O Bosque Subterrâneo

O Bosque Subterrâneo Colin Meloy




Resenhas - O Bosque Subterrâneo


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Kari 21/01/2017

O Bosque Subterrâneo é o segundo volume da série Crônicas de Wildwood e, diga-se de passagem, um livro maravilhoso. Demorou tanto, mais tanto para lançar que achei que a editora tinha desistido. Mas que bom que eu estava enganada e cá está ele!

Não pensem que é obrigatória a leitura do primeiro volume da série para ler esse, na verdade pode ser lido fora da ordem, mas eu como louca que sou, li antes claro. rsrs


Bom vamos falar da história... Prue tem uma vida comum, ela é divertida, um pouco peculiar, mais alegra tudo ao redor, apesar de irônica muitas vezes, ela tenta se manter discreta em seu canto, mas é como se ela fosse um raio de luz que ninguém consegue deixar de notar. Mas as coisas mudam quando seu irmão é sequestrado, ela aparentemente perde aquele brilho natural, o que parece perfeitamente comum aos olhos dos adultos ao redor, na verdade é uma precaução e até excesso de zelo por parte de Prue que fez grandes descobertas em torno do desaparecimento do seu irmão. Mas como explicar isso para pessoas que jamais acreditariam? O que será que está por detrás desse desaparecimento? Quais mistérios há na floresta e que revelações Pure tem a fazer? Sem contar nas batalhas enfrentadas por Curtis, seu amigo. Há muito pano para manga nesse enredo para lá de mágico e encantador, se você se permitir, se verá completamente fascinado por este mundo criado por Colin Meloy.

Tudo em O Bosque Subterrâneo remete a mistério e magia; a obra ainda conta com lindas ilustrações e com uma capa muito atraente. Um excelente trabalho por parta da Editora. Mais uma vez me vi completamente imersa nesse mundo e infelizmente não posso dar detalhes para não estragar a surpresa de quem ainda não leu.

Leiam! Leiam já!
Beijos.
Hingrid 26/01/2017minha estante
vale lembrar que a capa e ilustrações são feitas pela Carson Ellis, esposa do Colin, e não feita por algum ilustrador contratado pela galera record.




La Oliphant 01/06/2018



Primeiro de tudo, vocês precisam saber que O Bosque Subterrâneo é o segundo livro da série As Crônicas de Wildwood, e que eu não li o primeiro livro dessa série. A verdade é que, fazer a leitura do primeiro livro não é exatamente necessária, mas conforme história se desenvolve ao longo do livro, eu achei importante ter o background do primeiro livro para compreender melhor os personagens, e como eu não tinha, isso tornou a leitura um pouco mais complicada para mim do que realmente deveria.

O Bosque Subterrâneo começa algum tempo depois dos eventos finais de O Bosque Selvagem onde, Prue Mckeel retorna da Floresta Impassável depois de resgatar seu irmão. Depois de todas as aventuras vividas ao lado de seu amigo Curtis, que permaneceu na floresta para se tornar um bandido em treinamento, Prue não vê mais sua vida da mesma forma que antes. Tudo perdeu a graça, a escola já não é mais a mesma e mesmo com a nova professora de ciências no seu pé, nada parece animá-la.

bosque-subterraneo-imagem

Mas as coisas não estão tão calmas quanto parecem. Um assassino é contratado para encontrar Prue e matá-la, obrigando-a a se refugiar novamente na floresta. Um empresário macabro obriga as crianças do seu orfanato a trabalhar em sua fábrica, explorando-as dia e noite. E, quando tudo já não parecia ruim o suficiente, Prue e Curtis precisam, novamente, salvar a si mesmos e a vida de seus amigos, e trazer a unidade para um país dividido.

Eu preciso muito dizer que O Bosque Subterrâneo me lembrou muito meus primeiros anos como leitora quando eu me via imersa no mundo de Nárnia. Claro, o livro não faz nenhuma referência ao mundo criado por C.S. Lewis, mas o senso de aventura e os personagens apaixonantes são bastante similares e, o motivo de eu ter conseguido levar o livro até o final, apesar de alguns pontos do livro terem me incomodado bastante ao longo da leitura.

bosque-subterraneo-imagem2

Colin Meloy tem uma escrita muito leve e envolvente. Eu gostei muito do cuidado que o autor teve na hora de construir o universo, pensando em todos os detalhes e fazendo com que tudo se encaixasse perfeitamente. Meu maior problema com o livro foi o desenvolvimento do enredo em si. Durante boa parte da leitura eu me senti perdida no enredo, principalmente porque as coisas demoraram muito a começar a acontecer, e fez com que o enredo se tornasse um pouco maçante.

Como eu disse no começo da resenha, eu não li o primeiro livro da série, porém, a descrição de Colin é tão cuidadosa e detalhista que eu não precisei de muito para conseguir me imaginar dentro da história. Acho que esse é um dos pontos mais positivos do livro. Mesmo com o desenvolvimento lento, O Bosque Subterrâneo tem um enredo que abraça o leitor completamente. É impossível você não se envolver com as aventuras de Curtis e Prue.

bosque-subterraneo-imagem3

Os personagens de O Bosque Subterrâneo também não deixam a desejar não. Curtis e Brendan foram os meus favoritos até então, principalmente porque os diálogos entre eles eram sempre os melhores do livro. Eu também gostei muito de como a história trabalha o relacionamento entre Prue e Curtis, como existe uma confiança muito grande um no outro e como a amizade deles não mudou em nada pelo fato dele ter escolhido ficar enquanto ela voltou para o “mundo real”.

Eu realmente gostei de fazer a leitura de O Bosque Subterrâneo. Me arrependi bastante de não ter pego o primeiro livro da série para ler quando tive a oportunidade porque eu sei que o universo criado pelo Colin Meloy vale muito a pena conhecer. Acredito que se você gosta muito de fantasias Young Adults, O Bosque Subterrâneo vai ser uma leitura que irá te conquistar desde a primeira página.


site: https://www.laoliphant.com.br/resenhas/resenha-bosque-subterraneo-colin-meloy
comentários(0)comente



Fernanda 27/12/2016

Resenha: O bosque subterrâneo
Resenha no blog:

site: http://www.segredosemlivros.com/2016/12/resenha-o-bosque-subterraneo-colin.html
comentários(0)comente



Ana 08/02/2017

O Bosque Subterrâneo é o segundo volume da série As Crônicas de Wildwood e eu só descobri o fato quando a obra chegou aqui em casa e vi a capa de O Bosque Selvagem na contracapa do livro. É importante frisar que, apesar de eu não ter tido dificuldades para entender a história em si, senti falta daquela famosa descrição de personagens que só é feita em primeiros volumes de séries. Não chegou a me atrapalhar, mas a verdade é que eu não conheço tão bem os personagens como quem leu o primeiro livro.

Aqui, sabemos que Prue McKeel foi obrigada a entrar na Floresta Impassável para salvar seu irmão mais novo que havia sido sequestrado por estranhos corvos e que, apesar de terem voltado sãos e salvos, Prue não consegue mais ser a mesma. Isso porque participou de várias aventuras no bosque ao lado do seu amigo Curtis, que agora já é um bandido em treinamento. Tudo o que Prue tem agora é uma escola chata para frequentar, pais excessivamente preocupados e uma professora novata que não larga do seu pé.

Apesar de as coisas estarem aparentemente tranquilas para Prue, na Floresta não se fala em outra coisa a não ser o assassino que foi enviado para matar a menina. Aparentemente alguém não quer que Prue tome as rédeas de sua vida novamente, então Curtis e outros moradores da Floresta resolvem levá-la de volta ao bosque, onde, por incrível que pareça, permanecerá em segurança.

