No Limite da Loucura (Madness Underneath)

No Limite da Loucura (Madness Underneath) Maureen Johnson




Resenhas - No Limite da Loucura


11 encontrados | exibindo 1 a 11


Maselha Alves 05/07/2020

Minhas impressões
Este é o segundo livro da trilogia as sombras de Londres, confesso que prefiro o primeiro livro do que esse, mas o chato é que todas as trilogias que leio sempre o segundo livro enrola mais :( Porém as sombras de Londres esconde muito mais do que aparentam ser e sempre está surgindo algo novo, terroso e a Rory possui um poder "especial" que ver pessoas mortas ou melhor os espíritos, enfim ela é a única pessoa que consegue enxergá-los (Eu não lembro se Bu, Callum e Scott obtém também).
Dessa vez ela não se encontra em Londres, teve que ficar na outra cidade por conta do assassinato, jack foi embora, mas o próximo que vem... vou te contar... achei o fato mais aterrorizante, na capa deste livro quando você descobrir o que é, como ocorreu e como alguém morre nisso você pretende nem continuar (assim eu senti, mas sou ansiosa e comtinuei).
Surtei quando ela sumiu, ela foi raptada e conviver com aquelas mulheres sinistras foi eu querer doar meus rins e morrer depois (eu e meus dramas), entrentanto, os trios (Callum, Scott e Bu) estão numa investigação profunda procurando por ela.
Li os dois livros bem rápido e o final quase tive infarto, tive que ler o próximo rapidamente porque Rory e Scott se beijam, se gostam e enfim ocorre algo (sem dá spoiler) ele some, tem que achar o espírito, alma, sei lá o que do Scott. Ah! e recomendo.
comentários(0)comente



Cheiro de Livro 05/12/2016

No limite da loucura
Ultimamente, ler tem sido estressante. Eu sei, bizarro, né? Mas é que a pressão de ler alguns livros correndo para não ganhar spoiler de espíritos sem luz é demais! Essa e outras situações de trabalho, Clube do Livro e muito mais. Então foi uma delícia voltar à escrita de Maureen Johnson e ler “No limite da loucura” (selo Fantasy da Editora Rocco). Eu adoro a trilogia Sombras de Londres (o primeiro livro é “O nome da estrela” e eu falei dele no blog da editora) não somente porque reúne literatura YA e fantasmas, mas também porque é quase desconhecida! Então dá para ler de boas, sem desespero que alguém vai pular na sua frente e contar o que acontece no fim do livro.

“No limite da loucura” continua a história de Rory, uma adolescente americana que está morando/estudando em um internato britânico. Ela passou por situações complexas no primeiro livro e agora tem que lidar com traumas que ficaram. Isso e mais alguns fantasmas mucho lokos que estão aparecendo por aí e matando pessoas.

Nesse livro, Maureen relembra alguns fatos do primeiro, mas não todos, então recomendo MUITO ler o primeiro. Ele é um pouco mais sombrio do que o primeiro e sua história não fecha. É tipo assim:

– O nome da estrela = personagens excelentes+ narrativa que prende + gótico suave + final tenso, mas ok. Posso ou não ler o próximo.

– No limite da loucura = desenvolvimento dos tais personagens excelentes + narrativa que prende + ANGST! + dois gatinhos + final WHAAAAAAT? COMO ASSIM!? CADÊ O PRÓXIMO!?

É tipo isso, saca?

É difícil fazer resenha do segundo livro sem estragar o primeiro e, como disse no início, pela trilogia ser quase desconhecida, não quero estragar o primeiro! Então LEIAM e ajudem a minha vida ser mais fácil na hora de resenhar!

Um dos pontos altos de “No limite da loucura” não somente é o MEGA gancho que Maureen deixou no final, mas sim a temática de culpa de sobrevivente. Nossa protagonista sobreviveu a algo terrível e precisa aprender a lidar com isso. Por fora, quer que tudo esteja bem, quer fazer a diferença na vida alheia porque ela precisa de controle. Ela não pode controlar o que aconteceu com ela, então ter controle sobre algo em sua vida é necessário agora. E eu acho incrível como é importante ter temas assim sendo debatidos em literatura jovem adulta. Mesmo quando o livro é algo macabrinho e feito somente para divertir, ele pode ser muito mais do que isso. Cabe a nós, leitores, buscar os temas mergulhados nas entrelinhas e no propósito da história.

A trilogia Sombras de Londres não é somente composta por livros que assustam e divertem, mas sim habitada por personagens que tiveram traumas em suas vidas e que precisam continuar vivendo. E como o poder da amizade e da empatia ajuda muito em uma hora dessas.

site: http://cheirodelivro.com/no-limite-da-loucura/
comentários(0)comente



vinicius.fagundes.93 25/03/2017

No Limite da Loucura é um mistério YA, escrito pela autora Maureen Johnson e publicado pela Editora Fantástica. É o segundo volume da série Sombras de Londres, e conta a história de Rory, uma jovem americana, mais especificamente de Nova Orleans que se muda para Londres, quando seus pais aceitam um trabalho de professores de uma universidade britânica. Rory passa a estudar em Wexford, um colégio interno histórico no centro de Londres.

Mas a mudança de Rory pra Inglaterra não vai ser tão tranquila assim. Ao mesmo tempo que em que ela desembarca em solo britânico, um serial killer inicia uma onda de assassinatos, inspirada até os mínimos detalhes nos famosos assassinatos de Jack, O Estripador, um assassino misterioso que assombrou Londres no século 19. Pra piorar a situação, Wexford fica bastante próxima dos locais dos assassinatos.

Rory não imagina que vai acabar se envolvendo com esse mistério de uma forma totalmente diferente, quando ela testemunha um possível suspeito. O mais estranho é que ninguém mais viu o tal suspeito. Ela acaba descobrindo que as sombras de Londres esconde muito mais do que aparentam, e que talvez, ela seja a única pessoa que consegue enxergá-las.

Mais uma vez, o resumo no começo da resenha se refere ao primeiro livro da série para evitar os spoilers. O primeiro livro é focado principalmente no mistério desse assassino, e o segundo é mais focado em Rory aprendendo sobre as habilidades misteriosas que ela mesma não sabia que tinha. Então, achei melhor não entregar o enredo do livro logo de cara, sabe?

Como eu já falei, o livro é protagonizado e narrado pela Rory, e a narração dela é uma das minhas partes favoritas do livro. Ela é inteligente, engraçada, e ter ela como narradora tornou a experiencia da leitura muito mais agradável. Eu li os dois livros bem rapidinho e isso reforçou bastante o meu pensamento de que a narração pode fazer ou destruir uma história. Se a narração da Rory fosse diferente, eu acho que eu não teria curtido tanto essa série.

O que logicamente, também quer dizer que a escrita é outro ponto positivo. Essa foi a minha primeira leitura da Maureen Johnson, (fora os contos que ela escreveu para a coletânea As Crônicas de Bane, com a Cassandra Clare) e foi uma ótima primeira impressão. Já tô super afim de ler outros livros dela, e lógico, de continuar lendo os outros volumes dessa série.

Infelizmente, nem só de positivos vive No Limite da Loucura. O maior problema que eu tive com o livro foi o enredo em si. Não sei se consigo explicar direito o porque, mas achei o plot meio devagar. Parecia que nada acontecia, até que de repente ACONTECIAM VÁRIAS COISAS. O enredo hora é parado, hora é cheio de tensão. Acho que o ritmo da história poderia ter sido melhor executado.

Outro ponto negativo pra mim é o aspecto sobrenatural. No primeiro livro, a atmosfera sobrenatural era bem mais presente, enquanto no segundo, parece que ele meio que ficou em segundo plano, dando mais destaque pros dramas pessoais da vida da Rory. Claro que o livro tem que focar nos problemas da protagonista, mas eu gostaria de ter visto mais daquele clima de mistério que me agarrou tanto no primeiro livro.

E o final do livro também me deixou meio chateado. Ficou bem claro que o final é um setup pro próximo livro. Tá, até aí tudo bem. Mas como eu já tinha falado, parece que os acontecimentos que levam a esse final acontecem rápido demais. É o problema do ritmo de novo, as coisas não acontecem, até que elas acontecem todas ao mesmo tempo. Não é o tipo de final que me agrada.

No geral, No Limite da Loucura é uma leitura agradável, apesar de suas falhas. Se não fossem os problemas com o ritmo e a falta da atmosfera sobrenatural, seria uma resenha cinco estrelas. Mesmo com esses pontos, a narrativa e a ótima escrita da Maureen Johnson, e o fato de eu gostar demais da Rory como protagonista, garantem uma nota boa pra esse livro.

site: http://laoliphant.com.br/resenhas/resenha-no-limite-da-loucura
comentários(0)comente



Dana Silva 04/11/2016

Why, Maureen, Why?
Nesta sequência, após o fatídico acidente que tirou Rory de Wexford, a garota volta para Bristol com seus pais enquanto se recupera do esfaqueamento. Rory tem que frequentar terapia para que possa superar os acontecimentos da escola, mas o que ela quer mesmo é que sua vida volte ao normal, antes de ela ter conhecimento da polícia secreta que combate os fantasmas de Londres.

Logo após a ida de Rory, um estranho assassinato acontece em um pub nas proximidades de Wexford. Um funcionário aparentemente matou a marteladas o dono do bar. Apesar de o homem depois de um tempo ter assumido a autoria do crime, algumas coisas não se encaixam. Uma mulher cai do alto de uma janela de cabeça no chão e uma testemunha afirma veementemente de que a mulher não se jogou, ela foi empurrada, mas não havia ninguém na casa e nem sinais de arrombamento.

Julia, sua terapeuta, afirma que Rory está pronta para retornar às aulas em Wexford e diz que isso será bom para que ela supere seus traumas. Os pais da menina ficaram meio relutantes mas acabaram por concordar que Rory voltasse a Londres. O problema é que durante o período em que passou fora da escola, Rory mesmo tendo recebido todas as tarefas e lições para estudar, não pegou em nenhum livro e agora seu rendimento na seleta escola de Wexford está ameaçado. Ela está muito atrasada e sabe que isso pode significar sua saída permanente de lá.

Bom, não quero revelar mais do que o necessário para não ter spoiler deste livro. O começo desta sequência tem um ritmo um pouco mais lento em relação ao primeiro livro, mas quando as coisas começam a acontecer de verdade, a leitura assume um ritmo desenfreado fazendo com que não consigamos mais parar de ler.

Eu adoro a Rory, ela é uma das raras personagens femininas de YA que eu gosto. Ela tem atitude, sabe se impor e é muito inteligente. Também tem defeitos, claro, mas as qualidades superam os defeitos. Eu adoro o jeito maluco dela de tagarelar quando fica nervosa ou ansiosa. Às vezes ela é como eu, está falando sobre uma coisa e do nada muda de assunto. Me identifico muito haha.

Alguns personagens estão de volta e outros aparecem bem menos neste livro, como Jazza, que é uma personagem que gosto muito. Rory reencontra seus amigos da polícia secreta, Stephen, Callum e Bu, e é claro que ela vai se envolver de alguma forma na investigação dos assassinatos, pois desconfia que estão sendo cometidos por fantasmas.

Rory também retoma o namoro com Jerome. Apesar de eu não achar que eles tem muita química, não são um casal que eu desgosto. Outros novos personagens são acrescentados à trama e que terão suma importância no desfecho desta. O cliffhanger deixado no final deste livro é de arrancar os cabelos. Por falar em final, jamais vou perdoar a Maureen pelo que ela fez com um certo personagem. A menos que ela conserte as coisas no próximo livro, mas não acho que será possível.

Recomendo a leitura para fãs de Young Adult, pois contém todos os elementos de um bom YA e tudo na medida certa! Virei fã da série e espero muito o ultimo volume pois o final me deixou bem ansiosa e com algumas perguntas ainda na cabeça. Espero que a Rocco não demore muito a lançar pois a gente acaba esquecendo da história e perdendo o interesse quando demoram muito a publicar. No mais, eu amei! Super recomendo!
Nayra 19/12/2016minha estante
Acabei de ler esse livro. E to super de cara com o final tbm..
Ficou aquela expectativa para que tenha dado certo né, hehe.
Realmente espero que ela conserte no próximo livro, pq foi maldade o que a autora fez, de verdade :(




Debyh 12/03/2017

Bem enrolado
Eu comecei a ler esse livro esperando muita ação sobrenatural, ou no mínimo uma aventura pelo mundo fantasmagórico, mas não foi bem assim. Este é o segundo livro da trilogia Sombras de Londres, então como a explicação geral destes livros costumam acontecer no primeiro livro, pensei que teria mais ação nesse, mas não teve. Me senti frustrada.
No Limite da Loucura, passa bem longe do título e da capa, e Rory é um tanto quanto repetitiva em suas atitudes, o livro inteiro foi bem enrolado e sem nada demais acontecendo, o que é uma pena já que ele possui um conceito que poderia ser bem explorado.

(continua no link)

site: http://euinsisto.com.br/no-limite-da-loucura-2-maureen-johnson/
comentários(0)comente



Jeff.Rodrigues 30/04/2017

Resenha publicada no Leitor Compulsivo.com.br
Já desenvolvi uma teoria em resenhas anteriores de que em trilogias o segundo livro tende a ser, em geral, aquela sequência de fatos que nada acrescentam a história. Infelizmente, No Limite da Loucura veio reforçar essa tese. Antes de mais nada, recomendo a leitura de minha resenha de O Nome da Estrela, livro um da trilogia Sombras de Londres (postada no site www.leitorcompulsivo.com.br).

Pronto! Agora vamos lá... No Limite da Loucura começa exatamente no ponto em que O Nome da Estrela terminou. Seguimos Rory em sua recuperação dos traumas do enfrentamento com o espírito que fingia ser Jack, O Estripador, e seu retorno a Wexford para retomar os estudos e se envolver em mais uma investigação. A qualidade de linguagem, a fluidez da história, os personagens envolventes, tudo permanece sem alterações. Maureen Johnson não perdeu o ritmo que me cativou no volume um, e mostrou bastante segurança ao ampliar esse universo das Sombras de Londres trazendo novos personagens e situações sem deixar fios soltos ou atrapalhar pontos já cristalizados na história anterior.

Porém, a história só acontece pra valer nas cinquenta páginas finais. A primeira parte é extremamente lenta e em muitos trechos chegamos a perder um pouco o interesse em acompanhar a narrativa. Na segunda parte, há um tímido começo de ritmo, mas só nas sequências finais é que somos envolvidos de verdade e começamos a devorar as páginas. Acredito que muitas passagens eram totalmente desnecessárias, pois nada acrescentaram que mudasse os rumos ou provocasse algo de surpreendente.

O amadurecimento da protagonista Rory, principalmente se levarmos em conta os acontecimentos do livro um, foi um dos pontos altos, deixando claro a preocupação da autora na construção o mais verossímil possível de seus personagens. A propósito, esta é uma das grandes qualidades que a trilogia mostrou até agora. Todos os personagens foram extremamente bem cuidados em sua criação, com dramas, problemas, manias, traumas, tudo bem colocado, explicado e desenvolvido ao longo das tramas.

No Limite da Loucura se mostrou claramente um livro-meio. Sua função é unicamente fazer a ponte entre o começo e o fim da história. Se racionalizarmos dessa forma, a obra cumpre totalmente o seu papel. Mas para quem curte um bom suspense, e esperava algo mais após a sequência inicial, essa é uma obra que deixa a desejar, até mesmo pela ausência de muita ação. Resta-nos aguardar a chegada do último livro e esperar que Maureen Johnson nos presenteie com uma conclusão de tirar o fôlego.


site: http://leitorcompulsivo.com.br/2017/03/20/resenha-no-limite-da-loucura-maureen-johnson/
comentários(0)comente



Kelly 17/06/2017

Preciso do próximo livro
Bom a leitura desse livro é muito mais fluida que o anterior. Revemos todos os personagens e conhecemos alguns.
A parte sobrenatural não está tão evidente quanto em O Nome da Estrela, não tem nenhum fantasma em evidencia, é mais sobre Rory tentando se acostumar com a visão e adapta-la a sua vida. Os personagens continuaram inexplorados. Mas a escrita da Maureen é muito boa, o que faz com que não percamos o interesse.
O final nos deixa muito [email protected]@@ da vida, já que não lançaram ainda o ultimo livro. E eu preciso muito saber como a autora vai concertar esse final, porque ela definitivamente tem que fazer alguma coisa a respeito.
Também espero que tenhamos alguns esclarecimentos sobre a Ordem das Sombras e que Bu e Callun sejam mais aproveitados.
comentários(0)comente



bárbara 06/10/2017

Não to bem depois desse final.
To bem triste na verdade.
Preciso do livro 3 pra ontem!!!
comentários(0)comente



Gerson.Salgado 09/12/2017

Poderia ter um final melhor!
O livro deixa o final em aberto, o q eu sempre acho algo ruim. Pra mim todo livro em série, tem que ter seu desfecho "pessoal".

A narrativa da Maurren tem sido algo q tem me encantado, é leve e agradável, você acaba não sentindo as páginas que está lendo, o q faz o livro passar muito rápido.

Como comecei a ler já tendo a série completa, não me abalei com o final sem desfecho porque sei que vai ter continuação, mas se não fosse isso, iria ficar bem frustado com o modo que o livro terminou.
comentários(0)comente



AndyinhA 20/01/2018

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

A ideia do livro um se perdeu nesta continuação, não sei se a autora tinha a ideia clara de que seria assim, ou a escrita/narrativa a levou a seguir esse caminho, mas o fato é que a ideia de perseguição e busca por fantasmas – diria algo ao estilo caça-fantasmas com uma pegada detetive, sumiu do mapa por aqui.

Não consegui reconhecer a protagonista, ficou perdida, confusa, sem saber para onde ir e fugiu completamente da ideia do livro anterior, em alguns momentos me perguntei se era a mesma pessoa, as vezes não aprecia.

Os personagens anteriores foram meio que apagados da história, veja bem, eles aparecem, mas perderam e muito a força de antes, apenas um personagem (novo) ganhou uma certa influência e apareceu mais, mas este personagem só aparece próximo a metade do livro, e ele que praticamente segura a história toda.

Faltou ação/drama/aventura nessa continuação, me senti perdida e sem a energia que vi no livro anterior, os mistérios, as descobertas e tal. As partes de investigação, foi como se nada tivesse existido e começássemos uma história do zero. Foi bem frustrante.

Para saber mais, acesse:


site: http://www.monpetitpoison.com/2016/11/LoucuraPoison.html
comentários(0)comente



Laura.Oliveira 08/06/2018

Os Fantasmas se Divertem
Mesmo com um belo motivo para trauma (e aliás, traumatizada) Rory retorna a Wexford para mais uma aventura, agora com poderes especiais adquirido na sua luta contra Jack estripador (ou um fantasma maluco que se achava o tal) ela se torna indispensável a Scotland Graveyard ou ao esquadrão Ghostbuster formado pela irreverente Bu, o prestativos Callum e o (na minha humilde opinião) sedutor Stephan, os inimigos agora são outros e se tratam de fantasma doidinhos espalhados pela região do colégio de Rory, mas não são apenas eles com que o nossos heróis tem de se preocupar, uma terapeuta um tanto quanto estranha e seus métodos nada ortodoxos de deixar seus pacientes relaxados também entra na história. Eu gostei muito desse livro, e dessa vez ele nem me foi um presente, acho que porque ao contrário de algumas resenhas que eu li e que me fizeram esperar que dessa vez a Rory iria ficar chata, ela se mostrou completamente decidida e novamente com seu espírito prático, bem, para quem gostou do primeiro livro, eu recomendo.
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11