O diretor

O diretor Madeleine Roux




Resenhas - O diretor


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Marcelo Santana 06/07/2017

“Às vezes é preciso rir, para não correr o risco de enlouquecer.”
O diretor é um spin-off da série Asylum, escrito pela norte-americana Madeleine Roux. Nós estamos de volta ao temido Brookline, mas em 1968, vamos acompanhar a saga de duas enfermeiras recém-formadas, que buscam uma oportunidade profissional no hospital psiquiátrico.

Jocelyn e Madge estão ansiosas com a nova oportunidade, mesmo que seja tão longe de casa. Quando o diretor Crawford questiona Jocelyn sobre o motivo de ela ter se formado em enfermagem, ela diz que quer ajudar as pessoas e não abre mão desse pensamento. Madge além de se dedicar às suas tarefas profissionais, se preocupa com a sua aparência e sempre tem tempo para flertar com os seus colegas de trabalho.

As primeiras semanas são tranquilas, até que em uma noite, Jocelyn começa a ouvir gritos, no início pensou que esses gritos fossem coisas em sua mente, pois Madge dormia tranquilamente. Jocelyn sai do seu quarto no meio da noite seguindo o som do grito que parece vim das salas no subsolo do hospital, ela nunca esteve naquele local, e, à medida que vai se aproximando, percebe que o grito parece ser de uma criança, mas ela desiste de se aproximar mais do local, com medo de ser pega.

O diretor Crawford descobre que Jocelyn esteve no subsolo na noite em que ela ouviu os gritos, ela teme que o diretor a demita, mas Crawford lhe dá uma duvidosa promoção, convidando Jocelyn para um “projeto especial”. O diretor vê na enfermeira um perfil ideal para esse novo projeto que ele quer colocar em prática no hospital, em especial, com aqueles pacientes que, suspostamente não podem ser curados.

Eu não irei me alongar muito na história, pois o livro é bem pequeno, mas adianto que o livro vai te prendendo na medida em que os acontecimentos avançam. O livro faz conexão com os outros livros da série, em especial com um personagem visto em Sanctum. O que me deixou com um pé atrás foi o final, deu a impressão de que a autora quisesse terminar logo, eu penso que poderia ter tido maiores detalhes.

Quem não leu os livros da série principal pode ler tranquilamente esse livro, ele não interfere em nada nos acontecimentos nos livros principais. Para quem acompanha a saga, recomendo bastante a leitura, pois o livro tem um gancho para o recém lançado Asylum – A Fuga, se passa após final desse livro.

site: http://www.sugestoesdelivros.com/2017/06/resenha-o-diretor-serie-asylum.html#.WV6lWITyvDc
comentários(0)comente



Vanessa França 07/12/2016

Nesta emocionante e arrepiante história ambientada no mundo do best-seller do New York Times, uma jovem enfermeira começa a trabalhar no hospital psiquiatrico Brookline e rapidamente descobre que há muito mais por trás do sinistro diretor do que se pode ver.


Quando Jocelyn e sua melhor amiga, Madge, chegam aos portões do sanatório Brookline - recém-saídas da escola de enfermagem - estão ansiosas e empolgadas para começar suas novas carreiras. Mas a partir de sua primeira reunião com o diretor, elas podem dizer seu novo chefe será. . . difícil.


Então Jocelyn acorda em seu quarto uma noite ao som do grito, e começa a querer saber se os tratamentos neste sanatório são inteiramente humanos. Mas o diretor está de olho em Jocelyn - e o tratamento dos pacientes deve ser a menor de suas preocupações.


O diretor assim como os outros livrinhos da série é uma leitura rápida e prazeirosa, até porque é tanta tensão que não conseguimos não virar a página para saber o que vai acontecer.

site: https://geeklivroseresenhas.blogspot.com.br/2016/12/o-diretor-de-madeleine-roux-editora.html?view=classic
comentários(0)comente



Dany 10/08/2017

O Diretor
Pra finalizar, não poderia é claro de falar da figura principal de toda a série que é o diretor Crawford. Essa figura que é tão presente, e ao mesmo tempo os fatos sobre ele são dados aos pouquinhos aqui e ali.

Embora não seja o diretor o principal personagem aqui, acabamos por conhecê-lo melhor. Além de também ter a grata surpresa de saber como o Brookline funcionava.

É um bom desfecho pra toda a série que tem o diretor como pano de fundo central, já que ele é sempre citado, assim como também funciona como uma boa introdução de toda a história. Ou seja, você pode tanto ler esse conto no final da série toda, como pode começar com ele pra dá introdução a série

site: http://recolhendopalavras.blogspot.com.br/2017/08/tres-contos-de-madeleine-roux-asylum.html
comentários(0)comente



Kari 22/05/2017

"A última tentação é a traição em redobrado:
Praticar o que é certo por motivo errado."
- T.S. Eliot, Murder um the Cathedral

O Diretor é mais um episódio da série Asylum que resenhei aqui no blog.

Essa história mais uma vez se passa no hospital Brokline no segundo semestre de 1968.
Neste volume conhecemos Jocelyn e Madge que se formam juntas na Gracie Point, em Chicago, na especialidade de Ciência da Enfermagem. Jocelyn com honras e Madge com estilo. Apesar de serem tão diferentes, são amigas e juntas, mesmo solteiras, conseguem o primeiro emprego indo trabalhar no hospital Brokline, já velho conhecido meu de outras histórias da série.

No folheto o hospital, residentes e funcionários pareciam dispostos, felizes, realizados e bem tratados.. exibindo um brilho encantador. Já na realidade o que se via não era bem isso. Porém mesmo assim o otimismo toma conta das companheiras de jornada e lá vão elas encarar um enorme desafio e talvez um grande pesadelo, dependendo do ponto de vista.

No princípio tudo parecia comum, trabalho puxado, rotina e familiaridade com a profissão pouco a pouco. Jocelyn sempre buscando se sobressair na profissão e dar o melhor de si, enquanto Madge tenta arrumar um bom partido flertando de maneira leviana.

Certa noite Jocelyn acaba indo parar no porão ao ouvir gritos horrendos que parecem ser de uma criança em desespero.. o famoso porão (para aqueles que leram episódios ou histórias anteriores dessa série); ela sai imune do porão, mas com a certeza de que precisa fazer algo a respeito de seja lá o que se passa no porão. Então vem um convite inesperado e ao mesmo tempo uma oportunidade. O Diretor da instituição a convida a fazer parte de seu projeto pessoal, que acontece exatamente no porão e aí vem as novidades imagináveis e inimagináveis..

Mais uma vez posso dizer que Madeleine Roiz mantém o ritmo acelerado e de suspense com uma pitada de terror. Aqueles que já conhecem a escrita da autora sabem o que esperar e quem não conhece estejam preparados, pois irão se surpreender. Afinal nem tudo tem o famoso "final feliz" as vezes tem um final, outras uma pausa e outras vão além do qualquer coisa explicável.. ao menos no mundo em que estamos acostumados.

Continuo curtindo muito a série e os episódios a parte. Sou enfermeira, trabalho com saúde mental e esse limiar entre realidade e loucura me fascina!

Leiam!
comentários(0)comente



Jéssica 09/05/2017

O diretor - Madeleine Roux
Jocelyn e sua melhor amiga Madge acabaram de se formarem enfermeiras e como o primeiro trabalhos elas vão parar no Brookline, um hospital para tratar "doenças" mentais. Tudo ia bem apesar da rotina puxada, Jocelyn se dedicava aos pacientes e tentava dar o melhor de si e Madge flertava com seus colegas na esperança de arranjar um bom marido. Até que em uma noite um grito assustador de uma criança desperta Jocelyn que em seu instinto de ajudar essa pobre alma é atraída para o local de onde os gritos estão vindo, o porão do hospital. Apesar de nesse primeiro momento ela acabar voltando para o seu quarto sem descobrir o que estava acontecendo ela sabe que precisa ajudar a menina que gritava e quando o Diretor do hospital a convida para participar do seu projeto que acontecia no porão Jocelyn vê nesse convite uma maneira de tentar fazer algo bom por esse pacientes. Será que Jocelyn conseguirá ajudar os pacientes? ou sofrerá duras consequências por intervir nos planos do Diretor?

Apesar desse ser mais um livro curto que trás um episodio a parte da série, somos levados pela tensão do enredo e torcemos para que os personagens consigam concluir seus planos, mas esse não é o tipo de livro que temos um final mega feliz, na verdade em todos os livros da série os finais trazem perdas e conquistas, alguns mais perdas do que os outros. A narrativa esta envolvente e fluida, com uma boa descrição tanto de personagens como dos cenários.

Como em todas as outras resenhas dos livros da série eu recomendo a leitura dela para aqueles quem buscam um livro da suspense e mistérios com uma boa narrativa.

site: http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/2017/03/resenha-o-diretor-madeleine-roux.html
comentários(0)comente



Acordei Com Vontade de Ler 27/05/2017

"A última tentação é a traição em redobrado: Praticar o que é certo por motivo errado." - T.S. Eliot, Murder um the Cathedral.


O Diretor é mais um episódio da série Asylum que resenhei aqui no blog.

Essa história mais uma vez se passa no hospital Brokline no segundo semestre de 1968.
Neste volume conhecemos Jocelyn e Madge que se formam juntas na Gracie Point, em Chicago, na especialidade de Ciência da Enfermagem. Jocelyn com honras e Madge com estilo. Apesar de serem tão diferentes, são amigas e juntas, mesmo solteiras, conseguem o primeiro emprego indo trabalhar no hospital Brokline, já velho conhecido meu de outras histórias da série.

No folheto o hospital, residentes e funcionários pareciam dispostos, felizes, realizados e bem tratados.. exibindo um brilho encantador. Já na realidade o que se via não era bem isso. Porém mesmo assim o otimismo toma conta das companheiras de jornada e lá vão elas encarar um enorme desafio e talvez um grande pesadelo, dependendo do ponto de vista.

No princípio tudo parecia comum, trabalho puxado, rotina e familiaridade com a profissão pouco a pouco. Jocelyn sempre buscando se sobressair na profissão e dar o melhor de si, enquanto Madge tenta arrumar um bom partido flertando de maneira leviana.

Certa noite Jocelyn acaba indo parar no porão ao ouvir gritos horrendos que parecem ser de uma criança em desespero.. o famoso porão (para aqueles que leram episódios ou histórias anteriores dessa série); ela sai imune do porão, mas com a certeza de que precisa fazer algo a respeito de seja lá o que se passa no porão. Então vem um convite inesperado e ao mesmo tempo uma oportunidade. O Diretor da instituição a convida a fazer parte de seu projeto pessoal, que acontece exatamente no porão e aí vem as novidades imagináveis e inimagináveis..

Mais uma vez posso dizer que Madeleine Roiz mantém o ritmo acelerado e de suspense com uma pitada de terror. Aqueles que já conhecem a escrita da autora sabem o que esperar e quem não conhece estejam preparados, pois irão se surpreender. Afinal nem tudo tem o famoso "final feliz" as vezes tem um final, outras uma pausa e outras vão além do qualquer coisa explicável.. ao menos no mundo em que estamos acostumados.

Continuo curtindo muito a série e os episódios a parte. Sou enfermeira, trabalho com saúde mental e esse limiar entre realidade e loucura me fascina!

Leiam!

site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/2017/05/resenha-o-diretor-asylum-35-madeleine.html
comentários(0)comente



Estante Quadrada 15/06/2017

Um conto sombrio
Antes de toda a história da trilogia Asylum, o Brookline era um hospital, mais especificamente um hospício. E é nesse momento que a história se passa, com as protagonistas Jocelyn e Madge duas amigas que se formaram em enfermagem e foram contratadas para seu primeiro emprego.

Rapidamente elas se adaptam ao local, mas muitas situações acabam perturbando as duas, como por exemplo: O Diretor. Ele é um homem misterioso e bastante extremista, e desde os flashbacks na trilogia Asylum percebemos que não é uma pessoal confiável.

Leia o restante no blog:

site: http://estantequadrada.blogspot.com/2017/06/o-diretor-asylum-35-de-madeleine-roux.html
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7