Batom no dente

Batom no dente Maria Helena Mossé




Resenhas - Batom no dente


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Fernanda @condutaliteraria 11/09/2017

Batom no Dente reúne contos que falam principalmente do universo feminino, de seu cotidiano e que poderiam se passar com qualquer uma de nós ou mesmo com uma conhecida.

Em uma escrita elegante e cheia de recursos, a autora nos apresenta diversos personagens com seus problemas, dilemas e a busca por soluções. São personagens muito reais e com a garra feminina.

Os textos são curtos, completos e muito dinâmicos, li em poucas horas e terminei com a sensação de querer mais.

O que achei interessante é que alguns se interligam entre si, focando no ponto de vista de outro personagem da história. Achei o máximo isso!

Foi uma leitura bastante prazerosa, a escrita da Maria Helena é cativante, na medida certa e muito original.

Não tem como escolher um conto favorito, todos me cativaram. A identificação com as histórias é muito grande.

A capa está linda!! Achei muito a cara do livro.

Agradeço pela oportunidade de conhecer a autora, que arrasou na estreia. Que venham mais livros!
comentários(0)comente



Ani 15/07/2017


Batom no Dente é o primeiro livro da psicanalista e artista plástica, Maria Helena Mossé. A obra traz uma seleção de contos com diversas personagens femininas que estão passando por diversas situações. Sejam elas de insatisfação, inadequação ou expectativa, todas as personagens estão em busca de algo a mais. Não pensem que a autora pretende responder o que as mulheres querem, ou que isso é um manual para nos entender.




Através de uma escrita madura e personagens com características diversas, a autora mostra o valor do sexto feminino em suas diversas lutas.
O livro traz 21 contos escritos de uma maneira excepcional e mais adulta, fazendo com que o leitor conheça, reflita e entenda sobre o universo das personagens.
As histórias trazem protagonistas de diversas idades e classes sociais que vivem em busca da realização de seus desejos, que pode até parecer serem coisas muito complicadas, porém, em minha singela opinião, é a própria felicidade e paz de espírito.




Vocês sabem como eu acho difícil resenhar livros de contos né? Acho que eles possuem uma leveza e pluralidade que conseguem atrair todos os tipos de leitores e com Batom no Dente não é diferente.
Como já citei, a escrita da autora é bonita, adulta e nos leva para o ambiente onde suas pequenas histórias estão se passando. É fácil se identificar com uma ou outra personagem da coletânea.
Foi uma leitura muito agradável de se fazer e ótima para me tirar de uma super ressaca literária. A edição é simples e bonita! A capa é encantadora, as folhas são amareladas e o espaçamento utilizado mantem a leitura mais leve. Leitura aconselhada.

site: http://www.entrechocolatesemusicas.com/2017/03/batom-no-dente-maria-helena-mosse.html
comentários(0)comente



Carla Brandão 07/01/2017

Já dizia Clarice Lispector: cada pessoa é um mundo. As histórias, vivências e aquilo que carregamos dentro de nós compõem um terreno vasto e, muitas vezes, inexplorado. Quando a pessoa em questão é uma mulher, conhecer cada cantinho do mundo pode ser difícil, mapa nenhum é claro o suficiente . Afinal, mulheres são complicadas, diz-se por aí.

Em Batom no dente, Maria Helena Mossé se aventura por esse universo feminino. Em 21 contos, apresenta ao leitor mulheres de diferentes idades, pertencentes a diversas classes sociais e passando por etapas distintas da vida. Alguns contos têm protagonistas masculinos, mas eles são minoria.

Os personagens são reais, tanto que é até difícil chamá-los assim. A narração de suas vivências traz ao leitor reflexões a respeito de temas comuns a todos nós, situações que já passamos, já vimos alguém passar ou que provavelmente passaremos no futuro.

Ao longo das páginas, conhecemos personagens buscando uma vida melhor, umas se apaixonando, outras encarando o fim de uma relação que durou mais da metade da vida e ainda aquelas que se aventuram em uma relação extra-conjugal. Em contos mais reflexivos, personagens questionam escolhas feitas, lidam com a saudade de coisas, épocas e pessoas e com a chegada da maturidade e as mudanças que ela traz para o corpo e para a percepção do mundo ao redor.

"As vozes não se modificam com o tempo. Eu seria capaz de identificar cada um, estivéssemos nós num ambiente fechado e escuro. As risadas também são as mesmas. Somos todos novamente jovens falando alto e, rememorando os dias felizes, acreditamos que daremos uma rasteira na morte."

Um detalhe bastante interessante do livro é que alguns contos são interligados. Alguém que faz parte da história contada em um, como mero coadjuvante, vira protagonista no seguinte. E assim podemos ver dois olhares diferentes a respeito de uma mesma situação, mostrando que nem sempre aquilo que projetamos realmente corresponde ao que se passa com a outra pessoa. Por descuido ou por alguma necessidade, muitas vezes moldamos a realidade de acordo com o que queremos.

Outro ponto a ser destacado é o estilo da escrita da autora. Mesmo nos contos mais curtos conseguimos apreender muito da personalidade de seus personagens. Talvez por sua formação, ela consegue explorar bastante do que se passa no interior de cada um deles, sem precisar recorrer a descrições detalhadas, apenas narrando seus pensamentos e suas ações.

Mesclando contos narrados em primeira e terceira pessoas, Batom no dente é um livro maduro e que trata de maneira quase informal - mas nem por isso superficial - de assuntos fundamentais.

site: https://blog-entre-aspas.blogspot.com.br/2017/01/resenha-batom-no-dente-maria-helena.html
comentários(0)comente



Thami | @professorathami 28/12/2016

Batom no dente
Batom no dente é um livro escrito pela psicanalista e artista plástica Maria Helena Mossé. Nesta obra, nos deparamos com os mais variados tipos de pessoas e as mais variadas situações nas quais elas se envolvem, divididas em uma seleção de 21 contos em 108 páginas.

A escrita de Mossé é agradável e cotidiana. Os temas escolhidos por ela para comporem seus contos são interessantes, reais e palpáveis. Aliás, a respeito da estrutura dos contos, tenho algo importante para dizer: estou encantada! Há contos de apenas duas folhas, frente e verso, mas nenhum ponto solto. Escrever é difícil. Num texto bem escrito, o início deve consentir com o final. E todos os contos escritos por Mossé não contém mesmo, nenhum ponto solto. Repito: estou encantada com a escrita da autora.

“Na fala me perco, mergulho em brumas, cada sílaba torna-se pegajosa, o pensamento fica frouxo e furado. Minha verdade é o que eu escrevo.” (MOSSÉ, 2016, p. 42)

Um ponto muito interessante de Batom no dente é que alguns contos se complementam. Por exemplo, os contos “A visita” e “Sobreviventes” têm personagens em comum, bem como “A professora” e “Robinson”. Quando me dei conta deste fato, fiquei ainda mais maravilhada com a obra.

Você não sabe, mas há grandes chances de que determinada situação descrita pela autora seja vivenciada por você no futuro. Entre os temas explorados por Mossé, há o ato de envelhecer, a doença, o medo da morte, a imaginação fértil, a saudade da juventude e muito mais.

“O mapa da seca” é um dos meus contos preferidos de Batom no dente. Neste conto, Mossé da vida a mulheres autossuficientes, que amam acima de qualquer coisa, a si mesmas. Eu me identifiquei com Theresa gostaria de ser, em alguns aspectos, como ela no futuro. Há outro conto que eu adorei, o “A senhora de preto”. Nele, Mossé fala de saudade e as possíveis formas de lidar com os acontecimentos inevitáveis da vida. Enfim, marquei vários contos como “preferidos”, mas não vou poder falar de todos por aqui, pois isso estenderia demais a resenha. Deixarei os títulos dos meus preferidos: “Blecaute”, “Vermelho-sangue”, “Entre lençóis”, “A visita”, “De olhos bem fechados” e “The end” – este último m fez suspirar.

Falamos aqui, de um livro extremamente bem escrito. Falamos aqui, de uma escritora brasileira que merece aplausos. Com Batom no dente, você vai viajar por diversos lugares e vai sentir os mais variados sentimentos. Obrigada, Maria Helena Mossé, por escrever. A sua escrita encanta, prende e inspira.
comentários(0)comente



Blog De Bem Com a Leitura 19/12/2016

Com uma escrita elegante, a autora aborda temas do cotidiano feminino e nos apresenta histórias que podem ter sido vivenciadas por nós ou alguma conhecida. Em cada um dos contos encontramos personagens diferentes e reais, que passam por dificuldades, dilemas, tentam superar e exibem a garra que toda a mulher tem.

A autora reúne contos que nos falam sobre a mulher, em diferentes épocas de sua vida e em diferentes classes sociais. São contos que mostram a intimidade, que expõem com naturalidade assuntos femininos, que são delicados e ao mesmo tempo transmitem força. São histórias soltas, diferentes, mas algumas estão interligadas e quando vemos a conexão entre elas, percebemos a originalidade da autora na maneira como o faz.

No conto que dá nome ao livro, Batom no Dente, vemos Odete, uma senhora que vai ao encontro de antigas amigas da escola. Odete sabe que não é mais a garotinha de quando conheceu a turma, também sabe que o tempo passou para todas, mas não se sente à vontade em se apresentar para as antigas amigas.

No caminho, ela lembra de como foi uma adolescente rebelde, de como gostava de fazer coisas para colocar uma mancha na família que se dizia perfeita, lembra do divórcio e algumas questões que a fazem ver como a sua vida passou. Sem dúvidas, um dos melhores contos da obra e, para mim, esse foi o melhor.

Leia mais no link > http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/2016/12/resenha-batom-no-dente.html

site: http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/2016/12/resenha-batom-no-dente.html
comentários(0)comente



Milena @albumdeleitura 18/12/2016

Batom no Dente
A obra reúne 21 contos de autoria da psicanalista Maria Helena Mossé. Em sua estreia como escritora, traz como temática de seus contos diferentes personagens, entre os quais destaca-se o público feminino, bem como seus dilemas, expectativas, desejos, casamentos fracassados e amores do passado...

Alguns desses contos estão interligados com os outros, como se fosse uma espécie de continuação do anterior, porém, sob nova perspectiva de outro personagem, e é nesse momento que o público masculino ganha voz no discurso. Entre eles, há aqueles que me chamaram mais a atenção, como por exemplo, As Meninas, Bobó de Camarão, Batom no Dente (que leva o título do livro) e The End.

A escrita dos contos não é apenas envolvente como também inteligente e reflexiva, possui as amarras necessárias para prender o leitor do início ao fim com as histórias bonitas e realistas de seus personagens. Indico a leitura!

site: https://albumdeleitura.blogspot.com.br/2016/12/eu-li-e-voce-73.html
comentários(0)comente



@retratodaleitora 28/11/2016

Adorei!
Batom no Dente é um livro que reúne 21 contos escritos por Maria Helena Mossé. Os contos abordam em sua maioria temas que envolvem o universo feminino. Temos diversos personagens passando por difíceis dilemas em suas vidas. Casamentos fracassados, escolhas erradas, a velhice, os amores do passado...

Alguns desses contos conversam com outros, são interligados pela autora, que possui uma escrita muito boa, que prende o leitor e ao mesmo tempo exige que o mesmo pare para pensar, para refletir. Os personagens são tão reais que podiam ser você, seu vizinho, seu melhor amigo... Suas narrativas tão convincentes que por um momento acreditei estar lendo crônicas do dia a dia.


Alguns contos em especial mexeram comigo. Em Dulcinéa vemos o desespero de uma menina que perde seu animal de estimação; a galinha escapa de suas mãos, dentro de um carro em movimento, e se perde em meio ao trânsito. A garotinha fica inconsolável, comovendo seus pais. No conto Bobó de Camarão conhecemos Cláudia, que reencontra um amor do passado e resolve preparar um almoço para ele, um bobó de camarão. Mas será que vai aparecer? Depois de tanto tempo, será que as coisas poderiam voltar a ser como eram antes? No comovente A Senhora de Preto a personagem, agora com vinte anos, relembra dos tempos de criança, quando uma senhora vestida de preto (que descobriu ser uma viúva) ia visitar sua casa e lhe contava histórias. Em As Meninas conhecemos Elsa e Ilka, duas mulheres idosas que vivem juntas. Irmãs, elas sempre foram unidas, e será sempre assim. Ou não?


"As vozes não se modificam com o tempo. Eu seria capaz de identificar cada um, estivéssemos nós num ambiente fechado e escuro. As risadas também são as mesmas. Somos todos novamente jovens falando alto e, rememorando os dias felizes, acreditamos que daremos uma rasteira na morte."


Esses e diversos outros contos estão presentes neste livro. São histórias bonitas, com personagens interessantes e realistas. Foi uma leitura prazerosa, que me prendeu do início ao fim. Não ouso escolher um conto favorito, pois muitos foram os que gostei.

A escrita da Maria Helena é descritiva na medida certa e muito cativante. Temos contos de narrativa em primeira e terceira pessoa, feita por personagens masculinos e femininos. E todos são tão diferentes!! Este é seu livro de estreia, mas já quero muito que publique outras obras. Quem sabe um romance! Talento ela tem, isso é certo.


site: http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/2016/11/batom-no-dente-de-maria-helena-mosse.html#more
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR