queremos livro 2 kkkm


Fabi 26/12/2016minha estante
ahhhhhhhhhhh ela favoritou?
q surpresa hein kkkkkk
fico feliz que a história tenha te conquistado


Mi 26/12/2016minha estante
Conquistou..tanto que to ate agora querendo matar a autora kkk


Fabi 26/12/2016minha estante
kkkkkkkkkkkkkk quem sabe um dia ela lança um segundo livro




Graciely 17/12/2016

Isso não é uma resenha.
Isso não é bem uma resenha mas eu precisava deixar registrado que esse livro é simplesmente maravilhoso.
Infelizmente é bem curto, o que me deixa com uma angustia enorme por não poder saber o que acontece depois do final.
Eu queria muito ler mais sobre essa historia.
Leia!!
Sandra 26/04/2017minha estante
Mesmo sentimento que senti... queria mais... rsrs




Fabi 15/12/2016

BELO E PURO
Imagine você encontrar o amor em uma situação improvável. É o que acontece entre Elsa e Thibault.
Um livro como eu disse acima, belo e puro.
Percebi que o que faz você gostar de um livro, é não criar muitas expectativas.
Em Juntando pedaços - Jennifer Niven, meu livro anterior, comecei lendo cheia de esperança que eu ia amar o livro. Em Eu estou aqui, comecei ler não esperando muita coisa.
E aqui estamos com mais um livro que amei a história.
Elsa é uma jovem que está em coma há 5 meses, depois de cair durante uma escalada nas montanhas. Thibault está no hospital devido seu irmão ter sofrido um acidente de carro, no qual matou 2 adolescentes.
Mas Thibault tem seus motivos em não querer visitar seu irmão. Ele logo procura um lugar para se refugiar, dormir enquanto sua mãe está com seu irmão.
Adivinhem onde ele irá se refugiar sem saber? Sim, no quarto de Elsa.
Percebendo o estado dela, ele logo se compadece e não sabendo como, ele logo fica ansioso para visitá-la nos dias de visita.
Thibault conversa com ela, beija sua face...
Com o tempo, Thibault se vê apaixonado por Elsa, e percebe que ela corresponde ele, com o aumento de seus batimentos cardíacos.
Ah o livro também é narrado por Elsa, nos capítulos, você fica sabendo que ela não sente nada, mas escuta tudo que Thibault fala, o que faz que ela deseje ansiosamente acordar e ver o seu arco-íris, aquele que alegra suas manhãs.
Um livro que recomendo a todas as idades. Hoje em dia, cansamos de ver livros que apelam para o teor sexual, está cada vez mais difícil encontrar algo puro para se ler. Acho que certas coisas, ainda devem se manter reservadas.....
O que não me alegrou 100% neste livro foi o final. Ficou gritante a falta de um Epílogo.
Contudo, mesmo assim, valeu a pena ter lido e conhecer esta linda história de amor.
Roberta 16/12/2016minha estante
Que bom que gostou!!!! Também amei!!!


Mi 16/12/2016minha estante
Deu ate uma animada pra le-lo.
So vou finalizar os que eu to lendo


Fabi 16/12/2016minha estante
leia sim Mi
é um livro de romance fofo e que vc torce para o casal
s2


Fabi 16/12/2016minha estante
Elsa & Thibault são lindos, Roberta s2


Roberta 19/12/2016minha estante
*-* Também adorei e senti muitaaaaa falta de um epílogo eheheh


Andreza.Araujo 01/05/2017minha estante
Esse livro lembra algumas parte que já aconteceu com meu namorado ele ficou em coma 2 meses foi horrivél ver essa cena , Só de lembrar ficou triste ! Mas esse filme me deixou interessada de ler só a descriçao, resumo... me interessei muito vo comprar amanhã e ler s2




Nana 05/12/2016

Sensível e cativante!
Uma escrita simples, delicada e com uma doçura que me prendeu do início ao fim. Os capítulos são curtos e a narração é intercalada pelos dois personagens principais Elsa e Thibault. Recomendo iniciar a leitura sem muitas expectativas, pelo menos comigo isso funcionou, pois não esperava muito e acabei me encantando com a trama e com o nascimento do amor destes dois de uma forma tão inesperada.
O final me deixou um pouquinho frustrada, mas mesmo assim gostei muito do livro!
comentários(0)comente



Aline T.K.M. 28/11/2016

Uma história de amor inesperada
Sabe aquele livro que dá vontade de guardar num potinho? Se faz muito tempo que você leu um livro que te deu essa sensação, então você precisa ler Eu Estou Aqui – tipo, para ontem!