Em paralelo à história de Prue, temos também a visão das irmãs Elsie e Rachel Mehlberg, que foram deixadas provisoriamente em um orfanato pelos pais por motivos de força maior. O grande problema é que o orfanato é tudo, menos um lugar para crianças viverem. Por trás das cortinas há um grande tráfico de trabalho infantil coordenados pelos donos do local. Digamos que Joffrey Unthank tem uma fixação um pouco fora do comum pela Floresta Impenetrável, tanto que ele está disposto a usar as crianças “desobedientes” como cobaias vivas para conseguir adentrar na floresta. Particularmente gostei muito dessa visão da história, ficava bastante ansiosa pelas partes onde Elsie e Rachel apareciam, tamanha a minha vontade de saber o que aconteceria com as duas.

Mesmo não tendo lido o primeiro volume da série, gostei demais desse livro. Fazia muito tempo que não lia uma fantasia tão bacana e, se eu tivesse prestado um pouquinho de atenção, teria procurado ler O Bosque Selvagem antes para aproveitar a história melhor. Colin Meloy sabe muito bem prender o leitor de uma forma leve, conduzindo a história da forma certa e criando vários pontos de clímax só para deixar aquela vontadezinha que todos temos de saber o que vai acontecer com os nossos amados personagens no fim.

Prue e Curtis são personagens tão adoráveis que é impossível não se envolver ou até mesmo se apaixonar por eles. Digo o mesmo para Elsie e Rachel – ok, talvez eu tenha gostado um pouco menos da Rachel por causa da sua antipatia, mas tudo bem. Prue é uma menina muito corajosa para tão pouca idade e Curtis parece um irmão mais velho. Também gostei bastante da forma como o autor amadureceu a amizade entre os dois com o passar das páginas.

O Bosque Subterrâneo é uma aventura e tanto para quem, assim como eu, está atrás de uma boa fantasia. As ilustrações de Carson Ellis são um espetáculo à parte de tão maravilhosas e condizentes com o enredo. A história é cheia de pontos altos e eu adorei acompanhar Prue e Curtis desbravando o bosque que deu nome ao livro e não vejo a hora de me encontrar com esses personagens novamente.

site: http://www.roendolivros.com.br/
comentários(0)comente



Blog Stalker Literária 01/02/2017

Resenha pelo blog Gordinha Assumida
Depois de comandar uma revolução em O Bosque Selvagem e assim recuperar seu irmão, Prue voltou a sua vida cotidiana e nunca mais foi a mesma. Tudo que ela gostava de fazer perdeu meio o sentido e ela agora parece ouvir as plantas conversando o tempo todo, e um chamado no fundo do seu coração a guiando para a Floresta Impassível.
Do outro lado da fronteira mágica, Curtis se tornou um ótimo ladrão, mais talentoso que qualquer um de sua idade, mas um dia um aviso chega ao esconderijo dos ladrões: Prue esta correndo um grande perigo: foi enviado um assassino para acabar com sua vida, e se eles não conseguirem rastreá-la a tempo todo o Bosque pode vir a ruínas.
Recentemente eu me apaixonei por O Bosque Selvagem, e assim que terminei fui correndo para o segundo livro saber o que aconteceria afinal tudo terminou 'perfeitamente bem' no primeiro volume, mas quando iniciei a leitura já comecei a reparar que este seria muito mais maduro e interessante que o primeiro, e mesmo com altas expectativas ele me surpreendeu e me deixou sem fôlego durante a maioria das paginas.
Prue mesmo tendo voltado para sua família sente uma conexão muito grande com o Bosque e isso acaba a deixando meio aérea na maioria do dia sem vontade de fazer nada, quando ela é resgatada por Curtis percebe que a revolução para derrubar a Rainha viúva não adiantou quase nada, pois o inverno não quer passar e ninguém esta tendo o que comer, além de que os governantes estão tomando medidas cada vez mais loucas, roubando, trapaceando e destruindo tudo pelo qual ela ajudou a lutar.
Diferente do primeiro volume onde a historia de Curtis era separada de Prue e assim narradas intercalando-se nos capítulos, aqui ambos vivem essa aventura juntos é a historia paralela dessa vez é de Elsie e Rachel, as irmãs de Curtis. Seus pais vai seguir uma pista em outro país do desaparecimento do irmão e elas são levadas para um orfanato controlado por uma mulher tirana e um homem que só quer aproveitar do trabalho -escravo- daquelas crianças, colocando-as para trabalhar em maquinas super perigosas e fazendo experiências malucas para poder conseguir entrar e dominar a Floresta Impassível.
A jornada travada por estes personagens é surpreendente. Prue e Curtis a cada pagina vão aprendendo a amadurecer e tomar escolhas que vão ajudá-los a salvar esse local mágico que é parte deles, já Raquel e Elsie vai conquistando seu espaço durante a narrativa, de modo que você vai entendendo o papel delas naquela missão aos poucos, e no fim torce para que elas consigam achar o irmão pois são peça chave para o que buscam.
Mais uma vez o livro é repleto de ilustrações no meio da história, e aliando-o ao talento que o autor tem de narrar cada cenário de forma surpreendente, o leitor é envolvido pelo livro e consegue se ver em cada uma das passagens de nossos protagonistas, consegue se ver admirando as partes belas do bosque, surpreso ao descobrir uma cidade subterrânea e apavorado nas cenas onde o mal prevalece.
E por falar em mal, que jogada de mestre foi essa do autor nesse livro! O Bosque subterrâneo é como a introdução para o próximo livro, então muito dos mistérios super importantes para o completo entendimento da história não são revelados, mas fiquem tranquilos que isso não atrapalha a leitura, pelo contrário, você se vê tão curioso quanto os personagens em saber quem está tramando tudo, o porque de tanta maldade e principalmente o que eles querem fazer com O Bosque.
Para quem gostou da resenha de O Bosque secreto só posso recomendar o seguindo volume dessa série, que a cada livro está ficando melhor. Com um final aberto com um tremendo gancho para o terceiro livro O Bosque subterrâneo vai conquistar os leitores de todas as idades, mostrando uma narrativa mágica, surpreendente e com um toque de maturidade a medida com que os personagens precisam lidar com decisões difíceis. Agora só me resta esperar que a Galera lance o terceiro livro logo pois não estou me aguentando de curiosidade.

site: http://www.gordinhaassumida.com.br/2017/01/o-bosque-subterraneo-cronicas-de.html
comentários(0)comente



Moonlight Books 29/01/2017

Leia esta e outras resenhas no blog Moonlight Books, www.moonlightbooks.net


Uma aventura mágica!

Gente! Eu amei este livro! Ele traz uma história que toda criança adoraria viver e nós adultos que temos um criança inquieta dentro de nós também. Há mistérios, perigos, uma floresta mágica cheia de histórias próprias e animais e plantas que falam. Junte nessa mistura uma garotinha obstinada e muito corajosa e sente no sofá para uma viagem deliciosa.

É um livrão, mas as páginas passam tão rápido que você nem se dá conta. Há belas ilustrações e este foi um dos pontos que mais me deixou encantada.

site: Leia o restante da resenha em http://www.moonlightbooks.net/2017/01/resenha-o-bosque-subterraneo.html
comentários(0)comente



Fernanda | @psiuvemler 29/04/2017

O Bosque Subterrâneo | Blog Psiu, vem ler!
O Bosque Subterrâneo faz parte das Crônicas de Wildwood e começa no exato ponto onde termina o livro O Bosque Selvagem. Quando eu vi que a obra havia sido lançada pelo selo Galera Junior, responsável por títulos infanto-juvenis, logo fiquei empolgada para ler, pois adorei outra publicação, como O Céu Noturno Em Minha Mente, que se tornou um de meus favorito.
A história acontece ao redor de quatro personagens principais. Nesse livro, a Prue já saiu da Floresta Impassável – uma barreira verde presente nas fronteiras da cidade, a qual os poucos que se arriscaram a atravessar, acabaram nem voltando – e agora vive dias tediosos na escola, sendo perseguida por sua nova professora, que pega no pé dela pela falta de atenção e notas baixas.
Mas as coisas voltam a ficar agitadas quando ela descobre que está em grande perigo e precisa aceitar a ajuda dos amigos que ficaram no Bosque. Mas ao chegar lá, ela descobre que precisará realizar uma importante missão que colocará todo o Bosque em suas mãos: reanimar o verdadeiro herdeiro. Ela precisará, então, deixar de importar-se com as pessoas que corriam atrás dela, querendo sua morte.
Paralelo à isso, também vamos descobrindo a história de Elsie e Raquel, duas irmãs que foram deixadas em um orfanato macabro – a princípio, apenas por duas semanas – enquanto os pais partem em busca do filho desaparecido, Curtis, que, por acaso, é o melhor amigo de Prue. Este decidiu ficar no bosque para fazer parte da família dos bandidos. Todas essas histórias têm alguma ligação e, às vezes, pode ser um pouco confuso caso você não tenha conhecimento do livro anterior, assim como eu.
Eu adorei ter esse exemplar em mãos, porque é uma leitura leve e super divertida. Achei que seria difícil acompanhar algumas coisas, mas, mesmo que eu não tenha entendido várias das referências, isso não atrapalha tanto a leitura, porque muitas das coisas são novas e, quando tem uma citação ou outra do livro anterior, é só continuar a leitura que dá para entender sobre o que estão falando.
O que eu mais gostei no enredo foi esse ar fantasioso, que remete a uma história bem infantil mesmo, mas que tem profundidade e seriedade para qualquer idade. Muitas vezes eu até esqueci a idade real de cada um, porque tudo o que era feito era muito bem pensado. Aos poucos Prue vai descobrindo que consegue, de certa forma, se comunicar com as plantas. O que acontece é que ela ouve o que as plantas estão sentindo, mas tudo através de gemidos e barulhos ininteligíveis, nenhuma palavra com compreensão.
Outra coisa que adorei foi o fato de alguns personagens serem animais que se comunicam com outros personagens, que têm consciência, que participam realmente da história como se fossem humanos. Para alguns, isso pode parecer estranho, mas eu sempre achei incrível esse tipo de coisa, hah.
Para finalizar, temos o trabalho feito pela Galera, que ficou realmente incrível. A capa mostra os nossos personagens principais, assim como alguns cenários e situações que eles precisarão enfrentar. As folhas são amareladas e a fonte é padrão. Durante a leitura encontramos diversas ilustrações, feitas por Carson Ellis, que seguem o padrão de traços da capa e que incentivam a imaginação durante a leitura. Além do mais, também temos uma parte especial no fim do livro, com algumas páginas de material diferente que abrigam outras ilustrações coloridas de cenas que aconteceram ao longo da história. Um trabalho realmente fantástico de todos os que participaram dessa criação.

site: http://www.psiuvemler.com.br/2017/03/resenha-bosque-subterraneo.html
comentários(0)comente



Além das Páginas 01/02/2017

O Bosque Subterrâneo é o segundo volume da série Crônicas de Wildwood e, diga-se de passagem, um livro maravilhoso. Demorou tanto, mais tanto para lançar que achei que a editora tinha desistido. Mas que bom que eu estava enganada e cá está ele!

Não pensem que é obrigatória a leitura do primeiro volume da série para ler esse, na verdade pode ser lido fora da ordem, mas eu como louca que sou, li antes claro. rsrs

Bom vamos falar da história... Prue tem uma vida comum, ela é divertida, um pouco peculiar, mais alegra tudo ao redor, apesar de irônica muitas vezes, ela tenta se manter discreta em seu canto, mas é como se ela fosse um raio de luz que ninguém consegue deixar de notar. Mas as coisas mudam quando seu irmão é sequestrado, ela aparentemente perde aquele brilho natural, o que parece perfeitamente comum aos olhos dos adultos ao redor, na verdade é uma precaução e até excesso de zelo por parte de Prue que fez grandes descobertas em torno do desaparecimento do seu irmão. Mas como explicar isso para pessoas que jamais acreditariam? O que será que está por detrás desse desaparecimento? Quais mistérios há na floresta e que revelações Pure tem a fazer? Sem contar nas batalhas enfrentadas por Curtis, seu amigo. Há muito pano para manga nesse enredo para lá de mágico e encantador, se você se permitir, se verá completamente fascinado por este mundo criado por Colin Meloy.

Tudo em O Bosque Subterrâneo remete a mistério e magia; a obra ainda conta com lindas ilustrações e com uma capa muito atraente. Um excelente trabalho por parta da Editora. Mais uma vez me vi completamente imersa nesse mundo e infelizmente não posso dar detalhes para não estragar a surpresa de quem ainda não leu.

Leiam! Leiam já!
Beijos.
comentários(0)comente



Giuli 19/02/2019

Bom, mas o primeiro foi melhor...
Em Bosque Subterrâneo, segundo volume das Crônicas de Wildwood, começa mais ou menos um mês depois dos acontecimentos do livro anterior.
Depois que Curtis decide ficar no Bosque Selvagem com os bandido, ele começa seu treinamento como aprendiz de bandido, até que um dia ele recebe um aviso de que Prue está em perigo e ele, junto com o rei dos bandidos deve salva-la. Nesse meio tempo a própria Prue tenta viver sua vida como uma garota normal, apesar das aventuras que passou no Bosque Selvagem, porém ela sente que algo está para acontecer, junto com essa sensação vem um compulsão estranha de voltar para o Bosque.
E como novidade, as irmãs de Curtis entram na história contando os acontecimentos depois do "desaparecimento" do irmão, onde as duas vão parar em um orfanato muito suspeito, enquanto seus pais procuram Curtis fora do país.

Não é que eu não tenha gostado do segundo volume, eu gostei, mas achei esse sem o encanto do primeiro livro, a história começa com uma boa escrita, mas a medida que vai avançando ele começa a se tornar cansativo, com determinados eventos, e sim, infelizmente tem encheção de linguiça, algumas partes que achei desnecessária e até bem mais infantis que o primeiro volume. Confesso também que fiquei com um rancinho do Curtis, achei ele muito infantil e egoísta neste volume, e não esperava isso dele, confesso que me chateou bastante. Diferente da Prue, que não mudou nada em termos de personalidade, e continua tão marrenta e corajosa como sempre, só que com bem mais dificuldades e com uma nova inimiga em potencial.

Aqui também vemos dois novos cenários, como o bosque subterrâneo e o orfanato onde as irmãs de Curtis acabam "hospedadas" enquanto seus pais procuram pelo filho desaparecido, um ponto a favor desse volume foi ter acrescentado as duas, Rachel e Elsie, com visão mais ampla da história, contando o que aconteceu depois do suposto desaparecimento do irmão.

Então só resumido mesmo, é uma história boa, não sei se vou rele-la, acredito que para ter uma opinião mais formada teria que ler o terceiro volume, porque esse livro foi claramente uma preparação para os acontecimentos do terceiro livro, e acredito que por esse motivo não tenha sido tão bom quanto o primeiro, que foi um livro escrito para ser único, pelo menos eu tive essa impressão, pois diferente da maioria das pessoas que leram o segundo volume primeiro, Bosque selvagem me encantou muito mais que Bosque subterrâneo, mas vai de opinião de pessoa para pessoa, essa foi a minha!!
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9