Eu Estou Aqui

Eu Estou Aqui Clélie Avit




Resenhas - Eu estou aqui


122 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Babs 19/10/2021

Bom pra sair de ressaca
Faz um tempo que li ele e só lembrei agora kkkkk. Lembro de ter sido bem rapidinho e envolvente. Talvez se fosse ler hoje não fosse me apaixonar como antes, mas ainda valeria a leitura! É bem diferente.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Larissa 13/10/2021

DESESPERADOR
vamos lá, comecei a noite e terminei na mesma noite porque sério não tive condições para lidar. Meu deus, que livro desesperador.
Eu amei tanto, sério, a escrita da autora é fluida e sério você já começa a ler rápido. Teve uma hora que eu juro que eu lia rápido porque eu não tava aguentando ansiosa para saber oque acontecia. Os personagens são incríveis, sério eu chorei já no segundo capítulo e eu já estava morrendo de amores por eles, porque sério era tão incrível e mesmo a personagem estando em coma era tão incrível o desenvolvimento deles, ai queria muito que tivesse uma continuação.
A única coisa eu me decepcionei foi o final, foi totalmente desesperador mas queria que tivesse pelo menos um epílogo. Terminou incrível mas queria ver eles depois disso, pelo menos um epílogo. Mas mesmo assim eu amei a experiência de ler de esse livro, desesperador até o fim.
Tem vários gatilhos então confiram antes de ler porque tem algumas partes que você chora mesmo kkkkkkkkk
Leiam, leiam, leiam
comentários(0)comente



TFXavier 06/10/2021

? Eu sei que você consegue me ouvir, Elsa.
Ele está está apaixonado por uma garota Só que ela está em coma há 5 meses.

Essa é a história de Thibault e Elsa.
Thibault se recusa a entrar no quarto de seu irmão no hospital. Fugindo disso ele entra por engano no quarto de Elsa. Então toda vez que leva a mãe pra ver o irmão, Thibault se refugia no quarto de Elsa. Ele se sente protegido ao seu lado

Elsa sofreu uma acidente que a deixou em coma. Mas sua consciência está voltando e ela consegue ouvir tudo acontece ao seu redor, mas não consegue realizar nenhum movimento. E por mais que ela seja cercada pela família e amigos, estar com Thibault a facina cada vez mais.

Os médicos falam sobre a possibilidade desligar os aparelhos. O que deixa ela desperada. Elsa precisa mostrar pra todos que ela ainda está ali. E vai contar com Thibault, que vai fazer de tudo pra que eles pra que eles percebam isso.

No começo do Livro pensei que seria algo raso. Mas ai veio as partes significativas, que transformam à história trazendo uma sensibilidade incrível.
É narrado em primeira pessoa, de forma alternada entre os protagonistas.
A leitura foi rápida, super fluída e muito emocionante.

Possíveis Gatilhos: Eutanásia, Acidente de Trânsito, Suicídio.
comentários(0)comente



Lala 25/09/2021

Eu estou aqui

A escrita da autora é muito fluída, o livro é narrado pelos dois protagonistas, aborda temas difíceis e que são bem reais.
Me emocionei e fui surpreendida, tinha uns capítulos que me enchiam de esperanças, e outros que me deixavam angustiada. Adoro livros que mexem com as minhas emoções, são os melhores, só senti falta de um epílogo, o final não foi satisfatório.

Esse livro conta a estória de Elsa, ela tem 30 anos, e está em coma há uns cinco meses, depois de um acidente durante uma escalada nas montanhas com os amigos.
Apesar de não conseguir se comunicar com ninguém, ela percebe a presença das pessoas e consegue ouvir e sentir o toque delas.

Thibault tem 34 anos, leva a mãe ao hospital para visitar o irmão que sofreu um acidente de carro enquanto dirigia bêbedo, atropelando duas garotas que acabam morrendo.
Thibault com raiva do irmão se recusa a visitá-lo, então ele fica andando pelo hospital enquanto aguarda a mãe, até que entra no quarto de Elsa por engano.
Toda vez que ele leva a mãe ao hospital, resolve ficar no quarto de Elsa, e acaba nutrindo sentimentos por ela.
comentários(0)comente



sabris 12/09/2021

pq eu não li antes ?
só tenho uma coisa a dizer
LEIAM SERIO
esse livro me prendeu desde a primeira até a última página
incrivelmente bom !!!!
realmente fiquei presa nele e não conseguia parar de ler
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Beca 17/07/2021

Eu Estou Aqui
Editora: Fábrica 231(braço da Rocco)

Páginas: 288

Gênero: romance contemporâneo, drama

Ano: 2016

Autor(a): Clélie Avit

Onde comprar: Amazon, Submarino, Saraiva, livrarias locais.