O primeiro romance da francesa Clélie Avit traz uma história de amor um pouquinho inusitada e, por isso mesmo, encantadora. Imagina se apaixonar por alguém de quem você nunca ouviu a voz, alguém que nunca nem olhou para você? Alguém que está em coma?

Elsa está em coma no hospital há cinco meses por conta de um acidente ao praticar montanhismo nas geleiras. Suas chances de recuperação são baixas e tantos os médicos como seus próprios familiares estão perdendo as esperanças. Um dia, sem querer, Thibault erra de porta e acaba entrando no quarto de Elsa, encontrando-a em seu sono profundo. Decide, então, ficar conversando com a moça – uma conversa um tanto solitária.

Thibault frequenta o hospital porque seu irmão está se recuperando de um acidente de automóvel. No entanto, sua relação com ele não vai nada bem – Thibault não consegue perdoar o irmão por ter dirigido alcoolizado e ter causado a morte de duas adolescentes.

Ao “conhecer” Elsa, Thibault resolve passar a visitá-la com frequência. O que ninguém sabe é que Elsa é capaz de ouvir tudo o que se passa a seu redor; ela ouve os relatos da vida amorosa da irmã mais nova quando vem de visitá-la, ouve os comentários dos médicos, ouve o rádio da moça da limpeza, ouve Thibault. E, por algum motivo, Thibault tem certeza de que Elsa pode ouvi-lo.

Narrado a duas vozes, Eu Estou Aqui leva a gente para bem pertinho dos protagonistas. Acompanhamos esse sentimento que vai crescendo no peito de Thibault a cada vez que ele vê e fala com Elsa, enquanto entendemos sua última grande decepção amorosa e achamos muito fofa sua relação com a afilhada, Clara, que ainda é uma bebezinha.

Da mesma forma, nos capítulos narrados por Elsa, damos um mergulho em sua mente e compartilhamos de sua dor diante da impotência e frustração de não conseguir fazer seu corpo reagir, sentir um simples toque na pele ou mostrar a Thibault que consegue ouvi-lo. O fato é que Elsa também vai, aos poucos, se envolvendo com a presença dele. Ela conta os dias, a seu modo, para a próxima visita de Thibault e um sentimento também começa a nascer em seu interior.

Mix imenso de sentimentos! Fiquei apaixonada por Thibault e Elsa, torci muito por eles e achei tão meiga a maneira como os dois foram reconhecendo o amor que nascia e crescia em seus encontros. Também confesso que senti raiva dos médicos e da família de Elsa, até porque as coisas ficam mais sérias com relação à vida dela em dado momento do livro.

Todos esses sentimentos e sensações que me percorreram durante a leitura foram muito intensos; estava tão envolvida que chegou uma hora que eu já não conseguia parar de ler até chegar ao fim. A escrita simples, os personagens tão humanos e a maneira delicada com que a autora conduziu a trama – e o próprio tema do livro – foram os grandes responsáveis por eu ter me sentido tão conectada a essa história.

Bem mais que uma simples história de amor, Eu Estou Aqui é um livro à flor da pele, que faz enxergar pequenos detalhes e maneiras diferentes de encarar as coisas. Uma doce súplica pela chance de poder viver um grande amor e, ao mesmo tempo, um grito desesperado pela vida.

LEIA PORQUE
Com personagens apaixonantes, o livro mostra que o amor é capaz de nascer onde, quando e em circunstâncias em que menos se espera.

DA EXPERIÊNCIA
Confesso que li naquela avidez de quem não consegue se aguentar e precisa saber logo o desfecho, mas também saboreei cada momentinho, cada trecho fofo da evolução dos sentimentos dos protagonistas. Leitura deliciosa!

FEZ PENSAR
Lembrei do livro (fofíssimo) A Caderneta Vermelha, que tem toda essa questão de se apaixonar por um desconhecido, com uma ou outra pincelada de Fale Com Ela, o filme do Almodóvar em que um enfermeiro nutre uma paixão por uma paciente em coma.

site: Livro Lab
comentários(0)comente



Caverna 23/11/2016

Elsa está em coma há cinco meses. Ela não sente frio, não sente fome, mas está consciente de tudo à sua volta. Ela escuta as pessoas falando com ela, identifica os enfermeiros e faxineiros pelo som, mas não sente nada quando a tocam. E Elsa odeia isso. Ela quer sentir, quer acordar.

O acidente ocorreu num dia comum para Elsa. Ela e alguns amigos escalavam uma montanha congelada quando o nó da corda se rompeu. Elsa era sempre cuidadosa em sua profissão e ao dar os devidos oito nós, e a única vez em que falhou, levou à tragédia.

E embora desejasse viver com todas as forças, Elsa estava cansada. A irmã aparecia uma vez por semana para contar sobre o namorado da vez. Os pais discutiam como se ela não estivesse presente. Seus amigos Steven, Rebecca e Alex a visitavam frequentemente, mas todo o carinho a deixava melancólica por lembrar do que estava perdendo, presa àquela cama.

Até que Thibault aparece em seu quarto.

A nova voz é uma surpresa. De repente, ela quer descobrir tudo sobre aquele cara. Como se aparenta, como adormece tão facilmente, como ele a faz ter vontade de rir e, principalmente, o que ele fazia ali.

A realidade é que o encontro entre os dois foi mais uma fuga. O irmão de Thibault estava em um dos quartos ao lado no hospital, após dirigir embriagado e matar duas garotas de 14 anos. Thibault não consegue perdoá-lo, nem mesmo encará-lo, mas leva sempre a mãe para visitar o irmão. Numa dessas visitas, Thibault entra no quarto de Elsa a fim de se refugiar e se comove com a situação da moça, chegando a pensar que seu irmão deveria estar ali, não ela.

A partir de então, Thibault cria uma rotina de visitar Elsa e assim uma relação singela e genuína é gerada com a moça em coma. Ele chega, tira o casaco, conversa um pouco com Elsa e dorme. Ele se sente em paz naqueles momentos, enquanto Elsa se sente eufórica. Ela anseia por suas visitas, pela forma sincera como a trata, pela fagulha de esperança que ele lhe traz.

Além do remorso com o irmão, Thibault anda numa fase ruim. Foi largado pela namorada de longa data, e agora, aos 34 anos, assiste os melhores amigos tendo filhos e seguindo a vida. Estar ao lado de Elsa o faz pensar, refletir. Ela é a sua âncora no meio de uma tempestade. Duas almas fragilizadas lutando para cicatrizar.

À primeira vista, a premissa pode parecer surreal. Como ele é capaz de se apaixonar por alguém que não conhece, que não pode nem respondê-lo?

Acontece que a autora escreve com paixão. Sua narrativa é terna e de puro sentimento. Temos pouca ambientação, e por isso as emoções dos personagens são extremamente palpáveis. O pouco que vemos da vida exterior é contado por Thibault, mas sinceramente, o que mais esperamos durante o livro inteiro é pela hora em que eles vão se encontrar de novo.

Além do coma, o livro também aborda temas pesados como eutanásia, culpa e suicídio. É uma tortura acompanhar a luta de Elisa por despertar, e lindo ver sua determinação, o que deixa no ar a questão sobre a consciência durante o coma.

Resumindo, o drama francês é tudo o que promete ser na sinopse. Lindo, sensível, doloroso e admito que desesperador. Um livro que te encherá de esperanças e te deixará doido por um epílogo.


site: http://caverna-literaria.blogspot.com.br/2016/11/eu-estou-aqui.html
comentários(0)comente



Mikele 23/11/2016

Depois desse livro, quem está em coma sou eu.
Já faz 5 meses que Elsa está em coma, ninguém sabe, mas a um mês ela consegue ouvir tudo à sua volta, só não consegue acordar, ela é inquilina do próprio corpo.


Thibault não suporta olhar para seu irmão após ele ter atropelado e matado duas adolescentes enquanto dirigia bêbado. Por isso ele sempre leva sua mãe ao hospital, mas nunca entra no quarto do irmão, nunca quer vê-lo.


Em uma das ?visitas? a seu irmão, Thibault, perturbado e confuso, entra por engano no quarto 52, o quarto de Elsa, de início ele só quer um lugar calmo onde pudesse se livrar do caos que se instalou em sua vida, mas uma estranha sensação o domina quando está na presença dela, e sem querer, Thibault se vê desejando cada vez mais que Elsa abra os olhos.



Sabe aquele livro que enquanto você lê, se desliga de tudo? Aquele onde nada importa, pode acabar o mundo que você vai estar ali dentro da história, sentido o que os personagens sentem? E sabe aquele livro lindo que te deixa com um sorriso eterno quando você termina? Então, esse é "Eu estou aqui".


Com uma narrativa sem rodeios, direta e verdadeira, Avit vai tecendo cuidadosamente o vínculo entre Elsa e Thibault, vai construindo um sentimento singelo que pode até parecer impossível, mas que é real, com "conversas" simples mas cheias de significado, com gestos pequenos mas carregados de sentimento.


Com capítulos intercalados entre os dois personagens, a autora nos dá uma visão mais ampla de toda a trama, e ponto para Avit por não deixar os personagens secundários de fora ou sem atenção, pelo contrário, eles foram fundamentais e fortaleceram o enredo.


Esse livro não fala somente sobre o amor dos personagens, aborda vertentes como alcoolismo, eutanásia e conflitos familiares. É um enredo recheado de coisas boas e proveitosas, é uma leitura rápida que vai te prender do início ao fim, e falando no fim, pelo amor de Deus me diz que tem continuação! Porque eu fiquei maravilhada e com certeza quero mais de Elsa e Thibault.
Favoritado ?.
comentários(0)comente



Andréa 08/11/2016

Eu Estou Aqui é uma obra quem trás a perspectiva de dois personagens distintos. Que não se conhecem e em comum entre eles, apenas há um hospital.

Elsa está em coma.
Montanhista, Elsa sofreu um acidente em uma geleira. Em coma há cinco meses, os médicos já aconselham a família a pensar no desligamento do respirador artificial, suas chances de voltar são praticamente nulas. Mas Elsa ainda está lá, ela não se move, não enxerga, ela apenas ouve. E cada capítulo seu será narrado pela própria, nos trazendo grande comoção pela sua situação a cada parágrafo.

"Odeio tempestades, mas esse arco-iris parece me devolver a esperança.
Tempestades devem servir para alguma coisa."

Tribault não está internado. Seu irmão quem está, dirigia embriagado e bem, causou dores irreversíveis.

Em uma das visitas ao irmão, no qual Tribault apenas levava a mãe pois recusava-se a ver o irmão, por engano ao procurar as escadas, ele acaba no quarto de Elsa, e é lá que ele encontra toda a paz que a muito tempo buscava.

Entre os dias, entre os fatos da vida dos dois, vão se criando laços mais fortes que as condições de ambos permitem, e esse livro fala justamente sobre esperança, mesmo nos casos em que ela é quase nula. Sabe aquele ditado "não sabendo que era impossível, foi lá e fez"? Esse ditado é base da trama.

Extremamente delicado e sensível, a autora conduz o leitor a questionamentos sobre eutanásia, desperta empatia tão profunda que não tem como o leitor chegar ao fim da trama sem sentir o coração na garganta. Enquanto na pele de Tribaut o leitor experimenta a solidão, aquela onde mesmo com familiares e amigos por perto, o vazio se faz presente.

"Estou amando uma garota em coma.
Nesse momento, isso parece ser a coisa mais sadia que poderia me ter acontecido."

A trama tem um foco direto, sem rodeios. A autora misturou superficialidade e profundidade de uma forma que talvez até tenha me incomodado, pois deixou a vontade de saber mais, me deixou presa na trama por dias após a conclusão. Mas por outro lado, o emocional foi tão bem colocado, que o coração acelera perto do final. Rapidamente você se vê torcendo tanto para Elsa abrir os olhos e conhecer o dono da voz que passou a ser seu único porto seguro, que não sente o passar das páginas, tão leves e ao mesmo tempo tão carregadas de sentimentos. É um livro escrito para comover, para refletir, para renovar a esperança.

Quando o sentimento é puro, são as almas quem se reconhecem.

site: http://www.fundofalso.com/2016/10/resenha-eu-estou-aqui-clelie-avit.html
comentários(0)comente



23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2