The Maze Runner

The Maze Runner James Dashner




Resenhas - The Maze Runner


16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


julia 23/05/2012

maze runner
No geral, eu gostei bastante desse livro, eu achei a história interessante e original (não vou falar spoilers, mas pega o título que tem muito a ver haha). Uma coisa que me incomodou muito e que atrapalhou o fluxo da minha leitura foram as girias constantes da personagens na hora de falar. Eu entendo que esses meninos estão praticamente em outro mundo mas as diferença do jeito de falar, principalmente como o livro está em ingles, me irritavam e distraiam, por isso eu não dei mais estrelas pra esse livro. Mas eu recomendo e com certeza vou ler a sequencia (é uma trilogia) :)
Jaque 03/02/2014minha estante
adorei sua resenha, descreve perfeitamente o que senti enquanto lia! as gírias são tipo umas pedras no meio do caminho, ou umas moscas que ficam zunindo e não deixam a gente ler em paz hahaha não sei se me habituei ou se realmente diminui a frequência, mas nos outros livros elas incomodaram bem menos. de qualquer forma, é uma leitura quase obrigatória, pra qualquer pessoa! ;)




16/02/2014

Fazia tempo que eu queria ler esse livro, mas exatamente desde a Bienal de 2010, que tinha um stand de divulgação desse livro bem bacana. Mas não sei porque não li, nem comprei. Mas foi anunciarem o filme, e uma amiga minha começar a ler, que a vontade voltou.

Antes de começar, eu li em inglês, então me perdoem por não saber os termos em português. E vou colocar em inglês mesmo, pra não pagar mico. Esclarecimentos feitos, vamos lá.

Tudo começa quando Thomas acorda num elevador sem lembrar de nada fora seu nome. Ele acha que está sozinho, e qual não é a sua surpresa quando ao chegar ao alto, descobre que está numa Clareira, e com vários outros garotos como ele. Esqueci de dizer que Thomas acha que tem 16 anos, mas não tem certeza. E todos os habitantes da Clareira (esqueci de dizer que descobri esse nome pela sinopse) são garotos, ênfase no sexo masculino, alguns pouco mais velhos que Thomas e outros até mais novos. E todos chegaram em algum momento na Clareira exatamente como Thomas, sem lembrar de nada.

E a vida na Clareira até que não é ruim, exceto pelo fato de eles estarem presos pelo Labirinto e não encontrarem a saída. Fora isso, toda noite as portas do Labirinto se fecham, e o Labirinto é tomado por criaturas meio animais meio robôs, letais. E uma picada desses seres, os Grievers (não sei em português), leva a uma espécie de doença, e se o pobre infeliz tiver a sorte de escapar, lembra de algumas coisas de sua vida anterior. E quem passou por isso jura, que mesmo com tudo isso, a vida na Clareira é muito melhor. Esqueci de dizer que eles vivem isolados lá porque alguma tragédia assolou a Terra e a vida como a conhecemos.

Tudo corre como sempre, uma vez por mês chega um novato (Greenie), os suprimentos vem em abundância, e os Gladers seguem com suas vidas em paz, na medida do possível. Até a chegada de Thomas. Logo no dia seguinte chega outro Greenie. Ou melhor, outra. Desta vez o elevador manda uma garota, a única do lugar, e com um aviso desconcertante: tudo vai mudar. E ela conhece Thomas. E ela também parece familiar a Thomas.

Thomas é um garoto inteligente, curioso e corajoso. E teimoso. Logo quando chega à Clareira, Thomas já acha que o lugar é familiar, e assim que conhece os Maze Runners (corredores?), logo decide que é isso que ele quer fazer. Thomas também é muito perspicaz e instintivo. E Thomas não se conforma com o costume dos Gladers de abandonar os que foram feridos, e assim ele começa uma pequena revolução na vida dos Gladers. E consequentemente conquista amigos e também inimigos.

Entre os amigos, o primeiro que Thomas faz é Chuck, um garoto de 13 anos mais ou menos e que fala pelos cotovelos. Chuck é um sopro de vida no livro, curioso e com a vivacidade dos 13 anos. Além dele, Minho, o líder dos Runners, e Newt, o segundo em comando dos Gladers. Minho é destemido e muito prático, mas paciente e ensina Thomas o que é ser um Runner. E Newt tem um senso de humor ácido e tem a mente aberta. Newt também exerce uma liderança fácil, além de ter sido Runner, mas sofreu um acidente e agora manca de uma perna. O que não o impede de tentar.

Contrários a Thomas, Newt e cia. está Alby e seus comparsas. Estes são mais duros e inflexíveis. Eles se opõem a tudo que Thomas e seus amigos fazem, e quando mudanças drástica acontecem na Clareira, eles vão logo culpando Thomas por elas. Porém, eles não são os inimigos que realmente importam, e sim o Labirinto, e quem os colocou lá. Esse é o grande mistério e o que realmente causa desconforto no livro.

E o livro em si é bom, a escrita é boa, mas demora um pouco para empolgar, e também é difícil de se acostumar com os termos utilizados pelos Gladers. Mas uma vez vencida essa etapa é difícil largar. Os capítulos são em geral curtos, e bem encadeados uns nos outros, de modo que a leitura é fácil. E o final tem um bom cliff-hanger para o segundo. Vale a leitura.

Trilha sonora

Radioactive, Imagine Dragons (essa versão ao vivo é o máximo!), Explorers, do Muse (Free me, free me from this world), In repair do Our Lady Peace e Disarray, do Lifehouse.

Se você gostou de Correr ou Morrer, pode gostar também de:

Jogos Vorazes Suzanne Collins;
Divergente Veronica Roth.

site: natrilhadoslivros.blogspot.com
comentários(0)comente



Paola 14/10/2014

Muitas perguntas para poucas respostas
Comecei a ler essa série na expectativa de que fosse algo no mesmo nível de Jogos Vorazes, e por isso me decepcionei bastante.

No primeiro livro, Correr ou Morrer, o leitor fica preso por um motivo simples: sede de respostas. A cada página as perguntas aumentam em número, não dá para entender por que aqueles garotos estão na clareira, ou por que a Clareira existe, ou por que ninguém ali se lembra do passado.

Li o livro em três ou quatro dias, não dá para negar que a leitura é fluida e dinâmica, mas faltou aquele fechamento que liga alguns dos pontos.
comentários(0)comente



Juliana 03/09/2014

Nada de novo
Não me levem a mal, apesar de o livro ser um bom entretenimento, é extremamente previsível, no meio do livro você já descobre o final e ao ler os diálogos é fácil imaginar o que o próximo personagem dirá.

É tipo um Jogos Vorazes, só que sem as mirabolantes surpresa do mesmo.
Recomendo porque é uma boa leitura, prende a atenção, mas não leia esperando nada de novo.
comentários(0)comente



Jackson 12/06/2014

“Sabia que deveriam estar em silêncio, não chamando a atenção sobre si mesmo, mas não se preocupou. O jogo havia começado.“

Ao acordar dentro de um elevador escuro e em movimento sem lembra-se nada além de seu nome, Thomas não tem a menor idéia de para onde está levado, a situação fica cada vez mais confusa quando o elevador finalmente para e abre suas portas. Um grupo de garotos o olha como se ele fosse o centro das atenções.

Continuação dessa resenha em: http://tronodelivro.blogspot.com.br/2014/05/resenha-maze-runner-correr-ou-morrer.html
comentários(0)comente



Aye 02/11/2014

Recomendo! Amei o livro!

Antes de tudo, adorei a ideia. É um futuro apocalíptico mesmo, onde as esperanças estão quase no fim. Também gostei o motivo. Não é algo fantasioso, como zumbis e cia. É uma teoria, ou seja, realmente pode acontecer. Ficção, mas com aquele toque de realidade.

Logo no início, James capta nossa atenção. Com sua narrativa boa, é uma leitura fácil e agradável. Misturada como todo o mistério (tem bastante suspense, o que é ótimo) da história... Bum! Você termina o livro rapidinho. A narração é em terceira pessoa, nos dando uma visão geral do que acontece, mas o narrador também foca nos pensamentos de Thomas, então não fica aquela coisa impessoal. Gostei disso, porque ficamos num meio termo. Visão geral e pessoal ao mesmo tempo.

Os personagens são cativantes (não muito, mais são), principalmente Chuck. Ele é a fonte de felicidade da história. Gostei bastante de Thomas, Minho, Newt e Chuck. Caras bem legais. Não gostei da Teresa porque a criatura foi a que menos ajudou na fuga e tals, e ainda sai viva (como eu queria trocar ela de lugar com o Chuck!).

Mas uma coisa que eu achei desnecessária foi o romance entre o Thomas e a Teresa. Não a conexão mental, o romance. Porque, ok, James quis colocar um casal e tals... Mas eu não senti motivos para isso. Sei que tem aquele papo de "não escolhemos por quem nos apaixonamos", mas, se você comparar, teria muito mais sentido um romance entre o Thomas e o Newt do que entre ele e a Teresa! É sério! Há varias passagens (eu até fiz uma lista), onde Thomas sente-se bem ao ver Newt e coisas do tipo. Mas não tem isso com a Teresa. Achei meio forçado.

Mas tudo bem. Sempre tem aquela personagem que você não gosta porque só serve pra atrapalhar.

Outra coisa que achei legal, é que os Clareanos tem suas próprias gírias. Não são impossíveis de entender, são até legais. Faz parecer mais real - afinal, até parece que existe um lugar que a população habitante não tenha suas gírias. Além disso, aquele lance dos nomes (Thomas Edison, Albert Einstein)... Simplesmente genial! Palmas para James.

Leia o livro que você não se arrependerá.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Brubs: @resgateliterario 08/09/2014

MAIS UM VÍCIO
James dashner sabe como ferrar com sua cabeça !
Sinceramente o começo é um pouco chato , mais tem um motivo .
Ele enrola bastante mais com o pricipio de fazer que sua curiosidade aumento e na minha parte deu certo e eu simplesmente viciei !
Teremos muitos segredos , aiii só sei que é muito bom
LEIAM
comentários(0)comente



Belle 27/09/2014

Correr ou Morrer
Ótimo para quem gosta de aventura e mistério, me apaixonei, a forma com que o autor joga as informações nos faz ficar intrigados e querer ler sempre mais, espero que ele mantenha esta estratégia nos próximos livros.
comentários(0)comente



Roberta 05/09/2015

Muito bom e emocionante. Cheio de plot twists
comentários(0)comente



Juninho 19/02/2015

Maze Runner :: Correr ou Morrer (James Dashner)
James Dashner ganhou meu coração. Depois que conheci as obras de Dashner me apaixonei. Seus livros são cheios de ação, suspense, criaturas e vários outras características que deixam ele no meu Top autores favoritos huahuaha.
Conheci a escrita de James Dashner depois de ler 'Maze Runner' e é sobre esse livro maravilhoso que eu venho com uma resenha espetacular para vocês.
O livro é narrado em terceira pessoa, e conta a história de Thomas. Um garoto, que acorda dentro de uma caixa escura e desesperado. Thomas não se lembra de nada, a não ser o seu nome.
Quando a caixa se abre, Thomas se depara com jovens assim como ele, que foram mandados pelo mesmo motivo. Thomas vive em uma "comunidade" chamada: Clareira. Na clareira vivem meninos entre 13 e 19 anos ,que tem um mesmo propósito: Desvendar o mistério do labirinto.
Todos os dias um grupo de garotos chamados de "Corredores", saem para explorar o labirinto, e no fim do dia, perto do por do Sol, as portas do labirinto se fecham, fazendo assim as pessoas que ainda estiverem lá dentro, ficarem presas. Além do labirinto se mover todas as noites, existem algumas criaturas metade máquina e metade animal, chamados: Verdugos.
Quando Thomas chega na clareira, algumas coisas começam a mudar, que você vai descobrindo a cada página que lê. Na mesma semana em que Thomas chega na clareira, a caixa envia mais uma pessoa. Dessa vez uma Garota, chamada Tereza. Tereza além de ajudar Thomas no labirinto, ela traz uma mensagem que vai mudar a vida de todos os Clareanos.
O livro é ótimo, ele uma narrativa ótima e ação do começo ao fim. Amantes de Jogos Vorazes vão adorar este livro. Ele tem uma pegada bem de distopia-ação-ficção e para quem gosta do gênero vai amar. O livro flui muito bem, a história em si é cheia de mistérios, dando aquele friozinho na barriga, quando esta perto de desvendar alguma coisa. Eu dou 5 estrelas para o livro.
comentários(0)comente



Nanda 12/08/2014

A cada primeiro dia do mês um garoto chega na Clareira pelo elevador.
Thomas acorda em um elevador que o deixa na Clareira.Sem saber de nada,nem seu próprio nome,Thomas tem que se adaptar a nova vida.

Conforme as horas passam,Thomas sente uma vontade de ser um Corredor.
E que ao se tornar um Corredor,ele encontre uma saída.No dia seguinte a sua chegada,o elevador traz uma garota.O que é muito estranho.Os Clareanos surpresos por essa mudança,tem uma revelação da garota:''Tudo vai mudar.''E então apaga.Um bilhete em sua mão os deixa mais preocupados.''Ela será a última.''

Sabendo que conhece a garota e que conhece a Clareira,Thomas logo irá descobrir que terá que correr contra o tempo para salvar a si mesmo e aos outros.

Nota:Bem,fiquei decepcionada com o livro.Não exatamente com o tema,me entenda:o livro é bom,a historia é legal uma reviravolta sempre.O erro do autor foi:as gírias,tudo bem os meninos tem 16 anos,mas ele exagerou um pouco.Outro erro foi o livro ter 384 paginas e a cada duas paginas era um capítulo.Mas a historia é boa.
comentários(0)comente



Ju 10/07/2015

TMR
Definitivamente um dos livros mais gostosos e instigates que já li, James Dashner conquistou meu coração com sua escrita fluída e com cenas de ação maravilhosas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Joao 18/01/2016

Correr e ler
No universo infanto-juvenil, a literatura traz mais uma emocionante trilogia sobre luta pela sobrevivência: “The Maze Runner’’, onde o autor, James Dashner, traz a história de uma adolescente que se encontra em um mundo totalmente novo.
Thomas é um jovem que acorda dentro de uma espécie de elevador que o leva para um lugar desconhecido. É interessante saber que para ele é tudo muito estranho pelo fato de que ele está com amnésia. Esse lugar é chamado de Clareira, é onde ele convive com outros adolescentes como ele e que têm o objetivo de sair e descobrir o motivo que levou-lhes a estarem naquele lugar. Outro fato curioso é a existência de um labirinto na Clareira, onde certos jovens treinados, chamados de Corredores, exploram os corredores buscando uma saída ou uma resposta, e, ao mesmo tempo enfrentam desafios como enfrentar os Verdugos, monstros robôs noturnos. Além disso, a chegada de uma garota chamada Teresa desencadeia uma série de mudanças para as quais os garotos passam a terem de enfrentar maiores perigos e acabam tendo que desvendar o mistério do labirinto em pouco tempo com suas vidas em jogo, desafios esses lançados pelos criadores da sociedade CRUEL.
Um dos aspectos que caracteriza o autor é a forma com que ele leva os leitores a sentir uma verdadeira ‘fome’ pelo desenrolar da história e o grande clima de tensão a cada suspense que deixa no fim de cada capítulo.
O livro é ótimo, contem muitas cenas de aventuras e suspense que permitem ao leitor sentir todas essas sensações, e, além disso, o desafio que propõe ao leitor de ler para ter a possibilidade de descobrir a causa de toda história e o desfecho que tem.
Corra!... E leia The Maze Runner.
comentários(0)comente



16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2