Boa Noite, dorameiros!  Hoje trago um conteúdo diferente do habitual. Esse ano consegui retomar a leitura. Já li quatro livros, um avanço e tanto para quem chegou a ficar um ano sem ler um único livro.  A história da vez é ?Eu Estou Aqui?, primeira obra da autora francesa Clélie Avit.

Naquele país, há um programa que dissemina a literatura francesa através de novos autores.  Os escritores foram estimulados a desenvolverem um enredo baseado na seguinte frase:

?Todo mundo pensava que era impossível.

Veio um imbecil que não sabia disso e fez.?

A autora soube representar com maestria o significado dessa citação por meio de seus personagens.  Elsa é uma adulta de 29 anos, de espirito livre, fascinada por uma atividade radical, o montanhismo. Ela se interessa por ocupações que proporcionam adrenalina. Para nossa heroína, escalar não é só um hobbie, mas sim sua paixão, algo que a conectava com as belezas do planeta.  Tudo sempre foi feito seguramente, utilizando todos os equipamentos possíveis. Todavia, às vezes, a vida nos impõe desafios atrozes.  Devemos enfrentá-los e encontrar uma solução. Só assim a vitória aparece.  Em uma dessas aventuras, Elsa despencou da geleira e entrou em coma. Quando iniciamos a leitura já faz vinte semanas que ela permanece nesse estado. Há seis semanas, a paciente ouve tudo à sua volta. Em alguns momentos até se ?desliga?, ou seja, se perde em seu próprio mundo, afastando-se das conversas pessimistas.  

Seria melhor se na vida existisse apenas felicidade, porém os infortúnios também podem trazer ensinamentos. No caso de Elsa, trouxeram o amor verdadeiro. Thibault trabalha como ecologista, tem uma carreira estável, realiza com excelência as tarefas designadas a ele, porém no campo pessoal e amoroso, sua vida está um desastre.  Cindy e ele se separaram de forma nada amigável. Seu irmão sofreu um acidente, ficou em estado grave, além de ter feito algo horrível, inaceitável. Deixo uma pulguinha atrás da orelha de vocês. O que o irmão de Thibault pode ter feito de tão sério para ele não conseguir perdoá-lo?

Toda semana, em um dia específico, o ecologista levava sua mãe para visitar o irmão no 5 andar. Toda vez ela insistia em um diálogo dos dois, entretanto, o herói ainda não estava preparado. Ele fugia dessa missão ao máximo. Um dia, abriu uma porta pensando dar acesso a escada onde ele se escondia. Quão grande foi sua surpresa quando reparou estar no quarto de um paciente. Chegando mais perto, percebeu se tratar de uma moça dormindo.  A curiosidade falou mais alto, por isso ele leu o prontuário dela, descobrindo a real situação. Ficou triste pela jovem, mas manteve o otimismo, torcia para que Elsa acordasse. 

A escrita da autora é fluída, comecei a ler tarde da noite e não queria mais parar. Devido a hora já avançada, tive que ir dormir.  Foi uma noite de sono maravilhosa, com o coração quentinho por conta dos protagonistas. Li sessenta páginas em uma só vez. Terminei em cinco dias, mas porque tinha outros afazeres. Esse livro dá para ser lido em um dia. O enredo é parado, não há grandes clímax. No entanto, isso pode ser relevado.  O estado de Elsa é praticamente irreversível, ela não pode fazer nada além de escutar e ter esperança em dias melhores.  Isso não atrapalha em nada a história, pelo contrário, nos transporta para uma nova vivência da personagem principal. O livro está repleto de emoção. Os mais sensíveis vão derramar rios de lágrimas. Os menos sensíveis vão se colocar no lugar dos heróis. Eu mesma me perguntei, como será que é estar em coma? Fiquei demasiadamente envolvida nos acontecimentos do livro.

Além disso, torcerão pela recuperação de Elsa, além de um possível romance com Thibault.  A escritora descreveu perfeitamente o estado de uma pessoa em coma, representando também a aflição dos amigos e familiares. Quem passou por uma situação semelhante vai se identificar. Esse foi um dos elementos que chamaram a minha atenção.  

Imaginação é um recurso muito presente no contexto da personagem, devido à ausência do sentido da visão.  Isso torna o processo mais lúdico, consolador.  Segundo Albert Einstein, ?A imaginação é mais importante que o conhecimento, porque o conhecimento é limitado, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro.?

Vamos imaginar! Com equilíbrio é claro.

?Há algo de impressionante no fato de alguém ter apenas o sentido da audição como meio de percepção.

Tudo o que está associado aos sons adquire um sabor particular.?

?Em quase sete semanas, pude observar que eu associava naturalmente cores e texturas ao que as pessoas diziam. ?

?A voz de minha irmã contando suas histórias de amor assume um aspecto de veludo vermelho vomitivo de tanto hormônio que transborda. Minha mãe é uma espécie de couro violeta que quer parecer robusto, mas que se fissura em vários lugares, como se fosse uma bolsa velha.?

Thibault tem um lugar especial no meu coração leitor. Está no meu top 10 de protagonistas masculinos. Tem uma bela personalidade. Compaixão, empatia e generosidade são adjetivos que o descrevem com clareza.  Uma das minhas cenas preferidas é o momento em que ele altera a idade dela no prontuário, pois estava fazendo aniversário naquele dia.   Esta atitude abre discussão para algo recorrente no âmbito hospitalar: a ausência de sensibilidade dos profissionais da saúde. Os médicos e enfermeiros lidam constantemente com a morte, então podem ter se acostumado, tratando cada paciente como se fosse mais um número. Há também a questão da baixa remuneração, da carga horária extensa. Pelo menos no Brasil.

 Spoiler!!! Pulem para o parágrafo na cor preta. A próxima alínea contém considerável revelação.

Falo isso porque o médico é o personagem mais detestável. Ele queria desligar os aparelhos da heroína em apenas cinco meses, utilizando o argumento dos 2% de chance dela acordar. Fiquei indignada! Curiosa, pesquisei e encontrei um caso onde a corte francesa autorizou o desligamento dos aparelhos de um homem após sete anos em estado vegetativo.  Ou seja, provavelmente, a escritora utilizou licença poética no intuito de acrescentar drama.  Funcionou! Estive apreensiva nessa parte.

A relação entre os dois foi bem desenvolvida, um era o porto seguro do outro.  Thibault estava passando por um momento conturbado em sua vida.  Ele sonhava construir uma família, porém seus planos foram por água abaixo depois do divórcio. O irmão, o qual sempre admirou, cometeu um grave delito.  Ele estava perdido, sem saber se devia ou não perdoá-lo.   Entrou no quarto de Elsa e encontrou uma amiga, alguém em quem confiar. No estado sonolento dela, ele poderia desabafar, contar os seus pensamentos mais secretos, mostrar o seu íntimo, algo que ele não tinha coragem de contar aos amigos mais próximos. Tudo aconteceu naturalmente.  

Thibault foi um personagem profundo, que teve um crescimento incrível ao longo da literatura.  Se reergueu, buscou fé em meio ao caos, quando pensou tudo estar perdido.   Quanto a nossa estrela, permaneci encantada com os efeitos que persistência, otimismo e amor podem causar. Ela poderia ter se fechado para novas emoções, pensado na possibilidade de nunca mais abrir os olhos, se recuperar. Todavia, não deixou esses pensamentos terríveis tomarem conta de sua força. 

?Em meio a tudo isso, felizmente, tenho um arco-íris que vem se manifestando de uns dez dias para cá. Thibault veio com todas as suas emoções, todas essas novidades para mim. Não consegui associar a ele nenhuma cor em particular. Era apenas prismático e desconcertante. Fiquei com a imagem de um arco-íris. Achei isso poético.?

 

?Faz um ano que não beijo uma mulher, exceto os beijos dados no rosto das colegas. Não há nada de sensual nem de sexual no que acabo de fazer, mas, puxa! acabo de roubar um beijo no rosto de uma mulher.

A ideia me faz sorrir e eu me afasto.?

Os personagens secundários são uns amores. Gaelle, Julian e Clara nos conquistaram.  Contribuíram grandemente para o amadurecimento do nosso herói, pois sempre deixaram a filha Clara conviver com o padrinho.  No exemplar de Clélie Avit, a família é valorizada como se deve.  Afinal, é no seio familiar que aprendemos valores, caráter, amor ao próximo e como se relacionar com as pessoas à nossa volta.  No entanto, não podemos considerar todos como família.  Família é quem nos apoia, quem nos faz boa companhia.

