A Troca: Livro 2

A Troca: Livro 2 Cris Santos




Resenhas - A Troca: Livro 2


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Rafa 26/04/2020

Intenso e cheio de partes engraçadas e apaixonantes
Se é que é possível o livro dois é ainda melhor que o primeiro. Temos partes engraçadas, temos partes fofas e apaixonantes e temos também uma tensão que paira no ar. Além do livro agora estar separado pela visão da Donna e do Taylor.
Meu Deus, como foi gostoso ir descobrindo os pensamentos do Taylor. Confesso que a gente vai derretendo um pouquinho a cada parte contada por ele. Que a Cris não leia essa resenha hahaha.
Que final! Fiquei com o coração doendo aqui e já ansiosa para continuar a leitura do livro 3.
comentários(0)comente



Silvia.Souza 03/01/2018

Excelente!!!
Não vou mentir e dizer que não adorei o livro!!! A história me prendeu de um jeito que não consegui parar até terminar... Mas eu não seria eu se não comentasse tudo o que me incomodou na história... Confesso que não gosto desse jeito invasivo do Taylor desde o primeiro livro... Ele é muito insistente de uma forma chata e irritante... Não me conformo com a forma abusiva dele de se infiltrar na vida dela, não me conformo com a submissão da Donna, que penso deveria sair de cima do muro e me conformo menos ainda como todo mundo parece achar natural e apoiam as atitudes do Taylor... A mãe da Donna em especial o ajuda e o incentiva a manipular a própria filha e quando a filha se decide a pequenas vinganças a mãe fica contra ela. Tenho que concordar com um dos comentários que li sobre o livro e dizer que também não gosto dessa mãe... E quando eu comecei a me simpatizar com o cara ele começou com aquelas atitudes e comportamentos em relação a Sandra e, sério mesmo que ele acha isso normal? O cara perseguiu a Donna por tanto tempo tendo uma história sem finalização e acha mesmo isso natural? Eu me decepcionei muito com ele no final desse segundo livro e espero de coração que ele se redima no terceiro, pois entre todos os erros, o dele ainda foi maior... Acho que ficou claro que sou team Donna...
comentários(0)comente



Cris.Fernandes 26/12/2017

A briga entre gato e rato continua nesse segundo volume. Achei desnecessário esse livro, teve uma hora que queria abandonar...ja estava com vontade de bater no Taylor ,o cara não tem amor próprio afff.Mas bem,
tudo tem um porque acontecer e Donna teve seu final merecido...
comentários(0)comente



"Ana Paula" 26/06/2017

"Eu estou tomando posse neste momento do namorado que me enfiaram goela abaixo."

Como você faz para escrever sobre um segundo livro que consegue ser melhor que o primeiro? Pois bem... aqui estou eu, depois de ter passado o dia anterior todo lendo este livro e de ter dormido mau pra cacete decorrente do final do mesmo.
Sim, virei fã da autora apesar de estar odiando-a intensamente neste momento, mas pode acreditar, meu surto vale cada página lida!

"Era hábito desprezível, mas infelizmente eu já tinha usado a artimanha antes de formas quase cruéis, mas necessária. Sem isso, eu não teria passado do batente da casa da família.O que seria uma lástima."

No primeiro livro, me indignei com as atitudes de Taylor e jurei a mim mesma (e para a autora) que eu continuaria odiando ele. Infelizmente, não vou conseguir manter esse juramento. Neste livro, como a sinopse mesmo diz, vamos conhecer uma parte totalmente diferente dos personagens principais Donna e Taylor. Vamos descobrir coisas que ficaram sub-entendidas no livro anterior. Vamos descobrir o segredinho sujo de Donna e Léo. Vamos acompanhar Taylor e sua cara de pau na continuação de seus planos para fazer Donna se apaixonar por ele. Vamos virar Team Donay e, no meu caso, ficar inventando desculpas para continuar odiando Taylor. kkkkkk

A Troca 2 começa alguns dias depois do final do primeiro livro. Taylor está voltando para o Brasil para continuar sua implacável missão de vida: conquistar Donna Carter. Donna está passando por um momento difícil e mesmo sendo turrona, abre algumas brechas que deixam Taylor mais ciente da atração que ela teima em não sentir por ele.
No livro anterior, a narrativa foi em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Donna. Só um capítulo foi narrado por Taylor. Neste volume, a narrativa continua em primeira pessoa, mas os pontos de vista se intercalam entre Donna e Taylor.

"Não planejei amá-la. Não tinha a menor intenção de me apaixonar quando desci do avião naquele dia disposto a desmascará-la. Eu transaria com ela. Era isso que eu queria. Eu a faria lembrar meu nome pelo resto de sua vida. Apaixonei-me no susto. Foi um desespero sem precedente. Minha caça virou meu algoz. Fui atingido no primeiro tiro. E mesmo ferido, crivado outras milhares de vezes. A cada volta ao Rio, a cada vez que eu olhava em seus olhos furiosos, minha aflição aumentava. Meu amor também."

Essa mudança me deixou destroçada pois eu me recusava a entender que Taylor gosta mesmo de Donna. Depois de tudo que ela passou no primeiro livro, com a obsessão dele, machismo, perseguição, eu queria continuar odiando-o, mas não consegui. Sim, Taylor é um canalha, cafajeste, idiota a máxima potência, mas acompanhá-lo durante os capítulos em que ele narra, me fez vê-lo com outros olhos, entendê-lo um pouquinho que seja. Não o odeio mais, mas não pense que vou torcer para eles ficarem juntos viu? Não vou! Taylor é uma pessoa má e mesquinha. Quem leu o livro pode dizer o contrário, mas eu ainda acredito que todas as suas jogadas são em benefício próprio.

Donna continua sendo Donna. A gêmea má que ganhou meu coração se mostra inescrupulosa e confirma a sentença já avisada no livro anterior: ela não vale nada!
Mas me diz aí: um homem pode fazer e ser o que quiser, certo? Pode usar sua beleza em seu benefício, pode pegar quantas mulheres quiser, pode ser o bambambam, cheio de reconhecimento e poder... Porque então, uma mulher não pode usar dos mesmos artifícios???
Donna sempre lutou para ser o que é - forte, destemida, mandona, mas, acima de tudo, mulher. Sua família sempre foi a sua primeira opção, a segunda opção é a obra social que ela tanto lutou para se concretizar e ajudar a quem precisa.

"Eu sei brincar, Taylor, mas também sei o que é agressão e assédio físico e moral. E mesmo que tenha reconhecido alguns na sua forma de agir e feito vista grossa, não me excita a ideia de ser amarrada a uma cama por algum pervertido com uma doença psicológica que acha que só vai ter prazer se me infligir toda dor que conseguir."

Gostei muito de como a autora continuou a história desses dois. Ri muito enquanto lia e também chorei com as demonstrações de carinho entre a família Carter. Aaron, pai de Donna, finalmente se impôs e fez o que esperei dele no livro anterior - defendeu sua filha.
Uma coisa que me incomodou muito nos dois livros é o modo como Donna trata os pais, - apesar de eu não ser fã de Susan, mãe de Donna - na minha casa se eu chamasse meus pais pelo nome de batismo, eu levava uma porrada bem no meio da boca... mas acredito que isso seja de família para família neh? Já li outros livros onde encontrei o mesmo modo de se referir a parentes e sempre me incomodo com isso.

Entretanto, posso dizer que este livro superou o primeiro por ser mais intenso e conter mais respostas para diversas perguntas que iam surgindo no primeiro livro. Donna e Taylor são como faíscas, prontos para se tornarem fogo assim que se tocam. Temos mais cenas quentes e sensuais, Donna está aprendendo a usar o efeito que causa em Taylor e isso foi muito engraçado de ler.
A escrita da autora continua gostosa e sucinta, deixando o leitor ser levado por esses personagens incríveis e cheios de defeitos, tão reais que chegam a ser palpáveis. A capa que, infelizmente, não achei tão bonita quanto a anterior.

"- Se vocês tivessem se encontrado e se apaixonado em circunstâncias comuns, Taylor, seria diferente. Mas o que aconteceu foi que você se enfiou na minha casa e está conquistando minha filha no peito e na raça, contra sua vontade, sob seus protestos altos, que eu ignoro com uma dor no peito. Eu apoio, porque minha família o faz. Mas, diante da força que está usando para mudar os destinos dos dois, o tratamento será outro. Se a fizer sofrer, vou fazer com que se lembre do que a fez passar no intuito de conquistar seu afeto."

Enfim, e sem mais, só posso indicar a leitura. Os livros são relativamente pequenos, possuem pouco mais que 230 páginas, o leitor consegue ler em poucas horas, tamanha é a intensidade dos acontecimentos e o carisma desses personagens inesquecíveis. Estou bem curiosa para conferir o terceiro livro. Não vejo a hora de saber o final dessa história! ;)


site: http://livrosdeelite.blogspot.com.br/2017/06/resenha-troca-livro-2-cris-santos.html#.WVEtqusrLDc
comentários(0)comente



Nise 29/05/2017

#TeamDonna
Amei amei amei, fora que a escritora é um poço de carisma, a escrita do livro é leve, uma comédia romântica, onde a mocinha é a Donna dá Poha toda literalmente.
E o Taylor ele é um cafachorro,mais um ser apaixonante, mais a Donna me ganhou, uma pessoa forte, determinada que faz tudo o que quer sem ligar para o que os outros falam.
Esperando ansiosamente pela continuação.
Você que ainda não leu, leia pq garanto que vai se apaixonar ????
Cris.Santos 29/05/2017minha estante
Team Donna !!




Ca Silva 01/01/2017

Cadê a continuação!!???
Gente, preciso urgente da continuação desse livro!!!Que final foi esse!!? Que sofrência...Será que aguento!?
Cris.Santos 20/02/2017minha estante
Oi!!
A Troca 3 vem em Março. \O/
Obrigada!!




Patricia.Pavie 28/11/2016

#TeamTaylor
Demorou, mas valeu a pena a espera. A Troca 2, para mim, conseguiu ser melhor que o primeiro. Consegui entender mais os sentimentos de Taylor e Donna, e me apaixonei ainda mais pelo atorzinho hehehehe.
A perseverança dele em fazer com que a Donna se diga apaixonada é perfeita, os diálogos entre os dois é de uma sagacidade impar.
Amei do começo ao fim, e diga-se de passagem "que fim". Estou agora ansiosa pelo 3, já mandando mensagens para a Cris adiantar o quanto puder hehehe.
Nota máxima e indico demais esse livro!!!!!!!
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7