Se o vento diz

Se o vento diz José Fernando Guedes




Resenhas - Se o vento diz


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Milena @albumdeleitura 26/01/2017

Se o vento diz
Este é o primeiro livro de poesias do neurocirurgião José Fernando Guedes, que deixa as pinças e bisturis do mundo profissional de lado, para operar com idêntica perfeição com o papel e a caneta no corpo do poema através de metáforas e analogias.

A ideia de um homem que convive diariamente com aquilo que mais nos amedronta - a morte - sensibilizar as palavras e dar vida à poesia é algo fascinante.

Sempre gostei muito de poesia, como professora de português e literatura, sou até suspeita em falar, né? rsrs Devo enfatizar que me encantei, particularmente com esse livro, pela devoção à natureza e às singelezas da vida que nos são gratuitas.

"Às vezes para se fazer entender há que se calar, o que é outra forma de gritar".

O livro é cheio de significados e muitos deles me encantaram e me emocionaram. Recomendo a todos que curtem poesia e aos que não, deem uma chance, para desacelerar, respirar e refletir, não irão se arrepender, tenho certeza!

site: http://albumdeleitura.blogspot.com.br/2017/01/eu-li-e-voce-80.html
comentários(0)comente



Evandro.Atraentemente 07/05/2017

Se o vento diz
Se o vento diz, de José Fernando Guedes, publicado pela Editora 7 letras em seu selo Imprimatur, é um daqueles livros que, certamente, ganham um espaço especial na estante, e já está em sua 2ª Edição. A poesia possui a magia de nos transportar por suas palavras e versos, sons e encantos. Desperta emoções adormecidas ou nos apresenta novas sensações e, muitas vezes, encontramos o êxtase em suas rimas.

(...) Às vezes para se fazer entender
Há que se calar, (...)
(trecho de Quando tu - p.13)

Poetas são pessoas iluminadas que, de um jeito simples, dão forma aos sentimentos. José Fernando Guedes é neurocirugião e professor de neurocirurgia (Unirio). Se o vento diz é seu primeiro livro de poesias. Diante de sua obra, percebemos a facilidade com que o poeta transpassa o olhar técnico exigido pela profissão e enxerga a beleza existente em momentos comuns que para muitos passariam despercebidos.

"(...) Ao me deixar meu coração,
Fiquei só.
Fiquei só numa rua desconhecida
Que cruza o mundo circular
Chamado adeus.
(trecho de Meu Coração - p.15)


Suas poesias são repletas de simbolismo, como os pássaros que enfeitam diversos de seus poemas. Muitos refletem suas lembranças, seus amores, momentos alegres ou tristes. Outras ainda retratam conflitos modernos e até mesmo falam de reencarnação.

Anúncio de Elevador

Procura-se uma calopsita.
Ela tem penugem cinza e bochechas vermelhas.
É muito dócil e assobia o hino do Vasco.
Quem tiver alguma informação, por favor
Avisar na portaria.
Uma criança chora dia e noite de saudade.
(p.21)

Difícil escolher entre a nostalgia contida em Tanque (p.16) que é de uma beleza ímpar, a simplicidade contida em Anúncio no Elevador (p.21), o aconchego de Cão Aninhado (p.29), ou ainda, a sensibilidade e delicadeza ao descrever a morte em Quarto de Hospital (p.49). E muitos outros momentos que para mim, se tornaram especiais.

"(...) Poderíamos colher a certeza, como se colhem frutas maduras de uma árvore. (...)
(trecho de No Jardim - p. 28)

A edição está simplesmente perfeita. Bela e encantadora em sua simplicidade. Páginas amareladas, letras confortáveis e um turbilhão de emoções nas 50 poesias que ganham vida nas 68 páginas do livro que pode ser considerado um presente carinhoso ao leitor. Acredito que seja um trabalho que agrade tanto aos amantes de boa poesia, quanto àqueles que ainda não se aventuram no gênero. Boa leitura!


site: http://www.atraentemente.com.br/
comentários(0)comente



Maria Ferreira / @impressoesdemaria 21/05/2017

O vento diz sim
Este é um livro de poesias que estreia o autor carioca, José Fernando Guedes, no mundo literário. Foi publicado em 2016 pela Imprimatur e é prefaciado com maestria por Adriano Espínola.
O principal motivo que me despertou a vontade de ler esse livro foi saber que seu autor, José Fernando Guedes, é neurocirurgião e professor de neurocirurgia (Unirio). Fiquei bem curiosa para saber como seria seus poemas, já que é algo que destoa um pouco de sua área de atuação. Me surpreendi da maneira mais positiva possível. Os poemas são ótimos!

Gostei de todos, mas gostaria de destacar os poemas que me mais saltaram aos olhos: “Quando tu”, que me fez lembrar de Fernando Pessoa; “Olho pela janela”, em que o sujeito lírico do poema faz um breve resumo de sua vida, e faz de uso das palavras de um modo muito assertivo; “Satélite”, em que o assunto principal é o amor e o que ele nos leva a fazer e “Martelando na vizinhança”, pelo uso da linguagem e sua clara alusão a um poema do Manuel Bandeira.
“Ao me deixar meu coração,
Fiquei só.
Fiquei só numa rua desconhecida
Que cruza o mundo circular
Chamado adeus.”
(Estrofe do poema “Meu coração”)
Na obra como um todo, é assunto recorrente a temática dos pássaros, do vento, da memória, da família, da saudade, do próprio fazer poético, da infância do eu-lírico, a ação do tempo, acontecimentos do cotidiano, o amor em ato e o que vem depois dele.

Em Letras, nós nunca partimos do pressuposto de que a voz que fala no poema ou em qualquer texto literário, é a voz do autor, mas sim a voz do eu-lírico, do narrador, mas neste livro, me arrisco a dizer que a voz do autor se faz presente sim, que por sua voz nos é permitido conhecer um pouco dele e de seus sentimentos, principalmente em relação à família.

O livro já está na 2ª edição, o que acho muito merecido, dada a qualidade dos poemas. O poeta demonstra um domínio avançado da linguagem e da língua e faz verdadeiras maravilhas com ela. Seus versos são de fáceis entendimento e identificação, nem todos são rimados, mas quando o são, as rimas são compostas de modo consciente, servindo a um propósito, não estancam em si mesmas.
“Devo imenso a quem não gosta de mim.
Já que, não tendo que passar a noite em claro
Me consolando quando eu choro
Poderá repousar e pela manhã sair
Para fazer o bem, por nós dois.”
(Estrofe do poema “Devo imenso”)
Claro que cada leitura é diferente de uma para outra, varia de acordo com as vivências prévias do leitor, mas no meu caso, fiquei com a impressão de que alguns versos ou poemas fazem lembrar de Fernando Pessoa, Mário Quintana e Manuel bandeira, o que só confere uma maior riqueza à obra, demonstra-se que o autor tem conhecimento do gênero e não escreve só baseado na inspiração, porque, como se sabe, escrever poesia não tem a ver só com inspiração, tem a ver com transpiração também.

A capa, quase minimalista, dialoga com o conteúdo do livro, merece elogio a qualidade das páginas, no tom amarelado que todo leitor gosta, bom tamanho da fonte. É um trabalho muito bem feito, que tem como único defeito não ser maior, tem pouco menos de 70 páginas, mas o suficiente para saciar um leitor que aprecia uma boa poesia, uma leitura leve para se fazer em algumas horas, ou alguns dias se quiser estender ao máximo o encanto.
Atualmente o autor está trabalhando eu seu primeiro romance e eu boto fé de que na prosa será tão bem-sucedido quanto é no verso.
“Acompanho o ritmo do meu coração
Pulso, silencio, pulso, silencio, parece um vaga-lume faiscando
Quando próximo a você, o vaga-lume
Quase se desfaz numa labareda
É a forma que ele tem de dizer
Que quer amar
Que só existe para amar você
E explodir”
(Poema “Faísca”)

site: http://www.impressoesdemaria.com.br/2017/05/se-o-vento-diz-jose-fernando-guedes.html
meriam lazaro 21/05/2017minha estante
Achei muito bonita a resenha e a amostra dos poemas. Estou com dificuldade de salvar comentários no Skoob. Vamos ver se este vai


Maria Ferreira / @impressoesdemaria 23/05/2017minha estante
Obrigada. Vale a leitura do livro.




Ani 30/07/2017

Se o vento diz é o primeiro livro de poesias do neurocirurgião carioca José Fernando Guedes. A obra foi lançada pelo selo Imprimatur da Editora 7Letras e traz diversos poemas do autor com uma visão mais intimista sobre diversos assuntos.




Guedes é neurocirurgião e está em contato diariamente com a vida e até morte de seus pacientes e, justamente por isso, possui uma visão particular sobre vida. Com uma maneira sutil e delicada, o autor consegue nos encantar com suas palavras.
Eu particularmente sempre demoro para escrever resenhas de livros de poemas, fico tão encantada com os poemas que acho que não consigo expressar tudo o que sentir ao ler a obra.




É nítido que o autor se inspirou em pequenos instantes para compor seus poemas, como citei, sua sutileza é encantadora.
O livro é curtinho, possui apenas 66 páginas, e você consegue ler rapidamente. A escrita de Guedes é envolvente e única.
Sobre a parte gráfica, acredito que a capa foi uma excelente escolha, sutil e bonita é condizente com o conteúdo do livro. As páginas são amareladas e a fonte possui um espaçamento agradável.
Em suma, Se o vento diz é uma obra incrivelmente bem escrita e delicada. Aconselho a obra para quem ama poemas e principalmente para quem está querendo começar a leitura no estilo.

“Desse modo, falo comigo,
Quando tu me lês.
E tu falas contigo
Se no que eu digo
Tu também crês.”


site: http://www.entrechocolatesemusicas.com/2017/07/se-o-vento-diz-jose-fernando-guedes.html
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR