Quando Eu Parti

Quando Eu Parti Gayle Forman




Resenhas - Quando Eu Parti


150 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Bruna 16/04/2020

Esse livro me surpreendeu
Quando comecei a ler, tinha uma ideia totalmente errada sobre qual seria o assunto desse livro. Ao avançar as páginas, fui pega de surpresa por uma história única, inovadora, sensível e verdadeira. Ri com algumas cenas, chorei com outras, me identifiquei com a personagem e simpatizei com suas dores e dúvidas.
Eu indicaria esse livro a todos os adultos que estejam passando por algum momento de conflito ou incertezas em suas vidas e que estejam duvidando de si mesmos e de sua capacidade, porque enquanto Maribeth descobria a si mesma, também podemos descobrir sobre nós.
kamac 07/05/2021minha estante
gostei muito do livro, me identifiquei em várias partes, sobre a sobrecarrega de tarefas de uma mãe, e da vontade de ir embora rsrs, uma ótima reflexão




Keite 13/02/2021

Tudo a respeito dela parecia incipiente. Como uma cicatriz que ainda está se curando. Ou talvez como uma história que ainda está sendo escrita.

Uma história sobre se conhecer, saber do seu limite. Essa história gerou em mim uma empatia pela personagem, por todas mulheres e mães.
comentários(0)comente



Isa 29/03/2021

Não sei dizer o que achei
É um livro bem escrito e bem pensado, mas honestamente não tenho uma opinião formada. As atitudes da personagens principal me irritaram várias vezes, mas acho que minha empatia nesse caso seria maior se eu me visse na pele de Maribeth.
Caroline 29/03/2021minha estante
Terminei de ler esse livro exatamente com esse pensamento. Não sabia o que dizer. Achei um livro morno, e parece que a história ia e vinha, mas não tinha nada nela. Sei lá


Isa 29/03/2021minha estante
Sim!! A leitura foi bem frustrante em muitos momentos, tinha potencial pra ser bem melhor




Leiturasdamarina 24/05/2020

Quando eu parti
Simplesmente maravilhoso!! Uma lição de vida! De que devemos valorizar as pessoas que estão em nossa vida; valorizar seus esforços sempre, por menores que sejam. Entender que está tudo bem em pedir ajuda; mais do que isso, que é muito importante saber pedir ajuda. A importância da comunicação em todas as relações; dizer quando as coisas não estão bem...
Enfim, um livro maravilhosooo!! Fiquei com gosto de quero mais! Ameeeei!!
comentários(0)comente



Markus Kalebe 31/08/2021

RESENHA QUANDO EU PARTI - GAYLE FORMAN
Quando eu parti, é o primeiro livro de ficção adulta escrito por Gayle Forman (eu já escrevi sobre outros dois livros da autora por aqui), a história narra a vida de Maribeth Klein, uma jornalista, mãe de dois filhos que vê sua vida mudar drasticamente quando seu coração para de funcionar.

Ao realizar a cirurgia e ter algumas complicações, Maribeth precisa de repouso total. Mas o que seria uma tarefa fácil, para uma mulher adulta e casada é quase impossível. Seus filhos não a respeitam, o marido fica ausente por um tempo deixando ela tomando conta de tudo. Por causa do estresse, ela decide mudar a sua vida e deixar o marido e os filhos e avisá-los que foi embora com apenas um bilhete.

Desse modo, Maribeth muda seu nome, oculta que tem marido e filhos e vai para sua cidade natal em busca de respostas sobre ela (ao longo do livro descobrimos que ela foi adotada por seus pais) Nessa jornada ela encontra novos amigos, um cardiologista que ela tem um envolvimento, mas nunca deixa para trás sua antiga vida.

Maribeth é uma personagem muito real, que poderia ser uma pessoa conhecida, o que humanizou bastante a história. Todos os personagens secundários são interessantes e mostram um pouco do aspecto da personalidade de Maribeth.

site: https://www.instagram.com/p/CLFAYY4nqlt/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
abarbarex_ 06/04/2021minha estante
Noooossa, sim! Terminei com esse sentimento, criou toda uma base para uma história fantástica e desistiu no final




Giovanna Castro 06/07/2020

Quando Maribeth partiu
Quando Eu Parti é mais um livro maravilhoso da autora best-seller Gayle Forman, que você provavelmente conhece pelos livros "Se Eu Ficar", "Eu Estive Aqui", "O que Há de Estranho em Mim", e muitos outros. A autora escreve livros de ficção com um quê de realidade: os personagens são complexos, o enredo tem desenvolvimento rápido, mas intenso, e as situações são sempre muito prováveis de acontecerem na vida de uma pessoa. O livro retrata a história de Maribeth Klein, mulher adulta, casada, com dois filhos, que trabalha durante o dia e a tarde, e a noite cuida da casa. Maribeth é tudo o que uma mãe moderna é: ocupada, cansada, preocupada. Como se não bastassem os problemas de todo santo dia, uma condição de saúde vira a vida da mulher de ponta cabeça, fazendo com que ela repense muito do que faz, com quem convive, quem ela foi e quem é, e o que quer para a sua vida. Esse livro é maravilhoso, porque mostra que todos somos feitos de traumas, incertezas e erros. Que não importa a idade e experiência que temos, ainda podemos olhar para trás, depois para o presente e termos inúmeras dúvidas. Os personagens são muito bem desenvolvidos, o enredo, surpreendente, e as reflexões e questionamentos da autora são impecáveis. Não é um livro perfeito. Porque ninguém é perfeito. E é assim que Gayle Forman perfeitamente descreve as imperfeições das pessoas. Fiquei dias pensando na história de Maribeth. Ele é super tocante. Eu amei!
comentários(0)comente



Heron R. 01/10/2020

Repetitivo
Eu achei que ela ia mudar completamente de vida e viver mil e uma experiências novas, mas tudo oq Maribeth fez foi ficar pensando na família que abandonou o tempo todo, até decidir voltar no final que não foi digno de ser chamado de final.
comentários(0)comente



Nouzaíra 27/07/2021

Leitura que mostra os verdadeiros sentimentos de uma mulher quando falando da saúde, família, casamento e filhos. A dualidade presente nos sentimentos. As coisas não sãos só boas nem só ruins.
comentários(0)comente



Larissa Destro 29/03/2021

Emocionante!
Casos de família? A gente encontra por aqui!
Maribeth tem 44, filhos gêmeos de 4 e um marido que aparentemente não se importa com nada. Até que ela sofre um ataque cardíaco e precisa tomar uma decisão.

Obrigada Gayle Forman por dividir esse livro em 72 capítulos. Eu nem vi as páginas passarem!
comentários(0)comente



Kari 17/01/2017

Em Quando Eu Parti conheceremos Maribeth que é mãe de um casal de gêmeos, casada com seu namorado por quem se apaixonou ainda na época da faculdade e uma profissional respeitada com um emprego que sempre quis. Porém como nem tudo são flores, ela acaba tendo um infarto sem perceber e o que a salva é uma consulta de rotina, onde a médica em questão acaba socorrendo Maribeth e até evitando que o pior pudesse acontecer. Maribeth passa por um processo cirúrgico e a partir daí as rachaduras começam a aparecer. Ela está saturada do tipo de vida que leva, onde seu marido não tem um emprego que garanta tranquilidade, sendo assim, ela precisa se preocupar com tudo em questões financeiras, assim como cuidar dos gêmeos mantendo a “aparência” de boa mãe, ser boa profissional, esposa compreensiva e etc.

Após a cirurgia Maribeth volta para o seu lar e se sente cada vez mais saturada, cansada e entra em pânico. Pede ajuda ao esposo e não a obtém como espera, então em um diálogo com a enfermeira acaba decidindo partir com o dinheiro que tem na poupança, herança que seu pai lhe deixou, sem entrar em contato com ninguém e deixando seus filhos para trás. Ela tem intenção de melhorar, já que está recém operada, sente dores e praticamente está sendo excluída de suas funções na empresa pela sua amiga e chefe (ou talvez ex amiga), concluindo ela vai para outra cidade e a princípio a ideia é passar alguns dias.. Mas esses dias vão se estendendo e ela passa a escrever cartas para seus filhos, cartas que nunca envia, além de procurar por seus pais biológicos; ela é adotada e de começo a intenção é de obter informações de saúde já que se encontra em um momento delicado.

Maribeth enfrenta novos desafios pessoais, dúvidas, devaneios e os dias vão passando e ela longe de sua família. O que será que irá acontecer com Maribeth? E o que seus filhos e marido pensam sobre o que ela fez?

Bom, tenho dois filhos (um adolescente e uma criança de 8 anos) e JAMAIS, JAMAIS, deixaria eles para trás. Eles são o motivo de eu renovar minhas energias diárias para lutar e seguir adiante! Literalmente – “Minha vida pela deles”, mas em inúmeros momentos, assim como Maribeth, me sinto sobrecarregada, estressada e no limite.. Sinto desejo que alguém me socorra e diga: “Calma! Eu resolvo tudo!”. Mas assim como nessa ficção, no mundo real não tenho essa ajuda fantástica e tenho que rebolar para resolve tudo, algumas vezes com apoio, outras não! E sim! Bate o desespero e toda vez que escuto meu filho dizer que está louco para crescer e ser adulto, eu respondo: “aproveite muito enquanto você tem alguém para resolver tudo por você, pois ser adulto não é mole não”.

Então o que eu quero dizer com isso? Fiquei com raiva da decisão de Maribeth deixar seus filhos para trás. Me doeu de verdade, ainda mais que recentemente eu passei por uma situação sinistra onde eu quase perdi meu filho em um acidente e quase morri também, então não.. Não consigo entender como uma mãe abandona os filhos, e isso me incomodou, percebi os problemas de Maribeth, as questões do passado não resolvidas, mas ainda assim, eu JAMAIS deixaria os meus meninos!

Mas concluindo, percebi o que já sei, que precisamos enfrentar nossos monstros para aprender a lidar com o que tem ao nosso redor. Ainda assim não me agradou várias das atitudes da personagem principal. Mas o livro é bom e sei que é uma realidade palpável, o desejo de muitas mulheres em ter mais espaço, mais parceria, mais tempo.. Sei que assim como eu me sinto sobrecarregada com inúmeras situações, muitas mulheres sentem-se assim, mas cada uma lida de forma diferente com o que acontece ao redor. Eu não me vejo fazendo o que Maribeth fez, mas sei que existe na realidade muitas Maribeths. E verdade seja dita, cada um sabe a cruz que carrega.

A escrita de Gayle Forman está mais madura e ele nos trouxe um tema muito real e que traz excelentes reflexões.

comentários(0)comente



Bruno 09/04/2021

Interessante
Uma leitura muito gostosa. Tive uma empatia muito grande com a protagonista, mas também teve momentos da leitura que não entendia ela. Mas no final entendi a proposta do livro e acabei gostando muito, mesmo não se tornando um dos meus favoritos, certamente irei recomendar.
comentários(0)comente



Mariana 18/06/2020

Gostei
Uma boa história, bons personagens, só queria um final mais elaborado... hahaha
comentários(0)comente



Sarah 07/05/2021

Perfeito
Fazia tempo que eu não lia um livro que me fazia chorar tanto.

O livro conta a história de Maribeth, uma mulher de 44 anos, casada, tem um casal de filhos gêmeos de 4 anos e trabalha numa revista famosa. Já dá pra imaginar que a vida dela é um tanto quanto corrida. Por conta dessa correria, Maribeth se vê tendo que parar. Ela sofre um infarto. Talvez finalmente ela vá ser cuidada ao invés de ter que cuidar.
Infelizmente não. Vida de esposa e mãe é pesada e mesmo doente, Maribeth é pressionada para cuidar de tudo e todos.

A história de Maribeth é contada mostrando como é a realidade na maioria das famílias: uma esposa sobrecarregada. Por todo o livro a autora vai relatando como Maribeth lida com isso e encontra um jeito de se curar sozinha. Não só uma cura física, mas emocional.

O livro é perfeito e me surpreendeu demais. Aborda matrimônio, maternidade, fertilização in vitro, adoção, amizade, culturas diversas, crises de meia idade e muito mais. Vale a pena!
comentários(0)comente



Isa @amorliterato 24/03/2020

Vale a pena!!
Em meio a tanto caos externo e que acaba se tornando, também, interno, precisamos de alguns momentos de relaxamento. E essa foi a minha escolha: ler!

"Quando eu parti" é aquele livro contemporâneo que poderá te levar até outra realidade. O tema principal não é leve, estamos em meio ao caos da mente de Maribeth. Mas mais do que isso, ficamos imersos em um processo de redescoberta!

É curioso: eu estava lendo tantos clássicos que já tinha me esquecido como é ler algo que faça referências a coisas que fazem sentido no nosso mundo atual - séries, músicas...

Realmente me surpreendi muito. Ao terminar a última página já me senti órfã dos personagens, sabe? A quanto tempo não tinha essa sensação!!

E você? Tem algum livro para me recomendar? Preciso não ficar doidinha!
comentários(0)comente



150 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR