Ode de Sangue

Ode de Sangue Nana Garces




Resenhas - Ode de Sangue


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Kelly 12/08/2018

Uma Senhora Vampira
Existem gêneros e personagens que perpetuarão para sempre no mundo da leitura, criaturas que independente do tempo ou características estarão sempre entre os lidos, e vampiros com certeza são os Reis e rainhas dessa lista.

Drácula, Entrevista com Vampiro, Vampiro Lestat, Crepúsculo e agora Madalena, mas Madalena apesar de ter anos de vida, não vai te contar muito, pois a magia de Madalena é te deixar curioso.

Sou um monstro, sou antiga, mas me sinto ainda humana e nem saberia dizer se é fraqueza ou não.

Em Ode de Sangue, vamos conhecer Madalena, uma vampira de 400 anos que reside em um monastério e se alimenta apenas de pessoas já com o pé na cova ou de má índole, ela reside ali há anos, e diferente de muitos humanos, Madalena possui uma fé e uma humanidade capaz de abalar até o mais casto dos homens.

Quando Madalena descobre que o novo padre é um caçador e ele sabe sua identidade secreta, ela não resiste, mas tem um pedido, uma confissão apenas, e o padre pode enfim dar a paz tão esperada ao seu corpo, mas conforme Madalena relata seu passado, a fé do padre é posta em cheque, como um ser tão cruel e desumano pode carregar tanta dor e fé ao mesmo tempo?

Ela é humana demais para ser vampira. Boa demais até mesmo para ser humana.

Apesar de ser um conto curto, com apenas 79 páginas, a premissa tem muita qualidade e competência para se tornar um exemplar de 200 páginas ou mais. Com uma escrita surpreendente e cativante, Nana criou um mundo completamente diferente do que estamos acostumados, criou uma vampira cheia de dúvidas e fé que mexe não só com o conceito de certo do Padre, mas também do leitor.

Madalenas passou por muitos encalços na sua vida, e seu inferno começou dentro de um convento, mas ainda sim, sua fé é inabalável, ela acredita que pode ser salva de alguma forma. Depois das atrocidades que viveu, Madalena tinha tudo para se rebelar contra Deus, e até fez isso em determinado momento, mas não existe rancor em sua essência, vingança talvez...

O conto possui uma pesquisa histórica profunda, durante a leitura é possível visitar a Roma de séculos passados através da narrativa coesa e com fundamentos da autora. A descrição dos monumentos e lugares é coesa sem ser excessiva.

Através dos olhos e da história de Madalena, também faremos uma vista aos recantos mais negros da religião, aos segredos mais podres e fétidos que são escondidos a sete chaves, mas que uma hora em fim encontram uma brecha para fugir e chega aos ouvidos do povo.

Madalena me conquistou de primeira, e quando me vi, estava parando de ler, não porque tinha acabado, mas sim porque não queria que acabasse, agora fico aqui cheia de dúvidas e suspeitas torcendo pra que a amiguinha dê continuação a história da personagem e nos presenteie dando fim ao sofrimento de muitos leitores que aguardam ansiosamente os próximos capítulos de Madalena.

Se você gosta de bons vampiros,quando digo isso me refiro aos malignos, e leituras rápidas e instigantes, conheça a Madalena e se deixe levar pela escuridão e podridão de uma Roma desconhecida para muitos.

site: http://www.paraisodasideias.com
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 05/04/2018

A Sra. Vampira
Existem gêneros e personagens que perpetuarão para sempre no mundo da leitura, criaturas que independente do tempo ou características estarão sempre entre os lidos, e vampiros com certeza são os Reis e rainhas dessa lista.

Drácula, Entrevista com Vampiro, Vampiro Lestat, Crepúsculo e agora Madalena, mas Madalena apesar de ter anos de vida, não vai te contar muito, pois a magia de Madalena é te deixar curioso.

Sou um monstro, sou antiga, mas me sinto ainda humana e nem saberia dizer se é fraqueza ou não.

Em Ode de Sangue, vamos conhecer Madalena, uma vampira de 400 anos que reside em um monastério e se alimenta apenas de pessoas já com o pé na cova ou de má índole, ela reside ali há anos, e diferente de muitos humanos, Madalena possui uma fé e uma humanidade capaz de abalar até o mais casto dos homens.

Quando Madalena descobre que o novo padre é um caçador e ele sabe sua identidade secreta, ela não resiste, mas tem um pedido, uma confissão apenas, e o padre pode enfim dar a paz tão esperada ao seu corpo, mas conforme Madalena relata seu passado, a fé do padre é posta em cheque, como um ser tão cruel e desumano pode carregar tanta dor e fé ao mesmo tempo?

Ela é humana demais para ser vampira. Boa demais até mesmo para ser humana.

Apesar de ser um conto curto, com apenas 79 páginas, a premissa tem muita qualidade e competência para se tornar um exemplar de 200 páginas ou mais. Com uma escrita surpreendente e cativante, Nana criou um mundo completamente diferente do que estamos acostumados, criou uma vampira cheia de dúvidas e fé que mexe não só com o conceito de certo do Padre, mas também do leitor.

Madalenas passou por muitos encalços na sua vida, e seu inferno começou dentro de um convento, mas ainda sim, sua fé é inabalável, ela acredita que pode ser salva de alguma forma. Depois das atrocidades que viveu, Madalena tinha tudo para se rebelar contra Deus, e até fez isso em determinado momento, mas não existe rancor em sua essência, vingança talvez...

O conto possui uma pesquisa histórica profunda, durante a leitura é possível visitar a Roma de séculos passados através da narrativa coesa e com fundamentos da autora. A descrição dos monumentos e lugares é coesa sem ser excessiva.

Através dos olhos e da história de Madalena, também faremos uma vista aos recantos mais negros da religião, aos segredos mais podres e fétidos que são escondidos a sete chaves, mas que uma hora em fim encontram uma brecha para fugir e chega aos ouvidos do povo.

Madalena me conquistou de primeira, e quando me vi, estava parando de ler, não porque tinha acabado, mas sim porque não queria que acabasse, agora fico aqui cheia de dúvidas e suspeitas torcendo pra que a amiguinha dê continuação a história da personagem e nos presenteie dando fim ao sofrimento de muitos leitores que aguardam ansiosamente os próximos capítulos de Madalena.

Se você gosta de bons vampiros,quando digo isso me refiro aos malignos, e leituras rápidas e instigantes, conheça a Madalena e se deixe levar pela escuridão e podridão de uma Roma desconhecida para muitos.

site: http://www.paraisodasideias.com
comentários(0)comente



tatakizi 16/02/2018

Ode de Sangue
"Posso parecer um homem tolo nesse momento, mas para criaturas como nós, quase mortos, cada sentimento deve ser cultivado e preservado."

A autora nos apresenta Madalena, uma garota vivendo na Itália, no séc. XVII, ao redor de pintores famosos e obras de arte. Poucos naquela época sabiam ler, mas graças à sua mãe, Madalena desenvolveu um interesse pela religião e em aprender novas línguas.
É em uma visita à biblioteca que Madalena encontra Giovanni, um nobre que está disposto a ensiná-la sobre arte, música e que irá transformar sua vida completamente.

Após alguns eventos, a garota decide que seu lugar é em um monastério. Mas ela não esperava que até mesmo lá dentro, havia tantas pessoas más. Após o inesperado acontecer e Madalena receber uma segunda chance, vingança é a única coisa na qual ela consegue pensar. Ela odeia matar pessoas para saciar o monstro dentro de si, mas a culpa tende a desaparecer quando ela escolhe as pessoas certas a serem punidas.

O livro tem apenas 73 páginas, resultando em uma leitura rápida e agradável. Simpatizei com a personagem de imediato e passei a admirá-la. Até agora estou chocada com a reviravolta no enredo.

O livro foca na humanidade da protagonista e suas crenças, saindo do clichê. A história é narrada em primeira pessoa e descobrimos junto com o caçador, toda a história de Madalena.

A escrita da Nana Garces é impecável e contagiante. Adorei ler um pouco sobre a Itália naquela época e todas as referências culturais. Mais um nacional que entrou para a lista de favoritos

site: https://www.instagram.com/p/BY6laeShKWZ/?taken-by=tatakizi
comentários(0)comente



apropagandista 05/12/2017

» Livro: ODE DE SANGUE
» Por: NANA GARCES
» Editora: ESSÊNCIA LITERÁRIA
» Páginas: 63
» Leitura: 114° do ano

CAPA 5/5
Uma capa com contraste interesse de cores escuras exaltando o vermelho sangue que faz referência ao conteúdo do livro. A imagem de boa resolução e a fonte simples branca dão um charme especial e convidativo

HISTÓRIA 3/5
Vamos lá, primeiro devo dizer que não sei se este é exatamente considerado um "livro" ou "conto" não só pela quantidade de páginas mas pelo formato que ele é descrito. Em si ele é uma autobiografia de Madalena, uma vampira de cerca de 400 anos não estereotipada entre o banho de sangue, morte e mais morte, mas alguém que já viu e viveu muito, amante de literatura e música. E por mais diferente que pareça, ela vive em um monastério, sempre em busca de salvação.

A história é contada a partir do encontro de um caçador com a vampira, que decide contar toda sua trajetória para que o homem decida se ela deve viver ou não. Em todo seu relato é visível que ela não é um monstro, mas um ser mais humano que vampiro.

A escrita de Nana é bem construída, transformando Madalena em uma ótima contadora de histórias por sua riqueza em detalhes. O livro/conto foi bem elaborado em si, mas não me prendeu tanto a atenção. Por ser um livro "Sessão da Tarde", o li com facilidade, entretanto não foi tudo o que eu esperava.

E aí? Gostam de uma boa leitura com vampiros? Algum pra me indicar? (menos Crepúsculo - não sou mto fã, ou Diários de Um Vampiro - amo os quatro primeiros livros depois perde a graça)
comentários(0)comente



Gisa 17/04/2017

Crazy for Books @gicrazyforbooks
A história é muito bem escrita e rica de detalhes inclusive com fatos históricos. A autora consegue levar a todos em sua leitura até a época em que se passa toda a história. Eu fiquei encantada com a escrita e com o conteúdo todo, todo detalhe escrito foi essencial para construção dos personagens. O que me chamou mais atenção foi que tem um conflito religioso envolvendo e que faz você pensar em muitas questões. Por mais que muitas histórias sejam fictícias nos podemos tirar lições e reflexões sobre elas, e esse conto é um, com muitas reflexões.

A personagem principal se chama Madalena e é uma jovem que tem uma fome de conhecimento. A história se passa na Itália no século XVII, e nessa época todos nos sabemos que os estudos eram bem diferentes do que temos hoje e a mulher não era permitida estudar. Porém sua mãe que era uma religiosa, através da bíblia ensina todos os seus filhos e filhas a ler. Com isso Madalena se tornou uma pessoa muito religiosa. Sua fé era algo digno de se ver, ela tinha um amor muito grande pelas pessoas, e estava sempre pronta a ajuda-las.

Madalena é filha caçula e a mais encantada por todos as histórias e ensinamentos que sua mãe a transmitiu. E é através dessa busca da leitura, artes e música que Madalena encontra Giovanni, um homem misterioso, com sua pele pálida, cabelos loiros, olhos azuis, um homem muito lindo, mas que possuía um olha triste. E a partir desse encontro na biblioteca angélica que a vida de Madalena mudaria. A partir desse ponto acontece muitas coisas tristes e dolorosas na vida de Madalena e sua família. Madalena é posta a prova para testar sua fé e o amor pelo próximo.

O que posso falar mais é que o conto traz uma mistura de emoções enquanto você lê. As emoções que senti foram: raiva, ódio, amor, entre outros que vão se misturando ao longo da leitura. Pensamentos vão surgindo a todo o momento, uma história que ficou com um gostinho de quero mais, quero muito mais saber sobre Madalena. Saber até onde sua religiosidade e seu amor pela raça humana irão chegar.

"Ela é humana demais para uma vampira. Boa demais até mesmo para uma humana."
comentários(0)comente



Ilkeline Radiche 07/04/2017

Resenha de Ode de Sangue
Conto da escritora nana garces


Vampira Irmã Madalena que trabalha dentro de um monastério católico graças a sua mãe aprendeu a ler a bíblia. Ela nasceu no século 17, em Roma, na Itália onde conhecemos um pouco de sua antiga vida e como se tornou uma freira e ajudar o mesmo monastério que sua mesma ajudara por quase toda sua vida.

Depois da morte do padre mais velho do monastério, surge um substantivo padre Cristiano que deixar Madalena com uma sensação estranha pois ele não é só um padre qualquer também é um caçador de Vampiros. Os dois já sabem o que cada um e reconhecer no primeiro encontro ele realmente saber quem é Madalena é uma vampira ela decide lhe conta sua história para o padre Cristiano e depois ele decide o que fazer. Quando terminar se achar melhor que ela deve morrer,ela não irá impelido.

Madalena e diferente de qualquer vampiro que já tinha conhecido pois ela parece mais com um anjo do que uma vampira mesmo não sendo mais humana ela ainda tem fé.
E um livro diferente sobre vampiros matança não é seu foco e um pouco sobre fé que até os vampiros tem um pouco de humanidade é as vezes os verdadeiros monstros são aqueles que você menos
esperar.

"O passado deve permanecer no passado, afinal, nosso futuro é longo."
Disponível na Amazon
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Karen Cristhina 05/11/2016

Ode de Sangue: Memórias Vampirescas - Nana Garces, Blog Ler é Viver Sonhos
Ode de Sangue: Memórias Vampirescas, da autora Nana Garces é um conto de 73 páginas que conta a história de Madalena, uma vampira, que acreditem ou não, é uma freira!
Irmã Madalena vive no Monastério de Saint Patrick e mesmo contra sua natureza vampiresca busca a salvação divina.
Nascida durante o Renascimento, a devoção e amor pelas coisas sagradas estavam incrustados em seu ser.
Irmã Madalena ajudava no hospital anexo ao monasterio no turno da noite, isso a permitia aproveitar o sangue dos que estavam em seus dias finais e amenizar a dor destes.
Após a morte de um paciente em estágio terminal de um câncer no pulmão, Padre Marcos a convida à sua sala para conversar e acaba expondo suas incorretas ações com mulheres.
Adepta da ideia justiceira de que tinha o dever de sugar o sangue de pessoas más, Irmã Madalena mata o Padre Marcos.
Pouco tempo depois um novo padre chega ao monastério.
Ao olhar para Padre Cristiano, Irmã Madalena sente um medo e nervosismo como nunca havia sentido em todos seus 4 séculos de existência. Padre Cristiano, assim como Irmã Madalena, tem um lado obscuro e escondido do mundo. Ele é um caçador de vampiros. E como caçador, seu dever é matar Irmã Madalena.
Ao se deparar com essa situação, Irmã Madalena pede que Padre Cristiano escute sua história, para que assim fique na memória de alguém após a sua morte, e que após ouvir decida se ela merece ou não morrer.
A partir daí Madalena narra sua vida, desde a infância, ajudando sua mãe nas tarefas de casa e aprendendo a ler, a adolescência, onde conheceu seu criador, até sua decisão de se tornar freira, servindo no mesmo monastério que sua mãe era voluntária.
O conto é rodeado de mistério. Madalena nos revela tantas coisas que fiquei com dó. Sua vida, ao contrário do que esperava, foi maculada e destruída por desejos alheios. Muitas coisas lhe foram tiradas e ela nos mostra que tudo pelo que passou a moldou e, por incrível que pareça, a transformou num ser da noite muito diferente dos outros. Lágrimas de sangue são derramadas e num surpreendente final (não final), Madalena segue sua existência e nos deixa intrigados para conhecer mais sobre seus 400 anos vividos.
Ode se Sangue foi me conquistando conforme cada página era virada. O livro é tão curtinho que você ler e se anima com tudo que está acontecendo e de repente acaba! (awnnnn...)
Eu espero (MUITO) que uma continuação chegue logo! (boatos de que ano que vem tem mais...... hahahah).

É isso...
Espero que gostem da resenha e que leiam Ode de Sangue!


Karen Guedes,
Ler é Viver Sonhos


site: https://lereviversonhos.blogspot.com.br/2016/10/resenha-ode-de-sangue-memorias.html
comentários(0)comente



Andy 15/10/2016

Ode de Sangue | Por Minha Fuga da Realidade
Há 400 anos, Madalena vive em um convento, na vã esperança de que encontrará redenção por tudo que fez. Ela não é má pessoa, apenas acha justo sugar seu alimento dos que ela condena culpados.
Religiosa desde pequena, aprendeu a ler com sua mãe histórias bíblicas. Porém sua sede de conhecimento aumentou, e ao buscar saciar essa sede, conheceu o misterioso Giovanni, um homem gentil que acabou por se tornar um grande amigo.

"Ela é humana demais para uma vampira. Boa demais até mesmo para uma humana"

Mas perdas fizeram com que Madalena seguisse o caminho da fé. Quando achou que sua vida ficaria melhor, se decepcionou. Pessoas que deveriam servia à Deus, pecavam.
Já dizia seu mestre que objetos religiosos não tem poder a não ser com alguém de fé verdadeira. Po isso, Madalena nunca teve desconforto algum em viver no convento, mas isso muda com a chegada de Cristiano.

"Mesmo com sua vida desregrada e de traições ele alcançaria os céus, e eu continuaria entre humanos, rezando pelo meu perdão eterno"

Não entrarei em mais detalhes para não estragar a leitura de vocês com spoilers.
A escrita da autora me fez lembrar diversas vezes a da Anne Rice. Com sua própria mitologia, Nana nos mostra um lado dos vampiros com a religião sem ser uma história totalmente religiosa.
A história é contada de forma fluída, intercalando entre presente e passado, com apenas oito capítulos e mais um capítulo extra que vai te fazer desejar por mais histórias de Memórias Vampirescas.

site: http://minha-fuga-da-realidade13.blogspot.com/2016/10/resenhando-ode-de-sangue.html
comentários(0)comente



Aninha 12/10/2016

Instigante demais!!!!
Geeente! Primeiramente eu tenho que dizer... Que conto é esse?? Simplesmente instigante demais!
A história se passa na Itália do século XVII, e conheceremos Madalena, uma garota que pertence a uma família religiosa, e que tem uma idade um tanto longa, rsrs!
Madalena esconde muitos segredos e alguns deles os fazem se sentir culpada, má! Ela tem uma paixão por música e literatura e busca uma boa convivência com a raça humana sem lhe fazer mal, tem espírito de justiceira e possui uma Fé inabalável!
A garota sofre com as "dores do amor", pois Giovanni, um rapaz que ela conheceu em uma visita à biblioteca e por quem ela ficou completamente apaixonada, com o tempo despreza o seu amor. Madalena continua sofrendo grandes perdas... Após a morte da mãe, que sempre foi muito religiosa, a garota decide morar no mosteiro/hospital onde sua mãe ajudava como noviça, pois ela acredita que essa é sua verdadeira vocação... servir a Deus!
No monastério, sozinha, longe de seus familiares e de Giovanni, Madalena passa por situações complicadas e ao mesmo tempo aterrorizantes, imperdoáveis, inaceitáveis... e tudo o que existia de pureza em seu coração é jogado ao vento, quer dizer, numa vala, junto com sua vida!
E ficaram curiosos para saberem o que acontece com Madalena e com a sua Fé?? Então vocês precisam adquirir e ler esse Conto!!!
•✿ Simplesmente estou boquiaberta até agora! Essa é a primeira história de vampiros que leio e que o contexto não se baseia apenas em "chupar sangue"! Gostei muito da forma como Madalena me foi apresentada, mesmo sendo vampira mas parecia com um Anjo!
A maneira como a autora retratou acontecimentos que muitas vezes ocorrem dentro dos muros de instituições religiosas e ficam impunes, foi algo forte e ao menos tempo realista. É chocante!
Simplesmente gostei!! E aplaudo de pé! Parabéns a autora!

site: https://www.facebook.com/TesourosdaAnny/
comentários(0)comente



Aninha 10/10/2016

Um passeio entre as palavras quase real...
Ode de Sangue é uma novela/conto que nos proporciona uma visão sobre o mundo religioso que a maioria das pessoas ignora, na verdade, quado falamos de homens que servem a igreja como Padres, Bispos, Pastores, Freiras, seja de qual religião for, o povo tem uma "mania" de engrandecer aqueles que em verdade são apenas homens, assim como todos nós. Quando falo homem, refiro-me a humanos em geral, essas criaturas que podem ser boas e também tão cruéis como a Nana nos apresenta na história.

Um conto que aborda religião mas que não é nada religioso. Uma história que lhe transporta ao século passado até os dias mais atuais, Uma história que mexe com seus sentimentos, tanto os bons quanto os ruins. Que eleva seu nível de raiva, que te faz sentir nojo e ao mesmo tempo orgulho. Sim, orgulho da forma com que a protagonista, Madalena, encara a vida a partir do momento mais crucial da vida dela. Orgulho até mesmo do monstro que ela tornou-se.

Ode de Sangue é uma fantasia urbana, uma história fictícia que tem um que de real que vai deixar muitos leitores reflexivos e até mesmo terão certa dificuldade de digerir algumas informações.

Um livro que lhe tira da zona de conforto. Vampiros sob uma perspectiva bem diferente do que estamos acostumados a ler por aí. Segredos, crueldade, dor, medo, muito sofrimento, superação e perigo são alguns dos ingredientes utilizados pela autora e que deram muito certo proporcionando ao leitor uma viagem quase real e que talvez ainda aconteça nos dias de hoje, aliás, acontece, porém de forma diferente e talvez ainda mais cruel. Temos visto muitas denuncias atualmente por aí e que podem comprovar essa minha opinião.

Um relato cheio de emoção e dor, segredos que ainda não foram revelados. Madalena e sua turma me conquistou de primeira, estou ansiosa pela continuação e para conhecer um pouco mais de Giovanni, o criador de Madalena. Ah, temos um caçador que possuí uma fé real, será ele um monstro ou é bondoso? As vezes matar monstros pode ser uma forma de esconder seu lado obscuro, afinal, de monstros, ninguém deveria sentir falta... Contamos coma presença de personagens que nos deixam curiosos, o Giovanni e o Padre caçador, aguardo ansiosa por um livro só deles, será? Só a autora poderá nos contar.

Com uma escrita deliciosa, fluída e inteligente a autora nos conduz por entre as palavras com sabedoria. Uma ambientação perfeita, informações sobre a época na qual parte da história se passa são concedidas ao leitor na medida certa, nem mais nem menos, apenas o essencial de acordo com a personalidade da nossa contadora de histórias, a Mada. A revisão está boa, a capa é PERFEITA e condiz com o enredo do início ao fim.

Bom, se indico? Sem sombras de dúvidas, indico para todos aqueles que não esperam nos vampiros criaturas perfeitas e sedutoras, mas que tentem enxergar a maldição que pode ser o fato de ser um monstro: humano ou vampiro...

[QUOTES]

“— Pare com essa farsa, irmã Madalena… Em todos os lugares do mundo, eu jamais imaginei que encontraria uma vampira vivendo em um monastério.”

"De forma alguma eu menti sobre buscar o perdão e a salvação, mas tenho uma criança brincalhona dentro de mim. Um monstro aproveitador e egoísta que quer manter a imortalidade. Eu me dou muito bem com ela."

"Não há prazer em ser vampiro, somos amaldiçoados. Sem sol, sem prazer, dependendo dos humanos, o nosso único amor é o sangue. Viver da morte não é simples."

"Ela é humana demais para uma vampira. Boa demais até mesmo para uma humana.

Até mais ver!

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Clube do Livro 10/10/2016

Resenha do blog clube do livro e amigos por Ingrid MS (Completa)
“Desde que eu recebi o dom do sangue, decidi por seguir um caminho justiceiro, bebendo daqueles que mereciam ter suas vidas tiradas. Eu sei que estou fazendo um papel de juíza, mas precisava assumir um lado.”

Seu criador a havia alertado que o perigo não estava nos objetos sagrados, mas em quem os empunhava. Todavia, em todos os seus quatrocentos anos de vida, a vampira Madalena não encontrou ninguém que os empunhasse corretamente e que tivesse fé suficiente pra amedrontá-la.



Optou por viver no monastério de Saint Patrick, onde de certa forma, pretendia buscar a salvação de sua alma condenada, rezando por perdão. Trabalhando a noite como voluntária em um pequeno hospital, conseguia se alimentar sem precisar caçar, só precisava encontrar o paciente certo.

“A morte sempre foi uma companheira constante, eu lidava com ela quase que diariamente quando fazia o papel de “Anjo da Morte”, matando aqueles que eu julgava serem de má índole.”



Sempre que ela se alimentava de um humano conhecia a sua história. Eles viviam para sempre em seus pensamentos. Portanto, não queria morrer sem antes estar no pensamento de alguém.

Madalena se deparou com um homem assustadoramente diferente. O olhar profundo dele sobre ela a deixou desesperada. Nenhum humano a havia feito se sentir daquele jeito.

“— Pare com essa farsa, irmã Madalena… Em todos os lugares do mundo, eu jamais imaginei que encontraria uma vampira vivendo em um monastério.”

Padre Cristiano não era apenas um jovem Padre e bom homem de Deus, mas um caçador com muito poder, que estava disposto a matá-la. Porém, antes de fazê-lo, Madalena pediu , que ele ouvisse sua história e, quando chegasse ao final, decidisse se ela realmente deveria morrer ou não.

"... foi quase uma surpresa para mim quando o vi guardar a cruz no bolso e se afastar, se sentando na frente da porta e me olhando com a mesma seriedade de antes. Que olhar forte e interessante.

— Está certo. Convença-me."

Um conto recheado de memórias, que apesar de tratar do tema "vampiro", algo tão comum, conseguiu trazer um novo olhar. Cercado de filosofia e conhecimento. Contém passagens marcantes e muita sensibilidade.

Narrado em primeira pessoa pela perspectiva da protagonista, Madalena, descreve os fatos de forma minuciosa.

A autora, com sua escrita detalhista e inteligente, conseguiu desenvolver a trama sem deixar brechas ou tornar cansativa. Construindo seus personagens com perfeição.

A capa é linda, sombria e harmoniosa. A diagramação é simples e a revisão ótima.

Dou cinco estrelas e recomendo!!!


site: http://clubedolivro15.blogspot.com.br/2016/10/outubro-sangreto-resenha-nacional-ode.html#more
comentários(0)comente



Karoline Coimbra 09/10/2016

Ode de Sangue
Ode de Sangue é um conto sobre uma vampira de quase 400 anos chamada Madalena que vive em um monastério-hospital católico mantendo esse segredo das outras freiras, pois busca a salvação de sua alma dessa forma. Madalena se alimenta das pessoas que estão a beira da morte ou de pessoas que fizeram algum mal para alguém, porque assim é sua forma de aceitar a sua condição vampiresca e acabar encontrando sua salvação, pois está tirando a vidas das pessoas, que segundo ela, não merecem viver. Se considera uma espécie de justiceira por isso. Madalena escolheu viver neste monastério depois que sua vida tomou um rumo diferente devido a uma notícia triste e também devido às suas crenças religiosas, pois era católica mesmo antes de se tornar vampira . Mas o encontro de Madalena com alguém coloca tudo isso em risco, antes ela escolhia quem viveria e quem morreria, mas agora é outra pessoa que tem esse poder sobre ela, e seu único pedido é contar sua história para essa pessoa.


Madalena é uma personagem solitária, pois não pode contar seu segredo para ninguém, mas ela aceita ser assim, já sofreu muito é só quer sua salvação, um rumo para seguir e se encontrar na religião mesmo sendo vampira. Madalena nos mostra que por mais difícil que as coisas sejam, sempre podemos optar em fazer o bem ou o mal e viver da forma que quisermos, só basta ter força de vontade e determinação e não se deixar abalar pelas dificuldades que a vida nos traz. image

É um conto bem desenvolvido pelo pouco número de páginas que possui. O que é ótimo porque não permite que a história tenha cenas desnecessárias e cansativas, tudo o que acontece é fundamental para o desenvolvimento da história. O conto é narrado em primeira pessoa e possui um clima muito sombrio, trazendo ao leitor um clima de filme de terror (por mais que não assuste). O conto também possui cenas e acontecimentos “tensos”, ainda mais por se passar dentro de um monastério, mas essas cenas não escritas de forma pesada, apenas o suficiente para que possamos imaginar o acontecido e o suficiente para nos colocarmos no lugar da personagem e imaginarmos o quanto ela sofreu.

O conto tem personagens bem construídos, com um mistério logo nas primeiras páginas: como e por que ela se transformou em vampira? Mas ao longo da história vamos entendendo a trajetória dessa personagem, e assim surge outra pergunta: como ela conseguiu lidar com tudo isso e ser como ela é? É um conto que fala sobre igreja católica e também sobre questões históricas e nos faz voltar no tempo e entender com nitidez o que aconteceu naquela época. Esse é um conto muito legal e que te faz ter vários questionamentos então, recomendamos esse conto para aquelas pessoas que gostam de mistério e contos sombrios.

site: https://pequenosinfinitosz.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Poliana 30/09/2016

Madalena é uma vampira que se difere de todos os outros por viver em um monastério. Desde sua transformação, ou melhor, desde antes dela, a vampira tem em mente de que foi abandonada por Deus. Desta forma, ela busca redenção em seus afazeres como freira e agindo como uma justiceira quando sai para caçar, caçando apenas seres humanos que fazem coisas para prejudicar os outros como ladrões e, acima de tudo, estupradores.


Filha mais nova de uma família simples, Madalena cresceu sendo alfabetizada pela mãe que pouco sabia, mas fazia questão de empurrar os filhos em direção ao conhecimento. Fascinada pelo conhecimento e pela chance de aprender cada vez mais Madalena se esgueirou para dentro da biblioteca recém-inaugurada. Lá ela conhece Giovanni, um jovem rico que assim como ela é sedento pelo conhecimento.


Os dois acabam se tornando bons amigos. Madalena ia sempre a casa do rapaz, que lhe ensinava outras línguas e a tocar instrumentos deixando-a cada dia mais encantada. Vendo que dali poderia sair uma grande oportunidade para a filha, o pai permitiu que Madalena passasse seus dias na companhia de Giovanni. Contudo, isso não durou muito.


Após a morte da mãe, que sempre foi muito religiosa e que sempre pedia a filha para ler um trecho da bíblia para ela, Madalena descobriu que sua verdadeira vocação era servir a Deus e foi viver no mosteiro onde sua mãe ajudava como noviça (não gente, ela não era rebelde – piada podre, mas é a vida).


No convento, longe de sua família e de Giovanni, Madalena vive uma vida difícil, mas que não deixa de amar. Contudo, toda a paixão e o amor que tem em Madalena morrem quando seus superiores abusam de seu poder.


Abandonada para morrer em uma vala, a jovem vê sua vida passar diante de seus olhos. Mas ainda não era a hora dela. Madalena é resgatada e transformada em um ser que vai contra sua fé.


A partir dai Madalena passa por um período de adaptação e desafios que a levam a viver novamente em um mosteiro. Lá, ela busca o perdão para sua alma que há tanto havia sido perdida sem jamais deixar de agir como uma justiceira. Ninguém nunca soube o que ela era e, ao contrario do que seu criador havia lhe dito nenhum dos símbolos sagrados a incomodam. Mas esse comodismo só dura até a chegada daquele que irá decidir o destino de sua alma.


Ode de Sangue é um livro que te prende e que te deixa chocado e revoltado. Por falar de religião, haverá aqueles que irão concordar e aqueles que irão discordar. Contudo, não vou fazer nenhum bafafá sobre isso porque não convém. Então vou apenas falar a verdade: a autora soube trabalhar com maestria todos os fatos. É evidente que houve muita pesquisa devido ao fato de que Madalena tem 400 anos de idade e ao fato de como as coisas realmente funcionaram e aos erros que homens, independente de ser ou não da igreja, cometem. O sofrimento e o dilema da personagem é bem trabalhado e em alguns momentos nos deixa apreensivos em relação ao que vai acontecer.

site: http://paginasdaminhavidaliteraria.blogspot.com.br/2016/09/ode-de-sangue-memorias-vampirescas.html
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2