Enquanto lia fui pega por um dilema vivenciado pelo protagonista. Devemos perdoar um membro precioso da família se ele cometer um ato grave? Principalmente quando essa pessoa estiver arrependida? Uma decisão difícil. Se a pessoa fez com intenções más não.  No caso de Thibault, talvez ele devesse ter sido mais compreensível.  Ele devia ter procurado saber o que realmente estava acontecendo, dar apoio sem julgar. Thibault não pôde fazer isso, pois seus princípios são fortes. Minha imaginação me leva a crer que o irmão dele não estava em condições psicológicas adequadas.  Não estou passando pano. Nada justifica o que ele fez.  Complicado!!! Olhando o exemplo de ambas as partes podemos concluir o quanto devemos pensar cuidadosamente em cada ação, palavra ou julgamento.  Não podemos apagar os acontecimentos, voltar para consertar nossos erros. A única forma disso virar realidade é através do perdão dos nossos pecados que o Senhor Jesus nos oferece.

Gostei do final. Acabou exatamente do jeito que eu queria.  Agora vem uma super revelação do enredo. Então, se vocês não curtem spoilers aconselho a irem para o parágrafo em preto. Deixo as surpresas bombásticas coloridas ou tachadas.  Dou 4 estrelas e meia para o livro. Só não dou 5 porque poderia ter outros livros para dar continuidade a história. O final foi aberto. Tudo o que acontece depois de Elsa acordar do coma fica a critério da nossa imaginação. Não vejo isso como um problema, pois tenho imaginação de sobra.

A capa é linda, combina com o assunto e a diagramação está ótima. Lemos sem cansar a vista.

 Recomendo para todos os amantes de drama, personagens cativantes, romance, tensão e assuntos tratados com leveza, apesar da seriedade. Se vocês curtem uma narrativa corrente, que não enrola, é o livro perfeito.  Nunca gostei muito de livros que intercalam os pontos de vista, porém estou me acostumando. Eu amei saber o que se passa na mente dos dois protagonistas.  Quem assistiu a novela A Vida da Gente vai gostar. A temática é a mesma, embora repleta de diferenças.

Abram um espacinho no coração de vocês para essa obra maravilhosa. Eu já abri.  Os personagens vão ficar na minha memória.  Espero que tirem bom proveito. Comentem aqui se já leram, suas impressões, se ficaram curiosos para ler. Hasta la Vista, babies!
comentários(0)comente



Rafa.Meyer 04/07/2021

livro mediano na minha opinião, achei fofo, mas em algumas partes eu imaginava o quanto seria estranho e um pouco problemático se isso realmente acontecesse (tipo o cara real se apaixonou por uma mulher que estava em coma, ele beijou e dormiu com ela, consequentemente sem a permissão dela mas ok sei que é ficção kkkkk) e fiquei um pouco decepcionada com o final, pois não sou fã de finais abertos.
comentários(0)comente



CPF1964 03/07/2021

Opinião
Primeiro livro que leio da autora.

Um livro com uma escrita muito fluída e sensível.

Ótimo para curar ressaca literária.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marcela Rosa 16/06/2021

Eu realmente não esperava gostar desse livro e comecei a ler sem nenhuma expectativa e acabou que no fim eu queria que tivesse mais páginas
comentários(0)comente



Geice kelly 08/06/2021

Ameiii
História linda e emocionante. Me apaixonei por cada momento de leitura.

O livro é realmente muito viciante. Sou um tipo de pessoa que não consegue ler um livro em um dia. Mais esse... Foi um record.

O final não foi decepcionante pra mim, mais queria que tivesse pelo menos um prólogo dos dois. Mais mesmo ter acabado assim, eu AMEI o livro. Vale muito apena.
comentários(0)comente



Juliana.Santos 10/05/2021

Foi um livro que me prendeu não sei como rsrs é bem cativante pra quem é curioso para saber oque vai acontecer, se a protagonista vai vencer os obstáculos ou não. Só achei que o final foi clichê, corrido e deixou um pouco a desejar.
comentários(0)comente



Karine 10/05/2021

Nem bom, nem ruim
A sinopse do livro me chamou a atenção e achei que seria um livro maravilhoso, mas, na verdade, não é bom e nem ruim. A história é legal, mas o final é ok, nada de emocionante ou chocante.
comentários(0)comente



122 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR